SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 32
PARADIGMAS
Segundo o físico americano Thomas Khun “[...] um paradigma é aquilo que
os membros de uma comunidade partilham e, inversamente, uma
comunidade científica consiste em homens que partilham um paradigma”
(KHUN apud SANTOS, 2009, p.
2). São, portanto, modelos e regras a serem seguidas por essa comunidade
científica que se baseiam em crenças compartilhadas por esses grupos e
está relacionado fortemente à resistência desses grupos em aceitar
mudanças, ideias e regras novas (SANTOS, 2009, p.
3). “A palavra paradigma tem sua origem do grego parádeigma que
significa modelo ou padrão” (VASCONCELLOS, 2002).
Paradigmas
Com o advento da revolução tecnológica, novos paradigmas são discutidos no campo
da educação, tendo em vista a necessidade de educandos e professores se
adaptarem à velocidade das transformações que ocorrem diariamente.
Inclusão digital implica, necessariamente, o domínio das Tecnologias da Informação
e Comunicação (TICs), ou seja, computadores, softwares, Internet, e-mail, e-books,
e-learning, e-commerce, entre outros recursos e serviços disponibilizados na web.
Não basta apenas o indivíduo ter acesso ao computador, mas é preciso
educar os sujeitos para as práticas sociais na ciber cultura, investindo-se em uma
educação para o mundo digital.
Aprender a aprender tornou-se um pilar da educação extremamente
relevante nas discussões sobre a prática pedagógica.
ESCOLATRADICIONAL INOVADORA
 Conteúdista;
 Distante da realidade do aluno;
 Descontextualizada;
 Preocupada com o produto;
 Tecnicista;
 Transformadora;
 Próxima da realidade do aluno;
 Contextualizada;
 Preocupada com o processo;
 Integralista;
FORMAÇÃO DO
SER HUMANO
INTEGRAL
PROATIVO
DINÂMICO
CRIATIVO
COMUNICATIVO
Pressupostos - Bases para a Psicologia
REALISMO IDEALISMO
Existência é a
Experiência
Conhecimento está
no Mundo
O Ambiente
EMPIRISMO
Existência é o
Pensamento
A Razão
INATISMO
RACIONALISMO
469 – 399 a.C.
PLATÃO
ARISTÓTEL
ES
REALISMO IDEALISMO
Existência
é a Experiência
O conhecimento está
no Mundo.
Existência
é o Pensamento
O conhecimento está
no sujeito.
Evolução do Pensamento
Pedagógico
DE FORA PARA DENTRO
DE DENTRO PARA FORA
CONHECIMENTO
BASES DA PSICOLOGIA
INATISMO
EMPIRISM
O
KANTIANISMO
A
ESTRUTU
RA DA
RAZÃO É
INATA
OS
CONTEÚDO
S SÃO
EMPÍRICOS
EXPERIÊNCI
A
FORMA
“O conhecimento racional não é inato nem adquirido, mas uma síntese que a
razão realiza entre uma forma universal inata e um conteúdo particular
fornecido pela experiência”. (KANT)
“SE PENSARMOS QUE O SER HUMANO VEM AO MUNDO DESPROVIDO
DO QUE QUER QUE SEJA, O MEIO AMBIENTE SERÁ O ÚNICO
RESPONSÁVEL POR AQUILO QUE A CRIANÇA IRÁ SE TORNAR. SE AO
CONTRÁRIO, ACHARMOS QUE A CRIANÇA VEM AO MUNDO COM
DETERMINADAS IDEIAS, ENTÃO A MATURAÇÃO BIOLÓGICA SERÁ
RESPONSÁVEL PELO DESENVOLVIMENTO PSICOLÓGICO. MAS, SE
CONCORDARMOS COM A VISÃO DE KANT E ENTENDERMOS QUE O
SUJEITO VEM AO MUNDO COM POSSIBILIDADES, MAS TEM UM LONGO
TRABALHO PSICOLÓGICO A SER FEITO, ENTÃO A VISÃO DO
DESENVOLVIMENTO HUMANO SERÁ A DE UMA INTENSA TROCA COM O
MUNDO” (GOULART, 2010).
PRESSUPOSTOS SOBRE A TEORIA DO CONHECIMENTO
ORIGENS DA PSICOLOGIA
FILOSOFIA
CIÊNCIAS
PSICOLOGIA
Os pressupostos epistemológicos, construídos pela Filosofia, tornaram-se
fontes que alimentaram as diversas correntes da Psicologia. Encontramos
seus correspondentes também na Pedagogia.
EPISTEMOLOGIA PSICOLOGIA PEDAGOGIA
Inatismo
O conhecimento é anterior à
experiência
Teorias Inatistas
Maturacionista
Gestalt
Pedagogia
Não-diretiva
