JS TOMAR                                     “O Ciclo da viragem à esquerda!”Uma “J” das ideias.. Uma “J” com ATITUDE!! Um...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”O - SECRETARIADO DA JS TOMAR COMEMORA UM ANO DE MANDATO       O dia 27 de Outubro foi de...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”                                 1 - NOTA INTRODUTÓRIA                                  ...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”          É desumana, a atitude dos nossos governantes para com os jovens! Hoje vivemos ...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”ainda potencia o seu definhamento, fomentado e desferindo um ataque sem precedentes àDEM...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”                                                                      ÍNDICEO - SECRETAR...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”      7.1.9.3 POSIÇÃO DA JS TOMAR NA ASSEMBLEIA MUNICIPAL .................................
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”     2 - CONFIGURAÇÃO DA ESTRUTURA ELEITA 2011/2013    ÓRGÃOS CONCELHIOSSecretariado Con...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”    ÓRGÃOS DISTRITAIS DO PSInerentes à Comissão Política do PartidoSocialista Distrital ...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”NÚCLEOS DE ESTUDANTES SOCIALISTASLISTAS ELEITAS (2011-2012)NES JÁCOME RATTONCésar Moura ...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”                        3 - EIXOS DE INTERVENÇÃO (2011/2013)                            ...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”          3.1 VETOR DINAMISMO         Somos um grupo de jovens socialistas de valores e ...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”                             4 - PRESIDENTE DA JS RIBATEJO                              ...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”        Mas para que serve a Juventude Socialista? A JS dever ser a voz dos Jovens no PS...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”                         5 – PARTIDO SOCIALISTA DE TOMAR                                ...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”                              6 - NÚCLEOS DE ESTUDANTES       A Organização Nacional de ...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”o nosso Governo optou por cortá-las do programa. Porém não satisfeito, o governo elimino...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”6.2 NES JÁCOME RATTON                                                          Caros (as...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”6.2 NES EPT        Caros (as) camaradas, (2011-2012)        Em primeiro lugar, digo-vos ...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”6.3 NES IPT        Caros (as) camaradas e amigos (as), (2011-2012)        Considerando a...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”                             6 – ACTIVIDADES DA CONCELHIA        7.1 LOCAIS        7.1.1...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”7.1.3 Comunicados7.1.3.1 INÍCIO DO ANO LECTIVO 2012/2013        Numa conjuntura Político...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”               7.1.4 Tomadas de Posição       No que toca a essência deste tema o secret...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”                                7.1.6 Associativismo                                    ...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”Tomar, onde se preparou estrategicamente, o novo ano de combate político ideológico para...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”       Tivemos ainda a oportunidade de divulgar os valores da ESQUERDA democrática e da ...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”7.1.9 Comunicação de Imprensa       7.1.9.1 AUDIÊNCIA ÀS ASSOCIAÇÕES JUVENIS       “A JS...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”       7.1.9.3 POSIÇÃO DA JS TOMAR NA ASSEMBLEIA MUNICIPAL       “A JS Tomar, na voz do ...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”       Realizou-se no dia 11 de Fevereiro, em Rio Maior o XV Congresso Distrital da JSRi...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”       Foi apresentada uma lista única de delegados, adstrita à moção “Mais Esquerda, Ma...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”       Salientamos, orgulhosamente, a dignificante representação da JS Tomar, nosreferid...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”       7.3.1.1 Moções Sectoriais - PS       7.3.1.1.1 Nuno Ferreira       “O turismo con...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”        Atualmente não só no distrito de Santarém, mas como também em toda a lógicanacio...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”prioridade dos recursos, mas como também a capacidade que os mesmos têm para gerar umret...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”         7.3 NACIONAIS       7.3.1 CONGRESSO NACIONAL DA JUVENTUDE SOCIALISTA       No f...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”        Na primeira Comissão Nacional voltaremos a ter mais militantes eleitos para osre...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”discriminações e injustiças sociais. Acima de tudo, a revolução trouxe-nos a Liberdade, ...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”confiança dos portugueses. Digo-vos que não é julgando-o ignorante e culpando-o de todos...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”aprofundamento do projeto europeu, como o ambiente necessário e o habitat natural daideo...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”fenómeno um catalisador da opinião pública e um agente importante para a democracia, é d...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”eu, quererão fazê-las para que tenhamos um melhor partido e para que vivamos sempre emde...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”empenho de toda a estrutura que muito nos honra. Hugo Costa, para os representantes àCom...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”político”, justamente, por uma falta de representação política ou melhor por um crescent...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”                        8- CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE      Em Tomar, a Juventude So...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”14 - Aumentar consideravelmente apoios ao associativismo geral local, com especial atenç...
“Um Projecto de Mudança Por TOMAR”projetarmos o nosso concelho à escala nacional e internacional, fomentado este “CLAUSTER...
JS Tomar 1 ano de mandato
JS Tomar 1 ano de mandato
JS Tomar 1 ano de mandato
JS Tomar 1 ano de mandato
JS Tomar 1 ano de mandato
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

JS Tomar 1 ano de mandato

710 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
710
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

JS Tomar 1 ano de mandato

  1. 1. JS TOMAR “O Ciclo da viragem à esquerda!”Uma “J” das ideias.. Uma “J” com ATITUDE!! Uma “J” para TI!!
  2. 2. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR”O - SECRETARIADO DA JS TOMAR COMEMORA UM ANO DE MANDATO O dia 27 de Outubro foi de facto um dia muito importante para a Juventude Socialista de Tomar,fizemos um ano, desde que este secretariado tomou posse ao “leme” e “norteando” e VENTILANDO osdestinos desta estrutura. Estamos ORGULHOSOS pelo voto de confiança que os nossos militanteshonradamente depositaram em nós! Votos esses, que respeitamos com PRIMOR em todos osmomentos, dando passos sólidos, a caminho da verdade, da justiça e da razão! Criámos estruturas de estudantes em quase todas as escolas secundárias, constituímos oprimeiro núcleo de estudantes no Ensino Superior no distrito (NES IPT), fizemos crescer a nossainstituição, TROUXEMOS NOVOS PROTAGONISTAS PARA O PALCO POLÍTICO! Lançámos comunicadosduros contra injustiças, FOMOS IMPLACÁVEIS com aqueles que não cumpriam nem faziam cumprir alei, sem medos e convictos da razão! DEMOS VOZ aos nossos estudantes, aos nossos jovens,DEBATEMOS IDEIAS, realizamos debates e conferências, apresentamos cerca de duas dezenas depropostas concretas, em prol do bem-estar social, em sede de CMJ. Debatemo-nos pela implementação do OP (Orçamento Participativo), pronunciámo-nos sobreos destinos dos tomarenses. Somos a “ARMA” das suas IDEIAS e dos seus VALORES! Valorizamos assuas crenças e os seus SONHOS, no contributo para um melhor município, porque Tomar MERECE!Todos juntos, unidos, fortes, somos o PROJETO DE MUDANÇA PARA TOMAR, somos a AFIRMAÇÃO dacontinuidade da democracia local. Uma JS UNIDA. Uma JS de TODOS e para TODOS! JS Tomar com ORGULHO, política comGOSTO! Juventude Socialista de Tomar
  3. 3. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” 1 - NOTA INTRODUTÓRIA Está na hora da MUDANÇA!! Caros (as) camaradas, amigos (a) é com um enorme orgulho que fazemos chegar até si, a nossa primeira Newsletter da (JS Tomar) Juventude socialista de Tomar, numa primeira fase em versão de “relatório de actividades”. Actualmente o concelho de Tomar respira os erros históricos enraizados em cerca de 15 anos de uma má governação social- democrata, que provocou sérios danos no desenvolvimento local e na projecção do concelho, enquanto sector económico e espaço vivencial. Muitos desses erros deveram-se a uma estratégia errada, à falta de visão, à IMATURIDADE e ao EGOCENTRISMO POLÍTICO, desvirtuando as potencialidades deste concelho.Nuno Ferreira – Coordenador JS Tomar O PSD, há muito que é criticado pelapopulação tomarense que parece esquecer- se de o castigar democraticamente, pela sua má prestaçãoautárquica, corroborando desta forma com o EMBUSTE que tem sido o seu percurso decadente eagonizante, que tem sido a governação destes últimos anos. A competitividade empresarial, há muito que foi insultada pela arrogância das ideologiaspartidárias dos anteriores governos, que se apresentam como uma “doença terminal”, numa azáfamafrenética de visões lunáticas, que apenas administram soluções paliativas, em vez de uma cura eficaz,consciente e adaptada às reais necessidades locais, a médio e longo prazo. Empurram violentamente anossa nobre cidade de Tomar, para uma espiral de decadência consubstanciada na actual estratégiaindustrial tomarense, enfatizada pela falência e por uma “ bancarrota“ neste sector de atividade. Para o Juventude Socialista de Tomar, tem sido claro que o caminho para resolver os problemasdo desemprego não passa por um aumento da precarização das relações laborais, nem no convite àemigração, conforme outros partidos à direita têm sugerido recentemente! Juventude Socialista de Tomar
