Não há quem
aguente a água suja
empoçada na Rua
João Asfora, Ilha do
Leite, próximo ao
Empresarial Albert
Einstein”, Newto...
Diretor Superintendente
Rodolfo Pereira Tourinho
Diretor
Eduardo Amorim de Lemos
Diretor de Redação
Ivanildo Sampaio
Diret...
Marcos Oliveira
msantana@jc.com.br
A
criação de um Fundo
Estadual de Apoio ao
Desenvolvimento dos
Municípios (FEM) voltado...
k Marília no momento divã
Em uma campanha eleitoral, não basta o chefe de um
grupo político abençoar este ou aquele candid...
Recife I 6 de junho de 2014 I sexta-feira política jornal do commercio 5
k Frase
k Aécio ganha apoio de dissidentes
Dois políticos alagoanos têm sido apontados, nos
bastidores, como novos favorit...
NamoradosDiados
R$ 300
em compras
umacamisa
exclusivadoBrasil.
Negro terá cota em comercial
k rápidas
EdmarMelo/JCImagem
A...
Dos deuses...
k Esmola grande...
k Com as cores do Brasil
Com um show de Bell Marques, domingo, no aterro da
Praia de Irac...
Entidade
internacional diz
que protestos
são reprimidos
com violência
Alckmin acusa a
greve de criar caos
k rápidas
www.jc...
Fingimos ser um
país com ambição
de grandeza,
mas nos
contentamos com
tão pouco que os
governantes se
recusam
a ouvir crít...
“
“
Não bastasse a constante
falta d’água em Maria
Farinha, Paulista, agora
temos que conviver com o
descaso da Compesa. O...
internacional
K
ANO – Quatro pes-
soas morreram on-
tem devido a explo-
são de um carro-bomba nos
arredores da casa de um ...
cidadescidades
Cortejo
segue o
som da
sanfona
q Mais na web
k Via Mangue vai
permitir percurso de 5
km em 7,5 minutos k 4
...
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014

1.650 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.650
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jc 06062014 8afab6e5f4994852515c30228ba0df0606062014

  1. 1. Não há quem aguente a água suja empoçada na Rua João Asfora, Ilha do Leite, próximo ao Empresarial Albert Einstein”, Newton Rodrigo. k página 11 q esportes q especial Caderno aborda possibilidades proporcionadas pela evolução do setor elétrico, que, no Brasil, vive um momento de crise. k 1 a 8 Previsão de 5 km em 7,5 minutos Estado já vive clima junino, com shows pelo Recife e também no interior. Confira a agenda. k caderno C 6, 7,8 e 10 Cláudio Amaro Gomes e seu filho, que estão presos no Cotel, se recusaram a falar com delegado ontem. k cidades 2 Após reunião com o prefeito Geraldo Julio, consórcio disse estar aberto para conversar sobre empreendimento. k cidades 6 exemplardoassinante A revolução da energia k voz do leitorTemporada do forró esquenta Pernambuco Acusados de matar Artur só falam em juízo Novo Recife admite rever o projeto SEXTA-FEIRA ProUni vai oferecer 115 mil bolsas “ DeacordocomaCTTU,motoristaqueutilizarViaManguenohoráriodepicofarápercursodaponte estaiadaàAv.AntônioFalcãoemumtempooitovezesmenorqueodaAv.DomingosFerreira. k cidades 4 As vagas serão ofertadas pelo governo federal em 22.943 cursos de 943 instituições privadas de ensino superior do País. Inscrições para concorrer ao benefício serão realizadas entre 9 e 11 deste mês. k página 8 Punição do Santa Cruz é reduzida Pleno do STJD diminuiu de cinco para três o número de partidas que a equipe terá de cumprir no Estádio do Arruda com portões fechados, na Série B do Brasileiro. Os corais já cumpriram duas. k 6 VanderleiAlmeida/AFP Brasil joga hoje de olho na estreia Amistoso contra a Sérvia no Morumbi é uma prévia do que a equipe vai enfrentar contra a Croácia, na próxima quinta-feira, na abertura da Copa do Mundo, na Arena Corinthians. k 1 a 4 k VIA MANGUEDaniNeves/JCImagem ZONA SUL Novo corredor viário, que pode ser inaugurado pela Prefeitura do Recife no domingo, vai funcionar no sentido Centro-subúrbio k Recife, 6 de junho de 2014 www.jconline.com.br -ano 96 - número 157 - R$ 1,80
  2. 2. Diretor Superintendente Rodolfo Pereira Tourinho Diretor Eduardo Amorim de Lemos Diretor de Redação Ivanildo Sampaio Diretor Adjunto de Redação Laurindo Ferreira Editora-Executiva Maria Luíza Borges Diretora Comercial Roseane Gonçalves Diretora Administrativo Financeiro Luciane Sallas Diretor Industrial Satyro Gil Diretora de Mercado Leitor Verônica Barros DIRETORIA EXECUTIVA Se em 2013 as vendas de vinho do Porto para o Brasil caíram 8,6%, nos primeiros quatro meses de 2014 as importações do produto português ainda não encontraram o caminho do crescimento. Karol Pacheco kpacheco@jc.com.br O que já vem sendo for- matado ao longo dos últimos sete anos, com os editais do audiovisual do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultu- ra), agora é lei. Foi publicado ontem, no Diário Oficial do Estado, o decreto sancionado pelo governador João Lyra Neto, que promulga a Lei 15.307, de 4 de junho de 2014. “Na prática, fazemos isso desde 2007. A diferença é que agora todo o processo não de- pende apenas de vontade polí- tica, mas deve ser assumido por qualquer governo vindou- ro”, explica Carla Francine, coordenadora de Audiovisual da Fundarpe. Antes de ser legislado, o projeto foi submetido à am- plos debates com a classe ar- tística, nos quais foram discu- tidos tanto os detalhes do Edi- tal do Audiovisual quanto os planos de distribuição dos re- cursos. Durante o processo de formatação da proposta, parti- ciparam das reuniões, realiza- das na Secretaria da Casa Ci- vil, representantes da Federa- ção Pernambucana de Cine- clubes (Fepec), da Associação Brasileira de Cinema de Ani- mação (ABCA), da Associação Pernambucana de Cinema (Apec) e trabalhadores do se- tor audiovisual. As entidades convocaram ainda audiências públicas na Fundação Joa- quim Nabuco (Fundaj). Entre os princípios assegu- rados no documento, estão a liberdade de expressão e cria- ção artística, e a transparên- cia nos processos de seleção dos produtos incentivados e na destinação dos recursos pa- ra o audiovisual. Os valores para o incentivo da preservação, formação, di- fusão e produção do audiovi- sual pernambucano já tinham sido estipulados no 8º artigo da Lei 15.225, de 30 de dezem- bro de 2013. Do montante de R$ 33,5 milhões reservados ao Funcultura, um aporte de R$ 11,5 milhões se destina ao fomento do setor. Os reajus- tes sobre esse valor serão defi- nidos a partir de decretos do governo. Um dos principais capítu- los estabelecidos no decreto se refere ao Conselho Consul- tivo Audiovisual, que deve ser instalado em até 60 dias. Além da classe dos realizado- res e produtores, serão incor- porados à comissão nove re- presentantes do poder públi- co, inclusive das secretarias de Educação, de Ciência e Tecnologia e de Desenvolvi- mento Econômico. “Além da Cultura, outras secretarias fo- ram envolvidas. Quando o au- diovisual entra na pauta des- ses órgãos, a captação de re- cursos é facilitada. Mas este conselho é responsável ape- nas pelas avaliação das políti- cas públicas”, pontua Carla Francine, assinalando que a comissão deliberativa de análi- se dos projetos permanecerá composta por pessoas qualifi- cadas e com experiência com- provada na área, sendo forma- da por 70% de profissionais de outros Estados. k Arte em todo muro Queda de 4,4% k Em defesa do São Francisco Rua e Eleição A polêmica da venda do terreno do Cais José Estelita para construção do complexo Novo Recife, que agitou o Recife esta semana, fez emergir os impasses de legislações descoladas da realidade, que já foram mexidas e remexidas e agora mais parecem colchas de retalhos. Uma delas é a Lei de Uso e Ocupação do Solo, de 1996, e a outra é a de licenciamento de obras e concessão de alvará, que sofreu quatro alterações (as de números 16.886/2003; 16.953/2004; a 17.143/2005 e a 17.773/2012). As discussões para reformulá-las já vêm ocorrendo, mas é cada vez mais urgente uma proposta clara, que diga objetivamente o que pode e o que é proibido se construir na cidade. Sabe-se que a Gerência de Normatização da Secretaria de Licenciamento e Urbanismo elabora minuta para reformular a lei dos alvarás. Se tivesse sido feito nas gestões anteriores, todo o transtorno teria sido evitado. Em busca de combustíveis verdes VENDA AVULSA PE..........Outros Estados Dias úteis..........R$ 1,80 ....R$ 4,80 Domingos R$ 3,00 R$ 6,00 Exemplares Atrasados R$ 6,00 R$ 6,00 Editores de Arte e Infografia: Bruno Falcone Stamford bfalcone@jc.com Fabiana Martins fmartins@jc.com.br Karla Tenório ktenorio@jc.com.br Fale conosco: (81) 3413.6482 O Projeto Avenida Colorida, que visa grafitar tapumes de obras da construção civil na região metropolitana, já pintou sete murais em Boa Viagem, Pina, Ilha do Leite e Barra de Jangada. É desenvolvido pela RioAve e Tintas Iquine, em parceria com o artista plástico grafiteiro Galo de Souza. Missão incluirá São Paulo e Recife Maurício Romão debate, hoje, o tema O movimento de rua no Brasil e os seus reflexos nas eleições de 2014, com a juventude do Democratas. Encontro reúne jovens de todo o Estado no Hotel Cult, em Boa Viagem. Leitor Fábio Júnior da Silva questiona: “Agora que Evandro Avelar é secretário estadual das Cidades, poderia explicar por que até hoje Jaboatão dos Guararapes não tem o VEM nos ônibus municipais?” MERCADO NACIONAL Engenho de Mídia Recife (81) 3126.8181 São Paulo (11) 3854.9030 Brasília (61) 3328.5683 Rio de Janeiro (21) 2213.0904 www.engenhodemidia.com.br capa dois ASSINATURAS Grande Recife .................Interior s/classificados Diária anual R$ 719,40 ............................................R$ 691,00 Diária semestral R$ 359,70 ..........................................R$ 345,00 Fins de semana anual R$ 249,60 .........................................R$ 240,00 Editor-assistente de abertura: Diana Moura diana@jc.com Editor-assistente de fechamento: Rafael Carvalheira rvieira@jc.com Fale conosco: (81) 3413.6408 Pesquisadores terão 2 meses para submeter propostas Os exemplares do Jornal do Commercio de venda avulsa não são comercializados diretamente ao público. Neste caso, a venda é feita por bancas de terceiros devidamente autorizados pelas prefeituras, agentes autônomos e representantes comerciais credenciados (pessoas jurídicas), que adquirem o jornal para revenda ao público. As assinaturas, com entrega domiciliar, são vendidas por representantes autônomos, empresas prestadoras de serviço e funcionários da Editora Jornal do Commercio. MaxLevay/EspecialparaoJC De Antonio Lavareda, na Universidade de Brasília, ao debater as Perspectivas das Eleições 2014: “Esta é a primeira eleição que a presidenta Dilma enfrenta”. Para ele, 2010 foi disputa do então presidente Lula. IgoBione/JCImagem B RASÍLIA – O Minis- tério da Ciência, Tec- nologia e Inovação publica nesta sexta-feira um edital com novos recursos para os Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCTs). Será o maior edital de sua história: uma chamada de R$ 642 milhões para renova- ção do programa de INCTs. Dezenas de projetos, com duração de seis anos, deve- rão ser selecionados até o iní- cio de 2015, com potencial para receber até R$ 10 mi- lhões cada. O governo federal será res- ponsável por R$ 300 mi- lhões e o restante será finan- ciado por fundações esta- duais de amparo à pesquisa. Na edição passada, em 2008, três entidades partici- param do processo. Dessa vez, são 14 – a Fapesp (Fun- dação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) fez a maior contribuição, com R$ 100 milhões. Num segundo momento, as atividades de pesquisa po- derão receber ainda um aporte adicional de entida- des públicas ou privadas. Os projetos terão duração de seis anos e cada um deles po- derá receber até R$ 10 mi- lhões. Entre as áreas prioritárias, estão as de tecnologias am- bientais, segurança pública e nanotecnologia. Segundo o governo, a área de mar e An- tártida não está prevista por- que houve um edital específi- co para o setor em 2010. Os pesquisadores terão dois meses para submeter as propostas, e o resultado será divulgado em março de 2015. O ministro Clélio Cam- polina e o presidente