Historia dos teclados

20.762 visualizações

Publicada em

História dos Teclados
História, Patentes e registos até chegarmos ao teclado que conhecemos hoje.

Publicada em: Tecnologia, Diversão e humor
1 comentário
6 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
20.762
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
386
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
335
Comentários
1
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Historia dos teclados

  1. 1. Teclados<br />Dalila<br />
  2. 2. História dos Teclados<br />Christopher Latham Sholes<br />A origem dos teclados de hoje em dia veio da invenção da máquina de escrever criada por Christopher Latham Sholes em Setembro de 1867.<br />A máquina de escrever foi patenteada no ano seguinte.<br />Começou a ser fabricada pela Remington Company em 1877.<br />
  3. 3. História dos Teclados<br />Diversos dispositivos que imprimiam dados alfanuméricos eram usados no começo do século vinte.<br /> Fitas de papéis perfurados foram testados usando o telégrafo antes de 1881.<br /> O código Morse sonoro foi utilizado até meados de 1917.<br /> Sistemas de cartões perfurados, que usado a muitos anos para controlar máquinas de confeccionar.<br />
  4. 4. História dos Teclados<br />No século vinte a máquina de telétipo uniu-se com a máquina de escrever, onde resultou em um nova forma de comunicação telegráfica, em 1930.<br />Inicialmente essas máquinas imprimiam em uma fita de papel estreita, mas no final dos anos 30 papéis maiores poderiam ser usados. <br />A tecnologia de cartões perfurados criada em 1881.<br />
  5. 5. História dos Teclados<br />Sistemas de cartões perfurados similares foram ligados a máquinas de escrever como teclados.<br />O cartão perfurado, era a base das máquinas de calcular que a IBM estava a vender em 1931. <br />Deste modo o que predominou na segunda guerra foram essas tecnologias.<br />A segunda grande guerra mundial foi importante na criação de computadores.<br />
  6. 6. História dos Teclados<br />Mesmo antes da guerra algumas companhias como a Bell Laboratories começavam a trabalhar com computadores. <br />Em Setembro de 1940 G.R. Stibitiz demonstrou o MODEL 1 que utilizava uma entrada de teclado do telétipo. <br />Essa demonstração foi única porque foi feita através de linhas telefónicas, algo que não seria repetido por mais de uma década.<br />
  7. 7. História dos Teclados<br />Entretanto o próximo marco milionário, foi o desenvolvimento do computador ENIAC em 1946. <br />Esse computador utilizava um leitor de cartão perfurado que era lido pelo ENIAC.<br />Essa máquina foi seguida pelo BINAC em 1948 que utilizava um teclado de máquina de escrever, que escrevia dados directamente nas fitas magnéticas.<br />
  8. 8. História dos Teclados<br />O desenvolvimento comercial das máquinas de escrever electromecânicas semelhante a IBM Selectric, contribuiu para a comercialização desses main frames que eram bem mais “fáceis” de se mexer do que os computadores antigos como o ENIAC.<br />Esse foi um factor que fez a diferença para a comercialização dos main frames.<br />
  9. 9. História dos Teclados<br />Surgimento do VDT ::<br />VDT de vídeo display terminals<br />
  10. 10. História dos Teclados<br />Surgimento do VDT ::<br />Mais tarde o modo de grupo foi comercializado pelas universidades como a MIT que começou a experimentar sistemas Multi usuários, conhecido como a era de compartilhar sistemas, onde cada usuário poderia compartilhar simultaneamente recursos de seus terminais de telétipo.<br />Em 1964, a MIT, Bell Laboratories e a General Eletric desenvolveram um tipo de sistema compartilhado chamado de MULTICS. <br /> <br />
  11. 11. História dos Teclados<br />Com isso a desenvolvimento de vídeo terminais (VDT de vídeo display terminals) aumentaram cada vez mais no final dos anos 60.<br />O VDT juntou a capacidade das máquinas de escrever com a de escrever no ecrã de uma tv, esses foram os primeiros teclados, sem ter que usar a impressão em algum papel, eles apareciam directamente no ecrã, e assim o trabalho era muito mais rápido. <br />Mais tarde em 1967 Control Data e Sanders estavam a fabricar VDT’s. Harris estava a comercializa-los em 1969,e a Hewlett Packard (HP) em 1972. <br />
