Ambitur junho 2015 nelson carvalheiro

712 visualizações

Publicada em

M

Publicada em: Turismo
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
712
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ambitur junho 2015 nelson carvalheiro

  1. 1. Desde 1980 Madeira Excelência de serviços e utensílios para hotelaria sifar@sifar.pt Magazine de Profissionais de Turismo | Junho 2015 | nº 281 | Director: Pedro Chenrim | www.ambitur.pt Publicaçãomensal-AnoXXIV-Preço10Euros(IvaIncluído) entrevista Vítor Silva, ARPT Alentejo “O turismo é hoje uma das alavancas para que o Alentejo não colapse„ Destaque Hotelaria Quatro estrelas “invadem” território português Travel & LifeStyle the choices of...as escolhas de... Norte de Portugal Northern Portugal Gastronomia, cultura e natureza fidelizam turistas Gastronomy, culture and nature make tourists want to come back SaraSalgado Edição no interior Distribuição Quadrante Operador comemora 20 anos continuando aposta em novos destinos
  2. 2. Sumário | 3Sumário | 3 Medalha de Ouro de Mérito Turístico Administradora: Teresa Fernandes Editor: Pedro Chenrim redacção: Rute Elias Chenrim, Inês Gromicho, Raquel Pedrosa Loureiro Colaboradores: Célia Marques, Cláudia Silveira design editorial: AnaRitaFernandesfotografia: RaquelWise;AinhoaSanchezeIanRoman(VolvoOceanRace) sede, administraÇÃo, redacÇÃo, publicidade: ATM - Edições e Publicidade, Lda - Av. Infante Santo, 343 - r/c esq. 1350 - 177 Lisboa Tel.: 213 954 110 Fax: 213 953 070 EMAIL REDACÇãO: atm.ambitur@mail.telepac.pt Email comercial: comercial.ambitur@mail.telepac.pt impressão: MX3 - Artes Gráficas, Lda distribuição: A.T.M. - Edições e Publicidade, Lda. Tel.: 213 954 110 site www.ambitur.pt A Ambitur não escreve ao abrigo do Novo Acordo Ortográfico. Inscrição na Direcção de Comunicação Social sob o nº 114713 com dep. legal 21471290 - ISN 0872-2714 4 Actualidade Booking.com celebra 10º aniversário em Portugal A Booking.com chegou a Portugal em 2005 pela mão de Louise Li- jmbach. Na altura, ainda com "sede" em Loulé, o site de reserva de hotéis contava com apenas 85 unidades associadas em Portugal. Vítor Silva recebeu a Ambitur para uma conversa sem pressas sobre o turismo no Alente- jo. O presidente da Agência Regional de Promoção Turística do Alentejo fez questão de frisar que o turismo é uma das ferramentas essenciais desta região... 10 Entrevista "O turismo é hoje uma das alavancas para que o Alentejo não colapse" 25 Hotelaria Quatro estrelas “invadem” território português - De Amarante a Leiria, passando por Lisboa e voando até aos Açores damos-lhe um "cheirinho" do que estão a ser as apostas das unidades que têm surgido, nos últimos meses, em Portugal. ãofoiocargo depresidente daAgênciaRegional dePromoçãoTurística doAlentejoqueo levouaconhecer mundo.Jáconhecia outrasrealidadesantes deseaventurarno caminhoassociativoe terdecididoabraçaro desafiodasuavida:levar oturismodoAlentejo pelomundofora.VítorSilvaédosrostosquetemtrabalhado namudançadeparadigmadepromoçãoparapromoção/ comercialização,procurandoenvolverosprivadosdaregião emproldeumobjectivocomum,eéoGrandeEntrevistado destaedição. Pessoapragmática,politicamenteincorrecta,comosedefine, étambémpeculiarnamaneiracomoobservaomundo, nãoreceandoafirmarnãodarnadaporgarantido,poispõe emcausatodososdiastudoaquiloemqueacredita.Sendo umcristãosemfé,procuraestarbemconsigoecomoque orodeia,nãohesitandoemafirmarquedevia“pagarpelo quefaz”,poisturismoéviajareviajaréaquiloquelhedámais prazer.Mas,nofim,éasuacidadequeoacolhesempreeque ofazafirmarqueoAlentejonãoésóparasevisitar,éparase viver. VítorSilvatambémapontaodedoàirrealidadecomqueo Governotrataasempresasdosector.Poisseaactividade cresceemestatísticaseemvalorfinanceiro,esteresultadoé consumidopeloEstadocomoaumentodacargafiscalque severificou.Ouseja,asempresasfacturammais,trabalham mais,masaprodutividadenãoestáaficarparaasempresas, empresáriosoutrabalhadores. Paradoxalmente,seoGovernonãotempejoemelogiaro esforçodosprivadosparaocrescimentodaactividade,por outroladotêmsidoestesosprincipaisganhadoresdestanova realidade.UmaideiatambémdefendidaporCastelãoCosta, CEOdasPousadasdePortugal,narecenteinauguraçãoda PousadadeLisboa,naocasiãoemqueoMinistropropôsao sectorquepartilhemoaumentoeresultadoscomosseus colaboradores.OTurismo,alémdebandeiraparaoactual Governo,continuaaseruma“muleta”económicapreciosa,a chamada“galinhadosovosdeouro”. N A galinha dos ovos de ouro” “ Pedro Chenrim
  3. 3. 4 | Actualidade Booking.com celebra 10º aniversário em Portugal com mais hotéis e reservas Booking.comchegoua Portugalem2005pelamão deLouiseLijmbach.Naaltura, aindacom"sede"emLoulé,osite dereservadehotéiscontavacom apenas85unidadesassociadas emPortugal."Oprimeirocontrato queassineiemPortugalfoicomo grupoSanaedepoiscomoTivoli", relembraLouiseLijmbach,que participounomaisrecentealmoço mensaldaAssociaçãodaHotelaria dePortugal,acrescentandoque hojearealidadeébemdiferente. Nonossopaísexistemjámaisde novemilunidadesdealojamento agregadasaestewebsite.Nos doisescritóriosdaBookingem Portugal,LisboaeFaro,trabalham actualmente33colaboradores. Namesmaocasião,Ricardo Afonso, responsáveldoescritório deLisboa, deucontadosdados maisrecentesdaBookingna capital portuguesa.AtéMaio desteano, Lisboaregistaum aumento de33%nasreservas, 32% nasroomnightse5%no preço médio, faceaomesmo A períodode2014.SeemMaio de2014,porexemplo,opreço médiodeLisboafoide119euros, esteanoéde118eurose,no entanto,alertaoresponsável,o "anopassadotivemosoeventoda UEFAquecondicionoubastante". ABooking.comestimaque,em Junho,opreçomédioascenda aos119euros,contraos94euros de2014,chegandoaos104euros emJulho,contraos92eurosdo anopassadoe,emAgosto,aos 103euros,faceaos95eurosde 2014.Nototal,Lisboaapresentará, em2015,umpreçomédio aproximadode103eurosfaceaos 95eurosde2014,afirmaRicardo Afonso,acrescentandoquea estadiamédiaéde2,5noites. Dandocontadaimportânciado mobile,querepresentajá35%do volumedevendasdaBooking, oresponsávelacrescentaainda queosprincipaismercados daBookingemPortugalsãoo nacional,oespanholeofrancês, eemterceirolugarobrasileiroeo italiano.« Louise Lijmbach n No próximo dia 1 de Julho entra em vigor, na França, Itália e Suécia, a nova cláusula de paridade de preços da Booking que declara que os hotéis apenas têm que garantir que os preços que apresentam nos seus websites não são mais baixos que os apresentados neste site de reservas, podendo nos outros canais de distribuição, apresentar outros valores. Segundo LouiseLijmbach, "a intenção da Booking.com é eliminar a cláusula de paridade em todos os países da Europa", no entanto, a data em que esta medida chegará a Portugal não é ainda conhecida. Booking modifica "cláusula de paridade" de preços figuras do mês António Pires de Lima Ministro da Economia “80% dos alunos das escolas de Hotelaria e Turismo têm emprego no primeiro mês", in ambitur.pt Paulo Portas Vice-primeiro-ministro “Se há um sector que tem surpreendido os cépticos é o turismo””, in ambitur.pt Fernando Medina Pres. Câmara de Lisboa Adolfo Mesquita Nunes Sec. Estado Turismo "O que estamos a querer transmitir à Volvo Ocean Race é que podem confiar em Lisboa", in ambitur.pt "O turismo é um desafio e não um problema, uma oportunidade e não um ónus que os vários agentes nacionais e locais têm", in ambitur.pt Pestana quer chegar perto dos 100 hotéis em três anos GrupoPestanaquer acelerarocrescimentoe, paraospróximosdoisatrêsanos, prevêacrescentarmais10hotéisao seuportfólio.Estemêsinaugurou aPousadadeLisboa–Praçado Comércio,quecompletaassimas 87unidadeshoteleirasdogrupo madeirenselideradoporDionísio Pestana,contribuindocom90 quartosparaos10.500emcarteira. Mas,segundoJoséCastelão Costa,presidentedasPousadasde Portugal,oobjectivoécontinuar acresceratéchegaraos12.800 quartosnumprazodetrêsanos, umaumentoqueserátambém ajudadopelasampliaçõesprevistas eemcurso. Esteanoseráavezde abrironovoPestanaSouthBeach Alvor,noAlgarve,bemcomode reabriroPestanaVintagePorto, naInvicta,quefoialvodeuma ampliação.EmLisboainiciam-se asobrasdemaisumaunidade,na RuadoComércio,eogrupoavança tambémparaaremodelaçãodas pousadasdoAlentejo. Maisnovidadesdestaveznos Açores,comoarranqueda remodelaçãodoPestanaBahia Praia,emSãoMiguele,naMadeira começamasobrasdeumnovo PestananapraçadoMar,no Funchal.Parabreveestátambém oiníciodaconstruçãodeumnovo hotelemTróia. Láfora,Castelão Costaprometeu,nodiscursode inauguraçãodanovaunidade lisboeta,novoshotéisemNova Iorque,Amesterdão,Marraquexe, MadrideRiodeJaneiroaté2018.« O Castelão Costa
  4. 4. 6 | Actualidade Albano Rosa O profissional assumiu a Direcção de Operações dos Hotéis Solverde, mantendo as actuais responsabilidades de Direcção do Hotel Algarve Casino. em trânsito Vinicius Lummertz O responsável é o actual presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo). Formado em Ciências Políticas, o profissional estava no Ministério do Turismo desde Setembro de 2012. Tiago Bonito Tiago Bonito é o Chef Executivo da Pousada de Lisboa. Aos 28 anos, o profissional estagiou já no restaurante Vila Joya, no restaurante Alinea, em Chicago e no restaurante D.O.M., no Brasil. Mio Massimiliano AMSCCruisestemumnovo ChiefLegalOfficer.Massimiliano Miotrabalhaemdireitomarítimo internacionalhájá20anos,tendo desempenhadorecentementefunções deDirectorJurídiconaRINAS.p.A.. “A CTP vai exigir menos carga fiscal para o turismo” sta foi uma das mensagens passadas por Francisco Calheiros ao assumir o seu segundo mandato como presidente da Confederação do Turismo Português no passado mês de Maio. O responsável deixou ainda um aviso aos governantes presentes na tomada de posse dos novos órgãos sociais da CTP – entre os quais o vice- primeiro-ministro Paulo portas, o ministro da Economia Pires de Lima ou o secretário de Estado do Turismo Adolfo Mesquita Nunes - ao frisar que “a CTP que tudo deu e nada exigiu acabou no final deste mandato”, sublinhando que irá continuar com “a luta para que o Turismo seja ouvido pelo Governo. E Elogiando os empresários nacionais do sector, a quem chama de “verdadeiros heróis” que nem sempre conseguiram acompanhar os desempenhos e resultados do turismo nos últimos dois anos, Francisco Calheiros afirma não irá baixar os braços e que irá “exigir menor carga fiscal para o turismo”, sobretudo no que diz respeito ao IVA da restauração e no golfe, bem como na questão dos custos de contexto. Para este mandato, os eixos de actuação da renovada equipa da CTP passam por áreas como o transporte e acessibilidades, promoção externa, fiscalidade, competitividade, Portugal 2020, associativismo e informação estratégicas.« Paulo Portas e Francisco Calheiros, durante a tomada de posse da Confederação do Turismo n O vice-primeiro-ministro Paulo Portas fez questão de realçar a importância do sector do turismo para a coesão e prestígio do país, para as exportações, crescimento económico e criação de emprego. “Se há um sector que tem surpreendido os cépticos e desafiado alguns analistas, é o Turismo”, referiu, na tomada de posse da CTP. O governante recordou os recordes históricos de 2014 no sector, atribuindo o mérito ao sector privado e adiantando que o turismo “continua a ser campeão quando todos os outros indicadores começaram a dar sinais positivos”. O responsável garante que “temos todas as condições para dar sustentabilidade ao turismo”. Portas mostra confiança no turismo Centro de Ciência do Café: O melhor Museu de Portugalser distinguido CentrodeCiênciado Café(CCC)acabade serdistinguidopelaAPOM –AssociaçãoPortuguesade Museologia,comoPrémioMuseu Português2015.Oanúncioe entregadoprémioforamfeitos nodia29deMaio,emcerimónia realizadanaAssembleiada República. AAPOMoutorgaanualmenteos prémiosdesde1997,contemplando museus,projectos,personalidades eactividadesdesenvolvidasno sectormuseológico. AoatribuiraoCCCotítulo demuseuPortuguês2015, aAssociaçãoPortuguesa deMuseologiareconhece queoespaçodaHerdade dasArgamassas,emCampo Maior,cumpreintegralmente amissãode“ultrapassara tradicionalconcepçãodemuseu, transformando-onumconceito maisabrangente,quevisanão sóreforçaraofertacultural,mas tambémaumentaraofertaturística epatrimonialdaregiãoondese insere”. Segundoosresponsáveisdo CCC,eteprémioéumimportante reconhecimentopúblicopara umespaçoqueabriuasportasao públicoháapenasumano,um espaçoúniconaEuropa,quetraza estaregiãodopaíscercadetrêsmil visitantespormês.« O O Comendador Rui Nabeiro e os filhos, Helena Nabeiro e João Manuel Nabeiro
