SlideShare uma empresa Scribd logo

01 maslow herzberg vroom

motivacionais

1 de 6
Baixar para ler offline
TEORIA COMPORTAMENTAL DA ADMINISTRAÇÃO
A Teoria Comportamental (Behaviorista) da Administração veio significar uma nova direção e um novo enfoque
dentro da teoria administrativa: a abordagem das ciências do comportamento, estudando a motivação humana
(suas necessidades básicas), definindo estilos de administração, caracterizando as organizações como sistemas
sociais cooperativos e como sistemas de decisões.
Novas Proposições Sobre a Motivação Humana
O homem é considerado um animal complexo dotado de necessidades complexas e diferenciadas. Segundo os
autores behavioristas, o administrador precisa conhecer as necessidades humanas para melhor compreender o
comportamento humano e utilizar a motivação humana como poderoso meio para melhorar a qualidade de vida
nas organizações.
A hierarquia de necessidades de Maslow –O queé e como funciona
Por: Gustavo Periard
A famosa hierarquia de necessidades de Maslow, proposta pelo psicólogo americano Abraham H. Maslow,
baseia-se na idéia de que cada ser humano esforça-se muito para satisfazer suas necessidades pessoais e
profissionais. É um esquema que apresenta uma divisão hierárquica em que as necessidades consideradas de
nível mais baixo devem ser satisfeitas antes das necessidades de nível mais alto. Segundo esta teoria, cada
indivíduo tem de realizar uma “escalada” hierárquica de necessidades para atingir a sua plena auto-realização.
A hierarquia de necessidades de Maslow
Para tanto, Maslow definiu uma série de cinco necessidades do ser, dispostas na pirâmide abaixo e explicadas
uma a uma a seguir:
Onde existem as necessidades primárias (básicas) que
são as fisiológicas e as de segurança e asnecessidades
secundárias, que são as sociais, estima e auto-realização.
Abaixo a explicação de cada uma delas:
1 – Necessidades fisiológicas: São aquelas que
relacionam-se com o ser humano como ser biológico. São as
mais importantes: necessidades de manter-se vivo, de
respirar, de comer, de descansar, beber, dormir, ter relações
sexuais, etc.
No trabalho: Necessidade de horários flexíveis, conforto físico, intervalos de trabalho etc.
2 – Necessidades de segurança: São aquelas que estão vinculadas com as necessidades de sentir-se seguros:
sem perigo, em ordem, com segurança, de conservar o emprego etc. No trabalho: emprego estável, plano de
saúde, seguro de vida etc.
No trabalho: Necessidade de estabilidade no emprego, boa remuneração, condições seguras de trabalho etc.
3 – Necessidades sociais: São necessidades de manter relações humanas com harmonia: sentir-se parte de um
grupo, ser membro de um clube, receber carinho e afeto dos familiares, amigos e pessoas do sexo oposto.
No trabalho: Necessidade de conquistar amizades, manter boas relações, ter superiores gentis etc.
4 – Necessidades de estima: Existem dois tipos: o reconhecimento das nossas capacidades por nós mesmos e o
reconhecimento dos outros da nossa capacidade de adequação. Em geral é a necessidade de sentir-se digno,
respeitado por si e pelos outros, com prestígio e reconhecimento, poder, orgulho etc. Incluem-se também as
necessidades de auto-estima.
No trabalho: Responsabilidade pelos resultados, reconhecimento por todos, promoções ao longo da carreira,
feedback etc.
5 – Necessidades de auto-realização: Também conhecidas como necessidades de crescimento. Incluem a
realização, aproveitar todo o potencial próprio, ser aquilo que se pode ser, fazer o que a pessoa gosta e é capaz
de conseguir. Relaciona-se com as necessidades de estima: a autonomia, a independência e o auto controle.
No trabalho: Desafios no trabalho, necessidade de influenciar nas decisões, autonomia etc.
Aspectos a se considerar sobre a hierarquia de necessidades de Maslow
- Para alcançar uma nova etapa, a anterior deve estar satisfeita, ao menos parcialmente. Isto se dá uma vez que,
quando uma etapa está satisfeita ela deixa de ser o elemento motivador do comportamento do ser, fazendo com
que outra necessidade tenha destaque como motivação.
- Os 4 primeiros níveis destas necessidades podem ser satisfeitos por aspectos extrínsecos (externos) ao ser
humano, e não apenas por sua vontade.
- Importante! A necessidade de auto-realização nunca é saciada, ou seja, quanto mais se sacia, mais a
necessidade aumenta.
- Acredita-se que as necessidades fisiológicas já nascem com o indivíduo. As outras mostradas no esquema
acima se adquirem com o tempo.
- As necessidades primárias, ou básicas, se satisfazem mais rapidamente que as necessidades secundárias, ou
superiores.