do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientí- fico e Tecnológico), Glau- cius Oliva, fizeram balanço positivo do trabalho dos es- tudos financiados na edição anterior. Entre 2009 e 2013, esses pesquisadores publicaram 34.210 artigos em periódicos nacionais e internacionais in- dexados. Segundo Oliva, es- se montante representa 20% de toda a produção científi- ca brasileira no período. “São resultados excepcio- nais. É uma forma de mobili- zar o grupo mais qualifica- do. E dar um salto no conhe- cimento científico brasilei- ro”, disse o ministro. SEM PATENTES Por outro lado, no mesmo período não houve conces- são de nenhuma patente a es- ses institutos para pedidos feitos a partir de 2008. “As patentes no Brasil atualmente demoram de oi- to a dez anos, até 12, depen- dendo da área em que se aplicam”, ponderou Oliva. O edital com as regras pa- ra financiamento de pesqui- sas está publicado na edição desta sexta no Diário Oficial da União. Quem entende a lei? Constatação “Eu viro carranca pra defender o Velho Chico”. Esse é o slogan do Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco, em campanha para integrar as discussões destinadas a reverter a degradação ambiental, através do Conselho Gestor do Programa da Revitalização do Rio, instituído em 2004 pelo Governo Federal. Entidades de produtores de biocombustíveis dos EUA e do Brasil planejam realizar missão comercial conjunta inédita. repórter jc Noticiário nacional Agência Estado (AE), Agência Globo (AG), Folhapress Noticiário internacional Agência France Presse (AFP) Central de atendimento ao leitor Grande Recife: 3413.6100 Interior e outros Estados: 0800-081-5100 Horários 6h30 às 18h30 - 2ª a 6ª feira 6h30 às 11h30 - Sábados, domingos e feriados e-mail: atendimento@jc.com.br Endereço Rua da Fundição, 257 - Santo Amaro Recife - PE CEP: 50.040.100 Pabx: 3413.6110 Redação: 3413.6174 Fax: 3413.6430 PRESIDENTE João Carlos Paes Mendonça R$ 642 milhões para ciência e tecnologia k Expediente por e-mail: reporterjc@jc.com.br / cicerobelmar@ig.com.br jornal do commercio ABR INVESTIMENTO Maior edital da história será lançado hoje pelo ministério e tem como áreas prioritárias tecnologias ambientais, segurança pública e nanotecnologia Fale conosco: (81)3413.6174 www.jconline.com.br VEM Sancionada a Lei do Audiovisual Fundarpe FRANCINE Coordenadora ressalta que houve amplo debate kwww.jconline.com.br CAMPOLINA Para ministro, edital é uma forma de mobilizar o grupo mais qualificado Ela está prevista para ocorrer de 30 de setembro a 2 de outubro. Mais informações: lgoldman@uschamber.com. 03h58 - 0,9m 10h08 - 1,8m 16h38 - 0,8m 22h49 - 1,8m 05h04 - 0,8m 11h09 - 1,8m 17h38 - 0,7m 23h47 - 1,8m 2 jornal do commercio Recife I 6 de junho de 2014 I sexta-feira
  3. 3. Marcos Oliveira msantana@jc.com.br A criação de um Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios (FEM) voltado para a educação, uma reforma admi- nistrativa na máquina pública doEstado eacriaçãodepolosin- dustriais em Salgueiro e Palma- res foram as principais propos- tas anunciadas, ontem, pelo pré- candidato ao governo de Per- nambuco, senador Armando Monteiro Neto (PTB). As decla- rações foram dadas durante a terceira e última sabatina dos pré-candidatos, promovida pelo Sistema Jornal do Commer- cio de Comunicação (SJCC), em parceria com o SBT, a Folha de S.Paulo e o portal UOL. Ao disparar críticas contra a gestão da educação na rede ofi- cialde ensino, o senador compa- rou os índices de Pernambuco com os do Ceará, afirmando que é dever do Estado promover uma maior articulação com os municípiosnoensinofundamen- tal.“O Ceará, em dez anos,avan- çou de forma muito significati- va. Nos anos iniciais do funda- mental, é o 12º no Brasil, en- quanto Pernambuco é o 18º; nos anos finais, o Ceará é o 7º, e nós somos o 22º", reparou. Armando afirmou, ainda, que um avanço só será possível se forimplantadaumamatrizcurri- cular única, com o Estado ofere- cendo uma série de incentivos para que os municípios se inte- ressem em promover uma me- lhor educação de base. “Existe umacotado ICMSqueétransfe- rida às cidades cearenses, que fi- ca vinculada ao desempenho comaeducação. Temosqueche- gar junto das cidades. Vamos manter o FEM, mas fazer com que ele seja voltado para melho- riasnaestruturada nossaeduca- ção", propôs. O senador revelou que, caso eleito, a medida inicial será uma reforma administrativa da má- quinapública,queadotaráo con- curso público como regra geral de acesso. “São 27 mil funcioná- rios sob contrato temporário. Is- so fere o princípio do mérito do concurso público”, condenou. Nesse sentido, criticou ainda o enxugamento da máquina fei- topelo ex-governador e hoje ad- versário Eduardo Campos (PSB) no final da segunda ges- tão.“Eu teriafeito logonocome- ço. Chegamos a ter 27 secreta- rias. Quantidade não adianta", sublinhou, defendendo uma atuação mais integrada das áreas do governo para que o Es- tado chegue melhor aos municí- pios. O senador denunciou a falta de estrutura da Agência de Regulação de Pernambuco (Ar- pe) como responsável pelo fra- casso da Parceria Público-Priva- da(PPP)da Penitenciáriade Ita- quitinga, na Mata Norte – que está inacabada –, e prometeu concluí-la. Adiantou que, em uma eventual gestão, vai tirar do papel o Arco Metropolitano e requalificar a BR-232 até Ca- ruaru,antes depensarnasuadu- plicação. “A prioridade será o Arco, obra de infraestrutura mais importante para o nosso desenvolvimento”, disse. Questionado pelo internauta Leonardo Bastos quanto à área dasaúde,o senadorcriticou indi- retamente o principal adversá- rio, Paulo Câmara (PSB). “É im- portante ampliar a rede, mas o mais importante é a sua integração e ampliar a quantida- de de médicos”, destacou. Ar- mando Monteiro foi sabatinado pelos jornalistas Antonio Mar- tins,da TV Jornal, GilvandroFi- lho, editor de Política do JC, e Daniel Carvalho, da Folha de S.Paulo. Nos primeiros dois en- contros foram entrevistados os pré-candidatos Zé Gomes Neto, do PSOL, no dia 22 de maio, e Paulo Câmara, do PSB, em 29 do mês passado. “O FEM será voltado para melhorar a estrutura da educação” O senadorArmando Montei- ro (PTB) previu , ontem, após a sabatina, que até o dia 27, quando será realizada a con- venção do partido, o período será de “muitas emoções”. O petebista, que concorrerá ao governo estadual, referiu-se às alianças que podem chegar ao seu grupo, especificamente com o PP e o PDT. Para o sena- dor, a posição contrária de in- tegrantes do PDT estadual não é vista como um empecilho. “O PDT marchará conosco. O Lupi não dará um murro na mesa. Muitos querem cami- nhar conosco, nos ligam, até deputados, mas não querem se indispor com Guilherme Uchoa (presidente da Assem- bleia Legislativa do Estado)”, disse o senador. Armando também conside- ra muito próxima a aliança com o PP. Anteontem, o presi- dente estadual da legenda, de- putado federal Eduardo da Fonte, esteve com o ex-presi- dente Lula em São Paulo. No entanto, o parlamentar não se pronunciou sobre a conversa. Pela manhã, o deputado e candidato ao Senado, João Paulo (PT), em entrevista à JC News, também falou sobre a aliança com o PP. “Está por um cabelinho de sapo”, disse. Na saída, o parlamentar voltou a citar a aliança. “Lula e Dilma vindo aqui, isso também é uma sinalização para o PP, que terá o palanque nacional de Dilma e o local com Arman- do e João Paulo”, completou. João Paulo disse, ainda, sem revelar detalhes, que a conver- sa entre Eduardo da Fonte e Lula pode ser considerada “muito boa”. Entre integrantes do PSB, a aliança com o PP é dada como certa. (M.A.) O deputado federal João Paulo (PT), pré- candidato ao Senado, acusou ontem o prefeito do Re- cife, Geraldo Julio (PSB), de ter descumprido o acordo feito com o Consórcio Novo Recife, que pretende construir 12 tor- res na área do Cais José Esteli- ta. Em entrevista a JC News, o ex-prefeito do Recife disse que o socialista perdeu credibilida- de para fechar novos acordos. “Foi feito um entendimento entre a Prefeitura e os investi- dores que assegurou, em tese, as contrapartidas que a Prefei- tura estava querendo e estava tocando esse projeto. Na medi- daem que vocêsenta numa me- sa e estabelece os acordos e de- pois não tem condição de cum- prir, você fica sem crédito para fazer novos acordos. Essa é a grande questão”, disse João Paulo. O ex-prefeito disse, ainda, que faltou diálogo na elabora- ção do projeto. “É uma respon- sabilidade do prefeito ouvir a população e os movimentos so- ciais. Talvez o que houve é que foi feito um entendimento sem tersegurança de que esseproje- to não seria questionado”, acrescentou. João Paulo declarou, ainda, que Geraldo Julio não pode re- clamar de problemas que en- controu na PCR. “O prefeito tem se especializado em acusa- ções. Inclusive ele participou da nossa gestão. Eu lembro de Geraldo quando ele ia com Ro- berto Gusmão (ex-secretário de Serviços Públicos), cedido do Tribunal de Contas, partici- pou do meu governo oito anos. No governo de João da Costa, que eles mais criticam, eles ti- nham o vice, Milton Coelho, e deuma horapara outra, elepas- sa a desconhecer”, declarou. No final da reunião com re- presentantes do Consórcio, o prefeito Geraldo Julio afirmou que não foi feito nenhum acor- do. “O que há é a necessidade de discutir com a sociedade, fa- zer um governo democrático e isso a gente sabe fazer”, disse. (M.A.) política Dilma na Via Mangue, dia 13 Mariana Araújo maraujo@jc.com.br A abertura ao tráfego da Via Mangue poderá fi- carpara o dia 13, na vi- sita que a presidente Dilma Rousseff (PT) fará a Pernam- buco. A agenda da presidente também passou por altera- ções. A plenária com integran- tes dos partidos aliados, previs- ta para o sábado (14), foi ante- cipada para a sexta às 19h. Dil- ma deverá chegar no início da tarde e visitar a Via Mangue às 14h. Em seguida, às 16h, parti- cipa da formatura de alunos do Pronatec. Após a plenária, está previsto um jantar na casa do senador e pré-candidato ao governo estadual, Armando Monteiro Neto (PTB), a partir das 21h. A presidente irá per- noitar no Recife. No sábado, pela manhã, estará em Carua- ru na inauguração do Hospital Mestre Vitalino. Dilma deveria ter vindo pa- ra a abertura da Via Mangue ao tráfego de veículos na últi- ma terça-feira (3), porém, ale- gando que a obra não estava pronta, a Prefeitura do Recife remarcou a data para domingo (8), gerando um mal-estar e o cancelamento da viagem. On- tem, o ministro das Cidades, Gilberto Occhi, esteve no Reci- fe para vistoriar a obra. A visi- ta começou às 16h e durou cer- ca de 20 minutos. Participa- ram o prefeito Geraldo Julio (PSB) e o superintendente da Caixa Econômica no Recife, Paulo Neri. Segundo o prefeito Geraldo Julio, a data a abertura para o tráfego pode ser revista. “Visi- tei a obra com o ministro, que ficou de me dar um retorno so- bre a vinda da presidente e a agenda que ela cumprirá na Via Mangue. Com a presença da presidente garantida, nós vamos fazer o ato combinado com o Ministério das Cidades. Depende do Ministério e do gabinete da presidente”, disse. Na segunda-feira, outro mi- nistro deve aportar no Recife. Desta vez, o da Saúde, Arthur Chioro, quevem para um semi- nário do Mais Médicos. Mas há uma pressão de petistas e do Palácio do Campo das Prin- cesas para que vá até Caruaru avaliar a situação do Hospital Mestre Vitalino. Ontem, a Exe- cutiva estadual do PT reuniu- se para começar a desenhar a agenda de Dilma, mas pouco andou. O Teatro Guararapes foi descartado como local por estar com a pauta ocupada. O evento pode ocorrer em casa de recepções ou de shows. A presença do ex-presiden- te Lula foi confirmada por pe- tistas. O líder do PT é aguarda- do no Recife desde abril, para reforçar o palanque de Arman- do Monteiro e do pré-candida- to ao Senado, João Paulo (PT). Lula deve desembarcar no início da noite do dia 13, pois não irá acompanhar a agenda administrativa da