O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
Era uma vez a Alice
No País do Burnout
Dantes, a empresa onde a
Alice trabalhava era agradável:
havia estabilidade, o trabalho
era estimulante, tinha tempo
para ...
Mas, no geral, e olhando para
trás, até que a Alice não vivia
nada mal.
Era empenhada no trabalho,
tinha energia, sabia-se...
Depois, tudo mudou.
Devagarinho, preocupação
atrás de preocupação.
A sua empresa começou a
sentir os efeitos da crise e fo...
A Alice viu-se com mais
trabalho, menos tempo para
tudo e a ter de encolher os
gastos, com decisões difíceis lá
em casa.
A...
As pessoas foram ficando
irritáveis. Sim, a Alice
também….
De repente, todos se tornaram
mais difíceis: o chefe, exigente;...
Já não havia tempo para quase
nada que fosse relaxante na
vida da Alice. Nem dinheiro.
Nem paciência.
O trabalho ia com el...
Refeições à pressa e más noites
de sono, stress logo pelo
pequeno-almoço, correrias
para um destino incerto…
A Alice começ...
O trabalho já não lhe apetecia.
O tempo livre era passado a
pensar no que deveria estar a
fazer, mas não tinha feito.
Só e...
Burnout vs Stress
O burnout resulta de stress
crónico, mas é diferente.
No stress crónico, apesar de se
sentir afogado em
...
Sinais físicos de burnout
Cansado e
esgotado a maior
parte do tempo
Sistema
imunitário em
baixo, adoentado
Dores de cabeça...
Sinais emocionais de burnout
Sensação de fracasso
pessoal e falta de
auto-confiança
Sensação de
impotência, de beco
sem sa...
Sinais comportamentais de burnout
Desinvestimento
das
responsabilidades
Isolamento
Procrastinação,
lentidão nas
tarefas
Us...
E agora, Alice?
Desacelere
Peça ajuda
Re-avalie objectivos e
prioridades
Aprenda a sair
do País do
burnout
 Regular sono e alimentação
 Retomar actividades de prazer
 Redescobrir o que lhe dá ...
E volte a ser
como era!
 Vitalidade normalizada
 Sistema imunitário funcional
 Motivação
 Disponibilidade emocional
 ...
Fique bem!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Alice no país do burnout

5.223 visualizações

Publicada em

Sinais de burnout, suas diferenças do stress crónico e linhas de intervenção psicoterapêutica

Publicada em: Saúde e medicina
  • Login to see the comments

Alice no país do burnout

  1. 1. Era uma vez a Alice No País do Burnout
  2. 2. Dantes, a empresa onde a Alice trabalhava era agradável: havia estabilidade, o trabalho era estimulante, tinha tempo para um café com os colegas e talvez um futuro animador. No final do dia de trabalho, a Alice tinha disposição para fazer as suas coisas e estar com a família, de cabeça liberta. Está bem… Havia irritações, com o chefe e a sogra. E havia preocupações, com a mudança de carro e o colégio dos filhos…
  3. 3. Mas, no geral, e olhando para trás, até que a Alice não vivia nada mal. Era empenhada no trabalho, tinha energia, sabia-se produtiva e sentia-se valorizada. Os desafios da sua vida eram estimulantes e deixavam-lhe tempo e vontade para para usufruir do presente e manter o optimismo no futuro.
  4. 4. Depois, tudo mudou. Devagarinho, preocupação atrás de preocupação. A sua empresa começou a sentir os efeitos da crise e foi despedindo algumas pessoas. Começou a sobrar trabalho para os que ficavam. E quem ficava não sabia por quanto tempo. Com cortes e agravamentos fiscais, começou a sobrar mês.
  5. 5. A Alice viu-se com mais trabalho, menos tempo para tudo e a ter de encolher os gastos, com decisões difíceis lá em casa. A sua vida tornou-se uma correria, sempre com a sensação de que não chegava para tudo. E uma letargia invadiu-a. “Não vale a pena”, pensava.
  6. 6. As pessoas foram ficando irritáveis. Sim, a Alice também…. De repente, todos se tornaram mais difíceis: o chefe, exigente; irrazoável, muitas vezes. Os colegas, mal-dispostos. Os clientes, enervantes. Até nas ruas se sentia a zanga e desgaste.
  7. 7. Já não havia tempo para quase nada que fosse relaxante na vida da Alice. Nem dinheiro. Nem paciência. O trabalho ia com ela para casa e invadia-lhe as noites, desassossegadas. A preocupação constante desenhou umas rugas na cara da Alice, e fez-lhe desaparecer o brilhozinho nos olhos. O futuro já não parecia um local interessante. O presente também não.
  8. 8. Refeições à pressa e más noites de sono, stress logo pelo pequeno-almoço, correrias para um destino incerto… A Alice começou a sentir os sinais no corpo: constipava-se mais, dores de cabeça constantes, digestões difíceis, falta de energia. E o pior: não conseguia descansar. E se ela estava cansada!
  9. 9. O trabalho já não lhe apetecia. O tempo livre era passado a pensar no que deveria estar a fazer, mas não tinha feito. Só estava bem onde não estava. A Alice percebeu que estava em burnout!
  10. 10. Burnout vs Stress O burnout resulta de stress crónico, mas é diferente. No stress crónico, apesar de se sentir afogado em responsabilidades, há esperança de que se consigam controlar as coisas. No burnout há um vazio emocional e de vontade, para lá da esperança de que as coisas se modifiquem. Stress Burnout Sobre-investimento Desinvestimento Emoções ao rubro Emoções apagadas Urgência e hiperactividade Desamparo e desesperança Falta de energia Falta de motivação, ideais e esperança Leva a ansiedade Leva a depressão e letargia Piores efeito físicos Piores efeitos emocionais Pode encurtar expectativa de vida Pode retirar prazer à vida
  11. 11. Sinais físicos de burnout Cansado e esgotado a maior parte do tempo Sistema imunitário em baixo, adoentado Dores de cabeça, de costas, musculares Alterações de apetite Alterações de sono
  12. 12. Sinais emocionais de burnout Sensação de fracasso pessoal e falta de auto-confiança Sensação de impotência, de beco sem saída e derrota Sensação de distanciamento e isolamento Perda de motivação Perspectiva negativa quanto ao futuro Perda de satisfação, prazer e realização pessoal
  13. 13. Sinais comportamentais de burnout Desinvestimento das responsabilidades Isolamento Procrastinação, lentidão nas tarefas Uso de comida, álcool, drogas para compensar Perspectiva negativa quanto ao futuro Comportamentos de irritabilidade
  14. 14. E agora, Alice?
  15. 15. Desacelere Peça ajuda Re-avalie objectivos e prioridades
  16. 16. Aprenda a sair do País do burnout  Regular sono e alimentação  Retomar actividades de prazer  Redescobrir o que lhe dá sentido à vida  Repensar como avalia as situações  Regular as emoções  Repor níveis de energia
  17. 17. E volte a ser como era!  Vitalidade normalizada  Sistema imunitário funcional  Motivação  Disponibilidade emocional  Capacidade de superação  Esperança no futuro
  18. 18. Fique bem!

×