  5. 5. {notícias do mundo} Manaus: A Amazonastur quer construir um parque temático em Manaus, aproveitando a tecnologia produzida na Zona Franca para reforçar a biodiversidade da floresta e a cultural regional. A proposta é construir um aquário com espécies aquáticas da região, ambientes que remetam à vida na floresta, a casa de farinha e da borracha, além da reprodução de 66 etnias indígenas da região. Meca: Meca, a cidade mais sagrada para os muçulmanos, na Arábia Saudita, vai ter o maior hotel do mundo, com 10 mil quartos. A unidade estará concluída em 2017, e vai estar a 2 Km da Masjid al-Haram (Mesquita Sagrada). Boston: O navio de guerra mais antigo do mundo, USS Constitution, vai ser restaurado durante dois anos para depois se transformar numa atracção turística. Construído em 1797, o navio foi aposentado em 1907, quando passou por vários portos do mundo para ser visitado. Londres: Diz a Forwardkeys, uma empresa que monitoriza padrões de viagens, que Londres está a perder a sua atracção turística para os viajantes estrangeiros. Numa análise de voos de longa distância para as principais cidades da Europa verificou-se um aumento médio de 3,9% mas Londres registou uma queda de 3,7%. 8 | Actualidade "Vê Portugal" retoma discussão sobre a importância do mercado interno cidadedeAveiroreceberá, nospróximosdias25e26 deJunho,asegundaediçãodo "VêPortugal-FórumdeTurismo Interno"quetemcomoprincipal objectivocolocaroturismointerno naagendaturísticanacional. OrganizadapelaTurismoCentro dePortugal,estainiciativa,que reúneváriosagentesdosector, pretende"percepcionarquala estratégiaqueomercadointerno deveráseguirnospróximosanos". SegundoPedroMachado, presidentedaTurismoCentro dePortugal,"queassumiua liderançadestadiscussão(sobreo mercadointerno)no1ºFórume querprossegui-laemAveiro",nos últimosanosoGovernotemdado prioridadeao"mercadoexternoe àinternacionalização",noentanto, éimportantenãoesquecerque"o mercadointernocontinuaasero A maisimportanteparaasregiõesdo CentroeAlentejo".NoFórumdeste anoserãodebatidos:atecnologia, informaçãoeconhecimentono turismo,asustentabilidadedos destinosturísticos,aculturae asindústriascriativas,asnovas perspectivasparaaindústria turística,acriaçãodevalorassente nadiferenciação,eoplanode acçãoparaodesenvolvimentodo turismo-Portugal2020.« Pedro Machado Portugueses mais conscientes dos direitos do viajante sportuguesesestãoa reclamarmais,pelomenos noqueàsviagensdizrespeito. Em2014,oProvedordoCliente daAPAVTrecebeumais20%de notificaçõesdoqueem2013, tendoatingidoos1009processos (138pedidosdeinformaçãoe871 reclamações).SegundoJoséVera Jardim,ProvedordoClientedas AgênciasdeViagenseTurismo, apesarde"serdifícilencontraruma explicaçãoparaestecrescimento", eexcluindoassituaçõesemque severificamsituaçõesanormais, como"emperíodosdegreveda TAP"emqueasreclamaçõessão mais,factoéque,nogeral,se verifica"umaumentosustentado donúmerodereclamaçõesnos últimosanos". Das 871 reclamações recebidas em 2014, foram apreciadas 575, das quais 279 foram parcialmente O favoráveis ao reclamante. Segundo o provedor, a razão pela qual há ainda algumas reclamações indeferidas (296) prende-se, maioritariamente, com o facto das agências em causa não serem associadas do Provedor. Em 90% dos casos, as reclamações indeferidas estão relacionadas com agências online, que "muitas vezes não têm sede em Portugal".« Vera Jardim
  6. 6. 10 | Entrevista FoinumadassuasvisitasaLisboa,noHoteldaEstrela, queVítorSilvarecebeuaAmbiturparaumaconversa sempressassobreoturismonoAlentejo.Opresidenteda AgênciaRegionaldePromoçãoTurísticadoAlentejofez questãodefrisarqueoturismoéumadasferramentas essenciaisdestaregiãoequedevemsercriadascondições paraqueosturistasseintegremnaquiloqueoAlentejo realmenteé.Nestagrandeentrevista,leva-nosainda ao passado,desvendando-nososprimeirospassosquedeu nestaactividadeedequeformatrouxea suaexperiência nomundoempresarialpara ouniversopúblico. “O turismo é hoje uma das alavancas para que o Alentejo não colapse„ decertaformainéditotermos umempresário,tantosanos, comopresidentedeumaAgência RegionaldePromoçãoTurística…Falta umaculturaempresarialaquemdirige algumasentidadespúblicas? Têmgravatasefatosamais,éoque costumodizer.Sejadeesquerdaou dedireitaospolíticostiveramsempre grandedesconfiançarelativamente àiniciativaprivada,sendoàsvezes justificada. OturismonoAlentejonãoapareceu hámuitosanos.Masapareceue foicrescendoàcustademuitos pequenosempresáriosedas instituiçõespúblicascomoasregiões deturismo.Háunsanosapareceram osProjectosdeInteresseNacional (PIN)emqueseafirmavaque“agora équeiacomeçaroturismono Alentejo”.Issoeramentira,porquejá existiaturismonoAlentejo,mesmo semgrandesempresas,apesarde seremnecessáriasparadarescalaem algunsaspectosquenecessitamos. ArealidadedoAlentejoassenta fundamentalmentenaspequenas empresas,masonde,paraalguma economiadeescalaealgumtipode eventos(MICE),precisamosdealguns grandesempreendimentos.Masnão nosesqueçamosqueaoníveldas característicasdoAlentejoestasnão coincidemcomasdoprodutode «massasturísticas». Oquerepresentaoturismoparao Alentejo?EoAlentejoparaoturismo nacional? OAlentejoparaoturismonacional representaentre3,5a4%dovalortotal. Agoraparaaspessoasquevivem naregião,émuitoimportante.O turismoéhojeumadasalavancas fundamentaisparaqueoAlentejonão colapse. Defendoumalinhaestratégica,que aAgênciatambémdefende,que indicaquenãodevemosestaracriar É“ A realidade do Alentejo assenta fundamentalmente nas pequenas empresas, mas onde, para alguma economia de escala e algum tipo de eventos (MICE), precisamos de alguns grandes empreendimentos... condiçõesartificiaisparapôrturistas nonossoterritório,oquedevemosé criarcondiçõesparaqueosturistas quenosvisitamseintegremnaquilo queéoAlentejo,nanossamaneirade sereviver. ParasiasAgênciassão«umovode Colombo»,vieramresolveroproblema dasregiõesdeturismoaoníveldo negócio.Estaéumasíntesedamissão daAgênciadoAlentejo? PodiadefiniraAgênciacomoa casacomumdoturismodaregião, temosempresas,associações empresariais,quesãosectoriais,e aEntidadeRegional,quetambém temempresários.Digoissocom orgulho.Gostariaatédeter,sendo queestatutariamentejáopodemos fazer,maismunicípios.Durante anosnãopromovemosaentrada dasautarquiasnaentidade,para nãoacarregardepesopúblico porquequeríamoscriaruma
  7. 7. Entrevista | 11 dinâmicaempresarial.Mashoje queessadinâmicajáestácriadae consolidada,quandotemosquase 200associados,sendosomentedois públicos,procedemosàsmudanças estatutáriasquefavorecessema entradadasautarquias. Qualanecessidade? Anecessidadeadvémdeumperigo quetemosnestemomento,quese agudizapelosfundoscomunitários, emquetodospensamquetêm umprodutoturísticoequerem fazerpromoção,esquecendo-se quehavendopromoção,mas nãocomercialização,oesforço écomplicado.Queremosqueas CâmarasMunicipaispercebam quequeremosfazeronosso trabalho,masquenãosomosseus concorrentes,sendoquepodemos ajudaradesenvolveroproduto turístico.Esteéumtrabalhoque aindanãoestáconsolidado.Termos asCâmarasMunicipaispermitiria defendermelhorotrabalhodecada um.Poroutrolado,istorepresentava um«apport»financeiroparaa Agência,queéfundamental.O factodenãotermosàpartidafontes definanciamentoquepermitam cobriratotalidadedaestruturaéum problema,paraalémdequetemos pessoasamenosnestaestrutura. Equantoaofuturo? Esperoqueofuturosejaoqueé agora.Oquetenhoassistidodesde queaAgênciasecriouéqueestes organismossãopostosemcausa quandomudaoGovernoouo responsávelquetutelaaactividade. Temosqueperceberoqueuns fazemeoqueosoutrosnãofazem (AgênciasdePromoçãoversus EntidadesRegionais).Sehouvessesó umaestruturaoqueéqueacontecia: seriapúblicaouprivada?Éque,no primeirocaso,todososagentes económicostêmdeserpromovidos deigualforma,nosegundosóestá quemquer.Poroutrolado,nãose poupavammeiosnenhuns.Oque “ Apesar de termos duas entidades a trabalhar no território, para o turista isso não interessa, vem cá para desfrutar do território, sendo que Turismo no Alentejo só há um. aEntidadePúblicafaz,nãofaza Agência. Agoraháumacoisaquedefendo, queestasduasestruturasdevam serindependentes,autónomas, sobretodosospontosdevista, comosseusPlanosdeActividade, financiamento,masdevamtrabalhar interligadas.Douumexemplo,a EntidadeRegionaltemfacilidadeem acederaosFundosComunitários paraapromoçãodemateriais promocionais,algoqueaAgência nãotem.Nosúltimosanostodosos materiaispromocionaisquetemos tidoforamfeitospelaEntidade,mas osempresáriosatravésdaAgência deramoseuparecer.Porexemplo, temosumsitecomumparaasduas entidades.Apesardetermosduas entidadesatrabalharnoterritório, paraoturistaissonãointeressa,vem cáparadesfrutardoterritório,sendo queTurismonoAlentejosóháum. Esteéummodeloemquenão devemosmexer,anãoserque tenhamosointuitodeomelhorar.Se seoptarporcriarumaentidade,esta serásemprepública.Issoiriaafastar novamenteosempresáriosdeste processo.Étempodeseestabilizar estefuncionamento.NasEntidades Regionaiséimpossívelacomponente políticanãoestarpresente,porque estãoláasautarquias,oquetambém nãoédramanenhum. QualobalançodosPlanosde ComercializaçãoeVenda? Gostariaquehouvessemaisdinheiro paraosPlanosdeComercialização eVenda(PCV),masestão condicionadospelasregrasimpostas peloTurismodePortugalaoníveldo financiamento.OsPCVforamuma alteraçãoquetiveramavirtudede permitirquealgunsempresáriosque queiramarriscarmaisoutenham disponibilidadefinanceirapossamser motivados.Gostariaque pudéssemos mobilizarmaisempresas. Osempresáriosturísticosdaregião identificam-sehojecomaAgência? Consideroqueaindaestamoslonge daquiloqueeradesejável.Seolharmos paratrásficamossatisfeitos,mas euprefiroolharparaafrente.Esse caminhovê-senacadavezmaior participaçãoqueosempresáriostêm nasacçõesquefazemos.Enquantono início,porfaltadeprodutoetambém deenvolvimentodosempresários, estávamosnafase«venhamao Alentejoqueistoéumacoisa muitobonita»,hojeosempresários apresentam-seconnosconasmais variadasacções.Porexemplo,na missãoempresarialquefizemos aoBrasiltínhamos14empresasda região. Nãotemosumavisãofechadasobre nóspróprios,sobreamaneiracomo nospromovemos.Seiquehámuita gentequeconsideraqueláforasóse deveriapromoveramarcaPortugal, nãoestoudeacordoporqueregiões comoanossadesapareceriam completamentedopontodevista turístico.Onossoesforço,noentanto, nãodeveseraoníveldacolocação damarcaAlentejo,poisestanunca teráumanotoriedadeuniversal,o caminhoéodesenvolvimentodos produtosdenichoquetemospara oferecer.Temosdeactuarentãonos mercadosondehajaumpúblico- alvoqueseinteressaporestes. Fazemosissoporexemploaonível dobirdwatching,ondeactuamos nomercadoespanholjuntodas lojasondeestesconsumidoresse deslocam. Tambémnãotemosumavisão fechadasobreosterritórios.Muitas vezespedimosaosoperadorespara colocaremLisboanosprogramas quelançamsobreoAlentejo,porque sabemosdamais-valiaqueacapitalé. Sendoqueagoraháoutraregiãocom quecomeçamosnestemomento atrabalharparadeterminados produtos,epensoquedaráum bomtrabalho,oCentro.Temos nestemomentodoismercadosem quejáacordámosfazertrabalhode promoçãoconjunta,BrasileHolanda. Esteseráoanodeestruturaçãodessa ofertadeprogramas.«