  4. 4. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” É desumana, a atitude dos nossos governantes para com os jovens! Hoje vivemos uma ditadura“encapotada” numa democracia pobre e débil, nos valores FRATERNOS e igualitários, que o 25 de Abrilde 1974, nos trouxe . É vergonhoso quando temos “alta figuras do estado”, os máximos responsáveispelo governo a incentivarem os jovens a desistir da luta pela defesa do seu país. Em vez disso divertem-se quase de forma “perversa” a aconselhar os jovens a emigrar e a desistir do projeto de “reconstrução”de um país que os ama e que os viu nascer! NÃO É este o futuro que queremos! NÃO É este o futuro com o qual SONHÁMOS!! Sentimo-nosencurralados e vítimas de uma política demagoga, de um oportunismo gritante! Somos cada vez mais a ”GERAÇÃO DA CAIXA DE SUPERMERCADO”. É vergonhoso para um paíster a geração mais qualificada de sempre, a trabalhar precariamente, incentivados pelo oportunismo deum governo que todos os dias dá provas que nunca esteve preparado para governar! Onde a “ganânciado poder” falou mais alto. Somos vítimas do oportunismo político! Temos o nosso futuro hipotecado! Um governoPSD/CDS-PP que nasceu na base do aproveitamento e da “SEDE DE PODER A TODO O CUSTO”! Quepotencia a emigração dos jovens empobrecendo o país nas ideias, no conhecimento, comprometendo arenovação da geração do povo Português. Um governo que não nos dá condições e estabilidade para nos fixarmos…Um governo que nãonos convida a viver, a fixar e a fazer nascer o futuro das gerações vindouras. Hoje o ataque potenciadopelas medidas para além das acordadas comos organismos internacionais (TROIKA), numexibicionismo a nível europeu, teve UM PREÇOMUITO CARO A PAGAR pelos portugueses quese chama a Fome! O Desemprego! O Flagelosocial! São as funções sociais do estado quemais têm sido atacadas! Este governo ATACAos nossos direitos de proteção social, como sede “um pote de Mel” se tratasse! Hoje é impensável termos estabilidadepara casar, comprar uma casa ou poder terfilhos, não temos muitas vezes nem condiçõespara “sobreviver”, quanto mais para todos esses projectos de vida! Estamos desiludidos! MAS NÃO NOSRESIGNAREMOS! Centrando-nos novamente no âmbito local, onde o panorama é ASSUSTADOR! A realidade que nos assola viaja muito para além do imaginário, temos Tomarenses nos mais“altos lugares do governo”, como o senhor Miguel Relvas, que não só vira as costas à sua cidade, como Juventude Socialista de Tomar
  5. 5. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR”ainda potencia o seu definhamento, fomentado e desferindo um ataque sem precedentes àDEMOCRACIA LOCAL, com a “extinção das freguesias” rurais, que com revolta assistimos! É deplorável e democraticamente censurável, quando alguém que se afirma como “um braçodireito” de um primeiro-ministro e faz da sua cidade, a cidade de Tomar um EXEMPLO A NÍVELNACIONAL DE CORTES E DE IMPARCIALIDADE! Perdemos O DIREITO À SAÚDE, quando por INÉRCIA EFALTA DE ACÇÃO POLÍTICA “perdemos” o nosso hospital. Queremos mais DIGNIDADE! Queremos que se cumpra e faça cumprir o que prometeu no seujuramento, em defender o país, ou não nos esqueçamos que MIGUEL RELVAS É PRESIDENTE DAASSEMBLEIA MUNICIPAL de Tomar! Uma das problemáticas enfrentadas pela nova geração tomarense, no seu processo deemancipação, é aquele que se prende com o acesso ao mercado de trabalho. Para além das dificuldadessentidas na obtenção do primeiro emprego, muitos jovens altamente qualificados deparam-se ainda comdificuldades acrescidas pela actual conjuntura nacional e europeia. É nestas linhas de orientação, que a Juventude Socialista tem de frisar a importância na luta damudança de mentalidades. Sensibilizada para este facto, temos vindo a propor medidas emconformidade com a estrutura ideal que se pretende para a região. Participando ativamente nastomadas de decisão contribuindo com uma visão mais técnica, mais aprofundada e participada. O quepor inúmeras vezes são LACUNAS PRESENTES NA PREPOTÊNCIA E INTRANSIGÊNCIA do poder localinstituído. Queremos LUTAR “HOJE”! Mas sobretudo fazer parte do “AMANHÔ! Numa lógica de trabalhopolítico, que vá ao encontro das reais necessidades que a população verdadeiramente necessita,CONSTRUINDO PAULATINAMENTE, de forma efetiva uma verdadeira alternativa de mudança paraTomar. Contudo, e porque ACREDITAMOS no valor de cada TOMARENSE, estamos convictos que juntosnum projecto, participando lado a lado com o cidadão, possamos encontrar NOVOS MODELOS DERESPOSTA para novos e velhos problemas! JUNTOS CAMINHAREMOS PARA A MUDANÇA! Estamos cientes das dificuldades que nosassolam o caminho da viragem à esquerda democrática, porém somos SOCIALISTAS, não nosresignaremos e LUTAREMOS afincadamente por uma estratégia local coerente, inovadora e projetadanum futuro próspero. PORQUE: TOMAR MERECE!! Contem connosco!! Contem com a Juventude Socialista de Tomar!! “A mudança é necessária e os TOMARESES são a nossa prioridade!!” Juventude Socialista de Tomar
  6. 6. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” ÍNDICEO - SECRETARIADO DA JS TOMAR COMEMORA UM ANO DE MANDATO .................................................... 31 - NOTA INTRODUTÓRIA ............................................................................................................................. 42 - CONFIGURAÇÃO DA ESTRUTURA ELEITA 2011/2013 .............................................................................. 33 - EIXOS DE INTERVENÇÃO (2011/2013) ..................................................................................................... 6 3.1 VETOR DINAMISMO............................................................................................................................ 3 3.2 VETOR INOVAÇÃO .............................................................................................................................. 3 3.3 VETOR CONTACTO DIRECTO ............................................................................................................... 34 - PRESIDENTE DA JS RIBATEJO ................................................................................................................... 45 – PARTIDO SOCIALISTA DE TOMAR ........................................................................................................... 66 - NÚCLEOS DE ESTUDANTES ...................................................................................................................... 7 6.1 JS TOMAR PREOCUPADA COM A COMUNIDADE ESTUDANTIL .......................................................... 8 6.2 NES JÁCOME RATTON......................................................................................................................... 9 6.2 NES EPT ............................................................................................................................................. 10 6.3 NES IPT .............................................................................................................................................. 116 – ACTIVIDADES DA CONCELHIA ............................................................................................................... 12 7.1 LOCAIS .............................................................................................................................................. 12 7.1.1 Visita do Secretário-Geral da JS ................................................................................................. 12 7.1.2 MATINÉS .................................................................................................................................... 12 7.1.3 Comunicados ............................................................................................................................. 13 7.1.5 Debates/Conferências ............................................................................................................... 14 7.1.6 Associativismo ........................................................................................................................... 15 7.1.8 Intervenção de Rua.................................................................................................................... 16 7.1.9 Comunicação de Imprensa ........................................................................................................ 18 7.1.9.1 AUDIÊNCIA ÀS ASSOCIAÇÕES JUVENIS ................................................................................... 18 7.1.9.2 POSIÇÃO DA JS TOMAR – CMJ CONCELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE ............................... 18 Juventude Socialista de Tomar
  7. 7. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” 7.1.9.3 POSIÇÃO DA JS TOMAR NA ASSEMBLEIA MUNICIPAL ............................................................ 19 7.2 DISTRITAIS – JS / PS .......................................................................................................................... 19 7.2.1 CONGRESSO DISTRITAL DA JUVENTUDE SOCIALISTA .................................................................... 19 7.2.1.1 REELEIÇÃO DE HUGO COSTA À JS RIBATEJO............................................................................... 19 7.2.1.2 ELEIÇÕES DE DELEGADOS À CONVENÇÃO DISTRITAL DA JS RIBATEJO ...................................... 20 7.2.2 ÓRGÃOS DISTRITAIS....................................................................................................................... 21 7.2.2.1 JS TOMAR, ELEITA PARA ÓRGÃOS DA JS RIBATEJO .................................................................... 21 7.3.1 CONGRESSO DISTRITAL DO PARTIDO SOCIALISTA......................................................................... 22 7.3.1.1 Moções Sectoriais - PS ............................................................................................................ 23 7.3 NACIONAIS ........................................................................................................................................ 26 7.3.1 CONGRESSO NACIONAL DA JUVENTUDE SOCIALISTA ................................................................... 26 7.3.1.2 Moções Sectoriais - JS............................................................................................................. 27 7.3.2 ÓRGÃOS NACIONAIS ...................................................................................................................... 32 7.4 ARTIGOS DE OPINIÃO ....................................................................................................................... 33 7.4.1 Daniel Nobre .............................................................................................................................. 33 7.2.4 Bruno Oliveira ............................................................................................................................ 348- CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE................................................................................................. 35 8.1 Propusemos ...................................................................................................................................... 35 8.2 Exigimos Explicações ........................................................................................................................ 38 8.3 As Nossas Vitórias ............................................................................................................................. 409 - ORÇAMENTO PARTICIPATIVO ............................................................................................................... 4010 - LINHAS DE ORIENTAÇÃO FUTURAS ..................................................................................................... 42 Juventude Socialista de Tomar