presidente. Depois da plenária, o ex-presi- dente deve ir ao jantar na casa do senador. O menu será com- posto por comidas regionais. Lula deve ganhar um “mimo”: sobremesa de filhoses (doce nordestino de origem portu- guesa). k Leia mais em Cidades A presidente Dilma Rousse- ff informou ontem que a ter- ceira fase do programa habita- cional Minha Casa Minha Vi- da (MCMV) deve ter como meta a construção de três mi- lhões de moradias. Em discur- so na reunião do Conselho de Desenvolvimento, Econômi- co e Social (CDES), Dilma dis- se que essa meta pode ser am- pliada para 4 milhões, o que permitiria a entrega de um mi- lhãode habitações por ano. Se- gundo ela, até o momento, o máximo entregue foram 960 mil moradias em um ano. "En- tão é possível chegar a esse número (4 milhões), mas não colocamos como meta. Três milhões é o mais realista que as empresas podem chegar. Meta é aquela que, quando vo- cê vê que vai cumprir, am- plia", disse. Dilma aproveitou o discur- so na reunião do conselho pa- ra fazer um balanço (positivo) do seu governo e da gestão an- terior, do presidente Lula. Editores: Gilvandro Filho gilvandro.filho@jc.com.br Bianca Negromonte bianca@jc.com.br José Accioly jaccioly@jc.com.br Fale conosco: (81) 3413-6182 Twitter: @jc_politica IgoBione/JCImagem Certeza: PDT apoiará IgoBione/JCImagem João Paulo defende o Novo RecifeAlexandreGondim/JCImagem www.jconline.com.br PRÉ-CANDIDATO Armando sugere polos de desenvolvimento em Salgueiro e Palmares Armando quer reformar Estado ADESÃO João Paulo diz que Lula levará PP para a aliança k DIPLOMACIA Prefeito Geraldo Julio muda data para abrir Via Mangue com a presidente Dilma OBRA DE TODOS Depois do mal-estar da semana passada, Palácio do Planalto e PCR atuam para entregar Via ao povo em conjunto Promessade mais3milhões demoradias Recife I 6 de junho de 2014 I sexta-feira jornal do commercio 3
  4. 4. k Marília no momento divã Em uma campanha eleitoral, não basta o chefe de um grupo político abençoar este ou aquele candidato para elegê-lo automaticamente. Eleição não é nomeação. Eleição é um processo muito maior e complexo. É colocar um projeto político-administrativo para o cidadão analisar, julgar e eleger. Ou seja, tem que combinar com o povo primeiro. Em uma campanha, independentemente do cargo que se queira almejar, o político tem que fazer o trabalho de formiguinha: andar por todos os cantos. E bem acompanhado. Nesse sentido, os majoritários precisam, e muito, dos proporcionais. Paulo Câmara, o pré-candidato a governador indicado por Eduardo Campos, conseguiu pelo poder da máquina do PSB atrair 21 partidos para o seu palanque. Mesmo assim, não mobilizou, pelo menos ainda, o grande número de proporcionais que está no seu entorno. O principal condutor dos diálogos políticos com os aliados, Sileno Guedes, tem sido criticado. Em função das inúmeras missões que recebeu no PSB, não consegue dar conta da demanda. Delegou então parte da missão a Renato Thibaut e Antonio Figueira, neófitos nesse papel. E dizem que não estão agradando. Entre os históricos articuladores das campanhas majoritárias do PSB, um grupo está no projeto nacional de Eduardo Campos. O outro, permanece de fora ou está subutilizado. Das duas uma: ou o PSB “amadorizou” ou está confundindo eleição com nomeação. k Armando é monitorado k Com a palavra, o leitor Eleição não é nomeação Na sabatina ao SJCC, Armando Monteiro veio com o marqueteiro Marcelo Simões. Ele acompanhou a performance do pré-candidato a governador com o know-how de quem atuou com Duda Mendonça e João Santana. Se precisasse recorrer a qualquer dado, Armando teria consultado as dez pastas temáticas que levou com o diagnóstico do Estado. João Paulo produz jornal para prestar... A vereadora abdicou do mandato para trabalhar na gestão da Prefeitura do Recife e a sua administração foi pífia. Qual o projeto que a Marília Arraes fez na Câmara? k Sérgio Barbosa Reprodução Paulo descarta ruído com proporcionais Jumariana Oliveira joliveira@jc.com.br O pré-candidato Paulo Câmara (PSB) afir- mou, ontem, que o rit- mo dos candidatos proporcio- nais da frente governista está dentro do que era previsto. Se- gundo ele, a fase de pré-campa- nha não pode ser confundida com o início oficial do período eleitoral, que está marcado para 06 de julho. Para o socialista, o trabalho desempenhando pelos candidatos está satisfatório, ao contrário da versão dos bastido- res de que o PSB está querendo mais empenho dos proporcio- nais. “A gente está em pré-campa- nha é há uma clara confusão de pré-campanha e campanha. Es- tamos na fase de ir aos munici- pios, conversar, fazer o progra- ma de governo, e os proporcio- nais estão fazendo também. A maiorpartevaiestar mais(enga- jado), até porque tem muitos que estão em atividades parla- mentares. Tudo isso está dentro do nosso planejamento”, afir- mou. Ontem, Paulo Câmara partici- pou de uma plenária em Olinda realizada pela deputado federal Luciana Santos (PCdoB) e Mar- celino Granja (PCdoB), que vai disputarum mandatodedeputa- do estadual. O encontro faz par- te do roteiro de eventos que es- tão sendo articulados pelos can- didatos proporcionais e visa ao fortalecimento da imagem de Paulo junto ao eleitorado. Ou- trasduas plenáriasserão realiza- dasnomunicípio. Umé articula- da por Izabel Urquiza (PMDB) e Felipe Carrerras (PSB) e a ou- tra será após a convenção, com Jarbas Vasconcelos e Ricardo Costa, ambos do PMDB. Nos bastidores, os rumores são de que candidatos que vão disputar o legislativo não esta- riam se empenhando da manei- ra necessária,já quePaulo édes- conhecido e não conta com a força de ex-govenador Eduardo Campos (PSB) para alavancar sua postulação. A expectativa era de que o socialista chegasse aos 20% nas pesquisas de inten- çõesdevoto atéodia da conven- ção,marcada para o dia 15 de ju- lho, mas o socialista ainda não registrou o percentual traçado como meta. Para reforçar sua candidatu- ra, o ex-governador Eduardo Campos irá participar da con- venção de Paulo. Mesmo com um conjunto de 20 partidos apoiando a chapa do PSB, os so- cialistas admitem que sem Eduardo no dia do ato, o lança- mento dapostulação não iriage- rar tanta animação. k rápida pinga-fogo Capitania hereditária em alta no Estado Sheila Borges sborges@jc.com.br twitter: @borges_sheila telefone: (81) 3413.6340 Marília Arraes segue utilizando as redes sociais para criticar o centralismo de Eduardo Campos na condução do PSB. Destaca trecho de discurso no qual o avô, o ex-governador Miguel Arraes, diz que o papel de chefe, na política, é um erro. Mas foi por meio do parentesco que a vereadora construiu a carreira. Para se posicionar como independente, tem que dar um passo à frente: virar dissidente ou mudar de lado. RicardoB.Labastier/JCImagem ELEIÇÕES Socialista diz que os potenciais candidatos estão lhe ajudando e que o ritmo das atividades políticas encontra-se dentro do esperado para uma pré-campanha www.jconline.com.br IgoBione/JCImagem O que diz a... ...rádio corredor ...contas de seu mandato. O tom do texto do editorial é quase de despedida. Está certo de que chegará ao Senado em 2015. Maria Beatriz Portugal Vidal é exonerada do cargo de gestora técnica da Agricultura. Deu lugar ao filho, Caio Portugal Vidal. Eita! A briga no PSB: Marília x Eduardo Um dia após a vice-prefeita do Cabo de Santo Agostinho, Edna Gomes (PSD), anunciar seu rompimento de vez com o prefeito Vado da Farmácia (PSB), o socialista decidiu se manifestar. Por meio de nota, Vado alega que Edna tenta se fazer de vítima e que foi a vice-prefeita quem decidiu romper com a gestão. Ela disse ao JC que iria procurar o Tribunal de Contas do Estado para pedir uma auditoria especial dos contratos da prefeitura. “A atual gestão não teme qualquer fiscalização neste sentido, pois age sempre em conformidade e respeito à Legislação”, disse o prefeito na nota. O prefeito ainda enfatizou que mais de 50 obras estão em andamento no Cabo, inclusive com recursos do Fundo de Apoio Desenvolvimento dos Municípios. PAZ Paulo: feliz com ritmo da campanha. Ou pré-campanha política A emenda do vereador Davi Muniz à LDO, tirando os poderes do 1º secretário, reflete a briga de bastidor por espaços na Câmara do Recife. De um lado, Carlos Gueiros. Do outro, Augusto Carreras, o atual 1º secretário. Na atual gestão da Câmara do Recife, Carlos Gueiros perdeu poder e quer recuperá-lo. As reuniões da mesa diretora esquentaram tanto que os dois grupos só participam delas com muita testemunha. Calma, gente! Em nota, Vado da Farmácia rebate críticas de sua vice, hoje desafeta Chapa PSB/PSDB em SP poderá sair hoje M esmo contra a von- tade da ex-minis- tra Marina Silva, o PSB de São Paulo deve apro- var hoje o apoio da sigla aopro- jeto de reeleição do governa- dor Geraldo Alckmin (PSDB). No estado, PSB e PSDB são aliados e a maioria do partido deseja apoiar a reeleição do go- vernador Geraldo Alckmin (PSDB). Uma reunião extraor- dinária convocada pelo presi- dente do partido no Estado, de- putado Márcio França, deve formalizar a opção da sigla pe- la coligação. França é cotado para vice de Alckmin. Marina Silva, no entanto, não aceita o acordo com o PSDB. Ontem, ela disse que continua na torcida para o partido lançar candidatura própria. Ao lado de Marina, Eduardo também afirmou que quer o PSB com candidato em São Paulo, mes- mo sabendoque aestratégia po- deria enfraquecer sua candida- tura presidencial. “Nós, desde o primeiro momento, defende- mos a posição de candidatura própria. Tem gente que traba- lha para viabilizar e tem gente que quer invibilizar, mas não vou passar por cima de quem deve discutir isso nos estados”, afirmou. Ontem, EduardoCampos par- ticipoudo lançamento da candi- datura de Nelsinho Trad (PMDB) ao governo do Mato GrossodoSul.Lá, aRededeMa- rina Silva não quer apoiar o can- didato.Questionada, Marinadis- se que a união com o o PSB só ocorrerá onde for possível. Já Eduardo, disse que o fato de o candidato ser ligado a represen- tantes do agronegócio nãosigni- fica algo negativo. Eduardo e Marina estiveram juntos no en- contro com representantes do Meio Ambiente, que foi organi- zado pelo partido. 4 jornal do commercio Recife I 6 de junho de 2014 I sexta-feira
  5. 5. Recife I 6 de junho de 2014 I sexta-feira política jornal do commercio 5