  8. 8. 12 | Entrevista “O turismo é um negócio” omo foi o turismo parar à sua vida? Sempre gostei muito de viajar. Em 1983 era empresário em Beja, comecei por ter um bar, que se chamava os Infantes, fomos uma referência. Mais tarde abri uma discoteca, altura em que realmente ganhei dinheiro (risos). Depois abri um restaurante em Lisboa, na zona da Expo, os Infantes. Nesta altura a minha relação com o turismo intensificou-se, C Em discurso directo: Trabalha melhor sozinho ou em equipa... Em equipa, sou bom para pôr os outros a trabalhar. Cidade favorita... Beja, mas a mais bonita do mundo é Paris, onde vivi um ano. Se escrevessem uma biografia sua como pensa que o descreveriam... eu ficava muito incomodado se quando morresse só dissessem bem de mim. O melhor prato alentejano... Sopa de Beldroegas, que comia quando era pequeno em casa do meu padrinho, e quando tive o meu restaurante também a servi. “ Nãopodemosentregar o(Instituto)Turismode Portugalaosprivados, masapromoçãodo paísdeveserfeitacom osempresários. pois o restaurante começou a ser referenciado, fazendo parte do Guia Michelin. Sou então convidado para fazer parte da Comissão Municipal do Turismo de Beja, que deu origem à Região de Turismo da Planície Dourada. Não tive uma grande ligação à entidade, pois era muito politizada, sendo dominada pelo Partido Comunista. Em 2003, houve eleições para a Região de Turismo da Planície Dourada e fui convidado para apresentar uma lista alternativa. Era, na altura, muito crítico sobre como o turismo se desenvolvia e tinha um pensamento, que sempre me guiou: o turismo é um negócio. Isto seria quase criminoso dizer na região, onde o turismo era entendido como amizade entre os povos e culturas. Ganhei as eleições contra as expectativas, digamos, oficiais. Consegui convencer os empresários, que eram muito críticos da região de turismo, a apoiarem a candidatura. O que trouxe à Região de Turismo da Planície Dourada? Tendo conhecimento do que é a vida de um pequeno empresário entendo que são das pessoas que mais trabalham e mais se sacrificam. Trouxe esta noção de que o turismo é uma actividade económica. Também percebi, pela experiência no sector público, sendo vice-presidente da Entidade Regional do Turismo do Alentejo, que este actua sobre algumas coisas que o privado não faz. É importante termos essa noção por forma a darmos «a César o que é de César e a Deus o que é de Deus». O que quer dizer com isso? Há um problema no sector público, o facto de não estar adequado ao negócio, nem o poder favorecer. Quando se entrega então a promoção ao sector público corremos o risco de se ser simplistas nas mensagens. Por exemplo: “Venha ao Alentejo que ele é muito bonito”, esgotando-se aqui a sua acção promocional. O sector público tem responsabilidades que os privados não querem ter, nem devem ter, por exemplo, ao nível da reengenharia do produto, da monitorização da oferta turística e do trabalho que se tem de fazer com as autarquias, porque elas são gestoras de pequenas partes do território e das comunidades. Na parte em que temos que relacionar a promoção com o negócio ou com a distribuição, tem de haver um trabalho conjunto com os empresários. Também sou claro no sentido em que não podemos entregar o (Instituto) Turismo de Portugal aos privados, mas a promoção do país deve ser feita com os empresários. Há 11 anos foi criada a Agência de Promoção Turística do Alentejo, quais os primeiros desafios? A Agência foi fundada no início de 2004, fui um dos fundadores, sendo o presidente o João Andrade Santos, presidente da Região de Turismo de Évora. Este mandato foi essencial para acabar com as desconfianças entre o sector privado e o público. O segundo mandato foi exercido por um privado, Francisco Zambujinho, sendo eu vice-presidente com o acordo dos restantes colegas.
  9. 9. Entrevista | 13 Como presidente da Agência, entreguei-me de corpo e alma a esta tarefa. A minha vida é presidir à Agência e é isso que me preenche completamente. A agência não é política e eu faço o possível para que não seja. Têm sido momentos desafiantes? Sim. Eu até devia pagar para andar aqui. Não podia estar mais satisfeito. Estou satisfeito do ponto de vista pessoal, do profissional espero sempre o melhor e estou sempre preparado para o pior. É ambicioso? As minhas ambições são muito limitadas. Apareci sempre apoiado pelo PS, não sendo militante, nem simpatizante, mas confiaram que seria a pessoa indicada para motivar um salto turístico no Baixo Alentejo. Não tenho ambições políticas, as minhas ambições passam por, nem digo ser feliz, mas por ter momentos felizes. Não o atrai voltar à vida de empresário? Voltar a ser empresário seria masoquismo. Agora sinto as dores de parto que os empresários têm todos os dias. Para a esmagadora maioria dos empresários o facto de terem mais taxa de ocupação e dormidas não faz com que neste momento tenham uma vida melhor. As razões são fundamentalmente duas: a primeira, o ajustamento de preços que tiveram de fazer face à oferta da concorrência, nomeadamente internacional; a segunda, com maior peso, é o esmagamento que os empresários têm hoje por parte dos impostos. Esta é uma situação insustentável. O nível actual de impostos é perfeitamente absurdo, temos imensos grupos na área do turismo que andam com a corda na garganta. Gosta de ser turista no Alentejo? Tenho sempre dificuldade em aconselhar seja o que for na região, porque o obrigatório é virem viver para o Alentejo. Não sendo uma região rica, tem uma qualidade de vida para os mais variados públicos. Não é uma região poluída, é segura, tem boa assistência médica, rica em gastronomia, com vinhos fabulosos, um clima muito bom, boas escolas e universidades, e está perto de Lisboa. O Alentejo tem tudo para uma pessoa ser feliz. Adoro viajar, mas quero voltar sempre a casa, ao Alentejo, a Beja.« “ Tenho sempre dificuldade em aconselhar seja o que for na região, porque o obrigatório é virem viver para o Alentejo. NasceuemBeja,a23deJaneiro de1949,precisamentenodia emqueastropasdeMaoTse TungentravamemPequim, umfactoqueafirma,emtomde brincadeira,tê-lomarcadodesde logoparaorestodavida:“nunca poderiaserumapessoadaDireita”, confessa.MasapesardeoAlentejo otervistonascer,aos12anos mudou-separaLisboacomos pais,efoinacapitalqueestudou, noLiceuDomJoãodeCastro. Maistarde,ospaisregressaram aÉvoramasVítorSilvanãoos acompanhou,eacaboupor entrarparaoInstitutoSuperior Técnico,em1966,ondese formouemEngenhariaQuímica Industrial.Naépocafoidirigente estudantileacompanhou ostemposdaDitaduraem Portugal.Politicamente,foimais tardefundadordoMovimento EsquerdaSocialista(MES)em conjuntocompolíticoscomo JorgeSampaio,JoãoCravinho, JoséManuelGalvãoTeles, CésarOliveiraouJoaquim Mestre,“pessoascomasquais estabelecirelaçõesdeamizade”, confessa.Políticasàparte,foi noensinoqueVítorSilvase estreouprofissionalmente,como professordoensinosecundário emBeja,eadmitequesempre considerouumprivilégiopoder ensinarosjovens. Hoje,casado,e“bemcasado”,faz questãodefrisar,há31anos,ecom umfilhode26anosquelheseguiu aspegadasnoTécnicoparase formaremEngenhariaCivil,Vítor Silvaadmitequenãoéviciadoem trabalhomassimnodescanso.E vaimaislonge:“Nuncatrabalhei navida,istoporquesemprefiz coisasquemedessemprazereera pagoporisso”. Perfil Quem é…
  10. 10. 16 | Distribuição14 | Distribuição Operador comemora 20 anos continuando aposta em novos destinos Quadrante está de parabéns. A comemorar o seu 20º aniversário, o operador turístico, que anunciou recentemente os destinos Arménia e Geórgia, e que operará também, em breve, o Uzbequistão, congratula-se pelo trabalho desenvolvido neste período em que conseguiu conquistar a confiança dos agentes de viagens, não esquecendo, a persistência do operador turístico na procura de novos destinos e companhia aéreas. De acordo com Jorge Andrade, sócio-gerente da Quadrante Viagens, "orgulhamo-nos do contributo que modestamente e sem grandes alaridos ou show off demos ao turismo". Para o responsável, que criou a empresa em parceria com Paulo Fonseca, o facto de não serem, até à altura, A conhecidos no meio do turismo e terem sede em Santa Maria da Feira, fora da capital, foram dois factores que "não facilitaram o arranque da empresa". "Os momentos mais interessantes foram esses, mudar mentalidades, apresentar novos desafios e ir de encontro a um cliente que deseja qualidade no atendimento, conhecimento do destino que estamos a vender e novas propostas de viagens de lazer", acrescenta. No futuro, a Quadrante quer continuar a "acompanhar a evolução dos tempos, adaptar-se a novas tecnologias e continuar a apresentar novas propostas ou novas sugestões nos destinos que são referência no operador". O investimento na formação dos seus colaboradores e nos jovens é outra das suas prioridades.« Paulo Fonseca e Jorge Andrade n Ainda que o Verão não seja a "época de excelência" deste operador, Jorge Andrade afirma contar "com uma temporada óptima, no mínimo com o normal trabalho e muitos orçamentos para os meses que se seguem". À semelhança das outras temporadas de Verão, os destaques são os destinos exóticos com praias paradisíacas, sendo os produtos mais vendidos as Ilhas do Indico e Pacifico; Turks e Caicos, Havai, Polinésia, Bahamas. Boas perspectivas para o Verão XII Convenção Bestravel contou com participação de 95% da rede rede de agências de viagem Bestravel realizou, de 22 a 24 de Maio, no Grande Hotel de Luso, a sua XII Convenção Bestravel. O evento, que contou com a adesão de 95% da rede e cerca de 40 parceiros de negócio, entre os quais operadores turísticos, empresas de cruzeiros, companhias aéreas, consolidadores, centrais de reservas, companhias de seguros, entre outros, foi o "maior alguma vez realizado nos doze anos em que a marca opera no mercado, tendo registado um número recorde de participantes".