3 ecologia social 24-8

1.108 visualizações

Publicada em

asas

Publicada em: Tecnologia, Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.108
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
21
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

3 ecologia social 24-8

  1. 1. Antigo e Novo Paradigma Implicações Sociais e Políticas
  2. 2. Paradigma Conjunto de concepções, valores, percepções e de práticas compartilhadas por uma comunidade e que permite uma visão particular da realidade.
  3. 3. Antigo Paradigma  Consciência simplista da ecologia.  Visão de inesgotabilidade dos recursos naturais.  O planeta como objeto a ser estudado, subjugado e explorado.
  4. 4. Novo Paradigma  Consciência de que a Terra possui apenas uma película fina de vida (a biosfera), que está constantemente ameaçada pela atuação do homem.  Compreensão apropriada da vida e dos processos de desenvolvimento.
  5. 5. Antigo Paradigma Novo Paradigma Homem Superior a todos os seres vivos Ser participante de uma cadeia Meio Ambiente (recursos naturais) Recursos naturais inesgotáveis Planeta objeto de estudo e exploração Recursos naturais esgotáveis. Compreensão apropriada da vida.
  6. 6. Lei Social Principal (Rudolf Steiner – filósofo austríaco) “O bem estar da integridade social é tanto maior quanto menos cada um exige pra si os resultados do seu trabalho.”
  7. 7. Sociedade Ideal Sociedade como uma unidade orgânica na diversidade, liberta de hierarquia e baseada no respeito mútuo, pelo interrelacionamento de todos os aspectos da vida. (Unidade não Uniformidade)
  8. 8. Uma Nova Forma de Perceber o Mundo “A terra não pertence ao homem; é o homem que pertence à terra. Disto temos certeza. Todas as coisas estão interligadas, como o sangue une uma família. Tudo está relacionado entre si. O que fere a terra fere também os filhos da terra. Não foi o homem que teceu a trama da vida: ele é meramente um fio da mesma. Tudo o que ele fizer à trama, a si próprio fará.” Trecho da carta do cacique Seatle ao Presidente dos EUA em 1855.
  9. 9. Ecologia Profunda Ecologia proposta pelo filósofo norueguês Arne Naess que caracteriza sua essência como a capacidade de formular questões mais profundas, ou questionar cada aspecto isolado do velho paradigma.
  10. 10. Ecologia Profunda não significa desfazer de tudo, mas ter disposição para questionar tudo.
  11. 11. Foco da Ecologia Profunda A atitude de pensar o planeta numa visão holística, sistêmica ou interrelacional, entre todas as coisas que nos cercam.
  12. 12. Visão holística Visão do homem (e por extensão o planeta) como um todo indivisível e que não pode ser explicado pelos seus componentes distintos (físico, psíquico ou psicológico) separadamente.
  13. 13. Visão holística “Um ser humano é uma parte do todo que chamamos Universo, uma parte limitada no tempo e no espaço, que concebe a si mesmo, as suas ideias e sentimentos como algo separado de todo o resto. É como se fosse uma espécie de ilusão de ótica da sua consciência.” (Albert Einstein – 1905)
  14. 14. Ecologia Profunda Concepção que não separa os homens da natureza.
  15. 15. Dificuldade Pensar as questões ambientais com mais profundidade requer uma mudança radical das nossas percepções, no nosso pensamento e nos nossos valores.
  16. 16.   Visão de Mundo Ecologia Profunda Domínio da Natureza Harmonia com a Natureza Ambiente natural como  recurso para os seres  humanos Toda a Natureza tem valor  intínseco Seres humanos são  superiores aos demais seres  vivos Igualdade entre as diferentes  espécies Crescimento econômico e  material como base para  o crescimento humano Objetivos materiais a serviço  de objetivos maiores de auto- realização
  17. 17.   Visão de Mundo Ecologia Profunda Crença em amplas reservas de  recursos Planeta tem recursos limitados Progresso e soluções baseados  em alta tecnologia Tecnologia apropriada e ciência  não dominante Consumismo Fazendo com o necessário  e reciclando Comunidade  nacional centralizada Biorregiões e reconhecimento  de tradições das minoriais Arne Naess  1973.
  18. 18. Solução As mais viáveis são as soluções sustentáveis.

×