Planificação Pastoral desde
a visão apostólica de São
Paulo.
Elaborado por: Néstor Quintero Aldama
Traducción: Voluntarios...
PROGRAMA
1. Oração.-
2. Apresentação(Dinámica Lúdica).-
3. Revisar Expectativas(Dinámica de
Grupo).-
4. Pablo: Crente, Mis...
3
OBJETIVOS
Descobrir la
Planifica o Pastoralçã
como uma ferramenta para
o nosso trabalho como
crist oã
Conhecer os proced...
METAS
Elaborar um Modelo de Planf.
Past.
Ter claro o nosso objectivo
como Zona y como Paroquia
Iniciar a planifica oçã Pat...
Planificar como O Sao
Paulo
mas, O quem é Sao Paulo?
Saulo de Tarso
Saulo de Tarso, apóstolo do
cristianismo, que este tra...
Cont.
Chamado Saulo e membro de uma família
Judaica importante, foi educado segundo os
rígidos princípios dos fariseus, ap...
São Paulo: De perseguidor dos
primeiros cristãos a seguidor de
Cristo
Forma o teol gica, filos fica,çã ó ó
jur dica, merca...
São Paulo: o seu incontrolável selo
apostólico
Entre os 45 e os 49 anos de idade
iniciou a sua primeira viagem
apostólica ...
Paulo: Missionario do Mundo
Paulo adaptou a mensagem
de Jesus Cristo culturaà
dominante no mundo
conhecido
Facilitou a sua...
Definição Pastoral Paulina
Segundo São Paulo, fazer trabalho pastoral é
infundir espírito, animar (Fil 4, 4-7). É ajudar a...
•
Fazer trabalho pastoral não é levar ou dar
mensagens sem levar Vida. É obrigar-se a si
mesmo a compartilhar o que somos ...
Planificação Pastoral desde a
visão apostólica de São Paulo.
a resposta espec fica, conscienteé í
e intencional, s necessi...
O que é que entendemos por
planificar?
O ponto de partida para uma boa planificação é a
determinação de objectivos, é cheg...
Uma condição indispensável para assegurar
estas mudanças requeridas pela realidade, é a
participação das pessoas envolvida...
Planificar é ter objectivos claros
É decisivo para a vida de um grupo, de uma
comunidade, de uma paróquia, da Igreja, sabe...
Planificar é uma ferramenta de
renovação
A planificação é um instrumento que está ao serviço das
comunidades e ajuda-as a ...
Planificar é fazer mudanças de forma
conjunta
Já vimos que planificar é ter objectivos, ter clareza acerca
do que se quer ...
A planificação pastoral desde a visão
de São Paulo e suas comunidades.
Tendo em conta o exposto anteriormente sobre a
plan...
Podemos dizer que segundo Paulo as comunidades
cristãs devem evangelizar desde algumas linhas de
acção
•
Espiritualidade: ...
Linhas de acção das comunidades
cristãs (Cont.)
•
Formação: Contribui para ter líderes cristãos
que sejam multiplicadores ...
•
Missão: Deseja reforçar nas comunidades
cristãs, a consciência apostólica, mediante o
anúncio, o testemunho e o partilha...
Comecemos agora a Trabalhar
Definir Objectivos
Diagn sticoó
Comunidade Cristã
Diagn sticoó
Comunidade N oã
Cristã
 Objectivo Geral (Paroquial): A paroquia Santo Inacio de Loyola , tem
fortalecido seu entusiasmo e participa activamente n...
JUSTIFICACOES:
1. As comunidades tem tido uma baixa na participacao dos
cristaos, em parte pela falta de coragem dos respo...
FORMACAO PARA FORTALECER A UNIAO ENTRE OS CRISTAOS DE MSALADZI
QUÉ? COMO? QUEM? QUANDO? ONDE?
CONVITE Avisos
Cartas para r...