  12. 12. História dos Teclados<br />O VDT não tinha muitas limitações<br />Os interruptores ligados nas teclas mandavam impulsos eléctricos directamente para os computadores, onde não havia envolvimento mecânico que era sinónimo de lentidão. <br />A única limitação do VDT era a velocidade com que ela era escrita no ecrã, que no começo era relativamente lenta para a capacidade humana de digitar. <br />Mas isso tudo mudará com a revolução do computador pessoal. <br />
  13. 13. História dos Teclados<br />Quase que simultaneamente com a comercialização do sistema de Multi usuário no fim dos anos 60 foi introduzido os minicomputadores pela companhia como a Data General, Prime Computer, Hewlett Packard e outras. <br />Esses computadores eram pequenos e geralmente utilizavam a consola da máquina de escrever.<br />Eles tornaram-se mais populares durante os anos 70, onde a interface de máquina de escrever foi abandonada a favor da tecnologia VDT para essas pequenas máquinas.<br />
  14. 14. História dos Teclados<br />Os anos 70 viram a rápida expansão do main frame e do sistema de compartilhamento nas universidades e companhias privadas.<br />Esses sistemas eram utilizados via modo de grupo para main frames, ou por VDT para sistemas de compartilhamento. <br />No final dos anos 70 e começo dos anos 80 de qualquer modo o uso de cartões perfurados parou quando a IBM, com o sucesso no comercio dos main frames, trocou todas as antigas máquinas por main frames. <br />Foi ai que o VDT alcançou o paradigma do domínio da interface dos computadores. <br />
  15. 15. História dos Teclados<br />No final dos anos 70 o uso dos computadores expandiu significantemente.<br />A expansão dos mini computadores foi graças a alguns universitários tinham como hobby fazer computadores por eles mesmos.<br />Assim muitos computadores vieram dessa época onde era “fácil” montar computadores caseiros.<br />
  16. 16. História dos Teclados<br />A rápida expansão dos computadores não ajudou na prevenção das doenças que os teclados causariam nas pessoas por movimento repetitivo.<br />Quando em 1984 a IBM lançou o PC/AT ele era popular e qualquer pessoa conseguia digitar nele.<br />
  17. 17. História dos Teclados<br />QWERTY ::<br />Uma emissão que ainda não tinha sido mencionada era o layout do teclado.<br />A indústria de layout de teclados padrões possuía um monopólio virtual nos computadores.<br />O QWERTY (olhe no seu teclado e veja essas teclas), é diferente de quando foi criado o teclado em 1880, o de antigamente era para se usar apenas com dois dedos e esse novo design é feito para se usar os dez dedos. <br />
  18. 18. História dos Teclados<br />QWERTY ::<br />Outros layouts de teclado que existiram, era um que se chamava Dvorak, devido ao seu inventor August Dvorak.<br />Em 1936 ele analisou a língua inglesa e viu quais eram as letras usadas mais frequentemente.<br />Então ele reorganizou as teclas no teclado na caixa alta deixando as mais usadas em cima, e em baixo ele colocava as letras menos usadas, e por ai a diante.<br />Infelizmente esse layout não pegou, tudo porque ele era menos eficiente que o outro.<br />
  19. 19. História dos Teclados<br />QWERTY ::<br />Tipos de teclado.<br />
  20. 20. História dos Teclados<br />QWERTY ::<br />E o tempo passou, e ainda temos QWERTY como o padrão de teclados no mundo.<br />Mas no futuro os computadores não precisaram mais de teclado, será por reconhecimento de voz, e tudo que se fale será “digitado” no ecrã.<br />Enquanto esse tempo não chega teremos os problemas de movimentos repetitivos por uso dos teclados QWERTY<br />
  21. 21. Evolução dos Teclados<br />A primeira máquina que apareceu foi de Rasmus Malling-Hansen que era a mãe de todas as máquinas de escrever.<br />Quando um botão era pressionado, o pistão correspondente pressionava uma fita ou papel carbono sobre o papel, imprimindo a letra.<br />