« A Abreu online reforça oferta hoteleira na Europa iena, Paris e República Checa. Estas são algumas das cidades europeias onde a Abreu online reforçou a sua oferta hoteleira, sobretudo na categoria de quatro estrelas. Na cidade de Viena, a Abreu online integrou quatro unidades da cadeia Austria Trend, às quais se juntam o Hotel Rooms Vienna e o Roomz Graz Budget Design Hotel, em Graz, ambos de três estrelas. Paris, foi reforçado, a par de outras cidades de França, como Lyon, Marselha e Toulouse com seis empreendimentos de três e quatro estrelas. Destaque ainda para a Courtyard by Marriott, através da qual é aumentada a oferta da Abreu online na República Checa.« V Operação para Sharm el Sheikh arranca em Julho operação da Egotravel e da Travelers para Sharm el Sheikh, Egipto, que arranca a 6 de Julho e termina a 14 de Setembro, com saídas de Lisboa, "está a correr dentro das expectativas". De acordo com Eduardo Pinto Lopes, general manager da Egotravel, até ao final da época de pré-venda, que decorreu até 31 de Maio, "a operação estava com uma ocupação média na ordem dos 45%". Aos jornalistas, os responsáveis dos dois operadores afirmaram que "as partidas estão muito equilibradas", estando a notar-se uma procura acentuada "pelos produtos com os melhores hotéis".« A Schultz: balanço positivo da chegada a Portugal om operação em Portugal há cerca de seis meses, a Schultz faz um balanço positivo, tanto no que respeita ao outgoing como no incoming. "Por felicidade a aceitação do nosso catálogo de circuitos em autocarro foi muito boa e aos poucos as reservas estão a chegar. O destino Brasil também está a ter aceitação, principalmente para produtos de grande qualidade", afirmou à Ambitur Aroldo Schultz, director do operador, acrescentando que, no que respeita ao incoming, "a Schultz está a crescer mais de 47% em relação ao ano de 2014. A Schultz no Brasil é a maior cliente da Schultz Portugal".« C
  11. 11. se traduz numa garantia de oferta rent-a-car em todos os destinos onde existe procura. Além disso, Artur Sousa aponta como factor diferenciador o motor de busca, baseado em meta search, que permite que o agente compare o valor com todos os fornecedores disponíveis para o destino escolhido. Frisa também que o website “funciona de forma muito simples e clara”, estando construído para poupar tempo ao agente de viagens, que se insere cada vez mais num ambiente muito competitivo. “A nossa representada compreende essa necessidade e, por esse motivo, apresenta um website onde o agente encontra toda a informação relevante que tem de transmitir ao seu cliente, evitando assim qualquer surpresa localmente ao recolher a viatura, tudo isto sempre com o preço mais competitivo do mercado”, esclarece. Recentemente, a Flexible Autos integrou a marca Keddy e interrent, subsidiárias da Europcar, para o mercado português, e lançou ainda o produto Scooters em Espanha e Itália, prevendo incluir mais destinos em breve.« asceu em 2013, quando a casa-mãe, a britânica Flexible Car Hire, decidiu contratar os recursos humanos da Holiday Autos e lançar a nova marca Flexible Autos em Portugal, Espanha, Itália e França. Foi neste processo que a ATR ficou a representar a marca em Portugal, já que desde 1999 fora GSA da Holiday Autos. E, desde o início, a estratégia empresarial da Flexible Autos se revelou muito clara, funcionando como um broker exclusivo para as agências de viagens. O que significa que a marca não tem um canal de vendas directo ao público. Como broker rent-a-car, a Flexible Autos não dispõe de uma frota própria, recorrendo a parceiros locais, vantagem que lhe permite “oferecer qualquer tipo de viatura e satisfazer a procura existente no mercado”, garante Artur Sousa, director geral da ATR. Assim, dispõe de um leque variado que pode ir desde viaturas mais económicas a carrinhas de 9 ou 15 lugares, chegando mesmo ao segmento premium e de luxo. Em Portugal, a Flexible Autos conta com 10 parceiros locais e, mundialmente, 2.200 balcões em 40 países. O que 16 | Distribuição16 | Transportes Flexible Autos: Um broker exclusivo para agências de viagens N JR Táxis de Turismo: Mais qualidade e acompanhamento ao cliente iferenciar pela positiva foi sempre o lema da JR Táxis de Turismo desde que, há 13 anos, Rui Pinheiro decidiu apostar num mercado com muita oferta mas ainda com muito por explorar. “Um elevado nível de qualidade tinha de ser, contudo, o conceito chave”, sublinha o proprietário da empresa. E esta foi sempre a estratégia seguida, apostando num serviço profissional, rigoroso e discreto, “em que se pode confiar”, tentando sempre ir de encontro às expectativas do cliente. A prová-lo está a recente introdução de um procedimento que há algum tempo era estudado e que agora, com as novas alterações nos parques de estacionamento do aeroporto de Faro, foi definitivamente implementado. Os clientes passam a ser acompanhados D até às linhas de check- in de embarque, não se ficando pelas plataformas de desembarque. “Este procedimento será adoptado para todos os aeroportos para onde transportemos clientes. Pensamos que desta forma podemos demonstrar ainda mais aos nossos clientes o quanto estamos gratos por visitarem o nosso país, se for esse o caso, e por terem escolhido a nossa empresa para efectuar o seu transporte”. Sendo a frota a principal ferramenta da JR Táxis de Turismo, que disponibiliza viaturas topo de gama com lotações entre os 3 e os 8 lugares, Rui Pinheiro indica que este é também o elemento mais dispendioso da operação. O que levou à implementação, “com resultados muito positivos até à data”, de um sistema de gestão e controlo de custos e de um sistema de localização e controlo de parâmetros de condução, sendo que estes últimos são indicados ao minuto, podendo ser analisados e corrigidos, e disponibilizados aos clientes, sempre que solicitados.« Artur Sousa
  12. 12. Citivisual: Soluções seguras e eficientes ferecer um serviço distintivo que prima pela qualidade e imagem é o grande objectivo da Citivisual, a marca criada pela Transdev em 2012. Sedeada em Lisboa, e com delegação no Porto, a empresa tem como mercado prioritário os grandes clientes, nomeadamente agências de viagens e operadores turísticos, ou empresas de incentivos, entre outras. “Em tudo o que faz, a Citivisual focaliza-se em fornecer soluções que se adaptem às necessidades do cliente, de forma segura e eficiente”, sublinha António Fernandes, Director Comercial da empresa. E acrescenta que o compromisso é “garantir um serviço de excelência, assente numa base de confiança e estreita ligação com os nossos clientes”. Na Citivisual existe uma equipa que acompanha o cliente “no terreno”, um factor que, segundo o responsável, O faz a diferença no mercado. Actualmente com uma frota moderna adaptada às necessidades dos clientes, para que estes possam desfrutar em pleno das suas viagens, a Citivisual dispõe de autocarros equipados que vão desde os 15-27 lugares até aos 70 lugares, todos eles com sistemas de entretenimento multimédia, wi- fi, monitores LCD, DVD, rádio, ar condicionado, vidros duplos, WC, bancos com encostos ajustáveis e apoios rebatíveis, Gold Limousine: Um acompanhamento Pessoal e requintado uando começou a sua actividade, em 1998, com o nome de “Adelino Henriques Inácio”, a empresa dedicava-se sobretudo a um serviço simples de transporte. Mas o crescimento levou à criação da Gold Limousine três anos depois, uma aventura que arranca porque os fundadores sentiram que no mercado faltava uma oferta que fosse além do puro transporte e que soubesse enquadrar a história, política e economia do nosso país, oferecendo um acompanhamento mais pessoal, cuidado e requintado. Assim, aos serviços mais simples de transferes e Q entre outras comodidades. Com esta frota, a Citivisual presta serviços de transporte de grupos em todo o país e estrangeiro, aluguer de autocarros, transferes de aeroportos/ hotéis/ congressos/ cruzeiros, transporte para praias, circuitos turísticos e transporte ocasional para passeios de dia inteiro ou meios-dias. Os serviços estão certificados de acordo com a norma ISO 9001.« casamentos, juntam-se outros mais especializados como os Tours Privados, Eventos e Serviços Executivos. Sempre com uma frota de modelos de luxo onde se destacam os Mercedes Classe E, Classe S, Mercedes V, Sprinter e minibus. Neste momento, a frota está aliás a ser renovada, com a aquisição de novas viaturas e a reciclagem das mais antigas. Os clientes, segundo garante Adelino Inácio, CEO da Gold Limousine, ganham com esta procura de diferenciação que passa pela formação dos colaboradores e por uma postura de dar soluções rápidas e de dedicação total ao cliente, bem como “total sigilo, paixão pela profissão e especialização em roteiros turísticos”, explica. E sublinha ainda: “o nosso serviço, não é apenas um serviço de transporte; criamos emoções, relações e empatia”.« 16 | Distribuição18 | Transportes TAP com nova app Flip&Flap partir de agora vai ser possível levar o mundo Flip&Flap e os destinos TAP para todo o lado. A companhia aérea portuguesa lançou uma nova aplicação das suas mascotes que está disponível gratuitamente para tablet em iOS e Android. Podendo ser utilizada offline e sem acesso à internet, a aplicação, criada a pensar nas crianças dos 6 aos 11 anos, pretende desenvolver a curiosidade, o conhecimento geográfico e a história, natureza, principais monumentos e costumes dos diferentes países. Ao registar-se na aplicação ou ao entrar com o login já existente, é possível ter ainda acesso a uma área privada, onde se pode ganhar carimbos num passaporte sempre que se completar um desafio. São as marcas das viagens virtuais, que os mais novos podem depois mostrar aos pais e aos amigos.« A
