O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 6 Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Diapositivos para si (19)

Anúncio

Semelhante a Apostila PPR (20)

Mais de Nucleo Nacional (20)

Anúncio

Mais recentes (20)

Apostila PPR

  1. 1. PERMANECER SÓBRIO UM GUIA PARA PREVENÇÃO DE RECAÍDAS TERENCE T. GORSKI e MIRLENE MILLER SUMÁRIO PREFÁCIO........................................................................3 PREFÁCIO DO AUTOR...................................................4 CAPÍTULO I-....................................................................8 CAPÍTULO II-.................................................................11 CAPÍTULOIII-.................................................................20 CAPÍTULOIV-.................................................................30 CAPÍTULOV-..................................................................43 CAPÍTULOVI-.................................................................49 CAPÍTULOVII-...............................................................56 CAPÍTULOVIII-..............................................................69 CAPÍTULOIX-................................................................73 CAPÍTULOX-.................................................................83 PALAVRA FINAL.........................................................92
  2. 2. PREFÁCIO DE PADRE MARTIN BASEADO NO MODELO DE TRATAMENTO CENAPS Acredito nos conceitos descritos neste manual. Tão forte é minha crença na sua eficácia que estamos implementando um efetivo Centro de Prevenção de Recaídas em Dependência Química. Acredito que este livro junto com este manual de trabalho podem dar-lhe informações valiosas que podem salvar vidas. Ao tentar entender e aplicar estas informações e você não conseguir sozinho, não perca a esperança. Existem muitos bons centros de tratamento que podem ajuda-lo com Planos de Prevenção de Recaídas. Não importa o que seja feito, porém, algumas pessoas morrem desta doença terminal. Porém, muitos continuarão a morrer porque não entendemos como tratar o fenômeno da recaída. Um Plano de Prevenção de Recaída é uma nova aproximação poderosa que esta ajudando milhares a escaparem do que era uma sentença de morte. É importante que transmitamos a mensagem o adicto com tendência a recair, que existe esperança. É importante que transmitamos a mensagem para os Centros de Tratamento, pois temos a obrigação moral de nos esforçar ao máximo para tratar o mais doente dos doentes na fileira dos adictos. Acredito que este livro abre um excelente caminho para começar a ajudar pessoas que foram antes consideradas sem esperança.
  3. 3. Padre Joseph C. Martin Co-fundador Padre Martins Ashlcy 2 PREFÁCIO Todos têm consciência da natureza básica destrutiva da doença da adicção/alcoolistas. Ela afeta suas vítimas no corpo, mente, e alma. Pela sua natureza ela é uma doença terminal. Sabemos que é uma doença que não pode ser curada, mas pode ser detida. Centenas de milhares de adictos/acoolistas nos últimos 50 anos detiveram sua doença e vivem suas vidas felizes, efetivas, produtivas e sóbrias. Porem, uma das grandes tragédias neste campo é o fato de que muitos adictos ficam bem por um tempo e então voltam a adicção ativa. É dito que aproximadamente metade dos adictos/alcoolistas que chegam a porta da sobriedade, entram e ficam. Dos outros, muitos ficam um tempo e tem uma ou mais recaídas e então entendem sobre a necessidade de uma vida sóbria e ficam sóbrios até a morte. Dos remanescentes adictos/alcoolistas, muitos passam pelo que chamamos de “ porta circular “, várias vezes: às vezes sóbrios, as vezes de volta ao uso. Alguns deles, naturalmente, eventualmente morrem.
  4. 4. Terry Gosski, no início de sua carreira profissional, foi encaminhado para tentar ajudar aqueles “ no fim da estrada “. Ele sentiu que alguns deles, obviamente , eram incapazes de ficar bem; o dano feito a eles por sua maneira de usar era muito grande para ser reparado. Os demais, porém, ele sentiu que era possível ajuda-los a conseguir a sobriedade que outros tinham conseguido com mais facilidade que eles. E assim este jovem gastou 15 anos de sua vida ( e ainda continua ) continua estudando estória de caso após estória de caso, chegando já a milhares destes pobres infelizes que voltam de vez em quando a usar. Disto tudo veio o modelo CENAPS para prevenção de recaídas. Integra Narcóticos Anônimos / Alcoólicos Anônimos com tratamento profissional e cria um mapa rodoviário ou Guia para a Recuperação. Como ele diz, este guia não tem novidade. O que ele fez foi integrar a sabedoria do programa de N.A /A.A com toda a pesquisa das últimas décadas. PREFÁCIO DO AUTOR No início de 1970, estava trabalhando como Consultor em alcoolismo no Hospital Grant em Chicago. Começando em junho de 1971, fui designado em tempo integral com a responsabilidade do departamento ambulatorial. Como tinha pouco tempo na agência, eu tinha poucas condições de conseguir “ pacientes com um bom prognóstico “. Eram encaminhados a mim os pacientes mais difíceis, muitos dos quais passaram pelo tratamento várias vezes sem alcançar a sobriedade. Na hora fiquei preocupado. Acreditava que podia trabalhar com qualquer um. Nunca ninguém me disse que estes pacientes com tendência a recaída eram casos sem esperança, logo eu esperava que eles simplesmente se recuperassem. Quando todos os casos são completamente compostos de indivíduos com tendência a recaída, pode ser uma tarefa avassaladora, mas comecei aprender logo. A primeira coisa que aprendi foi que muitos pacientes recaídos tinham experimentado tudo que aconselhamento de alcoolismo / adicção e psicoterapia tradicional tinham a oferecer. Também aprendi que muitos conheciam mais de Passos e Tradições de N.A / A.A que eu próprio. Conheciam o Livro Grande ( Isto Resulta Como E Porque, Alcoólicos Anônimos ) e os Doze Passos e as Doze Tradições.
  5. 5. Muitos tiveram longos períodos de abstinência praticando os princípios de N.A / A.A, mas por algum motivo eles não conseguiram colocar estes princípios em suas vidas. Muitos sentiam que eram “ incapazes constitucionalmente de recuperação “ e falavam da declaração do capitulo 5 de “ Alcoólicos Anônimos “ que descrevem estes desafortunados que não podem se recuperar. Eu tinha sido treinado num estilo de terapia bastante confrontativo. Logo, aprendi que Confronto não funcionam com pacientes recaídos porque uma coisa que eles tem mais experiência que qualquer um é lidar com confrontos. Quase que diariamente eles foram confrontados por quase todos: Empregadores, esposas, filhos, terapeutas, consultores, policiais, etc... Se existe algo que eles conhecem é lidar com confronto. Logo percebi que este grupo de pacientes era mais difícil que qualquer terapeuta poderia ter. Tendem a se colocarem para baixo. Sua auto-estima todo tempo está baixa. Durante vários meses tentando trabalhar com estes pacientes, tive pouco sucesso. Decidi esquecer tudo sobre aconselhamento tradicional em alcoolismo e adicção e comecei a aprender com ao verdadeiros especialistas, os próprios pacientes. Ao invés de partir para sofisticados Planos de Tratamento, Estratégias de Tratamento altamente confrontativos e Programas de Tratamento muito estruturados, adotei uma aproximação mais simples. Primeiro, peço para cada paciente assistir pelo menos 3 reuniões de N.A /A.A por semana.
  6. 6. Muitos tiveram longos períodos de abstinência praticando os princípios de N.A / A.A, mas por algum motivo eles não conseguiram colocar estes princípios em suas vidas. Muitos sentiam que eram “ incapazes constitucionalmente de recuperação “ e falavam da declaração do capitulo 5 de “ Alcoólicos Anônimos “ que descrevem estes desafortunados que não podem se recuperar. Eu tinha sido treinado num estilo de terapia bastante confrontativo. Logo, aprendi que Confronto não funcionam com pacientes recaídos porque uma coisa que eles tem mais experiência que qualquer um é lidar com confrontos. Quase que diariamente eles foram confrontados por quase todos: Empregadores, esposas, filhos, terapeutas, consultores, policiais, etc... Se existe algo que eles conhecem é lidar com confronto. Logo percebi que este grupo de pacientes era mais difícil que qualquer terapeuta poderia ter. Tendem a se colocarem para baixo. Sua auto-estima todo tempo está baixa. Durante vários meses tentando trabalhar com estes pacientes, tive pouco sucesso. Decidi esquecer tudo sobre aconselhamento tradicional em alcoolismo e adicção e comecei a aprender com ao verdadeiros especialistas, os próprios pacientes. Ao invés de partir para sofisticados Planos de Tratamento, Estratégias de Tratamento altamente confrontativos e Programas de Tratamento muito estruturados, adotei uma aproximação mais simples. Primeiro, peço para cada paciente assistir pelo menos 3 reuniões de N.A /A.A por semana.

×