SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
FUNDAÇÃO DE CAMPINA GRANDE (IMAGENS ANTIGAS E ATUAIS)
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
Centro de Educação (CEDUC)
Departamento de História
Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID/CAPES)
Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Solon de Lucena
Série: 2º “D” C/H: 1h/a Turno: Tarde
Data: 07/06/2017
Professor Supervisor: Rafael da Silva Abreu
Bolsistas: Aline de Souza Silva
Beatriz Dos Santos Batista
Diego Emmanuel Aquino Marinheiro
Olivia Maria Paulino Belmino de Souza
Ruhama Souto Santana Figueiredo
• As origens da data de criação de Campina Grande
geram uma série de controvérsias.
Acredita-se que o povoado teria sido fundado por
Teodósio de Oliveira Lêdo, capitão-mor dos Sertões,
em 1º de dezembro de 1697, conforme alguns
historiadores, a partir de um aldeamento dos Índios
Ariús, escravizados da região das Piranhas e Piancó,
no “sítio da Campina Grande”.
Os indígenas foram fixados nas proximidades do
riacho das Piabas, onde logo foram surgindo casebres
de taipa, constituindo o primeiro arruamento, que
atualmente é a rua Vila Nova da Rainha.
POVOADO
O aldeamento logo se converteria em povoado, dada a sua
posição geográfica, e a sua ligação entre o Litoral e o Alto
Sertão, com terras adequadas à cultura de vários cereais
indispensáveis à vida dos colonos, ganhando importância
como entreposto comercial. Ao noroeste dessa rua sugiram
novas moradias, (hoje avenida Floriano Peixoto). Há
informações que, quando o povoado foi iniciado havia afora
a capital, João Pessoa, apenas as localidades de Cabedelo,
Baía da Traição, Alhandra e Jacoca, no litoral; Monte-mor,
Taipu e Pilar, na região da Várzea; Boqueirão, no Cariri;
Piranhas e, possivelmente, Piancó, no Sertão. A ação de
Teodósio teve grande importância política e histórica, tendo o
fato, inclusive, merecido menção na carta de maio de 1699
do Capitão-mor da Paraíba ao rei de Portugal.
• No local havia um antigo mercado que foi desapropriado pelo Estado
para a construção da Escola. “Para o pátio em frente ao mesmo foi
mudada a feira que ainda se realizava na alpendrada” (FILHO: 2005, p.
40). O Grupo Escolar “Solon de Lucena” foi fundado em 1924. Esta
edificação, de arquitetura neoclássica abrigou a Reitoria da
Universidade Estadual da Paraíba. O evento de inauguração foi
presidido pelo Dr. Álvaro de Carvalho, Secretário Geral do Estado, que
representou o Governo da Paraíba. A sua denominação porém, deu-se
em 1926 após o passamento do político paraibano Solon Barbosa de
Lucena, atendendo aos reclames da municipalidade local.
A feira surgiu no aldeamento do povo Ariú, grupo
pertencente a nação dos Kariri, que permaneceu em
nossa localidade com a finalidade de pastorear o
gado dos Oliveira Ledo. Este local, onde aportou
Theodósio e seus índios trazidos do interior da
província, era o Sítio Barrocas, mais precisamente no
início da Rua Vila Nova da Rainha com o Açude
Velho, viela considerada porta de penetração para o
Sertão e Cariri desde os primórdios. Por se tratar de
uma rota estratégica, aglomeravam-se tropeiros e
boiadeiros, donde se destacava o comércio, à base
da troca, do principal produto da época, a farinha de
mandioca. Desde então, fixara-se ali, a feira livre de
Campina Grande, tradicionalmente realizada aos
domingos. Somente em 1839, atendendo ao pedido
de D. João Perdigão, bispo de Olinda-PE, em visita
ao interior da Paraíba, é que teve sua realização
transferida para o sábado, mantendo-se neste dia até
hoje.
“Grande festa nordestina
Forró a cada segundo
Vamos fazer em Campina
O maior São João do
Mundo”
(Ronaldo Cunha Lima)
Clubes como Caçadores, Gresse, Campestre, Campinense
Clube e até mesmo o velho Ypiranga, fizeram eventos juninos
antológicos, além é claro, do São João de rua, das
Quadrilhas juninas e dos movimentos culturais em geral, que
traziam uma grande animação a cidade. O evento São João
em Campina tomou um novo rumo a partir de 1983,
aproveitando-se o espaço de um "Palhoção", criado pelo ex-
prefeito Enivaldo Ribeiro, no local em que hoje se encontra o
Parque do Povo.
Hino de Campina Grande PB
■ Venturosa Campina querida,
Ó cidade que amo e venero!
O teu povo o progresso expande,
És na terra o bem que mais quero!
O teu céu sempre azul cor de anil,
Tuas serras de verde vestidas
Salpicadas com o ouro do sol,
Ou com a hóstia dos brancos luares!
■ Eterno poema
De amor à beleza,
Ó recanto abençoado do Brasil!
Onde o Cruzeiro do Sul resplandece.
Capital do trabalho e da paz!
■ Oficina de ilustres varões,
Canaã de leais forasteiros,
És memória de índios valentes.
E singelos e alegres tropeiros!
Tua glória revive, Campina,
Na imagem dos homens audazes,
Aguerridos heróis de legendas
Que marcaram as tuas fronteiras!
■ Eterno poema
De amor à beleza,
Ó recanto abençoado do Brasil!
Onde o Cruzeiro do Sul resplandece,
Capital do trabalho e da paz!
■ Disponível em: <https://www.letras.mus.br/hinos-de-cidades/588177/>Acesso dia 02 de Junho de 2017
Referências:
■ Disponível em: <http://www.achetudoeregiao.com.br/pb/campina_grande/historia.htm>Acesso
dia 02 de Junho de 2017
■ Retalhos de Campina Grande- Disponível em:
<http://cgretalhos.blogspot.com.br/2012/01/#.WTH0DWjyvIV>Acesso dia 02 de Junho de 2017
■ Disponível em: <http://cgretalhos.blogspot.com.br/2009/08/parque-do-povo-sendo-construido-o-
sao.html#.WTH2aGjyvIU>Acesso dia 02 de Junho de 2017