  8. 8. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” 2 - CONFIGURAÇÃO DA ESTRUTURA ELEITA 2011/2013 ÓRGÃOS CONCELHIOSSecretariado Concelhio  Nuno Ferreira (Coordenador)  Ricardo Simões  Sara Costa CPD da JS Ribatejo  Carlos Atalaia  Daniel Nobre  Hugo Costa (Presidente da JS Ribatejo)  Filipa Pereira  Nuno Ferreira (Inerente)  Bruno Carrilho  Daniel Nobre  Bruno Mendes  Ricardo Simões  Liliana Oliveira (adjunto)  Sara Costa  Bruno César (adjunto)  César Moura  Nuno Rodrigues (adjunto)  Carlos Atalaia  Patrícia Henriques (adjunto)  Filipa Pereira  Tiago Mendes (adjunto)  Rita Freitas (adjunto) Mesa da Comissão Política da JS RibatejoInerentes à CPC do PS Tomar  Hugo Costa (Presidente da JS Ribatejo)  Sara Costa  Sara Costa  Daniel Nobre  César Moura Delegados ao Congresso Distrital da JS Ribatejo  Hugo Matos  Tiago Mendes  Sara Costa  Carlos Atalaia  Bruno Carrilho  Ricardo Simões  Daniel NobreMesa da Assembleia Geral de Militantes  Carlos Atalaia  César Moura  Hugo Costa (Presidente)  Filipa Mesa do Congresso Distrital da JS RibatejoAssembleia Municipal de Tomar  Sara Costa  Hugo Costa Mesa da comissão Política da JS Ribatejo ÓRGÃOS DISTRITAIS DA JS RIBATEJO  Sara CostaSecretariado Distrital  Hugo Costa (Presidente da JS Ribatejo)  Nuno Ferreira  Daniel Nobre Juventude Socialista de Tomar
  9. 9. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” ÓRGÃOS DISTRITAIS DO PSInerentes à Comissão Política do PartidoSocialista Distrital  Hugo Costa  Nuno Ferreira ÓRGÃOS NACIONAIS DA JSDelegados ao Congresso Nacional da JS  Nuno Ferreira  Ricardo Simões  Sara Costa  Daniel Nobre (moção)Secretariado Nacional  Nuno FerreiraComissão Politica Nacional  Nuno Ferreira  Hugo CostaComissão Nacional  Nuno Ferreira  Hugo Costa  Sara Costa ÓRGÃOS NACIONAIS DO PSComissão Nacional do Partido Socialista  Hugo Costa – Cabeça de Lista dos inerentes pela JS Nacional Juventude Socialista de Tomar
  10. 10. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR”NÚCLEOS DE ESTUDANTES SOCIALISTASLISTAS ELEITAS (2011-2012)NES JÁCOME RATTONCésar Moura (Coordenador)Pedro Dias NES IPTLiliana FranciscoJoão Pedro Sara Mendonça (Coordenador)Ricardo Pimentel Hélder Sampaio Nuno SoaresNES EPT Ana Santos Tiago SilvaJosé Carlos (Coordenador) Luís DuarteRafael Marques Rita FreitasPatrícia OliveiraAriana DominguesDaniel Marques Juventude Socialista de Tomar
  11. 11. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” 3 - EIXOS DE INTERVENÇÃO (2011/2013) Inovação JS Tomar Contacto Dinamismo Directo Dinamismo Inovação Contacto Directo•Mais actividades com a marca JS •Delegação de competências •Audição trimestral das Tomar •Debates com convidados sobre associações / empresas /•Incentivo à participação juvenil na temas da actualidade escolas / organizações que vida política •Actividades lúdicas de caracter interajam directamente com a político estrutura juvenil no concelho de tomar•Artigos Bimensais para a •Confronto de ideias entre forças comunicação Social, sobre temas partidárias de interesse político •Debates bimensal com •Comunicado na imprensa sobre os•Visitas às freguesias, o quanto vereadores / convidados sobre resultados estratégicos obtidos possível temas pré- definidos •Actividades com a população em •Dinamizar a sede em "um espaço geral•Atividades em parceria com jovem com motivação políticas" outras concelhias •Espaço do militante •Atividades de rua com caracter •I Encontro Distrital da JS em Tomar social / juvenil• I Festa da JS Tomar de 3 dias em com actividades de caracter e •Actividades em parceria com formação política associações juvenis do concelho de Tomar com debates, touring cultural-paisagístico, •"Actualidade política do distrito" Tomar quando solicitadas Acampamento, actividades radicais, com o presidente da distrital do PS Lúdico-pedagógicas / políticas, António Gameiro, Presidente da •STANDS nas festas / momentos entre outras. Distrital da JS Hugo Costa, especiais da Cidade•Matinés do secundário da JS Party Presidente da concelhia do PS •Criação de um jornal informativo•Festa de Natal da JS em parceria Tomar Anabela Freitas de periodicidade Semestral com o PS. •Projecto de criação de NES, no IPT e nos secundários •Apoio as listas às associações de estudantes das instituições secundárias e IPT Juventude Socialista de Tomar
  12. 12. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” 3.1 VETOR DINAMISMO Somos um grupo de jovens socialistas de valores e convicções que pretendemos com onosso contributo individual, dinamizar a estrutura da juventude socialista em Tomar, numa lógicade participação activa em virtude de uma juventude mais participativa e empenhada nos valoresrepublicanos de um estado social democrático. Nesta óptica, estruturamos um ambicioso programa de actividades que a nosso ver,assentam numa lógica activa, com visão estratégica, dinamismo e atitude. 3.2 VETOR INOVAÇÃO Dada a importância deste vector no sucesso das organizações, é para nós crucialdesenvolvermos dinâmicas activas de cariz inovador e progressista, em prol do bem-estar políticosaudável, coerente e de construção social, estimulando o debate interno/externo comilustres pensadores socialistas de relevância nacional. Um dos nossos pontos prioritários de gestão estratégica interna, visará a abertura deum espaço democrático baseado na delegação de competências e estímulo ao desenvolvimentodo projecto político local de cada um. Pois todos somos importantes e todos juntos faremosdiferença!! 3.3 VETOR CONTACTO DIRECTO Porque reconhecemos que os jovens normalmente não se encontram dentro dasinstituições e estão pouco sensibilizados para o associativismo e para a política em geral.Pautamo-nos pela lógica do contacto directo in loco, indo ao encontro do potencial jovemimportante para a renovação, no contributo para uma sociedade mais justa, mais fraterna e maislivre, dando ênfase às ideologias socialista e aos valores da esquerda democrática. Juventude Socialista de Tomar
  13. 13. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” 4 - PRESIDENTE DA JS RIBATEJO Caros camarad@s, Escrever neste espaço, enquanto Presidente da JS Distrital de Santarém – JS Ribatejo é um enorme prazer e uma responsabilidade que considero acrescida. Sou militante da JS Tomar, e em todas as funções que ocupei na Juventude Socialista, nunca me Hugo Costa – Presidente da JS Ribatejo - Federação esqueci da estrutura onde distrital de Santarém da Juventude socialista milito, um orgulho para mim. Recordo agora aquele dia de Outubro de 2003, em que fui convocado para um ato eleitoral, enão conhecendo ninguém, decidi aparecer na sede do PS Tomar para votar numas eleições dedelegados a um famoso congresso distrital. Aí meti conversa com o Hugo Cristóvão que preparava umalista para a avançar para a concelhia, rapidamente fui integrado no projeto e trabalhei com o HugoCristóvão para reabilitar a JS Tomar. No dia 25 de Abril de 2005, acabei por assumir a liderança da concelhia. De todas as funçõesque tive foi a que me permitiu maior proximidade com os militantes, só tenho a agradecer ao LuísFerreira e ao Hugo Cristóvão que enquanto Presidentes do PS Tomar sempre me apoiaram e deram amão. Mas o mais importante foi o trabalho de proximidade com os militantes que ser coordenador da JSme permitiu. Sublinho ainda a Susana Faria, que soube agarrar a JS Tomar, aquando da minha saídapara líder distrital. Ainda hoje na Assembleia Municipal de Tomar, não me esqueço em todas as reuniões daJuventude Socialista, tentando ser uma corrente de transmissão das suas ideias e combates em cadareunião plenária. A vitória do Conselho Municipal de Juventude é uma vitória que demorou anos aconseguir, mas demostra que o trabalho vale a pena. Juventude Socialista de Tomar
  14. 14. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” Mas para que serve a Juventude Socialista? A JS dever ser a voz dos Jovens no PS, e não ocontrário. Num mundo em mudança, novos e velhos desafios são colocados às juventudes partidárias. Odireito ao emprego, a não emigrar e à habitação podem ser direitos primários, mas hoje votam a ser osgrandes desafios da nossa estrutura, do ponto de vista local, coloco o orçamento participativo, como oprincipal desafio a ser lançado. A nossa estrutura a nível nacional foi crucial para vitórias como o fim do serviço militarobrigatório, a não punição da interrupção voluntária da gravidez, ou o casamento entre pessoas domesmo sexo, demonstrando como sempre com os seus Secretários-Gerais souberam estar à frente doseu tempo. Sem medos, e sem hesitações. Não devemos nunca ceder à autonomia nas ideias, masdevemos ser leiais ao partido na ação, na defesa dos valores do socialismo democrático. Em Tomar, a JS será fundamental para a mudança, mudança que Tomar necessita com aAnabela Freitas a ser a pessoa certa para Mudar Tomar. Um concelho com futuro. Um concelho que nospermita sonhar. Ao Nuno Ferreira e a toda a sua equipa apena digo que podem contar comigo, comosempre. Um abraço amigo e fraterno, Hugo Costa Juventude Socialista de Tomar
  15. 15. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” 5 – PARTIDO SOCIALISTA DE TOMAR As juventudes partidárias têm o papel da renovação, que é um papel fundamental em qualquer organização politica. A juventude socialista não é exceção e, muito tem contribuído com a sua voz junto do partido. Procurando transmitir as suas preocupações e as suas ideias, evidenciando o seu capital inovador. Diz-se, tantas vezes, que temos a geração mais qualificada de sempre, o que nem sempre se traduz numa juventude mais interventiva, em âmbitos sociais e políticos. Contudo, a JS Tomar tem sabido colocar esta qualificação ao serviço do cidadão. Tem ao longo do tempo apresentado propostas que dizem não só respeito à Anabela Freitas – Presidente juventude, como também a todos os cidadãos tomarenses. da CPC Tomar O olhar critico com que a JS Tomar tem olhado para osproblemas do concelho de Tomar, a discussão séria e profunda que tem mantido na busca de melhoressoluções, são mais-valias não só para o partido, mas também para o concelho. É o aliar da irreverencia,com o conhecimento e com a vontade de progredir. Tenho obviamente consciência que nem sempre esta forma de participação é bem recebidadentro das estruturas partidárias, mas também tenho consciência que este é o caminho. Entendo queas estruturas partidárias deverão, também elas, renovar-se e mudar. A mudança é urgente e é algo que Tomar precisa. Uma mudança nas organizações interna eexterna da sua autarquia, uma mudança no relacionamento com os cidadãos, uma mudança nacondução e no posicionamento do nosso concelho. A Juventude Socialista de Tomar pode e deve assumir um papel importante nesta mudança eestou certa de que posso contar com a JS Tomar para esta “batalha”, pelo concelho de Tomar, assimcomo a JS Tomar poderá contar comigo para que a sua voz seja ouvida. A Presidente da CPC Tomar Anabela Freitas Juventude Socialista de Tomar