  13. 13. ML - Private Tours: Experiências ao ritmo do cliente roporcionar aos clientes experiências diferenciadas, com enfoque no enoturismo e no turismo cultural é o grande objectivo da ML – Private Tours. Fundada há quatro anos por Miguel Leal, um jovem empreendedor com experiência na organização de eventos ligados ao todo- o-terro turístico, foi no Porto que se estabeleceu, posicionando-se desde logo no segmento premium. “Notava-se uma lacuna na forma de fazer com que uma pequena franja do turismo, mas com elevadíssimo potencial, pudesse usufruir do que de melhor o nosso país tem para oferecer”, esclarece o responsável. Miguel Leal considera que 2015 é um ano chave para a ML – Private Tours, que lança agora novos produtos para diversificar a oferta e captar públicos mais jovens em busca de outras experiências. Actualmente, são quatro os produtos no ADN desta empresa, que procura pautar- se por “um atendimento personalizado e de grande qualidade”, garante. Na génese da empresa está o produto “We Take You There”, no qual os clientes informam P acerca das suas expectativas e do que pretendem obter da experiência, fornecendo depois a ML – Private Tours o serviço de transporte e guia, marcações e reservas. Em implementação está o “Do It Yourself”, totalmente customizável, através do qual o cliente recebe um “caderno de itinerários” electrónico que o levará com segurança e facilidade aos locais. Este produto tem as vertentes do enoturismo ou do turismo cultural, com percursos distintos que promovem a paisagem e o prazer da condução, ao ritmo do cliente. Recente é também o “Haunted Porto” para dar 16 | Distribuição20 | Transportes resposta a quem tem um fim de tarde livre na Invicta e procura uma experiência voltada para a história e lendas da região. Por último, no “Caminho de Santiago” a ML – Private Tours afirma- se como um concierge que cuida de todos os detalhes, desde guias, marcações, transportes e apoio aos turistas. A empresa trabalha ainda o mercado corporate que, adianta Miguel Leal, se tem revelado fundamental no Outono, “e que nos permite manter a actividade sem quebras numa altura do ano em que seria de esperar menos movimento”.« Faro está agora mais perto de Espanha Air Nostrum inaugurou a ligação Madrid-Faro que será realizada entre Junho e Setembro deste ano. A rota será operada com uma aeronave de 90 lugares, o que representa, neste período, uma oferta de mais 8500 lugares e 102 movimentos. Entretanto, no final do mês, a 20 de Junho, será iniciada a rota Barcelona-Faro, operada pela Vueling, e que terá duas frequências semanais, com partidas às Terças-feiras e Sábados. No âmbito da promoção destas duas novas ligações aéreas, a Região de Turismo do Algarve realizará diversas acções de charme no país vizinho, assim como visitas educacionais ao destino.« A Lufthansa impõe taxa de custos de distribuição s companhias aéreas do Grupo Lufthansa (Lufthansa, Austrian Airlines, Brussels Airlines e Swiss) irão redireccionar a sua estratégia comercial. Com o objectivo de aumentar a sua rentabilidade, as companhias irão incluir, a partir do dia 1 de Setembro, uma taxa de custos de distribuição de 16 euros por reserva por cada bilhete emitido por um canal de reservas usando um GDS. No futuro, as companhias aéreas irão passar ainda a oferecer os seus serviços numa base mais flexível e modular com opções de preço personalizadas e de serviços suplementares assente no princípio de “só pagar por aquilo que irei usar”.« A
  14. 14. 22 | Formação Cresce o número de estudantes portugueses nas escolaS da Laureate Hospitality Education s alunos formados nas escolas do grupo Laureate Hospitality Education são, cada vez mais, uma referência no mercado. De acordo com Pedro Martins, Educational Counselor da Laureate Portugal. " 85/90% destes alunos, quando terminam os cursos, começam logo a trabalhar". Nos últimos anos, e segundo o responsável, o número de alunos portugueses nos centros de excelência de Hospitality Management da Laureate, pertencentes à Laureate International Universities, e onde se incluem as escolas Glion, Les Roches Suíça, Les Roches Marbella, Les Roches Shanghai, Blue Mountains e Kendall College, tem vindo a crescer, fixando- O se actualmente nos 50/60 alunos. Segundo o responsável, 35/40% destes alunos já vem da industria, pois são filhos de hoteleiros. DeacordocomPedroMartins,os alunosencontramnaLaureate programasqueacompanham astendênciasdomercado,com "equilíbrioentreaulasteóricas epráticas". "Temosperíodosde estágio,comaduraçãodecinco/ seismeses,paraqueosalunos saiamdasescolas,vãobuscar experiênciareale comecem aperceberquaisosdiferentes departamentosondeelespodem começaradesenvolver-se profissionalmente",explica, acrescentandoque"numafase final,quandoestesalunosestão jánumafasedegraduação, muitosdelesjátêmtrêsou Pedro Martins, Educational Counselor da Laureate Portugal n Há uma maioria que não. "Os alunos contactam com um ambiente multicultural, viajam e vivem por diversos países, e nesse processo, que decorre entre os 18 e os 22 anos, acontece uma transformação e o aluno tem a necessidade de alimentar o «bichinho» da carreira internacional", explica o responsável. No entanto, "o português é muito patriota" e afirma, muitas vezes, que a sua intenção, no final do curso, passa por "voltar a Portugal e desenvolver o seu próprio negócio". "A nossa luta e mensagem para os hoteleiros tem sido essa. Atenção nós temos de saber captar e cativar estes talentos, e para isso, temos de criar condições para eles também virem trabalhar para Portugal", refere Pedro Martins. Os alunos portugueses voltam? quatropropostasdetrabalho". Umadinâmicaque,segundo oresponsável,"despertamuita atenção,nãosóaonívelda indústria,dasgrandescompanhia hoteleiras, empresasdecatering erestauração,mastambémjáao níveldeoutrasempresascomo LouisVuittonouRolex,que trabalhamcommarcasdeluxo". Em Portugal, a procura por estes formandos também está a aumentar. Avançando estar a terminar um protocolo com o grupo Jerónimo Martins, o responsável afirma que também haverá, no futuro, uma colaboração com o Grupo Pestana. De acordo com Pedro Martins, o gestor que sai das escolas do grupo Laureate é "um gestor muito flexível, pode trabalhar em diferentes áreas, tem uma capacidade de costumer service muito boa, em termos financeiros tem capacidade de fazer boa gestão de negócio e em termos de leadership são excelentes referências, conseguem fazer bons trabalhos com as equipas com quem trabalham". Até ao próximo dia 31 de Agosto, estão a decorrer as inscrições para os cursos a iniciar em Outubro.« Sector do turismo é oportunidade para jovens estudantes s palavras são do ministro da Economia, António Pires de Lima, que recentemente deu a conhecer, à margem de um evento na Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa subordinado ao tema "A competitividade do sector do Turismo", os últimos dados relativos à empregabilidade das Escolas de Hotelaria e Turismo de Portugal. Segundo o governante, "80% destes alunos conseguem emprego, normalmente, no final do primeiro mês" de terminarem os estudos. Na opinião do ministro da Economia, o turismo é um sector dinâmico com "oportunidades para os jovens". Lembrando que o sector apresentou, no primeiro trimestre deste ano, um crescimento de cerca de 15% e que é, por isso, um "sector campeão", Pires de Lima alertou os alunos presentes de que se "tiverem também espírito de campeões poderão ter uma vida profissional bem-sucedida ao serviço do sector". Na mesma ocasião, Adolfo Mesquita Nunes, secretário de Estado do Turismo, lembrou que a "remuneração no sector está a crescer face à média nacional" e que o "números de profissionais que estão a trabalhar por conta de outrem e a receber o salário mínimo nacional tem vindo a descer".« A
  15. 15. Escola Profissional Infante D. Henrique: 25 anos de ensino na Hotelaria e Restauração az este ano um quarto de século que a Escola Profissional Infante D. Henrique (EPIDH) exerce a sua actividade formativa na área da Hotelaria e Restauração, bem no centro da cidade do Porto. A oferta integra cursos de cozinha/ pastelaria, restaurante/ bar e recepção e atendimento, todos de nível IV, sendo que actualmente, estão já abertas as inscrições para o próximo ano lectivo. O projecto educativo da EPIDH assenta no trinómio “saber- fazer”, “saber-saber” e “saber- estar”, conforme explica Olga Sá, directora da instituição, que adianta que o conhecimento, a qualidade educativa, a cidadania e a inclusão foram eleitos como princípios F 16 | Distribuição24 | Formação orientadores para que “a Escola seja um local onde se ensina e se aprende, que o seu projecto seja inovador, flexível e inclusivo”. A EPIDH procura assim a inclusão de todos os alunos e contribui para a formação de quadros técnicos intermédios de referência, bem como para o desenvolvimento dos sectores da Hotelaria e Restauração. Ao longo destes 25 anos, a Escola aperfeiçoou as suas práticas pedagógicas e apurou técnicas, tendo ainda delineado estratégias de actuação para oferecer aos seus alunos um ensino de qualidade e de elevado rigor. “Rigor técnico que a diferencia das demais escolas, e permite que os seus alunos adquiram um conjunto de competências e saberes, valores e atitudes que os habilita a integrar o mundo do trabalho”, sublinha Olga Sá. Na EPIDH os alunos aprendem fazendo, desenvolvendo e aperfeiçoando o saber técnico instrumental, quer seja nas cozinhas, restaurantes, bar e quarto pedagógicos de que dispõe, apetrechados com equipamentos modernos. Estabeleceu também parcerias com o tecido empresarial, facilitando o nível de empregabilidade dos seus alunos. A directora garante que a EPIDH acompanha personalizadamente os alunos no seu desempenho e integração nas unidades de acolhimento.« Escola de Hotelaria de Fátima lança novo curso Escola Profissional de Hotelaria de Fátima apresentou, recentemente, o novo curso profissional de técnico de Pastelaria/ Padaria, que desenvolveu ao longo do último ano em parceria com o Turismo de Portugal. Este novo curso profissional de nível 4 tem a duração de 3 anos e é uma resposta às necessidades de mão-de-obra especializada sentidas pelas empresas do sector. Tem como objectivo preparar os jovens para planear, coordenar e executar as actividades de produção em pastelaria/ padaria, respeitando as normas de higiene e segurança.« A
  16. 16. São modernos, a maioria com uma localização privilegiada e cultivam uma grande preocupação com o cliente. Apostam num serviço de qualidade, não descuram os pormenores e, por vezes, direccionam a sua operação para um nicho específico. Partilham a categoria das quatro estrelas e estão de olho no perfil do novo consumidor. De Amarante a Leiria, passando por Lisboa e voando até aos Açores damos-lhe um "cheirinho" do que estão a ser as apostas das unidades que têm surgido, nos últimos meses, em Portugal. Quatro estrelas “invadem” território português s semelhanças não se ficam por aqui. As novas unidades que têm surgido um pouco por todo o país valorizam, cada vez mais, as práticas ambientais, que já são motivo de atracção de clientes, e optam, na maioria, por ter serviço de restaurante aberto à comunidade local. A todos estes “pequenos” pormenores juntam-se as preocupações com o conforto ou com os hábitos dos novos consumidores, estando os quartos totalmente equipados com a mais moderna tecnologia existente e wifi gratuito. No MH Peniche, por exemplo, o hóspede pode aceder à solução de TV interactiva e ter acesso a canais de TV, aluguer de filmes, Internet, jogos, informações, promoções e compras na TV; já no Santa Bárbara Eco Beach Resort, nos Açores, optou-sepor não ter telefones nas villas, tendo estes sido substituídospor pequenos tablets que não só permitem contactar a recepção, como também estão ao dispor do cliente para navegar na internet e marcar todos os serviços a qualquer momento. A Dossier | 25 Monverde Wine Experience Hotel Vila Galé Douro Hotel
