CBBD OCLC RelatóRio De ParticipaçãO

3.264 visualizações

Publicada em

Report on CBBD library conference in July-09 in Brazil

Publicada em: Educação, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.264
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

CBBD OCLC RelatóRio De ParticipaçãO

  1. 1. 1 XXIII Congresso Brasileiro de Biblioteconomia, Documentação e Ciência de Informação 05 a 08 de Julho de 2009 Centro de Convenções de Bonito Bonito – Mato Grosso do Sul - Brasil TEMA GERAL: Rede de conhecimento, acesso à informação e gestão sustentável RELATÓRIO DAS PARTICIPANTES: Elisangela Alves Silva Janete S. B. Estevão 1) APRESENTAÇÃO Desde 1956 o Congresso Brasileiro de Biblioteconomia, Documentação e Ciência da Informação – CBBD é promovido pela Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições – FEBAB, em parceria com associações filiadas, sendo um evento consolidado no cenário nacional, e constituindo- se num espaço privilegiado para a apresentação de experiências, práticas e difusão da produção técnico-científica relativa a bibliotecas, unidades de informação, ensino e pesquisa e também propiciando oportunidades para o congraçamento e atualização dos profissionais da área. Dentro da programação do XXIII edição do CBBD em 2009 comemoraram-se os 50 anos da FEBAB e os 30 anos da Associação dos Bibliotecários de Mato Grosso do Sul - APB/MS. A temática central do evento abordou: Redes de conhecimento, acesso à informação e gestão sustentável. Houve um total de 737 participantes provenientes de diversos estados brasileiros, além de participantes da Colômbia, Espanha e México. Aconteceram alguns eventos simultâneos, além de uma ampla programação cultural, como o grupo regional “Revoada Pantaneira”, apresentações musicais e de repentistas, o jantar de confraternização e o Information Fest Bonito (ambos com baixa adesão dos participantes). Houve também uma feira de produtos e serviços na área de Biblioteconomia e Ciência da Informação e uma exposição sobre a Memória do movimento associativo dos bibliotecários do Brasil. 2) RELATO DO EVENTO A programação do XXIII CBBD foi realizada em sua maioria no período diurno (matutino, para reuniões de grupos específicos e vespertino, para palestras, feira de expositores e apresentação de pôsters). As atividades realizadas são relatadas a seguir: 2.1) Workshops O XXIII CBBD iniciou com 04 workshops, realizados no domingo, das 9h às 13h, no espaço do Centro de Convenções. Apesar do cansaço, pois muitos participantes chegaram na madrugada de domingo (como aconteceu com uma das participantes), e do lindo dia de sol, a adesão aos workshops foi considerada boa pelos organizadores:
  2. 2. 2 1. Workshop de propriedade intelectual para profissionais da informação. Profa. Luciana Goulart de Oliveira (INPI) 2. Redes, projetos sociais e cidadania. Profa. Sônia Aparecida Cabestré e Profa. Regina Célia Baptista Belluzzo Elisangela esteve presente. Este workshop tratou da formação das redes, suas origens, motivações e houve uma dinâmica sobre o que é possível para o trabalho em redes sociais na área de Biblioteconomia. Particularmente, creio que houve uma visão idealizada, como se o trabalho em rede estivesse isento de conflitos de interesses e problemas de relacionamentos. 3. O bibliotecário e os desafios da inclusão social. Profa. Cecília de Oliveira Leite (Ibict) 4. Requisitos funcionais de registro bibliográficos (FRBR). Profa. Eliane Mey 2.2) Evento de abertura Às 18h30 a Abertura Oficial do XXIII CBBD iniciou no Centro de Convenções de Bonito, com o auditório praticamente lotado, na presença de autoridades locais e com os principais organizadores do evento. Após a exposição das autoridades convidadas, a comunicação e os agradecimentos da Presidente da FEBAB, o Prof. Emir Suaiden (Ibict), proferiu a conferência magna “Bibliotecas na sociedade em rede, sustentabilidade e políticas públicas”, na qual comentou sobre a batalha e a consciência cívica em prol das bibliotecas públicas na década de 1960 no Brasil, fez referência a vários autores da área, sobretudo no campo da leitura, política e sociedade. No final, apresentou-se o grupo “Revoada Pantaneira”. Às 21h, foi oficialmente aberta a Feira de Produtos e Serviços e foi oferecido um coquetel aos participantes e convidados. Cerimônia de Abertura Composição da mesa Árvore dos Amigos Apresentação Grupo Revoada Pantaneira