AGORA VAMOS TRABALHAR
POR ZONAS
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Planificação pastoral desde a visão apostólica de paulo c2

290 visualizações

Publicada em

Formacion para comunidades entorno a la Planificacoin pastoral en clave de salida Misionera.

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
290
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Planificação pastoral desde a visão apostólica de paulo c2

  1. 1. Planificação Pastoral desde a visão apostólica de São Paulo. Elaborado por: Néstor Quintero Aldama Traducción: Voluntarios Portugueses de Grão Msalazi, 25 de Agosto de 2014
  2. 2. PROGRAMA 1. Oração.- 2. Apresentação(Dinámica Lúdica).- 3. Revisar Expectativas(Dinámica de Grupo).- 4. Pablo: Crente, Missionario y Pastor.- 5. Comunidade Cristã: Modelo de Organização y estructura Pastoral.- 6. Prácticas de Planificação Pastoral.- 7. Puesta em Comun.-
  3. 3. 3 OBJETIVOS Descobrir la Planifica o Pastoralçã como uma ferramenta para o nosso trabalho como crist oã Conhecer os procedimientos para fazer uma boa Planifica o Pastoralçã Ter um Exercicio practico na elabora o deçã Planifica o Pastoralçã
  4. 4. METAS Elaborar um Modelo de Planf. Past. Ter claro o nosso objectivo como Zona y como Paroquia Iniciar a planifica oçã Patoral do ano 2015
  5. 5. Planificar como O Sao Paulo mas, O quem é Sao Paulo? Saulo de Tarso Saulo de Tarso, apóstolo do cristianismo, que este transformou em religião universal (Tarso, Cilicia, h. 4/15 – Roma, h. 64/68). Foi contemporâneo de Jesus Cristo e também esteve em Jerusalém na mesma época que este, mesmo que provavelmente não se tenham
  6. 6. Cont. Chamado Saulo e membro de uma família Judaica importante, foi educado segundo os rígidos princípios dos fariseus, apesar de ostentar a cidadania romana. Em Jerusalém recebeu os ensinamentos de um dos mais importantes rabinos, que lhe incutiu ideias contrárias às dos primeiros cristãos, ao negar a lei de Moises.
  7. 7. São Paulo: De perseguidor dos primeiros cristãos a seguidor de Cristo Forma o teol gica, filos fica,çã ó ó jur dica, mercantil e lingu sticaí í Participou nas primeiras persegui es aos crist osçõ ã Converteu-se nova f , segundo oà é seu pr prio relato, foi o pr prioó ó Jesus que lhe apareceu. Desde ent o, no mais ardenteã protagonista do Cristianismo.
  8. 8. São Paulo: o seu incontrolável selo apostólico Entre os 45 e os 49 anos de idade iniciou a sua primeira viagem apostólica onde foi à Cilicia, Panfalia e Jerusalém, entretanto nos anos que se seguiram visitou a Grécia, a Macedónia e a Anatólia. No ano 58 foi apreendido em Jerusalém e transferido para Roma para ser julgado. Pensa-se que foi absolvido e foi para a Hispânia para continuar o seu trabalho
  9. 9. Paulo: Missionario do Mundo Paulo adaptou a mensagem de Jesus Cristo culturaà dominante no mundo conhecido Facilitou a sua expans oã fora do mbito culturalâ hebreu Seus escritos constituem uma das primeiras interpreta esçõ da mensagem de Jesus E Contribuem de maneira decisiva para o desenvolvimento teol gico doó cristianismo
  10. 10. Definição Pastoral Paulina Segundo São Paulo, fazer trabalho pastoral é infundir espírito, animar (Fil 4, 4-7). É ajudar a descobrir verdades e com elas a VERDADE (1 Tim 2,4). É ajudar a descobrir caminhos de realização pessoal e com eles o CAMINHO. É ajudar a descobrir a vida e, com ela, a VIDA (Col 3,12-15). É provocar encontros e com eles, o ENCONTRO (Fil 3, 7-8; 10-14). Fazer trabalho pastoral não é fazer de pastores- cuidar, proteger e alimentar o rebanho- enquanto
  11. 11. • Fazer trabalho pastoral não é levar ou dar mensagens sem levar Vida. É obrigar-se a si mesmo a compartilhar o que somos e o que temos. Todos podemos e devemos dar, e todos devemos receber. Nós, crentes, não possua-mos a Deus, nem totalmente nem exclusivamente… todos temos algo Dele e por isso podemos compartilhar… (1 Co 12, 27-30) Definição Pastoral Paulina
