Neon Concursos Ltda 
Atividade Econômica: educação continuada, permanente e aprendizagem profissional 
Diretora: Maura Mou...
SUMÁRIO 
1. SISTEMA OPERACIONAL − WINDOWS 7 .................................................................................
1 
Sistema Operacional 
Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 
E-mail: funabashi.daniel@gmail.com 
2 
O que é Sistema O...
5 
Aprimoramentos de desempenho 
• Suspender: Ao retornar reconecta à rede sem fio de forma 
automática é consideravelment...
9 
Novos Recursos 
• Lista de Atalhos (lista de saltos): Mostram os 
documentos, fotos, músicas ou sites utilizados 
recen...
13 
Entrada e Saída 
• TROCAR USUÁRIO: Permite a outro usuário 
fazer logon enquanto seus programas e arquivos 
permanecem...
17 
Painel de Controle 
18 
Painel de Controle - Sistema 
19 
Painel de Controle 
Grupo Doméstico: Não é mais 
necessário ...
21 
Painel de Controle 
22 
Painel de Controle 
23 
Painel de Controle 
24 
Painel de Controle 
6
25 
Principais Ferramentas 
• Flip 3D (tecla “Windows + tecla Tab): Visualize rapidamente todas as 
janelas abertas sem pr...
29 
Principais Ferramentas 
• Ferramenta de Captura: faz uma captura de tela de qualquer 
item da sua área de trabalho, co...
Principais Ferramentas 
• LIXEIRA: A Lixeira é uma Pasta do Windows que se encontra na Área de 
Trabalho e também pode ser...
Organização de Estruturas 
Windows Explorer 
Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 
E-mail: funabashi.daniel@gmail.com ...
Unidades Funcionais 
• O Sistema Operacional atribui as Memórias de Armazenamento 
Secundário uma identificação constituíd...
Menu Exibir 
Barra de 
Ferramentas 
Mostra ou não as Barras de Ferramentas 
Barra de Status Mostra ou não a Barra de Statu...
• Pesquisar 
Pesquisando 
– Útil para Procurar Pastas e Arquivos existentes no Computador, 
assim como na Internet. 
– Car...
Redes e Correio Eletrônico 
Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 
E-mail: funabashi.daniel@gmail.com 
Prof. Daniel Edu...
Principais Meios de Comunicação 
Dial Up 
Linha telefônica permanece ocupada durante a conexão 
ADSL 
Linha telefônica fic...
Topologias de Redes 
Barramento 
Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 9 
Topologias de Redes 
Barramento 
Prof. Daniel...
Topologias de Redes 
Anel Estrela 
Barramento 
Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 13 
Topologias de Redes 
Prof. Dan...
Comunicação 
Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 17 
• Síncrona 
– O envio de dados entre transmissor e receptor ocor...
O que é a Internet 
• Rede das Redes 
• Gigantesca rede mundial de computadores que inclui desde 
grandes computadores até...
Conceitos Importantes 
Hipertexto Conjunto de informações (texto, sons, imagens) em um formato 
que fornece acesso instant...
Protocolos 
Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 29 
• HTTP (Hiper Text Transfer Protocol) 
• Protocolo de Transferênc...
Protocolos 
Como os dados 
(Pacotes) encontram o 
seu destino ? 
• Os Provedores de Acesso à Internet são os responsáveis ...
Intranet X Extranet 
Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 37 
• Intranet 
– REDE DE COMPUTADORES PRIVATIVA que utiliza...
Barra de Ferramentas 
Interrompe 
carregamento Pesquisa 
Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 41 
Avança para a 
próxi...
Menu Arquivo 
Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 45 
• Nova guia  Ctrl + T 
 Abre uma nova guia na mesma janela do I...
Menu Ferramentas 
Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 49 
• Opções da internet 
Guia Geral: Página inicial; histórico...
Menu Arquivo 
• Downloads 
 Abre a caixa de diálogo 
Downloads, exibindo a listas dos 
Downloads efetuados. É possível 
re...
Correio Eletrônico – E-mail 
Separados por um 
símbolo @ (arroba), em 
Exemplo: funabashi.daniel@gmail.com inglês at (em)....
Mozilla Thunderbird 2.x 
61 61 
62 62 
WebMail 
Webmail é uma página na internet que permite ao utilizador 
ler e escrever...
Ferramentas de Busca e Pesquisa 
• Yahoo Cadê (http://cade.search.yahoo.com) 
• AltaVista (www.altavista.com); 
• Google (...
Rede Social - Orkut 
• É uma comunidade virtual afiliada ao Google, criada em 22 de Janeiro 
de 2004 com o objetivo de aju...
Introdução ao MS-Word 
Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 
E-mail: funabashi.daniel@gmail.com 
Prof. Daniel Eduardo ...
Componentes do Word 
Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 5 
• Réguas 
– Possibilitam alterar as margens das páginas: ...
Barra de Ferramentas Padrão 
Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 9 
Novo 
Abre um novo documento para edição. Lembran...
Barra de Ferramentas Formatação 
13 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 
Alinhamento à 
esquerda 
Alinha os parágrafo...
Barra de Menus - Arquivo 
Novo: Cria um novo arquivo em branco. 
Abrir: Abre ou localiza um Arquivo. 
Fechar: Fecha o Arqu...
Menus de Comando – Exibir 
Normal: alterna para a exibição de Documento Padrão. 
Layout da Web; Alterna o Documento ativo ...
Cabeçalho e Rodapé 
Cabeçalho 
Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 25 
Rodapé 
Barra de Ferramentas – Cabeçalho e Rod...
Menus de Comando – Formatar 
Fonte: Altera a fonte do texto selecionado. 
Parágrafo: Altera os recuos de parágrafo, o alin...
Menus de Comando – Ferramentas 
Comparar e Mesclar Documentos: Mescla um 
Documento ou Sub-Documentos no Documento atual. ...
Informática para Concursos 
1 
Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 
E-mail: funabashi.daniel@gmail.com 
Microsoft Off...
Microsoft Office 2007 – Faixa de Opções 
• Faixa de Opções: criada para ajudar a localizar rapidamente os 
comandos necess...
Word 2007 - Guias 
• Permitem alcançar todas as funcionalidades do Word. 
• Com o auxílio da Tecla ALT é possível acessar ...
Word 2007 - Réguas 
• Réguas: para verificar em que posição está o texto em relação às 
margens esquerda, direita, superio...
Word 2007 - Guias 
Guia Início 
Guia Inserir 
Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 17 
Guia Layout da Página 
Word 200...
Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 
E-mail: funabashi.daniel@gmail.com 
1 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 
...
Excel 2007 – Barra de Fórmulas 
 Barra de Fórmulas: permite que um conteúdo seja incluído ou alterado dentro 
de uma célul...
Excel 2007 - Referências 
 Referências: refere-se a uma célula ou um intervalo de células em uma 
planilha e informa ao Ex...
Excel 2007 – Principais Comandos 
 Formato de Número: essa caixa de seleção tem como 
padrão a seleção “Geral”, mas podemo...
Excel 2007 - Operadores 
Operadores Aritméticos 
Operador Realiza Exemplo 
+ Adição =A1+B1 
- Subtração =A1-B1 
Operadores...
Exemplo de Planilha 
=MÉDIA(B2:E2) 
21 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 
Exemplo de Planilha - Referência Relativa...
Exemplo de Planilha - Referência Mista 
=F2+H$9 
25 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 
Exemplo de Planilha - Referê...
Exemplo de Planilha – Função MÉDIASE 
=MÉDIASE(H2:H7;Aprovado;G2:G7) 
Menu Formatar  Formatação Condicional 
29 Prof. Dani...
Políticas de Segurança 
Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 
E-mail: funabashi.daniel@gmail.com 
1 Prof. Daniel Eduar...
Principais Ameaças e Ataques 
Vírus de computador 
• É um programa (software) como outro qualquer, com um 
único diferenci...
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
06 informática agente-pf
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

06 informática agente-pf

878 visualizações

Publicada em

06 informática agente-pf

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
878
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
62
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

06 informática agente-pf

  1. 1. Neon Concursos Ltda Atividade Econômica: educação continuada, permanente e aprendizagem profissional Diretora: Maura Moura Dortas Savioli Empresa fundada em janeiro de 1998 ANO XVII – Av. Mato Grosso, 88 – Centro – Campo Grande – Mato Grosso do Sul Fone/fax: (67) 3324 - 5388 www.neononline.com.br NOÇÕES DE INFORMÁTICA MATERIAL CONTENDO TEORIA E 224 QUESTÕES PROFESSOR: Rodrigo Alves Schmidt Equipe Técnica: Arlindo Pionti John Santhiago Johni Santhiago Mariane Reis AGENTE - PF - 2014 Aluno(a): ______________________________________________________________________ Período: _______________________________ Fone: __________________________________
  2. 2. SUMÁRIO 1. SISTEMA OPERACIONAL − WINDOWS 7 ......................................................................................01 2. ORGANIZAÇÃO DE ESTRUTURAS − WINDOWS EXPLORER .........................................................10 3. REDES E CORREIO ELETRÔNICO.....................................................................................................04 4. MICROSOFT WORD 2003 ...............................................................................................................32 5. MICROSOFT WORD 2007 ...............................................................................................................42 6. MICROSOFT OFFICE EXCEL 2007 .................................................................................................46 7. POLÍTICAS DE SEGURANÇA .........................................................................................................54 8. BACKUP..........................................................................................................................................62 9. BROFFICE WRITER ........................................................................................................................72 10. SOFTWARE LIVRE − LINUX ...........................................................................................................76 QUESTÕES POR TÓPICOS .....................................................................................................................85 1 − MICROSOFT WINDOWS .................................................................................................................................85 2 − REDES DE COMPUTADORES.........................................................................................................................92 3 − EDITORES DE TEXTO...................................................................................................................................102 4 − PLANILHA ELETRÔNICA..............................................................................................................................108 5 − SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO ..................................................................................................................114 GABARITOS ..............................................................................................................................126 PROVAS CESPE / UnB − 2014 DATA 32 Q 91 I PÁG. 1 Conhec. Bás.-(C3,8a18)-(NS)-(M)-TJ-SE 15/06/2014 04 09 117 2 Téc. Jud.-(Ár. Adm.-Jud.)-(CB)-(C19)-(NM)-(T)-TJ-SE 15/06/2014 02 09 118 3 Téc. Adm. Pública-(CB)-(NM)-(M)-TC-DF 11/05/2014 02 06 119 4 Conhec. Bás.-(C1a3 e 5a7)-(NS)-(M)-TC-DF 04/05/2014 03 08 119 5 Téc. Leg.-(Atrib. Ag. Pol. Legisl.)-(NM)-(T)-CD 20/04/2014 02 10 120 6 Contador-(C1)-(CB)-(NS)-(T)-MTE 06/04/2014 04 07 121 7 Agente Adm.-(C2)-(CB)-(NM)-(M)-MTE 06/04/2014 03 08 121 8 Médico do Trabalho-(C2)-(CB)-(NS)-(M)-CAIXA 30/03/2014 02 10 122 9 Conhec. Bás.-(Todos Cargos)-(NS)-(M)-FUB 16/03/2014 05 12 123 10 Conhec. Bás.-(Todos Cargos)-(NI)-(T)-FUB 16/03/2014 05 12 124 GABARITOS 127
  3. 3. 1 Sistema Operacional Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo E-mail: funabashi.daniel@gmail.com 2 O que é Sistema Operacional • É o responsável pela comunicação entre o hardware e o usuário, e vice-versa. • É ele que transforma o computador em um sistema funcional. • Funções principais: • Administrar os dispositivos de hardware solicitados, fazendo com que eles desempenhem uma determinada ação a partir dos Softwares Aplicativo. • Gerencia a disponibilidade de processamento. • Administrar a manutenção dos dados, ou seja, como armazenar e recuperar os dados no computador. 3 Exemplo de Sistema Operacional • Unix • Linux • MS-DOS • WINDOWS 95 • WINDOWS 98 • WINDOWS ME • WINDOWS 2000 • WINDOWS XP • WINDOWS Vista •WINDOWS 7 • WINDOWS 8 4 Versões do Windows Seven 1