- O indivíduo será sempre motivado pelas necessidades que se apresentarem mais importantes para ele.
Críticas à teoria das necessidades de Maslow
Com em toda teoria, há sempre aqueles que não concordam com ela em parte ou totalmente. Os críticos desta
teoria afirmam que nem todas as pessoas são iguais e, por isso, um aspecto que se mostra como uma
necessidade para uma pessoa, pode não ser para outra. Outras críticas dão conta de que esta teoria analisa o
desenvolvimento das pessoas, mas não considera em nenhum momento o incentivo dado pela organização.
Há quem diga, também, que Maslow contemplou as necessidades do indivíduo em uma ordem muito rígida, sem a
possibilidade de inversão ou troca de necessidades. Mas nenhuma destas críticas descaracterizam a teoria ou a
tornam menos atual que as demais, apenas nascem de algumas confusões que são feitas com a definição de
“necessidade”, muitas vezes confundida com “desejo” ou “vontade”.
Outras necessidades adicionais
Dentre muitos estudos e análises, Maslow identificou duas necessidades adicionais à pirâmide de necessidades já
criada. Estas novas descobertas que davam conta das pessoas que já possuíam todas as necessidades
satisfeitas (pouquíssimas pessoas) foram chamadas de cognitivas. São elas:
- Necessidade de conhecer e entender: Está relacionada com os desejos do indivíduo de conhecer e entender o
mundo ao seu redor, as pessoas e a natureza.
- Necessidade de satisfação estética: Está relacionada às necessidades de beleza, simetria e arte em geral.
Ligada à necessidade que o ser humano tem de estar sempre belo e em harmonia com os padrões de beleza
vigente.
Fonte: http://www.sobreadministracao.com/a-piramide-hierarquia-de-necessidades-de-maslow/
“Há três coisas na vida que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a
oportunidade perdida.” - Provérbio chinês
A TEORIA DE HERZBERG
por Daniel Portillo Serrano / 08/12/2006
Ao contrário de outros pensadores, como Abraham Maslow, que tentavam explicar as necessidades humanas em
diversos campos, a Teoria de Frederick Herzberg foi, desde o início, baseada no estudo das atitudes e motivações
dos funcionários dentro de uma empresa.
Herzberg desenvolveu um estudo para tentar entender os fatores que causariam insatisfação e aquel es que
seriam os responsáveis pela satisfação no ambiente de trabalho. O resultado destes estudos foi pela primeira vez
publicado em 1959, sob o título "a motivação para trabalhar - The Motivation to Work"
Os estudos incluíram pesquisas, onde os trabalhadores de diversas empresas eram estimulados a explicitar quais
seriam os fatores que os desagradavam, assim como os que os agradavam na empresa. Os fatores que
agradavam ao funcionário foram chamados de Motivadores. Aqueles que desagradavam levaram o nome de
fatores de Higiene. Por isso, a teoria é mais conhecida como "a Teoria dos dois fatores de Herzberg: Motivação -
Higiene".
Os fatores de Higiene São aqueles que são necessários para evitar a insatisfação no ambiente de trabalho, mas
por outro lado não são suficientes para provocar satisfação
Para motivar um funcionário, não basta, para Herzberg, que os fatores de insatisfação estejam ausentes. Pelo
contrário, os fatores de satisfação devem estar bem presentes.
Fatores que levam à insatisfação
Fatores que levam à satisfação
Política da Empresa Crescimento
Condições do ambiente de Trabalho Desenvolvimento
Relacionamento com outros funcionários Responsabilidade
Segurança Reconhecimento
Salário Realização
Fonte: http://www.portaldomarketing.com.br/Artigos/Teoria%20de%20Herzberg.htm
“HOMEM COMPLEXO”
A complexidade permeia as relações de trabalho afetando a motivação que tem implicações diretas na eficiência e
eficácia organizacional, com as contingências fez surgir à concepção do “Homem Complexo": o homem como um
sistema complexo de valores, percepções, características pessoais e necessidades.
(Vieira, 2015, p.9)
Vroom (1997) apresenta um modelo mostrando que o nível de produtividade depende de três forças básicas em
cada indivíduo, a saber:
(Veira, 2015, p.10)
Se as pessoas creem que a obtenção do dinheiro (resultado final) depende do desempenho (resultado
intermediário), elas se dedicarão a esse desempenho, pois ele terá valor de expectação quanto ao alcance do
resultado final.
(Vieira, 2015, P. 11)
Modelo de expectância. Fonte: Chiavenato (2004). Adaptada.
O resultado final (valência) tende a ser melhor à medida que as pessoas compreendem o valor dos possíveis
retornos e recompensas.
(Vieira,2015, P. 12)
Fonte:V657a Vieira, KellyCristina Administraçãode cargos e salários / Kelly Cristina Vieira. Rio de Janeiro : SESES, 2015. 144 p. : il.