  16. 16. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” 6 - NÚCLEOS DE ESTUDANTES A Organização Nacional de Estudantes Socialistas do Ensino Básico e Secundário, assim como ado Ensino Superior (ONESEBS e ONESES) juntam estudantes de todo o país que acreditam numa escolapública de qualidade. Estas organizações têm um papel crucial nas orientações da JS sobre políticaeducativa, procurando ainda prestar formação política e apoio ao associativismo estudantil. Os NES constituem uma mais-valia tanto para as concelhias como para os próprios jovens. Citando o slogan dos flyers da JS “dá voz à tua voz“, é exatamente isso que tentamos fazer através dos NES, dar voz aos mais novos que de outra forma teriam “uma voz menos audível”. As concelhias saem beneficiadas com estas organizações de estudantes, uma vez que através destes conseguem perceber melhor os problemas e os anseios dos jovens, pelo simples facto destas estruturas estarem mais próximas destes. Contudo não é só por estas duas vertentes que nós enquanto socialistas achamos que os NES são importantes, mas também por vermos estas estruturas como óptimas ferramentas para estimular os jovens, quer para osSARA COSTA - problemas da actualidade política do país, assim como para aSecretariado da JS Tomar cidadania e para a vida política. Vivemos numa era onde reina o facilitismo e o desinteresse, acompanhados por uma crise devalores, por isso aceitamos o desafio de ajudar a combater este cenário tão nefasto. Não podemosesquecer que eles são os futuros homens do amanhã e, consequentemente serão esses homens queirão governar o nosso país. Jamais baixaremos os braços e nos conformaremos com a desertificação devalores que hoje perdura, nem muito menos com a precariedade das nossas camadas mais jovens! Não podemos esquecer que o mercado de trabalho, exige cada vez mais dos jovens e o actualgoverno parece que optou pelo caminho mais fácil, fazendo cortes absurdos na educação, cortando emdisciplinas que constituíam, sem dúvida, uma mais-valia para os inúmeros obstáculos que os jovens sedepararão no mundo do trabalho. Vejamos por exemplo a importância da qualificação informática, queo governo acabou por desnecessariamente extinguir do plano curricular, com a extinção da disciplina deTIC no 9º ano. Vejamos por exemplo a importância da educação tecnológica e das disciplinas como aformação cívica e a área projecto. Em vez de as reformular e capacitar, consoante as suas necessidades, Juventude Socialista de Tomar
  17. 17. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR”o nosso Governo optou por cortá-las do programa. Porém não satisfeito, o governo eliminou tambémuma das duas disciplinas específicas do 12ºano, reduzindo assim o leque de escolhas. Não podemosobviamente esquecer que quem estuda por gosto, estuda melhor! Esta política é um contra-senso ecremos que apenas se irá conseguir gerar mais desmotivação e desinteresse, tendo como consequênciaóbvia piores resultados. Na verdade, o governo voltou a “chumbar” o futuro dos nossos jovens! É por todas estas razões, que acreditamos e batalhamos pelos NES em Tomar, servindo-nosdestas estruturas para ajudar a combater este panorama. Pois: “ Podemos não conseguir mudar oMundo mas podemos contribuir para mudar parte dele”, António José Seguro. 6.1 JS TOMAR PREOCUPADA COM A COMUNIDADE ESTUDANTIL Compreendendo a importância formadora e educacional estratégica que as instituiçõesde Ensino desempenham no contributo para o desenvolvimento e crescimento dos jovenstomarenses, a JS Tomar, tem vindo a reunir-se com o Presidente do (IPT) Instituto politécnico deTomar, Eugénio de Almeida; Director da Escola Jácome Ratton , José António Rodrigues Possante,Diretor Engº Horácio Silva da Escola Profissional de Tomar Inserido no nosso plano de actividades, apresentamos um projecto pioneiro para a constituiçãode um NES- Núcleo de Estudantes Socialistas, encabeçado pelo camarada e aluno da presenteinstituição, César Moura. Sendo uma extensão da estrutura socialista, este terá como principaisobjectivos, dinamizar iniciativas de sensibilização e auscultar “in Loco” as problemáticas e os anseiosque afectam os jovens estudantes. Tivemos ainda a oportunidade de junto dos correspondentes Diretor escolares tentar perceber,o real estado do ensino no concelho; o possível impacto da fusão em Mega Agrupamentos quer para acomunidade estudantil, quer para as instituições, terminando com uma apreciação sobre o número dealunos com necessidades de apoio social. In, www.google.imagens.pt Juventude Socialista de Tomar
  18. 18. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR”6.2 NES JÁCOME RATTON Caros (as) camaradas, (2011-2012) Começaria por vos dizer que foi para mim um grande prazer e uma grande honra puder “dar a cara” por este projecto da JS Tomar. Confesso que inicialmente senti algum peso da responsabilidade por ser o timoneiro de um projecto tão importante para a comunidade estudantil e para a nossa concelhia, mas após alguns meses, sinto que o trabalho que desenvolvi deu frutos e que existe um largo conjunto de camaradas interessados em participar e em trabalhar em prol do futuro desta estrutura. Esta estrutura tem uma grande importância não só para a JS Tomar, como também para os próprios jovens. O NES, por um lado,CESAR MOURA - Coordenador do NES Jácome Ratton constituí para a concelhia uma forma privilegiada epróxima de auscultação dos problemas e dos anseios da comunidade estudantil, mostrando-se crucialpara a construção de políticas educativas cirúrgicas. Por outro lado, o NES possibilita aos jovens umcontacto directo com os órgãos partidários, o que se revela fundamental para o seu crescimentoenquanto cidadãos críticos. Terminaria o meu testemunho agradecendo a colaboração de todos os meus camaradas nesteprojecto e reafirmando o meu orgulho em ser socialista! NES JÁCOME RATTON… a força da IRREVERÊNCIA! Juventude Socialista de Tomar
  19. 19. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR”6.2 NES EPT Caros (as) camaradas, (2011-2012) Em primeiro lugar, digo-vos que foi uma grande satisfação entrar na JS Tomar e logo pela “portagrande”, isto é tive a oportunidade de ter a meu cargo a coordenação de um Núcleo de EstudantesSocialistas no Ensino Profissional. Inicialmente julguei ser uma granderesponsabilidade liderar uma estrutura destas,mas o apoio de todos os camaradas da concelhiae do núcleo revelou-se fundamental, ao longosde todos estes meses de trabalho. Destacaria,também, a singularidade deste núcleo uma vezque é o único núcleo político numa escolaprofissional. Ora isto revela uma aposta clara daJS Tomar não só no Ensino Profissional, mastambém como uma valorização dos alunos quefrequentam estes cursos. Esta valorização profissional é cada vezmais importante, quando temos um sistema deensino que tem feito como regra a deslocaçãode alunos com pior aproveitamento para estetipo de ensino. Com esta atitude se prova que JOSÉ CARLOS - Coordenador do NES EPTa nossa formação é desvalorizada e que o investimento na escola pública não passa pela áreaprofissionalizante. Este é, por isso, um grande erro estratégico deste Governo quando afirma garantir aempregabilidade aos seus futuros estudantes. Finalmente, gostaria de deixar o alerta a todos os camaradas para que o ensino profissionalesteja sempre na agenda política da JS Tomar. NES EPT… Uma aposta no TEU futuro!! Juventude Socialista de Tomar
  20. 20. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR”6.3 NES IPT Caros (as) camaradas e amigos (as), (2011-2012) Considerando a relativamente recente militância que ainda tenho nesta estrutura, não possodeixar de congratular-me pela grande oportunidade que tive em puder coordenar uma estrutura tãoimportante para a Juventude Socialista,como são os NES. Ao longo destes meses, tenho tidoao meu lado um grande grupo de jovensuniversitários motivados para abraçar esteprojecto, o que se tem traduzido emfrutíferas trocas de ideias entre a nossaestrutura e entre a concelhia. Julgo que estaproximidade só enriquece as duas estruturase por isso o contributo e o apoio tem vindo aser recíproco. Uma das problemáticas que temestado no centro da discussão e que maisnos preocupa a todos nós é precisamente areorganização do Ensino Superior SARA MENDONÇA - Coordenador do NES IPTPolitécnico no distrito. Se esta se vier arealizar não saberemos até que ponto a nossa instituição de ensino poderá ser sacrificada, o que serianão só um constrangimento para todos nós, como para um grande número de jovens que frequentam oensino superior politécnico. Não poderemos aceitar que alguém decida acabar com uma instituição, quetem uma oferta formativa de qualidade! Não poderemos aceitar que alguém decida deslocalizar osjovens para outros concelhos, fazendo com que alguns tenham mesmo de abandonar o Ensino Superior!Não poderemos aceitar um ataque à escola pública e à igualdade de oportunidades! Finalizava o meu artigo de opinião, lançando um repto a todos os camaradas e a todos os jovenspara que não deixem morrer esta instituição de ensino que é um dos pilares da juventude em que estáassente a nossa cidade. NES IPT… Mais Que um Orgulho… A nossa MARCA!! Juventude Socialista de Tomar
  21. 21. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” 6 – ACTIVIDADES DA CONCELHIA 7.1 LOCAIS 7.1.1 Visita do Secretário-Geral da JS No decorrer da SemanaFederativa da JuventudeSocialista no Distrito de Santarém,o Secretário-Geral da JuventudeSocialista e deputado PedroDelgado Alves, visitou o concelhode Tomar no dia 22 de Outubro2011, estando na sua agenda umavisita à Associação Cultural eRecreativa da Linhaceira e umjantar de convívio na Feira de Reunião na ACR- LinhaceiraSanta Iria. Da comitiva fizeram parte entre outros, o Presidente de Federação da Juventude SocialistaDistrital de Santarém, Hugo Costa; o coordenador da JS Tomar, Nuno Ferreira; a Presidente da Concelhiado PS Tomar, Anabela Freitas e os vereadores José Vitorino e Luís Ferreira, assim como um conjuntoalargado de militantes da juventude socialista de tomar e do nosso distrito. 7.1.2 MATINÉS A JS Tomar lançou o desafio de reactivar o conceito deMatinés de Estudantes em Tomar, passados cerca de 8 anos oconceito renasce, pouco a pouco, no seio dos jovens estudantes. QR CODE- Link para página do Facebook do evento Juventude Socialista de Tomar
  22. 22. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR”7.1.3 Comunicados7.1.3.1 INÍCIO DO ANO LECTIVO 2012/2013 Numa conjuntura Político-Social onde o ensino em Portugal écada vez mais, visto como um bem de “segunda necessidade”, onde osataques ao bom funcionamento da escola pública têm sido sistemáticos,fragilizando a igualdade de oportunidades. Neste sentido e porque nos encontramos preocupados com osofrimento dos estudantes, perante este atual sistema de ensino econcomitantemente com a agravante realidade de carência social e deempobrecimento das famílias portuguesas. Desejámos a toda a comunidade estudantil um excelente ano lectivo de 2012/2013 e votos demuito sucesso académico.7.1.3.2 ENTREVISTA AO JORNAL “O TEMPLÁRIO” Juventude Socialista de Tomar