  4. 4. 5 Aprimoramentos de desempenho • Suspender: Ao retornar reconecta à rede sem fio de forma automática é consideravelmente mais rápido que versões anteriores. • Pesquisar: Os resultados das pesquisas aparecem mais rápido e de forma organizada (agrupada). • Dispositivos USB: Quando você conecta um “pen drive” ou um outro dispositivo USB pela primeira vez o Windows 7 pode prepará-lo para você em segundos. Se você já tiver usado o dispositivo anteriormente, a espera é ainda menor. • Mais leve e menos ocupado: Ao contrário das versões anteriores, executa-se serviços somente quando necessário. • Exemplo: Não está usando nenhum dispositivo Bluetooth? Então o serviço Bluetooth fica desativado. 6 Área de Trabalho Desktop ou área de trabalho: a primeira tela do SO. 7 Área de Trabalho • Atalho: é uma representação gráfica que permite abrir arquivos ou programas. Possuem uma seta no canto inferior esquerdo indicando a sua condição. • Ícone: são representações gráficas que representam algo que existe no seu computador e quando clicados dão acesso a estes • Barra de Tarefas: barra longa horizontal na parte inferior da tela. Botão Iniciar, o qual abre o Menu Iniciar Atalho fixo na barra de tarefas Tarefas em execução Área de Notificação 8 Barra de Tarefas • Mais fácil de se visualizar e mais flexível: • É possível “fixar” programas favoritos em qualquer lugar da barra de tarefas. • Possibilidade de realinhar/reorganizar ícones da barra. • Novas maneiras para se visualizar janelas. Aponte o mouse sobre um ícone da barra de tarefas para ter uma visualização em miniatura dos programas e arquivos abertos. Em seguida, mova o mouse sobre uma miniatura para visualizar a janela em tela inteira. 2
  5. 5. 9 Novos Recursos • Lista de Atalhos (lista de saltos): Mostram os documentos, fotos, músicas ou sites utilizados recentemente. Para abrir uma Lista de Atalhos, basta clicar com o botão direito do mouse em um ícone de programa na barra de tarefas ou utilizar o Menu Iniciar. 10 Menu Iniciar Fixa Rotativa Programas Pesquisa Pastas Recursos Saída 11 Pesquisa • Windows Search: Ao digitar na caixa de pesquisa do menu Iniciar, aparecerá instantaneamente uma lista de documentos, fotos, músicas e e-mails relevantes á pesquisa. Os resultados são agrupados por categoria. Essa pesquisa também procura em discos rígidos externos, PCs em rede e bibliotecas. 12 Entrada e Saída • LOGON: comando usado para entrada de um usuário, informando login e senha. • LOGOFF: Comando usado para sair de um usuário encerrando todos os aplicativos abertos por ele. Depois de você fazer logoff, qualquer usuário pode fazer logon sem a necessidade de reiniciar o computador. Além disso, você não precisará se preocupar com a possibilidade de perder suas informações se outra pessoa desligar o computador • Desligar: Fecha todos os Programas e desliga o computador • Reiniciar: Fecha todos os Programas e reinicia o computador. 3
  6. 6. 13 Entrada e Saída • TROCAR USUÁRIO: Permite a outro usuário fazer logon enquanto seus programas e arquivos permanecem abertos. • BLOQUEAR: Permite bloquear o computador em uso, mantendo os programas e arquivos abertos. Se você bloquear o computador, apenas você ou um administrador poderá desbloqueá-lo. • SUSPENDER: No Windows XP essa opção denominava-se “EM ESPERA”. Assim como na versão anterior, podemos alterar o suspender para Hibernar a partir das opções de energia, no painel de controle. • Suspensão é um estado de economia de energia que permite que o computador reinicie rapidamente a operação de energia plena (geralmente após vários segundos) quando você desejar continuar o trabalho. Colocar o computador no estado de suspensão é como pausar um DVD player — o computador imediatamente para o que estiver fazendo e fica pronto para reiniciar quando você desejar continuar o trabalho. 14 Menu Iniciar • Hibernação é um estado de economia de energia projetado principalmente para laptops. Enquanto a suspensão coloca seu trabalho e as configurações na memória e usa uma pequena quantidade de energia, a hibernação coloca no disco rígido os documentos e programas abertos e desliga o computador. De todos os estados de economia de energia usados pelo Windows, a hibernação é a que consome menos energia. Em um laptop, use a hibernação quando não for utilizar o laptop por um longo período de tempo e se você não tiver oportunidade de carregar a bateria durante esse tempo. • Suspensão híbrida foi projetado especificamente para computadores desktop. Suspensão híbrida é uma combinação de suspensão e hibernação. Ele coloca todos os documentos e programas abertos na memória e no disco rígido e, em seguida, coloca o computador em um estado de energia fraca, de forma que você possa retomar rapidamente o seu trabalho. Dessa forma, se ocorrer uma falha de energia, o Windows poderá restaurar seu trabalho do disco rígido. Quando a suspensão híbrida estiver ativada, colocar o computador em suspensão automaticamente coloca o computador em suspensão híbrida. Em computadores desktop, a suspensão híbrida costuma vir ativada por padrão. 15 Painel de Controle – Por Categoria 16 Painel de Controle – Ícones Grandes 4
  7. 7. 17 Painel de Controle 18 Painel de Controle - Sistema 19 Painel de Controle Grupo Doméstico: Não é mais necessário o compartilhamento de arquivos e impressoras por meio de configurações manuais de rede. Conecte dois ou mais dispositivos com o Windows 7 e o Grupo Doméstico permitirá iniciar fácil e automaticamente o compartilhamento de músicas, fotos, vídeos, impressoras e documentos. 20 Painel de Controle 5
  8. 8. 21 Painel de Controle 22 Painel de Controle 23 Painel de Controle 24 Painel de Controle 6
  9. 9. 25 Principais Ferramentas • Flip 3D (tecla “Windows + tecla Tab): Visualize rapidamente todas as janelas abertas sem precisar clicar na barra de tarefas. O Flip 3D exibe as janelas abertas em uma pilha. No topo da pilha você verá uma janela aberta. Para ver outras janelas, percorra a pilha: Clique em uma janela na pilha para exibir essa janela, ou clique fora da pilha para fechar o Flip 3D. Você também pode girar a roda do mouse para alternar rapidamente entre as janelas abertas. Você também pode abrir o Flip 3D pressionando CTRL + “Windows” + TAB. Pressione TAB para percorrer as janelas ou use as setas! Pressione ESC para fechar o Flip 3D. 26 Principais Ferramentas • Gadgets aprimorados: Os Gadgets, populares miniprogramas, estão mais flexíveis. • Colocam informação e diversão, como notícias, fotos, jogos e as fases da Lua, diretamente na área de trabalho. No Windows Vista os gadgets foram agrupados na Barra Lateral. O Windows 7 os “liberta” na tela, onde é possível movê-los e redimensioná-los como preferir. 27 Principais Ferramentas • Snap: Novo e rápido jeito de redimensionar as janelas abertas, simplesmente arrastando-as para as bordas da tela. Dependendo de onde arrastar uma janela, será possível expandi-la verticalmente, colocá-la na tela inteira ou exibi-la lado a lado com outra janela. 28 Principais Ferramentas • Windows Essentials: Pacote com Seis softwares gratuitos. • SkyDrive: Serviço de armazenamento em nuvem da Microsoft. Atualmente essa ferramenta denomina-se OneDrive. • Galeria de Fotos: Encontre, corrija e compartilhe suas fotos. • Mail: Gerencie várias contas de email em um só lugar. • Writer: Redija seu blog, adicione fotos e vídeos e poste-os na Web. • Movie Maker: Transforme fotos e vídeos em filmes e apresentações de slides. • Proteção para a Família: Gerencie e monitore atividades online, para a segurança de seus filhos. 7
  10. 10. 29 Principais Ferramentas • Ferramenta de Captura: faz uma captura de tela de qualquer item da sua área de trabalho, como uma foto ou uma seção de página da Web. 30 Principais Ferramentas • Aperfeiçoamentos para Tablet: • O reconhecimento de escrita à mão é mais rápido e mais preciso. • Matemática no tablet: Anotações com cálculos são feitas no novo Painel de Entrada de Expressões Matemáticas a qual reconhece expressões matemáticas escritas à mão. Tablet PC: Computador pessoal com o formato de um Laptop, que pode ser acessado com o toque de uma caneta especial. O usuário poderá utilizar o computador sem um mouse ou teclado. 31 Principais Ferramentas • Notas Autoadesivas: É possível incluir e formatar o texto de uma nota, mudar sua cor e redimensionar, recolher e folhear notas. Se você possui um Tablet PC ou um computador com tela de toque, as Notas Autoadesivas também suportam entrada por caneta e toque. 32 Principais Ferramentas • Windows Touch: Se o PC possuir uma tela sensível ao toque é possível ler jornais online, movimentar-se por álbuns de fotos e mudar arquivos e pastas de posição, usando apenas os dedos. O Windows 7 é o primeiro a adotar a tecnologia MULTITOQUE: • Para ampliar algo, coloque dois dedos na tela e afaste-os um do outro. • Para clicar com o botão direito do mouse em um arquivo, toque-o com um dedo e toque a tela por um segundo. 8
  11. 11. Principais Ferramentas • LIXEIRA: A Lixeira é uma Pasta do Windows que se encontra na Área de Trabalho e também pode ser acessada através do Windows Explorer. Ao excluir um arquivo ou pasta, eles na verdade não são excluídos imediatamente — eles vão para a Lixeira. – Pode-se: 33 • restaurar arquivo/pasta da Lixeira; • apagá-los definitivamente ou • apagá-los sem que esses vão para a Lixeira (SHIFT + DELETE) • Executar: Com este recurso pode-se abrir um Arquivo qualquer, bastando para isso digitar o seu nome. – Exemplo: Calc.exe Calculadora; Sol Jogo Paciência. 34 Principais Ferramentas • Verificação de Erros – Função de corrigir erros físicos e lógicos do disco rígido – setores danificados. • Desfragmentação – Reorganiza os dados no disco rígido e reúne arquivos fragmentados para que o computador trabalhe de forma mais eficiente. • Backup – Realiza cópia de segurança das informações armazenadas. 35 Principais Ferramentas • Restauração do Sistema: Essa ferramenta ajuda a restaurar arquivos do sistema do computador para um ponto anterior no tempo. É uma forma de desfazer alterações do sistema no computador sem afetar os arquivos pessoais, como e-mail, documentos ou fotos. – Às vezes, a instalação de um programa ou driver pode causar uma alteração inesperada no computador ou fazer com que o Windows se comporte de modo imprevisível. Nesse caso você pode tentar restaurar o sistema do computador para uma data anterior, quando tudo funcionava corretamente. 36 Principais Ferramentas • Windows Defender: Proteção contra spyware e outros programas indesejados. O Windows 7 possui notificações mais simples, mais opções de verificação e menos impacto no desempenho do computador. Um novo recurso chamado “Sistema Limpo” permite eliminar, com um clique, todos os programas suspeitos . 9
  12. 12. Organização de Estruturas Windows Explorer Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo E-mail: funabashi.daniel@gmail.com 1 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Conceitos • Como o computador grava as informações? Resp: Diretórios e Arquivos! • ARQUIVO: é uma informação salva na Memória Secundária. Para nós, o computador guarda as informações em forma de ARQUIVOS. Um Arquivo é uma coleção de informações criada, gerenciada e salva por software, de modo que seja possível recuperá-Io em qualquer momento. – São formados por um NOME (atribuído pelo usuário) e uma EXTENSÃO do tipo do arquivo (atribuído pelo Sistema Operacional). O nome e a extensão são separados por um “ponto” (ex: Aula.doc) • PASTA ou DIRETÓRIO: é um local criado para armazenar e organizar os arquivos. São como “gavetas” que podem guardar arquivos ou outras 2 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo pastas. Lembre-se: As informações não estão numa pasta, mas nos arquivos que estão dentro das pastas. Gerenciador de arquivos do Windows • No Windows Explorer é possível verificar a hierarquia de diretórios. Em um Diretório podem existir Pastas e outros Diretórios (Subdiretórios) e neles podem estar contidos os Arquivos. Diretório Sub Diretório Painel de Conteúdo: exibição de Arquivos/Diretórios 3 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Arquivos • Arquivos devem ser salvos de forma exclusiva em uma mesma pasta. • “.” é um separador. Simplesmente indica o final do nome do arquivo e o início da sua extensão. • Os nomes de arquivo não podem conter os seguintes caracteres: |/:*?” 4 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 10
  13. 13. Unidades Funcionais • O Sistema Operacional atribui as Memórias de Armazenamento Secundário uma identificação constituída por uma Letra, seguida do caractere Dois Pontos (:) Por Padrão, na Instalação do Sistema Operacional C: sempre será o HD Principal A: sempre será a unidade de Disquete 1.44 MB • As Letras subseqüentes (D:, E:, F:...), serão adicionadas assim que for detectada 5 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo uma nova Unidade. • A letra B: por padrão, não é utilizada. Ela era reservada para uma segunda unidade de Disquete. Gerenciador de arquivos do Windows • O Windows Explorer tem a mesma função do Meu Computador: Organizar as unidades funcionais e trabalhar com arquivos. • Enquanto o Meu Computador apresenta a tela sem divisão, o Windows Explorer apresenta a janela dividida, mas 6 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo podemos mudar a configuração de ambos! Menu Arquivo Novo Cria uma nova Pasta, Arquivos, Atalhos e Porta Arquivos. Um porta arquivos é utilizado para sincronizar arquivos em diferentes computadores. Criar Atalho Cria Atalho de arquivos ou programas. Para cria atalhos, podemos também clicar em um arquivo e arrastar para a pasta de destino pressionando, simultaneamente a tecla ALT Excluir Exclui Pastas, arquivos ou Atalhos. Renomear Muda o nome de Pastas, Arquivos ou Atalhos. Propriedades Mostra as características do Arquivo (tamanho, Data e Hora de Criação, última modificação e última vez que foi acessado). Esta Opção permite mudar também os atributos do Arquivo ou Pasta (somente leitura, oculto, arquivo ou sistema. 7 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Fechar Fecha o Windows Explorer. Menu Editar Desfazer Desfaz a ultima operação de Exclusão realizada. Recortar Permite Mover Pastas, Arquivos ou Atalhos. Copiar Permite Copiar Pastas, Arquivos ou Atalhos Colar Cola Pastas ou Arquivos que estão na Área de Transferência em um novo local. Colar Atalho Cola Atalhos em um novo local. 8 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Selecionar Tudo Seleciona todo o conteúdo de uma Pasta. Inverter Seleção Seleciona tudo o que não estiver selecionado. 11
