MBC_2016

20 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
20
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

MBC_2016

  1. 1. PÓS-GRADUAÇÃO MANAGEMENT & BUSINESS CONSULTING
  2. 2. APRESENTAÇÃO A Pós-graduação em Management & Business Consulting é uma formação avançada nas áreas de gestão e consultoria focada na identificação e implementação das melhores práticas empresariais. O curso desenvolve competências fundamentais no exercicio de consultoria em áreas determinantes de negócio como estratégia empresarial, finanças, marketing e gestão de recursos humanos. No contexto de crise económica que se vive é fundamental uma gestão efetiva das empresas/ organizações apoiada em profissionais especializados que possam diagnosticar, recomendar e apoiar na implementação de best practices com vista a atingir níveis superiores de desempenho. OBJETIVOS • Desenvolver e aprofundar capacidades e compe-tências nos domínios da consultoria de gestão, indo ao encontro das necessidades de formação de executivos de elevado desempenho. DESTINATÁRIOS Quadros de empresas que visem conhecer e aprofundar as metodologias adoptadas pelas principais firmas de consultoria de gestão e pela banca de investimento a nível nacional e internacional. Jovens licenciados visando carreiras nas áreas da consultoria de gestão e que pretendam alcançar níveis superiores de conhecimento e especialização. Consultorescomexperiênciaquepretendamumaactualizaçãodosseusconhecimentos e potenciar a capacidade de realizar cross-selling nas suas organizações através de um melhor conhecimento de outras áreas de consultoria que não a sua. 2 PÓS-GRADUAÇÃO MANAGEMENT BUSINESS CONSULTING COORDENAÇÃO Prof. Doutor Jorge Landeiro deVaz MestreTelmo FranciscoVieira
  3. 3. Duração 242 horas Propina 4.250 € Início Setembro Horário Pós-laboral Alunos a admitir 35 3 MANAGEMENT BUSINESS CONSULTING PLANO CURRICULAR KEY-FACTS BLOCO 1 UNIDADE CURRICULAR CORPO DOCENTE HORAS CRÉDITOS CONSULTING APPROACH Fernanda Barata de Carvalho 15 3 PROJECT MANAGEMENT CONSULTING Paulo Moura 20 4 MARKET RESEARCH CONSULTING Telmo Francisco Vieira 20 4 FINANCIAL MODELING FOR PROJECT FINANCE CORPO- RATE FINANCE I Telmo Francisco Vieira e Tiago Martins.  6 1.5   BLOCO 2 UNIDADE CURRICULAR CORPO DOCENTE HORAS CRÉDITOS HUMAN RESOURCES MANAGEMENT CONSULTING José António Quintino 20 4 MANAGEMENT INFORMATION SYSTEMS CONSULTING Jorge Paulo Baião 20 4 OPERATIONS MANAGEMENT CONSULTING António Marreiros Gonçalves 20 4 FINANCIAL MODELING FOR PROJECT FINANCE CORPORATE FINANCE II Telmo Francisco Vieira e Tiago Martins.  6 1.5   BLOCO 3 UNIDADE CURRICULAR CORPO DOCENTE HORAS CRÉDITOS STRATEGIC MANAGEMENT CONSULTING Rui Pedro Baptista 20 4 CORPORATE FINANCE CONSULTING Pedro Silva Costa 20 4 TAX LEGAL MANAGEMENT CONSULTING José da Costa Alves 20 4   BLOCO 4 UNIDADE CURRICULAR CORPO DOCENTE HORAS CRÉDITOS CORPORATE GOVARNANCE CONSULTING Rita Maltez 15 3 PROJECT FINANCE CONSULTING Telmo Francisco Vieira e Luís Teles 20 4 CHANGE MANAGEMENT CONSULTING Jorge J. Landeiro de Vaz 20 4
