ESTUDO DA UGAÇÃO ENTRE BR 116/8R 290 E BR 386                                   Alternativas de traçadoCláudio D’Almeida  ...
2. PLANTA DE SITUAÇÃO3. ORIENTAÇÃO DO TRAÇADOAs alternativas de Traçado têm orientação básica Norte-Sul. Pan um melhor ent...
Sub - Trecho BC - Inicia ao cruzar o Rio Jacui, no local conhecido como Porta Manga emsegmento com menor largura do mesmo,...
Desta forma, após o cruzamento do Rio Jacuí na sua margem direita, o terreno é baixo, alagadiçoe com área de cultivo de ar...
5. CONCLUSÕESEm nosso entender os estudos indicam a busca de uma passagem no Rio Jacuí,o mais próximo aPorto Alegre, possí...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

ARCO METROPOLITANO OESTE DA GRANDE PORTO ALEGRE

577 visualizações

Publicada em

-EXECUÇÃO DA RODOVIA DENOMINADA RODOESTE:
TRECHO: POLO PETROQUÍMICO DE TRIUNFO-GUAIBA, INTEGRANDO TRÊS BRS: 386/116/290, DESVIANDO O TRAFEGO DA BR 386 (POLO-CANOAS/116-FREEWAY/BR 448/TRAVESSIA DO GUAIBA (REGIS BITENCOURT) ATÉ INTERSEÇÃO COM 116/290 NO ENTRONCAMENTO PARA PELOTAS/RIOGRANDE E SÃO JERONIMO/CACHOEIRA/ROSAARIO/ALEGRETE.
INCLUI TERMINAL LOGÍSTICO NA ÁREA DE TERCEIRA GERAÇÃO DO POLO
a PARTIR DA NOVA PONTE DO GUAIBA, A CRIAÇÃO EFETIVA DA HIDROVIA POLO/RIO GRANDE PELO TERMINAL SANTA CLARA E TERMINAL LOGISTICO
TER-SE-IA DUAS NOVAS DIRETRIZES AO ESCOAMENTO DA SOJA VIA RODOVIÁRIA E HIDROVIÁRIA, ALÉM DA RETIRADA DE TRÁFEGO PESADO DO ANEL METROPOLITANO, ELEVANDO O NIVEL DE SERVIÇO DO SITEMA.

