Csu Er 2 T09 Port

601 visualizações

Publicada em

Csu Er 2 T09 Port

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
601
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Csu Er 2 T09 Port

  1. 1. Lucro líquido da CSU CardSystem cresce 125,3% no 2T09 São Paulo, 29 de julho de 2009 – CSU CardSystem S.A. (BOVESPA: CARD3 e PORTAL: CSURY) anuncia hoje seus resultados do segundo trimestre de 2009 (2T09). As informações financeiras e operacionais a seguir, exceto onde indicado em contrário, são apresentadas em legislação societária (BRGAAP) e em milhões de reais (R$), e as comparações referem-se ao primeiro trimestre de 2009 (1T09) e ao mesmo período do ano anterior (2T08). As demonstrações 2T09 seguem os novos padrões contábeis brasileiros (lei 11.638) publicados em 28 de março de 2008. As demonstrações do 2T08 seguem os padrões da data de publicação, pois não há ajustes a serem realizados com impacto relevante ao resultado da empresa. Contato RI DESTAQUES Décio Burd Crescimento de 30,0% no EBITDA do 2T09. O valor do Diretor de RI Tel.: (55 11) 3030-3821 EBITDA do 2T09 foi de R$ 20,5 milhões, aumento de 30,0% quando comparado com R$ 15,8 milhões do mesmo período Email: de 2008. investidorescsu@csu.com.br Site: www.csu.com.br/ri Evolução de 40,8% do Lucro Bruto. A CSU encerrou o 2T09 com lucro bruto de R$ 25,4 milhões. O montante é 40,8% Teleconferência de Resultados do 2T09 superior ao valor apresentado no 2T08. Melhoras operacionais justificam o desenvolvimento apresentado. Sexta feira, 31 de julho de 2009 Resultado líquido fechou o 2T09 em R$ 4,8 milhões. O Português resultado representa aumento de 125,3% em relação aos 11h00 (horário de Brasília) R$2,1 milhões alcançados no mesmo trimestre do ano 10h00 (horário de Nova Iorque) Tel: (55 11) 4688-6341 anterior. Código: CSU Redução de 20,9% no endividamento. Em 12 meses, a Inglês empresa reduziu o endividamento em quase 21%. Na 13h00 (horário de Brasília) comparação com o trimestre anterior houve também uma 12h00 (horário de Nova Iorque) melhora no perfil da dívida. Tel: +1 (786) 924-6977 Código: CSU Cadastramento de cartões chega a 1,4 milhões no trimestre. O numero de novos cartões cadastrados fechou o Receba no email trimestre em 1,4 milhões, demonstrando estabilidade na informações sobre a csu. emissão de novos cartões. Envie seu contato para Investidorescsu@csu.com.br Base de cartões fecha o trimestre com 21,6 milhões de cartões. A base de cartões da empresa segue crescendo a taxa de 2 dígitos e fechou o segundo trimestre com 21,6 milhões de cartões cadastrados. 1
  2. 2. PRINCIPAIS INDICADORES PRINCIPAIS INDICADORES 2T09 2T08 Var. % 1T09 Var. % Receita Bruta (R$ milhões) 108,6 96,9 12,1% 107,3 1,2% CardSystem 55,7 43,4 28,3% 54,9 1,6% MarketSystem 6,5 6,6 -0,4% 7,5 -13,0% CSU.Contact 38,7 36,1 7,4% 38,6 0,5% Credit & Risk 7,6 10,8 -29,6% 6,4 19,4% Receita Líquida (R$ millões) 100,5 90,2 11,4% 99,3 1,2% Lucro Bruto (R$ milhões) 25,4 18,1 40,8% 23,7 7,2% Margem Bruta (%) 25,3% 20,0% 5,3 p.p. 23,9% 1,4 p.p. EBITDA (R$ milhões) 20,5 15,8 30,0% 20,5 0,3% Lucro (Prejuízo) Líquido (R$ milhões) 4,8 2,1 125,3% 4,8 0,0% PRINCIPAIS INDICADORES Acumulado 09 Acumulado 08* Var. % Receita Bruta (R$ milhões) 215,9 185,1 16,6% CardSystem 110,6 83,8 31,9% MarketSystem 14,1 13,2 6,7% CSU.Contact 77,3 65,7 17,7% Credit & Risk 14,0 22,4 -37,6% Receita Líquida (R$ millões) 199,8 172,4 16,0% Lucro Bruto (R$ milhões) 49,2 33,4 47,3% Margem Bruta (%) 24,6% 19,4% 5,2 p.p. EBITDA (R$ milhões) 41,0 30,8 33,1% Lucro (Prejuízo) Líquido (R$ milhões) 9,5 3,8 151,2% *Diferença de R$ 156 mil na Receita Bruta Total acumulada em 2008 referente a uma multa contratual no 1T08 SETORES DE ATUAÇÃO Cenário Macroeconômico: No segundo trimestre de 2009 percebemos uma leve recuperação da economia global a qual foi fortemente abalada pela crise mundial em meados de 2008. O crescimento da massa dos rendimentos reais permitiu o aumento no consumo das famílias e sustentou a evolução do comércio durante o período. Outro sinal de recuperação da economia foi o crescimento constante da produção industrial. Observamos cinco meses consecutivos de alta puxada principalmente pelo setor automotivo, de medicamentos e metalurgia (fonte: IBGE). Por outro lado, o nível de emprego teve queda (0,5% em relação a maio do ano anterior) em 17 dos 18 setores avaliados pelo IBGE. 2
  3. 3. A redução da taxa básica de juros abaixo dos 10% e a manutenção do corte de impostos em produtos industrializados duráveis e de valor agregado mostrou a clara intenção do governo em manter a economia aquecida através do consumo direto. A leve alta do ICC revelou um maior otimismo quanto ao cenário econômico atual. Isso evidencia que o apetite pelo consumo voltou a crescer no mercado (fonte: FGV). Meios Eletrônicos de Pagamentos: No dia 30 de junho encerrou-se o prazo para o mercado apresentar críticas e sugestões ao relatório sobre a Indústria de Cartões de Pagamento elaborado pelo Bacen e pelas Secretarias de Direito Econômico e de Acompanhamento Econômico. As críticas serão avaliadas e utilizadas na redação da versão final do relatório que será publicado até 30 de setembro de 2009. Espera-se, como