Jorge , "Amado ou Odiado"

2.437 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.437
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.974
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jorge , "Amado ou Odiado"

  1. 1. JORGE – “AMADO OU ODIADO”O Blog do Pimenta de Itabuna, publicou no dia 09 próximo passado, a ficha deinscrição de Jorge Amado na Associação Bahiana de Imprensa, de 1944.Nesta ficha Jorge Amado se declara filho de Ilhéus, e isso tem causado muitomal estar aos amigos itabunenses.Inclusive no espaço sobre comentários, existem várias declarações de nossosvizinhos como estas: “Esse ilustre cidadão renega a terra onde nasceu, eu,hein... pra mim a fama dele acaba aí.” – “Não é culpa do povo de Ilhéus, foiJorge Amado que preferiu ser cidadão de lá. Na cédula funcional é bem clara asua vontade (natural de Ilhéus). Isto porque vários leitores itabunensescolocaram a culpa em Ilhéus. Outro itabunense comentou: “A pergunta é, porque perder tempo com um escritor que não estava nem aí com a cidade quenasceu? Politicamente, quando esse escritor tornou notoriedade, Ilhéus, dariaa ele outro destaque. Pobre escritor! Não era original nem nas suas decisões”.Vejam que este nem fala o nome de Jorge Amado, trata-o como apenas “esseescritor”.Percebam que o nosso AMADO JORGE, não é o mesmo JORGE AMADO paraboa parte dos itabunenses.Não há nenhuma dúvida que Jorge Amado nasceu em Itabuna, em 1912,portanto dois anos depois que Itabuna se desmembrou do município de Ilhéus
  2. 2. em 1910. O que acontece é que, Jorge Amado veio com 4 anos para Ilhéus, euma criança de 4 anos não se lembra muito do seu passado.Aqui em Ilhéus, ele cresceu, estudou e vivenciou toda uma época dos coronéis.Jorge Amado só deixou Ilhéus quando tinha 19 anos, isto quer dizer, que suainfância e adolescência foram aqui. Não foi por acaso, que ele escreveu aqueladeclaração de amor por Ilhéus, onde ele dá o título de: “A TERRA DA MINHAVIDA”, ISSO SE REFERINDO A ILHÉUS. Foi uma decisão dele de serilheense, mesmo nascendo em Itabuna.Este documento publicado no PIMENTA é mais uma prova disto, ou seja, elerelegava Itabuna, agora não sei por quê. Ilhéus se aproveitou disto e faz tudoem sua homenagem, é só isto.Se você é itabunense faça questão de ler o texto “A TERRA DA MINHA VIDA”,e não terás mais dúvida disto.Agora, como ilheense nato, adoro Itabuna e acho que uma cidade completa aoutra, e digo mais, ai de nós se não tivéssemos Itabuna tão próxima, pois seucomércio e sua rede hospitalar/ médica é invejável em comparação a nossaIlhéus. E para compensar te oferecemos nossas praias e vamos viver em paz. Para quem não conhece o texto A Terra da Minha Vida - Jorge Amado, 1997 “Poucas vezes me senti tão honrado em minha vida como me sinto agora.Aconteceram-me fatos diversos que levaram a mim e aos meus livros mundoafora. Eles significaram, antes de tudo, Ilhéus. Não só porque aqui comecei avivê-los, porque aqui imaginei a escrevê-los, mas porque a presença de Ilhéusirradiou a luz especial que ilumina essas minhas pobres páginas.É de Ilhéus que nasce o que de mais puro e sensível, o que de mais belopossa ter o que escrevi. Ilhéus como tema me inspirou, me marcou de formaprofunda o que escrevi de alma e corpo, as coisas que quis dizer em todo omeu trabalho literário da decorrência de toda a minha vida, onde tantas coisasaconteceram e acontecem com aspectos tão diferentes e diversos à realidademais distante e, por conseqüência, a realidade fundamental em Ilhéus.Vim prá’qui aos quatro anos. Aqui transcorreu a minha adolescência, vivi minhainfância, corri nas ruas solto, livre, capaz de amar a liberdade sobre todas ascoisas, pois a primeira lição que recebi desta terra foi a lição de liberdade.Ilhéus não é apenas uma bela cidade do sul da Bahia, com a tradição de luta,de violência, de vida espantosamente vivida. Ilhéus é bem diferente, é bemmais que isso. É a transformação de tudo isso em criação. E a transformaçãode tudo isso em viva e translúcida realidade.
  3. 3. Ilhéus para mim significa o começo e significa a construção posterior. Quandoeu, por acaso, ponho os olhos naquilo que escrevi eu vejo que Ilhéus estácriança e aqui me fiz homem, aqui me fiz escritor e quando eu quero saudar averdade de mim próprio, aquilo que é essência de meu ser, de minha vida, eupenso nessa cidade, por mais distante que eu possa estar geograficamentedas suas praias, das suas ruas, da sua gente.Essa cidade me acompanha. A cada dia eu me revejo nela, a cada dia eu meredescubro nela, a cada dia eu me sinto mais próximo e fundamental de tudoquanto eu fiz. Eu não sei se fiz grandes coisas. Algumas eu busquei fazer naminha trajetória de escritor, algumas verdades busquei dizer , algumasrealidades coloquei no papel. Tomei delas da vida para transformá-las emliteratura. Tudo isso se deu porque vivi nessa cidade. A minha Ilhéustransparece a paixão pelas coisas e pelos homens, o amor infinito pela vida.Que dizer mais dessa cidade? Dizer que a amo de uma forma imensa, infinita.Meu amor por Ilhéus não tem limites, pois é o amor que vem da meninice, daadolescência, dos tempos felizes e alegres, dos dias em que eu quis aceitar averdade Da minha vida quero ainda dizer que em nenhum momento dessesacontecimentos que me tornaram conhecido, deixei de me lembrar /que foiaqui onde tudo começou. Foi aqui em ,Ilhéus, na praça do Vesúvio, nãofoi noutro lugar.”Cabe ao poder público, divulgar o mais breve possível e de forma marcante,esta relíquia que será eterna. Como sugestão, diríamos que um pedestal, feitopor algum artista local e localizado justamente na Praça do Vesúvio, onde elemesmo afirma que lá foi onde tudo começou, seria a forma mais justahomenagem a este itabunense, mas ilheense de coração. Diríamos também,que já se passaram tanto tempo, e nada ainda foi feito para eternizar esta cartade Jorge Amado. Ilhéus, que é uma cidade voltada para o turismo, não podedeixar escapar esta oportunidade, senão no futuro, seremos cobrados destelapso de memória.Rezende

×