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

ARCO METROPOLITANO OESTE DA GRANDE PORTO ALEGRE

  1. 1. ESTUDO DA UGAÇÃO ENTRE BR 116/8R 290 E BR 386 Alternativas de traçadoCláudio D’Almeida Adair AlvesEngenheiro Civil - DAER Geógrafo - DAER1. APRESENTAÇÃOO presente relatório objetiva apresentar alternativas de ligação entre as BR 1 16/BR 290 e a BR386 na região metropolitana.As alternativas estudadas situam-se entre o trecho da BR 386 nas proximidades do PóloPetroquímico, o trecho da BR 290, 8,5 km antes do início da RS 401 e o trecho comum da BR 116/BR 290, nas proximidades de Eldorado do Sul. No mapa de localização pode-se visualizar aquestão. Não foram analisadas alternativas mais a montante por se afastarem em demasia dadiretriz pretendida.São Condicionantes Básicas dos traçados: -Eixo principal da RFFSA, Porto Alegre-Santa Maria que se desenvolve transversalmente aos traçados pretendidos, devendo ser cruzado em níveis diferentes. Também existem os ramais secundários do próprio pólo e a rede da ferrovia Tronco-Sul. * leito do Rio Jacuí, também trans versal aos traçados e já nas proximidades do deita, com larguras variáveis e algumas ilhas. Cabe lembrar que o limite à jusante se dá pelo canal de navegação do Pólo Petroquímico, na margem esquerda do Rio (Canal de Santa Clara) e o Parque do Delta do Jacuí pela margem direita. O rio deve ser cruzado obedecendo gabarito de navegação. Para fins de elaboração do presente relatório percorremos as ERs existentes na região e alguns trechos de acesso apenas a pé. Por outro lado, alguns caminhos não puderam ser reconhecidos por se tratarem de propriedades com acesso impedido. No esquema de localização apresentamos os caminhos percorridos e as diretrizes pensadas, salientamos que as distâncias foram obtidas nos velocímetros dos veículos utilizados e através de medidas em cartas da região escalas 1:50. 000, 1:250.000 permitindo apenas ordem de grandeza relativa. Os estudos possuem dois pontos possíveis de partida na BR 386, três passagens no Rio Jacui e três pontos possíveis de chegada nas BR 11 6/BR 290 que, combinados entrei constituem 7 (sete) alternativas, conforme apresentados nos itens seguintes:
  2. 2. 2. PLANTA DE SITUAÇÃO3. ORIENTAÇÃO DO TRAÇADOAs alternativas de Traçado têm orientação básica Norte-Sul. Pan um melhor entendimento ospontos principais foram nomeados comas 9 (nove) primeiras letras do alfabeto e tem suadescrição a seguirSub-Trecho AB — Inicia na BR 386, aproximadamente 5km após a entrada do Pólo Petroquímico edesenvolve-se em diretriz paralela ao eixo principal da malha viária do mesmo. Tem seu início emregião ondulada e cruza a RS 244 a 7,5 km da malha do Pólo, no seu km 4.No km 8,5, aproximadamente cruza a RFFSA e a partir daí desenvolve-se em zona da várzea doRio Jacuí.Existe possibilidade de aproveitamento de ERs existentes em quase todo traçado, limitada pelogrande número de curvas.Os e segmentos de extensão 15km.
  3. 3. Sub - Trecho BC - Inicia ao cruzar o Rio Jacui, no local conhecido como Porta Manga emsegmento com menor largura do mesmo, com aproximada mente 850ni, segundo informações dosmoradores.Após o cruzamento do Rio Jacuí, com ponte de vão estimado em 1 500m, desenvolveu-se em zonade várzea e de cultivo de arroz até o aterro da BR 290, em frente à antiga ER Guaíba -Uruguaiana,a cerca de 101cm do trecho comum com a BR 116. O segmento tem extensão de 11 km.Sub-Trecho BF - Trecho com aproximadamente 7 (sete) 1cm de extensão, desenvolveu-separalelo aoRio Jacuí, pela margem esquerda até o local conhecido como Ponta Rasa, onde se fatia ocruzamento domes mo, em local com largura de 1,51cm, aproximados, necessitando de pontecom vão de 2100m. Este trecho acompanha com retificações, caminhas existentes entre aspropriedades em região de cultivo de arroz, mas com menos possibilidades de inundação.Sub-Trecho FG — A partir do cruzamento do Rio Jacuí na Ponta Rasa, segue a diretriz NS,sempre em terrenos baixos, com cultivo de