  6. 6. k Frase k Aécio ganha apoio de dissidentes Dois políticos alagoanos têm sido apontados, nos bastidores, como novos favoritos para a vaga a ser aberta no final do ano, no Tribunal de Contas da União (TCU), com a aposentadoria do ministro José Jorge: o atual governador de Alagoas, Teotônio Vilela Filho (PSDB), e o ministro Aldo Rebelo (Esporte). Ambos são amigos pessoais e, embora tucano, Vilela tem boas relações com a presidenta Dilma, tanto quanto Rebelo. A vaga no TCU estava “reservada” até agora a Ideli Salvatti, secretária de Direitos Humanos. Mas é cada vez mais difícil que isso se confirme. Curiosamente, o ministro e o governador não parecem empenhados pela vaga no TCU. Seus nomes são defendidos por amigos influentes. Teo Vilela e Aldo Rebelo são amigos como eram seus pais, que faziam vaquejada juntos, procurando gado espalhado nas caatingas. “ Depois vão procurar a Corte Interamericana de Direitos Humanos”. Ministro Joaquim Barbosa (STF) ironizando às gargalhadas recurso de mensaleiros Pré-candidato à presidência, Aécio Neves (PSDB) ouviu dos deputados Júlio Lopes (PP) e Leonardo Picciani (PMDB), em sua visita ao Rio, ontem, um relato que considerou “animador” sobre o crescimento de dissidentes dos correligionários que apoiam a reeleição de Dilma. Na última reunião da bancada do PMDB, às vésperas da convenção de terça-feira, somente três deputados defenderam a aliança com o PT. TCU: Vilela e Rebelo no páreo Papagaios ... Gurgel aguarda sabatina no Senado Cecília é cidadã do Recife Ulysses Gadêlha ugadelha@jc.com.br A Câmara Municipal concedeu na tarde de ontem o título de Cidadã do Recife à empresá- ria e publicitária Cecília Frei- tas, natural de Pesqueira. O projeto é de autoria da verea- dora Priscila Krause, em re- conhecimento aos 40 anos da atuação de Cecília no mercado da propaganda per- nambucana. Na plateia estavam familia- res e amigos da empresária, como a secretária municipal de Cultura, Lêda Alves, e o produtor cultural Jomard Muniz de Britto. O vice-pre- sidente do Tribunal Regio- nal do Trabalho, Pedro Pau- lo Nóbrega, e o superinten- dente do Sistema Jornal do Commercio de Comunica- ção, Rodolfo Tourinho, tam- bém prestigiaram o evento. Em uma cerimônia toma- da por um tom familiar, Ce- cília resgatou momentos im- portantes de sua trajetória profissional, voltada para a cultura popular do Recife. A agência de propaganda Gru- ponove, criada na década de 1970, é o destaque de sua car- reira como publicitária. “O diferencial da Gruponove é a empresa ter sido criada por nove mulheres, estudan- tes e sócias. Nós não acredi- távamos no nosso sucesso, mas hoje, após 40 anos, esta- mos consolidadas no merca- do”, declarou. A solenidade, que aconte- ceu no plenário da câmara, foi conduzida pelo presiden- te do legislativo municipal, o vereador Vicente André Go- mes. Ele se disse orgulhoso em conceder a honraria a Ce- cília Freitas. “Foi uma gran- de iniciativa da vereadora Priscila Krause, aprovada por unanimidade nesta ca- sa”, elogiou o vereador. cláudiohumberto Mariana Mesquita mmesquita@jc.com.br P ernambuco passa a contar com mais um representanteno Supe- rior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília. Na última terça, a presidente Dilma Rousseff anunciou sua deci- são de indicar o desembarga- dor federal do Tribunal Regio- nal da 5ª Região (TRF5), Luiz Alberto Gurgel de Faria, de 44 anos, para a vaga aberta com a aposentadoria da minis- tra Eliana Calmon. “Recebi essa notícia com muita honra e satisfação. Pas- sarei a ser o sexto represen- tante do Nordeste no STJ e es- pero usar a minha experiên- cia de 21 anos de magistratura para contribuir com os de- mais membros da Casa”, disse o desembargador, que irá a Brasília na próxima segunda para se reunir com o senador Vital do Rego (PMDB-PB), presidente da Comissão de Constituição e Justiça, para marcar a sabatina obrigatória. “Só depois do meu nome ser aprovado pelos membros da Comissão e pelo plenário do Senado, é que poderá acon- tecer minha nomeação e pos- se”, explicou ele, que enquan- to isso prossegue com suas ati- vidades judiciárias normais no TRF5. O nome do magistrado foi escolhido por Dilma a partir de uma lista tríplice definida pelo próprio STJ, no início de abril. Da relação, constavam ainda os nomes de Reynaldo Soares da Fonseca, do TRF da 1ª Região, e de Messod Azu- lay Neto, do TRF da 2ª Re- gião. Luiz Gurgel já havia sido candidato ao STJ em outras duas ocasiões. Na primeira, não foi escolhido para a lista tríplice. E na segunda, concor- rendo à vaga deixada pelo mi- nistro Castro Meira, a escolha de Dilma recaiu sobre o então desembargador Néfi Cordei- ro, do TRF da 4ª Região, e atualmente ministro do STJ. “No Brasil, excetuando-se os temas constitucionais, quem dá a última palavra nos âmbitos tributário, penal e pri- vado é o STJ, que tem a gran- de missão de unificar e inter- pretar a legislação federal. Pa- ra mim, integrar o STJ é um reconhecimento ao trabalho de toda a minha vida”, afir- mou Gurgel. Professor doutor da UFPE, com vários livros e artigos ju- rídicos, Gurgel é um magistra- do de carreira. Aos 30 anos, se tornou o desembargador fede- ral mais jovem do País, e aos 39 se tornou presidente do TRF5, entre 2009 e 2011. Co- mo marcas de sua gestão, po- dem ser citadas a criação do sistema eletrônico de precatórios, a implantação do Diário da Justiça eletrônico, o desenvolvimento do Processo Judicial Eletrônico (PJe), que é atualmente adotado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Na época, a Corte classifi- cou-se em segundo lugar en- tre os 91 tribunais brasileiros dentro do ranking de dez me- tas do CNJ para 2009, cum- prindo 99,71% delas e se tor- nando o único tribunal fede- ral a entrar na lista dos dez melhores de todo o Judiciá- rio. O candidato a ministro do STJ também foi Juiz do Tra- balho no Rio Grande do Nor- te, desembargador no Tribu- nal Regional Eleitoral de Per- nambuco, diretor da Escola de Magistratura Federal 5ª Região e Corregedor. “Eu sou daquele tipode magistrado na- to, vocacionado. Me apaixo- nei pela área assim que entrei na faculdade”, relembra. www.jconline.com.br RicardoB.Labastier/JCImagem Cláudio Humberto, Teresa Barros e Ana Paula Leitão claudiohumberto@odianet.com.br twitter: @colunaCH MarcosOliveira/AgênciaSenado O Congresso virou extensão do Projac. Andaram por lá Camila Pitanga, Xuxa e Letícia Sabatella. Sempre cercadas de velhos babões e pela ministra Idelli Salvatti (Direitos Humanos), como papagaios de pirata. Lá, como cá ChicoPorto/JCImagem política SOLENE Sessão contou com políticos e amigos de Cecília Vicent Bevins, repórter do jornalão Los Angeles Times no Brasil, disse à GloboNews que sempre leva o “dinheiro do assaltante” no bolso, mas somente foi roubado na riquíssima Beverly Hills em L.A., nos EUA. Não vai dar certo Os adversários do Brasil estão adorando a transmissão ao vivo dos treinos do time do Felipão, principalmente o ensaio de jogadas. Impossível ? Apesar da “máquina federal”, o PSDB sonha com uma reviravolta que coloque em seu colo siglas aliadas de Dilma como PMDB, PP e PSD. Chantagem O Planalto vê nas ameaças de rompimento da base aliada apenas uma tentativa de pressionar para a obtenção de ainda mais vantagens. Suplente Weslian Roriz, mulher do ex-governador, estuda convite para ser suplente de Gim Argello (PTB-DF), candidato a permanecer no Senado Pensando bem ... Pensando bem... ...a Copa terá algum legado se não chover. Se chover terá alagado. O troco Enquadrado pelo vice Michel Temer para abandonar a candidatura ao governo do Piauí, o deputado Marcelo Castro (PMDB) entrou em campanha aberta contra a reedição da aliança com o PT de Dilma. Biblioteca ... Dilma disse a repórteres estrangeiros que adora passear incógnita em Roma e Nova Iorque e é leitora compulsiva no Kindle, espécie de iPad só para livros e jornais – em francês, inglês e espanhol – antes de dormir. Recuo português O primeiro-ministro de Portugal Pedro Passos Coelho não vem mais à Copa dia 14: a Justiça restabeleceu regalias e privilégios que seu governo havia cortado, e a crise na economia pode voltar. Michel é outro A internação do deputado distrital Dr. Michel, em Brasília, fez circular boato de suposto infarto de Michel Temer. ESCOLHA Novo ministro ocupará vaga de Eliana Calmon JUSTIÇA Designado pela presidente Dilma para uma vaga no STJ, o pernambucano Luiz Alberto Gurgel de Faria irá a Brasília acertar o dia de ser arguido pela CCJ 6 jornal do commercio Recife I 6 de junho de 2014 I sexta-feira
  7. 7. NamoradosDiados R$ 300 em compras umacamisa exclusivadoBrasil. Negro terá cota em comercial k rápidas EdmarMelo/JCImagem Ayrton Maciel amaciel@jc.com.br A Assembleia Legislati- va de Pernambuco aprovou dois projetos de lei que vão obrigar, caso o governador João Lyra Neto (PSB) sancione as duas maté- rias, o governo do Estado – a partir de agora – a reservar 50% do elenco nas propagan- das institucionais da adminis- tração pública estadual a ato- res, figurantes e técnicos ne- gros e a tornar público a arre- cadação e as despesas efetua- das pelos concursos públicos realizados por órgãos das ad- ministrações direta e indireta do Estado. A primeira propos- ta – PL nº 752 – é de autoria do 5º suplente de deputado, bispo Ossésio Silva (PRB), da Igreja Universal, que estava em exercício de mandato, em 2012, e só agora foi aprovada. Sancionada a lei, ela estabele- ce a “obrigatoriedade de valo- rização da raça negra nas pe- ças publicitárias veiculadas pela administração pública es- tadual”. O projeto quer garantir, nas peças publicitárias do Estado, a valorização da “raça negra” – expressão do próprio Ossé- sio –, que coloca como justifi- cativa o fato do Censo Demo- gráfico do IBGE, de 2010, ter apontado que metade da po- pulação brasileira é composta por negros e mestiços. “A pro- dução deste tipo de propagan- da deverá conferir a oportuni- dade de emprego para atores, figurantes e técnicos negros. “Este tipo de legislação que garante o negro na propagan- da oficial já existe no Mato Grosso. Pretende atuar contra qualquer forma de racismo ou preconceito”, diz o projeto. Se sancionado também o PL nº 1.566, de 2013, do depu- tado Ricardo Costa (PMDB), os órgãos do Estado ficam obrigados a divulgar a movi- mentação financeira dos con- cursos públicos nas suas pági- nas eletrônicas e disponibili- zar ainda no site da Secretaria de Estado à qual estiverem vinculados. De acordo com a proposta do peemedebista, as institui- ções serão obrigadas a deta- lhar o valor total arrecadado com as inscrições, os gastos com a divulgação, a elabora- ção e correção das provas, a fiscalização do certame, a pu- blicação dos atos oficiais de in- formações referente ao con- curso e os gastos com locais e logística. “Visa a assegurar a transparência da movimenta- ção financeira dos concursos públicos na administração es- tadual. As constituições fede- ral e estadual exigem a publi- cidade dos atos e transparên- cia das ações”, argumenta na justificativa Ricardo Costa. Osuplente Ossésio Silva res- salta, ainda, sobre o projeto de reserva de 50% para a par- ticipação de negros na publici- dade do Estado, que “os meiosde comunicação são ins- trumentos fundamentais de expressão de valores culturais e espelho concreto da realida- de brasileira, e as propagan- das oficiais podem fazer parte desta estratégia”. www.jconline.com.br O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem, em Porto Alegre, que, ao se aproximar o fim do mandato da presidente Dilma Rousseff, é possível afirmar que os dois conseguiram manter coesão nos últimos quatro anos. “Eu e Dilma ficamos juntos sem que houvesse divergências, por mais que tenham tentado (que houvesse)”, afirmou durante palestra na capital gaúcha. Segundo Lula, um ex-presidente tem que se comportar melhor do que um vaso chinês, e não pode ser tão grande a ponto de incomodar aquele que o sucede. “Eu tomei uma decisão de que um ex-presidente, se não puder contribuir, também não deve atrapalhar quem não está governando”, explicou, acrescentando que, na condição de ex-presidente, só se deve dar conselhos “quando solicitado”. Responsável pela cooperação jurídica internacional do Ministério Público Federal (MPF), o procurador Vladimir Aras disse ontem que algumas questões apresentadas pela defesa do ex-diretor de marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato foram derrubadas no início do julgamento que aconteceu na corte de Bolonha, na Itália. Por isso, acredita que houve avanço rumo à extradição do condenado no processo do mensalão. Aras comentou que os advogados do condenado queriam que ele fosse absolvido sumariamente pois todas as 8,4 mil páginas da decisão do processo do mensalão não foram traduzidas para o italiano. Aras participou de toda a sessão de julgamento em Bolonha. Em entrevista publicada ontem no jornal “Valor Econômico”, o ministro Paulo Bernardo, das Comunicações, afirmou que o governo estuda a apresentação de proposta para uma lei geral da comunicação eletrônica, regulamentando os artigos da Constituição que tratam de mídia. Isso incluiria a regionalização de conteúdo nas TVs abertas, como já ocorreu nos canais fechados. Na entrevista, o ministro afirma que a questão da titularidade dos meios de comunicação é menor que a da exigência de conteúdo regional. “Precisamos discutir o conceito de monopólio. Na época em que a Constituição foi feita, em 1988, a situação era outra, as tiragens dos jornais eram muito maiores, e a audiência da TV aberta, bem mais expressiva. Os conceitos daquele tempo talvez não se ajustem aos de hoje”, afirmou Paulo Bernardo. OSSÉSIO 50% do elenco de propaganda para atores negros PROJETO Texto aprovado na Alepe reserva 50% das vagas nos elencos das publicidades oficiais para profissionais negros política Para Lula, houve coesão com Dilma ao longo de todo o mandato dela Procurador do MPF otimista com a extradição do mensaleiro Pizzolato Governo tem quase pronto estudo que regulamenta a comunicação Recife I 6 de junho de 2014 I sexta-feira jornal do commercio 7