  3. 3. 3 2.3) Palestras assistidas No período da manhã (das 9h às 13h), houve diversos eventos simultâneos relacionados à Comissão Brasileira de Bibliotecas Universitárias – CBBU; ABECIN; CFB; Reunião aberta FEBAB /Associações e Comissões; Reunião BIREME / BVS; Mostra Vídeo Saúde - ICICT / FIOCRUZ, entre outros eventos. Destacamos I Fórum de Debates sobre Bibliotecas Públicas - Biblioteca Pública: caminho de acesso à informação. Promovido pelo Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas / Fundação Biblioteca Nacional, do qual as participantes estiveram presentes. O fórum sobre bibliotecas públicas ocorreu numa sala pequena e superlotada. Programado para iniciar com uma mesa redonda proposta por Ilce Cavalcanti (FBN) e Fabiano dos Santos (MinC/Coordenador de Articulação Federativa do Programa Mais Cultura), porém, o representante do MinC não compareceu ao evento que iniciou, de fato, com uma apresentação realizada pelas bibliotecárias da Fundação Biblioteca Nacional, Ilce Cavalcanti e Maria Ione Caser da Costa. Ilce apresentou a relação de bibliotecas implantas nos últimos anos, indicou a disponibilização destes dados no site da Biblioteca Nacional e relatou as dificuldades no cumprimento do objetivo de zerar o número de municípios brasileiros sem biblioteca pública. Para garantir que nos municípios com bibliotecas recém implantadas tenham bibliotecários em seu quadro de funcionários, a coordenação acadêmica da UFRJ estuda a grade de um curso de graduação em Biblioteconomia à distância. Ilce esclarece que esta é uma proposta do CFB ao MEC, ainda não aprovada. Comentou que há um projeto da IFLA para treinamento dos bibliotecários de bibliotecas públicas para uso da Internet e fontes de informações online. As 410 bibliotecas públicas implantadas no período de 2005 a 2009 receberam mobiliários e equipamentos, além dos kits de implantação (acervo). Para 2010, as bibliotecas receberão também telecentros. Como contrapartida, as prefeituras devem fornecer o espaço físico, verba anual para contratação de profissional, linha telefônica, o prazo de três meses para inauguração, o envio de relatórios com fotos sobre a inauguração e andamento das atividades. Após três anos, o mobiliário torna-se patrimônio do município. Em relação à compra de acervo, todas as áreas do conhecimento foram contempladas. Esta atividade foi desenvolvida pela BN, mas a partir deste ano, 50% das compras serão realizadas pelas prefeituras dos municípios, algo que, infelizmente em nosso país, representa um risco de que o valor seja destinado a outros fins. Para o período de 2009/2010, há a previsão de implantação de bibliotecas públicas em mais 250 municípios, a modernização de bibliotecas em outros 556 municípios e, como fortalecimento do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas, a Fundação Getulio Vargas foi contratada para realizar um censo e acompanhar a implantação de bibliotecas públicas nos municípios, pois conforme Ilce Cavalcanti, até hoje não há certeza sobre o número exato de bibliotecas públicas implantadas e que continuam suas atividades. Comentou também sobre o site da BN como importante fonte de informações sobre cursos de atualização para a área e divulgação de ações.