resultado do estudo, que o Governo atue de alguma forma para reduzir os valores cobrados dos lojistas e consumidores para utilizar o cartão. No final de maio*, segundo a ABECS, existiam 535 milhões de cartões no mercado, montante que representa crescimento de 12% em 12 meses. Enquanto os cartões de Private Label variaram 16,5% em 12 meses, os cartões de crédito evoluíram 15,2%. Em termos absolutos, o número de cartões Private Label no mercado é de 183 milhões, enquanto o total de cartões de Crédito é 129 milhões. Segundo dados da Febraban, no período de oito anos, o volume de cheques compensados diminuiu 48%, enquanto o volume de transações com cartões de crédito multiplicou-se em cinco vezes. No entanto o volume financeiro transacionado com cheque permanece superior. Em 2008 enquanto R$322 bilhões foram transacionados com cartões de crédito, R$1,05 trilhões eram realizados por meio de cheques. O crescimento do mercado de meios eletrônicos de pagamento continuou com tendência de alta, seja pela evolução do comércio eletrônico ou pela substituição do dinheiro e cheque pelos cartões magnéticos. As informações acima mostram que ainda há muito espaço para desenvolvimento desse mercado. * até 28/07/2009 a informação mais atualizada disponível é referente a maio. 3
  4. 4. Evolução dos Cartões do Mercado 129 112 91 71 59 157 183 105 128 91 2005 2006 2007 2008 2009 Private Label Crédito Call Center O mercado de Call Center apresentou no segundo trimestre continuidade da tendência de crescimento dos trimestres anteriores. O setor já vem apresentando há quase 1 ano evolução constante na casa de 10% ao ano. A expectativa da ABT para o ano de 2009 é que essa tendência continue, resultando em um total de 80000 novas posições ao longo do ano. O crescimento mencionado foi suportado pelo decreto lei n° 6.523 que regulamenta a lei 8.078/90, e que entrou em vigor em 1 dezembro de 2008 que ajudou a sustentar a demanda pelos serviços. As empresas contratantes aumentaram a demanda por serviços de atendimento buscando atender aos níveis de serviços exigidos pelo decreto. Além disso, a maior complexidade desencadeada pelos novos padrões deve gerar novos movimentos de terceirização e aumento da demanda até o final de 2010. 4
  5. 5. AMBIENTE DE NEGÓCIOS CardSystem A base de cartões da empresa terminou o trimestre com 21,6 milhões de cartões, montante que representa crescimento de 22% em 12 meses. Comparando com o mercado a evolução de base de cartões permaneceu 10 pontos percentuais acima aos dados publicados pela ABECS em maio. Evolução da Base de Cartões 21,6 17,7 14,2 9,9 10,1 2005 2006 2007 2008 2009 Os cartões Flex, produto desenvolvido pela CSU especialmente para clientes não bancários, continuaram apresentando desempenho excepcional e aumentaram consideravelmente sua participação da base da CSU. Esses cartões, representavam 13% da base do total de cartões no final do segundo trimestre de 2009. Cartões Flex na base CSU (Final de Junho) Junho de 2008 Junho de 2009 2% 13% 98% 87% Cartões Flex Cartões Não Flex Cartões Flex Cartões Não Flex 5
  6. 6. A emissão de cartões seguiu em alta no período. Durante o 2T09 foram emitidos 1,4 milhões de novos cartões. Espera-se um aumento sazonal da emissão nos últimos dois trimestres do ano, além do recrudescimento da oferta de crédito, referindo uma melhora das expectativas dos agentes econômicos em relação à recuperação do mercado. Emissão de Cartões na Base da CSU 1,7 1,6 1,4 1,3 1,4 2T08 3T08 4T08 1T09 2T09 O crescimento do número de cartões faturados foi 25,8% entre 2T09 e 2T08. Esse aumento foi resultado principalmente da emissão de cartões que, conforme comentado anteriormente, permaneceu em alta nos últimos 12 meses. Cartões Faturados CSU (em milhões) 18,0 18,5 16,0 16,4 14,7 2T08 3T08 4T08 1T09 2T09 A forma de apuração do volume de cartões faturados foi objeto de alteração de conceito no 2T09. A mudança teve por objetivo um apontamento mais preciso dos cartões faturados em clientes cuja receita está atrelada ao volume de contas. O conceito utilizado a partir deste trimestre reflete exatamente o número de cartões vinculados à contas efetivamente faturadas. 6
  7. 7. CardSystem (em milhões) 2T09 2T08 Var.% 1T09 Var.% Número de cartões (média do período): 21,5 18,0 19,2% 20,6 4,2% Cartões de crédito 17,2 13,1 31,5% 16,4 5,1% Cartões private label 4,2 4,9 -13,7% 4,2 0,7% Número de cartões (final): 21,6 17,7 22,0% 20,8 3,8% Cartões de crédito 17,5 13,2 32,6% 16,6 5,4% Cartões private label 4,1 4,5 -8,9% 4,2 -2,4% MarketSystem A área comercial da MarketSystem, foi fortalecida pela contratação de executivos focados em prospectar novos clientes e consolidar nossos atuais. O novo modelo organizacional foi estruturado para aumentar a exposição da marca no mercado e tornar empresa a “top-of- mind” no Brasil. Durante o segundo trimestre, prevaleceu o crescimento orgânico do portfólio, que alcançou 2,8 milhões de contas administradas. Esse montante representa crescimento de 30% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. Contas Gerenciadas na MarketSystem (em milhões) 2,80 2,38 2,65 2,03 2,12 2,34 1,84 1,90 1,98 2T07 3T07 4T07 1T08 2T08 3T08 4T08 1T09 2T09 . MarketSystem 2T09 2T08 Var.% 1T09 Var.% Contas Gerenciadas 2,8 2,1 33,3% 2,6 7,7% CSU.Contact / Credit&Risk Durante o primeiro trimestre, foi lançada a nova marca CSU.Contact com o propósito de revolucionar o mercado de contact center no País e gerar benefícios para os clientes em termos de qualidade e custo. 7
