Ciclo de vida do produto + inovação

1.462 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Ciclo de vida do produto + inovação

  1. 1. Curso: Gestão de Marketing Unidade Curricular: Gestão de Produto Ano Lectivo: 2008 / 2009 CICLO DE VIDA DO PRODUTO “INOVAÇÃO” Docente: Mestre Luís Schwab TURMA G2NA – GRUPO 3 Ricardo Serrinha nº 207027; Hugo Pereira nº 207038; Susana Alcântara nº 207041; Cláudia Ribeiro nº 207044; Nuno Figueiredo nº 207056; Ricardo Salgado e Melo nº 207079RESUMO: Este trabalho pretende descrever o que é o ciclo de vida do produto com maior incidênciana fase da INOVAÇÃO. Dar um exemplo de um produto na fase da Inovação, e elaborar um “MindMap” de todo o processo.
  2. 2. ÍNDICE: 1. Abstrast...............................................................................................3 2. Conceito de Ciclo de Vida do Produto e sua utilidade......................3 3. Fase da Inovação................................................................................5 4. Exemplo de Inovação.........................................................................6 5. Mind map………………………………………...……………………6 6. Bibliografia e Netgrafia……………………………………………….7 Grupo 3 – G2NA 2008/2009 2
  3. 3. 1. Abstract This paper aims to describe what the product life cycle is, focusing on the innovation stage by describing it, giving an example of a product in that stage and presenting a "Mind Map" of the whole process. 2. Conceito de Ciclo de Vida do Produto e sua utilidadeGráfico I: Representativo do Ciclo de Vida do Produto1O ciclo de vida de um produto é um conceito (ou modelo) que descreve a evolução de um produto ou serviço no mercado. A sua aplicação não é fácil, e embora as suas fases na teoria estejam bem demarcadas, na realidade, à excepção da fase do lançamento, pode não se verificar. A vida do produto está directamente ligada à categoria a que pertence, mas os ciclos de vida do produto e da sua categoria têm muitas vezes fasesdiferentes. Uma crítica à teoria dos ciclos tem que ver com o facto de ela constituir um modelo teórico que não considera os efeitos da concorrência na evolução das curvas de vendas e resultados. A duração das etapas ascendentes pode ser drasticamente encurtada pelo aparecimento de uma inovação concorrente ou de um produto concorrente mais barato. A validade desta crítica reforça o carácter não determinístico dos ciclos. O empresário ou marketeer tem que olhar para a teoria como mera sugestão de análise e não como ferramenta de planeamento. A utilidade desta ferramenta reflecte-se nos dados descritos nos quadros abaixo (Quadros I e II).1 http://images.google.pt/imgres? Fonte:imgurl=http://www.spi.pt/documents/books/inovint/ippo/images/Figura2.2.GIF&imgrefurl=http://www.spi.pt/documents/books/inovint/ippo/acesso_ao_conteudo_integral/capitulos/2.1/cap_apresentacao.htm&h=400&w=600&sz=6&hl=pt-PT&start=1&um=1&usg=__cnBPTSY2iE31ucS0ycksMP7Bt-0=&tbnid=OSVep3lQXEZDlM:&tbnh=90&tbnw=135&prev=/images%3Fq%3DCICLO%2BDE%2BVIDA%2BDO%2BPRODUTO%26um%3D1%26hl%3Dpt-PT%26cr%3DcountryPT%26sa%3DN Grupo 3 – G2NA 2008/2009 3
  4. 4. Quadro I:Principais 5curvas do ciclode vida dosprodutos e dosmercadosQuadro II:Quatro fasesque traduzem aevolução dasvendas.Cada uma dasquais comcaracterísticasespecíficas , e porisso comorientaçõesestratégicasdiferentes.De notar que os mercados têm diferenças pelo que é necessário complementar o queacima está mencionado com factores chave de sucesso de cada mercado específico. 3. Fase da Inovação Grupo 3 – G2NA 2008/2009 4