  23. 23. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” 7.1.4 Tomadas de Posição No que toca a essência deste tema o secretariado dajuventude socialista de Tomar tem tido “uma palavra de ordem” nadefesa dos nosso jovens e no exercício dos seus direitos, promovendoa manutenção e bom funcionamento da democracia local. A voz e a alma das nossas convicções são fruto da nossaideologia da esquerda democrática e do socialismo democrático. Aolongo deste mandato, tivemos uma voz activa em diversos assuntoscrucias para o princípio básico de uma sociedade, que promove aigualdade. Tomámos uma posição pela implementação dos (CMJ) Concelhos Municipais de Juventude,obrigatórios por lei, em que o actual governo autárquico (PSD) teimava em não concretizar. LUTAMOSdiariamente pela futura implementação do (OP) Orçamento Participativo, embora não seja obrigatóriopor decreto de lei, é de facto socialmente e democraticamente exigível. Posicionamo-nos de forma activaem assuntos da assembleia municipal, acompanhando de perto todas as assembleias, apoiados pelosnosso deputados socialistas, onde destacamos o nosso jovem deputado, Hugo Costa. 7.1.5 Debates/Conferências Não podemos descorar que a cidade em que hoje vivemos, não é mais do que O RESULTADO, deum conjunto de ERROS POLÍTICOS, cometidos por anteriores governações autárquicas centradas emvisões políticas egocêntricas, demagogas e sem qualquer fundamento ideológico. É, hoje, urgente REPENSARMOS E CRIARMOS NOVOS MODELOS DE GOVERNAÇÃO AUTÁRQUICA, adaptados e centrados em novas ideias e em novas formas de “pensar” a gestão e actualidade municipal. É neste sentido que a JS Tomar, iniciou um círculo de conferências denominadas “RECONSTRUIR TOMAR PELO CONHECIMENTO”. Em Maio de 2012 demos início a este ciclo, com o tema sobre o Orçamento Participativo, pois consideramos que a participação política dos cidadãos deve estar na base de qualquer sociedade justa e fraterna, outros temas serão certamente abordados ao longo deste mandato,construindo CONHECIMENTO e RECONSTRUINDO O FUTURO, solidamente, convictos no nosso caminho! Juventude Socialista de Tomar
  24. 24. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” 7.1.6 Associativismo Compreendendo a importância dos MOVIMENTOS SOCIAIS, a JS Tomar deu início a um ciclo de vistas a associações locais. Tendo como objetivo, perceber a real dimensão do “estado” do associativismo local; compreender as principais dificuldades; ouvir, dar sugestões; mostrar a nossa disponibilidade de apoio, trazendo connosco um conjunto de medidas em que nos possamos debater,politicamente e publicamente. Assim, a JS Tomar será PIONEIRAnum projeto estratégico e de real interesseno apoio às estruturas juvenis do concelho,criando conhecimento real, promovendo obem-estar de todo tecido associativoinerente, agilizando processos de carizburocrático, assumindo-se como entidadedirecta, promotora na defesa dos interessesdos jovens e do associativismo! Por TOMAR sempre.. pelos nossos JOVENS Tudo!! 6.1.7 Confraternização7.1.7.1 JANTAR DE NATAL DA JS TOMAR No dia 23 de Dezembro de 2011, realizou-seo jantar de Natal, destacando-se a presença de umgrupo significativo de Jovens SocialistasTomarenses. Foi um momento importante deconvivo e de fraternidade dentro do seio da JS Juventude Socialista de Tomar
  25. 25. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR”Tomar, onde se preparou estrategicamente, o novo ano de combate político ideológico para 2012. Na parte das intervenções, sublinhamos a intervenção do coordenador da JS Tomar, NunoFerreira e Hugo Costa, Presidente da Federação Distrital do Ribatejo, tendo ambos referido a extremaimportância do papel dinamizador dos jovens na mudança política necessária no concelho de Tomar. 7.1.7.2 TOMAR RECEBE I ACTIVIDADE DE PAINTBALL DA JS RIBATEJO No dia 25 de Agosto de2012, teve lugar na freguesiade São Pedro de Tomar, aprimeira atividade de Paintballorganizada pela JS RIBATEJO(Juventude Socialista doDistrito de Santarém). A JS Tomar congratula-se por receber no seu concelho esta actividade, assim como todos os camaradas das várias concelhiasque contribuíram para um agradável momento de união, lazer e reforço dos laços de amizade. Por último, não poderíamos deixar de dar uma palavra de reconhecimento por todo oprofissionalismo e qualidade do serviço à empresa “TomaRadical”, que realizou esta actividade.7.1.8 Intervenção de Rua JS TOMAR RECEBE COORDENADOR NACIONAL DA ONESEBS “No arranque ano letivo de 2012/2013, a JS Tomar teve o prazer de receber a presença doCoordenador Nacional da Organização de Estudantes Socialistas do Ensino Básico e Secundário(ONESEBS), Miguel Matos. Neste âmbito a JS Tomar realizou na passada segunda-feira, dia 17 de Setembro 2012, nasescolas secundárias Jácome Ratton, Santa Maria do Olival e junto à Biblioteca Municipal de Tomar, umadistribuição de algumas centenas de folhetos informativos, esclarecendo algumas dúvidas de jovens queabordámos. Promovemos, também, a nossa página do Facebook -“JS TOMAR, NES JÁCOME RATTON eNES EPT”, que se tem relevado num meio, cada vez mais, utilizado pelos jovens. Juventude Socialista de Tomar
  26. 26. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” Tivemos ainda a oportunidade de divulgar os valores da ESQUERDA democrática e da ideologiaSocialista, esclarecendo desta forma temas como: a igualdade de oportunidades, a cidadania, oemprego, emancipação jovem e formação. Consideramos estes temas, valores e princípios cruciais,para a construção de uma sociedade mais Justa, mais Humana e mais Fraterna”. Juventude Socialista de Tomar
  27. 27. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR”7.1.9 Comunicação de Imprensa 7.1.9.1 AUDIÊNCIA ÀS ASSOCIAÇÕES JUVENIS “A JS Tomar iniciou na sexta-feira dia 2 de Dezembro um ciclo de audição in loco, dotecido associativo juvenil do concelho de Tomar. Terá como objetivo, perceber a real dimensão do “estado” do associativismo local, fazerum levantamento de políticas de juventude, boas práticas, dificuldades sentidas,constrangimentos, uma vez que considera que estas desempenham um papel fundamental noque respeita ao contacto direto com os jovens. Consequentemente, projeta-se uma convenção autárquica para debater questõescruciais e medidas de apoio ao associativismo juvenil do concelho. Após findado este périplo, aJS Tomar enquanto estrutura política, ativa e focada nos jovens, pretende, através dos seusmeios de intervenção social e política, apresentar junto dos órgãos competentes, um conjuntode propostas de políticas associativas autárquicas, nomeadamente em Assembleia Municipal deTomar.” 7.1.9.2 POSIÇÃO DA JS TOMAR – CMJ CONCELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE “Relativamente a esta matéria, e em virtude do já estabelecido na Lei nº8/2009 de 18 deFevereiro, a implementação dos Conselhos Municipais de Juventude é obrigatória em todos osmunicípios portugueses, existindo desde essa altura apenas um prazo de 6 meses para aaplicação da medida. Em Tomar, a Juventude Socialista através de apresentação consecutiva de propostas naAssembleia Municipal, por parte do seu deputado municipal Hugo Costa, desde 2006 viu asmesmas sempre reprovadas no mandato transacto pelo PSD, assim como no atual mandatoautárquico, embora tenha sido finalmente aprovada, foi cuidadosamente esquecida peloexecutivo. Atendendo às recentes alterações aprovadas à Lei na Assembleia da República, a JSTomar condena o desrespeito do executivo PSD pelas propostas aprovadas em AssembleiaMunicipal e exige deste órgão uma tomada de posição nesta matéria na próxima AssembleiaMunicipal, caso contrário, somos levados a crer que não existe, nem nunca existiu qualquerrespeito nem pelos jovens, nem pela lei.” Juventude Socialista de Tomar
  28. 28. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” 7.1.9.3 POSIÇÃO DA JS TOMAR NA ASSEMBLEIA MUNICIPAL “A JS Tomar, na voz do seu Deputado Municipal Hugo Costa, interveio no presenteórgão na sequência do CMJ - Concelho Municipal da Juventude, inserido na ordem detrabalhos. Iniciou relembrando o papel ativo do (PS-JS), desde 2006 na tentativa de fazercumprir a lei, agora n*8/2009 no que concerne à sua aprovação e execução. Após a intervenção do deputado Ricardo Lopes (PSD), que na presente data, seapresentou FINALMENTE CONSCIENTE com esta realidade, foi o mesmo deputado que em2009 chumbou por 4vezes consecutivas a proposta do (PS-JS). Hugo Costa, referiu ainda cronologicamente as consecutivas propostas (PS-JS) esalientou as consequentes reprovações do PSD, culpabilizando-o pela falta de vergonha, pelafalta de respeito pelos jovens, pela lei, pela População Tomarense!” 7.2 DISTRITAIS – JS / PS 7.2.1 CONGRESSO DISTRITAL DA JUVENTUDE SOCIALISTA 7.2.1.1 REELEIÇÃO DE HUGO COSTA À JS RIBATEJO Juventude Socialista de Tomar
  29. 29. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” Realizou-se no dia 11 de Fevereiro, em Rio Maior o XV Congresso Distrital da JSRibatejo, tendo sido reeleito o camarada Hugo Costa. A Juventude Socialista de Tomar não poderia deixar de realçar esta eleição, quedecorreu com entusiasmo, e muito participada pelos camaradas de todo o distrito e queresultou na eleição de todos os órgãos por unanimidade. Desta forma, a JS Tomar sente-se muito orgulhosa com este resultado, desejando aoHugo Costa sucesso e as maiores felicidades no desempenhar das suas funções. Gostaríamos ainda de felicitar a COC- Comissão Organizadora do Congresso, portodo o excelente trabalho realizado e em particular a camarada Maria Inês, na qualidade dePresidente da mesma. Assim como também, à concelhia de Rio Maior pela forma carinhosacom que nos recebeu. Congratulamo-nos ainda com a presença dos militantes da JS Tomar eleitos, para osvários órgãos sendo como efetivos os camaradas: Nuno Ferreira, Daniel Nobre, RicardoSimões e Sara Costa e como suplentes: César Moura Francisco, Carlos Atalaia e FilipaAlves Pereira. Estamos certos que a JS Ribatejo reforçou no sábado, a confirmação doexcelente trabalho que veio a desenvolver no anterior mandato, do qual faremos parte commuito orgulho, satisfação e empenho! 7.2.1.2 ELEIÇÕES DE DELEGADOS À CONVENÇÃO DISTRITAL DA JSRIBATEJO A JS Tomar realizou, no passado domingo dia 22 Janeiro, as eleições de delegados àconvenção distrital da JS Ribatejo. Juventude Socialista de Tomar