  22. 22. Evolução dos Teclados<br />A segunda grande máquina de escrever foi inventada por um americano chamado Christopher Sholes e produzida pela E. Remington & Sons a partir de 1873.<br />Em 1961 a IBM troca os tipos de suas máquinas de escrever pela esfera.<br />Um pouco maior do que uma bola de golfe, a esfera tinha as letras gravadas ao contrário em sua superfície e deslizava sobre a fita embebida em tinta (ou de carbono, nos últimos modelos).<br />Além disso, tinha uma função de correcção de erros. <br />
  23. 23. Evolução dos Teclados<br />Na década de 1920 apareceu máquina eléctrica, que usava um motor para mover os tipos quando as teclas eram pressionadas.<br />O teclado aparece comercialmente como dispositivo para entrada de dados em máquinas como o ASR 33 da Teletype Corp., um teléx que transmitia dados ligado a uma rede semelhante à telefónica e armazenava-os em cartões perfurados.<br />Foi sucedido por versões que usavam telas de vídeo no lugar dos cartões e por impressoras matriciais.<br />
  24. 24. Evolução dos Teclados<br />De seguida a IBM lançou a linha de máquinas electrónicas que tinham uma memória interna capaz de armazenar até 8.000 caracteres.<br />Os aparelhos eram editores de texto com as funções básicas do word: formatavam margens, parágrafos, colunas, fontes.<br />
  25. 25. Evolução dos Teclados<br />No ano seguinte apareceu o teclado 101 teclas, que era o pai de todos os teclados como os conhecemos hoje foi introduzidas também pela IBM e a dotado por fabricantes de todo o mundo. <br />
  26. 26. Evolução dos Teclados<br />Até seu surgimento, em 1984, a posição de algumas teclas de ajuda variavam de acordo com o modelo e marca. <br />Apesar de muitas vezes ser questionada quanto à qualidade do Windows, a Microsoft é reconhecida pela contabilidade de seus teclados. <br />
  27. 27. Evolução dos Teclados<br />Seu famoso teclado Natural foi lançado em 1994, antecipando o Windows 95 com três teclas que realizam funções específicas do sistema operacional. <br />Desde então, já ganhou muitas novas características, como ergonomia e botões de controlo multimédia. <br />A grande maioria dos teclados é de plástico. <br />
  28. 28. Futuro dos Teclados<br />
  29. 29. Futuro dos Teclados<br />TecladoOptimusTactus<br />
  30. 30. Futuro dos Teclados<br />Qualquer parte da superfície do teclado pode ser programada para executar qualquer função ou para exibir as imagens.<br />
  31. 31. Futuro dos Teclados<br />Modo de digitação<br />
  32. 32. Futuro dos Teclados<br />Modo de vídeo<br />Optimus Tactus não tem teclas físicas, o que significa que não há restrições à sua forma e tamanho. <br />Qualquer parte da superfície do teclado pode ser programado para executar qualquer função ou para exibir as imagens. <br />
  33. 33. Reparação dos Teclados<br />
  34. 34. Reparação dos Teclados<br />Manutenção do teclado<br />O lixo é um dos grande causadores de problemas no teclado.<br />Não só o lixo, mas vários tipos de pequenos objectos podem cair no seu interior, causando problemas. <br />Vamos ver os primeiros passos para resolver problemas ligeiros, e só depois passaremos aos problemas mais complicados.<br />
  35. 35. Reparação dos Teclados<br />1º Passo (sujidade)<br />Problemas básicos - O teclado tem tendência em acumular muito lixo no seu interior.<br />Lá podemos encontrar coisas inimagináveis como por exemplo: pó, cabelos, pelos, migalhas, insectos mortos, entre outros;<br />
  36. 36. Reparação dos Teclados<br />2º Passo (Limpeza)<br />Reparação de problemas básicos - Para limpar o teclado retire os parafusos existentes na parte de baixo.<br />Dessa forma a tampa<br />superior e a inferior ficarão soltas, podendo ser retiradas, dando acesso à parte electrónica do teclado. ;<br />
  37. 37. Reparação dos Teclados<br />Retirar os parafusos assinalados, para soltar o teclado.<br />
  38. 38. Reparação dos Teclados<br />2º Passo (Limpeza)<br />2.1 - Reparação de problemas básicos - Em muitos teclados podemos encontrar uma grande placa de circuito impresso onde ficam presas as teclas.<br />Em outros teclados a placa de circuito é pequena, e existem painéis plásticos nos quais existem condutores flexíveis que ligam cada tecla ao circuito electrónico do teclado.<br />Em alguns teclados a placa de circuito fica aparafusada internamente à tampa inferior.<br />Esses parafusos devem ser também retirados. <br />