arroz e algum reflorestamento, até o aterro da BR290, a cerca de 4km do seu trecho comum com a BR116. O segmento tem extensão de 7,5km.Sub-flecho FI - Após o cruzamento do Rio Jacuí, na Ponta Rasa, segue a diretriz NS em direçãoao trecho comum BR 1l6/BR290, nas proximidades da sede municipal de Eldorado do Sul.Desenvolve-se quase paralelo ao Rio Jacui, em terrenos baixos, zona de cultivo de arroz comextensão de 6,5 KM.Sub-Trecho DE - Parte da BR 386, usando a malha viária principal do Pólo Petroquímico. Seusprimeiros 4kms são asfaltados, pista simples e a partir do início da RS 244 tem pista dupla até aentrada principal do pólo, KM 10. Já existem cruzamentos em níveis diferentes com a RFFSA, mastambém há cruzamento em nível.Sub-Trecho EB - O trecho desenvolve-se em terrenos alagadiços de cultivo de arroz e busca unira malha do Pólo com a passagem do Porto da Manga, no Rio Jacuí. Tem extensão aproximada de8,5km e se afasta, um pouco, da diretriz geral, mesmo assim é uma alternativa (temprosseguimento no trecho BC).Sub-Trecho EF-Acompanha a diretriz principal NS busca unir a malha rodoviária do Pólo com atravessia do Rio Jacui na Ponta Rasa. Acompanha aproximadamente caminhos existentes, emterrenos baixos e tem extensão de 7,5km. Tem possibilidade de prosseguir nos trechos Ri ou fl, jádescritos.Sub-Trecho EH-Acompanhando a diretriz do Canal de Santa Clara, busca chegar ao ponto onde oRio Jacuí tem largura aproximada de 1,21cm no final da ilha do Cravo, desenvolve-se em regiãoalagadiça com extensão de 8,5km e o cruzamento d o Rio Jacuí deverá ter ponte de 1,8km decomprimento.Vista passagem Rio Jacuí, Ilha do Cravo (à esquerda canal de Santa Clara).Sub-Trecho HI - Após o cruzamento do Rio Jacuí, na lha do Cravo, busca aicançar a BR 11 6IBR290 nas proximidades da sede de Eldorado do sul, sempre em região alagadiça e de cultivo dearroz. Este ponto está a 5km do viaduto da junção das BRs referidas, na sua parte comum e a10,5km da Av. Sertório em Porto Alegre. Tem extensão de 5,5km.Observações Gerais:Interseção na BR 386- Ponto APonto D (viaduto em construção).IntersePonto G (sem estudo).Interseção na BR em estudo pelo UNER.Cruzamento com a RFFSA - (sem estudo).4 .-RECONHECIMENTO DAS ERs EXISTENTESAs estradas e caminhos existentes na região foram percorridos, na medida do possível e sãocomentadas neste item.Como observações gerais cabe ressaltar que entre a BR 386 e a RFFSA a região é ondulada. Arede tem desenvolvimento em área de transição da várzea do Rio Jacuí, conseqüentemente, apóso cruzamento do mesmo, em qualquer das alternativas, os trechos se desenvolvem em regiãobaixa.
  4. 4. Desta forma, após o cruzamento do Rio Jacuí na sua margem direita, o terreno é baixo, alagadiçoe com área de cultivo de arroz.4.1 - Margem esquerda do Rio JacuíA partir da localidade de Vendinha, aproximadamente 5km após o acesso ao Pólo Petroquímicoencontramos estradas com pequena largura e desenvolvimento tortuoso que alcançam o Rio Jacuína localidade de Passo Raso.Cerca de 2km antes de Passo Raso, logo após o cruzamento da RFFSA existem caminhos que sedesenvolvem paralelamente ao rio, alcançando em seqüência as localidades de Porto da Manga,Ponta Rasa e proximidades do canal de Santa Clara, de fronte a ilha do Cravo. Neste segmentofinal o caminho se aproxima da margem do rio.Da localidade de Ponta Rasa existe caminho praticamente direto ao final do Canal de Santa Clara,ligando com via asfaltada da malha rodoviária do Pólo Petroquímico Deste ponto são 10 km de viaasfaltada, dupla (6km) e simples (4km) até a BR 386, pela mesma malha do Pólo.Vista da cascalheira na Ponta Rasa emDireção norte com Pólo Petroquímico ao fundo.4.2 - Margem direita do Rio JacuíDa BR 290 podemos alcançar as sedes das fazendas Monte Alegre e Boa Vista por caminhosdentro de lavouras de arroz. Ambas tem tomadas d’água com trechos apenas acessíveis a pé até amargem do Rio Jacuí. Entre a fazenda Boa Vista e a localidade de Mono do Andrade existem áreasde