  30. 30. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” Foi apresentada uma lista única de delegados, adstrita à moção “Mais Esquerda, MaisRibatejo” do candidato também tomarense Hugo Costa a presidente de federação. Na lista ENCABEÇADA por Ricardo Simões, foram eleitos os camaradas efetivos:Sara Costa, Daniel Nobre e Carlos Atalaia e os camaradas suplentes: César Moura, BrunoCarrilho, Filipa Pereira e Bruno César. Destacamos ainda que o Coordenador da JS (NunoFerreira) e os membros do órgão distrital cessantes são delegados à convenção por inerência. A Convenção Distrital será um momento muito importante para a nossa estrutura egrande orgulho para a nossa concelhia de Tomar, visto ser a terra natal do candidato. Amesma ir-se-á realizar no próximo dia 11 Fevereiro, no concelho de Rio Maior 7.2.2 ÓRGÃOS DISTRITAIS 7.2.2.1 JS TOMAR, ELEITA PARA ÓRGÃOS DA JS RIBATEJO No dia 17 de Março, a Juventude Socialista do Ribatejo (JS Ribatejo) realizou, na sededo PS Abrantes, a sua primeira CPD - Comissão Política Distrital, onde tomou posse,oficialmente, a nova equipa de trabalho, elegendo-se, desta forma, o seu secretariado e a suamesa para o biénio 2011-2013. Juventude Socialista de Tomar
  31. 31. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” Salientamos, orgulhosamente, a dignificante representação da JS Tomar, nosreferidos órgãos distritais, tendo sido eleitos para o secretariado da JS Ribatejo: o coordenadorNuno Ferreira e Daniel Nobre. Quanto à composição da mesa da comissão política distrital,destacamos a eleição de Sara Costa, assim como Hugo Costa (Presidente da Federação),reeleito na convenção de Rio Maior. No novo secretariado distrital, apresenta-se uma lista renovada, caracterizada por umaforte participação feminina, tendo como principais ambições deste grupo de trabalho: construirum projeto político coerente, responsável e eficaz, tendo em vista um próspero futuro para odistrito. Por fim, centraríamos as eleições autárquicas, dentre outros, como um dos pontos maisimportantes e cruciais de combate político para este mandato. 7.3.1 CONGRESSO DISTRITAL DO PARTIDO SOCIALISTA O candidato único a Presidente da Federação, António Gameiro, militante na secção de Ourém, foi eleito ontem dia 15 de Junho, Presidente do PS do Ribatejo. Na lista de delegados efetiva contamos, com apresença do coordenador da JS Nuno Ferreira, (enquanto militante do PS), assim comoRicardo Simões. António Gameiro teve como seu Diretor de campanha, o nosso conterrâneo HugoCosta, que está assim também de parabéns pelo seu trabalho de promoção da candidatura. Contamos ainda com uma moção sectorial intitulada “APOSTAR NO TURISMO –Realidades Regionais” tendo como primeiro subscritor Nuno Ferreira, tendo esta sidoORGULHOSAMENTE aprovada por Unanimidade! Juventude Socialista de Tomar
  32. 32. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” 7.3.1.1 Moções Sectoriais - PS 7.3.1.1.1 Nuno Ferreira “O turismo constitui uma área de oportunidade para o desenvolvimento nacional,regional e local. Tem sido considerado ao longo dos tempos, como uma nova oportunidadesustentável de emprego e geração de riqueza para áreas desfavorecidas, que preservem umpatrimónio cultural e paisagístico com potencial a desenvolver. A evolução da procura e da oferta turística conduziu a níveis de competitividade cadavez mais elevados entre os destinos turísticos, que colocam novos patamares de exigência euma maior governance, designadamente quando consideramos às escalas regionais e locais. Dadas as circunstâncias impôs-se um novo paradigma que coloca a necessidade de proteger o ambiente e o património cultural, estimular a economia e valorizar as comunidades locais sob égide de uma perspetiva sustentável, assim como de acautelar os impactes que o crescimento do turismo provoca. Esta visão permite sustentar que a atividade turística, designadamente ao nível local, poderá constituir-se numa alavanca de desenvolvimento baseado na diferenciação cultural, social e na geração de benefícios para as comunidades. É exatamente aqui que urge a necessidade extrema de mudar mentalidades a respeitodeste trunfo, muitas vezes desvirtuado por perspetiva de curto prazo e de captação deinvestimentos, que podem parecer lucrativos, mas que em boa verdade, não servem a longoprazo os interesses dos municípios e das populações, consequência do uso “desgovernado” dealguns políticos de outras ideologias e decisores locais. Só uma mente aberta e consciente dosimpactes de que uma boa estratégia de gestão territorial poderá alimentar os fundamentosbase, à ignição deste tão pretendido conceito de desenvolvimento económico e social, numaperspetiva sustentável. A nível nacional e apesar da crise europeia que nos assola, em 2011 o turismo gerou 18Milhões de Euros (segundo Turismo de Portugal IP.), o que se verificou em 17 % do PIB e16,5% do total de emprego existente no território continental e ilhas! Juventude Socialista de Tomar
  33. 33. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” Atualmente não só no distrito de Santarém, mas como também em toda a lógicanacional “presenciamos” por inúmeras vezes investimentos em timings e quantidades“inadequadas”, quando aplicados às realidades sociais em que vivemos, muitas vezes por faltade informação ou de visão de futuro, perspetivadas pelos decisores políticos. Estacircunstância, “empurra-nos” para um nível de retorno pouco otimizado, cegamente alicerçado,em visões egocêntricas, demagogas e infrutuosas, sem condições de dar continuidade “auto-sustentada” a toda a estrutura inerente. O turismo social, entendido como resposta ao direito constitucional estabelecendo asférias e o lazer, constituem uma oportunidade para esta região, pela sua proximidade à áreametropolitana de Lisboa. É possível desenvolver atividades atrativas completas para segmentosjuventude, ativos e seniores que constituem uma resposta INCLUSIVA a este direitofundamental. Hoje, e devido a região em que nos inserimos, a região do Vale do Tejo (Lezíria e MédioTejo), somos condenados a uma condição de periferia devido ao paradigma “centro-periferia”.Existe a necessidade clara de encontrarmos um modelo de resposta a esta condição que nosleva para uma região de passagem, considerada na gíria turística como “one day trip”(excursionismo). A resposta parte claramente por uma estratégia de eficiência coletiva e degestão integrada do território!. Numa lógica territorial e focando o distrito de Santarém, as SINERGIAS eARTICULAÇÃO INTERMUNICIPAL, têm ser as palavras de ordem. Visando a gestão integradado território de todo o potencial turístico endógeno dos vários municípios, sugerindo-se assim,duas propostas inovadoras, puxando o orgulho no nosso distrito, sendo a primeira, a criação deum novo conceito de modelo de desenvolvimento turístico para a região que se designariacomo: “Polo de Desenvolvimento Turístico do Vale do Tejo” como um modeloAGREGADOR de todo o potencial turístico do distrito, em articulação com os distritos vizinhos,em parceria com os polos de Leiria-Fátima e Oeste, potenciados, pela IC9 (Bandeira Socialista,em linha com a visão de desenvolvimento regional) e contando com as restantes A1, A8, A13(o troço mais caro do país), embora não seja o melhor exemplo de estratégia para odesenvolvimento regional é prova clara de insensibilidade desta coligação PSD/CDS-PP paracom as realidades regionais, mas é de facto, uma acessibilidade válida a considerar), assimcomo também, A23 e A15. Criando FORÇA e ENERGIA para criar um destino turísticocompetitivo! Pois, já lá vai o tempo em que era “dividir para conquistar”, agora o mote tem deser “unir para vencer”. Neste sentido, e porque falamos numa visão de estratégica política, os atores políticostêm de ter a capacidade e a visão de saber hierarquizar os investimentos não só face a Juventude Socialista de Tomar
  34. 34. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR”prioridade dos recursos, mas como também a capacidade que os mesmos têm para gerar umretorno eficaz e revitalizador para a região. É esta análise de avaliação do potencial turístico,que em muitos casos tem falhado nas políticas públicas de gestão local instauradas. É aqui, que o PARTIDO SOCIALISTA têm de afirmar aliado ao crescimentoeconómico, nomeadamente na criação de empresas, apoio ao empreendedorismo, incrementodos postos de trabalho e fomentando o emprego jovem, REDUÇÃO das Taxas derestauração, mais concretamente o IVA, fazendo frente com elevação, altruísmo e atitudepolítica as medidas “Trokistas” e aos ATAQUES de um governo que mais se parece confundircom uma “Comissão de Desmantelamento do País!!” , até mesmo, numa “agência” deemigração! Hipotecando o futuro dos jovens!. Nas mentes dos decisores políticos, a atividade turística deveria rever-se na reflexãomáxima de “Como atrair investimentos, indústrias e turismo para as cidades, regiões, estados epaíses” e não baseados na ambição cega do lucro!! No meu entender esta visão só seconsegue culminando com uma estratégia de marketing territorial bem definida e adequada àsnecessidades e desejos da região. Baseando-se em quatro grandes eixos estratégicosfundamentais, Eixo 1 - Desenvolvimento Turístico; Eixo 2 - Promoção Turística; Eixo 3 –Investimento e Turístico. Eixo 4 - Ensino e Formação Técnica dos Operacionais e“Stakeholders” locais. As autarquias, antes de pensarem em turismo na sua globalidade, têm de,primeiramente perceber quais aos seus trunfos e fraquezas, assim como oportunidades eameaças, e nelas apostar, de forma equilibrada e enquadrada numa estratégia global dodestino, para que os vetores se cruzem e entrecruzem no sucesso. Maximizando, não apenasnos lucro para o trade local como tendencialmente, mas sobretudo nos efeitos positivos dedesenvolvimento, equilíbrio e harmonia que a atividade turística trará para a região. É exatamente aqui, neste ponto, em que o PARTIDO SOCIALISTA tem de reafirmar asua importância na luta da mudança de mentalidades, sensibilizando para este facto, criandomodelos políticos de gestão e monotorização das estratégias de intervenção turística, emconformidade com a estrutura ideal que se pretende para as regiões, participando ativamentede forma potenciada e estratégica nas suas diversas formas de atuação política, contribuindocom uma visão mais técnica e aprofundada, o que por inúmeras vezes são lacunas presentesna prepotência e intransigência do poder local instituído. Por um DISTRITO “Otimizado”, todos juntos FAREMOS a diferença!!! Nuno Ferreira – Partido Socialista de Tomar Juventude Socialista de Tomar
  35. 35. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” 7.3 NACIONAIS 7.3.1 CONGRESSO NACIONAL DA JUVENTUDE SOCIALISTA No fim-de-semana de 2,3 e 4 de Novembro realizou-se o XVIII Congresso JuventudeSocialista que teve lugar em Viseu. Neste congresso, foram eleitos para os Órgãos Nacionais. Hugo Costa que ENCABEÇAa lista dos Representantes da JS na Comissão Nacional do (PS) Partido Socialista, ondesalientamos não só o gratificante fato de termos pela PRIMEIRA VEZ alguém do distrito deSantarém como primeiro nome, mas como também o Orgulho que a JS Tomar sente, pois trata-se de um militante nosso! Destacamos ainda a eleição de Sara Costa, para o órgão daComissão Nacional (CN). Neste congresso foi eleito o novo Secretário-Geral da JS, João Torres com a moçãointitulada “Ninguém fica para trás, Juventude em proximidade”. A JS Tomar contou com umaforte representação tendo como delegados Nuno Ferreira, Ricardo Simões e Sara Costa.Foram ainda delegados, Hugo Costa enquanto Secretário Nacional e Presidente daFederação de Santarém, assim como também Susana Faria, enquanto membro da comissãonacional da JS e Daniel Nobre enquanto subscritor da moção sectorial intitulada "RenovaçãoPolítica". Juventude Socialista de Tomar