  14. 14. Menu Exibir Barra de Ferramentas Mostra ou não as Barras de Ferramentas Barra de Status Mostra ou não a Barra de Status. Barra do Explorer Faz com que sejam ou não mostradas as Barras Pesquisar, Favoritos, Históricos, Canais, etc... Miniaturas Exibe como uma Figura em Miniatura. Lado a Lado Mostra os Ícones em fileiras Lado a Lado, com o nome da subpasta ou arquivo a direita do ícone e as informações de exibição abaixo do nome. Ícones Mostra os Ícones de Pastas, Arquivos ou Atalhos. Lista Mostra apenas os Ícones e os nomes de Pastas e Arquivos. 9 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Menu Exibir - Continuação Detalhes Mostra os Detalhes dos Arquivos, Pastas ou Atalhos como: Nome, Tamanho, Data de Modificação, etc. Organizar Ícones por Classifica os itens por Nome, Tamanho, Data e Tipo, dependendo da visualização escolhida. Escolher detalhes Seleciona os Detalhes que você deseja exibir dos Arquivos, Pastas ou Atalhos como: Nome, Data de Modificação, Tamanho, Tipo, Autor, Status, etc. Ir Para Voltar ou Avançar para as Pastas anteriormente visitadas ou um nível acima nos Arquivos, Pastas ou Atalhos. Atualizar Atualiza a Pasta como uma Página da Internet 10 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Menus do Windows Explorer Favoritos: Permite visualizar e inserir Sites nos Favoritos Ferramentas: Exibe Mapear Unidade de Rede, Desconectar Unidade de Rede e Sincronizar e Opções de Pasta 11 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Ajuda: Exibe a Ajuda do Sistema, Ajuda On-Line e Informações sobre o Windows Barra de Ferramentas Voltar Acima Pastas Copiar para Desfazer Avançar Pesquisar Mover para Excluir Modos de exibição 12 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 12
  15. 15. • Pesquisar Pesquisando – Útil para Procurar Pastas e Arquivos existentes no Computador, assim como na Internet. – Caracteres Curingas: • * : substitui; intervalos. • ? : substitui um caractere. 13 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 13
  16. 16. Redes e Correio Eletrônico Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo E-mail: funabashi.daniel@gmail.com Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 1 Redes de Computadores • Conexão entre dois ou mais dispositivos, por meio de recursos de comunicação, com o objetivo de compartilhar hardware e/ou software. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 2 Principais Meios de Transmissão Par trançado Cabo Coaxial Fibra óptica Núcleo Casca Capa Elementos de Tração Revestimento externo Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 3 Cabo Telefônico Principais Meios de Transmissão Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 4 Satélite Rádio 14
  17. 17. Principais Meios de Comunicação Dial Up Linha telefônica permanece ocupada durante a conexão ADSL Linha telefônica fica disponível durante a conexão Bluetooth Tecnologia de comunicação sem fio que permite que computadores, smartphones, tablets e afins troquem dados entre si e se conectem a mouses, teclados, fones de ouvido, impressoras e outros acessórios a partir de ondas de rádio, bastando que um esteja próximo do outro. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 5 Topologias de Redes Barramento Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 6 Topologias de Redes Barramento Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 7 Topologias de Redes Barramento Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 8 15
  18. 18. Topologias de Redes Barramento Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 9 Topologias de Redes Barramento Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 10 Topologias de Redes Barramento Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 11 Anel Topologias de Redes Barramento Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 12 Anel 16
  19. 19. Topologias de Redes Anel Estrela Barramento Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 13 Topologias de Redes Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 14 Equipamentos Repetidores: Amplificam o sinal Hubs: Dispositivo que tem a função de interligar os computadores de uma rede local. Sua forma de trabalho é a mais simples se comparado ao switch e ao roteador: ele recebe dados vindos de um computador e os transmite às outras máquinas. No momento em que isso ocorre, nenhum outro computador consegue enviar sinal. Sua liberação acontece após o sinal anterior ter sido completamente distribuído Switch: O switch é um aparelho muito semelhante ao hub, mas tem uma grande diferença: os dados vindos do computador de origem somente são repassados ao computador de destino. Isso porque os switchs criam uma espécie de canal de comunicação exclusiva entre a origem e o destino Roteadores (Router): O roteador (ou router) é um equipamento utilizado em redes de maior porte. Ele é mais inteligente que o switch, tem a capacidade de escolher a melhor rota que um determinado pacote de dados deve seguir para chegar em seu destino. É como se a rede fosse uma cidade grande e o roteador escolhesse os caminhos mais curtos e menos congestionados. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 15 Modem (MOdulador DEModulador) MOdulator DEModulator Linha telefônica Sinal Digital Alta freq. [ 10-200Mhz ] Sinal Analógico freq. voz [ 300-3000Hz ] Sinal Digital Alta freq. [ 10-200Mhz ] • Serve para adaptar o sinal do computador às características da linha telefônica – converter o sinal digital para analógico e vice-versa – adaptar o sinal de alta freqüência para a freqüência da linha telefônica (baixa freqüência) Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 16 17
  20. 20. Comunicação Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 17 • Síncrona – O envio de dados entre transmissor e receptor ocorre em períodos pré-estabelecidos, sempre com prévio sincronismo entre as partes comunicantes • Assíncrona – Não há o estabelecimento prévio de sincronismo entre as partes comunicantes, ou seja, sempre que necessário o transmissor envia dados para o receptor. Redes Como Interligar as Diferentes Redes? ? Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 18 Redes Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 19 Redes INTERNET Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 20 18
  21. 21. O que é a Internet • Rede das Redes • Gigantesca rede mundial de computadores que inclui desde grandes computadores até PC’s • Uso dos meios de comunicação existentes (telefone, cabos submarinos, satélite, fibra ótica, etc) • Tráfego em alta velocidade de informações contidas em textos, som e imagens. INTERNET Interconectadas Rede Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 21 História e Definição • Projetos do Departamento de Defesa dos Estados Unidos (fim dos anos 60) • Universidades conectam-se à rede (ao longo dos anos 70): mudança de enfoque militarista para cultural e acadêmico • Anos atuais: o Interesse Comercial pela Rede • Entrada do Brasil na Internet (1988) Fapesp (SP) e UFRJ, ligando suas redes e centros de pesquisa aos EUA (Interesse Acadêmico) • Embratel cria sua Espinha Dorsal (Interesse Comercial) Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 22 Provedor • Provedor (ISP): Empresa que mantém serviço de acesso à Internet para os usuários. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 23 24 Backbone rede principal por onde passam os dados dos clientes da internet. 19
  22. 22. Conceitos Importantes Hipertexto Conjunto de informações (texto, sons, imagens) em um formato que fornece acesso instantâneo para o usuário. Hyperlink Palavras ou figuras, destacados em um texto, que, quando “clicadas” nos levam para o assunto desejado. Página Conjunto de informações de um determinado assunto. Site Conjunto de páginas que tratam de diferentes assuntos. Home Page Página inicial de um site. Portal Site que trata de assuntos variados e faz links com outros sites. Host É uma máquina conectada uma rede. Servidor Computador da Rede que mantém as contas dos usuários e Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 25 possibilita o acesso. Chat Programa que permite realizar conversas eletrônicas. Pop-up Janela que abre no navegador de internet, como informação extra ou propagandas. Download Ato de salvar um arquivo da Internet no computador do usuário. Upload Ato de transferir um arquivo do computador do usuário ou servidor para outros na Internet. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 26 Web 2.0 Embora o termo web 2 tenha uma conotação de uma nova versão, ele não se refere à atualização nas suas especificações técnicas, mas a uma mudança na forma como ela é encarada por usuários e desenvolvedores, ou seja, o ambiente de interação e participação que hoje engloba wikis e redes sociais. Cache Memória que armazena informações mais utilizadas ou já utilizadas pelo usuário, tais como páginas da internet. Esta memória é útil para agilizar nas requisições de informações já conhecidas. A cache possibilita que as páginas já visitadas carreguem mais rapidamente. Proxy Consiste em manter, em uma área de acesso rápido, informações já acessadas por outro usuário, evitando assim a retransmissão destas informações e deixando-as disponíveis ao usuário num tempo bem menor. Cliente- Servidor Modelo de requisições e respostas utilizado na Internet. Pop-up Janela que abre no navegador de internet, como informação extra ou propagandas. Cookies São informações, em arquivo texto, que um site armazena no nosso computador. Podem conter informações como nome de usuário e registro, compras on-line, preferências do usuário, sites visitados, etc... URL • URL (Uniform Resource Locator): Localizador uniforme de recursos. • É a forma padronizada de localizar recursos na internet. • É o endereço de um recurso disponível em uma rede, seja a rede internet ou intranet. Em outras palavras, url é um endereço virtual com um caminho que indica onde está o que o usuário procura e pode ser tanto um arquivo, como uma máquina, uma página, um site, uma pasta etc. Url também pode ser o link ou endereço de um site. PROTOCOLO://REDE.DOMÍNIO.DPN.PAIS http://www.pciconcursos.com.br Domínio: é o nome associado ao servidor ao qual o usuário está conectado DPN: Domínio de Primeiro Nível Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 27 Protocolos • Conjunto de normas e regras que permitem a comunicação, transporte e serviços nas Redes. • É a Linguagem utilizada para a comunicação. • Os dispositivos de uma Rede devem utilizar o mesmo protocolo para comunicar-se entre si. SSL – (Secure Sockets Layer) Método de criptografia a fim de garantir a segurança da transmissão de dados na Internet. O seu princípio consiste em estabelecer um canal de comunicação protegido (codificado) entre duas máquinas (um cliente e um servidor). O sistema SSL é independente do protocolo utilizado, o que significa que pode igualmente proteger transações feitas na Web pelos protocolos HTTP, FTP, POP, etc... Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 28 20