Recomendados

Motivação teorias de conteúdo
Motivação teorias de conteúdoMotivação teorias de conteúdo
Motivação teorias de conteúdoFábio Costa
 
Teorias motivacionais trabalho
Teorias motivacionais trabalho Teorias motivacionais trabalho
Teorias motivacionais trabalho Dea Acig
 
Enfoque Comportamental
Enfoque ComportamentalEnfoque Comportamental
Enfoque Comportamentalguestbeeeda
 
Teorias da motivação
Teorias da motivaçãoTeorias da motivação
Teorias da motivaçãoJorge Fantinel
 
Teorias de maslow e herzberg
Teorias de maslow e herzbergTeorias de maslow e herzberg
Teorias de maslow e herzbergalesilvajesus
 
119127311 2638.comportamentalismo
119127311 2638.comportamentalismo119127311 2638.comportamentalismo
119127311 2638.comportamentalismoPelo Siro
 
Modelo comportamental2733
Modelo comportamental2733Modelo comportamental2733
Modelo comportamental2733Antonio Diniz
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Teorias da-motivacao
Teorias da-motivacaoTeorias da-motivacao
Teorias da-motivacaoAgnes Gibert
 
Teoria comportamentaldaadministração
Teoria comportamentaldaadministraçãoTeoria comportamentaldaadministração
Teoria comportamentaldaadministraçãocarlossono
 
Modelo Comportamental
Modelo ComportamentalModelo Comportamental
Modelo Comportamentalguest06f340
 
Teorias motivacionais pontifícia universidade católica de …
Teorias motivacionais pontifícia universidade católica de …Teorias motivacionais pontifícia universidade católica de …
Teorias motivacionais pontifícia universidade católica de …alanahmar15
 
Teoria Comportamental
Teoria ComportamentalTeoria Comportamental
Teoria Comportamentaladmetz01
 
Teoria comportamental administracao
Teoria comportamental administracaoTeoria comportamental administracao
Teoria comportamental administracaoLeon Pires
 
5a aula comportamento organizacional mba rh 2014-1
5a aula comportamento organizacional   mba rh 2014-15a aula comportamento organizacional   mba rh 2014-1
5a aula comportamento organizacional mba rh 2014-1Ana Gabriela Ribeiro Dezan
 