  5. 5. Gráfico II: Inovação2 e Ciclo3 da mesma: Antes do lançamento de qualquer produto, existe uma fase que diz respeito à Inovação/Criação de um Conceito que está directamente ligada ao Lançamento. Embora a inovação esteja presente em todas as fases do CVP (Gráfico I) o âmbito deste trabalho é a análise à inovação prévia à fase do Lançamento. Garantir que a ideia inovadora formulada na fase de definição e que o esboço do Plano de Inovação desenvolvido na fase de design possa ser realizado na prática e que seja economicamente viável. Não são considerados exclusivamente processos piloto e a produção e teste de protótipos, outros elementos podem integrar o Plano de Inovação (ex.: formação, marketing, distribuição, instalação e teste nas condições do mercado). Resultados dos testes são incorporados num Plano de Inovação revisto. Investidores poderão tomar uma decisão final relativamente ao seu envolvimento com base neste documento. Apesar da importância do desenvolvimento de planos e da realização de pesquisas e de análises, a base do sucesso da inovação continua a depender da experimentação. Um processo de inovação é por natureza um processo imprevísivel e este factor não é eliminável pela elaboração de planos, por mais completos que sejam. Ensaios, teste de protótipos e pilotos são a única forma segura de saber se a ideia realmente funciona e de identificar defeitos e oportunidades de melhoria antes de iniciar a fase de lançamento. A realização rápida de pequenos testes pode encurtar o ciclo de inovação, conseguindo estar em menos tempo no mercado, o que é crucial em mercados muito competitivos. 4. Exemplo de Inovação2 Fonte: Inovação Estratégia para a RAM de Maio de 2003 - Madeira Tecnopolo – Pólo Científico e Tecnológico da Madeira– Programa Regional de Acções Inovadoras3 Fonte:http://www.spi.pt/documents/books/inovint/ippo/acesso_ao_conteudo_integral/capitulos/3.4/cap_apresentacao.htm3 Grupo 3 – G2NA 2008/2009 5
  6. 6. A liderança do mercado foi conseguida quando lançou a primeira lâmina. Hoje elas são, tal como a Coca-Cola, um produto universal, disponível em qualquer lugar. As constantes inovações não dão oportunidades aos rivais....” King C. Gillette esforçava-se por se barbear numa manhã de 1895,quando a ideia lhe ocorreu. A utilização de um suporte com lâminas recarregáveis chegou-lhe «mais conforme a rapidez de um sonho do que como um lento processo de raciocínio».Nessa data, Gillette tinha 40 anos e era um vendedor-estrela de rolhas de cortiça para aindústria cervejeira na Crown Cork & Seal. William E. Nickerson foi a ligação indispensávelentre a visão e a realidade. Sondado, este químico, que se encontrava a desenvolverequipamentos de segurança para elevadores em Boston, replicou: «Na minha opinião, osucesso da máquina de barbear depende da produção de uma lâmina perfeita quecombine a sua diminuta espessura com uma grande dureza e resistência que permitao seu uso repetidas vezes sem grande deterioração.» Tendo cedido os direitos sobre assuas invenções à empresa fundada por King C. Gillette (American Safety Razor) porum salário de 160 dólares, Nickerson deitou mãos à obra.”... 4 5. Mind map 6. Bibliografia e NetgrafiaMERCATOR XXI – Teoria e Prática do Marketing (Lindon, Denis; Lendrevie, Jacques; Rodrigues,Joaquim Vicente; Lévi, Julien; Dionísio, Pedro) – 10ª Edição Outubro 2004 – PUBLICAÇÕESDOM QUIXOTE.Inovação Estratégia para a RAM de Maio de 2003 - Madeira Tecnopolo – Pólo Científico eTecnológico da Madeira – Programa Regional de Acções Inovadoras • http://www.knoow.net/cienceconempr/gestao/ciclovidaproduto.htm - 22-10-08 ás 23:55 • http://images.google.pt/imgres? imgurl=http://www.spi.pt/documents/books/inovint/ippo/images/Figura2.2.GIF&img refurl=http://www.spi.pt/documents/books/inovint/ippo/acesso_ao_conteudo_integral/c apitulos/2.1/cap_apresentacao.htm&h=400&w=600&sz=6&hl=pt- PT&start=1&um=1&usg=__cnBPTSY2iE31ucS0ycksMP7Bt-0=&tbnid=OSVep44 Fonte: http://www.centroatl.pt/edigest/edicoes/ed49man-c.html Grupo 3 – G2NA 2008/2009 6
  7. 7. 3lQXEZDlM:&tbnh=90&tbnw=135&prev=/images%3Fq%3DCICLO%2BDE %2BVIDA%2BDO%2BPRODUTO%26um%3D1%26hl%3Dpt-PT%26cr %3DcountryPT%26sa%3DN - 22-10-08 ás 23:55• http://prof.santana-e-silva.pt/gestao_de_empresas/trabalhos_06_07/ppt/O%20Ciclo %20de%20Vida%20dos%20Produtos%20e%20a%20GE.pdf - 22-10-08 ás 23:55• http://www.spi.pt/documents/books/hortofruticolas/Wc65f58dd642d7.asp - 22-10-08 ás 23:55• http://www.spi.pt/documents/books/inovint/ippo/acesso_ao_conteudo_integral/capitulos /3.4/cap_apresentacao.htm - 22-10-08 ás 23:55• http://www.centroatl.pt/edigest/edicoes/ed49man-c.html - 27-10-08 ás 12:54 Grupo 3 – G2NA 2008/2009 7

×