  8. 8. A CSU.Contact não apenas utilizará parte da estrutura transferida da antiga CSU Telesystem, que já vinha sendo reformulada desde o ano passado, como inaugurará, em agosto, Alphaview, a Cidade do Contact Center, um dos maiores sites da América Latina. A nova topologia nacional de operação da CSU contará com uma rede de multisites estrategicamente escolhidos e espelhados, garantindo maior segurança e performance. A Cidade do Contact Center possui 25 mil m² de ambientes operacionais em um terreno de 32 mil m², nos quais a companhia reuniu o melhor em sistemas, infra-estrutura, know how, segurança e gestão diferenciada de recursos humanos. O objetivo é melhorar a qualidade de vida dos atendentes, garantir nível de serviço diferenciado e reduzir os custos das operações. No final de junho a CSU.Contact e a Credit&Risk operavam com as condições descritas na tabela abaixo. Número de PAs 2009 Operação Disponível Treinamento Total CSU.Contact (final do período): 2.865 387 373 3.625 Credit&Risk (final do período): 344 3 0 347 Total 3.209 390 373 3.972 DESEMPENHO FINANCEIRO Geração de Receitas Receita Bruta Trimestral (em milhões) 105 107109 97 101 93 92 90 93 87 91 86 88 83 81 76 78 78 68 64 57 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 2004 2005 2006 2007 2008 2009 8
  9. 9. COMPOSIÇÃO DA RECEITA A composição da receita da CSU revela o constante e excelente momento pelo qual o mercado de meios eletrônicos de pagamento vem passando. O gráfico abaixo mostra que a participação da unidade CardSystem ganhou mais representatividade na receita total da companhia durante os últimos 12 meses. Composição da receita (por unidade de negócios) 2T08 2T09 Credit&Risk Credit&Risk 11,1% 7,0% CardSystem CSU.Contact 44,8% 35,7% CardSystem CSU.Contact 51,3% 37,2% MarketSystem MarketSystem 6,8% 6,0% Composição da Receita Bruta - R$ mil 2T09 % Total 2T08 % Total Var.% 1T09 % Total Var.% Cardsystem 55.729 51,3 43.438 44,8 28,3% 54.862 51,1 1,6% Marketsystem 6.545 6,0 6.570 6,8 -0,4% 7.523 7,0 -13,0% CSU.Contact 38.732 35,7 36.056 37,2 7,4% 38.554 35,9 0,5% Credit & Risk 7.606 7,0 10.797 11,1 -29,6% 6.369 5,9 19,4% Total 108.612 100,0 96.861 100,0 12,1% 107.308 100,0 1,2% Composição da Receita Bruta - R$ mil 2T09 % Total 2T08 % Total Var.% 1T09 % Total Var.% CardSystem / MarketSystem 62.274 57,3 50.008 51,6 24,5% 62.385 58,1 -0,2% CSU.Contact / Credit & Risk 46.338 42,7 46.853 48,4 -1,1% 44.923 41,9 3,1% Total 108.612 100,0 96.861 100,0 12,1% 107.308 100,0 1,2% Acumulado 09 % Total Acumulado 08* % Total Var. % Cardsystem 110.591 51,2 83.846 45,3 31,9% Marketsystem 14.068 6,5 13.190 7,1 6,7% CSU.Contact 77.287 35,8 65.675 35,5 17,7% Credit & Risk 13.975 6,5 22.404 12,1 -37,6% Total 215.920 100,0 185.114 100,0 16,6% 9
  10. 10. Acumulado 09 % Total Acumulado 08* % Total Var. % CardSystem / MarketSystem 124.659 57,7 97.036 52,4 28,5% CSU.Contact / Credit & Risk 91.262 42,3 88.078 47,6 3,6% Total 215.920 100,0 185.114 100,0 16,6% *Diferença de R$ 156 mil na Receita Bruta Total acumulada em 2008 referente a uma multa contratual no 1T08 CardSystem / MarketSystem A receita da unidade CardSystem teve crescimento de quase 30% na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. A evolução do número de cartões faturados, além do crescimento mais expressivo em contratos com um mix de serviços mais amplo, refletindo em uma maior receita por cartão faturado. CSU.Contact / Credit&Risk A CSU.Contact encerrou o segundo trimestre de 2009 com leve crescimento quando comparado com o mesmo período de 2008. O indicador está alinhado com o aumento do escopo de serviço com alguns clientes e da média de minutos falados pelos atendentes. A receita recorrente da unidade evoluiu 7% frente ao mesmo período do ano anterior. Em contrapartida, a receita da Credit&Risk teve uma queda devido as posições de atendimento transferidas para a CSU.Contact com o objetivo de atender uma demanda pontual de clientes. RECEITA LÍQUIDA A relação entre receitas líquidas e brutas seguiu as mesmas características dos períodos anteriores. Todas as unidades apresentam redução de ISS, com alíquotas variando de acordo com o município de prestação de serviços. Composição da Receita Líquida - R$ mil 2T09 % Total 2T08 % Total Var.% 1T09 % Total Var.% Cardsystem 51.310 51,1 40.281 44,7 27,4% 50.513 50,8 1,6% Marketsystem 5.995 6,0 6.185 6,9 -3,1% 6.900 6,9 -13,1% CSU.Contact 36.140 36,0 33.653 37,3 7,4% 36.045 36,3 0,3% Credit & Risk 7.050 7,0 10.093 11,2 -30,1% 5.885 5,9 19,8% Total 100.495 100,0 90.212 100,0 11,4% 99.343 100,0 1,2% 10