  4. 4. UNIDADES CURRICULARES 4 PÓS-GRADUAÇÃO BLOCO 1 CONSULTING APPROACH Fernanda Barata de Carvalho Diagnóstico e Mudança. O papel do Consultor nas Organizações. A lógica da ação dos DirigentesedosConsultores.Oconsultorenquanto“médicoorganizacional”. Generalistaouespecialista? Problemas associados às intervenções de consultoria. Compromissos e erros. Modelos de consultoria. Modelo prescritor, modelo implementador e modelos mistos. O processo da consultoria. Do contacto, à proposta e à intervenção. Perfil do consultor. Características e comportamentos. A relação consultor/cliente. Satisfação eFidelização. PROJECTMANAGEMENTCONSULTING Paulo Moura GestãodeProjetos:conceitosedefinições.Gestãodeprojetos:evoluçãohistórica. Ciclo de vida dos projetos. Maturidade e excelência em gestão de projetos. Projetos: Fatorescríticosdesucesso. Organização e estrutura de gestão de projetos. Formas de organização e estrutura. “Skills”dogestordeprojetos.Funçõeseresponsabilidadesdogestordeprojetos. PSO–ProjectSupportOffice. Gestão do Âmbito. Diferentes tipos de planos de projeto, seu propósito e relacionamento. Âmbito dos projetos. Gestão de alteração ao âmbito dos projetos. Processo e requisitos de controlo de alterações. Planeamento do projeto. Calendarização. Estimativa e controlo de tempo e recursos. Gestão do Custo. Definição e tipos de custos dos projetos. Ciclo de vida do custo. Budgets. Controlo do custo. Gestão do processo de Comunicação. Comunicação verbal entre os vários membros da equipa de Projeto. E-mail. Condução efetiva e proativa das reuniões de acompanhamento e progresso. Minutas de Reunião. Comunicação com recurso a apresentaçõesformais. A importância da documentação e da sua organização. Os Recursos Humanos. PlaneamentodasnecessidadesdeRH.ConstituiçãodaEquipadeProjeto. Desenvolvimento da equipa de Projeto. Gerir a equipa de Projeto. Gestão de Projetos com equipas Transnacionais. Gestão do Risco. Planeamento da Gestão do Risco. Identificação dos Riscos. Análise Qualitativa do Risco. Análise Quantitativa do Risco. PlaneamentoderespostaaoRisco.MonitorizaçãoeControle. Desenvolvimento do Projeto – Uma perspetiva Integrada. Definição e Gestão das expectativas dos Clientes. Relatórios de Progresso. Gestão dos Relatórios de ProgressodaEquipadeProjeto.DesenvolvimentodeReuniõesdeProgressodaEquipa de Projeto – Metodologia e objetivos. Comunicação do Progresso do Projeto aos diferentes Stakeholders. Atualização do Planeamento do Projeto. Acompanhamento eGestãodoOrçamento–ComomanterocontroledoOrçamentodoProjeto. CaseStudy.CaseStudy1.CaseStudy2. MARKETRESEARCH CONSULTING Telmo Francisco Vieira Apresentação.Visão geral dos objetivos, conteúdo e forma de avaliação da disciplina. Enquadramento e definição de Market Research. Enquadramento e definição de Market Research Consulting. O Market Research Consulting enquanto extensão natural do Market Research. O processo do Market Research. O Market Research enquantonegócio.OprocessoautilizarnarealizaçãodeumMarketResearch. Apresentaçãodoprojetodetrabalhoparaacadeira. APropostadePrestaçãodeServiços.ApropostadeprestaçãodeserviçosemMarket Research.Apropostadeprestaçãodeserviçosemconsultoriaemgeral. caso(s) prático(s) sobre elaboração e apresentação de propostas de prestação de serviços de consultoria. Técnicas de Recolha de Informação. Observação. Focus Groups.Entrevistas.casopráticosobretécnicasderecolhadeinformação. ElaboraçãodoQuestionário Componentes de um questionário. O Desenho de um questionário. Decisão sobre o conteúdo das questões. Decisões sobre o formato da resposta. Decisões sobre a redacção das questões. Decisão sobre a sequência das questões. Decisões sobre as característicasfísicas.Pré-teste,revisãoeversãofinaldoquestionário.Concepçãode um questionário internacional. Exemplos de questionários (bem e mal estruturados). caso(s)prático(s)sobreaelaboraçãodequestionários. TécnicasdeAmostragem.Oprocessodedesenhodaamostra.Definiçãodapopulação. Determinação do frame de amostragem. Selecção da técnica de amostragem. Determinação da dimensão da amostra. Execução do processo de