  39. 39. Reparação dos Teclados<br />2º Passo (Limpeza)<br />2.2 - Reparação de problemas básicos - As tampas do teclado devem ser limpas com perfez.<br />As teclas devem ser removidas, uma a uma.<br />Para soltar uma tecla basta puxá-la para cima.<br />Algumas teclas maiores possuem um pequeno mecanismo constituído de um pino metálico preso a uma guia de plástico, para dar mais firmeza à tecla.<br />Existe uma pequena dificuldade adicional para retirar e colocar essas teclas. <br />
  40. 40. Reparação dos Teclados<br />2º Passo (Limpeza)<br />2.3 - Reparação de problemas básicos - Com uma trincha<br />limpamos todo o lixo existente entre as teclas.<br />Feito isso, podemos usar também o aspirador.<br />As teclas podem ser limpas individualmente, usando uma escova de dentes ou escova de unhas, água e sabão.<br />Veja na figura a baixo a quantidade de lixo acumulado sob as teclas. <br />
  41. 41. Reparação dos Teclados<br />Figura 1- lixo no interior de um teclado, depois de retiradas as teclas.<br />
  42. 42. Reparação dos Teclados<br />2º Passo (Limpeza)<br />2.4 - Reparação de problemas básicos - Colocam-se novamente as teclas nos seus lugares.<br />Para encaixar uma tecla basta apertá-la levemente.<br />A seguir o teclado pode ser fechado e aparafusado.<br />
  43. 43. Reparação dos Teclados<br />3º Passo (Mau contacto das teclas)<br /> Reparação de problemas básicos - Alguns teclados possuem sob suas teclas, pequenos capacitores variáveis sobre uma membrana plástica.<br />Dificilmente apresentam problemas, e a limpeza que esses teclados requerem é um pano húmido.<br />
  44. 44. Reparação dos Teclados<br />Figura 2 – Limpeza de uma cápsula com spray.<br />
  45. 45. Reparação dos Teclados<br />3º Passo (Mau contacto das teclas)<br /> Reparação de problemas básicos - A figura 2 mostra como são formados esses capacitores.<br />As trilhas de circuito da placa formam os terminais do capacitor.<br />Sobre cada um desses circuitos fica apoiada uma pequena peça plástica que se move conforme a tecla é pressionada. <br />
  46. 46. Reparação dos Teclados<br />3º Passo (Mau contacto das teclas)<br /> Reparação de problemas básicos (continuação)-<br />Nessa peça plástica (figura 3) existe um material que funciona como dielétrico.<br />Quando este material se aproxima do circuito da placa, causa uma variação de capacitância, que é reflectida na forma de um pulso de corrente que indica ao microprocessador do teclado que aquela tecla foi pressionada. <br />
  47. 47. Reparação dos Teclados<br />Figura 3 - Peças plásticas com os dielétricos dos capacitores.<br />
  48. 48. Reparação dos Teclados<br />3º Passo (Mau contacto das teclas)<br /> Reparação de problemas básicos -Figura 3 - Peças plásticas com os dielétricos dos capacitores.<br />Deixe a placa de circuito bem limpa, como mostra na figura 4. Use um pano húmido nessa limpeza.<br />Também podemos usar spray para limpeza de contactos.<br />Se uma tecla estiver falhar, é possível que melhore com a limpeza.<br />Se não melhorar, faça a troca da peça plástica.<br />
  49. 49. Reparação dos Teclados<br />Figura 4 - Placa de circuito do teclado.<br />
  50. 50. Reparação dos Teclados<br />3º Passo (Mau contacto das teclas)<br /> Reparação de problemas básicos- Muitos teclados possuem, ao invés de uma placa de circuito, três membranas plásticas sobre a qual são depositadas trilhas de circuito impresso flexível.<br />Limpe essas membranas com muito cuidado, usando um pano húmido. <br />
  51. 51. Reparação dos Teclados<br />3º Passo (Mau contacto das teclas)<br /> Reparação de problemas básicos - Existem teclados que possuem sob cada tecla, pequenas cápsulas (figura 5)que funcionam como capacitores variáveis, mas cujo dielétrico é formado por espuma plástica ou mesmo por peças plásticas como as da figura 2.<br />O lixo no interior dessas cápsulas pode alterar as propriedades desse dielétrico, originando que a tecla fique com mau contacto<br />
  52. 52. Reparação dos Teclados<br />Figura 5 - Cápsulas capacitivas de um teclado.<br />