  23. 23. Protocolos Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 29 • HTTP (Hiper Text Transfer Protocol) • Protocolo de Transferência de Hipertexto • Protocolo usado para acessar as informações na Internet e abrir páginas • HTTPS (Hiper Text Transfer Protocol Security) • Mesma função do HTTP, entretanto as páginas são transferidas de forma criptografada (seguras). Usado por sites de bancos, e-commerce, etc... • FTP (File Transfer Protocol) • Protocolo de Transferência de Arquivo • Responsável pela transferência de arquivos entre redes (Download e Upload). Protocolos Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 30 • IP (Internet Protocol) • Responsável pela identificação do remetente e destinatário dos pacotes a serem enviados/recebidos. • TCP (Transmition Control Protocol) • Protocolo de Controle de Transmissão • Responsável por preparar a mensagem para o envio, segmentando-as em pacotes e endereçando-os. Quando o usuário recebe a mensagem, cabe a este protocolo recompor os pacotes. Comutação por pacotes! • DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol) • Oferece configuração dinâmica de equipamentos. Para cada host que se conecta na rede, o protocolo DHCP fornece as configurações válidas (entre elas o IP) para este host se conectar nesta rede. • Quando um servidor DHCP recebe um pedido de concessão de IP de um cliente, ele reserva um endereço IP para o cliente Protocolos Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 31 • UDP (User Datagram Protocol) • Protocolo de transmissão não confiável. • Não há qualquer tipo de garantia que o pacote irá chegar ou não. • Utilizado para transmitir dados pouco sensíveis, como fluxos de áudio e vídeo • Telnet (Telnet Remote Protocol) • Protocolo de Acesso Remoto. Permite que um usuário se conecte a outro computador, manipulando-o como estação de trabalho própria (Acesso remoto). • SSH (Secure Shell) • Protocolo de Acesso Remoto. Permite que um usuário se conecte a outro computador, manipulando-o como estação de trabalho própria (Acesso remoto). • Faz uso de criptografia na troca de informações entre as conexões. Protocolos Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 32 • SMTP (Simple Mail Tranfer Protocol) • Responsável pelo envio de mensagens de Correio Eletrônico. • POP ou POP3 (Post Office Protocol) (Versão 3) • Protocolo que permite recolher mensagens de um servidor de e-mail para o computador do usuário. Permite que a mensagem seja visualizada apenas por uma máquina. • IMAP (Internet Message Access Protocol) • Protocolo de gerenciamento de correio eletrônico com recursos superiores ao POP3 (protocolo que a maioria dos provedores oferece aos seus assinantes). As mensagens ficam armazenadas no servidor e o usuário pode ter acesso a suas pastas e mensagens em qualquer computador, tanto por webmail como por cliente de correio eletrônico (como o Mozilla Thunderbird, Outlook Express). 21
  24. 24. Protocolos Como os dados (Pacotes) encontram o seu destino ? • Os Provedores de Acesso à Internet são os responsáveis por dizer qual é o IP que corresponde a cada URL. • Cada país tem uma entidade responsável por atribuir endereços de IP e fazer sua associação com um nome. • No Brasil, o Sistema de Domínios era gerenciado pela FAPESP – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo. Atualmente é de responsabilidade do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br) - do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) com representantes do Governo Federal e Setor Empresarial. • http://www.registro.br Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 33 IP Dinâmico • Quando o Usuário se conecta à Internet por meio de um Provedor, recebe um número de IP. • Quando um Provedor de Acesso á Internet entra em operação ele recebe um conjunto de números IP que ficam reservados para ele. Por exemplo, de 192.168.1.1 até 192.168.1.254. • Geralmente o Provedor tem mais Usuários do que números IP. Portanto, não existe um IP para cada Usuário. • Por isso é que o Usuário só obtém o endereço IP no momento que faz a conexão com o provedor. Nessa hora, recebe o endereço IP que estiver livre no momento. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 34 IP Estático • São os números de IP que pertencem sempre ao mesmo Host. • É o caso de empresas que querem que suas Páginas estejam na internet 24 horas por dia. • Nesse caso elas requisitam no órgão regulador da Internet um IP que será permanentemente reservado para elas, pagando mais caro por isso. • Um exemplo desta modalidade são as Lojas de comércio eletrônico. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 35 Principais Categorias de Domínios AGR Empresas Agrícolas, Fazendas. (www.fazendabonito.agr.br) AM Empresas de Radiodifusão Sonora AM. (www.indaia.am.br) ART Artes. (www.artesplasticas.art.br) EDU Entidades de Ensino Superior. EAD Entidades de Ensino á Distância. COM Comércio em Geral. (www.multicoisas.com.br) COOP Cooperativas. (www.uniaodeleiteiros.coop.br) ESP Esporte em Geral. (www.band.esp.br) FM Empresas de Radiodifusão Sonora FM. (www.interativa.fm.br) G12 Entidades de Ensino de 1º e 2º Graus. (www.colegioatenas.g12.br) GOV Entidades do Governo. (www.fazenda.gov.br) IND Indústrias. (www.imbel.ind.br) INF Meios de Informação (rádios, jornais, revistas, bibliotecas, etc.). MIL Forças Armadas Brasileiras. NET Detentores de autorização para o serviço de Rede da ANATEL e/ou Detentores de um Sistema Autônomo conectado à Internet. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 36 ORG Destinado a organizações não governamentais e sem fins lucrativos. 22
  25. 25. Intranet X Extranet Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 37 • Intranet – REDE DE COMPUTADORES PRIVATIVA que utiliza as mesmas tecnologias que são utilizadas na Internet; – Os protocolos utilizados em uma intranet são TCP/IP. – Podemos encontrar vários tipos de serviços de rede comuns na Internet, como por exemplo o e-mail, chat, grupo de notícias, HTTP, FTP entre outros. • Extranet – Pode ser definida com um conjunto de duas ou mais intranets ligadas em rede. Geralmente servem para ligar parceiros de negócio numa cadeia de valor. – Outro uso comum do termo Extranet ocorre na designação da “parte privada” de um site, onde somente “usuários registrados” podem navegar, previamente autenticados (login). Computação em Nuvem • Possibilidade de acessar arquivos e executar diferentes tarefas pela internet. Não precisa instalar aplicativos no computador, pois pode acessar diferentes serviços online para realizar o que é necessário, já que os dados não se encontram em um computador específico, mas sim em uma rede. • Uma vez devidamente conectado ao serviço online, é possível desfrutar de suas ferramentas e salvar arquivos para acessá-lo depois, de qualquer lugar. • Dessa forma, a partir de uma conexão com a internet, podemos acessar um servidor capaz de executar o aplicativo desejado, que pode ser desde um processador de textos até mesmo um jogo ou um editor de vídeos. Enquanto os servidores executam um programa ou acessam uma determinada informação, o seu computador precisa apenas do monitor e dos periféricos necessários para rotinas cotidianas. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 38 Navegador ou Browser • Programa que permite a visualização de documentos na internet (solicitando uma página a um servidor), abrir páginas e sites, localizar e pesquisar informações, efetuar download, ler e redigir mensagens de correio eletrônico, etc... • Existem muitos browsers a venda e distribuídos gratuitamente, mas Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 39 os mais utilizados são: – Internet Explorer (Microsoft) – Firefox (Mozilla Foundation) – Chrome (Google) Internet Explorer 6 Barra de ferramentas Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 40 Digitação do endereço (barra de endereços) 23
  26. 26. Barra de Ferramentas Interrompe carregamento Pesquisa Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 41 Avança para a próxima página Volta para página anterior Atualiza o Conteúdo da página Correio Eletrônico Editor HTML Padrão Vai para página inicial Abre a pasta Favoritos Histórico – exibe os últimos sites visitados Imprimir Acessa grupos de discussão Favoritos Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 42 Adicionar os sites favoritos Organizar favoritos Mostra os sites favoritos Histórico Mostra as páginas que foram acessadas Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 43 Principais características da Versão 9 Barra de navegação Barra de Menus Guias de Navegação Barra de Status Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 44 24
  27. 27. Menu Arquivo Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 45 • Nova guia Ctrl + T Abre uma nova guia na mesma janela do Internet Explorer. • Duplicar Guia Ctrl + K Abre uma nova guia igual a guia que está sendo utilizada. • Nova Janela Ctrl + N Abre uma nova janela do Internet Explorer • Nova Sessão • Abre nova sessão, com informações de contas diferentes. • Fechar Guia Ctrl + W Fecha a guia atual sem fechar a janela. Menu Exibir • Seleciona quais barras deseja exibir na tela o Internet Explorer 9. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 46 Menu Exibir • Alimentador de Conteúdos. Exige software específico • Seleciona quais controles deseja exibir na tela do Internet Explorer 9. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 47 Menu Ferramentas Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 48 • Bloqueador de Pop-up Bloqueia as telas de pop-up no navegador. • Filtro do SmartScreen Filtragem de spam e malware na internet através do envio de informações do site visitado para uma “lista negra” nos servidores da Microsoft. • Navegação InPrivate Não deixa rastros, ou seja, não armazena no histórico as ações da navegação. • Filtragem InPrivate Bloqueia a intenção de sites em coletar informações de navegação dos visitantes. • Modo de Exibição de Compatibilidade Abre sites que não estão “preparados” para serem visualizados pelo Internet Explorer 9 e superior. 25
  28. 28. Menu Ferramentas Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 49 • Opções da internet Guia Geral: Página inicial; histórico, pesquisa, guias, aparência; Guia Segurança: estabelece níveis de segurança apropriados; Guia Privacidade: especifica o nível de segurança selecionado, como os armazenamento de cookies, bloqueador de pop-ups e navegação InPrivate; Guia Conteúdo: Controle dos pais, certificados, preenchimento automático, feeds; Outras Guias: Conexões, programas acessados e configurados; Avançado. Mozilla Firefox Menus Barra de navegação Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 50 Abas de Navegação Barra de Status Menu Arquivo • Nova aba Abre uma nova guia na mesma janela do Mozilla Firefox. • Nova Janela Abre uma nova janela do Mozilla Firefox. • Nova Sessão Abre nova sessão, com informações de contas diferentes. • Fechar aba Fecha a aba atual sem fechar a janela. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 51 Menu Arquivo • No Mozilla Firefox o alimentador de conteúdos está presente no menu Favoritos, com o nome de RSS. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 52 26
  29. 29. Menu Arquivo • Downloads Abre a caixa de diálogo Downloads, exibindo a listas dos Downloads efetuados. É possível realizar pesquisa nessa lista, limpá-la ou abrir os arquivos “baixados”. • Configurar Sync A função Sync do Firefox permite que tenhamos sempre todos os dados, favoritos, senhas, histórico, e até mesmo as abas abertas, em qualquer outra máquina ou celular. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 53 Menu Arquivo • Limpar dados pessoais Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 54 • Navegação privativa Não deixa rastros, ou seja, não armazena no histórico as ações da navegação. Enquanto navegamos na web o Firefox armazena várias informações, como: sites visitados, arquivos de download, preferências de navegação, etc. Caso estejamos utilizando um computador público ou dividindo com outra pessoa, essas poderão acessar nossas informações. Dessa forma podemos apagar todas as informações armazenadas. Google Chrome Personalizar e Digitação do endereço controlar o Chrome (barra de endereços) Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 55 Google Chrome Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 56 • Navegação anônima Não deixa rastros, ou seja, não armazena no histórico as ações da navegação. • Configurações Acessa as configurações do navegador Google Chrome: Caso necessário realizar configurações relacionadas a cache, poup-ups, privacidade, segurança, deve-se selecionar a opção: Mostrar configurações avançadas 27
  30. 30. Correio Eletrônico – E-mail Separados por um símbolo @ (arroba), em Exemplo: funabashi.daniel@gmail.com inglês at (em). Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 57 • O que contém um e-mail • Um E-mail é constituído por duas partes principais – o Nome do Usuário e – o Nome do Domínio, • O Domínio identifica o fornecedor do serviço e o local onde está a caixa de correio. • Há no mercado diversos Programas que permitem ler, responder e organizar o correio eletrônico. Eles operam fundamentalmente da mesma maneira, são em geral acessíveis, funcionais e simples. Constituição do e-mail Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 58 Menu de Navegação Menus Barra de Ferramentas Barra de título Área de Navegação Barra de Status Barra de Rolagem Botões de Comando Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 59 Cria e-mail Excluir Responder a todos Encaminhar Imprimir Responder Enviar/ Receber Endereços Localizar Criar e-mail • Enviar – Envia mensagem produzida; • Recortar – Para recortar um trecho do texto; • Copiar – Colar um texto, arquivo ou imagens; • Desfazer – Desfaz o último ato realizado • Selecionar – Para o caso de se ter no catálogo de endereços mais do que um endereço de email para o mesmo nome; • Verificar Ortografia – Verificador Ortográfico (atalho F7) • Anexar – Usado para inserir anexos em uma mensagem (também Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 60 disponível no menu inserir. 28