Empirismo
O conhecimento provém da
experiência
Teorias Associacionistas
Behaviorismo
Pedagogia
Diretiva
Construtivismo
O conhecimento é fruto da
interação do sujeito com o
meio.
Psicologias Genéticas:
Epistemologia Genética,
Abordagem Histórico-
cultural
Pedagogia Relacional
Caminhos da Alfabetização.......
INATISMO PEDAGOGIA NÃO DIRETIVA
 VALORIZAÇÃO DOS FATORES INTERNOS-BIOLÓGICOS, HEREDITÁRIOS, GENÉTICOS (ENDÓGENOS);
 NEGAÇÃO DAS INFLUÊNCIAS HISTÓRICOS -SOCIAIS , ESTAS NÃO INTERFEREM NA APRENDIZAGEM;
 A CRIANÇA JÁ TRAZ CONSIGO CARACTERÍSTICAS DEFINIDAS DESDE O NASCIMENTO;
 PROFESSOR INTERFERE O MÍNIMO POSSÍVEL;
 REGIME DO LAISSE-FAIRE – “DEIXA FAZER”
 A CRIANÇA APRENDE POR SI MESMA
 O PROFESSOR NÃO TRANSMITE E SIM PROPICIA LEVA A CRIANÇA A CONHECER
 PEDAGOGIA APRIORISTA, APRIORI: AQUILO QUE É POSTO ANTES COMO CONDIÇÃO;
 ISENÇÃO DA ESCOLA E DO PROFESSOR PELO FRACASSO DO ALUNO;
S OSUJEITO OBJETO
A PALUNO PROFESSOR
O ALUNO DETERMINA A AÇÃO
Caminhos da Alfabetização.......
AMBIENTALISMO PEDAGOGIA DIRETIVA
 VALORIZAÇÃO DA “EMPIRIA” FATORES EXTERNOS (EXÓGENOS), EXPERIÊNCIA,
 CONHECIMENTO VEM DE FORA, DOS LIVROS E DO PROFESSOR, DO MEIO FÍSICO E SOCIAL
 FONTE DO APRENDIZADO VEM DAS ESTIMULAÇÕES QUE O MEIO OFERECE;
 O CONHECIMENTO PODE SER TRANSMITIDO PARA A CRIANÇA;
 A CRIANÇA NADA TEM, É UMA FOLHA EM BRANCO, É TABULA RASA;
 O ALFABETIZADOR CONSIDERA QUE O ALUNO NADA SABE E QUE ELE TEM DE ENSINAR TUDO;
 O SUJEITO É DETERMINADO PELO MUNDO DO OBJETO;
 A CRIANÇA APRENDE SE O PROFESSOR ENSINA;
 MITO DA TRANSFERÊNCIA DE CONTEÚDOS;
S OSUJEITO OBJETO
A PALUNO PROFESSOR
O PROFESSOR DETERMINA O ALUNO
Reflexão.... PEDAGOGIA DIRETIVA
Os empiristas acreditam que para aprender o aluno precisa
memorizar com o objetivo de fixar as informações que são
oferecidas pelo professor, geralmente de forma fragmentada e
linear (do simples para o complexo). Todos os alunos devem
aprender da mesma forma e na mesma velocidade. É valorizada
a quantidade de informações que são depositadas nas aulas: a
chamada “educação bancária”.
VOCÊ SE LEMBRA DE COMO FOI ALFABETIZADO (A)?
AS CONCEPÇÕES INATISTAS E AMBIENTALISTAS
não deram conta de explicar o desenvolvimento da criança, pois a
consideravam como um ser passivo cuja função seria apenas desenvolver
talentos inatos ou como um ser moldado pelos estímulos do ambiente.
SURGE ENTÃO UMA NOVA VISÃO PARA COMPREENDER O
PROCESSO DE APRENDIZAGEM .....
A CONCEPÇÃO INTERACIONISTA
Para eles, o homem está em permanente construção, relacionando-se com o mundo, a partir
da reformulação de conhecimentos já constituídos. Acreditam que pela interação com
parceiros mais experientes e com o objeto do conhecimento, a criança vai ininterruptamente
desenvolvendo-se e construindo suas características e seu conhecimento. A palavra
interação sugere que a criança deve ter uma relação ativa com o meio.
Representantes
Concepção
Interacionista
construtivista
Concepção
Sócio
Interacionista
Caminhos da Alfabetização.......
CONSTRUTIVISMO PEDAGOGIA RELACIONAL
 VALORIZAÇÃO DOS FATORES INTERNOS BIOLÓGICOS QUANTO DAS INFLUÊNCIAS DOS FATORES
EXTERNOS;
 CONHECIMENTO OCORRERÁ A PARTIR DAS INTERAÇÕES DA CRIANÇA COM O OBJETO;
 AÇÃO E PROBLEMATIZAÇÃO;
 A CRIANÇA PRECISA AGIR SOBRE O OBJETO (MATERIAL QUE O PROFESSOR PRESUME QUE TENHA
SIGNIFICADO);
 O PROFESSOR NÃO ACREDITA QUE O CONHECIMENTO SEJA ALGO TRANSMITIDO, LOGO SEU
PAPEL É DE FACILITADOR E DESESTABILIZADOR DE SITUAÇÕES PROBLEMAS,
 DESCOBERTA POR CONSTRUÇÃO;
S O A PSUJEITO OBJETO ALUNO PROFESSOR
Teorias da aprendizagem
Inatismo
• S O