  11. 11. Acumulado 09 % Total Acumulado 08 % Total Var. % Cardsystem 101.823 51,0 77.738 45,1 31,0% Marketsystem 12.895 6,5 12.333 7,2 4,6% CSU.Contact 72.185 36,1 61.364 35,6 17,6% Credit & Risk 12.935 6,5 20.867 12,1 -38,0% Total 199.838 100,0 172.302 100,0 16,0% Composição da Receita Líquida - R$ mil 2T09 % Total 2T08 % Total Var.% 1T09 % Total Var.% CardSystem / MarketSystem 57.306 57,0 46.466 51,5 23,3% 57.413 57,8 -0,2% CSU.Contact / Credit&Risk 43.190 43,0 43.746 48,5 -1,3% 41.930 42,2 3,0% Total 100.495 100,0 90.212 100,0 11,4% 99.343 100,0 1,2% Acumulado 09 % Total Acumulado 08 % Total Var. % CardSystem / MarketSystem 114.718 57,4 90.071 52,3 27,4% CSU.Contact / Credit&Risk 85.120 42,6 82.231 47,7 3,5% Total 199.838 100,0 172.302 100,0 16,0% CUSTOS DOS SERVIÇOS PRESTADOS Custo dos Serviços Prestados - R$ mil 2T09 2T08 Var.% 1T09 Var.% CardSystem / Marketsystem 35.596 29.948 18,9% 36.544 -2,6% CSU.Contact / Credit & Risk 39.465 42.197 -6,5% 39.080 1,0% Total 75.061 72.145 4,0% 75.624 -0,7% Acumulado 09 Acumulado 08 Var. % CardSystem / Marketsystem 72.140 57.639 25,2% CSU.Contact / Credit & Risk 78.545 81.295 -3,4% Total 150.685 138.934 8,5% CardSystem / Marketsystem O aumento dos custos das unidades de processamento de meios de pagamento e marketing de fidelização está em linha com o crescimento da receita das unidades nos últimos 12 meses. Como é possível observar na tabela abaixo, a participação por item se alterou muito pouco no período. O investimento em upgrade tecnológico das centrais de processamento, CPD´s, e desenvolvimento de sistemas também é notada no aumento da depreciação/amortização. Isso reflete o esforço continuo na manutenção do “state of the art” de seus sistemas e 11
  12. 12. parque tecnológico. Frente ao mesmo trimestre de 2008 esse investimento aumentou em aproximadamente R$ 1 milhão a linha depreciação/Amortização. Também com variação percentual na casa de duas dezenas está a linha expedição, que frente ao 2T08 variou 23,9%. A CSU em linha com seus conceitos de oferecer soluções completas, e responsável pela emissão e delivery de cartas, faturas e cartões para diversos clientes, de forma que os aumentos de custos registrados neste grupo, estão em linha com os aumentos na base de cartões e de receita registrados no período. Custo por componentes - CardSystem / MarketSystem - R$ mil 2T09 %RL 2T08 %RL Var. % 1T09 %RL Var. % Recursos Humanos 10.482 18,29 8.624 18,56 21,5% 10.173 17,72 3,0% Expedição 11.033 19,25 8.907 19,17 23,9% 11.544 20,11 -4,4% Comunicação 1.727 3,01 1.726 3,71 0,1% 1.581 2,75 9,3% Prédios 1.045 1,82 849 1,83 23,1% 1.019 1,77 2,6% Depreciação/Amortização 4.414 7,70 3.447 7,42 28,1% 4.157 7,24 6,2% Custo Produtos Entregues 2.966 5,18 2.633 5,67 12,7% 4.017 7,00 -26,2% Outros 3.929 6,86 3.763 8,10 4,4% 4.054 7,06 -3,1% Total Custo dos Serviços 35.596 62,12 29.948 64,45 18,9% 36.544 63,65 -2,6% Custo por componentes - CardSystem / MarketSystem - R$ mil Acumulado 09 %RL Acumulado 08 %RL Var. % Recursos Humanos 20.654 18,00 16.714 18,56 23,6% Expedição 22.577 19,68 16.984 18,86 32,9% Comunicação 3.308 2,88 3.226 3,58 2,5% Prédios 2.064 1,80 1.719 1,91 20,1% Depreciação/Amortização 8.571 7,47 6.754 7,50 26,9% Custo Produtos Entregues 6.983 6,09 5.186 5,76 34,7% Outros 7.983 6,96 7.056 7,83 13,1% Total Custo dos Serviços 72.140 62,88 57.639 63,99 25,2% CSU.Contact / Credit&Risk Os custos nas unidades de Contact Center tiveram uma redução de 6,5% frente ao mesmo período do ano anterior. A reorganização geográfica das operações CSU.Contact permitiram a empresa otimizar gastos com recursos humanos sem influenciar os níveis de serviço. No 2T08 essa linha representava quase 65% da receita líquida das unidades, participação que foi reduzida para aproximadamente 62,5% no 2T09. Destaque para Comunicação cuja queda é resultado da conjugação de fatores como os incentivos fiscais em telefonia (ICMS) no novo site de Recife e a redução de prestação de serviços de contact center ativos. 12
  13. 13. Custo por componentes - CSU.Contact / Credit&Risk - R$ mil 2T09 %RL 2T08 %RL Var. % 1T09 %RL Var. % Recursos Humanos 27.030 62,58 28.378 64,87 -4,7% 26.803 63,92 0,8% Comunicação 1.533 3,55 2.368 5,41 -35,3% 1.382 3,30 10,9% Prédios 3.246 7,52 3.231 7,39 0,5% 3.204 7,64 1,3% Depreciação/Amortização 3.969 9,19 3.701 8,46 7,2% 3.953 9,43 0,4% Outros 3.687 8,54 4.520 10,33 -18,4% 3.738 8,92 -1,4% Total Custo dos Serviços 39.465 39,27 42.197 96,46 -6,47% 39.080 93,20 1,0% 0 93% Acumulado 09 %RL Acumulado 08 %RL Var. % Recursos Humanos 53.833 63,24 53.764 65,38 0,1% Comunicação 2.915 3,42 5.232 6,36 -44,3% Prédios 6.450 7,58 6.625 8,06 -2,6% Depreciação/Amortização 7.921 9,31 7.376 8,97 7,4% Outros 7.425 8,72 8,299 10,08 -10,4% Total Custo dos Serviços 78.545 92,28 81.295 98,85 -3,4% LUCRO BRUTO A companhia apresentou aumento de mais de 40% no lucro bruto. Os fatores que, em conjunto, contribuíram para esse resultado foram: O crescimento da receita e a melhora da margem bruta por ganhos de escala na unidade CardSystem; e a redução de custos e conseqüente melhora operacional nas unidade de Contact Center. No acumulado dos seis primeiros meses, o lucro bruto ultrapassou R$ 49,0 milhões resultado 47,9% superior do mesmo período de 2008. A margem bruta do semestre ficou cinco pontos percentuais acima do registrado no ano passado. Lucro Bruto por Unidade de Negócio - R$ mil 2T09 % / RL 2T08 % / RL Var. % 1T09 % / RL Var. % CardSystem 19.646 38,3 14.239 35,3 38,0% 19.051 37,7 3,1% MarketSystem 2.064 34,4 2.280 36,9 -9,5% 1.818 26,3 13,6% CSU.Contact 2.670 7,4 1.613 4,8 65,5% 2.021 5,6 32,1% Credit&Risk 1.054 15,0 (65) (0,6) 1734,2% 829 14,1 27,2% Total 25.434 25,3 18.067 20,0 40,8% 23.719 23,9 7,2% Lucro Bruto por Unidade de Negócio - R$ mil 2T09 % / RL 2T08 % / RL Var. % 1T09 % / RL Var. % Cardsystem / Marketsystem 21.710 37,9 16.518 35,5 31,4% 20.869 36,3 4,0% CSU.Contact / Credit&Risk 3.725 8,6 1.549 3,5 140,5% 2.850 6,8 30,7% Total 25.434 25,3 18.067 20,0 40,8% 23.719 23,9 7,2% 13