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Balneário Camboriú -5.04
Balneário Camboriú -5.04Balneário Camboriú -5.04
Balneário Camboriú -5.04Adrinic
 
Balneário Camboriú - 5º 02
Balneário Camboriú - 5º 02Balneário Camboriú - 5º 02
Balneário Camboriú - 5º 02Adrinic
 
Tubarão - 5.02
Tubarão - 5.02Tubarão - 5.02
Tubarão - 5.02Adrinic
 
Florianópolis 5.01
Florianópolis 5.01Florianópolis 5.01
Florianópolis 5.01Adrinic
 
Ibituruna-Minas Gerais
Ibituruna-Minas GeraisIbituruna-Minas Gerais
Ibituruna-Minas GeraisVitor Araujo
 
Monteiro lobato power point
Monteiro lobato power pointMonteiro lobato power point
Monteiro lobato power pointVera Lucia Faria
 
Itajai - 5.02
Itajai - 5.02Itajai - 5.02
Itajai - 5.02Adrinic
 
Apresentação slides história de goiás.
Apresentação slides história de goiás.Apresentação slides história de goiás.
Apresentação slides história de goiás.Telma Vieira
 
História de Alto Paraíso - Sociocultural
História de Alto Paraíso - SocioculturalHistória de Alto Paraíso - Sociocultural
História de Alto Paraíso - Socioculturalgrupo1unb
 
Trabalho mostra cultural sergio ferraz de souza
Trabalho mostra cultural sergio ferraz de souzaTrabalho mostra cultural sergio ferraz de souza
Trabalho mostra cultural sergio ferraz de souzaunisulv
 
Lages - 5.04
Lages - 5.04Lages - 5.04
Lages - 5.04Adrinic
 
A Vila De Santa Luzia
A Vila De Santa LuziaA Vila De Santa Luzia
A Vila De Santa LuziaCarlos Soares
 
Corupá - 5.04
Corupá - 5.04Corupá - 5.04
Corupá - 5.04Adrinic
 

Mais procurados (18)

Balneário Camboriú -5.04
Balneário Camboriú -5.04Balneário Camboriú -5.04
Balneário Camboriú -5.04
 
Balneário Camboriú - 5º 02
Balneário Camboriú - 5º 02Balneário Camboriú - 5º 02
Balneário Camboriú - 5º 02
 
Tubarão - 5.02
Tubarão - 5.02Tubarão - 5.02
Tubarão - 5.02
 
Florianópolis 5.01
Florianópolis 5.01Florianópolis 5.01
Florianópolis 5.01
 
Ibituruna-Minas Gerais
Ibituruna-Minas GeraisIbituruna-Minas Gerais
Ibituruna-Minas Gerais
 
Cavalhada
CavalhadaCavalhada
Cavalhada
 
Monteiro lobato power point
Monteiro lobato power pointMonteiro lobato power point
Monteiro lobato power point
 
Itajai - 5.02
Itajai - 5.02Itajai - 5.02
Itajai - 5.02
 
Apresentação slides história de goiás.
Apresentação slides história de goiás.Apresentação slides história de goiás.
Apresentação slides história de goiás.
 