Teoria Behaviorismo
Teoria BehaviorismoTeoria Behaviorismo
Teoria BehaviorismoAdm Unime
 
Psicologia e Motivação
 Psicologia e Motivação Psicologia e Motivação
Psicologia e Motivaçãoweronicasdj
 
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
Aula 5  - Teoria das Relações HumanasAula 5  - Teoria das Relações Humanas
Aula 5 - Teoria das Relações HumanasProf. Leonardo Rocha
 
Seminário apresentação tga
Seminário apresentação tgaSeminário apresentação tga
Seminário apresentação tgaramalho01
 
Abordagem comportamental
Abordagem comportamentalAbordagem comportamental
Abordagem comportamentalMauro Loureiro
 
Motivação – O que é De onde vem?
Motivação – O que é De onde vem?Motivação – O que é De onde vem?
Motivação – O que é De onde vem?Adm. Daniel Paulino
 
Motivação bergamini
Motivação bergaminiMotivação bergamini
Motivação bergaminiLiliane Ennes
 

Mais procurados (19)

Teorias da-motivacao
Teorias da-motivacaoTeorias da-motivacao
Teorias da-motivacao
 
Teoria comportamentaldaadministração
Teoria comportamentaldaadministraçãoTeoria comportamentaldaadministração
Teoria comportamentaldaadministração
 
Modelo Comportamental
Modelo ComportamentalModelo Comportamental
Modelo Comportamental
 
Teorias motivacionais pontifícia universidade católica de …
Teorias motivacionais pontifícia universidade católica de …Teorias motivacionais pontifícia universidade católica de …
Teorias motivacionais pontifícia universidade católica de …
 
Motivação..
Motivação..Motivação..
Motivação..
 
Trabalho de psicologia
Trabalho de psicologiaTrabalho de psicologia
Trabalho de psicologia
 
Teoria Comportamental
Teoria ComportamentalTeoria Comportamental
Teoria Comportamental
 
Aula 5 abordagem comportamental
Aula 5   abordagem comportamentalAula 5   abordagem comportamental
Aula 5 abordagem comportamental
 
Teoria comportamental administracao
Teoria comportamental administracaoTeoria comportamental administracao
Teoria comportamental administracao
 
5a aula comportamento organizacional mba rh 2014-1
5a aula comportamento organizacional   mba rh 2014-15a aula comportamento organizacional   mba rh 2014-1
5a aula comportamento organizacional mba rh 2014-1
 
Teoria Behaviorismo
Teoria BehaviorismoTeoria Behaviorismo
Teoria Behaviorismo
 
Motivacao
MotivacaoMotivacao
Motivacao
 
Psicologia e Motivação
 Psicologia e Motivação Psicologia e Motivação
Psicologia e Motivação
 
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
Aula 5  - Teoria das Relações HumanasAula 5  - Teoria das Relações Humanas
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
 
Seminário apresentação tga
Seminário apresentação tgaSeminário apresentação tga
Seminário apresentação tga
 
Abordagem comportamental
Abordagem comportamentalAbordagem comportamental
Abordagem comportamental
 
Motivação – O que é De onde vem?
Motivação – O que é De onde vem?Motivação – O que é De onde vem?
Motivação – O que é De onde vem?
 
Processos motivacionais
Processos motivacionaisProcessos motivacionais
Processos motivacionais
 
Motivação bergamini
Motivação bergaminiMotivação bergamini
Motivação bergamini
 

Semelhante a 01 maslow herzberg vroom

Semelhante a 01 maslow herzberg vroom (20)

Teorias da Motivação
Teorias da MotivaçãoTeorias da Motivação
Teorias da Motivação
 
339
339339
339
 
Motivacao
MotivacaoMotivacao
Motivacao
 
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO.
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO. Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO.
Motivação - SOCIOLOGIA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO.
 