  4. 4. 4 A seguir, destacamos as apresentações abaixo: Regina Célia Montenegro de Lima, apresentação sobre Bibliotecas públicas: informação, sincronicidade e inclusão social. • Tratou da importância do diagnostico, planejamento e avaliação em bibliotecas e relatou que quando há o compartilhamento de informações há crescimento geral; • Para Regina, ter computadores nas bibliotecas, ou nas salas de aula, não resolve o problema da exclusão; • Também afirmou que quando as bibliotecas escolares funcionarem, de fato, as bibliotecas públicas conseguirão, finalmente, cumprir o seu papel. Margareth Lopes de Moraes, apresentação sobre Digitalização, projetos multimídias, acessibilidade e cidadania: um estágio profissional em bibliotecas francesas – relato de experiência • Com uma apresentação rica em (belas) imagens, Margareth contou que a climatização do Centro Georges Pompidou atrai o público que, muitas vezes, ficam duas horas na fila para entrar no ambiente. Contou que os livros não são emprestados e tratou da importância da classificação por cores para facilitar a guarda do acervo e, sobretudo, o acesso pelos usuários; • Tratou também da preocupação com o desbastamento. • Mostrou imagens da Mediateca voltada à população. • Notou que em muitas bibliotecas há voluntários de diversas áreas que dão dicas sobre como obter emprego, há médicos voluntários que esclarecem dúvidas, entre outros. • Afirma que independente do espaço físico é possível dinamizar a biblioteca pública. Alex da Silveira, em sua apresentação sobre o uso do QR Code (O QR Code em periódicos brasileiros e o tratamento da informação codificada pela Biblioteca Nacional) abordou a aplicabilidade do QR Code para os seguintes objetivos: • Utilização do QR Code como alternativas de jornais impressos; • Desdobramento do uso do QR Code, gerando necessidade de arquivamento de webjornais e da própria internet; • Indagação sobre a possibilidade de uso do QR Code no processamento técnico; • A aplicação do QR Code em periódicos e a problemática da preservação digital; • Iniciativas já iniciadas e ampla discussão sobre web arquivamento no Brasil e no exterior.
  5. 5. 5 Às 13h iniciam-se as apresentações, que também ocorreram de modo simultâneo em cinco salas e, de um modo geral, trataram de questões relacionadas ao acesso e competência em informação. Algumas palestras versaram sobre a importância dos metadados para a interoperabilidade e a busca de informações. Houve ainda algumas apresentações sobre gestão sustentável, digitalização de acervos, a implantação e gestão de bibliotecas comunitárias. Em muitas exposições ficou clara a existência de uma rede de infoinclusão social, a qual dependerá do uso virtuoso que a sociedade, sobretudo, o poder público fará dos recursos de tecnologia de informação e comunicação. Pois, a existência destes recursos, por si só, não garantem o acesso e apropriação dos recursos de informação. Nos trabalhos científicos e relatos de experiências apresentados, também foi possível notar a preocupação em aliar os recursos tecnológicos ao acesso à informação para pessoas portadoras de deficiências. Algumas reflexões propostas: temos um grande fluxo de informações disponíveis, mas e a apropriação? Que usos são feitos destes conteúdos? 3) APRESENTAÇÃO REALIZADA SOBRE O JAY JORDAM IFLA/OCLC EARLY CARRER DEVELOPMENT FELLOWSHIP Nossa apresentação ocorreu às 17h20 e foi apreciada por cerca de 40 pessoas. Houve alguns questionamentos sobre como participar do programa de intercambio profissional, se há limites de idade, etc. Relato de Experiência - Rede de experiência intercultural e profissional: tecendo a vivência como fellows do programa IFLA/OCLC em 2006 e 2007 Elisangela Alves Silva (Biblioteca Mário de Andrade, São Paulo, SP) Janete S. B. Estevão (O Boticário, São José dos Pinhais, PR) RESUMO: Relato sobre o programa de intercâmbio profissional realizado nos períodos abril a maio de 2006 e 2007, respectivamente, às bibliotecas e instituições dos Estados Unidos, Holanda e Alemanha como parte do programa patrocinado pela IFLA - International Federation of Library Associations and Institutions, OCLC – Online Computer Library Center e ATLA - American Theological Library Association. Caracterizou-se uma oportunidade para conhecer iniciativas de cooperação regional e global, compartilhamento de recursos informacionais, processos e serviços desenvolvidos por profissionais da informação, além de novas redes de formação profissional.