  53. 53. Reparação dos Teclados<br />3º Passo (Mau contacto das teclas)<br /> Reparação de problemas básicos - Em alguns casos pressionamos a tecla e nenhum caractere é gerado.<br />Em outros casos pressionamos a tecla e dois, três ou até mais caracteres iguais são gerados.<br />Quando isso ocorre devemos tentar recuperar a tecla usando spray limpeza de contactos.<br />
  54. 54. Reparação dos Teclados<br />3º Passo (Mau contacto das teclas)<br /> Reparação de problemas básicos (continuação)- <br />Use o pequeno tubo plástico que acompanha este tipo de spray, fazemos a aplicação no interior da cápsula (figura 6) e a seguir pressionamos a tecla várias vezes (claro, com o computador desligado) para tentar dissolver o lixo. <br />É preciso deixar o spray secar, o que pode levar uma hora, já que a cápsula é fechada.<br />
  55. 55. Reparação dos Teclados<br />3º Passo (Mau contacto das teclas)<br /> Reparação de problemas básicos - Testamos então o funcionamento do teclado. <br />Muitas vezes a tecla problemática ficará recuperada. <br />Se isto não resolver, teremos que fazer um transplante de tecla, como mostraremos mais adiante.<br />
  56. 56. Reparação dos Teclados<br />Figura 6 – Aplicação de spray no interior de uma cápsula.<br />
  57. 57. Reparação dos Teclados<br />4º Passo <br />Reparação de problemas mais complicados – <br />Alguns problemas no teclado são mais complicados, requerendo soldagem, bastante tempo disponível e paciência.<br />
  58. 58. Reparação dos Teclados<br />5º Passo (Problemas no cabo )<br />Reparação de problemas mais complicados – O cabo do teclado pode partir por excesso de manuseamento. <br />Temos então que fazer a reparação do cabo, ou então tentar a sua substituição.<br />
  59. 59. Reparação dos Teclados<br />5º Passo (Tecla com mau contacto )<br />Reparação de problemas mais complicados –Normalmente a aplicação do líquido de limpar contactos é capaz de recuperar cápsulas de teclas com problemas.<br />Quando mesmo depois da limpeza a tecla contínua com problemas, a solução é substituir a cápsula.<br />Infelizmente é muito difícil aproveitar teclas cápsulas retiradas de outros teclados, já que podemos encontrar cápsulas nos mais variados formatos. <br />A melhor coisa a fazer é usar a cápsula de uma tecla do próprio teclado que estamos tentando consertar. <br />
  60. 60. Reparação dos Teclados<br />5º Passo (Tecla com mau contacto )<br />Reparação de problemas mais complicados (continuação)<br />Certas teclas são pouquíssimo utilizadas, algumas nunca chegam a ser pressionadas, como por exemplo:<br /><ul><li>Scroll Lock
  61. 61. Alt na parte direita do teclado
  62. 62. Control na parte direita do teclado </li></li></ul><li>Reparação dos Teclados<br />5º Passo (Tecla com mau contacto )<br />Reparação de problemas mais complicados (continuação)<br />Essas teclas são "doadoras" de cápsulas em potencial.<br />Podemos retirar a cápsula de uma delas, usando equipamento de soldagem, e instalar no lugar da cápsula problemática.<br />Apenas por questões de estética, podemos colocar a cápsula defeituosa no lugar da cápsula doadora.<br />
  63. 63. Reparação dos Teclados<br />6º Passo ( Tecla inoperante )<br />Reparação de problemas mais complicados - Este problema tem as mesmas soluções usadas para as teclas com mau contacto.<br />Primeiro tentamos fazer uma limpeza com spray.<br />Se o problema persistir, devemos<br />Fazer a substituição da sua cápsula. <br />
  64. 64. Conexões dos Teclados<br />
  65. 65. Conexões dos Teclados<br />TIPOS DE LIGAÇÕES<br />Há alguns modos diferentes de conectar um teclado a um computador.<br />Isso porque o próprio teclado evoluiu ao longo dos anos. Estas conexões incluem PS/2, conexões USB  e até conexões sem fio, por exemplo: o Bluetooth e infravermelhos. <br />Computadores mais antigos (padrão AT) utilizam conectores DIN.<br />
  66. 66. 65<br />Teclado<br />
  67. 67. 66<br />Teclado<br />Dentro da área assinalada, deve habituar-se a dividi-la ao meio.<br />Deve usar o dedo ou a mão do respectivo lado (esquerda e direita) dentro da zona que lhe pertence, evitando o cruzar dos dedos ou das mãos no teclado. <br />