  36. 36. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” Na primeira Comissão Nacional voltaremos a ter mais militantes eleitos para osrestantes órgãos que ainda falta eleger. Por último gostaríamos de felicitar o nosso presidente de Federação Hugo Costa, por terfeito história mais uma vez! Destacando pelo seu empenho e mérito na magnânima e honrosarepresentação da Federação de Santarém em listas Nacionais. Viva à JS Nacional, Viva João Torres, Viva à JS Ribatejo, Viva à JS Tomar! 7.3.1.2 Moções Sectoriais - JS 7.3.1.2.1 Daniel Nobre “Caros camaradas, amigos e amigas Subo hoje a este púlpito para vos falar de renovação política que é tanto necessária, num contexto atual de descrédito e de desconfiança pela classe política, pelas instituições democráticas e pela democracia. Subo hoje a este púlpito não para vos deixar as minhas humildes e pobres palavras, mas para que juntos e conscientes dos desafios do nossotempo, façamos as mudanças que se nos impõem e renovemos o regime democrático do nossopaís. Todavia nunca poderemos falar de democracia em Portugal, sem falarmos da revoluçãoque ocorreu a 25 de Abril de 1974. Esta revolução por que alguns dos nossos “irmãos” foramencarcerados, esta revolução por que alguns dos nossos “irmãos” lutaram, esta revolução porque alguns dos nossos “irmãos” morreram, esta revolução que num dia histórico e memorávelpara todos nós, encheu as ruas do nosso país, nunca poderá ser esquecida. Pelo contrário,esta revolução deverá ser sempre para todos nós uma inspiração, na nossa luta incessante porum país melhor. A revolução portuguesa não só mostrou ao mundo a força e as potencialidades destepovo, como também possibilitou a eliminação de muitas das mais graves desigualdades, Juventude Socialista de Tomar
  37. 37. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR”discriminações e injustiças sociais. Acima de tudo, a revolução trouxe-nos a Liberdade, que foi eé essencial para a construção de uma sociedade democrática. Mas, camaradas, não nos acomodemos e não vivamos à sombra das conquistas darevolução, porque algumas das lutas travadas pelos nossos camaradas de Abril, são agoralutas e desafios do nosso tempo. Guiados pelo espírito irreverente da revolução, assim como pela visão republicana doserviço público, lutaremos. Como diria Guerra Junqueiro: “Hoje quem diz pátria, diz república.Não uma república doutrinária, estupidamente jacobina, mas uma república larga, franca,nacional onde caibam todos”. Esta memória de um passado glorioso comum é fundamental para concretizarmos asmudanças no nosso país. Contudo não podemos nem devemos agarrarmo-nos demasiado aopassado, muito menos devemos ficar reféns dos erros que cometemos. Devemos aprender como passado, tentando superar aquilo que foram, para nós, obstáculos e ir mais longe naquilo queforam as nossas conquistas. Hoje é sentida por todos nós uma necessidade de mudança de paradigma, em virtudeda nossa insatisfação com aquilo que se encontra instituído. A nossa geração enfrenta, hoje,novos problemas, exigindo-se por isso novas e diferentes respostas. Falemos dos problemas ambientais associados a uma necessidade de políticasconducentes a um desenvolvimento sustentável, assumindo hoje uma urgência inegável.Falemos das questões demográficas, nomeadamente, do envelhecimento da população, queexige uma solidariedade inter-relacional. Falemos dos fluxos migratórios, das minorias étnicas e religiosas associadas a estefenómeno. Falemos da igualdade de género, tantas vezes arredada do debate político mas nãomenos importante. Falemos da adoção por parte de casais do mesmo sexo, que tem dividoopiniões. Falemos da legalização das drogas leves e da legalização da prostituição, que sãofenómenos que existem e que por isso exigem uma resposta. Falemos da internet,nomeadamente, das questões relacionadas com a privacidade, com a liberalização e com areforma da proteção dos direitos de autor. Falemos do eterno combate a qualquer tipo dediscriminação ou exclusão social. Falemos de questões fraturantes, que são para nósestruturantes, como diz o nosso secretário-geral Pedro Alves. Temos então um difícil caminho pela frente que é a resposta a estas questões, na qualteremos de apostar toda a nossa energia. Porém, só poderemos avançar se o povo confiar emnós e se assim formos legitimidades, para em seu nome, estarmos à frente dos destinos destepaís. Digo-vos que não é com acusações que vamos reconquistar a confiança dosportugueses. Digo-vos que não é olhando de cima para este povo que vamos reconquistar a Juventude Socialista de Tomar
  38. 38. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR”confiança dos portugueses. Digo-vos que não é julgando-o ignorante e culpando-o de todos osmales, simultaneamente responsabilizando-o pelo seu voto, que vamos reconquistar aconfiança dos portugueses. Pelo contrário, digo-vos que é respeitando o povo, respeitando asua vontade e atendendo aos seus anseios, que vamos reconquistar a confiança dos cidadãos.Digo-vos ainda que este papel, já não é dos que estão, mas sim dos que virão!  Mais do que nunca é necessária uma credibilização da política.  Mais do que nunca é necessária uma maior participação política.  Mais do que nunca é necessária uma renovação política.  Mais do que nunca é necessária uma reforma das estruturas e da máquina partidária. Eu diria ainda, que mais do que nunca é necessário um “25 de Abril dentro dos partidos políticos”.  Não obstante, esta reforma que nos diz respeito só poderá ser efetiva, se percebermos, primeiramente, o papel da esquerda democrática europeia e os desafios que se lhe impõem neste início de século. Falemos, então, da crise de 2008. Ora, esta crise não marca só o ponto de partida paraa crise da zona euro que vivemos atualmente, como também o florescimento das ideologias dadireita neoliberal. Se alguns pensavam que este seria o momento em que a desregulamentaçãofinanceira e o capitalismo selvagem seriam condenados pelos seus crimes e que o seu reinadoestaria prestes a terminar, enganaram-se. As vitórias da direita conservadora neoliberal e asderrotas eleitorais da esquerda democrática multiplicaram-se um pouco por toda a Europa.Vivemos hoje numa Europa governada por conservadores e liberais e, ainda, com algunsnacionalistas atrás da cortina. Precisamos, pois, de renovar esta esquerda em consonância comas novas dinâmicas económicas, sociais e políticas do país e da Europa. Uma nova relação com o mercado, deverá estar na agenda. A dinamização daseconomias, através de uma maior mobilidade empresarial estará diretamente ligada à atualnecessidade do crescimento económico. Num contexto de instabilidade dos mercados e deconstrangimentos orçamentais, a defesa intransigente do Estado Social não deverá serpreterida. Muito pelo contrário, esta defesa da justiça social deverá continuar a ser a nossabandeira, a bandeira da esquerda democrática europeia. Outra dos reptos será fazer face ao recrudescimento dos nacionalismos e das paixõesxenófobas e racistas, que exige uma reação concertada a nível europeu. Certamente que estecaminho não poderá passará ao lado de uma eficaz harmonização das relações entre asnações e de uma melhor convivência com o fenómeno da mobilidade internacional daspessoas. No que respeita à renovação desta esquerda, muitos outros aspetos poderiam serpostos em cima da mesa, mas aquele que mais importância merece é, sem dúvida, a defesa do Juventude Socialista de Tomar
  39. 39. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR”aprofundamento do projeto europeu, como o ambiente necessário e o habitat natural daideologia de esquerda. Compreendamos que sem Europa ou com menos Europa, o socialismoserá engolido pelas forças neoliberais e neoconservadoras, veiculadas na ação dos organismosinternacionais. Por isso não desistamos deste nobre projeto de integração, porque, comodefendia Jean Monnet, a Europa nasceu e cresceu, num contexto de crise e eu acredito quedesde que haja vontade política e solidariedade europeias, o caminho para uma Europa maiscoesa, mais justa e mais solidária não tardará a revelar-se no horizonte. Como todos sabemos, o nosso caminho passará pelo Partido Socialista e é por ele queteremos de lutar. Mas não nos esqueçamos que “sem democracia interna, os valores socialistastornam-se belas palavras sem credibilidade ideológica ou utilidade para a modernização dasociedade portuguesa” (in Declaração de Princípios do PS) Discutamos, pois, aquilo que poderemos fazer para reformar o nosso partido, para queos valores socialistas nunca morram e sejam sempre a nossa bandeira! Comecemos por procurar trazer para o PS mais pessoas, não apenas militantes mastambém simpatizantes, que se comprometem ideologicamente connosco. Neste campo, aseleições primárias à semelhança do exemplo americano, poderia ser um bom mecanismo deponto de partida, no estudo de novas formas de participação interna. Os militantes são para um partido, o que os cidadãos são para um regime democrático.Ou melhor os militantes são para os eleitos, o que os cidadãos são para os governantes. Porisso mesmo, uma maior aproximação entre os militantes e os eleitos será tanto melhor, comouma maior aproximação entre os cidadãos e os governantes. Maior proximidade significarátambém sempre maior participação e maior convergência. Todos nós reconhecemos o meritório papel dos movimentos sociais quer para oenriquecimento da democracia, quer para a difusão de novas correntes de opinião. Sendo este Juventude Socialista de Tomar