  14. 14. Acumulado 09 % / RL Acumulado 08 % / RL Var. % CardSystem 38.697 38,0 28.029 36,1 38,1% MarketSystem 3.882 30,1 4.403 35,7 -11,8% CSU.Contact 4.692 6,5 849 1,4 453,0% Credit&Risk 1.883 14,6 88 0,4 2049,0% Total 49.153 24,6 33.368 19,4 47,3% Acumulado 09 % / RL Acumulado 08 % / RL Var. % CardSystem/MarketSystem 42.579 37,1 32.432 36,0 31,3% CSU.Contact/Credit&Risk 6.575 7,7 936 1,1 602,4% Total 49.153 24,6 33.368 19,4 47,3% DESPESAS OPERACIONAIS As despesas gerais e administrativas da empresa tiveram aumento de 46,8% no 2T09 quando comparado com o mesmo trimestre de 2008. Tivemos um aumento de R$ 1,3MM em relação ao 2T08 em função de novas contratações realizadas pela empresa visando reforçar a área comercial e algumas diretorias da empresa. No 2T09 foram gastos R$ 1,2 MM com a promoção da nova marca CSU.Contact em veículos de grande circulação e midia dirigida. Além disso tivemos provisões de contingências tributárias e trabalhistas. Em outras despesas (receitas) operacionais tivemos a apuração de créditos fiscais de períodos anteriores de R$ 1,3MM. Por outro lado, as despesas financeiras da empresa sofreram redução de quase 33% em 12 meses. O montante de R$ 2,7 milhões desembolsados no período é o menor valor publicado desde a abertura de capital em 2006. A queda é resultado da redução do endividamento da empresa em conjunto com a queda na taxa básica de juros. Lembrando que a correção das dívidas da empresa são indexadas à taxa média de CDI. As despesas operacionais totais aumentaram em 12,2% no trimestre. O resultado está em linha com o crescimento das unidades da CSU. 14
  15. 15. Despesas operacionais - R$ mil 2T09 %RL 2T08 %RL Var. % 1T09 %RL Var. % Gerais e administrativas 14.720 14,6 10.027 11,1 46,8% 11.387 11,5 29,3% Despesas financeiras líquidas 2.698 2,7 4.007 4,4 -32,7% 4.196 4,2 -35,7% Outras despesas (receitas) operacionais (609) -0,6 767 0,9 -179,5% 282 0,3 -316,1% Total Despesas Operacionais 16.809 16,7 14.800 16,4 13,6% 15.865 16,0 6,0% Gastos com reestruturação 1.707 - 709 Total Desp. Operacionais Ajustadas 18.516 18,4 14.800 16,4 25,1% 16.574 16,7 11,7% Acumulado 09 %RL Acumulado 08 %RL Var. % Gerais e administrativas 26.108 13,1 18.903 11,0 38,1% Despesas financeiras líquidas 6.894 3,4 8.064 4,7 -14,5% Amortização do diferido - 0,0 1.867 1,1 -100,0% Outras despesas (receitas) operacionais (327) -0,2 (1.269) -0,7 -74,2% Total Despesas Operacionais 32.675 16,4 27.564 16,0 18,5% Gastos com reestruturação 2.416 - Total Desp. Operacionais Ajustadas 35.090 17,6 27.564 16,0 27,3% EBITDA Como já mencionado anteriormente, em decorrência da melhora geral dos resultados das unidades CSU, o EBITDA ajustado foi 30% superior ao do mesmo trimestre de 2008 e estável frente ao 1T09. O EBITDA da unidade CardSystem segue crescendo de maneira consistente e em linha com a evolução da receita da unidade. Espera-se que a possível contratação de novos clientes possa acelerar o crescimento da unidade no final de 2009. As unidades CSU.Contact e Credit&Risk apresentaram melhora na rentabilidade, como já comentado anteriormente.A aplicação da nova marca CSU.Contact e o início das operações no novo site Alphaview devem alavancar o seu crescimento e melhorar a rentabilidade das operações. 2T09 % / RL 2T08 % / RL Var. % 1T09 % / RL Var. % Cardsystem / Marketsystem 18.685 32,6 15.265 32,9 22,4% 18.420 32,1 1,4% CSU.Contact / Credit&Risk 1.848 4,3 536 1,2 244,6% 2.045 4,9 -9,6% Total EBITDA 20.534 20,4 15.801 17,5 30,0 20.465 20,6 0,3% Acumulado 09 % / RL Acumulado 08 % / RL Var. % Cardsystem / Marketsystem 37.106 32,3 30.688 34,1 20,9% CSU.Contact / Credit&Risk 3.893 4,6 113 0,1 3339,4% Total EBITDA 40.999 20,5 30.801 17,9 33,1 15
  16. 16. LUCRO LÍQUIDO O lucro líquido do segundo trimestre de 2009, foi 125,3% superior ao apresentado no segundo trimestre de 2008 e igual ao 1T09. Considerando o numero total de ações, (48.571.597), a empresa acumula R$ 0,20 de lucro por ação no primeiro semestre de 2009. Resultado Líquido - R$ mil 2T09 2T08 1T09 Lucro (Prejuizo) Líquido 4.772 2.118 4.772 ENDIVIDAMENTO O endividamento líquido da empresa sofreu redução de 20,9% em 12 meses, terminando o período em R$ 77,5 milhões. Essa queda ocorreu principalmente pela opção da companhia de não rolar dividas até o final do 1T09 a fim de evitar os altos spreads cobrados pelos bancos durante o período de crise internacional. No segundo trimestre de 2009 a empresa optou por alongar o prazo médio de sua dívida. No período, foram renegociados R$ 23,0 milhões em empréstimos e financiamentos para um prazo médio de 30 meses a uma taxa de CDI mais 3,4% ao ano. Esse movimento colaborou para a redução do endividamento de curto prazo que caiu de R$ 58,0 milhões para R$ 46,4 milhões em um trimestre. A empresa foi beneficiada pela queda na taxa básica de juros que aconteceram em 2009, pois todas suas dívidas são em reais e indexadas à taxa média de CDI. Endividamento - R$ milhões 2T09 2T08 1T09 Curto prazo 46,4 47,3 58,0 Empréstimos e Financiamentos 36,5 29,7 47,4 Leasing 9,9 17,6 10,7 Longo prazo 31,6 53,3 29,7 Empréstimos e Financiamentos 20,0 44,7 17,9 Leasing 11,6 8,6 11,8 Dívida Bruta 78,0 100,6 87,7 (-) Disponibilidades 0,5 2,7 1,5 Dívida (Caixa) Líquida 77,5 98,0 86,3 16