amostragem. Validaçãodaamostra.Adimensãodaamostra.MedidaseEscalas.Conceitodemedida. Propriedades das escalas de medida. Introdução à Análise de dados.Verificação e codificação.Inferênciaestatísticaeescolhadeumtesteestatístico. AApresentaçãodoRelatórioFinaldeConsultoria.Realizaçãodecasestudy-parceria IDEFE/BIAL. FINANCIAL MODELING FOR PROJECTFINANCE CORPORATE FINANCE I Telmo Francisco Vieira eTiago Martins. Visão global de um modelo financeiro integrado. O excel enquanto ferramenta para elaboraçãodemodelosfinanceirosparaProjectFinanceeCorporateFinance.Funções maisrelevantesdoexcelparaconstruçãodefolhasdecálculo. BLOCO 2 HUMAN RESOURCES MANAGEMENTCONSULTING José António Quintino(EGOR) Introdução. A importância da Gestão de Recursos Humanos no sucesso das Organizações.ADinâmicadoMercadodeTrabalho.AGestãodeR.H.noSéc.XXI: A Importância do Capital Humano. Algumas variáveis que influenciam a gestão de recursoshumanos.AMotivação.OClimaOrganizacional.AComunicação.ALiderança: EstilosdeLiderança.AInteligênciaEmocional.CasosPráticos. Recrutamento e Seleção de pessoal / avaliação do potencial. Distinção entre Recrutamento, Seleção e Avaliação do Potencial. A importância dos Processos de recrutamento, Selecção e Avaliação de Quadros na Gestão de R.H. As diferentes Estratégias de Recrutamento e sua adequação ao Perfil a Recrutar: Anúncio, Base de Dados e Head-Hunting. O E-Recruitment: sua importância na atualidade. RecrutamentoInternovsRecrutamentoExterno:Vantagensedesvantagens.Técnicas de Seleção: Testes Psicométricos, Testes de Personalidade, Entrevista, Provas de Grupo, Role Plays... Casos Práticos sobre o desenvolvimento de Processos de RecrutamentoeSeleção. Formação de Quadros. O Papel da Formação no desenvolvimento de carreira. A importância da Formação na criação de Profissionais de Excelência. Formação Intra- Empresas. Formação Inter-Empresas. Formação Outdoor vs Formação Indoor. Casos PráticossobreProcessosdeFormação. Análise e Qualificação de funções e Avaliação do desempenho. O posicionamento da A.Q.F nas Organizações acuais. A descrição de funções: metodologias. Casos práticos sobre a Descrição de Funções. A importância da Avaliação do Desempenho nas Organizações. Metodologias utilizadas. Problemas ocorridos na Avaliação do Desempenho: os erros de observação. A importância da Entrevista estruturada. Casos práticos sobre a Entrevista de Avaliação do Desempenho. Gestão de Carreiras: um processo dinâmico e interativo. A importância do 1º Emprego: o ontem, o hoje e o amanhã. Como planear a Carreira: vantagens face ao mercado, valorização pessoal e profissional,aimportânciadoCurriculumVitae...AsameaçasdaEconomiadoSéc.XXI. CasosPráticos. Estudo da Empresa “PSI”. Diagnóstico da Empresa/detecção de problemas. Definição “deestratégias”.Conclusões. MANAGEMENTINFORMATION SYSTEMS CONSULTING Jorge Paulo Baião AFunção“GestãodeSistemasdeInformação”.Articulaçãonocontextodaestruturada Empresa.FactoresdeEvolução.InformaçãoeConhecimento–ImpactonasEmpresas. VisãoIntegradadosSistemasdeInformação. OConsultoreopapeldoCIO. As competências base. O relacionamento com a Direção Executiva. O Framework de gestão.OModelodegestãodenecessidadesedeconstrangimentos.CasosdeEstudo. As componentes da Função de “Gestão de Sistemas de Informação”. O Modelo organizacional. O Modelo de governação e de funcionamento. O Planeamento e Processos.AgestãodeRecursosHumanos.Gestãodealiançasedeparceiros. AarticulaçãocomoNegócio.OProcessodeorçamentação.Osciclosdeinvestimento. A gestão de pedidos e os acordos de prestação de serviço. O Modelo de alinhamento comaestratégiadenegócio.
