ILHÉUS – COM A PALAVRA OS LEIGOS
SEGUNDO CAPÍTULO
Os leigos agora vão tentar resolver em definitivo um caso tão simples, q...
Ora, toda vez que chove a situação é a mesma, e fácil de resolver e sem custo
praticamente nenhum.
Solução: desentupir os ...
qualquer outro empreendimento na área urbana, é obrigada dentro dos seus
projetos a serem aprovados pela prefeitura, toda ...
gestão do atual prefeito, já se encontra fora dos padrões de embelezamento e
além do mais já atingiram uma altura que não ...
pluviais escoassem. Este drama daquela água empoçada parece piada mais é
verdade.
Espero que, não sejamos repetitivos, e q...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ilhéus com a palavra os leigos-segundo capítulo

3.280 visualizações

Publicada em

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.280
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.067
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ilhéus com a palavra os leigos-segundo capítulo

  1. 1. ILHÉUS – COM A PALAVRA OS LEIGOS SEGUNDO CAPÍTULO Os leigos agora vão tentar resolver em definitivo um caso tão simples, que é aquele absurdo, que já dura anos na Avenida Lomanto Júnior. Não temos mais como aceitarmos tais falta de criatividade, vontade de resolver e talvez um pouco de inteligência, que me desculpem.
  2. 2. Ora, toda vez que chove a situação é a mesma, e fácil de resolver e sem custo praticamente nenhum. Solução: desentupir os bueiros, daquele trecho, entre o Posto Roma e a Alvorada (abrigo de ônibus, em frente o Pontal Praia Hotel), repor as grades de cimento das “bocas de lobos”, e finalmente abrir a saída das águas pluviais para a Baía do Pontal”. Qual é o mistério, para acabar com aquela imundice? Logo após este pequeno serviço e com esta barreira ultrapassada, tentar convencer os empresários desta grande avenida, que é passagem obrigatória nos sentidos sul e norte, a ADOTAREM parte do trecho, como já vem sendo feito com as praças de Ilhéus. Eles se encarregariam na aquisição do novo piso para substituir as “Pedras Portuguesas”, pois estão comprometidas pelo limo, sujeira impregnada e em muitos trechos nem existem mais. Como seria? Dividir o comprimento da avenida pelo número de empresários que aderissem ao projeto, tais como CICON, MORELLI, Posto Roma, GBARBOSA, BAVEL, PONTAL PRAIA HOTEL, PIER POUSADA DO PONTAL, FARMÁCIA a ser inaugurada por estes dias, CHURRASCARIA GAÚCHA, PIZARRIA PINÓQUIO, RESTAURANTE CORONEL JUCA, RESTAURANTE MANJERICÃO, diversas outras pousada, restaurantes e bares, além de duas escolas neste trecho. Pois, todos deste complexo seriam beneficiados, e teriam uma avenida digna a apresentar num cartão postal. Isto já ocorre na capital baiana, que é administrada pelo ACM Neto, e, diga-se de passagem, com uma boa aceitação popular. Lá, qualquer empresa que queira construir um condomínio, ou
  3. 3. qualquer outro empreendimento na área urbana, é obrigada dentro dos seus projetos a serem aprovados pela prefeitura, toda infraestrutura de ruas, pavimentação, iluminação, saneamento, etc., em torno dos acessos. E não como vemos por aqui, só estas empresas construindo, e se querem ao mínimo, pavimentar as ruas em tornos de acesso. Tai para quem quiser ver os prédios recém-construídos na Avenida Lomanto Júnior, sem nenhuma pavimentação, onde a lama impera em tornos deles. Isto não é mais admissível numa cidade grande, onde a mobilidade urbana de respeito, pelo menos tem que haver a pavimentação, e estas empresas, não podem mais se dá luxo de transferir para o poder público, já que são elas as principais favorecidas, esta é que a verdade A contribuição seria com a participação de “x” número de metros quadrados de piso, e demais materiais como sacos de cimentos, etc., a serem compradas numa determinada casa de material de construção, previamente selecionada e que fosse parceira também, para que o preço fosse mais acessível. Caberia a prefeitura a mão de obra, com os servidores especializados nesta área do seu quadro de profissionais, como também a coordenação da obra. No nosso entender, o se faz desse jeito, ou outro jeito criativo, ou teremos até o final desta gestão uma avenida cada vez pior, tendo como base uma prefeitura falida, pela irresponsabilidade dos últimos oito anos de administração pública. Se optarmos por verbas do Estado da Bahia, ficaremos mais uma vez, com a cuia na mão a depender da boa vontade e sadismo deste governador. É bom alertar, que nesta reurbanização seja eliminado o coqueiral para ser substituído por árvores tipo arbustivo, pois este coqueiral, que foi plantado na
  4. 4. gestão do atual prefeito, já se encontra fora dos padrões de embelezamento e além do mais já atingiram uma altura que não condiz mais com o bom senso de um perigo constante a quem por ali transitam diariamente. Agora se nada disso tenha fundamento, então que nosso gestor faça seus secretários saírem dos gabinetes e venham a campo e ver no dia a dia o que acontece fora do ar condicionado. E juntos alimentem o prefeito de informações e sugestões viáveis e a curtíssimo prazo, por uma Ilhéus combalida e que precisa de uma sacudida o mais rápido possível, que terá efeito positivo com ajuda de todos os cidadãos moradores desta cidade. O prefeito passa, os secretários passam e nós ficamos a cada quatro anos, na busca de solução através do voto, que não vai adiantar mais nada. Temos que ser ativos agora, pois senão vamos cada vez mais chorar, reclamar e não sair deste marasmo. Ficamos indignados, quando vemos aquela pintura de cal que está sendo feita agora, que chamo de “engana que eu gosto”, como o nosso dinheiro do IPTU, pra nada, pois é só no outro dia cair uma chuva e tudo jogado no lixo, virando uma imundice só. Pintar os meios fios de branco ajuda e muito na visibilidade da cidade, e dá um ar de limpeza e isto é necessário, o que condenamos é ser feita, em cima da areia, com bueiros entupidos, só para tapear. O dinheiro que já foi gasto com isso em 16 meses daria para acabar com esta triste incompetência de administrar a coisa pública, tudo por falta de bons secretários, que muitas vezes são escolhidos só pelo lado político, e os assessores destes, que são na sua maioria, sem compromisso e sem certo grau de responsabilidade, não tão nem aí. Aqueles que poderiam estar nestes cargos e que são confiáveis, não o querem e com toda razão, por que não seria bem visto pelo demais, e a panelinha o faria um ladrão, ou qualquer outro pejorativo, sem nunca ter sido. E jamais ele conseguiria apagar tal mácula. Tem horas, que quando vemos aquela água pluvial enojando a todos e ainda tem aqueles motoristas sádicos e principalmente de ônibus, que passam nas poças e jogam aquela água nos pedestres e ainda dão risadas, queríamos nós se ainda tivéssemos o mesmo vigor físico de 30 anos, pegar uma picareta, abrir de fora a fora a calçada em direção a Baía do Pontal, para que as águas
  5. 5. pluviais escoassem. Este drama daquela água empoçada parece piada mais é verdade. Espero que, não sejamos repetitivos, e que a solução seja rápida, pois o inverno se aproxima e aí as chuvas são mais constantes, apesar de um volume menor em milímetros. José Rezende Mendonça

×