  17. 17. Porto e Norte Portugal nasceu aqui E é também por aqui que começamos este "roteiro". O Norte tem recebido, nos últimos meses, um número cada vez maior de turistas e acolheu, só no mês passado, a abertura de duas novas unidades: o Vila Galé Douro e o Monverde – Wine Experience Hotel. No final do mês de Julho abre portas a terceira unidade do grupo Moov em Portugal, o Moov Porto Norte, que fica em Matosinhos. Com uma localização privilegiada, o Monverde Wine Experience Hotel é o primeiro hotel vocacionado para o enoturismo na Região dos Vinhos Verdes. Uma unidade onde, para além de poder participar em várias actividades "do ciclo vegetativo da videira", como a poda de Inverno, a poda verde ou a plantação da vinha, o cliente pode também "constituir lotes únicos" e levar para casa o seu próprio vinho engarrafado. Segundo João Carlos de Oliveira Costa Portugal, director da unidade que pertence à Quinta da Lixa, o objectivo é que o cliente possa relaxar e usufruir dos vários espaços à sua disposição, com destaque para o restaurante de comida tradicional e regional, o wine bar e o spa vínico, com piscina interior e exterior. A pensar nos negócios e eventos sociais, o hotel possuiu ainda duas salas e uma adega versátil para a realização de provas e conferências. Com um investimento de mais de quatro milhões de euros, e composto por 29 quartos e um apartamento, o hotel pretende "atingir uma clientela interessada em enoturismo e turismo natureza", com gosto pela gastronomia e produtos locais. Muito virado para o enoturismo está também o Vila Galé Douro. De frente para a Régua e com apenas 38 quartos, este hotel de charme, inaugurado no passado dia 30 de Maio, estáfocado,de acordocomGonçaloRebelo deAlmeida,administradordo grupo,"noturismodelazer nãosóparaoDourocomo tambémacombinaçãoPorto+ Douroparaomercadonacional einternacional.Nocasodo mercadoexterno,emborasejaum nicho,estamosareuniresforços paraatrairomercadointeressado noenoturismo".Segundoo responsável,umdosobjectivos dogrupofoivalorizararegião. Paraisso,"ohotelfoidesenvolvido sobreaencostaprivilegiando avistario,apostandonuma decoraçãocompainéisequadros alusivosaoDouro,paraalémde todaapartegastronómicaque estáreflectidananossacartade restaurante",explicouGonçalo RebelodeAlmeida,lembrando queàdisposiçãodosclientes estáaindaumspa,"idealpara recuperardorebuliçododia-a- dia",oRestauranteInevitável,com capacidadepara100pessoase umaáreadeeventos. Sendomaisumdiscípuloda marcaMoov,oMoovPorto Norte,com129quartosé,à semelhançadosdoishotéis jáassentesemPortugal,um hoteldesenvolvidoapensar "emviajantespráticosesmart que valorizam na sua estadia o conforto, localização, preço e uma boa dormida", sublinha André Ferreira, administrador do grupo Moov. "Os consumidores procuram estadias práticas e descomplicadas, confortáveis mas a um preço simpático porque, cada vez mais, não fazem «vida de hotel» mas preocupam-se em conhecer a cidade onde estão, em situações de lazer, ou ocupam o dia com compromissos profissionais, 16 | Distribuição28 | Dossier n João Portugal, director-geral do Monverde Wine Experience Hotel Formado em Gestão e Técnica Hoteleira na Escola de Hotelaria e Turismo do Porto, o profissional foi Assessor Operacional do Director Geral de Operações do Grupo Pestana Pousadas, com a Área de Qualidade/ Área de Exploração e mais recentemente integrou o Júri da Comissão de Escolha do Concurso Internacional de Fornecimento de Equipamento Hoteleiro para a Pousada de Estói. n Vasco Parente, director-geral do Vila Galé Douro Formado em Gestão Hoteleira na Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra, concluiu, posteriormente uma pós-graduação em Empreendedorismo em Turismo e Gestão de Eventos. O profissional integrou, em 2012, o grupo Belver Hotels como Director do Grande Hotel da Curia e, em 2013 esteve na preparação para abertura da Quinta de Casaldronho Wine Hotel no Douro. Assumiu funções como Director durante 9 meses depois da abertura. Desde Março que faz parte integrante dos hotéis Vila Galé. n André Ferreira, administrador do Moov Porto Norte Licenciado em Engenharia Civil pela Universidade do Porto e com uma Pós- Graduação em Gestão Imobiliária, André Ferreira entrou no grupo Endutex em 2007. Actualmente, o profissional é administrador da Endutex Hotéis. n Emília Pinto, directora-geral do Villas da Fonte Leisure & Nature Emília Pinto é uma das sócias do Villas da Fonte Leisure & Nature. Formada em Física/ Química, a profissional foi Secretária de Direcção da TAP – Air Portugal e Mediadora Oficial do Instituto de Seguros de Portugal.
  18. 18. 30 | Dossier em situações de trabalho", explica, acrescentando que é por esta mesma razão que a unidade optou por não ter serviço de restauração, disponibilizando apenas serviço de pequeno-almoço buffet. Face à concorrência, o hotel apresenta uma outra grande vantagem que é o facto de "comunicarmos o preço de forma simples e clara, sem o tradicional «desde» que por vezes é pouco esclarecedor", frisa André Ferreira. Definindo- se como um hotel amigo do ambiente e com vantagens "eco-friendly", o Moov Porto Norte privilegia o recrutamento interno. Centro "Um país dentro de um país" O centro, e mais especificamente, o distrito de Leiria, ganha, este ano, quatro novas unidades. E estando nós a falar da região mais diversificada do país, não é surpresa que também os investidores destes novos hotéis decidam apostar em diferentes nichos e conceitos. Enquanto as unidades localizadas na cidade dão prioridade aos locais de interesse turístico, os hotéis que estão fora de Leira priorizam o contacto e a harmonia com a natureza. Se o Villas da Fonte, Leisure & Nature, localizado na freguesia de Monte Redondo, que fica a cerca de 15 km de Leiria, pretende convencer que este é o local ideal para umas férias românticas ou em família em plena harmonia com a natureza, o MH Peniche, "que se apresenta como o hotel mais ecológico em Portugal", orienta- se para os amantes do surf e do golfe e também para o segmento corporate. Concebido a partir da temática Mar, o MH Peniche, que deve abrir ainda este mês, disponibiliza 120 quartos, nove salas de conferência e um Centro de Interpretação e Valorização do Ambiente Marítimo, "que visa sensibilizar os hóspedes sobre o valor que o mar tem na suas mais diversas actividades económicas, MH Peniche Villas da Fonte Leisure & Nature
  19. 19. 32 | Dossier sociais e ambientais", explica Luís Cruz, director geral do grupo. Para complementar a oferta, a unidade dispõe ainda do Restaurante panorâmico La Mar com assinatura do Chef Eurico Dias que alia, segundo o responsável, "a modernidade às tradições gastronómicas locais privilegiando os componentes orgânicos e os produtores locais, de modo a que o resultado final seja uma sofisticação visual e de sabores que certamente reinventará as receitas tradicionais de Peniche". No Villas da Fonte, Leisure & Nature, que pretende diferenciar- se "pelo serviço único e inovador", o cliente poderá encontrar nove apartamentos independentes em forma de pequenas moradias, cinco quartos, uma piscina exterior, piscina interior aquecida, jacuzzi e campo de jorkyball. Pretendendo promover vivências, experiências e momentos de lazer individuais e em grupo, o hotel, que deve abrir portas brevemente, cultiva um "conceito que enfatiza os atributos da natureza, da ecologia, da água, da terra, do lazer, do desporto, da saúde e do bem-estar". Uma vez de férias nesta unidade, que contou com um investimento de 1,5 milhões de euros, os hóspedes podem optar por várias actividades das quais se destacam a observação de pássaros, a pesca desportiva e os passeios a cavalo. O Castelo de Leiria, o Santuário de Fátima, o Mosteiro da Batalha ou a praia de São Pedro de Moel são alguns dos locais sugeridos aos hóspedes que optam por ficar no recém-chegado Tryp Leiria. Construído a pensar naqueles que "se deslocam em negócios ou lazer na Região Centro", o hotel é dotado, segundo Paulo Sassetti, director regional de operações da Hoti-Hotéis,"de um excelente atendimento e do máximo conforto". À disposição dos viajantes estão 70 quartos "personalizados com citações de conhecidos pensadores, o Restaurante Bistrô, com capacidade para 74 pessoas e que dispõe de uma carta à base de grelhados e com influência francesa, e a pensar no segmento corporate tem ainda três salas de reunião, com capacidadetotal de 210 pessoas. Na Rua Direita, uma das mais conhecidas da cidade, é inaugurado a 1 de Julho, o Hostel Atlas. Um projecto que nasce, segundo Luís Marques, um dos responsáveis pela unidade, "de uma vontade intrínseca" de dois amigos "de criar novos conceitos/ caminhos e experiências na cidade. Apesar de não exigir dresscode, é requisito para os hóspedes do Atlas Hostel "uma atitude descontraída" pois aqui o ambiente é "informal, jovem, divertido e acolhedor". Com um investimento de 50 mil Tryp Leiria Hostel Atlas Turim Saldanha Hotel
  20. 20. 34 | Dossier euros, a unidade dispõe de 13 quartos, com capacidade para 40 pessoas, sala de jogos, cozinha polivalente e bar. Lisboa - A cidade do Fado A capital portuguesa recebeu, em Maio, o Hotel Lis e o Júpiter Lisboa Hotel, e no início deste mês, o Turim Saldanha Hotel. Para além de competirem na mesma categoria, as três unidades partilham o trunfo da localização no centro da cidade. Localizado na Rua Latino Coelho, a poucos metros do Saldanha e do Marquês de Pombal, o Turim Saldanha Hotel segue a já conhecida linha da cadeia Turim: hotéis "com poucos quartos", focados na qualidade do serviço e aptos a receber, tanto o cliente de lazer, como o cliente corporate. "Os nossos hotéis são unidades de dimensão média proporcionando um maior conforto ao cliente, evitando que este tenha aquela sensação de estar entre centenas de pessoas, com a habitual grande movimentação em dias de alta ocupação em termos de check in, pequenos-almoços. Diferenciamo-nos por um serviço mais personalizado", afirma Luís Santos, Director Comercial da Turim Hotéis, acrescentando que o Turim Saldanha Hotel é uma unidade moderna, com "acessibilidades excelentes" e que disponibiliza 87 quartos, um business center bar, garagem e que oferecerá também, a turistas e lisboetas, um restaurante temático de “Sushi”. É portanto "mais uma unidade do grupo que vai engrandecer a nossa presença na cidade de Lisboa", acrescenta o responsável. Para Mário Covas, director geral do Hotel Lis, este boutique hotel encontra-se "na melhor localização para explorar Lisboa no que melhor representa a sua cultura, monumentos, ruas e lojas típicas", ou seja, a baixa da cidade. O edifício também denuncia a zona em que está