  31. 31. Mozilla Thunderbird 2.x 61 61 62 62 WebMail Webmail é uma página na internet que permite ao utilizador ler e escrever e-mail usando apenas um navegador. A maioria destes E-mails são oferecidos de forma gratuita. A tendência, por razões de conforto e até segurança é o crescimento do uso do Webmail para a consulta e organização de E-mails. Grupos de Discussão • Grupos virtuais cuja finalidade é discutir algum tema de comum interesse dos participantes ou buscar ajuda para resolverem alguma dúvida. • Nesses grupos os usuários são conectados em um endereço comum, possibilitando a interação entre eles por meio do Mural de recados ou recebendo e-mails de acordo com novas mensagens postadas. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 63 Ferramentas de Busca e Pesquisa • A Internet é enorme. Quantas páginas?? • São milhões de páginas e a cada dia são criadas mais e mais. • Encontrar alguma informação específica se torna difícil e demorado. Para resolver esse problema, há consultas nos catálogos eletrônicos na própria Web. http://www.wikipedia.org/ • Há também sistemas de pesquisas, através dos quais você entra com uma ou mais palavras-chave e ele pesquisa, fornecendo como resultado uma relação das páginas encontradas. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 64 29
  32. 32. Ferramentas de Busca e Pesquisa • Yahoo Cadê (http://cade.search.yahoo.com) • AltaVista (www.altavista.com); • Google (www.google.com); • Uol Busca (http://busca.uol.com.br); • AIITheWeb (www.alltheweb.com); • Bing (http://www.bing.com.br). Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 65 Ferramentas de Busca e Pesquisa Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 66 • Principais características: – Propor busca “correta” de palavras com grafias erradas. – Caracteres “ ” o conteúdo que estiver entre aspas duplas é parâmetro obrigatório na busca. – Caractere - retira o conteúdo da busca. – Palavra site seguido do endereço desejado A busca ocorrerá apenas dentro do mesmo domínio. Exemplo: site:cespe.unb.br – Palavra filetype: restringe a pesquisa para um tipo específico de arquivo, exemplo: filetype: pdf concursos Blog ou Weblog • É um “Diário Pessoal e Público publicado na Internet. É um tipo de página pessoal no qual o dono desenvolve alguma conversa sobre um ou vários assuntos e deixa aberto um mural com a opinião dos visitantes. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 67 Rede Social • Estrutura social composta por pessoas ou organizações, conectadas por um ou vários tipos de relações, que partilham valores e objetivos comuns. Uma das características fundamentais na definição das redes é a sua abertura, possibilitando relacionamentos horizontais e não hierárquicos entre os participantes. • As redes sociais online podem operar em diferentes níveis, como, por exemplo, redes de relacionamentos (facebook, orkut, myspace, twitter), redes profissionais (LinkedIn), redes comunitárias (redes sociais em bairros ou cidades), redes políticas, dentre outras, e permitem analisar a forma como as organizações desenvolvem a sua actividade, como os indivíduos alcançam os seus objectivos ou medir o capital social – o valor que os indivíduos obtêm da rede social. • As redes sociais tem adquirido importância crescente na sociedade moderna. São caracterizadas primariamente pela autogeração de seu desenho, pela sua horizontalidade e sua descentralização. • Um ponto em comum dentre os diversos tipos de rede social é o compartilhamento de informações, conhecimentos, interesses e esforços em busca de objetivos comuns. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 68 30
  33. 33. Rede Social - Orkut • É uma comunidade virtual afiliada ao Google, criada em 22 de Janeiro de 2004 com o objetivo de ajudar seus membros a criar novas amizades e manter relacionamentos. • Seu nome é originado no projetista chefe, Orkut Büyükkokten, Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 69 engenheiro do Google. Rede Social - Facebook • Facebook é uma rede social fundada em 2004 por Mark Zuckerberg, estudante da Universidade Harvard. Os usuários criam perfis que contêm fotos e listas de interesses pessoais, trocando mensagens privadas e públicas entre si e participantes de grupos de amigos. A visualização de dados detalhados dos membros é restrita para membros de uma mesma rede ou amigos confirmados, ou pode ser livre para qualquer um. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 70 Rede Social - Twitter • Criado em 2006 por Jack Dorsey, Twitter é uma rede social e servidor para microblogging que permite aos usuários enviar e receber atualizações pessoais de outros contatos, em textos de até 140 caracteres. As atualizações são exibidas no perfil de um usuário em tempo real e também enviadas a outros usuários seguidores que estejam seguindo a pessoa de seu interesse para recebê-las. As atualizações de um perfil ocorrem por meio do site do Twitter, por RSS, por SMS ou programa especializado para gerenciamento. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 71 Rede Social - Linkedin • LinkedIn é uma rede de negócios fundada em Dezembro de 2002 e lançada em 5 de Maio de 2003. É comparável a redes de relacionamentos, e é principalmente utilizada por profissionais. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 72 31
  34. 34. Introdução ao MS-Word Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo E-mail: funabashi.daniel@gmail.com Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 1 Microsoft Word • Ferramenta da Família Microsoft Office que permite o tratamento de textos, também denominado Processador de Texto. • Principais Características: – Formatação Avançada de Texto. – Inserção de objetos (Imagens, Som, Vídeos, etc...). – Manipulação de Tabelas. – Elaboração documentos modelos. – Macros para automatizar tarefas. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 2 Opções da barra de ferramentas Barra de rolagem vertical Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 3 Barra de títulos Painel de tarefas Barra de Pesquisa Barra de rolagem horizontal Barra de ferramentas Padrão Caixa de controle da janela do Word Barra de menus de comando Área de trabalho Barra de status Botões de controle da janela Botões de visualização do documento Réguas Barra de ferramentas Formatação Componentes do Word Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 4 • Barra de títulos – Título do arquivo em execução; • Barra de pesquisa – A partir de qualquer aplicativo do Office, pode ser digitada uma pergunta na caixa “Digite uma pergunta”. • Barra de rolagem horizontal e Barra de rolagem vertical – Rola a página na horizontal e na vertical. 32
  35. 35. Componentes do Word Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 5 • Réguas – Possibilitam alterar as margens das páginas: Margem Superior Margem Inferior Margem Esquerda Margem Direita • Para exibir/ocultar réguas: menu Exibir opção régua. • Margens também podem ser configuradas no menu Arquivo opção configurar página, guia Margens. Controles • Botões de controle da janela • Caixa de controle da janela do Word • Restaurar: Restaura a janela ao seu tamanho original; • Mover: Possibilita a movimentação da página. • Tamanho: Possibilita a definição de tamanho para a janela aberta. • Minimizar: Recolhe a janela na barra de tarefas do Windows. • Maximizar: Ocupa todo o espaço disponível para exibição. • Fechar: Fecha a janela. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 6 Iniciando um Novo Documento Ao iniciar o aplicativo o Word abre uma Página em branco a qual é atribuída, por Padrão, o nome de “Documento 1”. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 7 Barra de Menus • Permite alcançar todas as funcionalidades do Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 8 Word. • Com o auxílio da Tecla ALT é possível acessar os menus através do teclado: Alt + A Menu Arquivo Alt + E Menu Editar Alt + X Menu Exibir Alt + I Menu Inserir Alt + F Menu Formatar Alt + M Menu Ferramentas Alt + B Menu Tabela Alt + J Menu Janela Alt + U Menu Ajuda • Ao clicar com o botão direito do Mouse em cima da barra de menus é possível escolher quais barras de ferramentas se deseja visualizar. • Outra maneira de escolher quais barras de ferramentas serão visualizadas: clicar no menu Exibir barra de ferramentas. 33
  36. 36. Barra de Ferramentas Padrão Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 9 Novo Abre um novo documento para edição. Lembrando que cada novo documento aberto terá o nome Documento1, Documento2, Documento3 e assim por diante. Arquivos com esses “nomes” ainda não foram salvos! Tecla de atalho: Ctrl+O Abrir Abre um arquivo já salvo no computador para edição. Tecla de atalho: Ctrl+A Salvar Permite gravar o arquivo no disco rígido ou outra mídia escolhida. Caso o arquivo não tenha sido gravado ainda, abrirá a tela de Salvar Como: Tecla de atalho: Ctrl+B Permissão O usuário pode escolher o nível de acesso para o seu arquivo, evitando assim que pessoas não autorizadas tenham acesso. Email Permite editar um e-mail com o próprio Word. No entanto é necessário que um gerenciador de e-mails esteja configurado. Imprimir Imprime todo o documento atual na impressora padrão. Atenção: a caixa de diálogo Imprimir não é aberta. Acionando as teclas de atalho: Ctrl+P será aberta a caixa Imprimir. Visualizar impressão Permite visualizar como ficará a impressão do documento. Tecla de atalho: Ctrl+F2 Ortografia e gramática Abre uma janela por meio da qual o Word faz uma revisão no documento. Esta revisão busca os erros de ortografia (grifo vermelho) e gramática (grifo verde). Tecla de atalho: TeclaF7 Pesquisar Permite realizar pesquisas no documento e na Web. Barra de Ferramentas Padrão 10 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Recortar Recorta um trecho selecionado copiando-o para a Área de transferência do Office. Importante: A Área de transferência do Office é uma parte da memória reservada para armazenar objetos recortados ou copiados. A Área de transferência do Office 2003, armazenam até 24 objetos. Tecla de atalho: Ctrl+X Copiar Copia um trecho selecionado para a Área de transferência do Office. Tecla de atalho: Ctrl+C Colar Cola no documento um trecho armazenado na Área de transferência do Office. Tecla de atalho: Ctrl+V Pincel Copia a formatação de um trecho, palavra ou mesmo uma letra para a memória, com o objetivo de colar este formato em outro local. Tecla de atalho: Ctrl+Shift+C para copiar a formatação para a memória e Ctrl+Shift+V para colar a formatação. Desfazer Desfaz sequencialmente as ações recentes. Cada clique no botão desfaz uma ação, a mais recente. Tecla de atalho: Ctrl+Z Refazer Refaz ações desfeitas recentemente. É o desfazer do Desfazer! Tecla de atalho: Ctrl+R Inserir Hiperlink Abre uma tela onde podemos transformar uma palavra em um hiperlink. Hiperlink são aquelas palavras sublinhadas que se transformam em uma “mãozinha” para que possamos navegar. Importante! No Word podemos criar hiperlinks para: Uma página da Web; Um parte do documento atual; Outro documento. Tecla de atalho: Ctrl+K Tabelas e bordas Aciona a barra de ferramentas Tabelas e Bordas. Barra de Ferramentas Padrão Inserir tabela Insere uma tabela no texto conforme as opções do usuário. Inserir planilha do MS-Excel Insere uma planilha do MS-Excel em branco para inserir dados. Será inserido um objeto do Excel no documento que poderá ser editado normalmente. Colunas Permite a seleção da quantidade de colunas que se deseja dividir o documento. Desenho Mostra ou oculta a barra de ferramentas de desenho. Estrutura do documento Painel que exibe uma lista de títulos do documento. Quando clicado em um título na estrutura do documento, o Word vai para o título correspondente no documento, exibe-o na parte superior da janela e realça-o na estrutura do documento. 11 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Mostrar/Ocultar Marcadores Mostra/Oculta as marcas de Formatação, também chamadas de caracteres não imprimíveis. À medida que o usuário digita vão sendo gerados caracteres. Por exemplo: o espaço, a tecla Enter, a tecla Tab, dentre outros. Zoom Permite visualizar o documento em vários tamanhos, variando de 10% a 500%. E ainda dispõe de tamanhos pré-formatados: Largura da página; Largura do texto; Página inteira; Duas páginas . Ajuda Aciona a ajuda do Word. Tecla de atalho: Tecla F1 Ler Exibe a página em layout de leitura, como se o usuário estivesse lendo/folheando uma revista. Opções da barra de ferramentas Abre um menu por meio do qual é possível adicionar ou remover Botões na barra de ferramentas. Barra de Ferramentas Formatação 12 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Estilos e Formatação Abre o painel estilos e formatação utilizado para criar, exibir, selecionar, aplicar ou excluir formatações no texto. Estilo Utilizado para modificar várias formatações de uma única vez. Um estilo compreende várias formatações agrupadas, ou seja, ao aplicar um estilo é aplicado formatação de fonte, parágrafo, etc.. Fonte Possibilita alterar a fonte do texto selecionados, bastando selecionar um nome de fonte para aplicá-lo. Tamanho da Fonte Possibilita alterar o tamanho do texto selecionado, bastando selecionar um valor. Embora venham valores pré-definidos, é possível digitar um valor desejado na caixa Tamanho da fonte. Tecla de atalho: Ctrl + Shift + (aumenta tamanho da fonte) e Ctrl +Shift + (diminui tamanho da fonte) Negrito Aplica formatação negrito ao texto selecionado. Se a seleção já estiver em negrito, clicar no botão removerá a formatação negrito. Tecla de atalho: Ctrl + N Itálico Aplica formatação itálico ao texto selecionado. Se a seleção já estiver em negrito, clicar no botão removerá a formatação itálico. Tecla de atalho: Ctrl + i Sublinhado Aplica formatação sublinhado ao texto selecionado. Se a seleção já estiver em negrito, clicar no botão removerá a formatação sublinhado. Tecla de atalho: Ctrl + S 34
