Efeito dose-resposta de dentifrícios fluoretados
na remineralização após desmineralização em
lesões erosivas: um estudo ra...
Introdução
 A exposição a ácidos erosivos pode resultar em desmineralização das
superfícies com esmalte, aumentando a sua...
Introdução
 Recentes estudos clínicos in situ demonstraram efeitos remineralizantes
relacionados com lesões erosivas prec...
Erosão dental
Complicação na
reprodução de
modelos in vitro
Aparelhos in situ em
condições
controladas da boca
Permitem o ...
Objetivos
 O objetivo do presente estudo foi investigar a dose resposta à concentração
de flúor em dentifrício para remin...
Metodologia
 Design de estudo
Quatro tratamentos com dentifrícios contendo 250, 1150 e 1426 ppm de flúor
para remineraliz...
 Tamanho da amostra
Adultos saudáveis (com idade entre 18-65 anos).
Arcadas dentárias mandibulares e maxilares intactas.
...
 O tamanho da amostra
73 sujeitos foram examinados e 62 indivíduos foram randomizados para permitir-
se a uma taxa de aba...
Metodologia
 Procedimentos clínicos
Aparelho oral
com 8 dentes de
boi
Expostos em
suco de uva por
25 min (in vitro)
Teste...
 Seleção na visita 1:
• Histórico médico, medicação concomitante;
• Fluxo da saliva estimuladas e não estimuladas;
• Exam...
 Fase de tratamento
Durante os períodos de pós-tratamento, os indivíduos permaneceram no local e
usavam seu aparelho pala...
 Tratamentos
Ordem aleatória de acordo com o cronograma de randomização:
1. Sem adição de flúor em uma base de sílica.
2....
 Resultados e avaliação
• O desfecho primário: Alteração no estado de mineralização do esmalte in situ já
corroído atravé...
3. Avaliações de tolerância
• Exame de Tecidos Moles:
Em todas as visitas  Feito por dentistas.
Classificação das alteraç...
 Análise estatística
A análise de variância (ANOVA) foi utilizada para analisar SMHR, EFU, RER e
CER.
Comparar as diferen...
Resultados
 Tempo de estudo, o número de pacientes e demografia
O primeiro individuo matriculado em 07 de março de 2012;
...
 Os Resultados de eficácia
• SMHR: Aumentou com o aumento da concentração de fluoreto de dentifrício.
• RER : Média aumen...
 Os resultados de segurança.
Todos os tratamentos foram bem tolerados neste estudo.
Um total de 14 eventos adversos emerg...
Discussão
 A relação positiva entre concentração de flúor e SMHR indica que o flúor na
formulação do dentifrício experime...
 Os resultados de CER e RER indicam que a resistência aos ácidos da superfície,
incluindo o novo mineral formado durante ...
 Para EFU, RER e CER, relações foram observadas, ao contrário de SMHR.
 A quantidade de fluoreto retomado no esmalte dur...
 CER  Capacidade do tratamento de conferir uma maior resistência do esmalte
ao ácido de uma forma claramente dependente ...
Conclusão
 Este estudo mostrou que o flúor forneceu proteção contra o ataque ácido da
dieta. Esta proteção foi demonstrad...
Sessão Científica Bolsista Rana Granja - 2015.1
Sessão Científica Bolsista Rana Granja - 2015.1
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sessão Científica Bolsista Rana Granja - 2015.1

173 visualizações

Publicada em

Artigo Consultado: . Dose–response effect of fluoride dentifrice on remineralisation and further demineralisation of erosive lesions: A randomised in situ clinical study.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
173
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sessão Científica Bolsista Rana Granja - 2015.1

