SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
Centro de Educação (CEDUC)
Departamento de História
Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID/CAPES)
Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Solon de Lucena
Série: 2º “C” e “D” C/H: 1h/a Turno: Tarde
Data: 08/03/2017
Professor Supervisor: Rafael da Silva Abreu
Bolsistas: Aline de Souza Silva
Beatriz Dos Santos Batista
Diego Emmanuel Aquino Marinheiro
Olivia Maria Paulino Belmino de Souza
Ruhama Souto Santana Figueiredo
Maias
Viveram mais ou menos entre os séculos III e XII, uma civilização
mesoamericana. Um império de grande porte com aspectos econômicos, políticos e
culturais de muita importância.
Com uma sociedade estratificada, ou seja, com uma hierarquia que se dividia em
soberanos, elites, sacerdotes, militares e camponeses. Cada um tinha uma função na
sociedade, de trabalho e de riquezas , sendo de boa fartura ou não.
A religião era politeísta, acreditavam em vários deuses como por exemplo o
principal deus deles se chamava Itzmana (o rei dos céus) e sua esposa Ixchel (deusa da
chuva), o submundo conhecido como Ah Puch.
Os sacerdotes além da função religiosa obtinham os conhecimentos científicos.
O chefe era nomeado como ahau tan, organizava e administrava os templos.
Ahcuchcabado era um determinado conselho ao chefe supremo, os chefes de
aldeia tinham as funções de militares, civis, religiosas e sacerdotais e por fim um chefe
militar que se nomeava “el nacom”
Os rituais eram um dos costumes mais importantes dos maias, pois acreditavam
que sem esses ritos os deuses e os céus poderiam desaparecer. Ofereciam alimentos e
flores e praticavam sacrifícios de animais e de pessoas.
Nas cidades existiam os templos, onde faziam suas adorações aos deuses,
festividades em determinada época marcada pelo calendário Maia. O calendário Maia é
uma contagem de tempo cíclica. Organizado em unidades temporais crescentes. Cada
20 dias completam o que corresponderia a um mês.
As pirâmides foram construídas por pedras, eram utilizadas como templo e na
parte interna possuíam pinturas que representavam seus ritos e deuses.
Além de todos esses pontos que caracterizam a civilização Maia, é importante
destacar que os mesmos eram interessados na arquitetura, matemática e astronomia. As
construções dos templos, pirâmides podem responder sobre o trabalho bem organizados
dos maias. A escrita era bem organizada, mas não decifrada.
O casamento tinha um ritual também, ou seja, primeiramente se localizava um
atanzahad (casamenteiro) que fazia toda uma busca para se concluir que o casal daria
certo, isso através da revisão dos horóscopos, o rapaz tinha que trabalhar para o pai da
moça e muita as vezes só se conheciam na hora da cerimônia do casamento.
Uma das atividades importantes para os maias era a agricultura, era através dessa
atividade que se sustentavam. Se destacavam os principais alimentos como a batata
doce, milho, feijão, cacau.
Portanto, a civilização maia permeou por muito tempo, deixando algumas
características para serem analisadas futuramente para podermos hoje em dia ter
compreensão do que foi exatamente esse povo tão rico de cultura.

Mais conteúdo relacionado

Destaque (6)

Jogo “acerte e ganhe” plano
Jogo “acerte e ganhe”  planoJogo “acerte e ganhe”  plano
Jogo “acerte e ganhe” plano
 
Parodia plano
Parodia planoParodia plano
Parodia plano
 
Plano batalha-naval-1
Plano batalha-naval-1Plano batalha-naval-1
Plano batalha-naval-1
 
Plano do jogo das perguntas (2)
Plano do jogo das perguntas (2)Plano do jogo das perguntas (2)
Plano do jogo das perguntas (2)
 
Plano slide
Plano slidePlano slide
Plano slide
 
As viagens-marítimas-do-século-xv-slide
As viagens-marítimas-do-século-xv-slideAs viagens-marítimas-do-século-xv-slide
As viagens-marítimas-do-século-xv-slide
 

Semelhante a Texto introdutorio-1

Semelhante a Texto introdutorio-1 (20)

Jhonatan carmo
Jhonatan carmoJhonatan carmo
Jhonatan carmo
 
Trabalho de historia
Trabalho de historiaTrabalho de historia
Trabalho de historia
 
MAIAS.pptx
MAIAS.pptxMAIAS.pptx
MAIAS.pptx
 
MAIAS.pptx
MAIAS.pptxMAIAS.pptx
MAIAS.pptx
 
Civilização Maia America pré colombiana
Civilização Maia America pré colombianaCivilização Maia America pré colombiana
Civilização Maia America pré colombiana
 
Os maias
Os maiasOs maias
Os maias
 
Trabalho de hiatória 1° ano a
Trabalho de hiatória 1° ano aTrabalho de hiatória 1° ano a
Trabalho de hiatória 1° ano a
 
