Sessão Científica Bolsista Imara Queiroz - 2015.2

166 visualizações

Publicada em

Artigo consultado: Hemorrhagic Complications of Dental Extractions in 181 Patients Undergoing Double Antiplatelet Therapy.

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sessão Científica Bolsista Imara Queiroz - 2015.2

  1. 1. Terapia antiplaquetária dupla (TAD) - não deve ser interrompida após síndrome coronária aguda ou implante de stent, devido ao risco de infarto do miocárdio; (Rossini et al, 2011) Poucos estudos incluem pacientes com terapia antiagregante dupla; American Heart Association, American College of Physicians e American Dental Association recomendam a manutenção de qualquer terapia antiplaquetária dupla em intervenções dentárias (Grines et al, 2007);
  2. 2. Objetivo principal: Abordar a seguinte pergunta: Entre os pacientes realizando terapia antiplaquetária dupla, extrações dentárias podem ser realizadas com segurança? Objetivos específicos: Estimar a frequência de complicações hemorrágicas em extrações dentárias em pacientes submetidos à terapia antiplaquetária dupla e identificar fatores associados ao risco aumentado de hemorragia intra-operatória.
  3. 3. Estudo de coorte observacional, multicêntrico e prospectivo; Aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa do Hospital Ramon e Cajal e pelo Comitê de Atenção Básica da Comunidade de Madrid Central; Termo De Consentimento Livre e Esclarecido; ESTUDO DA AMOSTRA: 11 unidades de atenção primária; 2.170 pessoas (0,39%) foram submetidos à terapia antiplaquetária dupla entre 1º de Outubro de 2011 e 31 de dezembro de 2013;
  4. 4. ESTUDO DA AMOSTRA: Maiores de 18 anos tratados nos últimos 7 dias; Excluídos: menores de 18 anos, ou que tivessem parado o tratamento há mais de 48h antes da extração; VARIÁVEIS DO ESTUDO Desfecho primário: hemorragia intra-operatória; Desfecho secundário: hemorragia após 24h e hemorragia em 10 dias; Terapia Antiplaquetária dupla 100mg AAS 2º antiplaquetário Clopidogrel Ticlopidina Prasugrel Ticagrelor
  5. 5. VARIÁVEIS DO ESTUDO Hemorragia intra-operatória: durante a intervenção ou no tempo subseqüente; Gravidade da hemorragia: duração x medidas de controle; Leve • Hemostasia em menos de 30 minutos Moderada • Hemostasia em mais de 30 minutos e menos de 60 minutos Intensa • Sangramento por mais de 60 minutos Grave • Necessário uso de medidas gerais e encaminhamento para um hospital.
  6. 6. VARIÁVEIS DO ESTUDO Foram considerados: tipo de extração realizada, número de raízes e dentes extraídos, presença de inflamação; Exodontia simples: a extração do dente de seu alvéolo sem danificá-lo; Procedimentos complexos: realizaram osteotomia, odontossecção ou elevação do retalho mucoperiosteal; Outras variáveis de pacientes incluíram idade, sexo, técnica anestésica, medicação utilizada, hábitos. Tudo devidamente registrado no exame anamnésico;
  7. 7. INTERVENÇÃO: 11 cirurgiões-dentistas; Anestésico utilizado: 3% mepivacaína sem vasoconstritor; Técnica hemostática: 30 minutos de compressão com gaze impregnada com uma ampola de 500 mg de ácido tranexâmico 30 minutos de compressão com gaze impregnada com uma ampola de 500 mg de ácido tranexâmico Carter et al, 2003
  8. 8. INTERVENÇÃO: O ácido tranexâmico estabiliza o coágulo formado; Instruções escritas sobre cuidados recomendados: Bocheco com ampola de 500mg de Ácido Tranexâmico durante 2 min, começando 2h após a intervenção, a cada 6 horas durante as primeiras 48h; Paciente instruído a gravar a duração de sangramento e comunicá-la na consulta seguinte Consulta clínica marcada 24h e 10 dias após a intervenção;