Motivacao
MotivacaoMotivacao
Motivacao
 
Rh nocoes de adm rh saude
Rh nocoes de adm rh saudeRh nocoes de adm rh saude
Rh nocoes de adm rh saude
 
Gesto1.pdf
Gesto1.pdfGesto1.pdf
Gesto1.pdf
 
Hierarquia de necessidades de maslow
Hierarquia de necessidades de maslowHierarquia de necessidades de maslow
Hierarquia de necessidades de maslow
 
Abordagem comportamental
Abordagem comportamentalAbordagem comportamental
Abordagem comportamental
 
Atividade 10
Atividade 10Atividade 10
Atividade 10
 
TEORIA COMPORTAMENtAL DA ADMINISTRAÇÃO.pptx
TEORIA COMPORTAMENtAL DA ADMINISTRAÇÃO.pptxTEORIA COMPORTAMENtAL DA ADMINISTRAÇÃO.pptx
TEORIA COMPORTAMENtAL DA ADMINISTRAÇÃO.pptx
 
Aula 8 Motivação.ppt
Aula 8 Motivação.pptAula 8 Motivação.ppt
Aula 8 Motivação.ppt
 
24701432 motivacao-nas-organizacoes
24701432 motivacao-nas-organizacoes24701432 motivacao-nas-organizacoes
24701432 motivacao-nas-organizacoes
 
Teoria de Maslow e Herzerg
Teoria de Maslow e HerzergTeoria de Maslow e Herzerg
Teoria de Maslow e Herzerg
 
MotivaçãO
MotivaçãOMotivaçãO
MotivaçãO
 
Motivação no Trabalho
Motivação no Trabalho Motivação no Trabalho
Motivação no Trabalho
 
Fatores motivacionais.pdf
Fatores motivacionais.pdfFatores motivacionais.pdf
Fatores motivacionais.pdf
 
Motivacao (1)
Motivacao (1)Motivacao (1)
Motivacao (1)
 
Motivação necessidades básicas de maslow
Motivação necessidades básicas de maslowMotivação necessidades básicas de maslow
Motivação necessidades básicas de maslow
 
Ipes de setembro
Ipes de setembroIpes de setembro
Ipes de setembro
 

Último

1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024assedlsam
 
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...manoelaarmani
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOxogilo3990
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIAHisrelBlog
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...AaAssessoriadll
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfalexandrerodriguespk
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfddddddddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!Psyc company
 

Último (20)

1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
 
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
Emagreça em Casa, Treinos Simples e Eficazes Mesmo Não Tendo Equipamentos. Cu...
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
 