  1. 1. Efeito dose-resposta de dentifrícios fluoretados na remineralização após desmineralização em lesões erosivas: um estudo randomizado no estudo clínico in situ CREETH J., et al. Dose–response effect of fluoride dentifrice on remineralisation and further demineralisation of erosive lesions: A randomised in situ clinical study. Journal of Dentistry. Vol. XXX. p. 1-9. 2015. Salvador – BA – Brasil Maio 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE ODONTOLOGIA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL Bolsista: Rana Granja
  2. 2. Introdução  A exposição a ácidos erosivos pode resultar em desmineralização das superfícies com esmalte, aumentando a sua susceptibilidade para forças abrasivas e levando ao desgaste dentário erosivo. Flúor • No esmalte Favorece remineralização • Na presença de íon salivares – Cálcio e Fosfato Camada mineral mais resistente aos ácidos •Redução da desmineralização
  3. 3. Introdução  Recentes estudos clínicos in situ demonstraram efeitos remineralizantes relacionados com lesões erosivas precoces, usando pastas de dentes anti- sensibilidade contendo 0-1150 partes por milhão (ppm) de fluoreto como o fluoreto de sódio, em uma base contendo nitrato de potássio a 5%, detergente não iônico e um nível relativamente baixo de abrasivo.  Nenhuma informação: Dados dose-resposta para quaisquer formulações de fluoreto de sódio maiores que 1500 ppm de fluoreto
  4. 4. Erosão dental Complicação na reprodução de modelos in vitro Aparelhos in situ em condições controladas da boca Permitem o processo de reparo da erosão sem afetar a dentição natural dos sujeitos
  5. 5. Objetivos  O objetivo do presente estudo foi investigar a dose resposta à concentração de flúor em dentifrício para remineralizar esmalte em processo de erosão.  Determinar se o esmalte remineralizado formado era mais resistente ao ácido do que o esmalte natural.
  6. 6. Metodologia  Design de estudo Quatro tratamentos com dentifrícios contendo 250, 1150 e 1426 ppm de flúor para remineralizar lesões erosivas iniciais em esmalte bovino. Todos os produtos foram fabricados pela GlaxoSmithKline Consumer Healthcare (GSKCH), Reino Unido.
  7. 7.  Tamanho da amostra Adultos saudáveis (com idade entre 18-65 anos). Arcadas dentárias mandibulares e maxilares intactas. Fluxo salivar não estimulado de 0,2 ml / min e estimulado com 0,8 ml / min. Critérios de exclusão: • História médica que poderia impedir a conclusão do estudo (por exemplo, diabetes); • Presença de cárie ativas (exceto reparados antes do estudo) ou doença periodontal moderada ou grave que possa comprometer o estudo ou a saúde do sujeito; • Indivíduos que possuíssem qualquer aparelho ortodontico; • Indivíduos usando medicação que pudesse interferir com o fluxo de saliva. O estudo foi realizado no Instituto de Pesquisa de Saúde Oral da Faculdade de Odontologia da Universidade de Indiana, Indianapolis, EUA. Metodologia
  8. 8.  O tamanho da amostra 73 sujeitos foram examinados e 62 indivíduos foram randomizados para permitir- se a uma taxa de abandono. Sessenta indivíduos completaram todos os quatro períodos de tratamento.  Randomização Cada indivíduo selecionado para participação no estudo foi atribuído a um número de rastreamento exclusivo em ordem numérica crescente. Os indivíduos que se retiraram do estudo de pós-aleatorização não foram substituídos. Metodologia
  9. 9. Metodologia  Procedimentos clínicos Aparelho oral com 8 dentes de boi Expostos em suco de uva por 25 min (in vitro) Teste de remineralização in situ Duração do estudo : 10 semanas
  10. 10.  Seleção na visita 1: • Histórico médico, medicação concomitante; • Fluxo da saliva estimuladas e não estimuladas; • Exames de tecidos moles (OST) e tecido duro oral (OHT); • Impressão feita do seu maxilar e mandibular (se um aparelho não foi já no local) com a finalidade de construir o dispositivo palatino in situ. Metodologia
  11. 11.  Fase de tratamento Durante os períodos de pós-tratamento, os indivíduos permaneceram no local e usavam seu aparelho palatal. Os participantes foram instruídos a abster-se de falar durante a primeira hora e não comer ou beber durante o período de teste de 4 h, embora fossem autorizados a beber água após 2 h da remoção do aparelho. Aparelho palatal por 5 min Limpeza dos dentes com 1,5 g de dentifrício por 25 seg Bochecho com solução por 1 minuto Lavagem com água por 10 s Metodologia
  12. 12.  Tratamentos Ordem aleatória de acordo com o cronograma de randomização: 1. Sem adição de flúor em uma base de sílica. 2. 250 ppm de fluoreto como o fluoreto de sódio numa base de sílica. 3. 1150 ppm de fluoreto como o fluoreto de sódio numa base de sílica. 4. 1426 ppm de fluoreto como o fluoreto de sódio numa base de sílica. Metodologia