  5. 5. 5 MANAGEMENT BUSINESS CONSULTING UNIDADES CURRICULARES OPERATIONS MANAGEMENTCONSULTING António Marreiros Gonçalves Introdução.Apresentação.Visãogeraldosobjetivoseconteúdodadisciplina.Revisão deconceitosbásicosdegestãodeoperações:sistemasdeprocuraeoferta,cadeiade valor,planeamentodeatividades,forecastingedesenhodeprocessos. Desenho de Processos. Introdução ao desenho de processos. O que é um processo. Análise as is e to be, selecção de processos, metodologia de desenho e escolha de tecnologia. Análise e optimização de fluxo de operações, projetos de layouts. Análise de casos particulares em diferentes tipos de indústrias. A diferença entre make to order e make to stock. Características genéricas de diferentes tipos de processos. O papeldaconsultorianareengenhariadeprocessos. Planeamento de Atividades. Planeamento estratégico, táctico e operacional. Forecasting. Estratégia de localização de centros de processamento. Planeamento de requisição de materiais. Metodologia MRP e gestão de stocks. Planeamento de capacidades e escalonamento. Carregamento de máquinas e operadores. Casos práticos de escalonamento de linhas de produção. Escalonamento de projetos. AnálisedeRedesPERT.MétododedeterminaçãodeCaminhosCríticos.Planeamento decapacidadesinfinitaefinita.Introduçãoaosprocessosdemodelizaçãoesimulação daprodução. O Just in Time. A produção Just in Time. O que é o Kanban. O uso de Kanbans. Layouts para sistemas de produção Just in Time. O efeito do JIT em fornecedores, clientes e operadores.CasospráticosdeutilizaçãodesistemasJITeQuickResponse. A Gestão de Qualidade. A criação de sistemas de gestão de qualidade. O controlo de qualidade por processos estatísticos. Processos de melhoria contínua. Controlo de qualidadeemambientesindustriais.Exemplosdeprocessosdecontrolodequalidade. Gestão da Força de Trabalho. Processos de gestão de forças de trabalho. Controlo do trabalho. Objetivos do Departamento de Tempos e Métodos. A criação de células flexíveis de trabalho. Indicadores de desempenho. Novas metodologias na gestão de forçasdetrabalho.Casospráticosdeprocessosdegestãodamudança. OPapeldaConsultorianaOptimizaçãodeOperaçõeseAtividades. Projetos de reengenharia de processos. Metodologia de implementação de projetos Quick Response e JIT. Casos práticos de implementação de melhorias em layouts fabris. Metodologia de implementação de projetos Supply Chain Management. Casos práticosdeprojetosdegestãoeoptimizaçãodeoperaçõeseatividades. FINANCIAL MODELING FOR PROJECTFINANCE CORPORATE FINANCE II Telmo Francisco Vieira eTiago Martins. Construção de cenários. Exemplos de folhas de cálculo para a área de Project Finance /CorporateFinance.Elaboraçãodemacros. BLOCO 3 STRATEGIC MANAGEMENTCONSULTING Rui Pedro Baptista Serviços de consultoria estratégica: caracterização do mercado, procura e oferta. NoçõesdeCorporateStrategy:assessoriadealtadireçãoetipologiadecomunicação. Competitive Intelligence e Scenario Planning. Alliance Value Chain Management. Internacionalização e Marketing entry Strategies. Business Model Innovation. Portfolio Management. Organizational Strategies Governance Models. Strategic PlanningControl.AbordagemComercialemConsultoriaestratégicadealtadireção. CORPORATE FINANCE CONSULTING Pedro Silva Costa Apresentação.Visão geral dos objetivos, conteúdo e forma de avaliação da disciplina. Revisão de conceitos financeiros: valor temporal do dinheiro, custo do capital, valor actualizado, risco e