  8. 8. Dos deuses... k Esmola grande... k Com as cores do Brasil Com um show de Bell Marques, domingo, no aterro da Praia de Iracema, em Fortaleza, a Fifa vai anunciar que, ufa!, haverá Fan Fest nas 12 cidades da Copa. A última a ser confirmada acabou sendo a de Recife. Acredite: os equipamentos chegaram ao Cais da Alfândega, local da festa, sábado. Por falta de tempo, os patrocinadores, menos a Coca-Cola, não armaram seus estandes. Patrocínio Patrocinadores sofreram unidos a pressão das prefeituras que pediam uma grana extra para montar a festa. Só que as empresas já tinham pagado suas partes à Fifa. Ceará levou... Nessa brincadeira, o Ceará marcou um golaço nesta Copa. Além do evento Fifa, o Estado dos irmãos Cid e Ciro Gomes vai sediar Brasil x México, dia 17. Logo depois, a cúpula dos Brics. No encontro, como se sabe, estarão os presidentes de China, Índia, Rússia e Brasil. No mais O governador Jaques Wagner exonerou, ontem, o major Enéas Estrela, da PM, que, numa festa da Secretaria de Segurança da Bahia, foi filmado dançando o Lepo-Lepo. Se a moda pega, de punir baiano dançando, o País que se prepare para uma nova guerra civil apimentada, maior do que a Revolta de Canudos. Armas de guerra Vandalizada e quase invadida nos protestos de junho do ano passado, a Assembleia Legislativa do Rio está se armando às vésperas da Copa do Mundo. Apesar de poderem contar com a PM, os deputados vão gastar quase R$ 9.500 comprando balas de borracha e quatro granadas (de efeito moral, lacrimogênea e duas de pimenta) para seus seguranças. Pelos mortos O Rio de Paz faz novo protesto, terça-feira, contra os gastos da Copa, desta vez na Praia de Copacabana. Serão levadas para lá as 12 bolas de futebol gigantes com cruzes vermelhas que estiveram em Brasília. Haverá um minuto de silêncio em memória dos operários mortos em obras para os estádios. Boletim médico João Havelange, 98 anos, está internado no Hospital Samaritano. A novela Geração Brasil vai entrar no clima da Copa. No episódio de hoje, a ONG Plugar fará um evento sobre o Mundial, e Pamela (Cláudia Abreu) vai participar a convite de Herval (Ricardo Tozzi). A bela vai aparecer assim. #VaiTerFanFest Aos 70 e aos 40, o romance de João Anzanello Carrascoza que saiu no Brasil pela CosacNaify, semifinalista do Portugal Telecom, será lançado na França, pela Anacaona, em março. O príncipe Felipe, futuro rei da Espanha, guarda semelhança com o presidente Bashar al-Assad. Aliás, o sírio foi reeleito com 88% dos votos. Na minha terra, tem um ditado que diz: quando a vitória é demais, a democracia desconfia. Combate ao contrabando tem reforço kbrasil ancelmo gois ProUni oferta mais de 115 mil bolsas B RASÍLIA – O Progra- ma Universidade pa- ra Todos (ProUni) vai oferecer 115.101 bolsas na seleção do meio do ano, 28% a mais que no mesmo perío- do do ano passado, informou ontem o Ministério da Educa- ção (MEC). A lista completa estará disponível a partir de hoje no site do ProUni na in- ternet. As inscrições, que vão do dia 9 ao dia 11 deste mês, devem ser feitas também pe- la internet, no site do progra- ma. As bolsas serão ofertadas em 22.943 cursos de 943 insti- tuições privadas de ensino su- perior. A maior parte delas se- rá integral e em cursos pre- senciais. Do total de bolsas, 73.601 são integrais, 32% a mais que as ofertadas no se- gundo semestre do ano passa- do. As parciais tiveram au- mento de 21% sobre 2013 e se- rão 41.500. O número de bol- sas em cursos presenciais au- mentou 38%, passando para 90.466. As bolsas de cursos a distância serão 24.635, prati- camente o mesmo número ofertado no ano passado. O ministro da Educação, Henrique Paim, destacou o aumento do número de bol- sas em cursos de engenharia, que quase dobraram em rela- ção ao ano passado. Serão ofertadas 12.362 nesses cur- sos. Os cursos com maior oferta serão administração (13.168), direito (7.887) e pe- dagogia (7.725). “Tivemos um crescimento expressivo do número de va- gas, com destaque para o au- mento de oferta nas bolsas in- tegrais, o que é muito impor- tante, é a qualificação dessa oferta”, analisou o ministro. Sobre os cursos, ele destacou que a oferta de bolsas está sin- tonizada com as necessida- des do País na área de tecno- logia. “Aqui temos destaque nas engenharias”, disse Paim. Podem concorrer às bolsas do ProUni os estudantes que cursaram o ensino médio na rede pública ou na rede parti- cular, na condição de bolsista integral. Para concorrer às bolsas integrais, o candidato deve comprovar renda bruta familiar, por pessoa, de até um salário mínimo e meio. Para as bolsas parciais, no va- lor de 50% da mensalidade, a renda bruta familiar deve ser até três salários mínimos por pessoa. Para se inscrever, o candi- dato deve ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2013 e obti- do no mínimo 450 pontos na média. Além disso, não pode ter tirado nota zero na reda- ção. Outra condição é que ain- da não tenha diploma de cur- so superior. O candidato tam- bém terá que informar o nú- mero de inscrição e a senha usados no Enem, além do CPF. Professores do quadro per- manente da rede pública de ensino, que concorrerem a cursos de licenciatura, tam- bém podem participar do ProUni. Nesse caso, não é ne- cessário comprovar renda. Editores: Gilvandro Filho gilvandro.filho@jc.com.br Bianca Negromonte bianca@jc.com.br José Accioly jaccioly@jc.com.br Fale conosco: (81) 3413-6184 e 3413-6519 Twitter: @jc_mundo Ancelmo Gois agois@oglobo.com.br pelo twitter: @ancelmocom AG Salon du Livre JoséCruz/Abr EDUCAÇÃO Seleção para o meio do ano está 28% maior. As bolsas serão oferecidas em 22.943 cursos de 943 instituições privadas de ensino superior. Inscrição começa 2ª feira www.jconline.com.br A uma semana do Mundial, a Fifa exigiu mudanças no camarote VV, o cercadinho VIP dos VIPs no Itaquerão. É aquele lugar dos deuses, onde vão ficar Dilma e Joseph Blatter. AG DEMANDA “Temos destaque nas engenharias”, disse Paim B RASÍLIA – O Senado aprovou ontem proje- to que aumenta as pe- nas em caso de contrabando. Além disso, a proposta define com mais clareza a diferença entre contrabando e chamado descaminho, que é quando a pessoa pratica a sonegação fis- cal, deixando de pagar um im- posto quando ingressa no País com algum produto. Hoje, es- ses dois tipos de delito, que têm gravidade diferente, rece- bem a mesma punição. O projeto define que o cri- me contrabando, no Código Penal, é o “ato de importar ou exportar mercadoria proibi- da”. No caso de contrabando, a pena foi elevada para dois a cinco anos de reclusão. Hoje, é de um a quatro anos. Já o descaminho é a sonega- ção fiscal, definida no projeto como “ato de iludir, no todo ou em parte, o pagamento de direito ou de imposto devido pela entrada, saída ou consu- mo de mercadoria”. Neste ca- so, a pena é de um a quatro anos de reclusão. A proposta é de autoria do deputado Efraim Filho (DEM- PB) e o relator no Senado foi o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB). O líder do DEM no Senado, José Agripino Maia (RN), elogiou a iniciati- va do colega do DEM, deputa- do Efraim Filho. “É separar o joio do trigo. O que é legalmente importável e o que é ilegal entrar no País. Droga, armamento. Tem que haver, portanto, uma penalização muito maior para aquilo que seja contrabando, que é a importação ou a entra- da no País de coisa proibida, ilegal”, disse Agripino. Osenador Vital do Rêgo res- saltou que era preciso separar os conceitos de contrabando e descaminho. 8 jornal do commercio Recife I 6 de junho de 2014 I sexta-feira
  9. 9. Entidade internacional diz que protestos são reprimidos com violência Alckmin acusa a greve de criar caos k rápidas www.jconline.com.br EMBATE Três milhões de usuários de ônibus e metrô foram prejudicados pelo movimento. Governador disse que fez seis propostas aos metroviários, sindicato desmente PauloIannone/Divulgação FábioGonçalves/EstadãoConteúdo A polícia do Rio prendeu Tathiana Crisley Campos, 23 anos. Com o marido, ela furtava veículos. O casal levava a filha de 2 anos junto para facilitar a entrada nos prédios. O marido está foragido. Usando um carro próprio, o casal parava na frente de edifício residencial e solicitava ao porteiro a abertura do portão. Ao ingressar na garagem, o marido descia e arrombava um veículo. O Brasil tem a terceira maior população carcerária do mundo, com 715.655 presos. A informação é do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que atualizou levantamento sobre o número de presos no País. O dado leva em conta, pela primeira vez, os presos em regime domiciliar – um total de 147.937 pessoas. CNJ consultou juízes que monitoram o sistema carcerário no País. brasil CONTINUAÇÃO Sindicalistas avisam que há risco de o movimento continuar até a Copa S ÃO PAULO – A greve dos funcionários da Companhiado Metropo- litano de São Paulo (Metrô), que atingiu parcialmente três das cinco linhas paulistanas e fechou 26 das61 estações, deve- rá continuar hoje. E os metro- viários prometem até ampliar a paralisação, fazendo piquetes para impedir que o pessoal ad- ministrativo ajude na operação da rede. Na manhã de ontem, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) atacou o movimento, destacando que há uma nítida ação política para “criar o caos”. O rodízio de veículos na capital paulista continua sus- penso. Três milhões de usuá- rios do sistema foram prejudi- cados. À tarde, terminou sem acor- do a reunião de conciliação no Tribunal de Justiça. Depois de fazer uma nova proposta, bai- xandoo índicede reajuste espe- radode 16%para12,2%,e desu- gerir novamente catraca livre para liberar todas as estações, os metroviários recusaram a proposta da companhia, que apenas manteve o porcentual oferecido anteontem, de 8,7%. A desembargadora Rilma AparecidaHemetério, vice-pre- sidente do Tribunal Regional do Trabalho, manteve a limi- nar que exige 100% de opera- ção nos horários de pico e 70% no restante do dia. Segundo ela, um oficial de Justiça con- cluiu que essa liminar não foi cumprida– nesses casos, a mul- ta diária está definida em R$ 100 mil. O Metrô entrou anteontem com ação de dissídio de greve e o Sindicato dos Metroviários tem 24 horas para se manifes- tar. Só depois disso é que a Jus- tiçapoderá determinar se a gre- ve é ou não legal. De acordo com Alckmin a soma dos bene- fícios oferecidos alcança 10,6%. “O governo já fez seis propos- tas, e cada vez tem outra exi- gência. Nitidamente (a razão) era fazer a greve. Agora é ter o dissídio o mais rápido possí- vel.” Já os metroviários dizem que o governo não apresentou proposta ontem e exigiram en- volvimento direto do governa- dor. “O Alckmin tem de tomar cuidado, tem de se envolver e pegar o comando das negocia- ções”, afirmou o presidente do sindicato, Altino de Melo Pra- zeres Júnior. A categoria deci- diu fazer ato às 16h de hoje na Estação Tatuapé, com possibili- dade de fechar a Radial Leste. “Há risco de a greve continuar (até a Copa), se o governador não negociar”, diz Prazeres. Anistia denuncia abuso policial BRASÍLIA– A Anistia Inter- nacional lançou ontem, num ato em frente ao Congresso, documento de denúncia de abusodas polícias nas manifes- tações pacíficas de rua. O rela- tório “Eles usam uma estraté- giade medo:proteção do direi- to ao protesto no Brasil”, de 24 páginas, omite o papel de toda a rede de comando da re- pressão e dos blacks blocs nos casos de violência. A entidade não cita o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e os governadores de Brasília, Agnelo Queiroz, e de São Pau- lo, Geraldo Alckmin, que de- fenderam abertamente as táti- cas usadas pelas polícias. Tam- bém ignora os secretários esta- duais de segurança, superio- res dos comandantes das tro- pas. Ao dar ênfase em casos de abusos, o documento superdi- mensiona o papel dos policiais que estão no front dos protes- tos, como se os agentes tives- sem o poder de decidir sobre o uso de gás e balas de borra- cha em áreas de hospitais e es- colas. As “autoridades locais”, como os políticos das grandes cidades aparecem num trecho do documento, são cobrados apenas por uma suposta omis- são de investigar os abusos co- metidos pelas tropas. O texto faz parte da campanha da Anistia “Brasil, chega de bola fora!”