Empirismo
• S O
Construtivismo
• S O
Escolas Inovadoras... Algumas prioridades
 Estou respeitando a individualidade do
aluno?
 Como tenho tratado a sua liberdade?
 Como encaro/trabalho sua autonomia?
 Como estimulo sua capacidade de
comunicação?
 Como desperto sua consciência de
participação na sociedade?
CAMINHOS PERCORRIDOS........
1. Pensar os conceitos
de currículo: oficial, real, oculto.
Lembre-se sempre de que, além do currículo formal, o “oficial”, há um currículo em ação,
o “real” – aquilo que, de fato, acontece na escola – e o “oculto” – não explicitado, mas que
perpassa, o tempo todo, as atividades escolares. Tudo é currículo!
Experiências
AprendizagensMatérias
Currículo
Oficinas de
estudos
Reorganização
das disciplinas
CAMINHOS PERCORRIDOS........
2. Trabalho com Projetos.
A aprendizagem baseada em projetos, por exemplo, envolve os estudantes em um objetivo, exige mais
concentração e busca por conhecimento, além de fazer com que eles trabalhem inúmeras
competências para o século XXI, como cooperação e autor regulação.
PROJETOS
TEMA
S
CONTEÚDO
SINTERESSE DOS
ALUNOS
Didática: Do grego, didaktiké que significa a arte (maneira) de
ensinar ou instruir.
Mediar teoria e prática educativa - a didática é como se fosse uma ponte
entre essas duas ações.
TEORIA PRÁTICA
DIDÁTICA
BASES TÉORICO-CIENTÍFICAS
PRÁTICA DOCENTE
Revendo conceitos importantes
DIDÁTICA
O que as imagens nos sugerem?
Conviver
Fazer
Conhecer
*Conhecimento
*Raciocínio
Lógico
*Dedução
*Memória
*Formação
*Técnico
*Profissional
*Aplicação
*Prática
*Mediação
*Empatia
*Poder
*Liderança
*Integralidade
*Responsabilidade
*Espiritualidade
*Autonomia
Ser
 O professor deixa de ser o centro da
aprendizagem, fornecedor de
conteúdos e único detentor de todos
os saberes;
 O professor passa a compartilhar com
os estudantes o processo de
aprendizagem, numa relação menos
hierárquica e mais colaborativa;
 Aproxima-se do aluno e entende
melhor a sua realidade, seus
interesses e anseios;
 Olha para as tecnologias como aliadas
poderosas nesse novo papel –
professor do século XXI, professor
“digital”
CAMINHOS PERCORRIDOS........
POLIVALENT
E
TUTOR/MENTO
R
ORIENTADO
R
Interdisciplinaridade
Integralidade
Facilitador
 Promover atividades relevantes de criação,
construção e transferência de conhecimentos.
 Adotar posturas e medidas no sentido de
garantir a qualidade da aprendizagem e o ritmo
dos alunos.
 Suscitar o desejo de aprender.
 Trabalhar a favor da reflexão e formação de
valores próprios e dos alunos.
 Promover um ambiente democrático e
transparente.
 Apoiar e dar suporte ao aluno na realização
de uma tarefa complexa.
 Estar presente observando a interação,
analisando as mensagens, identificando
feedbacks necessários e exercendo seu papel
de organizador de condições de
aprendizagem.
 Fomentar a emancipação e autonomia dos
alunos de forma gradativa, por meio de
diálogos, interações e vivências significativas.
 Criar ambientes interativos de
aprendizagem com diferentes graus de
complexidade, de forma a possibilitar a ação
de cada sujeito, em cada momento, com
variados recursos de animação.
 Reconhecer que seus alunos são sujeitos
ativos na construção dos seus próprios
conhecimentos.
De acordo com o que foi discutido nesta aula,
elabore um texto explicativo sobre como a
criança se apropria dos conhecimentos
acumulados e qual seria o papel do professor na
escola.
ATIVIDADE REFLEXIVA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo FreirePedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo FreireBruno Carrasco
 