  12. 12. Planificação Pastoral desde a visão apostólica de São Paulo. a resposta espec fica, conscienteé í e intencional, s necessidades daà envangeliza oçã Dever realizar-se num processoá de participa o a todos os n veisçã í das comunidades e pessoas interessadas educando-as na metodologia da an lise da realidade para a reflex oá ã sobre a realidade proveniente do evangelho a op o pelos objectivos e pelosçã meios mais aptos e o seu uso mais racional para a ac oçã evangelizadora
  13. 13. O que é que entendemos por planificar? O ponto de partida para uma boa planificação é a determinação de objectivos, é chegar a estabelecer o que é que se quer atingir, quais é que são as metas que se pretendem alcançar. Planificar é uma ferramenta de renovação, surgem novas ideias, algumas mudanças, que ajudam a estabelecer novos objectivos, é planificar para alcançar a renovação do grupo.
  14. 14. Uma condição indispensável para assegurar estas mudanças requeridas pela realidade, é a participação das pessoas envolvidas na situação cuja renovação se quer alcançar. Toda a planificação chega aos seus objectivos de renovação, num processo cujas etapas hão-de ser progressivas e dar-se de forma contínua e constituir uma unidade entre elas. O que é que entendemos por planificar? (Cont)
  15. 15. Planificar é ter objectivos claros É decisivo para a vida de um grupo, de uma comunidade, de uma paróquia, da Igreja, saber para onde se vai. A planificação ajuda-nos a definir os nossos objectivos e é por isso que é tão importante para o caminhar dos nossos grupos e em geral de todo o trabalho pastoral. O ponto de partida para uma boa planificação é a determinação de objectivos São Paulo tinha muito claro qual é que era o seu ideal pessoal, de Igreja e de comunidade cristã: (1 Co 9, 15-16) (Fil 2, 2-4; 12-16).
  16. 16. Planificar é uma ferramenta de renovação A planificação é um instrumento que está ao serviço das comunidades e ajuda-as a manterem-se em constante renovação. Quando se descobrem necessidades na comunidade, procura-se soluciona-las de algum modo e surge então, a ideia de fazer algumas mudanças, criar novas ideias, estabelecer novos objectivos, é planificar para chegar à renovação da comunidade. Para Paulo, era necessário, REORGANIZAR E RENOVAR a comunidade (Tit 1, 10-16)
  17. 17. Planificar é fazer mudanças de forma conjunta Já vimos que planificar é ter objectivos, ter clareza acerca do que se quer alterar, da renovação que se quer introduzir na nossa realidade. Agora, a condição indispensável para assegurar as alterações requeridas pela realidade é, procurar a participação das pessoas que conheçam essa realidade e desde essa experiência, partilhar a reflexão para alcançar uma verdadeira renovação através da planificação. Em termos de participação, no final de cada carta, Paulo elogia sempre a participação dos cristãos: No campo económico: Fil 4, 16-18. 1Co 16, 1-4; No campo da direcção e pastoral da comunidade: 1Tes 5, 12; No campo dos cuidados pastorais: 1Co 16, 15-18
  18. 18. A planificação pastoral desde a visão de São Paulo e suas comunidades. Tendo em conta o exposto anteriormente sobre a planificação pastoral, a visão da Igreja e das comunidades cristãs fundadas por São Paulo nas suas cartas e mesmo no livro dos Actos dos apóstolos está presente, pois o seu objectivo é despertar e acrescentar o dinamismo missionário nas comunidades cristãs e capacita-las para ser evangelizadoras dentro (com as pessoas que a compõem) e fora delas mesmas (com aquelas comunidades que precisam de uma ajuda especial para viver o seu cristianismo).