  37. 37. Barra de Ferramentas Formatação 13 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Alinhamento à esquerda Alinha os parágrafos selecionados à esquerda com o recuo da direita desigual nas linhas do textos. Caso o ponto de inserção esteja dentro de uma tabela, o alinhamento será para o texto da célula atual. Tecla de atalho: Ctrl + Q Alinhamento centralizado Alinha os parágrafos selecionados de maneira centralizada com os recuos da direita e esquerda desiguais nas linhas do textos. Caso o ponto de inserção esteja dentro de uma tabela, o alinhamento será para o texto da célula atual. Tecla de atalho: Ctrl + E Alinhamento à direita Alinha os parágrafos selecionados à direita com o recuo da esquerda desigual nas linhas do textos. Caso o ponto de inserção esteja dentro de uma tabela, o alinhamento será para o texto da célula atual. Tecla de atalho: Ctrl + G Justificar Alinha os parágrafos selecionados tanto a direita como a esquerda, ou seja, aos recuos direito e esquerdo, exceto a última linha. Caso o ponto de inserção esteja dentro de uma tabela, o alinhamento será para o texto da célula atual. . Tecla de atalho: Ctrl + J Espaçamento entre linhas Possibilita alterar a quantidade de pontos em que cada linha de um parágrafo ficará distante das demais. O espaçamento padrão é 1, porém é possível escolher outros valores na lista apresentada. A opção Mais... permite abrir a caixa de diálogo Parágrafo, por meio da qual é possível configurar a formatação completa do parágrafo. Numeração 1. Adiciona ou remove numeração de parágrafos. Quando utilizado a numeração automática os recuos de parágrafos são automaticamente ajustados. Marcadores • Adiciona ou remove marcadores de parágrafos. Quando utilizado marcadores automáticos os recuos de parágrafos são automaticamente ajustados. Barra de Ferramentas Formatação 14 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Diminuir recuo Diminui o recuo dos parágrafos selecionados. Obs: recuo é a distância do texto à margem. Ao se diminuir o recuo o texto se aproxima da margem esquerda. Aumentar recuo Aumenta o recuo dos parágrafos selecionados. Obs: recuo é a distância do texto à margem. Ao se aumentar o recuo, o texto se distancia da margem esquerda. Bordas Adiciona ou remove uma borda ao redor do texto, parágrafos ou células selecionados. Realce Marca o texto de forma que ele fique destacado, com uma moldura colorida em sua volta (como uma caneta marca texto). Ao se clicar no botão o cursor do mouse se transforma em um pincel de realce. Ao se selecionar o texto em que se deseja realçar, o pincel aplicará a cor de realce. Para liberar o cursor, basta clicar no botão Realce novamente ou apertar ESC. É possível selecionar a cor com a qual se deseja realçar o texto. Cor da Fonte Permite formatar a cor do texto selecionado com uma cor escolhida por meio de um conjunto de botões que é aberto. A cor padrão do texto é a automática (preta). Opções da barra de ferramentas Abre um menu por meio do qual é possível adicionar ou remover Botões na barra de ferramentas. Botões de visualização do documento Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 15 • Alternam o modo de visualização da tela principal do Word. – Normal; – Layout da Web; – Layout de Impressão; – Estrutura de Tópicos. – Layout de Leitura; Barra de status • Mostra o Status do arquivo em execução: – Página atual; – Seção Atual; – Número da página Atual/Número Total de páginas 9independente de seção); – Em: Mostra a distância do início da página ao ponto de inserção. – Lin: Mostra a linha do texto em que o ponto de inserção se encontra. – Col: Mostra a distância, em número de caracteres, da margem esquerda ao Controle de Alteração Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 16 ponto de inserção Macro Seleção = F8 Sobrescrever Idioma corrente 35
  38. 38. Barra de Menus - Arquivo Novo: Cria um novo arquivo em branco. Abrir: Abre ou localiza um Arquivo. Fechar: Fecha o Arquivo ativo sem sair do Programa. Salvar: Salva o Arquivo ativo com o seu Nome e Formato atuais. Salvar Como: Salva o Arquivo ativo com um nome de arquivo, localização ou formato de arquivo diferente. Salvar como Página da Web: Salva o arquivo em formato HTML, para que ele possa ser exibido em um navegador da Web. Pesquisar Arquivo: Pesquisa Arquivos no Computador ou Redes. Permissão: Restringe permissões para o Documento. Versões: Salva o Arquivo em outras Versões do Word. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 17 Barra de Menus - Arquivo Visualizar Página da Web: Permite visualizar, no navegador, o Arquivo atual como uma página da Web. Configurar Página: Define margens, Tamanho de Papel, etc. Visualizar Impressão: Mostra qual será a aparência quando impresso. Imprimir: Imprime o Arquivo ativo. Enviar Para: Envia o Documento por E-mail, Fax, etc. Propriedades: Mostra Data Criação, Tamanho, Autor, Tipo, etc. Sair: Sai do Microsoft Word. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 18 Barra de Menus - Editar Desfazer: Desfaz uma ação efetuada. Repetir Novo: Repete uma ação feita. Recortar: Remove uma palavra ou um texto selecionado para a Área de Transferência. Copiar: Copia a seleção para a Área de Transferência. Área de Transferência do Office: Abre a Caixa de Diálogo da Área de Transferência. Colar: Cola o conteúdo da Área de transferência na posição onde se encontra o cursor. Colar Especial: Cola o conteúdo da Área de Transferência num Documento com um formato específico. Colar como Hiperlink: Cola o conteúdo da Área de Transferência como Hiperlink. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 19 Barra de Menus – Editar Limpar: Apaga o texto selecionado. Selecionar Tudo: Seleciona o Documento inteiro. Localizar: Procura texto o formatação especificadas. Substituir: Pesquisa e substitui o texto especificado. Ir Para: Move o ponto de inserção para o local especificado no Documento ativo. Vínculos: Exibe e modifica vínculos num Documento. Objeto: Abre o Aplicativo onde o objeto incorporado e selecionado foi criado. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 20 36
  39. 39. Menus de Comando – Exibir Normal: alterna para a exibição de Documento Padrão. Layout da Web; Alterna o Documento ativo para o modo como será exibido em um navegador da Web. Layout de Impressão: Alterna o Documento ativo para o modo como a aparência que terão quando impressos. Layout de Leitura: Exibe o Documento num layout especial para leitura. Estrutura de Tópicos: Aqui você pode examinar e trabalhar com a estrutura do arquivo no formulário de estrutura de tópicos clássico. Painel de Tarefas:Exibe o Painel de tarefas no lado direito do Documento. Barras de Ferramentas: Exibe ou oculta barras de ferramentas. Régua: Exibe ou oculta a régua horizontal. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 21 Menus de Comando – Exibir Estrutura do Documento: Divide a tela em dois painéis, exibindo o documento á direita e sua estrutura á esquerda. Miniaturas: Exibe miniaturas de cada página num painel á esquerda. Cabeçalho e Rodapé: Adiciona ou altera o Cabeçalho e Rodapé. Notas: Exibe e permite alterar notas de rodapé. Marcação: exibe marcações comentários, alterações controladas, etc. Tela Inteira: Exibe o Word em tela inteira ocultando a Barra de Menus, de Ferramentas, Régua, Barras de Rolagem e Status. Zoom: Controla as dimensões do Documento na Tela. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 22 Painel de Tarefas A partir do Painel de Tarefas que aparece do lado direto da tela, os usuários podem executar buscas, abrir ou iniciar um novo documento, visualizar o conteúdo de sua área de transferência, formatar seus documentos. Menu Exibir Painel de Tarefa. Tecla de Atalho = CTRL + F1 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 23 Área de transferência do Office Área de transferência (Painel de Tarefas) melhorada permite que copiem até 24 informações diferentes de uma só vez. Tecla de Atalho = Ctrl + C duas vezes Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 24 37
  40. 40. Cabeçalho e Rodapé Cabeçalho Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 25 Rodapé Barra de Ferramentas – Cabeçalho e Rodapé Mostra/Oculta o texto do documento Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 26 Insere o número da página Formata o número da página Insere a data atual Navega entre cabeçalho e rodapé Mostra anterior Mostra o número total de páginas Insere a hora atual Configuração da página Mostra próximo Vincular ao anterior Menus de Comando – Inserir Quebra: Insere quebra de página, coluna ou seção no Documento. Números da Páginas: Insere números de páginas. Data e Hora: Adiciona a data e a hora na posição do cursor. AutoTexto: Cria ou insere uma entrada de AutoTexto. Campo: Insere um campo no texto. Símbolo: Insere símbolos e caracteres especiais. Comentário: Insere um comentário no ponto de inserção. Referência: Insere uma referência num item de um documento. Componente da Web: Insere componentes da Web. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 27 Menus de Comando – Inserir Imagem: Insere Clip-arts ou figuras de Arquivo no Documento. Diagrama: Insere um Diagrama no Documento. Caixa de Texto: Insere uma Caixa de Texto no Documento. Arquivo: Insere todo ou parte do Arquivo selecionado no Arquivo ativo no ponto de inserção. Objeto: Insere um objeto (desenho, WordArt, equação, etc.) no ponto de inserção. Indicador: Cria indicadores que você pode usar para marcar o texto, os gráficos, as tabelas ou outros itens selecionados. Hiperlink: Insere um novo ou edita o hiperlink especificado. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 28 38
  41. 41. Menus de Comando – Formatar Fonte: Altera a fonte do texto selecionado. Parágrafo: Altera os recuos de parágrafo, o alinhamento do texto, o espaçamento entre linhas, a paginação e outros formatos de parágrafo. Marcadores e Numeração: Adiciona marcadores ou números aos parágrafos selecionados. Bordas e Sombreamento: Adiciona bordas e sombreamento a texto, parágrafos, páginas, células da tabela ou figuras selecionadas. Colunas: Permite definir a quantidade de colunas de um texto. Tabulação: Controla a posição e alinhamento das tabulações e determina os tipos de caracteres de preenchimento. Capitular: Formata uma carta, palavra ou texto selecionado com a primeira letra maiúscula grande. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 29 Menus de Comando – Formatar Direção do Texto: Define a direção do texto da célula de uma tabela. Maiúsculas e Minúsculas: Altera os caracteres para maiúsculas ou minúsculas. Plano de Fundo: Define a cor e o preenchimento do fundo do Documento. Tema: Aplica ou remove um tema do Documento. Quadros: Controla o tamanho e a posição horizontal e vertical de uma moldura selecionada. Auto Formatação: Formata o Documento aplicando o estilo do modelo anexado. Estilos e Formatação: Revisa, edita, cria ou aplica estilos aos parágrafos selecionados. Revelar Formatação: Abre uma caixa de diálogo mostrando a formatação do Documento. Objeto: Abre uma caixa de diálogo de formatação de objetos Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 30 Menus de Comando – Formatar Parágrafo 31 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Menus de Comando – Ferramentas Ortografia e Gramática: Verifica se o documento possui erros de ortografia, gramática e estilo de redação e exibe sugestões para corrigi-los. Pesquisar: Abre caixa de diálogo de Pesquisa. Idioma: Atribui o idioma do texto selecionado em um arquivo que contém mais de um idioma. O verificador ortográfico usará automaticamente o dicionário do idioma atribuído. Contar Palavras: conta o número de páginas, caracteres, parágrafos e linhas do Documento. Auto Resumo: Cria um resumo automático do Documento. Insere sinopse ou síntese ou cria novo Documento e armazena o resumo nele. Espaço de Tamanho Compartilhado: Se conecta a Web permitindo compartilhar o Documento. Controlar Alterações: Permite realçar as alterações feitas no Documento cabendo ao Usuário aceitá-las ou rejeitá-las. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 32 39