Estudo de caso planejamento e método
Estudo de caso  planejamento e métodoEstudo de caso  planejamento e método
Estudo de caso planejamento e métodoRosane Domingues
 
Filosofia da educação
Filosofia da educaçãoFilosofia da educação
Filosofia da educaçãoCarlos Tesch
 
Tendências atuais para o ensino de ciências
Tendências atuais para o ensino de ciênciasTendências atuais para o ensino de ciências
Tendências atuais para o ensino de ciênciasBinatto
 
O papel da didática na formação de professores
O papel da didática na formação de professoresO papel da didática na formação de professores
O papel da didática na formação de professoresAna Paula Azevedo
 
Investigação-ação educacional
Investigação-ação educacionalInvestigação-ação educacional
Investigação-ação educacionalJoão Alberto
 
MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...
MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...
MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...profamiriamnavarro
 
Educação, o que é?
Educação, o que é?Educação, o que é?
Educação, o que é?Edson Guedes
 
Método científico
Método científicoMétodo científico
Método científicoEULER SOUZA
 
Metodologia Científica - Tipos de Pesquisa
Metodologia Científica - Tipos de PesquisaMetodologia Científica - Tipos de Pesquisa
Metodologia Científica - Tipos de PesquisaKarlandrade26
 
Aula O método nas Ciências Sociais
Aula O método nas Ciências SociaisAula O método nas Ciências Sociais
Aula O método nas Ciências SociaisLeonardo Kaplan
 
Organização e gestão da escola
Organização e gestão da escolaOrganização e gestão da escola
Organização e gestão da escolaUlisses Vakirtzis
 
Educação 5.0 e as Metodologias Ativas e Inovadoras: encantando e engajando o ...
Educação 5.0 e as Metodologias Ativas e Inovadoras: encantando e engajando o ...Educação 5.0 e as Metodologias Ativas e Inovadoras: encantando e engajando o ...
Educação 5.0 e as Metodologias Ativas e Inovadoras: encantando e engajando o ...Universidade Federal de Pernambuco
 

Mais procurados (20)

Educação e novas tecnologias slides
Educação e novas tecnologias slidesEducação e novas tecnologias slides
Educação e novas tecnologias slides
 
Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo FreirePedagogia da Autonomia - Paulo Freire
Pedagogia da Autonomia - Paulo Freire
 
Estudo de caso planejamento e método
Estudo de caso  planejamento e métodoEstudo de caso  planejamento e método
Estudo de caso planejamento e método
 
Sociedade e Meio Ambiente
Sociedade e Meio AmbienteSociedade e Meio Ambiente
Sociedade e Meio Ambiente
 
Filosofia da educação
Filosofia da educaçãoFilosofia da educação
Filosofia da educação
 
Tendências atuais para o ensino de ciências
Tendências atuais para o ensino de ciênciasTendências atuais para o ensino de ciências
Tendências atuais para o ensino de ciências
 
O papel da didática na formação de professores
O papel da didática na formação de professoresO papel da didática na formação de professores
O papel da didática na formação de professores
 
Investigação-ação educacional
Investigação-ação educacionalInvestigação-ação educacional
Investigação-ação educacional
 
Estudo de Caso
Estudo de CasoEstudo de Caso
Estudo de Caso
 
Slides gestão escolar
Slides gestão escolarSlides gestão escolar
Slides gestão escolar
 
MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...
MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...
MPEMC AULA 11 e 12: Ensino de Ciências na sala de aula / Práticas científicas...
 
Educação, o que é?
Educação, o que é?Educação, o que é?
Educação, o que é?
 
Método científico
Método científicoMétodo científico
Método científico
 
Metodologia Científica - Tipos de Pesquisa
Metodologia Científica - Tipos de PesquisaMetodologia Científica - Tipos de Pesquisa
Metodologia Científica - Tipos de Pesquisa
 
Filosofia ciencia
Filosofia   cienciaFilosofia   ciencia
Filosofia ciencia
 
Aula O método nas Ciências Sociais
Aula O método nas Ciências SociaisAula O método nas Ciências Sociais
Aula O método nas Ciências Sociais
 
Etica e educacao
Etica e educacaoEtica e educacao
Etica e educacao
 
Estudo de caso
Estudo de casoEstudo de caso
Estudo de caso
 
Organização e gestão da escola
Organização e gestão da escolaOrganização e gestão da escola
Organização e gestão da escola
 
Educação 5.0 e as Metodologias Ativas e Inovadoras: encantando e engajando o ...
Educação 5.0 e as Metodologias Ativas e Inovadoras: encantando e engajando o ...Educação 5.0 e as Metodologias Ativas e Inovadoras: encantando e engajando o ...
Educação 5.0 e as Metodologias Ativas e Inovadoras: encantando e engajando o ...
 

Semelhante a Apresentação paradigmas

Concepções aprendizagem
Concepções aprendizagemConcepções aprendizagem
Concepções aprendizagemUNICEP
 
Visão Psico SociolóGica Da Educação
Visão Psico SociolóGica Da EducaçãoVisão Psico SociolóGica Da Educação
Visão Psico SociolóGica Da EducaçãoFabiano Damiati
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemAna Medeiros
 
As concepções da aprendizagem
As concepções da aprendizagemAs concepções da aprendizagem
As concepções da aprendizagemUNIME
 
Rotinas na Educação Infantil
Rotinas na Educação InfantilRotinas na Educação Infantil
Rotinas na Educação InfantilBlogdiipa
 
A ciência e os avanços em sistemas de educação
A ciência e os avanços em sistemas de educaçãoA ciência e os avanços em sistemas de educação
A ciência e os avanços em sistemas de educaçãoFernando Alcoforado
 
Conectivismo: uma teoria para a era digital
Conectivismo: uma teoria para a era digitalConectivismo: uma teoria para a era digital
Conectivismo: uma teoria para a era digitalBruno Leite
 