  17. 17. CAPEX O CAPEX da companhia retornou para o patamar de R$ 6,8 milhões, montante próximo do mínimo esperado para manter o negócio em crescimento. Do total investido no trimestre, aproximadamente 68% são investimentos recorrentes em desenvolvimento e customizações de softwares utilizados no negócio de meios de pagamentos. Esses investimentos são necessários para manter o Vision Plus, software responsável pelo processamento de cartões, atualizado e para garantir a posição de liderança da empresa no setor. O Projeto Alphaview recebeu 21% do total dos investimentos. A empresa montou um complexo que será um novo conceito em estrutura operacional de call centers. O novo site, apelidado de “cidade do call center”, tem capacidade para abrigar até 8.000 posições de atendimento, além de possuir um centro de convivência e serviços para os atendentes. Os 10% remanescentes estão divididos em móveis e benfeitorias realizadas nas unidades da CSU. Investimentos - R$ milhões 2T09 2T08 Var. 1T09 Var. Sistemas (SW e HW) 5,3 4,4 53,9% 12,4 -45,5% Outros 1,5 0,8 87,5% 0,5 192,0% Capex 6,8 5,3 28,2% 12,9 -47,5% MERCADO DE CAPITAIS O Índice Bovespa em Junho recuou parte da evolução alcançada durantes os meses de abril e maio. Em linhas gerais, durante o trimestre, as sessões responderam positivamente aos dados econômicos publicados no período e reverteram partes das perdas ocasionadas pela crise. Isso inspira confiança a respeito do futuro do mercado Brasileiro. 17
  18. 18. No trimestre, as ações CARD3 fecharam o 2T09 em R$ 3,65, valorização de 34,8%. Frente ao Ibovespa, os papéis da CSU superaram a variação da carteira teórica do índice que no mesmo período valorizou-se 26,1%. Os índices de ações dos quais a CSU participa são o IGC (Índice de Governança Corporativa) e o ITAG (Índice de Tag Along). Durante o segundo trimestre, ambos apresentaram variação superior ao índice Ibovespa, sendo que o IGC teve alta de 30,9% e o ITAG alta de 27,5% respectivamente. A valorização da CARD3 ficou acima de ambos os índices. A companhia lançou em meados de junho o seu programa de recompra de ações, com o qual pretende recomprar oitocentas mil ações (4,42% das ações em circulação), em até doze meses. O programa tem como objetivo a manutenção do plano de Stock Options e remuneração de funcionários de acordo com desempenho e permanência na companhia. GOVERNANÇA CORPORATIVA Na Bovespa a CARD3 pertence ao padrão Novo Mercado, nível em que estão listadas as empresas com destacado comprometimento com as melhores práticas de governança e que mantém apenas ações ordinárias. A CSU também oferece Tag along de 100% a todos os seus acionistas – mecanismo que confere o direito de inclusão em eventual oferta pública de alienação de controle ao preço igual pago para as ações ordinárias integrantes do bloco de controle. A CSU mantém Políticas de Negociação de Ações e de Divulgação de Informações, além do Código de Ética, que estabelece as normas de conduta no relacionamento com todas as partes interessadas: colaboradores, clientes, fornecedores, parceiros, comunidades e governos. O Conselho de Administração, hoje composto por 8 membros, sendo 4 independentes, conta com o apoio Comitê de Controladoria, responsável por monitorar os riscos de negócios da Companhia, acompanhar as práticas contábeis e de transparência das informações, analisar potenciais conflitos de interesses em transações envolvendo partes 18
  19. 19. relacionadas, bem como assessorar o Conselho de Administração nas deliberações sobre essas matérias a apresentação de relatórios específicos. Em abril de 2008 foi instalado um Conselho Fiscal baseado nos moldes da Lei nº 6.404/76 e na Instrução CVM no. 324 de 19/01/2000. Ao todo são seis conselheiros sendo três titulares e três suplementes, destes seis, dois conselheiros, (um titular e um suplente) foram eleitos por meio dos acionistas minoritários. O conselho fiscal tem por objetivo agregar valor ao acionista por meio da fiscalização e opiniões sobre as matérias de sua competência como relatório anual financeiro, balanços e demonstrativos e outros. O Comitê de Controladoria é composto por dois membros escolhidos dentre os conselheiros de Administração. Na área de Relações de Investidores (RI), a CSU mantém um site de RI, onde as informações são permanentemente atualizadas e são realizadas teleconferências para a divulgação dos resultados trimestrais. Para 2009 está prevista reunião pública com analistas e encontros com profissionais da comunidade financeira no Brasil e no exterior. SOBRE A CSU A CSU é a empresa independente líder no mercado