. A entidade vai protoco- lar, às 11h, no Palácio do Pla- nalto, 87 mil assinaturas de apoio à campanha. Atila Roque, diretor executi- vo da Anistia Internacional, no Brasil, afirma que a propos- ta do documento é focar no go- verno federal – que centraliza o comando da segurança de grandes eventos, como a Copa do Mundo – e no Congresso – instituição onde tramitam leis que põem em risco o direito da manifestação pacífica. Ele ressalta que, embora não apareçam no documen- to, os governadores e secretá- rios de segurança foram pro- curados pela entidade para explicar a violência por parte das polícias. “Está claro para nós a cadeia de responsabili- dades”, afirmou. “De forma alguma pode ser atribuído (o problema da violência contra manifestantes) ao policial, pessoa que está na ponta.” Atila Roque citou um estudo da Fundação Getúlio Vargas, feito neste ano, em que mais de 60% de policiais ouvidos na pesquisa se declararam despreparados para atuar nos protestos. Ele ressaltou ainda que a Anistia se posicio- na contra todos os grupos de manifestantes que praticam violência. SALÁRIO Funcionários da Cedae fizeram greve de 24 horas Protestos param o trânsito do Rio R IO – Protestos de três categorias profissionais que pedem reajuste sa- larial paralisaram o trânsito em vários bairros do Rio ontem. O maioratofoipromovido porfun- cionários da Companhia Esta- dual de Águas e Esgotos (Ce- dae), que fizeram greve de 24 horas para reivindicar aumento de 39,8%. Ao protestar na frente do Palácio Guanabara, sede do governo,eles fecharam a Rua Pi- nheiro Machado e o túnel Santa Bárbara, importante ligação en- tre a zona sul e o Centro do Rio. Por volta das 16h30, houve discussão entre grevistas e poli- ciais e os PMs usaram bombas de gás e spray de pimenta para dispersar os manifestantes, cau- sando tumulto e correria. Um manifestante foi detido. Antes havia sido agendada para a pró- xima segunda-feira uma reu- nião dos funcionários da Cedae com o presidente da empresa, Wagner Victer, para discutir as reivindicações. Na terça haverá nova assembleia dos funcioná- rios. Os professores das redes esta- dual e municipalfizeram assem- bleia em frente ao Palácio Capa- nema, sede do Ministério da Educação, no centro. Eles deci- diram manter a greve iniciada em 12 de maio, e no fim da tarde seguiram em passeata até a igre- ja da Candelária. Cerca de 300 docentes gritaram palavras de ordem e frases como “Justiça burguesa,preste atenção, se cor- tarmeuponto nãovaiter reposi- ção”. A Avenida Presidente Vargas e a Rua Primeiro de Março fo- ram interditadas em vários mo- mentos. À noite os professores se uni- ram a motoristas e cobradores de ônibus, que também haviam se concentrado nas imediações da Candelária para reivindicar reajustesalarial de 40%. Osindi- catodacategoria aceitou aumen- to de 10% proposto pelos pa- trões, mas um grupo de profis- sionaisdiscordae lideraumadis- sidência que já provocou três dias de greve de ônibus na cida- de. Casal usava filha de 2 anos para furtar carros Brasil é o 3º em número de presos, diz CNJ Recife I 6 de junho de 2014 I sexta-feira jornal do commercio 9
  10. 10. Fingimos ser um país com ambição de grandeza, mas nos contentamos com tão pouco que os governantes se recusam a ouvir críticas sobre a ineficiência dos serviços públicos Basta de fingir Cristovam Buarque O Brasil comemora sua posi- ção de sétimo maior PIB do mundo, mas o PIB per capita rebaixa o país para a 54ª po- sição no cenário mundial; no IDH (Índice de Desenvolvimento Hu- mano) ficamos em 85º lugar. Fingi- mos ser ricos, apesar da pobreza. Nos últimos 20 anos, passamos de 1,66 milhão para 7,04 milhões de matrículas nos cursos superio- res, mas quase 40% de nossos uni- versitários sabem ler e escrever me- diocremente, poucos sabem a mate- mática necessária para um bom curso nas áreas de ciências ou enge- nharias, raros são capazes de ler e falar outro idioma além do portu- guês. Fingimos ser possível dar um sal- to à universidade sem passar pela educação de base. Comemoramos ter passado de 36 milhões, em 1994, para 50 mi- lhões de matriculados na educação básica, em 2014, sem dar atenção ao fato de termos 13 milhões de adultos prisioneiros do analfabetis- mo; 54,5 milhões de brasileiros com mais de 25 anos não termina- ram o ensino fundamental e 70 mi- lhões não terminaram o ensino mé- dio. Fingimos que os matriculados es- tão estudando, quando sabemos que passam meses sem aulas por causa de paralisações ou falta de professores. A partir de 1995, no Distrito Fe- deral e em Campinas, iniciamos um programa que serve de exem- plo ao mundo inteiro, atualmente chamado de Bolsa Família e que transfere por mês, em média, R$ 167 por pessoa pobre, o que lhe as- segura R$ 5,67 por dia, valor insufi- ciente para aliviar suas necessida- des mais essenciais. E fingimos que, com esta transferência, esta- mos erradicando a pobreza que é caracterizada efetivamente pela fal- ta de acesso aos bens e serviços es- senciais que não estamos oferecen- do. Fingimos ter 94,9 milhões na classe média, sabendo que a renda média mensal per capita dessas pessoas está entre R$ 291 e R$ 1.019, quantia insuficiente para uma vida cômoda, especialmente em um país que não oferece educa- ção e saúde públicas de qualidade. Comemoramos o aumento da fro- ta de automóveis de, aproximada- mente, 18 milhões, em 1994, para 64,8 milhões, em 2014, fingindo que isto é progresso, mesmo que signifique engarrafamentos monu- mentais. Comemoramos, corretamente, termos desfeito uma ditadura, es- quecendo que a democracia está sem partidos e a política se trans- formou em sinônimo de corrup- ção. Fingimos ter uma democracia com liberdade de imprensa escrita em um país onde poucos são capa- zes de ler um texto de jornal. Assis- timos 56 mil mortos pela violência ao ano, e fingimos ser um país pací- fico, sem uma guerra civil em mar- cha. Fingimos ser um país com ambi- ção de grandeza, mas nos contenta- mos com tão pouco que os gover- nantes se recusam a ouvir críticas sobre a ineficiência dos serviços pú- blicos. Preferem um otimismo ufa- nista, comparando com o passado que já foi pior, e denunciam como antipatriotas aqueles que ambicio- nam mais e criticam as prioridades definidas e a incompetência como elas são executadas. Antipatriota é achar que o Brasil não tem como ir além, é acreditar nos fingimentos. k Cristovam Buarque é professor da UnB e senador pelo PDT-DF José Chagas Nordeste violento opinião JC q Charge k miguel q editorial O Mapa da Violência divulgado recentemente mostra um ce- náriopreocupante parao Nor- deste.Entre 2002 e2012 houve umder- rame de sangue na região. Nesse perío- do, ocorreu umainversão na concentra- ção de homicídios no Brasil: enquanto o Sudeste passou de 55% para 30%, o Nordeste pulou de 22% para 37% dos assassinatos. O número anual de assas- sinatos no Nordeste subiu de quase 11 mil, em 2002, para perto de 21 mil, em 2012. A região ostenta a maior taxa de homicídios do País, com 38,9 mortes para cada 100 mil habitantes – a média nacional é de 29 por 100 mil habitan- tes, e no Sudeste, de 21 por 100 mil. O índice nordestino é semelhante ao da Guatemala, quinto país mais violento do planeta, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). O Rio Grande do Norte e a Bahia apresentaram em uma década incre- mentosespantososna quantidadede as- sassinatos, acima de 200%. A queda de 39% na taxa de homicídios fez de Per- nambuco o único em que se verificou uma redução, contrastando com o qua- dro regional: quatro dos seis Estados mais violentos estão no Nordeste. Em Alagoas, a taxa é de 64 homicídios por 100 mil habitantes, seguido pelo Ceará, com taxa de 44 por 100 mil, pela Bahia e por Sergipe, ambos com 41 por 100 mil. Dados complementares traçam um perfil indesejado para uma região que, apesar de investimentos maciços e da urbanização crescente, não consegue se libertar dos problemas que conde- nam a população a uma realidade ad- versa. De acordo com o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal, da Fe- deração das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro, apenas quatro cidades nordestinas integram a lista das 500 mais desenvolvidas do País – entre elas, o Recife, com todas as desigualda- desegargalosque conhecemos. Somen- te 19 cidades da região tiveram bom de- sempenho na área de educação. Em Pernambuco,a alta qualidade na educa- ção foi detectada apenas em Triunfo e em Fernando de Noronha. Segundo a pesquisa, que mostrou mais de 94% dos 500 municípios mais atrasados no NorteenoNordeste, há uma relaçãoin- dissociável entre o nível educacional e o desenvolvimento. Por via indireta, al- guns especialistas apontam ligação en- tre a persistência de baixos patamares de educação e o aumento da violência. Também não se deve desprezar a úl- tima divulgação do IBGE sobre o de- semprego. No Nordeste foi encontrado o maior desemprego do Brasil no pri- meiro trimestre do ano, alcançando 9,3% – a média nacional foi de 7,1%. Aqui, 43% da população apta ao traba- lho está fora do mercado formal ou in- formal. Está mais do que na hora de se rever o combate à violência, através de uma política de abrangência nacional. Além disso, esforços isolados, como no caso de Pernambuco, evidenciam modelos promissores para a abordagem de uma questão que não pode seguir fora de controle. Que os números – e as vidas perdidas – sirvam de alerta. Desenvolvimento Diretor de Redação: Ivanildo Sampaio sampaio@jc.com.br Diretor Adjunto de Redação: Laurindo Ferreira laurindo@jc.com.br Editora-Executiva: Maria Luiza Borges marialuizaborges@jc.com.br k Os textos assinados publicados em Opinião e Voz do Leitor não refletem necessariamente a posição do Jornal do Commercio. O JC se reserva o direito de editar e de adaptar os textos à linguagem jornalística. Gustavo H. de Brito Alves Freire Q ualquerindivíduo debom sen- so sabe que uma cidade não é feita apenas de parques, pra- ças e bulevares, mas também do contributo da iniciativa privada. O desafio é justamente o equilíbrio entre esses dois vetores ou modais: o do de- senvolvimentoeconômico e o da preser- vação ambiental. Tratando-sedemédios ou grandeses- paços ociosos, esta deve ser uma preo- cupação, por certo, sempre presente, disso não há dúvidas. Se em cena um espaço que não é de interesse do Estado, seu dono, seja por falta de recursos, seja pela ausência de diálogo com outras instâncias públicas, na busca por solução que envolva o dis- pêndio de verba do contribuinte, o que impede que seja dita área vendida ao particular, impondo-se a ele condicio- nantes a bem do interesse coletivo de uma cidade mais inclusiva? Será que o particular, que está de boa fé e no seu papel, sabota, querendo ou não, apenas por comprar, os próprios fundamentos democráticos? Será que nos coloca a todos em perigo? Quem, então, nos salvará? O Chapolim Colora- do da TV, vestido de verde e carregan- do na cintura um squeeze de clorofila? Os ecochatos, que em tudo enxergam Godzilla? Ou será este um comporta- mento natural, compreensível, do mer- cado, preferível o aproveitamento que recupere ao abandono