retorno. Mergers Acquisitions.Introdução ao MA. O que são fusões e aquisições. Metodologia e processo de aquisição de empresas. Metodologia e processo de alienação de empresas. Factores críticos de sucesso das operações de MA.Duediligencefinanceiraelegal.Osdocumentosdatransação. Os documentos da prestação de serviços de assessoria e consultoria. Exercícios práticos. A avaliação de empresas. Modelos de avaliação (Cashflows actualizados. Múltiplos. Opções). Análise do desempenho passado. Projeção do desempenho futuro. Custo de capital. Valor em continuidade. Ativos e passivos não afectos à exploração. Modelizaçãofinanceira.Erroseomissõescomuns.Descontodeliquidez.Participações minoritáriasemaioritárias.ResultadoeRelatóriodeavaliação. Casosespeciais.Exercíciospráticos. Prática de Assessoria em Corporate Finance. Introdução. As valências de Corporate Finance na assessoria às empresas. Resolução de casos: MA e Avaliação de Empresas. Apresentação formal em sala. Elaboração de propostas e relatórios. Avaliaçãodaperformancedoassessor. TAX LEGAL MANAGEMENTCONSULTING José da Costa Alves (DGCI) ImpostosobreoRendimentodasPessoasSingulares(IRS).Oconceitoderendimento noIRSAspectosanalíticosdoIRS.Impostosobreorendimentodaspessoascoletivas (IRC). Regime Especial de Tributação dos Grupos de Sociedades: Âmbito e condições de aplicação. Determinação do lucro tributável do grupo. Regime específico de deduçãodeprejuízosfiscais. BLOCO 4 CORPORATE GOVERNANCE CONSULTING Rita Maltez (Abreu Advogados) Enquadramento Internacional. Enquadramento Nacional. Modelos de Corporate Governance. Aspectos nucleares do Corporate Governance. Síntese das Melhores Práticas. “ResoluçãodeCasosPráticos”. PROJECTFINANCE CONSULTING Telmo Francisco Vieira eTiago Martins. ComonasceuoProjectFinance.NecessidadesdoEstado.ProjectFinancevsCorporate Finance.QuandousaroProjectFinance. O conceito de “recurso”. Eurostat – questões relevantes. Procedimentos concursais. Os vários modelos de envolvimento do sector privado. Questões relevantes para os promotores.OCasoBase.Ummodelofinanceirocomplexo.Oseupapelnoprojeto. Sua estrutura e construção.Os Rácios relevantes RCASD, RCVE, TIRs. A caixa no projeto – c/ caixa e s/ caixa. Debt-to-Equity. Estruturas de Financiamento. A alavancagem. Estruturas de dívida. Instrumentos de equity. Estrutura contratual. Conceito turn-key. Conceito back-to-back. Contrato de financiamento. Contrato de OM. Contrato de Empreitada. O Risco Definição de risco. Tipos de risco. Sua caracterização. Processo de gestão de risco. Matriz de Riscos. Alocação e mitigação de riscos. O banco agente. A due diligence técnica, seguros, modelo financeiro, legal. Entidadesenvolvidasnaestruturação.Sumáriodaspreocupaçõesdosbancos. Aestruturadeumcontratodeconcessão.Reequilíbriofinanceiro.Resgate,sequestro e rescisão contratual. Força Maior. A estrutura de um contrato de financiamento. Condições precedentes. Declarações e garantias. Undertakings – positivos e negativos.Incumprimento.Covenants. CHANGE MANAGEMENTCONSULTING Jorge J. Landeiro de Vaz Introdução. A Gestão da Mudança como disciplina científica. A Consultoria em Gestão da Mudança. Questões éticas na gestão da mudança. Estratégia e gestãodaMudança.Abordagensàestratégia.Abordagensàgestãodamudança. Fundamentos teóricos. A abordagem planeada. A abordagem emergente. Metodologias de mudança organizacional. O conhecimento organizacional. “ActionResearch”.O“BalancedScorecard”.CasosdeGestãodamudança.