Cavalhada
CavalhadaCavalhada
Cavalhada
 
Texto Introdutório dia 07
Texto Introdutório dia 07Texto Introdutório dia 07
Texto Introdutório dia 07
 
História de Alto Paraíso - Sociocultural
História de Alto Paraíso - SocioculturalHistória de Alto Paraíso - Sociocultural
História de Alto Paraíso - Sociocultural
 
Trabalho mostra cultural sergio ferraz de souza
Trabalho mostra cultural sergio ferraz de souzaTrabalho mostra cultural sergio ferraz de souza
Trabalho mostra cultural sergio ferraz de souza
 
Folder ACHMG - Região das Artes
Folder ACHMG - Região das ArtesFolder ACHMG - Região das Artes
Folder ACHMG - Região das Artes
 
Lages - 5.04
Lages - 5.04Lages - 5.04
Lages - 5.04
 
A Vila De Santa Luzia
A Vila De Santa LuziaA Vila De Santa Luzia
A Vila De Santa Luzia
 
Corupá - 5.04
Corupá - 5.04Corupá - 5.04
Corupá - 5.04
 
Santa catarina
Santa catarinaSanta catarina
Santa catarina
 

Semelhante a Slide- Fotos antigas e atuais

Projeto Cidade em Debate - Cidade de Pirenópolis II
Projeto Cidade em Debate - Cidade de Pirenópolis IIProjeto Cidade em Debate - Cidade de Pirenópolis II
Projeto Cidade em Debate - Cidade de Pirenópolis IIJornalculturanet
 
Cultura tocantinense e algo mais
Cultura tocantinense e algo maisCultura tocantinense e algo mais
Cultura tocantinense e algo maisLuis Lacerda
 
Históriadejoãopesso1 rodrigo
Históriadejoãopesso1  rodrigoHistóriadejoãopesso1  rodrigo
Históriadejoãopesso1 rodrigonilmarfgalvao
 
Projeto de aula: Identidade e diversidade Cultural da cidade de Sapé
Projeto de aula: Identidade e diversidade Cultural da cidade de SapéProjeto de aula: Identidade e diversidade Cultural da cidade de Sapé
Projeto de aula: Identidade e diversidade Cultural da cidade de SapéAna Holmes
 
Jornal o correio da mantiqueira nº 2
Jornal o correio da mantiqueira nº 2Jornal o correio da mantiqueira nº 2
Jornal o correio da mantiqueira nº 2Ciclismo Naserra
 
Bahia, o coração histórico do Brasil
Bahia, o coração histórico do BrasilBahia, o coração histórico do Brasil
Bahia, o coração histórico do BrasilÉmille Luz
 
Dossier de imprensa fccrs'14 final
Dossier de imprensa fccrs'14   finalDossier de imprensa fccrs'14   final
Dossier de imprensa fccrs'14 finalFernando Moura
 
Revelando são paulo
Revelando são pauloRevelando são paulo
Revelando são paulorscsa
 
Revelando são paulo
Revelando são paulo Revelando são paulo
Revelando são paulo rscsa
 
Atividade 6 e 7 hist geo 18 08
Atividade 6 e 7 hist geo 18 08Atividade 6 e 7 hist geo 18 08
Atividade 6 e 7 hist geo 18 08Washington Rocha
 
Ser arcoverdense é massa
Ser arcoverdense é massaSer arcoverdense é massa
Ser arcoverdense é massaOrlando Limeira
 
Ser arcoverdense é massa
Ser arcoverdense é massaSer arcoverdense é massa
Ser arcoverdense é massaOrlando Limeira
 
Ser arcoverdense é massa
Ser arcoverdense é massaSer arcoverdense é massa
Ser arcoverdense é massaOrlando Limeira
 
Monteiro Lobato- revelando sp 2013
Monteiro Lobato- revelando sp 2013Monteiro Lobato- revelando sp 2013
Monteiro Lobato- revelando sp 2013Vera Lucia Faria
 

Semelhante a Slide- Fotos antigas e atuais (20)

Projeto Cidade em Debate - Cidade de Pirenópolis II
Projeto Cidade em Debate - Cidade de Pirenópolis IIProjeto Cidade em Debate - Cidade de Pirenópolis II
Projeto Cidade em Debate - Cidade de Pirenópolis II
 