brasileiro de administração de cartões de crédito para terceiros, em termos de volume de cartões de crédito administrados. A Companhia administra todos os diversos tipos de meios eletrônicos de pagamento existentes e conta com uma base de mais de 20 milhões de cartões, com administração contratada incluindo cartões de crédito, cartões Private Label, etc. Adicionalmente aos seus serviços de administração de cartões, a CSU presta serviços especializados relacionados à Call Centers, serviços de suporte para análise e aprovação de crédito e cobrança, desenvolvimento e gestão de programas de fidelização para diferentes clientes dos mais diversos setores. Estas atividades são desenvolvidas por meio de suas quatro Unidades de Negócios criadas estrategicamente para esse fim: (i) CardSystem (voltada para a administração full service de cartões); (ii) CSU.Contact (serviços de Call Center); (iii) Credit&Risk (análise de crédito e cobrança); e (iv) MarketSystem (programas de fidelização). 19
  20. 20. OUTRAS INFORMAÇÕES SOBRE A CSU A Companhia está vinculada à arbitragem na Câmara de Arbitragem do Mercado (CAM). Esse é um foro criado pela BOVESPA para resolver disputas societárias e do mercado de capitais. A CAM possui mecanismos próprios, que proporciona maior agilidade e economia para além dos árbitros especializados nas matérias a serem decididas. Qualquer interessado, investidor ou empresa, que seja ou não uma companhia aberta, pode utilizar esta estrutura. GLOSSÁRIO DE TERMOS DO SETOR ABECS: Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviço Administradora de Cartões: Empresa como a CSU, a qual realiza a administração operacional de Cartões em regime de terceirização, englobando todo o ciclo operacional dos Cartões, desde a autorização de operações, até o processamento dos Cartões, a administração de faturas, o suporte técnico e operacional, a cobrança, prevenção a fraudes, o controle operacional e contábil, o desenvolvimento, manutenção de sistemas e o atendimento a portadores de necessidades especiais, (Call Center) CardSystem: Unidade de Negócios da CSU responsável pela administração de Cartões Cartões: Diferentes meios eletrônicos de pagamento na modalidade de cartões de crédito, débito, cartões de Private Label, cartões híbridos e vouchers de pagamentos. Cartão de crédito: Com bandeira (Visa, Mastercard ou American Express) e atrelado a uma linha de crédito. Cartão Private Label: Utilizado por grandes marcas, principalmente no setor varejista. Cartão híbrido (FLEX): Une a funcionalidade do cartão de crédito com o cartão Private Label. Destinado ao atendimento de nichos de mercado, em que se busca agregar valor adicional diferenciado para o usuário por meio de serviços conjuntos do banco emissor e 20
  21. 21. da organização parceira que tem sua marca impressa no cartão junto com a marca do banco emissor. Principal Mercado da CardSystem: Mercado de administração de cartões de crédito em regime de terceirização, excluídos, portanto, os cartões de crédito administrados internamente pelos Emissores de Cartão e os cartões de crédito administrados por Administradoras de Cartão que sejam pertencentes ao mesmo grupo econômico do respectivo Emissor de Cartão. Credit&Risk: Unidade de Negócios da CSU responsável pelos serviços de análise e aprovação de crédito e cobrança de valores Gestão baseada em procurement: A gestão baseada procurement tem o objetivo de tornar o processo de negociação com fornecedores mais ágil e eficiente utilizando-se de padrões e estratégias de negociação. MarketSystem: Unidade de Negócios da CSU responsável pela desenvolvimento e gestão operacional de programas de marketing de relacionamento e fidelização. PA´s: Posições de Atendimento. CSU.Contact: Unidade de Negócios da CSU responsável pelos serviços de gestão e operacionalização de Call Centers. 21
  22. 22. ANEXOS Balanço Patrimonial Código da Conta Descrição da Conta 30/6/2009 30/6/2008 1 Ativo Total 305.633 298.696 1.01 Ativo Circulante 76.005 83.222 1.01.01 Disponibilidades 494 2.674 1.01.02 Créditos 50.278 60.522 1.01.02.01 Clientes 49.768 60.256 1.01.02.02 Créditos Diversos 510 266 1.01.03 Estoques 2.026 2.191 1.01.04 Outros 23.207 17.835 1.01.04.01 Imp. Renda e Contribuições a Compensar 20.132 15.733 1.01.04.02 Imp. Renda e Contr. Social Diferidos - - 1.01.04.03 Outras Contas a Receber 3.075 2.102 1.02 Ativo Não Circulante 229.628 215.474 1.02.01 Ativo Realizável a Longo Prazo 62.511 44.520 1.02.01.01 Créditos Diversos 12.179 1.328 1.02.01.01.01 Contas a Receber de Clientes 14.633 3.445 1.02.01.01.02 Prov. p/ Créditos de Liquidação Duvidosa (2.454) (2.117) 1.02.01.02 Créditos com Pessoas Ligadas - - 1.02.01.02.01 Com Coligadas e Equiparadas - - 1.02.01.02.02 Com Controladas - - 1.02.01.02.03 Com Outras Pessoas Ligadas - - 1.02.01.03 Outros 50.332 43.192 1.02.01.03.01 Imp. Renda e Contr. Social a Compensar 1.882 11.013 1.02.01.03.02 Imp. Renda e Contr. Social Diferidos 9.237 6.761 1.02.01.03.03 Imp. Renda e Contr. Social s/ base negativa 10.524 5.789 1.02.01.03.03 Depósitos Judiciais 28.115 18.784 1.02.01.03.04 Outros 574 845 1.02.02 Ativo Permanente 167.117 170.954 1.02.02.01 Investimentos 184 184 1.02.02.01.01 Participações Coligadas/Equiparadas - - 1.02.02.01.02 Participações Coligadas/Equiparadas-Ágio - - 1.02.02.01.03 Participações em Controladas - - 1.02.02.01.04 Participações em Controladas - Ágio - - 1.02.02.01.05 Outros Investimentos 184 184 1.02.02.02 Imobilizado 45.590 50.354 1.02.02.03 Intangível 121.343 68.540 1.02.02.04 Diferido - 51.876 22