  42. 42. Menus de Comando – Ferramentas Comparar e Mesclar Documentos: Mescla um Documento ou Sub-Documentos no Documento atual. Proteger Documento: Protege o Documento. Colaboração On-Line: Permite reuniões on-line através do NetMeeting. Cartas e Correspondências: Abre o assistente de carta. Macros: Neste menu você pode executar, editar ou excluir uma macro. Modelos e Suplementos: Permite criar, editar e administrar itens e componentes de modelos. Opções de Auto Correção: Permite configurar palavras para serem auto-corrigidas se forem digitadas incorretamente. Personalizar: Personaliza os botões da Barra de Ferramentas, Comandos de Menu e teclas de Atalho. Opções: Modifica as configurações do Word. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 33 Menus de Comando – Tabela Desenhar Tabela: Insere uma tabela onde você arrastar no Documento. Inserir: Permite inserir uma tabela no Documento. Excluir: Permite excluir células, linhas ou colunas selecionadas ou a própria tabela. Selecionar: Permite selecionar colunas, linhas, células ou a própria tabela. Mesclar Células: No Microsoft Word e no Microsoft PowerPoint, combina o conteúdo das células adjacentes selecionadas em uma única célula. Dividir Células: Divide a célula horizontalmente ou verticalmente em múltiplas células. Dividir Tabela: Divide a tabela horizontalmente no ponto de inserção. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 34 Menus de Comando – Tabela Auto Formatação de Tabela: Aplica automaticamente formatos a uma tabela. Auto Ajuste: Permite ajustar a tabela conforme o conteúdo. Repetir Linhas de Título: Repete automaticamente o titulo da tabela que se estender por mais de uma página. Converter: transforma um texto numa tabela ou uma tabela em texto. Classificar: Organiza as informações nas linhas ou listas selecionadas em ordem alfabética, numérica ou por data. Fórmula: Permite a realização de cálculos com os dados da tabela. Ocultar Linhas de Grade: Visualiza ou oculta as linhas de grade. Propriedades da Tabela: Permite configurar a posição da tabela, bordas, largura da coluna, etc Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 35 40
  43. 43. Informática para Concursos 1 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo E-mail: funabashi.daniel@gmail.com Microsoft Office 2007 • É uma versão do Microsoft Office, parte da família Microsoft Windows de programas de escritório. • A versão 2007 oferece inovações para aumentar produtividade e rapidez. • As melhorias começam pela interface dos aplicativos tradicionais como Word, Excel, PowerPoint, Access e Outlook. Operações de edição e formatação demoram menos tempo para serem realizadas, assim gastamos tempo com tarefas mais importantes. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 2 • Novas funcionalidades, tais como: • Nova interface gráfica chamada Fluent User Interface, substituindo os menus e barras de ferramentas por; • Botão de menu central, conhecido como o “Botão Office”. • Barra de ferramentas de acesso rápido • Faixas de Opções Microsoft Office 2007 - Botão Office • Botão de menu central, conhecido como o “Botão Office”. • Comandos do “Botão Office” • Novo • Abrir • Salvar • Salvar Como • Imprimir • Preparar • Enviar • Publicar • Fechar Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 3 Microsoft Office 2007 – Acesso Rápido • Barra de ferramentas de acesso rápido. • Pequena área que dispõe das funcionalidades utilizadas com maior frequência. • Pode-se personalizar essa Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 4 área para contemplar os favoritos de cada usuário, independentemente de qual guia esteja selecionada. • Por padrão esta área apresenta as opções Salvar, Desfazer e Repetir 41
  44. 44. Microsoft Office 2007 – Faixa de Opções • Faixa de Opções: criada para ajudar a localizar rapidamente os comandos necessários para executar uma tarefa. Os comandos são organizados em Grupos Lógicos reunidos em Guias. Cada guia está relacionada a um tipo de atividade como gravação ou disposição de uma página. • 1 – Guias: projetadas para serem orientadas às tarefas • 2 – Grupos: os grupos de cada guia dividem a tarefa em subtarefas e cada grupo pode conter o iniciador de caixa de diálogos • 3 – Comandos: botões de comando de cada grupo e executam um comando Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 5 ou exibem um menu de comandos). 6 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo E-mail: funabashi.daniel@gmail.com Word 2007 • Ferramenta da Família Microsoft Office que permite o tratamento de textos, também denominado Processador de Texto. • Principais Características: – Formatação Avançada de Texto. – Inserção de objetos (Imagens, Som, Vídeos, etc...). – Manipulação de Tabelas. – Elaboração documentos modelos. – Macros para automatizar tarefas. • Na versão 2007 o usuário pode gastar mais tempo escrevendo e menos tempo formatando, pois conta com a nova dinâmica no uso do aplicativo que agrupa as ferramentas por tarefas através da Faixa de Opções. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 7 Word 2007 - Tela Inicial Barra de Títulos Barra de Ferramentas Guias de Acesso Rápido Botão Office Réguas Botões de Faixa de Opções Controle Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 8 Barra de Status Área de Trabalho Barra de Status 42
  45. 45. Word 2007 - Guias • Permitem alcançar todas as funcionalidades do Word. • Com o auxílio da Tecla ALT é possível acessar as guias através do teclado: – Alt + A Botão Office – Alt + 1 ou 2 ou 3 Acessa os botões da barra de ferramentas de acesso rápido – Alt + C Guia Início – Alt + Y Guia Inserir – Alt + P Guia Layout da Página – Alt + S Guia Referências – Alt + O Guia Correspondências – Alt + V Guia Revisão – Alt + J1 Guia Exibição – Alt + FJ Guia Formatar Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 9 Word 2007 – Mini Barra de Ferramentas Mini barra de ferramentas • Para facilitar a formatação básica do documento o Word 2007 disponibiliza uma Mini barra de ferramentas. Essa mini barra é habilitada de forma “desbotada” quando selecionamos uma parte do texto. Basta posicionar o mouse sobre essa barra que ela fica disponível para uso. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 10 Word 2007 - Barra de Títulos Ao iniciar o aplicativo o Word abre uma Página em branco a qual é atribuída, por Padrão, o nome de “Documento 1” (centralizado na Barra de Títulos) Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 11 Word 2007 – Salvar Como • Ao salvar um documento novo (não salvo anteriormente) será aberta à janela “Salvar Como”. • A janela “Salvar Como” disponibiliza, entre ouras opções: Nome do documento Escolha do tipo de arquivo a ser armazenado. O padrão é arquivo do tipo docx, onde x representa XML (Extensible Markup Language) e proporciona, entre outros benefícios: Tecnologia de compactação zip para armazenar os arquivos. Assim os arquivos são compactados automaticamente e, em alguns casos, podem ficar até 75 por cento menores. Recuperação avançada de arquivos danificados, ou seja, mesmo que um componente no arquivo (por exemplo, um gráfico ou uma tabela) esteja danificado ou corrompido ele será aberto. Outros tipos de arquivos também podem ser utilizados para salvar um documento. Caso necessário armazenar um documento para que este seja aberto em versões anteriores do Word o usuário deve optar pela opção “Documento do Word 97-2003”, o qual será salvo apenas como “doc”. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 12 43
  46. 46. Word 2007 - Réguas • Réguas: para verificar em que posição está o texto em relação às margens esquerda, direita, superior e inferior. Por meio do clique do “mouse” é possível ajustar o tamanho das margens da página. Margem Esquerda Margem Direita Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 13 Margem Superior Margem Inferior • Para exibir/ocultar réguas: Guia Exibição, Grupo Mostrar/Ocultar, Comando Régua Word 2007 – Caixa de Controle • Caixa de controle da janela do Word • Restaurar: Restaura a janela ao seu tamanho original; • Mover: Possibilita a movimentação da página. • Tamanho: Possibilita a definição de tamanho para a janela aberta. • Minimizar: Recolhe a janela na barra de tarefas do Windows. • Maximizar: Ocupa todo o espaço disponível para exibição. • Fechar: Fecha a janela. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 14 Word 2007 - Barra de status • Mostra o Status atual do arquivo em execução: – Número da Página Formatado: Apresenta o número da página que o Word estiver exibindo na tela. – Seção: Apresenta o número da seção que o Word estiver exibindo na tela. – Número de Página: Apresenta o número da página que o Word estiver exibindo na tela e o número total de páginas do documento. – Posição da Página Vertical: Exibe a posição vertical do cursos do mouse a partir da parte superior da página. – Número de Linha: Mostra o número da linha da página do documento em que o curso Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 15 do mouse estiver posicionado. – Coluna: Mostra o número da coluna da página do documento em que o curso do mouse estiver posicionado, a partir da margem esquerda. – Contar Palavras: Exibe a quantidade de palavras digitadas no documento. – Verificação Ortográfica e Gramatical: Mostra se existem ou não supostos erros de ortografia e gramática. – Idioma: Mostra o idioma que está sendo utilizado no documento. Word 2007 - Barra de status • Mostra o Status atual do arquivo em execução: – Controlar Alterações: Mostra se o documento em edição está com o controle de alterações ativado ou desativado. – Caps Lock: Mostra se a tecla Caps Lock está ativada ou não. – Sobrescrever: Mostra se o modo sobrescrever está ou não habilitado. O modo sobrescrever serve para que ao alterarmos um texto o Word “não empurre” as letras subseqüentes e sim escreva “por cima”. Esse modo é ativado/desativado pela tecla Insert do teclado. – Modo de Seleção: Mostra o modo de seleção por teclado está ou não ativado. Para ativar o modo de seleção pelo teclado deve-se pressionar a tecla F8. – Gravação de Macro:Mostra se o documento em edição possui macros. – Exibir Atalhos: Mostra/oculta os modos de exibição do documento. O Word 2007 possui os modos: Layout de Impressão, Leitura em Tela Inteira, Layout da Web, Estrutura de Tópicos e Rascunho. – Zoom: Apresenta o nível de zoom, em percentual de exibição, do documento em edição. O nível de zoom alterna entre 10% e 500%. – Controle Deslizante de Zoom: Exibe uma barra deslizante para que o usuário possa Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 16 selecionar o nível de zoom. 44
  47. 47. Word 2007 - Guias Guia Início Guia Inserir Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 17 Guia Layout da Página Word 2007 - Guias Guia Referências Guia Correspondências Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 18 Guia Revisão Word 2007 - Guias Guia Exibição Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 19 45
  48. 48. Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo E-mail: funabashi.daniel@gmail.com 1 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Microsoft Office Excel 2007 Ferramenta da Família Microsoft Office que tem como características: • Funções, que podem ser utilizadas para criar fórmulas para executar cálculos complexos • Funções de banco de dados, para organizar, armazenas e filtrar dados • Gráficos dinâmicos; um grande número de opções de gráficos em 2D e 3D • Macros, para a gravação e execução de tarefas repetitivas Ferramenta útil em diversas áreas de uma empresa: • Administrativa • Comercial • Financeira 2 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo • Pesquisa Excel 2007 - Área de Trabalho Barra de Fórmulas Caixa de Nome: Indicador da Célula Ativa Célula Ativa Indicador da coluna 3 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Indicador da Linha Planilhas Excel 2007 - Conceitos Iniciais Pasta de Trabalho – É o nome dado ao arquivo de trabalho no Excel. Planilha Eletrônica • É uma tabela do Excel onde as informações são organizadas na forma de uma matriz de duas dimensões. • Estas informações podem estar representando: Valores numéricos, Textos, Datas e Funções. • Tamanho da planilha: 1.048.576 linhas por 16.384 colunas (até coluna XFD) Célula • Intersecção de uma coluna por uma linha. • É referenciada pela letra da coluna seguida pelo número da linha. 4 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Ex: A1 46