01 maslow herzberg vroom

  • 1. TEORIA COMPORTAMENTAL DA ADMINISTRAÇÃO A Teoria Comportamental (Behaviorista) da Administração veio significar uma nova direção e um novo enfoque dentro da teoria administrativa: a abordagem das ciências do comportamento, estudando a motivação humana (suas necessidades básicas), definindo estilos de administração, caracterizando as organizações como sistemas sociais cooperativos e como sistemas de decisões. Novas Proposições Sobre a Motivação Humana O homem é considerado um animal complexo dotado de necessidades complexas e diferenciadas. Segundo os autores behavioristas, o administrador precisa conhecer as necessidades humanas para melhor compreender o comportamento humano e utilizar a motivação humana como poderoso meio para melhorar a qualidade de vida nas organizações. A hierarquia de necessidades de Maslow –O queé e como funciona Por: Gustavo Periard A famosa hierarquia de necessidades de Maslow, proposta pelo psicólogo americano Abraham H. Maslow, baseia-se na idéia de que cada ser humano esforça-se muito para satisfazer suas necessidades pessoais e profissionais. É um esquema que apresenta uma divisão hierárquica em que as necessidades consideradas de nível mais baixo devem ser satisfeitas antes das necessidades de nível mais alto. Segundo esta teoria, cada indivíduo tem de realizar uma “escalada” hierárquica de necessidades para atingir a sua plena auto-realização. A hierarquia de necessidades de Maslow Para tanto, Maslow definiu uma série de cinco necessidades do ser, dispostas na pirâmide abaixo e explicadas uma a uma a seguir: Onde existem as necessidades primárias (básicas) que são as fisiológicas e as de segurança e asnecessidades secundárias, que são as sociais, estima e auto-realização. Abaixo a explicação de cada uma delas: 1 – Necessidades fisiológicas: São aquelas que relacionam-se com o ser humano como ser biológico. São as mais importantes: necessidades de manter-se vivo, de respirar, de comer, de descansar, beber, dormir, ter relações sexuais, etc. No trabalho: Necessidade de horários flexíveis, conforto físico, intervalos de trabalho etc. 2 – Necessidades de segurança: São aquelas que estão vinculadas com as necessidades de sentir-se seguros: sem perigo, em ordem, com segurança, de conservar o emprego etc. No trabalho: emprego estável, plano de saúde, seguro de vida etc. No trabalho: Necessidade de estabilidade no emprego, boa remuneração, condições seguras de trabalho etc. 3 – Necessidades sociais: São necessidades de manter relações humanas com harmonia: sentir-se parte de um grupo, ser membro de um clube, receber carinho e afeto dos familiares, amigos e pessoas do sexo oposto. No trabalho: Necessidade de conquistar amizades, manter boas relações, ter superiores gentis etc.
  • 2. 4 – Necessidades de estima: Existem dois tipos: o reconhecimento das nossas capacidades por nós mesmos e o reconhecimento dos outros da nossa capacidade de adequação. Em geral é a necessidade de sentir-se digno, respeitado por si e pelos outros, com prestígio e reconhecimento, poder, orgulho etc. Incluem-se também as necessidades de auto-estima. No trabalho: Responsabilidade pelos resultados, reconhecimento por todos, promoções ao longo da carreira, feedback etc. 5 – Necessidades de auto-realização: Também conhecidas como necessidades de crescimento. Incluem a realização, aproveitar todo o potencial próprio, ser aquilo que se pode ser, fazer o que a pessoa gosta e é capaz de conseguir. Relaciona-se com as necessidades de estima: a autonomia, a independência e o auto controle. No trabalho: Desafios no trabalho, necessidade de influenciar nas decisões, autonomia etc. Aspectos a se considerar sobre a hierarquia de necessidades de Maslow - Para alcançar uma nova etapa, a anterior deve estar satisfeita, ao menos parcialmente. Isto se dá uma vez que, quando uma etapa está satisfeita ela deixa de ser o elemento motivador do comportamento do ser, fazendo com que outra necessidade tenha destaque como motivação. - Os 4 primeiros níveis destas necessidades podem ser satisfeitos por aspectos extrínsecos (externos) ao ser humano, e não apenas por sua vontade. - Importante! A necessidade de auto-realização nunca é saciada, ou seja, quanto mais se sacia, mais a necessidade aumenta. - Acredita-se que as necessidades fisiológicas já nascem com o indivíduo. As outras mostradas no esquema acima se adquirem com o tempo. - As necessidades primárias, ou básicas, se satisfazem mais rapidamente que as necessidades secundárias, ou superiores. - O indivíduo será sempre motivado pelas necessidades que