reflorestamento.Após a entrada de eldorado do Sul, na estrada da arrozeira há possibilidade de acesso até asproximidades do Rio Jacui e paralelamente ao mesmo até a área com caminho interrompido porconduto de água.4.3 - Aproveitamento das ERsDe um modo os caminhos existentes tem pequena largura, alguma possibilidade deaproveitamento enquanto diretriz — de futuro traçado, mas, sua limitação principal refere-se aofato de estarem localizadas em zonas baixas com poucas obras de arte. Necessitariam ser elevadaacima das terras de cultivo e dependem de amplo estudo hidrológico.Cabe lembrar que a chamada Travessia do Guaíba contou com estudos e simulações acerca docomportamento das águas do Rio Jacuí, em especial devido à enchente de 1941 e ao possívelreflorestamento do mesmo pelos extensos aterros transversais ao seu curso.Um estudo mais detalhado envolveria reconhecimento através de vôo, dadas as dificuldades deacesso terrestre ao tráfego de passagem na região metropolitana,
  5. 5. 5. CONCLUSÕESEm nosso entender os estudos indicam a busca de uma passagem no Rio Jacuí,o mais próximo aPorto Alegre, possível. Isto porque hoje, saindo da entrada principal do Pólo temos que percorrer10km até a BR 386 e após 40km até a Av. Sertório, cruzando a área saturada de Canoas. Total de50km.. SUB-TRECHO CUSTO TOTAL ABC extensão 24km - Ponte Porto da Manga (1500m) R$ 22.370.000,00 ABFG extensão 27,5 km - Ponte Ponta Rasa (2100m) R$ 25.595.000,00 ABFI extensão 26,5km - Ponte Ponta Rasa (210am) R$ 25.145.000,00 DEBC extensão 19 - Ponte Porto da Manga (1 500m) R$ 21.255.000,00 DEFG extensão 15km - Ponte Passo Raso (2100m) R$ 24.030.000,00 DER extensão 14km - Ponte Passo Raso (210am) R$23.580.000,00 DEHI ext. 14km – P. Ilha do Cravo (1800m) R$21.180.000,00 Adotou-se um custo estimado de: - R$ 350.000,001km na área ondulada. - R$ 450.000,00/km na área de várzea (vide a necessidade de obras de arte, remoções, bermas de equilíbrio). - R$ 8.000,00/m nas Pontes e ViadutosCom a implantação da ligação entre a malha do Pólo e Eldorado do sul esta distância fica reduzi dapara 25km, dos quais 10km existentes do trecho comum das BR 116IBR 290. A grande vantagemseria a construção de um Contorno Oeste para a Região Metropolitana, aliviando o trecho saturadoda BR 116, eixo Porto Alegre-Novo Hamburgo.Salientamos ainda a continuidade do traçado na RS 124 até Montenegro e a sua seqüência pelaRST 470 até Carlos Barbosa, permitindo, no futuro uma alternativa de Contorno da RegiãoMetropolitana pelo tráfego Serra-Zona Sul do Estado.Salientamos que, mesmo com a duplicação da BR 386, trecho Pólo-Canoas, este tráfego continuasendo canalizado para região saturada da BR 116.A ligação das BR 386 com BR 1 16/BR 290 permitiria, pelas inegáveis vantagens econômicas aotrafego de passagem na região metropolitana, o estudo da implantação de pedágio.Por fim queremos ressaltar que a ligação constituiria alternativa para comunicação com a zona suldo Estado, eventualmente ameaçada por problemas no vão móvel da Travessia do GuaíbaA orientação geral do traçado deve obedecer à diretriz que liga Eldorado do Sul com ama lha dopolopetroquimico ficando o local da passagem do Rio Jacuí dependendo de estudos hidrológicos eambientais, mas, devendo situar-se no segmento compreendido entre a Ponta Rasa e a Ilha doCravo. não há possibilidade de trazer mos a passagem para mais perto de Porto Alegre pelainterferência com o canal de navegação do pólo e com o Parque do Deita do Jacui. Já o seuafastamento ao longo da BR 290 retira seu cará ter principal de alternativa de percurso para aregião do Pólo e Sena.Para a finalidade de alternativa ao tráfego da região do Planalto — Zona Sul há em construção aRS 405/RS 244 que, com a Ponte do Rio Jacuí em General Câmara constituirão opção real.Por último cabe informar que as cartas disponíveis não estão atualizadas, portanto o Canal deSanta Clara e a malha viária do Pólo Petroquímico foram por nós lançadas com base em plantasque obtivemos..

×