eterno? Vou além: se os ritos e rigores buro- cráticos mitigadores do projeto que se sonhaem empreendersãoatendidos pa- ra que a aquisição se dê e o empreendi- mento prossiga, qual é o problema que nulifica o negócio? Insista-se: a preocupação com a pre- servação da qualidade de vida há de ser a prioridade número um do gestor pú- blico, mesmo porque de nada adianta desenvolver economicamente espaços ociosos e a cidade estar doente. Inega- velmente, o progresso, para ter sentido, necessita chegar para todos, assim co- mo o sol e demais recursos naturais re- nováveis. Mas a ferro e fogo não se pode tanger o debate, insuflando ou consentindo com invasões a áreas privadas, possui- doras de destinação econômica, com o fechamento de vias públicas, muito me- nos ainda a pretexto da experimenta- ção da “onda” de ser “cool” e estar no último grito da moda, que é ser um eco- militante, sem, porém, ser um ecochato (algo difícil para muita gente). Não fecha, nem se coaduna com a or- demjurídica que se vilanize o empreen- dedor,comparadonão raro aum vampi- ro social. Não é possível movimentar a economia sem o empresário, classe ho- je sujeita a uma das maiores, senão a maior, carga tributária e de encargos do planeta. A ideologização da discussão se mos- tra um terreno fértil para a perniciosa cultura maniqueísta do bem versus o mal, o que é péssima escolha no debate. Impõe-se saber lidar com os limites do constitucionalismo e fugir daquela que é, talvez, a pior das ignorâncias em uma democracia que se arvora em madura, que é a cegueira à realidade de que li- berdade alguma é absoluta. Como diria Aristóteles: “a virtude está no meio”. k Gustavo Henrique de Brito Alves Freire é advogado Ângelo Monteiro a.jmonteiro7@gmail.com C omo os poetas morrem mais que os outros quando mor- rem, porque, em cada um que se vai, também se despede uma ideia de criação, José Chagas chega ao fim em absoluta sintonia com a poética definição de Esman Dias: “Morre o poeta/E morre o mundo in- teiro”. Entretanto, ao partir do nosso convívio, deixou uma obra que – co- mo a de seu amigo Nauro Machado, de diferente índole criadora mas de igual estatura – constitui um monu- mento inquebrantável da poesia bra- sileira no século XX. Foi através de Colégio do vento – seu primeiro livro que conheci – que comecei a entrar em contato com essa obra, e fiquei tão impressionado com sua grandeza lírica que empreendi uma viagem a São Luís, no início da década de 80, para conhecer o poeta. Não é com frequência que nos vemos arrebata- dos dessa forma pelo sopro criador de uma poética como a de José Cha- gas, que abrange tantos títulos como o assombroso Alcântara, Tabuada da memória e Os canhões do silêncio. É nos quarenta sonetos de Colégio do vento, no entanto, que sua memó- ria enquanto homem e enquanto poe- ta se encontra mais presente: porque é nela que certas vivências apontam, ao mesmo tempo, para as suas ori- gens e para o destino que haveria fa- talmente de escolher – o de semea- dor de palavras. Sobre as suas ori- gens, inclusive sociais, duas passa- gens são bastante significativas: a do final do soneto 12, que assim reza: “um nome tão de santo, mas sem bri- lho/hoje muito mais chagas que Jo- sé”; e a contida nos dois versos que iniciam o soneto 21: “Meu pai em seu cavalo segue lento/pela estrada da al- deia e eu vou atrás”. Já sobre o desti- no do artista, além da sombra proteto- ra do pai, se ergue, arquetipicamen- te, a representação de outro tipo de lavoura, como nos sugerem com mui- ta força os dois versos com que prin- cipia o soneto 13: “Muito cedo plan- tei o arroz real/e o arroz do sonho era o que mais crescia”. O incomparável José Chagas que, em seu discurso de posse na Acade- mia Maranhense de Letras, afirmou terchegado a São Luís “puxando a ca- chorra da poesia”, não deixará de pu- xá-la, queira Deus, por toda a eterni- dade. Pois sendo nele a grandeza do poeta inseparável da do homem, só restará aos seus amigos e admirado- res a imagem silenciosa de sua pre- sença já sob diferente luz. k Ângelo Monteiro é ensaísta www.jconline.com.br k 10 jornal do commercio Recife I 6 de junho de 2014 I sexta-feira
  11. 11. “ “ Não bastasse a constante falta d’água em Maria Farinha, Paulista, agora temos que conviver com o descaso da Compesa. O cano mestre da Rua Nivaldo Cristo Lôbo (antiga Rua Afonso Pena), em frente ao número 360, está vazando desde o início de maio e a companhia não faz nada. k J. Antunes – jantunes.med@bol.com.br Não entendi por que o senhor Luiz Alberto Peregrino, na edição do dia 4 de junho, culpou a gestão passada pela construção de uma ponte estaiada na Zona Sul do Recife se a obra está sob controle do excelentíssimo prefeito Geraldo Julio.” k Fátima Vasconcelos – por telefone k Frase Lixo de um edifício interdita passeio público na Avenida Avenida Dezessete de Agosto, no Parnamirim, quase ao lado do laboratório Gilson Cidrim. Falta de respeito com os pedestres. k Gilson Antunes – via comuniQ k Denúncia k Resposta ao leitor k Frase k Desrespeito Envie suas cartas para a Rua da Fundição, 257, Santo Amaro Ouvi boatos nos últimos dias sobre o possível fim do time de basquete feminino do Sport Club do Recife. Seria uma lástima se isso acontecesse. Essa equipe conquistou vários títulos e suas partidas sempre recebem muitos torcedores, que vibram com cada jogada. Esse grupo jamais deveria se desfazer.” k Fábio Soares Cardoso – por telefone k k O ministro Joaquim Barbosa demonstrou ser um homem que não se deixa dobrar por aplausos. Consciente de ter cumprido sua missão, no momento certo optou por aposentar-se, assim como fez Pelé, no auge de sua carreira, reconhecendo que as glórias que vêm mais tarde, já vêm frias, podendo provocar estrago e macular sua história. Sem pretensão de enveredar na política, pois tudo indica que vai declinar de convites nessa área, prefere tarefas em outros cargos, longe dos porões sujos da corrupção que sufoca o Brasil. k Agostinho Holanda – aliceagostinhohc@gmail.com k Reclamação Não há quem aguente essa água suja empoçada na Rua João Asfora, Ilha do Leite, próximo ao Empresarial Albert Einstein. Alguém precisa fazer alguma coisa em relação a este problema! k Newton Rodrigo – newton@rioavecorporate.com.br pela rede social voz do leitor Sua opinião é muito importante. Fale conosco: (81)3413.6178 www.jconline.com Já começou a choradeira do setor automotivo. A queda nas vendas no acumulado do ano é de 5,2% e tende a cair mais no período da Copa. Parte dessa culpa é do ex-presidente Lula, que sugeriu aos torcedores irem aos estádios de jumento. Com um trânsito caótico onde ninguém consegue andar, os jumentos vão acabar tirando os carros das ruas. k Izabel Avallone – izabelavallone@gmail.com A Avenida Belmino Correia, em Camaragibe, não há nenhum tipo de sinalização. Carros e pedestres ficam totalmente desorientados! Isso sem falar que à noite a via fica às escuras. Acidentes costumam ocorrer com frequência por lá. k Fernanda Silva – fernandasantospe03@gmail.co m A Emlurb, em atenção ao leitor João Marcelo Cruz, informa que o material que estava na Rua Bom Pastor, no Engenho do Meio, já foi recolhido. A Prefeitura do Recife informa que o local é ponto de descarte irregular e pede a colaboração da população para não colocar lixo fora do horário de coleta. k Assessoria de imprensa A CTTU informa, em atenção às cartas dos leitores Jomar Netto e Paulo Fernando Pereira, que o plano de circulação do Território Sul está sendo estudado e a Rua Maria Carolina será contemplada. Em relação à Rua do Atlântico, a CTTU informa que fará uma vistoria para verificar se é possível realizar intervenções na via. k Assessoria de imprensa Entre em contato pela internet Mande seu e-mail e suas fotos para vozdoleitor@jc.com.br pelo telefone por carta Um primor o caderno Loucura, publicado dia 30 neste JC. Quero parabenizar a todos os que participaram do projeto, em especial a repórter Verônica Almeida e o fotógrafo Ricardo B. Labastier. O texto de Ivanildo Sampaio abordando o tema na Capa Dois daquele mesmo dia é outra joia. É muito louvável o interesse desta equipe em abordar tema que atinge a tantas famílias de maneira tão aprofundada e responsável. Recomendo. k Marcelo Silva – por telefone Um poste situado na esquina das Ruas Castro Alves e do Progresso, em Jardim Jordão, Jaboatão dos Guararapes, está a ponto de causar uma tragédia. Isto porque ele está pendendo em direção a uma casa. A estrutura, de tão empenada, está parecendo a famosa Torre de Pisa. Pedimos à Celpe que tome uma providência antes que um transtorno maior aconteça. k Dilson Martins – dilson.mlrcj@gmail.com Aposentadoria no momento correto É público e notório que a internet tem contribuído e muito com as comunicações. Porém, há de se reconhecer também que nela também existe uma espécie de “lixo” que termina comprometendo o caráter sério com o qual o internauta deveria encarar e se utilizar das extraordinárias dimensões da grande rede. Outro aspecto a ser mencionado são as recentes mensagens originadas não se sabe onde, ressaltando a necessidade da população começar a se arregimentar para futuros protestos, assim como de fazer uma coisa que há muito já deveria ter acontecido: aprender a votar beneficiando o País. Obama já provou que a rede funciona. Cabe a cada um dos brasileiros que possuem computadores formarem uma rede comprometida e séria em busca de melhores dias para o nosso vilipendiado Brasil. k Nilson Aguiar de Freitas – nafreitas39@gmail.com Flagrante de desperdício Sacos de lixo atrapalham pedestres Descarte irregular Água suja invade rua e calçada na Ilha do Leite Discordo com o que foi dito pelo senhor Edson Campos e Silva nesta página dia 1º. O Movimento Contra a Copa (MCC) nada tem de político, como o leitor sugeriu. A iniciativa é de cunho totalmente social. A população não aguenta mais sofrer. Neste País não existem políticas sérias voltadas à educação, moradia, saúde... Minha mãe precisou usar o SUS e pude ver como um hospital público funciona. É revoltante. Os brasileiros não suportam mais viver dessa maneira. k Aderita Freitas Muniz – por telefone A CTTU esclarece, em resposta à carta enviada pelo leitor Marcos Henrique, que vias como a Rua Cosme Viana e Avenida Mascarenhas de Morais já contam com o corredor exclusivo para transporte público e que a próxima via a ser beneficiada com a Faixa Azul, no dia 12 de junho, será a Avenida Domingos Ferreira. A Avenida Recife é uma das 12 vias que está na programação para receber a Faixa Azul até o final deste ano. Quanto à fiscalização, a CTTU informa que a Avenida Recife é fiscalizada intensamente, através de rondas diárias. Além disso, a via conta com a presença de orientadores de trânsito, inclusive no cruzamento com a entrada do Ibura. k Assessoria de imprensa Estudo de tráfego Editores de fotografia: Arnaldo Carvalho acarvalho@jc.com.br Chico Porto cporto@jc.com.br Heudes Regis hregis@jc.com.br Fale conosco: (81) 3413.6433 GilsonAntunes/comuniQ Ligue para a Redação do jc: (81) 3413.6178 Facebook/jcjornaldocommercio e no Twitter: @jc_pe J.Antunes/VozdoLeitor NewtonRodrigo/VozdoLeitor k Especial Perigo na rua Considerações sobre “campanhas” online Menos carros Sem sinalização Em resposta à nota publicada nesta coluna dia 29, a CTTU informa que a fiscalização na Rua Cosme Viana e na Avenida Arquiteto Luiz Nunes foi intensificada desde a implantação da Ciclofaixa Permanente Arquiteto Luiz Nunes, que começa na interseção da Avenida 21 de Abril com a Rua Cosme Viana. O local é fiscalizado através de rondas diárias realizadas por três viaturas e três duplas de batedores, além de três agentes de trânsito dispostos em pontos fixos. A CTTU informa ainda que vai enviar mais agentes de trânsito ao local e, caso seja necessário, as devidas notificações serão registradas. Os veículos flagrados trafegando sobre a ciclofaixa estão sendo autuados e recebem multa no valor de R$ 574,62. k Assessoria de imprensa Revolta Av. Recife terá Faixa Azul ainda este ano Fiscalização tem rondas diárias Recife I 6 de junho de 2014 I sexta-feira jornal do commercio 11