  19. 19. Podemos dizer que segundo Paulo as comunidades cristãs devem evangelizar desde algumas linhas de acção • Espiritualidade: Procura promover uma comunidade de vida cristã a partir da fé. Uma fé vivida não como um conhecimento intelectual de uma teoria sobre Deus e sua Doutrina, senão como uma amizade com Jesus, UM ENCONTRO PESSOAL CON ELE, que se desenvolve e alimenta através da oração, da vida sacramental, da leitura da palavra, com a finalidade de dar alicerces à vida cristã, fomentando em cada um o espírito missionário universal.
  20. 20. Linhas de acção das comunidades cristãs (Cont.) • Formação: Contribui para ter líderes cristãos que sejam multiplicadores da consciência evangelizadora da Igreja na nossa paróquia de Fonte Boa, em toda a Diocese de Tete e em todo o Moçambique se for necessário, capacitando-os para uma liderança missionária integral.
  21. 21. • Missão: Deseja reforçar nas comunidades cristãs, a consciência apostólica, mediante o anúncio, o testemunho e o partilhar, com a fé posta em nosso Senhor, saindo a Evangelizar conforme as suas possibilidades. • Fraternidade: Permite que as pequenas comunidades cristãs sejam um verdadeiro sinal e presença do Reino de Deus, que é um Reino de Amor, Perdão, Vida, Ajuda mútua, Respeito e Solidariedade. Linhas de acção das comunidades cristãs (Cont.)
  22. 22. Comecemos agora a Trabalhar Definir Objectivos Diagn sticoó Comunidade Cristã Diagn sticoó Comunidade N oã Cristã
  23. 23.  Objectivo Geral (Paroquial): A paroquia Santo Inacio de Loyola , tem fortalecido seu entusiasmo e participa activamente na Vida fraterna e na celebraçoes da FE, espalhando o evangelho com o seu testemunho e a sua palavra Objectivo Especifico(Zonal): Os Cristaos partilham a vida e a Fé entre eles e o resto da comunidade. Objectivo Estrategico (Aldeia): A comunidade crista organiza encontros fraternos. Pilar: Fraternidade .-   Planificação Pastoral
  24. 24. JUSTIFICACOES: 1. As comunidades tem tido uma baixa na participacao dos cristaos, em parte pela falta de coragem dos responsaveis das comunidades. 2. Ha uns anos os responsaveis das comunidades tem tido encontro fraterno para eles. 3. É indispensavel ter uma experiencia forte de encontro fraterno para encher o nosso Coração e nossa vida comunitaria. 4. A Igreja aconselha no curso do Advento, prepararmos do coração para comprender o Misterio da encarnação. 5.- Para poder viver e ajudar a viver aos outros o advento é necessario um espaço para aprofundar no significado deste tempo.
  25. 25. FORMACAO PARA FORTALECER A UNIAO ENTRE OS CRISTAOS DE MSALADZI QUÉ? COMO? QUEM? QUANDO? ONDE? CONVITE Avisos Cartas para responsáveis para a mensagem passar para todos os cristaos Abusas 15 de Dezembro Nas zonas e comunidades PREPARACÃO Reunioes com equipas de trabalho Formacao dada pelos padres Abusas e comité 27 de Dezembro TAMU JUNTO NA MOONEKERA DESENVOLVIMENTO 8:00 Concentracao 8:30 Oracao da manha 9.00 Formacao : “Aceitando- nos como irmaos” 10: Mata-bicho 10:30 Dinamica de grupo 12:30 Almoco (...) Padre Vitor e Padre Emilio 15 e 16 de Janeiro Na igreja de cada zona AVALIACÃO Assembleia Participativa Abusas e Paroco Uma semana depois Msaladzi
  26. 26. AGORA VAMOS TRABALHAR POR ZONAS

×