se apresentarem mais importantes para ele. Críticas à teoria das necessidades de Maslow Com em toda teoria, há sempre aqueles que não concordam com ela em parte ou totalmente. Os críticos desta teoria afirmam que nem todas as pessoas são iguais e, por isso, um aspecto que se mostra como uma necessidade para uma pessoa, pode não ser para outra. Outras críticas dão conta de que esta teoria analisa o desenvolvimento das pessoas, mas não considera em nenhum momento o incentivo dado pela organização. Há quem diga, também, que Maslow contemplou as necessidades do indivíduo em uma ordem muito rígida, sem a possibilidade de inversão ou troca de necessidades. Mas nenhuma destas críticas descaracterizam a teoria ou a tornam menos atual que as demais, apenas nascem de algumas confusões que são feitas com a definição de “necessidade”, muitas vezes confundida com “desejo” ou “vontade”.
  • 3. Outras necessidades adicionais Dentre muitos estudos e análises, Maslow identificou duas necessidades adicionais à pirâmide de necessidades já criada. Estas novas descobertas que davam conta das pessoas que já possuíam todas as necessidades satisfeitas (pouquíssimas pessoas) foram chamadas de cognitivas. São elas: - Necessidade de conhecer e entender: Está relacionada com os desejos do indivíduo de conhecer e entender o mundo ao seu redor, as pessoas e a natureza. - Necessidade de satisfação estética: Está relacionada às necessidades de beleza, simetria e arte em geral. Ligada à necessidade que o ser humano tem de estar sempre belo e em harmonia com os padrões de beleza vigente. Fonte: http://www.sobreadministracao.com/a-piramide-hierarquia-de-necessidades-de-maslow/ “Há três coisas na vida que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida.” - Provérbio chinês
  • 4. A TEORIA DE HERZBERG por Daniel Portillo Serrano / 08/12/2006 Ao contrário de outros pensadores, como Abraham Maslow, que tentavam explicar as necessidades humanas em diversos campos, a Teoria de Frederick Herzberg foi, desde o início, baseada no estudo das atitudes e motivações dos funcionários dentro de uma empresa. Herzberg desenvolveu um estudo para tentar entender os fatores que causariam insatisfação e aquel es que seriam os responsáveis pela satisfação no ambiente de trabalho. O resultado destes estudos foi pela primeira vez publicado em 1959, sob o título "a motivação para trabalhar - The Motivation to Work" Os estudos incluíram pesquisas, onde os trabalhadores de diversas empresas eram estimulados a explicitar quais seriam os fatores que os desagradavam, assim como os que os agradavam na empresa. Os fatores que agradavam ao funcionário foram chamados de Motivadores. Aqueles que desagradavam levaram o nome de fatores de Higiene. Por isso, a teoria é mais conhecida como "a Teoria dos dois fatores de Herzberg: Motivação - Higiene". Os fatores de Higiene São aqueles que são necessários para evitar a insatisfação no ambiente de trabalho, mas por outro lado não são suficientes para provocar satisfação Para motivar um funcionário, não basta, para Herzberg, que os fatores de insatisfação estejam ausentes. Pelo contrário, os fatores de satisfação devem estar bem presentes. Fatores que levam à insatisfação Fatores que levam à satisfação Política da Empresa Crescimento Condições do ambiente de Trabalho Desenvolvimento Relacionamento com outros funcionários Responsabilidade Segurança Reconhecimento Salário Realização Fonte: http://www.portaldomarketing.com.br/Artigos/Teoria%20de%20Herzberg.htm
  • 5. “HOMEM COMPLEXO” A complexidade permeia as relações de trabalho afetando a motivação que tem implicações diretas na eficiência e eficácia organizacional, com as contingências fez surgir à concepção do “Homem Complexo": o homem como um sistema complexo de valores, percepções, características pessoais e necessidades. (Vieira, 2015, p.9) Vroom (1997) apresenta um modelo mostrando que o nível de produtividade depende de três forças básicas em cada indivíduo, a saber: (Veira, 2015, p.10)
  • 6. Se as pessoas creem que a obtenção do dinheiro (resultado final) depende do desempenho (resultado intermediário), elas se dedicarão a esse desempenho, pois ele terá valor de expectação quanto ao alcance do resultado final. (Vieira, 2015, P. 11) Modelo de expectância. Fonte: Chiavenato (2004). Adaptada. O resultado final (valência) tende a ser melhor à medida que as pessoas compreendem o valor dos possíveis retornos e recompensas. (Vieira,2015, P. 12) Fonte:V657a Vieira, KellyCristina Administraçãode cargos e salários / Kelly Cristina Vieira. Rio de Janeiro : SESES, 2015. 144 p. : il.