inserido, uma vez que, segundo o responsável, se mantiveram "as traças originais das abobadas e arcos de pedra de lioz na recepção e dos azulejos por todo o hotel". À disposição dos clientes está ainda "A taberna do Lis", um espaço que "tende a ser tradicionalmente uma taberna portuguesa, com pormenores de decoração vintage e com os melhores petiscos (saladas de bacalhau, ovas e polvo, os panadinhos de porco e as moelas com molho de tomate) e os melhores vinhos". A decoração é dedicada à moda, literatura e arquitectura e o serviço irrepreensível, tentando a unidade "mimar o cliente desde que entra até à sua saída": "Welcome drink, coffee station à chegada, água e fruta com um cartão de boas vindas, roupão e chinelos e uns amenities representativos da cidade de Lisboa, o que pedir mais?", questiona Mário Covas. Localizado na Avenida da República, o Jupiter Lisboa Hotel é fruto da recuperação de um edifício histórico e está orientado para os segmentos de lazer e corporate. Concebido para proporcionar experiência autênticas, este quatro estrelas, que apresenta pormenores diferenciadores em todos os quartos, quis "transpor a cidade para dentro do hotel", quer através da fotografia, quer através das cores de Lisboa. De acordo com Pedro Gaivão, director-geral da unidade, que oferece ainda fitness center, spa e piscina exterior, "valorizámos a arquitectura do edifício, imponente património e herança cultural da cidade e da 1ª n Hugo Domingues e Luís Marques, Hostel Atlas Aos 27 anos, Luís Marques, fundador da associação Dreamweapon e parceiro na fundação do Oporto City Hostel, é o administrador da empresa/site clickplus.pt. Licenciado em Economia, Hugo Domingues fundou a associação Independent Sound Culture e é músico profissional nas bandas Nice Weather For Ducks e Les Crazy Coconuts. n Pedro Gaivão, Jupiter Lisboa Hotel Formado em Gestão Hoteleira pela Escola de Hotelaria e Turismo do Porto e do Estoril, Pedro Gaivão iniciou a carreira na Hyatt internacional nos Estados Unidos passando também por Espanha. Em 2012 é convidado a assumir a Direcção Geral da Villa Termal das Caldas de Monchique e 2015 assumiu a direcção Geral do Jupiter Lisboa Hotel. n Mário Covas, director-geral Hotel Lis Nascido em 1983, Mário Covas é formado em Gestão Hoteleira pela Escola de Hotelaria e Turismo do Porto. Anteriormente, o profissional ocupava o cargo de assistente de direcção do Tryp Lisboa Oriente. n Giuseppe Vincelli, director- geral InterContinental Lisboa Licenciado em Ciências de Turismo, com Mestrado em Economia (vertente Turismo), pela Universidade de Perugia Giuseppe Vincelli juntou-se ao IHG em Junho de 2005, onde ocupou funções de Director de Desenvolvimento de Negócios, Hotel Manager e, mais tarde, Director Geral, no InterContinental De La Ville, em Roma. Em 2009 foi nomeado Director Geral do InterContinental Malta.
  21. 21. Republica inserido num produto moderno, com grande ênfase na sustentabilidade ambiental e tecnologicamente evoluído". Tal como acontece com outras unidades, o Jupiter Hotel oferece um restaurante de cozinha portuguesa com influências do Algarve que "embora faça parte integrante dos serviços do hotel está direccionado para o público da cidade e particularmente da zona". A restauração completa- se com o Bar Azeitona, "onde damos a conhecer as melhores e variadas azeitonas de Portugal e do Mundo, bem como os azeites e uma escolha de tapas nacionais". Açores Na imensidão azul do Atlântico Voámos até aos Açores com destino ao Santa Barbara EcoBeach Resort, uma unidade localizada à beira-mar na qual os materiais e produtos regionais assumem particular importância. Pretendendo "atingir um cliente que procure conhecer e explorar São Miguel, quer venha com a família, com um grupo de amigos ou numa escapada a dois", o hotel é composto por 14 villas, um restaurante regional, com uma carta diversificada mas com uma forte aposta nos sabores regionais (atum, batata- doce, polvo, queijo-da-ilha, lapas, sushi, etc), piscina exterior e Beach Club sazonal. De acordo com João Reis e Rodrigo Herédia, sócios da unidade, "quis-se apostar numa arquitectura e decoração diferentes, dando destaque a materiais como a cortiça, a criptoméria (madeira local), os vimes, os bambus e a pedra (revelado através do micro cimento). No interior, o destaque vai para "os ramos de árvores que servem de puxadores das portas, as bacias esculpidas em madeira que servem de lavatórios das casas-de-banho ou as bilhas de azeite que fazem os candeeiros do restaurante". Para os responsáveis, não há dúvidas de que esta é uma unidade que se destaca da já 36 | Dossier Hotel Lis Jupiter Lisboa Hotel
  22. 22. 38 | Dossier existente oferta hoteleira da ilha, e apesar de São Miguel não ser promovido como um destino de sol e praia, " tem muitas praias que são desconhecidas da maioria dos portugueses, e que são cenário de importantes eventos desportivos, outro nicho que queremos atingir". Cinco estrelas com "uma nova cara" O último trimestre do ano passado trouxe à capital o InterContinental Lisbon, uma unidade de luxo composta por 237 quartos e que pretende, mais do que oferecer instalações para dormir, proporcionar uma experiência apaixonante na cidade. De acordo com Giuseppe Vincelli, General Manager do hotel, um dos segredos da marca é o "interesse genuíno que tem pelos hóspedes". Todos os dias, "tentamos mostrar aos clientes o que a nossa cidade tem de especial e a torna num local único. Fazemo-lo partilhando as nossas experiências e conhecimentos de forma a ajudá-los a conseguir obter uma experiência única e enriquecedora durante o tempo que visitam a cidade ", explica. Aquando da renovação desta unidade, que em tempos foi o Tiara ParkAtlantic Lisboa Hotel, optou-se pela integração de um concierge na recepção, pronto para ajudar os hóspedes a obterem experiências locais únicas e enriquecedoras e foi criado um novo Patisseriee Lounge, no qual os clientes podem escolher um chá de estilo Inglês, uma especialidade de pastelaria ou simplesmente uma refeição. A unidade abrirá ainda um restaurante, que disponibiliza "comida portuguesa com um toque internacional" e que será o "lugar ideal para desfrutar de um cocktail antes do jantar, para realizar uma reunião de negócios ou para beber uma bebida com os amigos, enquanto se ouve música ao vivo e DJ’s internacionais".« InterContinental LisbonSanta Barbara Eco Beach Resort
  23. 23. 40 | Dossier Turim será o maior grupo hoteleiro da cidade de Lisboa s próximos doisanos prometemtrazer novidades àhotelariadacidade deLisboa,pelomenos no que aosprojectos doGrupo Turim diz respeito.Depois deconsolidada aoperaçãodas actuais sete unidades quepossuina capital portuguesa,étempode partir paraaexpansãodogrupo, com aaberturademais quatro hotéis nospróximos dois anos, o que representaoreforçoda ofertaem maisde350quartos.Em cima damesaestãooTurimSaldanha Hotel(quatroestrelas),queabre estemês,oTurimTerreiro do PaçoHotel(quatroestrelas), que deveráabrirnofinaldo próximo mêsdeNovembro;eoTurim Marquês PombalHotel(quatro estrelas)eoTurimBoulevard Hotel(cincoestrelas)queabrirão O em 2016. No anoseguinte,deverá ter início aampliaçãodoTurim Lisboa. Em entrevistaàAmbitur, LuísSantos, DirectorComercial do grupo, afirmaqueapretensão "équesejamosomaiorgrupo hoteleiro dacidadedeLisboa dentro depoucotempo". Afirmando que"2015estáquase feito", LuísSantosdácontadas boasperspectivasparaesteano, quedeverásuperarodoano passado,nãosóemocupação, mastambémem"average". "ComparativamentecomMaio de2014estamos10%acimaenão temosumaChampions",afirma oresponsável,acrescentando que,paraesteano,"afasquiados objectivosfoielevada,noentanto, e"setudoseconcretizar",ogrupo deverácrescer20%facea2014.Os mercadosmaisfortescontinuam aserobrasileiroeofrancês, seguidodoitalianoeBenelux. Porém,eapesardeacidade estararecebercadavezmais visitantesestrangeiros,Luís SantosconsideraqueLisboa merecia"muitomaisemelhorem termosinstitucionais".Segundo oresponsável,existeuma grandelacunanoquerespeita àinformaçãoinstitucional Luis Santos noestrangeiro,"mesmoem destinosquedizemosqueestão consolidadosháaindaum grandedesconhecimentoda cidadedeLisboa.Sentimosque, emmuitasdascoisas,somos nós,osprivados,quealémde termosdepromoverasnossas marcas,osnossosprodutos, tambémestamosapromovero destino"."Tenhoreceiodeque, comestadinâmica,comeste ritmoascendente donúmerode turistasquevêmparaacidade deLisboa,acidadeconseguir- sevendermaisemelhornestes últimostempos,emtermosde privadosascoisasvãofuncionar, masquedepois,semosuporte efectivoinstitucional,quevá começarabaixardentrodealgum tempoemdetrimentodeoutros destinos",acrescenta.« Tryp Leiria (4*) Abril 2015 Leiria Monverde Wine Experience Hotel (4*) Maio 2015 Amarante Vila Galé Douro (4*) Maio 2015 Douro Hotel Lis (4*) Maio 2015 Lisboa Jupiter Lisboa Hotel (4*) Maio 2015 Lisboa Santa Barbara Eco Beach Resort (4*) Maio 2015 São Miguel, Açores MH Peniche (4*) Junho 2015 Peniche Turim Saldanha Hotel (4*) Junho 2015 Lisboa Moov Porto Norte (4*) Julho 2015 Matosinhos Hostel Atlas Julho 2015 Leiria Villas da Fonte Leisure & Nature (4*) Brevemente Monte Redondo Novos hotéis em Portugal 2015
  24. 24. Dossier | 43 Limpogerme: Uma alternativa credível e inteligente esde 1997 que a Limpogerme se estabeleceu no mercado da higiene e limpeza profissionais. De 2001 a 2007 tornou-se distribuidora oficial da Hoover Profissional para a Grande Lisboa, tendo depois transitado para o Grupo ProAlliance International (Kiter/ Comac/ VDM). Com uma gama alargada de máquinas de limpeza, produtos químicos, acessórios de limpeza e consumíveis de papel, a empresa integra actualmente uma das maiores redes de distribuição do ramo a actuar em Portugal e, diz-nos Paulo Pinto, responsável comercial da Limpogerme, tem “como principal objectivo satisfazer as necessidades mais específicas de cada cliente”. Sendo o sector turístico um dos segmentos de negócio mais relevantes para a empresa, não só pelo volume de vendas, como também pelo crescimento da imagem e credibilização no mercado, Paulo Pinto aponta-nos a parceria com o Hotel Tryp Oriente como um dos mais recentes trabalhos, e de maior relevo, nesta indústria, destacando o tapete exterior de grandes dimensões personalizado para a entrada da unidade, de elevada resistência ao tráfego e com uma garantia de fábrica de cinco anos. D “Somos a alternativa credível e inteligente que o mercado necessitava”, sublinha o responsável, acrescentando que a Limpogerme representa marcas reconhecidas internacionalmente e com mais de 30 anos de resultados no que diz respeito à satisfação e rentabilização das necessidades de negócio. A empresa trabalha com uma rede de distribuição nacional e internacional seleccionada que, através da formação da Limpogerme, consegue entregar não apenas um produto mas uma solução integrada de limpeza e higienização profissional para cada cliente e para qualquer ramo de actividade”, esclarece Paulo Pinto.« RepMatHotelaria - Hotel Supplier: Uma solução personalizada para cada cliente turismo, e mais concretamente a hotelaria, foi o sector escolhido pela RepMatHotelaria como especialização quando, em 2007, decidiu apostar tudo num “sector que acreditámos vir a ser o mais vibrante da economia portuguesa”, frisa Paulo Gamero, gestor da empresa. Oferecer os melhores produtos aos melhores preços, com flexibilidade de fabrico de equipamentos personalizados e rapidez de prazos de entrega são alguns dos objectivos da RepMatHotelaria que afirma procurar oferecer sempre novas tendências, encarando as necessidades dos clientes como suas. “Temos, ao longo destes anos no mercado, tentado dar uma resposta personalizada a todos os nossos clientes. Eu acredito que é essa vontade de servir bem que deve estar no ADN de todos os que trabalham no O sector hoteleiro”, explica o responsável. A comprovar esta ligação à hotelaria estão alguns trabalhos recentes com unidades como o mais recente hotel do Grupo Jupiter em Lisboa e Algarve, o Hotel Epic Saldanha ou ainda o InterContinental Estoril, entre outros. Para este ano, a grande aposta da RepMatHotelaria passa pelos minibares da marca IndelB de eficiência energética A+++ de qualidade superior, com o consumo mais baixo do mercado. Os modelos da linha Ecosmart podem reduzir até 80% o custo da factura de energia com estes equipamentos. Além disso, adianta Paulo Gamero, a empresa disponibiliza ainda uma oferta diversificada para Trolleys de apoio ao Front & Back Office, bem como diversos artigos de hospitality.«