  6. 6. 6 4) AVALIAÇÃO GERAL DO EVENTO Este CBBD apresentou uma proposta inovadora por ser um evento realizado em uma pequena cidade do interior do País, fator que proporcionou maior convivência e o estreitamento das relações entre os pares, seja nos encontros inevitáveis nas ruas da cidade, no trajeto para o Centro de Convenções, hotéis e pousadas, ou ainda, em algum passeio nos atrativos turísticos. A população local e membros da equipe de organização do evento foram solícitos e acolhedores. A avaliação geral do evento foi muito boa, embora relatamos alguns inconvenientes, entre os quais destacamos o pouco tempo para visita à feira de exposições e também a pouca variedade de stands, a ausência de um restaurante no local, água e café concentrados em mais de um espaço, a ausência de rede wireless, poucos computadores para acesso à Internet, pôsteres concentrados em local com acústica ruim para a apresentação, além de atrasos no primeiro dia e ausências de apresentações de trabalhos, sem prévio aviso. Muitas pessoas também comentaram sobre a ausência da participação, ou menção, da biblioteca pública do município. Percebeu-se que o maior enfoque é para as bibliotecas públicas e universitárias, com algum destaque para as comunitárias, mas as bibliotecas especializadas ou empresariais tem muito pouco destaque, também com pouca representatividade na apresentação de trabalhos. Os trabalhos sobre acessibilidade da Biblioteca e da informação aos deficientes físicos surpreenderam, seja pelas novidades apresentadas em termos de usos tecnológicos ou pelas iniciativas inovadoras com o tratamento do deficiente na biblioteca, em parceria da instituição, do bibliotecário, da comunidade e até com autores de livros. Palestras sobre tecnologia decepcionaram por se aterem muito ao referencial teórico e conceitual, com poucas apresentações práticas e exemplos reais.
  7. 7. 7 5) PRESTAÇÃO DE CONTAS TIPO DESPESAS Período Valor R$ Unidades Total R$ Patrocínio OCLC + 1.644,33 Taxas - 66,24 TOTAL 1.578,09 Inscrição 30/05/09 400,00 2 800,00 Evento Evento Workshop: 05/07/09 50,00 1 50,00 Redes, projetos sociais e cidadania Transfer 04/07 63,50 2 127,00 Transporte Terrestre Terrestre (Ida) Transfer 12/07 55,00 1 55,00 Terrestre (volta) Transfer 04/07 a 20,00 2 40,00 interno – Hotel 09/07 – Centro de Convenções Hospedagem 04/07 a 79,00 5 395,00 Hospeda- Pousada Água 09/07 gem Azul Passagem 04/07 473,54 1 473,54 Aérea GRU- CGR-GRU Transporte Aéreo Passagem 04/07 313,04 1 313,04 Aérea CWB- CGR-CWB Passagem 12/07 179,00 1 179,00 Aérea BYO- CGR Alimentação 04/07 a 150,00 2 300,00 Alimenta- 09/07 ção TOTAL 2.732,58 TOTAL Patrocinado OCLC 57,75% 1.578,09 TOTAL Participantes 42,25% 1.154,49
  8. 8. 8 6) AGRADECIMENTO FINAL Mais uma vez queremos agradecer ao apoio da OCLC e equipe da América Latina, especialmente à Lúcia pelo seu empenho em mediar esse patrocínio. Foi uma importante oportunidade para nossas carreiras, sem dúvida. Porém, poder compartilhar em público sobre o Programa OCLC e os serviços oferecidos por esta Empresa também nos traz um sentimento de gratificação, pois pudemos compartilhar aquilo que testemunhamos ‘in loco’, uma forma de reafirmar nosso compromisso em difundir o aprendizado adquirido no intercâmbio. Nossos sinceros agradecimentos e nos colocamos à disposição para seu apoio no Brasil. Janete e Elisangela

×