  23. 23. Balanço Patrimonial Código da Conta Descrição da Conta 30/6/2009 30/6/2008 2 Passivo Total 305.633 298.696 2.01 Passivo Circulante 95.107 92.024 2.01.01 Empréstimos e Financiamentos 46.366 47.365 2.01.01.01 Empréstimos e Financiamentos 36.499 - 2.01.01.02 Leasing a pagar 9.867 - 2.01.02 Debêntures - - 2.01.03 Fornecedores 19.145 18.028 2.01.04 Impostos, Taxas e Contribuições 5.840 5.050 2.01.04.01 Tributos a pagar 4.372 2.01.04.02 Programa de Recuperação Fiscal - REFIS 1.468 - 2.01.05 Dividendos a Pagar - - 2.01.06 Provisões 23.756 21.581 2.01.06.01 Salários e Encargos sociais 23.636 20.994 2.01.06.02 Participação de Administradores - 122 2.01.06.03 Outras 120 465 2.01.07 Dívidas com Pessoas Ligadas - - 2.01.08 Outros - - 2.02 Passivo Não Circulante 74.023 83.916 2.02.01 Passivo Exigível a Longo Prazo 74.023 83.916 2.02.01.01 Empréstimos e Financiamentos 31.612 53.273 2.02.01.01.01 Empréstimos e Financiamentos 20.032 - 2.02.01.01.02 Leasing a pagar 11.580 - 2.02.01.02 Debêntures - - 2.02.01.03 Provisões 30.414 21.045 2.02.01.04 Dívidas com Pessoas Ligadas - - 2.02.01.05 Adiantamento para Futuro Aumento Capital - - 2.02.01.06 Outros 11.997 9.598 2.02.01.06.01 Tributos a pagar 1.626 9.598 2.02.01.06.02 Programa de Recuperação Fiscal - REFIS 10.371 - 2.03 Resultados de Exercícios Futuros - - 2.05 Patrimônio Líquido 136.503 122.756 2.05.01 Capital Social Realizado 129.232 129.232 2.05.02 Reservas de Capital 55 145 2.05.03 Reservas de Reavaliação - - 2.05.03.01 Ativos Próprios - - 2.05.03.02 Controladas/Coligadas e Equiparadas - - 2.05.04 Reservas de Lucro (524) - 2.05.04.01 Legal - - 2.05.04.02 Estatutária - - 2.05.04.03 Para Contingências - - 2.05.04.04 De Lucros a Realizar - - 2.05.04.05 Retenção de Lucros (524) - 2.05.04.06 Especial p/ Dividendos Não Distribuídos - - 2.05.04.07 Outras Reservas de Lucro - - 2.05.05 Ajustes de Avaliação Patrimonial - - 2.05.05.01 Ajustes de Títulos e Valores Mobiliários - - 2.05.05.02 Ajustes Acumulados de Conversão - - 2.05.05.03 Ajustes de Combinação de Negócios - - 2.05.06 Lucros/Prejuízos Acumulados 7.740 (6.621) 2.05.07 Adiantamento para Futuro Aumento Capital - - 23
  24. 24. DRE 01/04/2009 a 01/04/2008 a Código da Conta Descrição da Conta 30/06/2009 30/06/2008 3.01 Receita Bruta de Vendas e/ou Serviços 108.612 96.861 3.02 Deduções da Receita Bruta (8.117) (6.649) 3.03 Receita Líquida de Vendas e/ou Serviços 100.495 90.212 3.04 Custo de Bens e/ou Serviços Vendidos (75.061) (72.145) 3.05 Resultado Bruto 25.434 18.067 3.06 Despesas/Receitas Operacionais (18.516) (14.801) 3.06.01 Com Vendas - - 3.06.02 Gerais e Administrativas (14.720) (10.027) 3.06.03 Financeiras (2.698) (4.007) 3.06.03.01 Receitas Financeiras 1.461 972 3.06.03.02 Despesas Financeiras (4.159) (4.979) 3.06.04 Outras Receitas Operacionais 1.537 158 3.06.05 Outras Despesas Operacionais (2.635) (925) 3.06.05.01 Gastos com reestruturação (1.707) - 3.06.05.02 Outras (928) (925) 3.06.06 Resultado da Equivalência Patrimonial - - 3.07 Resultado Operacional 6.918 3.266 3.08 Resultado Não Operacional - (17) 3.08.01 Receitas - - 3.08.02 Despesas - (17) 3.09 Resultado Antes Tributação/Participações 6.918 3.249 3.10 Provisão para IR e Contribuição Social (3.481) (1.491) 3.11 IR Diferido 1.084 360 3.12 Participações/Contribuições Estatutárias 251 - 3.12.01 Participações - - 3.12.02 Contribuições - - 3.13 Reversão dos Juros sobre Capital Próprio - - 3.15 Lucro/Prejuízo do Período 4.772 2.118 24
  25. 25. Fluxo de Caixa 01/04/2009 a 01/04/2008 a Código da Conta Descrição da Conta 30/06/2009 30/06/2008 4.01 Caixa Líquido Atividades Operacionais 17.540 18.964 4.01.01 Caixa Gerado nas Operações 16.374 11.386 4.01.01.01 Lucro Líquido (Prejuízo) do período 4.772 2.118 4.01.01.02 Depreciação e amortização 8.960 8.533 4.01.01.03 Valor residual dos ativos baixados 16 (138) 4.01.01.04 Juros e variações monetárias 2.626 873 4.01.02 Variações nos Ativos e Passivos 3.073 9.567 4.01.02.01 Contas a receber (150) 2.064 4.01.02.02 Estoques 86 56 4.01.02.03 Depósitos Judiciais (1.425) (942) 4.01.02.04 Outros Ativos 1.929 671 4.01.02.05 Fornecedores (3.335) 3.225 4.01.02.06 Salários e encargos sociais 3.601 (3.405) 4.01.02.07 Provisão para contingências 2.834 741 4.01.02.08 Outros Passivos (467) 7.157 4.01.03 Outros (1.907) (1.989) 4.01.03.01 Juros pagos (1.907) (1.989) 4.02 Caixa Líquido Atividades de Investimento (6.783) (5.277) 4.02.01 Aquisição de bens (6.783) (5.277) 4.03 Caixa Líquido Atividades Financiamento (11.753) (12.807) 4.03.01 Ingresso de empréstimos e financiamentos (11.229) (12.807) 4.03.02 Aquisição de ações em tesouraria (524) - 4.04 Variação Cambial s/ Caixa e Equivalentes 4.05 Aumento(Redução) de Caixa e Equivalentes (996) 880 4.05.01 Saldo Inicial de Caixa e Equivalentes 1.490 1.794 4.05.02 Saldo Final de Caixa e Equivalentes 494 2.674 25

×