  6. 6. 6 PÓS-GRADUAÇÃO CORPO DOCENTE ANTÓNIO MARREIROS GONÇALVES ChiefTechnologyOfficerdaGCBE. MestreemGestãodeEmpresas(M.B.A.-EspecializaçãoemGestãoInternacional) pelaUniversidadeCatólicaPortuguesaeemEngenhariaMecânicapeloInstituto SuperiorTécnico(UniversidadedeLisboa). FERNANDA BARATA DE CARVALHO LicenciadaemCiênciasFarmacêuticaspelaUniversidadeClássica DirectoradeRecursosoHumanosnaAccenturePortugaleMoçambique JORGE LANDEIRO DE VAZ ProfessorAssociadodoISEG. DoutorEuropeuemCiênciasEconómicaseEmpresariais. Pós-GraduadoemMarketingManagementpelaUniversidadedeHarvard. MestreemGestãopeloISEG. JORGE PAULO BAIÃO 15anosdeexperiêncianomundoempresarial,ocupandovárioscargos deDireçãoemempresasMultinacionais,quernaáreafinanceira,querna consultoriaestratégica. LicenciadoemPsicologianoramodasorganizações. JOSÉ ANTÓNIO VAZ QUINTINO PartnerdoGrupoEGOR. MestreemPsicologiapeloInstitutoUniversitáriodeCiênciasPsicológicas, SociaisedaVida. LicenciadoemPsicologiapeloISPA. JOSÉ DA COSTA ALVES Jurista(AutoridadeTributáriaeAduaneira). LicenciadoemDireitopelaFaculdadedeDireitodeLisboa-UCL. PAULO MOURA LicenciadoemEngenhariaCivilpeloInstitutoSuperiorTécnico. MBAemGestãoGeralpelaUniversidadeCatólicaPortuguesa. AdministradordaINVESTOCSGPS PEDRO SILVA COSTA Antigo-SeniorManager,naáreadeGlobalRiskManagementSolutions daPricewaterhouseCoopers. Pós-GraduadoemMercadosFinanceirospeloISGB. LicenciadoemEconomiapelaUniversidadeNovadeLisboa. RITA MALTEZ SóciadaAbreuAdvogadosdesde2008. LicenciadaemDireitopelaFaculdadedeDireitodaUniversidadedeLisboa. InscritanaOrdemdosAdvogadosPortuguesa. RUI PEDRO BAPTISTA DoutoradoemEstratégiapeloISCTE. MestreemGestão(Finanças). TELMO FRANCISCO VIEIRA PartnerdaPremiValorConsulting. AssistenteConvidadodoISEG. RevisorOficialdeContasinscritocomon.º1458naOrdem dosRevisoresOficiaisdeContas. AntigoManagerdodepartamentodeAdvisory SevicesnaPricewaterhouseCoopers. MembrodoConselhoFiscaldeumBancoemPortugal. M.B.A.peloInstitutoSuperiordeEconomiaeGestão. DoutorandoemGestãopeloInstitutoSuperiordeEconomiaeGestão. TIAGO MARTINS DiretoreCorporateFinancedaKPMG. MestrandoemFinançaspeloISCTE. LicenciadoemOrganizaçãoeGestãodeEmpresas,ISCTE.
  7. 7. 7 MANAGEMENT BUSINESS CONSULTING CANDIDATURAS E PROPINAS Sãoaceitescandidaturasdelicenciados,ououtrosdetentoresdegrauacadémico superior equivalente ao 1º ciclo, por instituições de ensino superior portuguesas, em diferentes especializações, ou com grau equivalente obtido em instituições estrangeiras. Podem ainda ser admitidos à inscrição no curso não licenciados detentores de um currículo profissional que seja reconhecido como atestando capacidadeparaarealizaçãodocurso. A selecção dos candidatos à matrícula é da exclusiva competência e responsabilidade da Comissão de Admissão e será realizada em obediência ao seguinteconjuntodecritérios: a)Classificaçãodalicenciaturaoudistintograuacadémico; b) Currículo profissional, relevando-se a experiência no âmbito das atividades ligadasaosector; c)ApoiodacandidaturaefectuadapororganizaçãodosectoroupelaUniversidade. CandidaturasonlineemIDEFE.PT CALENDÁRIO OCursoteráinicioemSetembro.Asaulasdecorremtrêsdiasdasemana(emregimepós-laboral). PROPINAS Aspropinasdocurso,nototalde4.250€. Descontodeprontopagamento:10%sobreovalortotaldaspropinas(valordamatrículanãoabrangido) Válidoatéàdatadepagamentoda1ªpropina. Osdescontosnãosãoacumuláveis. iseg.pt iseg.pt Secretariado secretaria@idefe.pt Tel: +351 21 392 5889 NOTA: A informação desta brochura está atualizada à data de impressão. CONTACTOS www.idefe.pt
  8. 8. Open minds for a changing world WWW.ISEG.ULISBOA.PT PG|MBC2016V1

×