Ludico como processo de aprendizagem da criança

9.426 visualizações

Publicada em

Ludico como processo de aprendizagem da criança

  1. 1. LÚDICO COMO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DA CRIANÇA NILSA MARTIGNAGO KOLLING
  2. 2. TEMA O Lúdico como Processo de Aprendizagem da Cria nça . PROBLEMA Quais são as abordagens práticas do lúdico na aprendizagem da criança? OBJETIVO GERAL Analisar qual a importância do lúdico como processo de motivação e participação para o desenvolvimento de ensino aprendizagem na educação brasileira. OBJETIVOS ESPECÍFICOS - Contribuir para o desenvolvimento da aprendizagem. - Desenvolver o gosto pelas brincadeiras e jogos. - Contribuir para o desenvolvimento da criatividade.
  3. 3. O ato de brincar torna-se um meio para incorporação de valores morais, culturais, visando a construção da auto-estima, auto-imagem e auto conhecimento dos e duca ndos, condizendo assim o desenvolvimento da imaginação, fant asia , criatividade, criticidade, enfim inúmer as potencialid ade s que muitas vezes encontram-se adormecidas.
  4. 4. O lúdico transforma o processo de ensino-aprendizagem com atividade prazerosa, criativa e alegre onde se estabelece relações de amizade entre educando/educando, educando/educador.
  5. 5. Muitos dos professores acreditam que o lúdico vem como forma de apoio e não como base de ensino. Pois o lúdico exige muito do p ro fessor, é necessário modificar suas aulas onde muitas vezes adequar atividades com o material lúdico a ser usado assim faz com que a maioria dos professores ainda preferem utilizar o método tradicional.
  6. 6. O pensar acerca do lúdico como instrumento favorável à aprendizagem é concebido no momento em que o educador busca inovar sua prática pedagógica oferecendo espaço para o desenvolvimento da criança nos seus aspectos cognitivos a partir das brincadeiras e, assim , é possível apresentar a lúdico como alternativa de aprend izado na escola.
  7. 7. A necessidade de dinamizar as relações de ensinar e aprender pela leitura, como reascender o desejo de viver dentro de um espaço altamente desafiador e mágico. Com isso, queremos despertar na criança, o amor, à beleza , desenvolver a imaginação, os so nhos , as fantasias, o poder de observação, o gosto artístico , visando e mocionar e instruir. Mas, para que isso aconteça to dos temos que ser co-responsáveis com este processo maravilhoso q ue é o despertar para a leitura e a escrita de forma grandiosa e atraente, abrindo os olhos para o grande uni verso que as histórias revelam .
  8. 8. ANTUNES, Celso. Jogos para a estimulação das múltiplas inteligências. Rio de Janeiro: Vozes, 1998. BOMTEMPO e HUSSEIN. Psicologia do brinquedo – aspectos teóricos e metodológicos, USP-SP, 1986. FREINET, C. A educação pelo trabalho. Lisboa: Presença, 1975. KISHIMOTO , Tizuko M. O Jogo e a educação infantil . São Paulo : Pioneira, 2002. PIAGET, Jean. A formação do símbolo na criança. Rio de Janeiro: Zahar,1975. SANTOS, Santa Marli Pires. A ludicidade como ciência. Petrópolis: Vozes, 2001. TEIXEIRA, Carlos E. J. A ludicidade na escola. São Paulo: Loyola, 1995. VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1994. WALLON, H. A evolução psicológica da criança. Lisboa, 1968. WINNICOTT, D. W. O brincar e a realidade. Rio de Janeiro: Imago, 1975. Referenci al Teórico

×