Cultura tocantinense e algo mais
Cultura tocantinense e algo maisCultura tocantinense e algo mais
Cultura tocantinense e algo mais
 
Históriadejoãopesso1 rodrigo
Históriadejoãopesso1  rodrigoHistóriadejoãopesso1  rodrigo
Históriadejoãopesso1 rodrigo
 
Projeto de aula: Identidade e diversidade Cultural da cidade de Sapé
Projeto de aula: Identidade e diversidade Cultural da cidade de SapéProjeto de aula: Identidade e diversidade Cultural da cidade de Sapé
Projeto de aula: Identidade e diversidade Cultural da cidade de Sapé
 
Jornal o correio da mantiqueira nº 2
Jornal o correio da mantiqueira nº 2Jornal o correio da mantiqueira nº 2
Jornal o correio da mantiqueira nº 2
 
Texto Introdutório dia 07
Texto Introdutório dia 07Texto Introdutório dia 07
Texto Introdutório dia 07
 
Bahia, o coração histórico do Brasil
Bahia, o coração histórico do BrasilBahia, o coração histórico do Brasil
Bahia, o coração histórico do Brasil
 
Dossier de imprensa fccrs'14 final
Dossier de imprensa fccrs'14   finalDossier de imprensa fccrs'14   final
Dossier de imprensa fccrs'14 final
 
Revelando são paulo
Revelando são pauloRevelando são paulo
Revelando são paulo
 
Festa do Divino
Festa do DivinoFesta do Divino
Festa do Divino
 
Revelando são paulo
Revelando são paulo Revelando são paulo
Revelando são paulo
 
Revelando São Paulo-Atibaia
Revelando São Paulo-AtibaiaRevelando São Paulo-Atibaia
Revelando São Paulo-Atibaia
 
Revelando São Paulo-Atibaia
Revelando São Paulo-AtibaiaRevelando São Paulo-Atibaia
Revelando São Paulo-Atibaia
 
Atividade 6 e 7 hist geo 18 08
Atividade 6 e 7 hist geo 18 08Atividade 6 e 7 hist geo 18 08
Atividade 6 e 7 hist geo 18 08
 
Atividade hist geo 18 08
Atividade hist geo 18 08Atividade hist geo 18 08
Atividade hist geo 18 08
 
Revelando São Paulo-Atibaia
Revelando São Paulo-AtibaiaRevelando São Paulo-Atibaia
Revelando São Paulo-Atibaia
 
Ser arcoverdense é massa
Ser arcoverdense é massaSer arcoverdense é massa
Ser arcoverdense é massa
 
Ser arcoverdense é massa
Ser arcoverdense é massaSer arcoverdense é massa
Ser arcoverdense é massa
 
Ser arcoverdense é massa
Ser arcoverdense é massaSer arcoverdense é massa
Ser arcoverdense é massa
 
Monteiro Lobato- revelando sp 2013
Monteiro Lobato- revelando sp 2013Monteiro Lobato- revelando sp 2013
Monteiro Lobato- revelando sp 2013
 

Último

Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 

Último (20)

Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 

Slide- Fotos antigas e atuais

  • 1. FUNDAÇÃO DE CAMPINA GRANDE (IMAGENS ANTIGAS E ATUAIS) Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) Centro de Educação (CEDUC) Departamento de História Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID/CAPES) Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Solon de Lucena Série: 2º “D” C/H: 1h/a Turno: Tarde Data: 07/06/2017 Professor Supervisor: Rafael da Silva Abreu Bolsistas: Aline de Souza Silva Beatriz Dos Santos Batista Diego Emmanuel Aquino Marinheiro Olivia Maria Paulino Belmino de Souza Ruhama Souto Santana Figueiredo
  • 2. • As origens da data de criação de Campina Grande geram uma série de controvérsias. Acredita-se que o povoado teria sido fundado por Teodósio de Oliveira Lêdo, capitão-mor dos Sertões, em 1º de dezembro de 1697, conforme alguns historiadores, a partir de um aldeamento dos Índios Ariús, escravizados da região das Piranhas e Piancó, no “sítio da Campina Grande”. Os indígenas foram fixados nas proximidades do riacho das Piabas, onde logo foram surgindo casebres de taipa, constituindo o primeiro arruamento, que atualmente é a rua Vila Nova da Rainha.
  • 3. POVOADO O aldeamento logo se converteria em povoado, dada a sua posição geográfica, e a sua ligação entre o Litoral e o Alto Sertão, com terras adequadas à cultura de vários cereais indispensáveis à vida dos colonos, ganhando importância como entreposto comercial. Ao noroeste dessa rua sugiram novas moradias, (hoje avenida Floriano Peixoto). Há informações que, quando o povoado foi iniciado havia afora a capital, João Pessoa, apenas as localidades de Cabedelo, Baía da Traição, Alhandra e Jacoca, no litoral; Monte-mor, Taipu e Pilar, na região da Várzea; Boqueirão, no Cariri; Piranhas e, possivelmente, Piancó, no Sertão. A ação de Teodósio teve grande importância política e histórica, tendo o fato, inclusive, merecido menção na carta de maio de 1699 do Capitão-mor da Paraíba ao rei de Portugal.
  • 4.
  • 5. • No local havia um antigo mercado que foi desapropriado pelo Estado para a construção da Escola. “Para o pátio em frente ao mesmo foi mudada a feira que ainda se realizava na alpendrada” (FILHO: 2005, p. 40). O Grupo Escolar “Solon de Lucena” foi fundado em 1924. Esta edificação, de arquitetura neoclássica abrigou a Reitoria da Universidade Estadual da Paraíba. O evento de inauguração foi presidido pelo Dr. Álvaro de Carvalho, Secretário Geral do Estado, que representou o Governo da Paraíba. A sua denominação porém, deu-se em 1926 após o passamento do político paraibano Solon Barbosa de Lucena, atendendo aos reclames da municipalidade local.
  • 6. A feira surgiu no aldeamento do povo Ariú, grupo pertencente a nação dos Kariri, que permaneceu em nossa localidade com a finalidade de pastorear o gado dos Oliveira Ledo. Este local, onde aportou Theodósio e seus índios trazidos do interior da província, era o Sítio Barrocas, mais precisamente no início da Rua Vila Nova da Rainha com o Açude Velho, viela considerada porta de penetração para o Sertão e Cariri desde os primórdios. Por se tratar de uma rota estratégica, aglomeravam-se tropeiros e boiadeiros, donde se destacava o comércio, à base da troca, do principal produto da época, a farinha de mandioca. Desde então, fixara-se ali, a feira livre de Campina Grande, tradicionalmente realizada aos domingos. Somente em 1839, atendendo ao pedido de D. João Perdigão, bispo de Olinda-PE, em visita ao interior da Paraíba, é que teve sua realização transferida para o sábado, mantendo-se neste dia até hoje.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10. “Grande festa nordestina Forró a cada segundo Vamos fazer em Campina O maior São João do Mundo” (Ronaldo Cunha Lima) Clubes como Caçadores, Gresse, Campestre, Campinense Clube e até mesmo o velho Ypiranga, fizeram eventos juninos antológicos, além é claro, do São João de rua, das Quadrilhas juninas e dos movimentos culturais em geral, que traziam uma grande animação a cidade. O evento São João em Campina tomou um novo rumo a partir de 1983, aproveitando-se o espaço de um "Palhoção", criado pelo ex- prefeito Enivaldo Ribeiro, no local em que hoje se encontra o Parque do Povo.
  • 11. Hino de Campina Grande PB ■ Venturosa Campina querida, Ó cidade que amo e venero! O teu povo o progresso expande, És na terra o bem que mais quero! O teu céu sempre azul cor de anil, Tuas serras de verde vestidas Salpicadas com o ouro do sol, Ou com a hóstia dos brancos luares! ■ Eterno poema De amor à beleza, Ó recanto abençoado do Brasil! Onde o Cruzeiro do Sul resplandece. Capital do trabalho e da paz! ■ Oficina de ilustres varões, Canaã de leais forasteiros, És memória de índios valentes. E singelos e alegres tropeiros! Tua glória revive, Campina, Na imagem dos homens audazes, Aguerridos heróis de legendas Que marcaram as tuas fronteiras! ■ Eterno poema De amor à beleza, Ó recanto abençoado do Brasil! Onde o Cruzeiro do Sul resplandece, Capital do trabalho e da paz! ■ Disponível em: <https://www.letras.mus.br/hinos-de-cidades/588177/>Acesso dia 02 de Junho de 2017
  • 12. Referências: ■ Disponível em: <http://www.achetudoeregiao.com.br/pb/campina_grande/historia.htm>Acesso dia 02 de Junho de 2017 ■ Retalhos de Campina Grande- Disponível em: <http://cgretalhos.blogspot.com.br/2012/01/#.WTH0DWjyvIV>Acesso dia 02 de Junho de 2017 ■ Disponível em: <http://cgretalhos.blogspot.com.br/2009/08/parque-do-povo-sendo-construido-o- sao.html#.WTH2aGjyvIU>Acesso dia 02 de Junho de 2017