O Beijo Waldemar Cordeiro Movimento Neoconcreto
Movimento Neoconcreto <ul><li>A ruptura neoconcreta na arte brasileira, 1959, acontece com a publicação do Manifesto Neoco...
Movimento Neoconcreto <ul><li>Grupo Ruptura </li></ul><ul><li>Grupo liderado por Waldemar Cordeiro; </li></ul><ul><li>O gr...
Movimento Neoconcreto <ul><li>Para eles, toda obra de arte possui uma base racional, em geral matemática, o que a transfor...
Movimento Neoconcreto <ul><li>O percurso artístico de Waldemar Cordeiro é marcado pelos várias dúvidas que marcaram a arte...
Waldemar Cordeiro <ul><li>“  Uma crise de cunho existencialista, aliada à dispersão do Grupo Ruptura, marcariam um novo di...
Waldemar Cordeiro <ul><li>“ Outros pressupostos passam a nortear o seu trabalho a partir de então: busca de novas estrutur...
objeto cinético eletromecânico O Beijo - 1967
Conceitos <ul><li>ready made </li></ul><ul><li>Conceito dadaísta aplicado pelo artista Marcel Duchamp. Esse conceito refer...
Conceitos <ul><li>Arte Cinética  </li></ul><ul><li>Termo cinético está etimologicamente ligado à idéia de movimento.  </li...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Arte e tecnologia

5.615 visualizações

Publicada em

Arte e Tecnologia: Waldemar Cordeiro

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.615
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.467
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Arte e tecnologia

  1. 1. O Beijo Waldemar Cordeiro Movimento Neoconcreto
  2. 2. Movimento Neoconcreto <ul><li>A ruptura neoconcreta na arte brasileira, 1959, acontece com a publicação do Manifesto Neoconcreto, e deve ser compreendida a partir do movimento concreto no país, que remonta ao início da década de 1950 e aos artistas dos Grupos: </li></ul><ul><li>Frente, no Rio de Janeiro, </li></ul><ul><li>Ruptura, em São Paulo. </li></ul>
  3. 3. Movimento Neoconcreto <ul><li>Grupo Ruptura </li></ul><ul><li>Grupo liderado por Waldemar Cordeiro; </li></ul><ul><li>O grupo defende a autonomia de pesquisa com base em princípios claros e universais, capazes de garantir a inserção positiva da arte na sociedade industrial. </li></ul><ul><li>Para um artista concreto, o objeto artístico é simplesmente a concreção de uma idéia perfeitamente inteligível, cabendo à expressão individual lugar nulo no processo artístico. </li></ul>
  4. 4. Movimento Neoconcreto <ul><li>Para eles, toda obra de arte possui uma base racional, em geral matemática, o que a transforma em &quot;meio de conhecimento dedutível de conceitos&quot;. </li></ul><ul><li>No âmbito da pintura, esses princípios correspondem à crítica do ilusionismo pictórico, à recusa do tonalismo cromático e à utilização dos recursos ópticos para a criação do movimento virtual. </li></ul>
  5. 5. Movimento Neoconcreto <ul><li>O percurso artístico de Waldemar Cordeiro é marcado pelos várias dúvidas que marcaram a arte no século XX. </li></ul><ul><li>Apesar de sua formação clássica, inicialmente comunga com os ideais das vanguardas européias: primeiro o expressionismo, adiciona elementos do cubismo e ensaia composições abstratas informais, que logo se tornam geométricas, indicando sua adesão a princípios construtivos. </li></ul><ul><li>“ Como um dos fundadores e teóricos do Concretismo no Brasil no início dos anos 50, Cordeiro formula e assina, juntamente com os artistas de São Paulo, o Manifesto Ruptura em 1952. </li></ul>
  6. 6. Waldemar Cordeiro <ul><li>“ Uma crise de cunho existencialista, aliada à dispersão do Grupo Ruptura, marcariam um novo direcionamento nas preocupações de Waldemar Cordeiro a partir da década de 1960. </li></ul><ul><li>O artista revê criticamente o Concretismo, incorpora questionamentos advindos das chamadas tendência neofigurativas. </li></ul><ul><li>Esse seria um passo decisivo para o rompimento com a especificidade dos meios artísticos através da produção de objetos, que adotam procedimentos próximos às operações ready-made, bem como elementos da pop arte e da arte cinética. “4 </li></ul>
  7. 7. Waldemar Cordeiro <ul><li>“ Outros pressupostos passam a nortear o seu trabalho a partir de então: busca de novas estruturas significantes, abordagens dos problemas sociais, crítica à alienação do indivíduo e ao consumismo imposto pelos meios de comunicação de massas e proposta de apresentação das coisas do mundo na obra de arte, ao invés da sua representação.” </li></ul><ul><li>O trabalho de Waldemar Cordeiro sofre uma nova e radical mudança de rumo a partir de 1968. O artista abandona definitivamente a produção de objetos e passa a se dedicar à investigação das possibilidades de utilização artística do computador. A radicalidade dessa mudança, no entanto, dá-se apenas ao nível dos resultados de suas especulações, pois em termos conceituais a arte eletrônica veio, em grande medida, apenas ampliar e atualizar questionamentos que já o acompanhavam de longa data. </li></ul>
  8. 8. objeto cinético eletromecânico O Beijo - 1967
  9. 9. Conceitos <ul><li>ready made </li></ul><ul><li>Conceito dadaísta aplicado pelo artista Marcel Duchamp. Esse conceito refere-se ao uso de objetos industrializados no âmbito da arte, desprezando noções comuns à arte histórica como estilo ou manufatura do objeto de arte, e referindo sua produção primariamente à idéia. </li></ul><ul><li>O ready-made é uma manifestação ainda mais radical da intenção de Marcel Duchamp de romper com a artesania da operação artística, uma vez que se trata de apropriar-se de algo que já está feito: escolhe produtos industriais, realizados com finalidade prática e não artística (urinol de louça, pá, roda de bicicleta), e os eleva à categoria de obra de arte. </li></ul>
  10. 10. Conceitos <ul><li>Arte Cinética </li></ul><ul><li>Termo cinético está etimologicamente ligado à idéia de movimento. </li></ul><ul><li>A especificidade da arte cinética, dizem os estudiosos, é que nela o movimento constitui o princípio de estruturação. </li></ul><ul><li>O cinetismo rompe assim com a condição estática da pintura, apresentando a obra como um objeto móvel, que não apenas traduz ou representa o movimento, mas está em movimento. </li></ul>

×