  13. 13.  Resultados e avaliação • O desfecho primário: Alteração no estado de mineralização do esmalte in situ já corroído através da concentração do íon fluoreto intervalo de 0 ppm a 1426 ppm, medida pela mudança no SMH. • Os desfechos secundários : Resistência do esmalte a um desafio erosivo pós remineralização, avaliada utilizando a medida RER, e o nível de flúor entregue ao esmalte erodido in situ, medida pela incorporação de flúor no esmalte (EFU). • Um desfecho exploratório adicional foi a resistência do esmalte a um desafio erosivo pós-remineralização, avaliada utilizando a medida resistência à erosão comparativa (CER). Metodologia
  14. 14. 3. Avaliações de tolerância • Exame de Tecidos Moles: Em todas as visitas  Feito por dentistas. Classificação das alterações como 'normal' ou 'anormal'. Todas as alterações anormais observadas foram registrados como eventos adversos (EAs). • Reações adversas: - Classificadas como graves (com risco de vida), se estavam relacionados a um tratamento de estudo ou relacionados com a participação no estudo. Metodologia
  15. 15.  Análise estatística A análise de variância (ANOVA) foi utilizada para analisar SMHR, EFU, RER e CER. Comparar as diferentes concentrações de flúor no dentifrício. • SMHR (Surface microhardness recovery): Remineralização do esmalte que sofreu erosão in situ. • RER (Relative erosion resistance): A resistência do esmalte a um desafio erosivo pós-remineralização • CER (Comparative erosion resistance ): Busca compreender o efeito do tratamento sobre a resistência do esmalte aos ácidos, comparando o efeito de desmineralização do desafio ácido pós e pré- tratamento. • EFU (Enamel fluoride uptake): O flúor entregue ao esmalte erodido in situ. Metodologia
  16. 16. Resultados  Tempo de estudo, o número de pacientes e demografia O primeiro individuo matriculado em 07 de março de 2012; O último individuo terminou em 21 de Maio de 2012. 73 participantes foram selecionados; 62 foram randomizados Brancos (59,7%) Média de idade foi de 36,7 anos Sexo feminino (56,5%)
  17. 17.  Os Resultados de eficácia • SMHR: Aumentou com o aumento da concentração de fluoreto de dentifrício. • RER : Média aumentou com o aumento da concentração de fluoreto de dentifrício. • CER: Os valores médios diminuiram com o aumento da concentração de fluoreto de dentifrício, indicando uma maior resistência do esmalte aos ácidos após os tratamentos de flúor mais elevados. • EFU: Aumentou com o aumento da concentração de flúor dentifrício, e foi observada uma relação linear e quadrática de dose-resposta altamente significativas entre EFU e concentração de flúor. Resultados
  18. 18.  Os resultados de segurança. Todos os tratamentos foram bem tolerados neste estudo. Um total de 14 eventos adversos emergentes do tratamento foram reportados por 11 participantes. Oito dos AEs eram EAs orais, relatados por seis participantes. Todos os eventos adversos foram ligeiros ou moderados em intensidade e nenhum dos AEs liderada a retirada do estudo. Sem reações adversas graves Resultados
  19. 19. Discussão  A relação positiva entre concentração de flúor e SMHR indica que o flúor na formulação do dentifrício experimental pode promover a reparação de lesões erosivas em estágio inicial de esmalte in situ após um único tratamento.  Todas as variáveis investigadas neste estudo - SMHR, EFU, RER e CER - mostraram uma relação muito semelhante com concentração de flúor no dentifrício.
  20. 20.  Os resultados de CER e RER indicam que a resistência aos ácidos da superfície, incluindo o novo mineral formado durante a pós-escovação, período de remineralização, aumentou com a concentração de fluoreto no dentifrício.  Em todas as análises, a 1426 ppm concentração de flúor não oferece uma vantagem estatisticamente significativa sobre a concentração de 1150 ppm.  Necessidade de estudos mais abrangentes e precisos para determinar se houve uma diferença mensurável no desempenho entre eles. Discussão
  21. 21.  Para EFU, RER e CER, relações foram observadas, ao contrário de SMHR.  A quantidade de fluoreto retomado no esmalte durante o processo de remineralização estava intimamente relacionado com a variáveis de eficácia medida: SMHR, RER e CER.  O RER: Combina os efeitos do tratamento promovendo a remineralização juntamente com seus efeitos de inibição da desmineralização, em uma estimativa do benefício total do tratamento. Discussão
  22. 22.  CER  Capacidade do tratamento de conferir uma maior resistência do esmalte ao ácido de uma forma claramente dependente da dose. • Comparação direta entre o efeito da desmineralização final x com o efeito de a desmineralização inicial  A comparação direta do efeito dos desafios ácidos pré e pós-remineralização aparece para dar uma estimativa útil de resistência adquirida pelo esmalte devido ao tratamento ácido. Discussão
  23. 23. Conclusão  Este estudo mostrou que o flúor forneceu proteção contra o ataque ácido da dieta. Esta proteção foi demonstrada pela capacidade de dentífrico para remineralizar lesões erosivas iniciais em esmalte de bovino in situ, e para conferir resistência das lesões remineralizadas que sofreram desafio erosivo.  A formulação foi progressivamente mais eficazes como concentração de fluoreto aumentada em todo o intervalo de 1426 ppm.

×