  40. 40. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR”fenómeno um catalisador da opinião pública e um agente importante para a democracia, é daextrema importância que os partidos se abram à sociedade civil e que auscultem estesmovimentos, que são instrumentos estratégicos do exercício da cidadania. Esta necessidadedos partidos dialogarem com a sociedade civil poderia consubstanciar-se na criação de órgãosde auscultação e de debate, assim como, no diálogo sério com as associações, com ossindicatos e com as universidades. Porém não é essa a atitude que os partidos políticos e opróprio Partido Socialista têm tido para com estes movimentos, o que se tem traduzido numaproliferação de ideias e de movimentos antidemocráticos e anti-partidários, que ameaçam ademocracia e a fragmentação dos partidos políticos. Como, tantas vezes, diz o nosso Secretário-geral, António José Seguro, o PS é umpartido com vocação governativa, cabendo-nos quando estamos na oposição, fazê-lo de umaforma responsável e não com mera avidez de poder. Esta oposição responsável deve, então, nomeu entender, ter dois aspetos, que são: a cimeira defesa do interesse das pessoas e aapresentação de credíveis propostas alternativas de governação. Existe, pois, para mim umórgão central para a elaboração de propostas governativas, que é o Gabinete de Estudos. Esteórgão deverá ser uma das apostas constantes do PS, tornando-o cada vez mais numaplataforma de conhecimento aprofundado e variado sobre as condições económicas, sociais,políticas e jurídicas do nosso país, para que se possam elaborar propostas efetivas e coerentesde governação. Estando a falar de renovação política e da reforma das estruturas partidárias, existe umcombate central que teremos de travar e ao qual não poderemos fugir, que é o carreirismo e aprofissionalização da política. Todos nós assumimos que estes casos de aproveitamento daatividade política são felizmente minorias no que toca à realidade político-partidária, mas não épor constituírem uma minoria que devemos deixar de os combater. Não é obviamente saudávelque as mesmas pessoas se perpetuem no poder, quer para elas próprias que inexoravelmentese vão descredibilizando, como também para a saúde da nossa democracia, que muitas vezespadece da promiscuidade fraudulenta e mafiosa entre o poder político e o poder económico. A resolução deste cancro, que corrói a democracia e que corrói as estruturas partidárias,passará por algumas soluções. Por um lado, um dos caminhos deverá ser um maiorenvolvimento e uma maior auscultação das juventudes partidárias, por parte do Partido.Encarando-as como estruturas progressistas e como o garante do futuro do partido, ao invés deas verem como estruturas “concorrentes”. Por outro lado, outra das soluções deverá passarpela limitação do número de mandatos e pela incompatibilidade de acumulação de certoscargos políticos. Muitas outras reformas precisarão os partidos políticos de levar a cabo, muitas outrasreformas precisará o Partido Socialista de levar a cabo, por isso eu acredito que vocês, tal como Juventude Socialista de Tomar
  41. 41. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR”eu, quererão fazê-las para que tenhamos um melhor partido e para que vivamos sempre emdemocracia e numa melhor democracia. Convoco-vos, então, a todos para que, hoje, nos comprometamos a nunca deixarmosmorrer os valores que defendemos. Convoco-vos, a todos para que, hoje, nos comprometamos a colocar os interesses doPS acima dos nossos interesses individuais. Convoco-vos, a todos para que, hoje, nos comprometamos a lutar em nome dosportugueses e por um país melhor. Convoco-vos a fazê-lo, porque sei que somos capazes! Servindo-me das palavras de Jonh F. Kennedy. “Não procuremos o que o nosso paíspoderá fazer por nós, mas sim o que nós poderemos fazer pelo nosso país.” Daniel Nobre – Juventude Socialista de Tomar 7.3.2 ÓRGÃOS NACIONAIS NUNO FERREIRA ELEITO PARA O (SECRETÁRIO NACIONAL ADJUNTO)DA JS E HUGO COSTA CABEÇA DE LISTA AOS INERENTES AO PS NACIONAL No dia 18 de Novembro decorreu em Ovar, a Comissão Nacional onde foram eleitosdiversos órgãos da JS. Nos quais, destacamos o coordenador da JS Tomar, Nuno Ferreirapara o (Secretario Nacional Adjunto), um sinal claro de reconhecimento pelo trabalho e Juventude Socialista de Tomar
  42. 42. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR”empenho de toda a estrutura que muito nos honra. Hugo Costa, para os representantes àComissão Política Nacional do Partido Socialista. Já no Congresso Nacional, Hugo Costa foi o cabeça de lista aos representantes àComissão Nacional do Partido Socialista (A primeira vez na história que alguém do distritoocupou esse lugar) e Sara Costa integrou a lista à comissão nacional da JS. Uma palavra merecida de reconhecimento ao nosso Presidente de Federação HugoCosta, que também é nosso militante da JS Tomar, pelo trabalho e empenho na luta pela maiorrepresentação da história na JS Ribatejo. Uma Federação que se honra diariamente com o seuvalor humano e as qualidades pessoais e políticas que há muito que nos tem vindo a habituar! Contamos cum uma excelente Moção Sectorial intitulada “Renovação Política”, pelonosso camarada Daniel Nobre, um jovem com imensas qualidades políticas e pessoais! Por último, permitam-nos dirigir uma palavra fraterna de amizade e felicitação a todos oseleitos nos órgãos nacionais. 7.4 ARTIGOS DE OPINIÃO 7.4.1 Daniel Nobre O “DIA D” DA CRISE DA POLÍTICA Mergulhados num generalizado contexto de crise político-social, que afecta em grande parte as democracias contemporâneas, vejo-me a recuar alguns anos para citar Albert Thibaudet, um escritor francês do século passado, que identificou o cerne da questão política. Ora ele diz-nos exactamente que “a Daniel Nobre – Secretariado da JS Tomar política são as ideias”. Reformulando as suaspalavras afirmo, então, que não assistimos somente a uma crise político-social, mas naturalmentetambém uma crise ideológica. Diria que estamos no “dia D” da crise da política, ou seja, existe por ela: desconfiança,desinteresse e desmotivação. Muitos explicam esta “nuvem negra” que paira sobre “tudo que é Juventude Socialista de Tomar
  43. 43. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR”político”, justamente, por uma falta de representação política ou melhor por um crescentedistanciamento entre os governados e os governantes. O que a mim me parece mais claro é que énecessária uma reinvenção dos instrumentos com que fazemos política e, que estes estejam em maiorconsonância com os novos interesses e valores da sociedade contemporânea. Assim assumindo uma posição de reformador e procurando uma maior participação dos jovensno projecto político, lançaria algumas proposições. Proponho a reformulação das formas decomunicação, apostando num conteúdo mais objectivo e mais claro. Proponho um maior envolvimentodas pessoas da sociedade civil em actividades políticas, com vista a uma militância mais activa, maiscrítica e mais participativa. Proponho que se saliente as nossas diferenças face aos outros partidos e àsoutras juventudes, afirmando claramente a nossa forma de fazer política, numa tentativa dedescolagem quer dos partidos mais à direita quer dos partidos mais à esquerda. Julgo que devemos mostrar aos jovens a importância do seu contributo cívico e político para arenovação dos partidos políticos e das instituições democráticas, por isso devemos aproximar a políticados jovens e, naturalmente procurar aproximar os jovens da política. Concluiria com a célebre e intemporal frase de PLATÃO, que nos diz que “o preço a pagar pelatua não participação na política é seres governado por quem é inferior”. 7.2.4 Bruno Oliveira Juventude Socialista de Tomar
  44. 44. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR” 8- CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE Em Tomar, a Juventude Socialista através de apresentaçãoconsecutiva de propostas na Assembleia Municipal, por parte do seudeputado municipal Hugo Costa, desde 2006 viu as mesmas semprereprovadas em mandato anteriores pelo PSD, assim como no atualmandato autárquico, embora tenha sido aprovada foi cuidadosamenteesquecida pelo executivo. Desde então e até aos dias de hoje, muitas foram as propostasapresentadas que com o tempo deram os seus frutos. Hoje e com orecente apoio de outras forças partidárias vemos finalmente o (CMJ),ainda que de forma precária e com uma engrenagem pouco oleada, masexistente! É com orgulho que vemos muitas das propostas que temos vindo a apresentar publicamente emAssembleia Municipal (AM), imprensa local e meios próprios tomam “cor e alma”: 8.1 Propusemos1 - Cartão Jovem Municipal2 - Orçamento Participativo3 - Loja da juventude (Centro de Recursos, Informação e Serviços)3 - Semana da Juventude como atividade autárquica4 - Criação de um plano de apoio às Associações Juvenis5 - Cedência de espaço no Boletim Municipal, destinado ao CMJ6 - Lançamento de uma linha de apoio à habitação, emprego e empreendedorismo Jovem7 - Reforço do corpo operacional de segurança pública, maior vigilância / Rotatividade8 - Criação de um GAIE-Gabinete de Apoio ao Investimento e Empreendedorismo9 - “Via Verde Empresários”10 - Rentabilização de edifícios públicos, para uso associações ou incubadora de ideias11 - Apoiar a compra, a recuperação ou o arrendamento jovem de um imóvel no centro histórico porindivíduos com idade até 35 anos ex: CM Coruche12 - Redução dos elevados custos com licenças e outros pedidos à respetiva CMT13 - A criação de um GIRO – Grupo de Intervenção de Rua, ex: freguesia de Benfica, Lisboa Juventude Socialista de Tomar
  45. 45. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR”14 - Aumentar consideravelmente apoios ao associativismo geral local, com especial atenção com asinstituições, clubes ou coletividades que prestam diretamente serviços à comunidade em várias áreas,agilizando o processo de candidatura ao financiamento local.15 - Disponibilização de um melhor serviço de informação, apoio logístico na elaboração decandidaturas/manutenção do RNAJ a todo o tecido associativo com enfoque na desburocratização dosprocedimentos administrativos.16 - Por vezes apoiar as associações não significa custos acrescidos, podendo-se otimizar recursosexistentes desaproveitados, como computadores, mobiliário, materiais e outros.17 - PROMOVER AÇÕES DE SENSIBILIZAÇÃO E DIVULGAÇÃO DO CMJ junto das escolas, das associaçõese dos órgãos de comunicação social do concelho.18 - FEIRA DAS PROFISSÕES, composta por STAND´S de empresas, com ofertas profissionais edivulgação de mecanismos de emprego e “Selft Empowerment”, (técnicas de apoio à criação do próprioemprego), mas num contexto de “relatos de empreendedores de sucesso”.19 - SEMANA DA JUVENTUDE E ASSOCIATIVISMO – Temos 32 associações (segundo a CMT) que dão omelhor de si quase diariamente em prol de uma causa NOBRE e um bem para a sociedade, é Justo quepara além de este executivo os apoiar financeiramente, que crie um “espaço mediático” para que asmesmas possam divulgar o seu trabalho e envolver a população local, com forte participação da CMT.20 - BOLSA MUNICIPAL DE EMPREGO ONLINE: É já elevado o número de sites que disponibilizamofertas de emprego. Contudo, uma grande parte das ofertas ainda não se encontra online. A criação deuma bolsa municipal de emprego online, com ofertas de trabalho público e privado, possibilitaria umabusca geograficamente mais eficiente, facilitando dessa forma a fixação e atracão de pessoas para oconcelho.21 - A CRIAÇÃO DE UMA BOA REDE DE CONTACTOS JUNTO DO TECIDO EMPRESARIAL LOCAL, podendoeste ser um instrumento de combate ao desemprego, de ajuda à inserção profissional e à fixação dejovens no nosso concelho.22 - Criar uma POLÍTICA ESTRATÉGICA PARA A JUVENTUDE, através do diagnóstico dos problemas daJuventude existentes. Dando Orientações e delineando POLITICAS PÚBLICAS JOVENS concretas para os“atores sociais” que interagem diretamente esta franja social e que possam ser orientadas na estratégiade intervenção social a tomar.23 - FEIRA DA GASTRONOMIA, TURISMO E CULTURA TOMARENSE- eventualmente com a duração de 2dias e com uma cobertura mediática eficaz, com o objetivo claro de dinamizarmos a economia local e Juventude Socialista de Tomar
  46. 46. “Um Projecto de Mudança Por TOMAR”projetarmos o nosso concelho à escala nacional e internacional, fomentado este “CLAUSTERESTRATÉGICO” enquadrado no nosso posicionamento estratégico de Tomar enquanto destino Turístico,ao mesmo tempo que damos sustentabilidade ao artesanato local.24 - ISENÇÕES E REDUÀ

×