  9. 9. 97,2% AAS 100 mg + clopidogrel 75 mg por dia; 5 pacientes tratados comAAS 100mg e prasugrel 10 mg; HEMORRAGIA INTRA-OPERATÓRIA: 91,2% -> hemorragia leve. 8,3% -> hemorragia superior a 30 min 1 paciente com episódio hemorrágico superior a 60 min; 181 pacientes 12,8 – 66,8 anos 76,8% masculino 217 extrações 1,2 dentes ∕ paciente
  10. 10. HEMORRAGIA EM 24 HORAS: 162 pacientes (89,5%) -> Ausência de sangramento; 15 (8,3%) -> hemorragia leve; 4 (2,2%) -> um episódio de sangramento superior a 30 minutos; HEMORRAGIA EM 10 DIAS: 174 pacientes (96,1%) -> ausência de sangramento; 7 (3,9%) -> hemorragia leve;
  11. 11. Fatores de risco para hemorragia intra- operatória: presença de inflamação e de raízes; Quantidade de tubetes usados e consumo excessivo de álcool não foram relacionados com a gravidade da hemorragia;
  12. 12. Confirmou-se a hipótese de que a maioria das extrações pode ser feita com segurança, sem interromper aTAD; Não há definição padrão para a gravidade da hemorragia após extrações, dificultando a comparação de estudos; (Krishnan, 2008) Lillis et al (2011): 66,7% dos 33 pacientes submetidos à TAD tiveram hemorragia que durou mais de 30 min; Canigral e Silvestre (2010): 4 dos 9 pacientes (44,4%) tiveram hemorragia moderada, definida como hemorragia que durou mais de 10 min, e foi interrompida com medidas hemostáticas locais em menos de 60 min em todos os casos;
  13. 13. Circunstâncias que podem ter aumentado a duração do sangramento: Anestesia sem vasoconstritor (evita reações adversas em pacientes cardiopatas)  epinefrina a 0,04 mg por sessão (Serrera Figallo, 2012); Sutura não incluída no protocolo de extração dentária; Inclusão de pacientes que tomam anticoagulantes e AINEs, pacientes etilistas, com patologia hepática ou falência renal; tais pacientes são excluídos de outros estudos, devido à propensão a sangramento. (Morimoto, 2010; Park, 2012; Lillis, 2011)
  14. 14. Circunstâncias que podem ter diminuído a duração do sangramento: Compressão com gaze com ácido tranexâmico sem necessidade de sutura; (Morimoto, 2011; Morimoto, 2008; Lillis 2011) Baixa porcentagem de exodontias complexas comparados com estudos de Canigral e Silvestre (2010); Menor nº de dentes extraídos (Napeñas, 2009; Lillis, 2011). Porém, não foi encontrada associação entre número de dentes extraídos e complicações hemorrágicas, diferindo de outros autores;
  15. 15. A idade média dos pacientes foi maior do que em outros estudos, mas não mostrou influência sobre a gravidade da hemorragia (Napeñas, 2009; Lillis, 2011); A presença de inflamação aumenta o risco de hemorragia. Lillis et al (2011)  todos os pacientes com periodontite e submetidos à terapia tiveram hemorragia prolongada; Alguns estudos mostraram que a maior frequência de hemorragia pós-operatória foi encontrada em pacientes submetidos à terapia anticoagulante, antiplaquetária (ou ambas) com inflamação aguda; (Morimoto et al,2011, Carter e Goss,2003 e Rodriguez-Cabrera et al,2011)
  16. 16. Nossos resultados confirmam a hipótese de que a maioria das extrações dentárias podem ser realizadas com segurança, sem interrupção da terapia antiplaquetária dupla. São necessárias pesquisas adicionais para avaliar a freqüência de complicações hemorrágicas durante procedimentos odontológicos invasivos em pacientes tratados com combinações de antiagregantes plaquetários, com excepção do ácido acetilsalicílico e clopidogrel, bem como durante outras intervenções odontológicas.

×