Civilizações Americanas
Civilizações AmericanasCivilizações Americanas
Civilizações Americanas
 
Pre colombianas
Pre colombianasPre colombianas
Pre colombianas
 
Civilização maia slades
Civilização maia sladesCivilização maia slades
Civilização maia slades
 
A educação na antiguidade - Mesopotâmia, Egito, Inca, Asteca, Maia, Chinesa,...
A educação na antiguidade -  Mesopotâmia, Egito, Inca, Asteca, Maia, Chinesa,...A educação na antiguidade -  Mesopotâmia, Egito, Inca, Asteca, Maia, Chinesa,...
A educação na antiguidade - Mesopotâmia, Egito, Inca, Asteca, Maia, Chinesa,...
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
 
Civilização Maia
Civilização MaiaCivilização Maia
Civilização Maia
 
Os maias
Os maiasOs maias
Os maias
 
As civilizações pré colombianas
As civilizações pré colombianasAs civilizações pré colombianas
As civilizações pré colombianas
 
3 a mesopotamia e a primeira civilizacao - 3 aula
3   a mesopotamia e a primeira civilizacao - 3 aula3   a mesopotamia e a primeira civilizacao - 3 aula
3 a mesopotamia e a primeira civilizacao - 3 aula
 
Povos pre colombianos
Povos pre colombianos Povos pre colombianos
Povos pre colombianos
 
Civilizações Antigas.pdf
Civilizações Antigas.pdfCivilizações Antigas.pdf
Civilizações Antigas.pdf
 
Civilizações Antigas
Civilizações AntigasCivilizações Antigas
Civilizações Antigas
 
Civilização maia
Civilização maiaCivilização maia
Civilização maia
 

Último

HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfmirandadudu08
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBCRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBAline Santana
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 

Último (20)

XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdf
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBCRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 

Texto introdutorio-1

  • 1. Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) Centro de Educação (CEDUC) Departamento de História Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID/CAPES) Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Solon de Lucena Série: 2º “C” e “D” C/H: 1h/a Turno: Tarde Data: 08/03/2017 Professor Supervisor: Rafael da Silva Abreu Bolsistas: Aline de Souza Silva Beatriz Dos Santos Batista Diego Emmanuel Aquino Marinheiro Olivia Maria Paulino Belmino de Souza Ruhama Souto Santana Figueiredo Maias Viveram mais ou menos entre os séculos III e XII, uma civilização mesoamericana. Um império de grande porte com aspectos econômicos, políticos e culturais de muita importância. Com uma sociedade estratificada, ou seja, com uma hierarquia que se dividia em soberanos, elites, sacerdotes, militares e camponeses. Cada um tinha uma função na sociedade, de trabalho e de riquezas , sendo de boa fartura ou não. A religião era politeísta, acreditavam em vários deuses como por exemplo o principal deus deles se chamava Itzmana (o rei dos céus) e sua esposa Ixchel (deusa da chuva), o submundo conhecido como Ah Puch. Os sacerdotes além da função religiosa obtinham os conhecimentos científicos. O chefe era nomeado como ahau tan, organizava e administrava os templos. Ahcuchcabado era um determinado conselho ao chefe supremo, os chefes de aldeia tinham as funções de militares, civis, religiosas e sacerdotais e por fim um chefe militar que se nomeava “el nacom” Os rituais eram um dos costumes mais importantes dos maias, pois acreditavam que sem esses ritos os deuses e os céus poderiam desaparecer. Ofereciam alimentos e flores e praticavam sacrifícios de animais e de pessoas. Nas cidades existiam os templos, onde faziam suas adorações aos deuses, festividades em determinada época marcada pelo calendário Maia. O calendário Maia é uma contagem de tempo cíclica. Organizado em unidades temporais crescentes. Cada 20 dias completam o que corresponderia a um mês. As pirâmides foram construídas por pedras, eram utilizadas como templo e na parte interna possuíam pinturas que representavam seus ritos e deuses.
  • 2. Além de todos esses pontos que caracterizam a civilização Maia, é importante destacar que os mesmos eram interessados na arquitetura, matemática e astronomia. As construções dos templos, pirâmides podem responder sobre o trabalho bem organizados dos maias. A escrita era bem organizada, mas não decifrada. O casamento tinha um ritual também, ou seja, primeiramente se localizava um atanzahad (casamenteiro) que fazia toda uma busca para se concluir que o casal daria certo, isso através da revisão dos horóscopos, o rapaz tinha que trabalhar para o pai da moça e muita as vezes só se conheciam na hora da cerimônia do casamento. Uma das atividades importantes para os maias era a agricultura, era através dessa atividade que se sustentavam. Se destacavam os principais alimentos como a batata doce, milho, feijão, cacau. Portanto, a civilização maia permeou por muito tempo, deixando algumas características para serem analisadas futuramente para podermos hoje em dia ter compreensão do que foi exatamente esse povo tão rico de cultura.