  12. 12. internacional K ANO – Quatro pes- soas morreram on- tem devido a explo- são de um carro-bomba nos arredores da casa de um go- vernador no nordeste da Nigé- ria. A explosão ocorreu às 18h30 local (14h30 de Brasí- lia) nas proximidades da resi- dência do governador de Gombe, Ibrahim Dankwam- bo, numa área restrita da capi- tal estadual. “A van estava em movimen- to quando explodiu e matou os dois homens a bordo e dois soldados dentro do veículo blindado estacionado próxi- mo à casa do governador”, in- dicou a fonte, que pediu para não ser identificada. “Não está claro se a casa do governador era o alvo ou se os explosivos detonaram prema- turamente”, acrescentou. Também não foi determina- da a autoria do atentado. Uma das possibilidades é o Boko Haram, grupo que deseja im- por a lei islâmica no norte do país. ATAQUES Homens armados, com uni- forme militar, invadiram o dis- trito de Gwoza, no Estado de Borno, na noite de terça-feira, destruindo casas, igrejas e mesquitas, e matando os mo- radores que tentavam fugir. Líderes comunitários calcu- lam as vítimas entre 400 e 500 pessoas, embora não te- nha sido feito um levantamen- to por parte de fontes inde- pendentes devido à má quali- dade das comunicações e à di- ficuldade em levar serviços de emergência ao local. Outro incidente, em Maidu- guri, também no nordeste do país, deixou 45 mortos. Inte- grantes do Boko Haram fin- gindo ser pregadores abriram fogo contra a multidão, de acordo com moradores. Se confirmado, o ataque nas vilas de Goshe, Attagara, Agapalwa e Aganjara seria um dos piores na insurgência islâmica do país, que já dura cinco anos. No último dia 5 de maio, mais de 300 pessoas morre- ram em um atentado na cida- de de Gamboru Ngala. “Foram assassinatos em massa, mas ninguém pode in- dicar um número, porque nin- guém conseguiu chegar ao lu- gar, e porque os insurgentes ainda estão lá. Eles tomaram toda a área”, explicou Peter Biye, parlamentar local. k rápidas A justiça venezuelana decidiu ontem que o líder opositor Leopoldo López, que se considera um preso político desde que foi detido há três meses, será julgado por estimular a violência, o que pode resultar em uma sentença de 10 anos de prisão. “Foi ordenado o processo judicial contra Leopoldo Eduardo López Mendoza, por sua suposta responsabilidade nos atos de violência registrados em 12 de fevereiro deste ano, no centro de Caracas”, afirma um comunicado do Ministério Público. López foi apontado como “determinante nos delitos de incêndio e danos, instigação pública e associação delituosa”, segundo a nota. A polícia fazia buscas ontem em uma ampla zona de Moncton, na província canadense de New Brunswick (leste), à procura do suposto autor de um ataque em plena rua que deixou três policiais mortos e outros dois feridos. A Real Polícia Montada do Canadá (RPMC) declarou que o suspeito foi avistado três vezes desde o amanhecer de ontem deslocando-se “dentro e fora de uma área florestal”, que está sob vigilância. Os moradores foram instruídos a permanecer dentro de casa enquanto a polícia busca o homem identificado como Justin Bourque, de 24 anos, o suposto atirador, descrito como “armado e perigoso”. k Líderes do G7 dão apoio à Ucrânia B RUXELAS – Os líde- res do G7 demonstra- ram ontem a unida- de e seu apoio à Ucrânia an- tes das várias reuniões bila- terais que serão mantidas com o presidente russo, Vla- dimir Putin, em Paris. Após a reunião de cúpula celebrada em Bruxelas, da qual Putin foi excluído por “desestabilizar” a Ucrânia ao anexar a região da Cri- meia, o francês François Ho- llande, o britânico David Ca- meron e a alemã Angela Merkel manterão hoje suas reuniões separadas com o chefe de Estado russo, convi- dado para participar nas ce- rimônias do 70º aniversário do Desembarque aliado na Normandia. “O G7 se mantém unido na resposta à Rússia”, decla- rou o presidente do Conse- lho Europeu, Herman Van Rompuy, que participou da reunião das potências mun- diais na quarta-feira à noite e ontem também. “A anexa- ção ilegal da Crimeia pela Rússia e as ações destinadas a desestabilizar o leste da Ucrânia são inaceitáveis e devem cessar”, expressaram os líderes de Alemanha, Ca- nadá, Estados Unidos, Fran- ça, Reino Unido, Itália e Ja- pão. O G7 também insta Putin a retirar suas tropas da fron- teira com a Ucrânia, a ces- sar o “apoio” aos separatis- tas, a cooperar com o presi- dente eleito ucraniano e a al- cançar um acordo sobre o abastecimento de gás à ex- república soviética. Caso es- tas “condições” não sejam cumpridas, o G7 está dispos- to a “implementar sanções que imponham maior custo à Rússia, dependendo dos acontecimentos”. “A Rússia deve aproveitar esta oportunidade, lançar um diálogo com o governo ucraniano e convencer (os separatistas) a pararem com a violência e a deixarem suas armas”, disse o presi- dente norte-americano, Ba- rack Obama. “Veremos o que Putin fa- rá nas próximas duas, três, quatro semanas”, afirmou. Mas “caso as provocações russas continuem, está cla- ro, com as discussões que ti- vemos aqui, que os países do G7 estão dispostos a impôr custos adicionais à Rússia por meio de san- ções”, advertiu. “Se a Rússia não cumprir as condições enumeradas pelo G7, os líderes voltarão a se reunir para avaliar os passos seguintes”, ressaltou a chanceler alemã Angela Merkel. Já David Cameron pediu ao presidente russo Vladimir Putin que reconhe- ça formalmente e trabalhe com o novo presidente ucra- niano. “É preciso impedir a entrada de armas e de ho- mens na Ucrânia através da fronteira”, declarou tam- bém o premiê. FRONTEIRA A Ucrânia fechou seus postos fronteiriços no leste, que foram atacados na noite de quarta-feira por rebeldes pró-russos, conforme indica- ram os guardas da fronteira em um comunicado. A fron- teira entre Rússia e Ucrânia é particularmente sensível desde o início da crise. As potências ocidentais denun- ciam que a Rússia permite a passagem de combatentes e armas provenientes do Cáu- caso. Os separatistas reco- nheceram que contam com o respaldo de chechenos. A Rússia evoca o fluxo de mi- lhares de refugiados por dia vindos do leste de Ucrânia. Quarta-feira, Putin negou as acusações, feitas princi- palmente pelos Estados Uni- dos, e desafiou Washington a mostrar provas de que dei- xa passar armas e combaten- tes para a Ucrânia. Editores: Gilvandro Filho gilvandro.filho@jc.com.br Bianca Negromonte bianca@jc.com.br José Accioly jaccioly@jc.com.br Fale conosco: (81) 3413-6184 e 3413-6519 Twitter: @jc_mundo Crise humanitária na Nigéria ReinnierKaze/AFP TizianaFabi/AFP UNIDADE Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Reino Unido, Itália e Japão consideram inaceitáveis as ações para desestabilizar o leste do país e que devem cessar AlainJocard/AFP www.jconline.com.br VIOLÊNCIA Informação não oficial aponta para massacre Caracas: opositor será julgado por apoiar violência Canadá procura homem que matou 3 policiais SANTA SÉ Francisco destituiu ontem a direção da agência Vaticano muda seu controle financeiro C IDADEDO VATICA- NO – O papa Francis- co destituiu ontem a junta diretiva da agência fi- nanceira do Vaticano, que es- tava dominada por italianos, e instalou um grupo variado de peritos internacionais, de- pois de disputas internas en- tre a junta e o diretor da agência. Os quatro novos membros anunciados ontem são da Itália, Suíça, Cingapu- ra e Estados Unidos. A junta da Autoridade de Informação Financeira havia se queixado de que não tinha informações sobre as ativida- des da agência desde que o especialista em lavagem de dinheiro Rene Bruelhart foi nomeado diretor em 2012. As lutas internas levaram à renúncia do presidente, car- deal Attilio Nicora, neste ano. O Vaticano criou a agência em 2010 para supervisionar e regular as atividades finan- ceiras da Santa Sé e comparti- lhar informação com outros países para cumprir com as leis internacionais contra a la- vagem de dinheiro. Sob a di- reção de Bruelhart, o Vatica- no assinou uma série de acor- dos de informação financeira com outros países. No comunicado divulgado ontem, o Vaticano nomeou Tommaso Di Rizza como di- retor-adjunto de Bruelhart. Di Rizza é um respeitado ju- rista internacional que reali- zou um papel fundamental em reescrever a lei contra la- vagem de dinheiro em 2012, para que a Santa Sé cumpris- se as normas internacionais. Giuseppe Dalla Torre, um dos ex-membros da junta, é também presidente do tribu- nal do Vaticano, o que cria um potencial conflito de inte- resses, dado que a agência en- via possíveis casos de delitos financeiros aos fiscais do tri- bunal para mais investiga- ção. De acordo com os novos es- tatutos da agência, aprova- dos em novembro, os mem- bros da junta devem ter expe- riência profissional reconhe- cida em assuntos financeiros, legais e econômicos, e esta- rem livres de conflitos de in- teresse. CONSELHO Merkel e Obama criticaram Vladimir Putin 12 Recife I 6 de junho de 2014 I sexta-feira
  13. 13. cidadescidades Cortejo segue o som da sanfona q Mais na web k Via Mangue vai permitir percurso de 5 km em 7,5 minutos k 4 Editores: André Malagueta Galvão agalvao@jc.com.br Betânia Santana bsantana@jc.com.br Fale conosco: (81) 3413.6187 www.jconline.com.br/cidades Twitter: @jc_cidades T radicional acessório do frevo, a sombrinha marcou presença na Caminhada do Forró, que abriu os festejos juninos do Re- cife, ontem à noite, embaixo de chuva. A água não apagou a ale- gria de adultos, idosos, jovens e crianças que seguiram em cor- tejo,pelas ruas do Bairro do Re- cife, no Centro, levados pelos já conhecidos trios pé de serra (formados por mais de 100 san- foneiros), forrovioca, quadri- lhas e bandeiras dos santos ju- ninos. Homenageados do São João deste ano, Petrúcio Amo- rim e a Quadrilha Junina Ar- raialzinho do Cordeiro recebe- ram placa comemorativa. A concentração começou às 17h, na Rua da Moeda, com Pe- cinho Amorim comandando a forrovioca, cantando sucessos do pai, Petrúcio. Em pouco tempo, a área foi aglomerando gente que não perde um forró por nada. Como a autônoma Neta Nunes, 53 anos. “Venho todos os anos. Da última vez trouxe minha mãe e agora trou- xe a neta que adora dançar”. Pulando e rodopiando sem pa- rar, Alana, de 2 anos e 3 meses, mostrava ter herdado a energia da avó. Produtora cultural, Acely Vítor, 52, também não parava quieta. “Sempre que posso eu venho. Fico na concentração e saio na caminhada porque se- não não tem graça”, comentou. Quem saiu tocando também se divertiu. “Eu gosto de alegria”, declarou o sanfoneiro Aluízio do Acordeon, 59 anos, 45 de profissão. Previsto para sair às 18h, o cortejo sofreu atraso por conta da chuva. O prefeito Geraldo Julio também atrasou. Mas o público não se abalou. Grupos dançaram ciranda, formaram trenzinho, improvisaram qua- drilha. Depois saíram até a Pra- ça do Arsenal, onde foram rece- bidos por repentistas e aboaia- dores de Serrita. A programa- ção entrou pela madrugada, com shows de 19 artistas, entre eles Geraldinho Lins, Josildo Sá, Irah Caldeira, Cristina Ama- ral, Rogério Rangel, Terezinha do Acordeon e Nádia Maia. Hoje, a partir das 19h30, se apresentam no Arsenal Trio de Forró Apipucos, Patrícia Cruz, Ed Carlos e Flávio José. No Pá- tio de São Pedro, a partir das 18h, haverá Quadrilha Junina Raio de Sol e Dona Matuta, Ra- minho do Acordeon, Selma do Coco e Samba do Coco Raízes de Arcoverde. DiegoNigro/JCImagem k Olinda quer transformar Horto d’El Rey em atração k 5 IgoBione/JCImagem k Fotos da Caminhada do Forró, no www.jconline.com.br/cidades DaniNeves/JCImagem ANIMAÇÃO Sobraram música e muita alegria na caminhada FORRÓ Chuva no início da noite de ontem não apagou o ânimo dos que participaram da abertura das festas juninas no Recife Recife I 6 de junho de 2014 I sexta-feira

×