ABORDAGENS-COGNITIVO - POS-MORDENO E SOCIOCRITICO.pptx
ABORDAGENS-COGNITIVO - POS-MORDENO E SOCIOCRITICO.pptxABORDAGENS-COGNITIVO - POS-MORDENO E SOCIOCRITICO.pptx
ABORDAGENS-COGNITIVO - POS-MORDENO E SOCIOCRITICO.pptxEugrencioJooMaposse
 
Educação, paradigmas e tendências
Educação, paradigmas e tendênciasEducação, paradigmas e tendências
Educação, paradigmas e tendênciasEduardo Kerner
 
Metodologias ativas, híbridas e criativas em tempos de pandemia
Metodologias ativas, híbridas e criativas em tempos de pandemiaMetodologias ativas, híbridas e criativas em tempos de pandemia
Metodologias ativas, híbridas e criativas em tempos de pandemiaUFPE
 
Currículo e desenvolvimento humano
Currículo e desenvolvimento humanoCurrículo e desenvolvimento humano
Currículo e desenvolvimento humanoLOCIMAR MASSALAI
 
Autoria como estrategia pedagogica
Autoria como estrategia pedagogicaAutoria como estrategia pedagogica
Autoria como estrategia pedagogicaMyrian Laste
 

Semelhante a Apresentação paradigmas (20)

Concepções aprendizagem
Concepções aprendizagemConcepções aprendizagem
Concepções aprendizagem
 
Visão Psico SociolóGica Da Educação
Visão Psico SociolóGica Da EducaçãoVisão Psico SociolóGica Da Educação
Visão Psico SociolóGica Da Educação
 
Teorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagemTeorias da aprendizagem
Teorias da aprendizagem
 
Vygotskyy
VygotskyyVygotskyy
Vygotskyy
 
As concepções da aprendizagem
As concepções da aprendizagemAs concepções da aprendizagem
As concepções da aprendizagem
 
Rotinas na Educação Infantil
Rotinas na Educação InfantilRotinas na Educação Infantil
Rotinas na Educação Infantil
 
A ciência e os avanços em sistemas de educação
A ciência e os avanços em sistemas de educaçãoA ciência e os avanços em sistemas de educação
A ciência e os avanços em sistemas de educação
 
G ped didp_3_1_05
G ped didp_3_1_05G ped didp_3_1_05
G ped didp_3_1_05
 
Conectivismo: uma teoria para a era digital
Conectivismo: uma teoria para a era digitalConectivismo: uma teoria para a era digital
Conectivismo: uma teoria para a era digital
 
Slide uni vi bb
Slide uni vi bbSlide uni vi bb
Slide uni vi bb
 
Ctsa Eja 4
Ctsa Eja 4Ctsa Eja 4
Ctsa Eja 4
 
Edu básica 04
Edu básica 04Edu básica 04
Edu básica 04
 
ABORDAGENS-COGNITIVO - POS-MORDENO E SOCIOCRITICO.pptx
ABORDAGENS-COGNITIVO - POS-MORDENO E SOCIOCRITICO.pptxABORDAGENS-COGNITIVO - POS-MORDENO E SOCIOCRITICO.pptx
ABORDAGENS-COGNITIVO - POS-MORDENO E SOCIOCRITICO.pptx
 
andragogia
andragogiaandragogia
andragogia
 
Educação, paradigmas e tendências
Educação, paradigmas e tendênciasEducação, paradigmas e tendências
Educação, paradigmas e tendências
 
Metodologias ativas, híbridas e criativas em tempos de pandemia
Metodologias ativas, híbridas e criativas em tempos de pandemiaMetodologias ativas, híbridas e criativas em tempos de pandemia
Metodologias ativas, híbridas e criativas em tempos de pandemia
 
Filosofia e educação
Filosofia e educaçãoFilosofia e educação
Filosofia e educação
 
02 11 06_2408-7575-1-pb
02 11 06_2408-7575-1-pb02 11 06_2408-7575-1-pb
02 11 06_2408-7575-1-pb
 
Currículo e desenvolvimento humano
Currículo e desenvolvimento humanoCurrículo e desenvolvimento humano
Currículo e desenvolvimento humano
 
Autoria como estrategia pedagogica
Autoria como estrategia pedagogicaAutoria como estrategia pedagogica
Autoria como estrategia pedagogica
 

Mais de Claudio Oliveira

Mais de Claudio Oliveira (20)

Participação como membro OAB\Jabaquara
Participação  como  membro  OAB\JabaquaraParticipação  como  membro  OAB\Jabaquara
Participação como membro OAB\Jabaquara
 
Historico escolar anhanguera
Historico escolar  anhangueraHistorico escolar  anhanguera
Historico escolar anhanguera
 
Certificado de Conclusão de Pedagogia
Certificado  de  Conclusão    de PedagogiaCertificado  de  Conclusão    de Pedagogia
Certificado de Conclusão de Pedagogia
 