  49. 49. Excel 2007 – Barra de Fórmulas Barra de Fórmulas: permite que um conteúdo seja incluído ou alterado dentro de uma célula • Podemos incluir ou alterar o conteúdo de uma célula clicando com o botão esquerdo do mouse na barra de fórmulas e digitando o conteúdo desejado. Caso o conteúdo digitado comece com o sinal de igual(=) o Excel entende que trata-se de uma fórmula. Fórmula: sequência de valores, referências de células, nomes, funções ou operadores em uma célula que juntos produzem um novo valor. Uma fórmula sempre começa com um sinal de igual (=) e pode ser digitada diretamente na célula ativa ou na barra de fórmulas. Barra de Fórmulas 5 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Excel 2007 - Ajustando Linhas e Colunas Ajuste Manual Clicar, Segurar e Arrastar! Auto ajuste 6 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Duplo clique do Mouse na divisão entre colunas ou linhas Excel 2007 - Renomeando Planilhas Mudando o Nome da Planilha Botão direito do Mouse 7 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Renomear Duplo clique do mouse Excel 2007 - Células e Intervalos Alça de preenchimento Dois pontos (:) Lê-se “Até” Ponto e Vírgula (;) Lê-se “e” Célula Ativa A1:B3 Caixa de Nome A1;B3 Intervalo de células 8 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 47
  50. 50. Excel 2007 - Referências Referências: refere-se a uma célula ou um intervalo de células em uma planilha e informa ao Excel onde procurar pelos valores ou dados a serem usados em uma fórmula. Existem situações em que o é exibido em uma célula nem sempre é exatamente o conteúdo digitado! Para verificarmos o que realmente está digitado na célula é necessário verificar o conteúdo da célula através da barra de fórmulas ou entrar na célula em modo de edição. É o caso de quando se faz uso de referências. Verificação pela Barra de Fórmulas Verificação pela Conteúdo Digitado “Fórmula” Edição da Célula Valor exibido 9 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Excel 2007 - Referências Referência Relativa • Possibilita referenciar outras células Exemplo: = A1 Referência a outras planilhas • Possibilita referenciar outras células de outras planilhas. Exemplo: = Plan1!A1 Referência Externa • Possibilita referenciar outras células de outras planilhas e de outras pastas de trabalho Exemplo: = [Pasta1]Plan1!A1 É indiferente usar maiúscula ou minúscula no endereço de célula. 10 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Excel 2007 – Principais Comandos Classificação crescente/decrescente: Permite colocar uma lista de nomes em ordem alfabética (de A a Z ou de Z a A), números (dos menores para os maiores ou dos maiores para os menores) e datas e horas (da mais antiga para o mais nova e da mais nova para o mais antiga) em uma ou mais colunas. Classificação Crescente pela coluna Aluno Classificação Decrescente pela coluna Aluno Obs: Ordem de predecessão: Números, datas, textos, valores lógicos e células vazias! 11 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Excel 2007 – Principais Comandos Mesclar e Centralizar: Junta diversas células adjacentes em apenas uma célula, centralizando os dados. A referência de célula para uma célula mesclada é a célula superior esquerda no intervalo original selecionado. Célula A1 12 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 48
  51. 51. Excel 2007 – Principais Comandos Formato de Número: essa caixa de seleção tem como padrão a seleção “Geral”, mas podemos escolher como os valores de uma célula serão exibidos. Os principais são: Moeda, Percentual, Data e Hora. Formato de Número de Contabilização: possibilita que a(s) célula(s) selecionada(s) recebam uma unidade monetária. Também é possível a escolha de um formato alternativo de unidade monetária, como exemplo, podemos escolher Dólares ou Euro ao invés de Real. 13 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Excel 2007 – Principais Comandos Estilo de Porcentagem: exibe o valor da(s) célula(s) selecionada(s) como percentual. Separador de Milhares: exibe o valor da(s) célula(s) selecionada(s) com um separador de milhares. Este comando apenas altera o formato da(s) célula(s) selecionada(s) para contábil sem um símbolo de moeda. 14 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Excel 2007 – Principais Comandos Aumentar Casas Decimais: Mostra os valores da(s) célula(s) selecionada(s) com mais casas decimais, proporcionando a exibição dos valores de forma mais precisa. Diminuir Casas Decimais: Mostra os valores da(s) célula(s) selecionada(s) com menos casas decimais, proporcionando a exibição dos valores de forma menos precisa. 15 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Excel 2007 - Trabalhando com Fórmulas O Excel têm Funções pré-definidas que auxiliam a escrever Fórmulas freqüentemente usadas e/ou Fórmulas Complexas. Lembrando: Toda fórmula TEM que começar com sinal de igual (=). Toda função exige parênteses Toda função possui um NOME Funções podem ter argumentos: Um número, um texto, uma referência a Célula, um ou mais argumentos separados por Ponto e Vírgula (;) Exemplos: = Hoje() = Agora() = Raiz(16) 16 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Exemplos: = A1 + A2 + A3 = (5 + 4) / 3 = PI( ) * A2 ^ 2 49
  52. 52. Excel 2007 - Operadores Operadores Aritméticos Operador Realiza Exemplo + Adição =A1+B1 - Subtração =A1-B1 Operadores de Comparação Operador Descrição = Igual Maior que / Divisão =A1/B1 * Multiplicação =A1*B1 % Percentual =A1*20% ^ Exponenciação =A1^4 Operadores de Referência Operador Descrição : (dois pontos) até Menor que = Maior ou igual que = Menor ou igual que Diferente de Ordem de Precedência Operador ( ) 17 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo ; (ponto e vírgula) e Operadores de Texto Operador Descrição Concatena texto % ^ * e / + e - Excel 2007 – Funções Básicas • =SOMA(B2:B4) • =MÉDIA(B2:C3) • =CONT.NÚM(C2:C4) • =MÁXIMO(C2:C4) • =MÍNIMO(B2:B4) 18 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Excel 2007 - Exemplo de Planilha 19 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Dados digitados Exemplo de Planilha Dados Calculados 20 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 50
  53. 53. Exemplo de Planilha =MÉDIA(B2:E2) 21 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Exemplo de Planilha - Referência Relativa =MÉDIA(B2:E2) =MÉDIA(B3:E3) =MÉDIA(B4:E4) =MÉDIA(B5:E5) =MÉDIA(B6:E6) =MÉDIA(B7:E7) Ao copiar a fórmula da célula F2 para as células do intervalo F3 até F7, a referência à célula F2 automaticamente é atualizada. 22 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Exemplo de Planilha - Referência Relativa =MÉDIA(B2:B7) =MÉDIA(C2:C7) | ... ... ... | =MÉDIA(G2:G7) Ao copiar a fórmula da célula F2 para as células do intervalo F3 até F7, a referência à célula F2 automaticamente é atualizada 23 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Exemplo de Planilha - Referência Relativa 24 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 51
  54. 54. Exemplo de Planilha - Referência Mista =F2+H$9 25 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Exemplo de Planilha - Referência Mista =F2+H$9 =F3+H$9 =F4+H$9 =F5+H$9 =F6+H$9 =F7+H$9 Referência mista refere-se a células com posição fixa. Quando copiar e colar, não atualizará o endereço. O símbolo $ serve para BLOQUEAR um determinado “campo”. Caso exista a situação de bloqueio tanto na coluna como na linha, denomina-se de REFERÊNCIA ABSOULTA. Ex: =$F$2 26 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Referência Mista Exemplo: Na célula C3 foi escrito =A3+$B3, depois de arrastar pela Alça de Preenchimento atingimos, na célula E3, o valor: a) = C3 + $B3 b) = A3 + B3 c) = C3 + $D3 d) = C3 + D3 e) = A3 + $D3 27 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Exemplo de Planilha – Função SE =SE(G2=6,75;Aprovado;Reprovado) Menu Formatar Formatação Condicional 28 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 52
  55. 55. Exemplo de Planilha – Função MÉDIASE =MÉDIASE(H2:H7;Aprovado;G2:G7) Menu Formatar Formatação Condicional 29 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Excel 2007 - Filtro de Dados 30 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Excel 2007 – inserir Gráficos 31 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 53
  56. 56. Políticas de Segurança Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo E-mail: funabashi.daniel@gmail.com 1 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Políticas de Segurança • Quando você envia dados através da rede a comunicação pode ser interceptada e seus dados caem nas mãos do interceptador. Como proteção, uma política de segurança específica e personalizada deve ser adotada. • Conjunto de regras e práticas que regulam como uma organização gerencia, protege e distribui suas informações e recursos. • Atribui direitos e responsabilidades ás pessoas que lidam com os recursos computacionais de uma instituição e com as informações nela armazenadas. • Dita as regras: “o que deve ser feito e por quem pode ser feito”. 2 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Políticas de Segurança Atributos básicos, segundo os padrões internacionais (ISO/IEC 17799:2005) são os seguintes: •• Confidencialidade: garantir que a informação seja acessível somente para aqueles que tenham a devida autorização. • Autenticidade: capacidade de garantir a identidade de uma pessoa que acessa as informações do sistema ou de um servidor com quem se estabelece uma transação (de comunicação, como um e-mail ou uma venda on-line). • Integridade: garantir a precisão das informações e dos métodos de processamento aos quais ela é submetida. • Disponibilidade: garantir que os usuários autorizados tenham acesso às informações quando necessário. • Não Repúdio: assegura que nem o emissor nem o receptor, de uma 3 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo informação, possam negar o fato. Principais Invasores Invasor Objetivos Estudante Divertir-se vasculhando E-mails, roubando senhas, etc. Hacker Indivíduo com conhecimentos elevados de computação e segurança, que os utiliza para fins de diversão ou interesse. Em geral, hackers não destroem dados e não buscam ganhos financeiros. O termo hacker é atualmente adotado pela mídia de forma indiscriminada, se referindo a crackers por exemplo. Cracker Indivíduo com conhecimentos elevados de computação e segurança, que os utiliza para fins criminosos, destruição de dados ou interrupção de sistemas. Lammer São os indivíduos que se acham hakers, mas estão ainda no 4 estágio inicial de aprendizado. Homens de negócios Descobrir planos e estratégias de marketing do concorrente. Ex-empregado Vingar-se por ter sido despedido. Espião Conhecer a tecnologia do inimigo. 54
  57. 57. Principais Ameaças e Ataques Vírus de computador • É um programa (software) como outro qualquer, com um único diferencial: – Seu código é nocivo aos sistemas operacionais e aplicativos. Uma vez executado ele passa a ficar ativo na memória do computador e é feita uma cópia de seu código para dentro da unidade de armazenamento (disquete, disco rígido, etc...) onde serão rodadas suas instruções nocivas no sistema infectado. 5 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo Principais Ameaças e Ataques Vírus de Computador. Infecção: como acontece ? • Vírus por Pendrive –– O criador do vírus grava seu código destrutivo em um dispositivo de armazenamento e executa-o em máquinas que são usadas por várias pessoas. Ex.: Cyber Café, empresas etc. – O próximo usuário a utilizar o computador infectado, entrará com seu dispositivo de armazenamento e o vírus que já está carregado na memória, se auto copiará ocultamente para o esse dispositivo, gerando assim mais um “hospedeiro”. 6 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo • Vírus por e-mail – Forma mais eficiente de se disseminar um Vírus. Ao abrir um anexo de uma mensagem será iniciado o processo de execução das instruções contidas em seu código. Principais Ameaças e Ataques • Vírus de Boot (Vírus de Sistema) – Infecção de códigos executáveis localizados no setor de inicialização, tanto de disquetes, quanto de discos rígidos. –– As unidades de armazenamento reservam uma parte de seu espaço para informações relacionadas à formatação do disco, além de um pequeno programa chamado “Bootstrap”. – Desta forma, os vírus são carregados e executados toda vez que ocorrer um boot. Após terem sido carregados, eles carregam o código de boot original, o qual foi deslocado pelo vírus para outra localidade. • Vírus de Arquivo (Vírus de Programa) – Principal missão é a infecção de arquivos executáveis, geralmente os 7 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo arquivos de extensão EXE e COM. – Um dos arquivos mais visados é o COMMAND.COM, que é um dos arquivos do sistema operacional com maior índice de execução. Principais Ameaças e Ataques • Vírus de Macro – Responsável por criar e executar macros (automatização) no Microsoft Office. • Time Bomb – Os vírus do tipo bomba-relógio são programados para se ativarem em determinados momentos, definidos pelo seu criador. Uma vez infectando um determinado sistema, o vírus somente se tornará ativo e causará algum tipo de dano no dia ou momento previamente definido. Alguns vírus se tornaram famosos, como o Sexta-Feira 13“. • Vírus no Orkut – Capaz de enviar scraps (recados) automaticamente para todos os contatos da vítima na rede social, além de roubar senhas e contas bancárias de um micro infectado através da captura de teclas e cliques. 8 Prof. Daniel Eduardo Funabashi de Toledo 55

×