  68. 68. 67<br />Teclado<br />Os invisuais, por exemplo, sabem situar as mãos no teclado através de umas pequenas saliências que existem nas teclas que estão assinaladas. <br />Por favor observe com atenção no seu teclado, e se quiser utilize o seu sentido do tacto, futuramente.<br />
  69. 69. 68<br />
  70. 70. 69<br />As teclas na fila superior do teclado, numeradas de F1 a F12,designam-se por teclas de função.<br />Usam-se para facilitar a introdução de comandos, não necessitando de repetir uma sequência de teclas.<br />Por exemplo, em qualquer aplicativo Windows, F1 é sempre Ajuda.<br />Teclas de Função<br />
  71. 71. 70<br />Em muitas aplicações serve para sair do programa (Anular).<br />Nos aplicativos Windows, tem a mesma<br />utilidade do botão Cancelar.<br />Escape<br />
  72. 72. 71<br />Usa-se para fazer avançar o cursor um certo número de espaços para a direita.<br />No Word, por exemplo, tem imensa utilidade para fazer o início dos parágrafos.<br />Ficam sempre todos alinhados e certos.<br />Tabulador<br />
  73. 73. 72<br />Quando se deseja continuar a introduzir dados em letras maiúsculas, prime-se esta tecla; quando activada, acende-se a luz indicadora no canto superior direito do teclado.<br />Caixa Alta<br />
  74. 74. 73<br />Permite passar das letras minúsculas para maiúsculas e vice-versa, assim como usar os símbolos existentes na parte superior das teclas com algarismos e outros sinais de pontuação.<br />Há 2 teclas para facilitar (destros e canhotos).<br />Shift (mudar)<br />
  75. 75. 74<br />Usa-se em conjunto com outras teclas. <br />Quando usada deve manter-se premida até se pressionar a tecla complementar.<br />Há 2 teclas pelo mesmo motivo da tecla Shift, facilitar (destros e canhotos).<br />Ctrl (controle)<br />
  76. 76. 75<br />Usa-se sempre em conjunto com outras teclas para a execução de determinadas funções do programa em uso.<br />É a “alternativa” ao rato.<br />Mais à frente veremos como se faz.<br />Alt (alternativa)<br />
  77. 77. 76<br />Dá acesso a alguns símbolos e sinais indicados nas teclas e por vezes voltadas para o utilizador.<br />Mais simplesmente, permite inserir o 3º símbolo das teclas (por exemplo @ - tecla 2 - para o e-mail ou o € - tecla E - para o euro).<br />Gr<br />Alt Gr (3º símbolo)<br />
  78. 78. 77<br />É a maior tecla existente no teclado.<br />Usa-se para separar as palavras por um espaço, ou seja, premida uma vez faz avançar o cursor de texto um espaço para a direita.<br />Se lá deixarmos ficar o dedo, continuará a dar espaços até ..... O retirarmos.<br />Barra de Espaços<br />
  79. 79. 78<br />Faz mover o cursor da sua posição para o início da linha seguinte, ou seja, força a mudança de linha (ponto final, parágrafo).<br />Usa-se para executar uma ordem (comando); prime-se esta tecla para o mandar executar.<br />Há duas teclas – pode usar a que quiser !<br />Enter (comando)<br />
  80. 80. 79<br />Faz mover o cursor uma posição para a esquerda, apagando o carácter imediatamente atrás, por isso, faz a vez da “borracha”, por exemplo no Word, quando nos enganamos.<br />Backsapce (borracha)<br />
  81. 81. 80<br />Usa-se para a impressão em papel, de qualquer imagem do écran (tela inteira).<br />Em combinação com a tecla Alt, faz uma cópia da caixa de diálogo que estiver activa.<br />PrtScr (Print Screen)<br />
  82. 82. 81<br />Quando premida (uma vez) pára a execução do programa em uso, assim como a apresentação no monitor.<br />Quando premida novamente, volta tudo ao normal, ou seja, a funcionar novamente.<br />Break (pausa)<br />
  83. 83. 82<br />Usa-se para activar ou desactivar as teclas numéricas; para utilizar os números deve premir-se esta tecla, acendendo o indicador luminoso no canto superior direito do teclado.<br />Num Lock (teclado numérico)<br />
  84. 84. 83<br />Como o próprio nome indica, são as teclas que nos permitem, por exemplo, deslocar num texto ou numa folha de cálculo, na direcção que pretendemos.<br />Têm muita utilização nos jogos.<br />Teclas direccionais<br />
  85. 85. 84<br />Teclas auxiliares de texto<br />
  86. 86. Curiosidades<br />http://optimus-project.livejournal.com/<br />http://www.youtube.com/watch?v=fhBH6KW2aT4<br />http://www.youtube.com/watch?v=n0MEhKk9xg4&feature=related<br />

×