Relatorio estagio fundamental noemia
Relatorio estagio fundamental noemiaRelatorio estagio fundamental noemia
Relatorio estagio fundamental noemia
 
Relatorio estagio iii (1)
Relatorio estagio iii (1)Relatorio estagio iii (1)
Relatorio estagio iii (1)
 
NoEMIA TCC
NoEMIA  TCCNoEMIA  TCC
NoEMIA TCC
 
Tcc (2)
Tcc (2)Tcc (2)
Tcc (2)
 
Tcc (3)
Tcc (3)Tcc (3)
Tcc (3)
 
Certificado dreito
Certificado  dreitoCertificado  dreito
Certificado dreito
 
Planejamento 5 ANO 4 SERIE
Planejamento  5 ANO 4 SERIEPlanejamento  5 ANO 4 SERIE
Planejamento 5 ANO 4 SERIE
 
Carta amorim
Carta  amorimCarta  amorim
Carta amorim
 
Empresa juntos venceremos
Empresa juntos venceremosEmpresa juntos venceremos
Empresa juntos venceremos
 
Empresa justino pereira
Empresa justino pereiraEmpresa justino pereira
Empresa justino pereira
 
Nacional
NacionalNacional
Nacional
 
Proposta comercial vf voto legal - maio 2018
Proposta comercial vf  voto legal - maio 2018Proposta comercial vf  voto legal - maio 2018
Proposta comercial vf voto legal - maio 2018
 
Proposta eleicao aberta pt estado sp
Proposta eleicao aberta   pt estado spProposta eleicao aberta   pt estado sp
Proposta eleicao aberta pt estado sp
 
Ed pdv seu certificado
Ed pdv seu certificadoEd pdv seu certificado
Ed pdv seu certificado
 
Livro
LivroLivro
Livro
 
Cartilha direitos
Cartilha direitosCartilha direitos
Cartilha direitos
 
Ppid apresentacao da_disciplina
Ppid apresentacao da_disciplinaPpid apresentacao da_disciplina
Ppid apresentacao da_disciplina
 

Último

Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 

Último (20)

Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 

Apresentação paradigmas

  • 1. PARADIGMAS Segundo o físico americano Thomas Khun “[...] um paradigma é aquilo que os membros de uma comunidade partilham e, inversamente, uma comunidade científica consiste em homens que partilham um paradigma” (KHUN apud SANTOS, 2009, p. 2). São, portanto, modelos e regras a serem seguidas por essa comunidade científica que se baseiam em crenças compartilhadas por esses grupos e está relacionado fortemente à resistência desses grupos em aceitar mudanças, ideias e regras novas (SANTOS, 2009, p. 3). “A palavra paradigma tem sua origem do grego parádeigma que significa modelo ou padrão” (VASCONCELLOS, 2002).
  • 2. Paradigmas Com o advento da revolução tecnológica, novos paradigmas são discutidos no campo da educação, tendo em vista a necessidade de educandos e professores se adaptarem à velocidade das transformações que ocorrem diariamente. Inclusão digital implica, necessariamente, o domínio das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs), ou seja, computadores, softwares, Internet, e-mail, e-books, e-learning, e-commerce, entre outros recursos e serviços disponibilizados na web. Não basta apenas o indivíduo ter acesso ao computador, mas é preciso educar os sujeitos para as práticas sociais na ciber cultura, investindo-se em uma educação para o mundo digital. Aprender a aprender tornou-se um pilar da educação extremamente relevante nas discussões sobre a prática pedagógica.
  • 3. ESCOLATRADICIONAL INOVADORA  Conteúdista;  Distante da realidade do aluno;  Descontextualizada;  Preocupada com o produto;  Tecnicista;  Transformadora;  Próxima da realidade do aluno;  Contextualizada;  Preocupada com o processo;  Integralista; FORMAÇÃO DO SER HUMANO INTEGRAL PROATIVO DINÂMICO CRIATIVO COMUNICATIVO
  • 4. Pressupostos - Bases para a Psicologia REALISMO IDEALISMO Existência é a Experiência Conhecimento está no Mundo O Ambiente EMPIRISMO Existência é o Pensamento A Razão INATISMO RACIONALISMO 469 – 399 a.C. PLATÃO ARISTÓTEL ES
  • 5. REALISMO IDEALISMO Existência é a Experiência O conhecimento está no Mundo. Existência é o Pensamento O conhecimento está no sujeito. Evolução do Pensamento Pedagógico DE FORA PARA DENTRO DE DENTRO PARA FORA CONHECIMENTO
  • 6. BASES DA PSICOLOGIA INATISMO EMPIRISM O KANTIANISMO A ESTRUTU RA DA RAZÃO É INATA OS CONTEÚDO S SÃO EMPÍRICOS EXPERIÊNCI A FORMA “O conhecimento racional não é inato nem adquirido, mas uma síntese que a razão realiza entre uma forma universal inata e um conteúdo particular fornecido pela experiência”. (KANT)
  • 7. “SE PENSARMOS QUE O SER HUMANO VEM AO MUNDO DESPROVIDO DO QUE QUER QUE SEJA, O MEIO AMBIENTE SERÁ O ÚNICO RESPONSÁVEL POR AQUILO QUE A CRIANÇA IRÁ SE TORNAR. SE AO CONTRÁRIO, ACHARMOS QUE A CRIANÇA VEM AO MUNDO COM DETERMINADAS IDEIAS, ENTÃO A MATURAÇÃO BIOLÓGICA SERÁ RESPONSÁVEL PELO DESENVOLVIMENTO PSICOLÓGICO. MAS, SE CONCORDARMOS COM A VISÃO DE KANT E ENTENDERMOS QUE O SUJEITO VEM AO MUNDO COM POSSIBILIDADES, MAS TEM UM LONGO TRABALHO PSICOLÓGICO A SER FEITO, ENTÃO A VISÃO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO SERÁ A DE UMA INTENSA TROCA COM O MUNDO” (GOULART, 2010). PRESSUPOSTOS SOBRE A TEORIA DO CONHECIMENTO
  • 8. ORIGENS DA PSICOLOGIA FILOSOFIA CIÊNCIAS PSICOLOGIA Os pressupostos epistemológicos, construídos pela Filosofia, tornaram-se fontes que alimentaram as diversas correntes da Psicologia. Encontramos seus correspondentes também na Pedagogia. EPISTEMOLOGIA PSICOLOGIA PEDAGOGIA Inatismo O conhecimento é anterior à experiência Teorias Inatistas Maturacionista Gestalt Pedagogia Não-diretiva Empirismo O conhecimento provém da experiência Teorias Associacionistas Behaviorismo Pedagogia Diretiva Construtivismo O conhecimento é fruto da interação do sujeito com o meio. Psicologias Genéticas: Epistemologia Genética, Abordagem Histórico- cultural Pedagogia Relacional
  • 9. Caminhos da Alfabetização....... INATISMO PEDAGOGIA NÃO DIRETIVA  VALORIZAÇÃO DOS FATORES INTERNOS-BIOLÓGICOS, HEREDITÁRIOS, GENÉTICOS (ENDÓGENOS);  NEGAÇÃO DAS INFLUÊNCIAS HISTÓRICOS -SOCIAIS , ESTAS NÃO INTERFEREM NA APRENDIZAGEM;  A CRIANÇA JÁ TRAZ CONSIGO CARACTERÍSTICAS DEFINIDAS DESDE O NASCIMENTO;  PROFESSOR INTERFERE O MÍNIMO POSSÍVEL;  REGIME DO LAISSE-FAIRE – “DEIXA FAZER”  A CRIANÇA APRENDE POR SI MESMA  O PROFESSOR NÃO TRANSMITE E SIM PROPICIA LEVA A CRIANÇA A CONHECER  PEDAGOGIA APRIORISTA, APRIORI: AQUILO QUE É POSTO ANTES COMO CONDIÇÃO;  ISENÇÃO DA ESCOLA E DO PROFESSOR PELO FRACASSO DO ALUNO; S OSUJEITO OBJETO A PALUNO PROFESSOR O ALUNO DETERMINA A AÇÃO
  • 10. Caminhos da Alfabetização....... AMBIENTALISMO PEDAGOGIA DIRETIVA  VALORIZAÇÃO DA “EMPIRIA” FATORES EXTERNOS (EXÓGENOS), EXPERIÊNCIA,  CONHECIMENTO VEM DE FORA, DOS LIVROS E DO PROFESSOR, DO MEIO FÍSICO E SOCIAL  FONTE DO APRENDIZADO VEM DAS ESTIMULAÇÕES QUE O MEIO OFERECE;  O CONHECIMENTO PODE SER TRANSMITIDO PARA A CRIANÇA;  A CRIANÇA NADA TEM, É UMA FOLHA EM BRANCO, É TABULA RASA;  O ALFABETIZADOR CONSIDERA QUE O ALUNO NADA SABE E QUE ELE TEM DE ENSINAR TUDO;  O SUJEITO É DETERMINADO PELO MUNDO DO OBJETO;  A CRIANÇA APRENDE SE O PROFESSOR ENSINA;  MITO DA TRANSFERÊNCIA DE CONTEÚDOS; S OSUJEITO OBJETO A PALUNO PROFESSOR O PROFESSOR DETERMINA O ALUNO
  • 11. Reflexão.... PEDAGOGIA DIRETIVA Os empiristas acreditam que para aprender o aluno precisa memorizar com o objetivo de fixar as informações que são oferecidas pelo professor, geralmente de forma fragmentada e linear (do simples para o complexo). Todos os alunos devem aprender da mesma forma e na mesma velocidade. É valorizada a quantidade de informações que são depositadas nas aulas: a chamada “educação bancária”. VOCÊ SE LEMBRA DE COMO FOI ALFABETIZADO (A)?
  • 12. AS CONCEPÇÕES INATISTAS E AMBIENTALISTAS não deram conta de explicar o desenvolvimento da criança, pois a consideravam como um ser passivo cuja função seria apenas desenvolver talentos inatos ou como um ser moldado pelos estímulos do ambiente. SURGE ENTÃO UMA NOVA VISÃO PARA COMPREENDER O PROCESSO DE APRENDIZAGEM ..... A CONCEPÇÃO INTERACIONISTA Para eles, o homem está em permanente construção, relacionando-se com o mundo, a partir da reformulação de conhecimentos já constituídos. Acreditam que pela interação com parceiros mais experientes e com o objeto do conhecimento, a criança vai ininterruptamente desenvolvendo-se e construindo suas características e seu conhecimento. A palavra interação sugere que a criança deve ter uma relação ativa com o meio.
  • 14. Caminhos da Alfabetização....... CONSTRUTIVISMO PEDAGOGIA RELACIONAL  VALORIZAÇÃO DOS FATORES INTERNOS BIOLÓGICOS QUANTO DAS INFLUÊNCIAS DOS FATORES EXTERNOS;  CONHECIMENTO OCORRERÁ A PARTIR DAS INTERAÇÕES DA CRIANÇA COM O OBJETO;  AÇÃO E PROBLEMATIZAÇÃO;  A CRIANÇA PRECISA AGIR SOBRE O OBJETO (MATERIAL QUE O PROFESSOR PRESUME QUE TENHA SIGNIFICADO);  O PROFESSOR NÃO ACREDITA QUE O CONHECIMENTO SEJA ALGO TRANSMITIDO, LOGO SEU PAPEL É DE FACILITADOR E DESESTABILIZADOR DE SITUAÇÕES PROBLEMAS,  DESCOBERTA POR CONSTRUÇÃO; S O A PSUJEITO OBJETO ALUNO PROFESSOR
  • 15. Teorias da aprendizagem Inatismo • S O Empirismo • S O Construtivismo • S O
  • 17.  Estou respeitando a individualidade do aluno?  Como tenho tratado a sua liberdade?  Como encaro/trabalho sua autonomia?  Como estimulo sua capacidade de comunicação?  Como desperto sua consciência de participação na sociedade?
  • 18. CAMINHOS PERCORRIDOS........ 1. Pensar os conceitos de currículo: oficial, real, oculto. Lembre-se sempre de que, além do currículo formal, o “oficial”, há um currículo em ação, o “real” – aquilo que, de fato, acontece na escola – e o “oculto” – não explicitado, mas que perpassa, o tempo todo, as atividades escolares. Tudo é currículo! Experiências AprendizagensMatérias
  • 20. CAMINHOS PERCORRIDOS........ 2. Trabalho com Projetos. A aprendizagem baseada em projetos, por exemplo, envolve os estudantes em um objetivo, exige mais concentração e busca por conhecimento, além de fazer com que eles trabalhem inúmeras competências para o século XXI, como cooperação e autor regulação. PROJETOS TEMA S CONTEÚDO SINTERESSE DOS ALUNOS
  • 21.
  • 22. Didática: Do grego, didaktiké que significa a arte (maneira) de ensinar ou instruir. Mediar teoria e prática educativa - a didática é como se fosse uma ponte entre essas duas ações. TEORIA PRÁTICA DIDÁTICA BASES TÉORICO-CIENTÍFICAS PRÁTICA DOCENTE Revendo conceitos importantes
  • 23. DIDÁTICA O que as imagens nos sugerem?
  • 25.  O professor deixa de ser o centro da aprendizagem, fornecedor de conteúdos e único detentor de todos os saberes;  O professor passa a compartilhar com os estudantes o processo de aprendizagem, numa relação menos hierárquica e mais colaborativa;  Aproxima-se do aluno e entende melhor a sua realidade, seus interesses e anseios;  Olha para as tecnologias como aliadas poderosas nesse novo papel – professor do século XXI, professor “digital”
  • 27.
  • 28.  Promover atividades relevantes de criação, construção e transferência de conhecimentos.  Adotar posturas e medidas no sentido de garantir a qualidade da aprendizagem e o ritmo dos alunos.  Suscitar o desejo de aprender.
  • 29.  Trabalhar a favor da reflexão e formação de valores próprios e dos alunos.  Promover um ambiente democrático e transparente.  Apoiar e dar suporte ao aluno na realização de uma tarefa complexa.
  • 30.  Estar presente observando a interação, analisando as mensagens, identificando feedbacks necessários e exercendo seu papel de organizador de condições de aprendizagem.  Fomentar a emancipação e autonomia dos alunos de forma gradativa, por meio de diálogos, interações e vivências significativas.
  • 31.  Criar ambientes interativos de aprendizagem com diferentes graus de complexidade, de forma a possibilitar a ação de cada sujeito, em cada momento, com variados recursos de animação.  Reconhecer que seus alunos são sujeitos ativos na construção dos seus próprios conhecimentos.
  • 32. De acordo com o que foi discutido nesta aula, elabore um texto explicativo sobre como a criança se apropria dos conhecimentos acumulados e qual seria o papel do professor na escola. ATIVIDADE REFLEXIVA