  25. 25. Host Hotel Systems: Personalização de soluções para a hotelaria ideia surgiu por volta de 1993/94, quando dois amigos licenciados em Engenharia Electrotécnica decidiram pôr em prática um projecto de desenvolvimento de sistemas tecnológicos de apoio à gestão lançando-se exclusivamente no mercado da hotelaria. Isto porque, explica João Paulo Rodrigues, director de Marketing da HHS – Host Hotel Systems, “na altura não havia muitas soluções disponíveis e as unidades hoteleiras nem tinham sistemas adequados”. Depois de um arranque atribulado, que os levou a optarem pela representação e não pelo desenvolvimento de software próprio, só por volta de 1997 começaram a conquistar os primeiros A clientes e é nesse ano que Pedro Vieira, actual director de desenvolvimento, se junta ao projecto. Alguns anos depois, a marca que representavam, Host International, entra em falência, algo que já não os afectou, e “assumimos o controlo total da marca, herdando até alguns dos clientes da própria Host”, esclarece o responsável. Em 2007, já com desenvolvimento 100% nacional, o grupo Algardata entra no capital da HHS, reforçando a sua presença local e oferecendo uma parceria estratégica que acelera a consolidação da marca “como uma das principais fornecedoras de sistemas informáticos para o mercado hoteleiro nacional e assim nos temos mantido até hoje”, frisa João Paulo Rodrigues. A aposta passa por manter os clientes satisfeitos através de uma gestão cuidada das assistências técnicas. “Conseguimos responder com a maior brevidade às tremendas exigências impostas ultimamente pela autoridade tributária, que obrigam a constantes e profundas mudanças na programação do software”, explica. Além disso, “a maior diferenciação encontra-se no alto nível de personalização das soluções”, algo que tem resultado numa carteira de clientes forte onde se incluem grupos hoteleiros como os Heritage, Altis ou Turim, e um projecto específico, o Zmar Eco Resort. Nestes casos, o principal desafio está na maximização da integração de sistemas e na redução ao mínimo dos processos manuais.« 44 | Dossier n A Host Hotel Systems oferece uma solução global e soluções integradas que interagem com todas as secções dos hotéis. A nova versão 10i assenta numa lógica moderna de ligação directa aos principais canais de distribuição online conseguindo gerir a parte da web e ter um controlo efectivo do inventário real. Investe também na área de F&B onde, através das soluções de POS, com o F&B Pack, consegue um controlo efectivo de toda a componente ligada ao bar e restaurante dos hotéis. O desenvolvimento de soluções para dispositivos móveis também tem sido outro ponto em crescimento, mas a maior aposta tem sido na gestão da informação, onde criou um departamento para Reporting e Business Intelligence. As soluções HHS João Paulo Rodrigues
  26. 26. Dossier | 45 Makro: Uma aposta reforçada na hotelaria epois de, em 2004, 2006 e 2008, ter realizado na FIL, feiras de hotelaria, a Makro levou a cabo, de 4 a 6 de Junho, na sua loja de Alfragide, a Feira de Hotelaria e Restauração que teve como mote "MakroHoreca". Segundo Isabel Caeiro, CorporateCommunication, PR & CSR da Makro Portugal, a iniciativa, que a Makro pretende repetir e alargar a outras lojas, teve como objectivo "mostrar novas soluções aos clientes. É um pouco dar soluções aos clientes para serem diferentes, criativos e inovarem no próprio conceito". Segundo a responsável, o que se tentou fazer foi "concentrar num só espaço toda a oferta". Assim, "foram convidados 15 mil clientes do canal Horeca da loja de Alfragide e das lojas de proximidades (Cascais e Palmela) D e, pelo facto de ser um novo conceito, "as lojas do norte e do sul trouxeram clientes para visitar a feira e mostrar a loja de uma forma mais apelativa e com uma maior interacção". Em destaque estiveram vários produtos, entre eles, ostras, algas, o Peixe dos Açores, o Salmão Selvagem do Alasca, os Hambúrgueres Dehesa, o FoieGras e a Carne maturada. Com uma facturação, em 2013/2014, de 344 milhões de euros, dos quais o canal Horeca é responsável por mais de metade, a Makro encontra-se a reestruturar, até ao próximo mês de Setembro, algumas das suas lojas. De acordo com a responsável, a empresa está a "redimensionar as lojas para um tamanho adequado para o restaurador fazer as suas compras.Em vez de ter 10 mil metros quadrados, iremos ter lojas mais reduzidas com os produtos chave. O objectivo é ter o sortido adequado ao canal Horeca e isso passa desde o tipo de embalagem, do tipo de produto,pelas diferenciações, em que apostamos muito, a qualidade e a certificação, que são sempre os grandes pilares da Makro".« Isabel Caeiro
  27. 27. Timfrigo: As ferramentas certas no ramo alimentar ornecer as ferramentas certas no universo alimentar é o que se propõe a Timfrigo, uma empresa prestadora de serviços de engenharia com quadros com uma comprovada experiência nos ramos de negócio de equipamentos de hotelaria, de refrigeração e comerciais. “Somos conhecedores das necessidades destes sectores e trabalhamos para fornecer as ferramentas certas para os mesmos”, sublinha Martim Reis, responsável F alimentares. Por fim, no que se refere aos equipamentos comerciais, a Timfrigo pode completar a linha de equipamento do espaço fornecendo estanteria ligeira ou pesada, checkouts, expositores ou acessórios de exposição. “Trabalhamos com o objectivo de encontrar soluções que sejam à medida do cliente, cuidando do seu negócio e estimando o relacionamento comercial”, explica o responsável. Além disso, Smilecatch: A solução para as necessidades de lazer dos hotéis experiência na indústria hoteleira, nacional e internacional, por onde passou pelos departamentos de F&B e Animação & Eventos, levou João Freitas a querer melhorar a experiência de lazer oferecida nas unidades hoteleiras aos seus clientes. E assim surgiu, em 2012, a Smilecatch, “um projecto bem definido que sabe como rentabilizar a estadia do cliente na unidade hoteleira, aproveitando ao máximo todas as áreas de lazer disponíveis”, explica-nos o seu sócio-gerente. Entendendo a animação hoteleira como um investimento a longo prazo e uma estratégia de lucro, não como um centro de estudos, a empresa proporciona aqui serviços de planeamento de programas, recursos humanos e materiais, comunicação e promoção, desenvolvimento de instalações e contratação de artistas. No que diz respeito aos eventos, e para “rentabilizar baixas temporadas” a Smilecatch participa no planeamento, produção e comercialização dos mesmos. Por fim, na área dos “guest services”, investindo na tecnologia e recursos A humanos, o cliente pode contar com serviços de babysitting, “guest relations” e “destination concierge”. A grande aposta da Smilecatch passa por “estudar as necessidades específicas de cada segmento e, através da inovação, qualidade e tecnologia, proporcionar experiências únicas que diferenciem e posicionem o seu serviço ou produto turístico”, garante João Freitas. E a confirmar a confiança dos clientes estão alguns hotéis com os quais a Smilecatch está a trabalhar ou já trabalhou recentemente. É o caso da unidade Vidamar Algarve Resorts, onde é responsável pela selecção e contratação de artistas, planeamento de programas de animação, entre outros serviços. A empresa já trabalhou também com as unidades Agua Hotels Riverside e Vale da Lapa. Mais recentes são clientes como o Hotel Viking, Hotel Delfim, Hotel Alvor Praia, Hotel Vila Sol e Hotel D. João, para os quais faz planeamento de programa infantil e toda a produção de espectáculos infantis, entre outros serviços.« 46 | Dossier da Timfrigo. A experiência adquirida permitiu garantir a representação de marcas internacionais de renome, e a garantia de qualidade a preço competitivo. No que diz respeito aos equipamentos hoteleiros, a empresa dispõe de soluções para diversos estabelecimentos de restauração, cafés, padarias, entre outros. Já em termos de refrigeração, apresenta experiência na execução de supermercados, talhos, peixarias, armazéns frigoríficos e fábricas a Timfrigo acompanha o desenvolvimento dos clientes e efectua acções de formação para que estes possam explorar na totalidade as capacidades do equipamento à disposição. “Nesta maratona que enfrentamos, consideramos que a qualidade do nosso serviço de assistência é fundamental para que o cliente tenha confiança nas nossas capacidades de apresentar as melhores soluções”, frisa Martim Reis.«
  28. 28. Dossier | 47 Enescoord: Um conceito inovador que faz a diferença o “saber fazer acumulado” de dois irmãos com formação em engenharia (civil e mecânica) surgiu a Enescoord. A experiência na prestação de serviços em projecto, gestão e coordenação de obras e fiscalização levou à criação de um conceito “inovador nas práticas e no contacto directo com o cliente final”, conceito esse que tem vindo a ser aprimorado ao longo de 15 anos de actividade. A Enescoord aposta igualmente em jovens de elevado potencial e na formação contínua nas diversas áreas de engenharia e de gestão. Pela gestão da Enescoord passaram recentemente unidades como o Aquapura, D que foi remodelado e requalificado e irá chamar- se Six Senses Douro Valley; o Furnas Boutique Hotel que foi requalificado na Ilha de São Miguel; o Hotel Príncipe do Mónaco, em Ponta Delgada, também remodelado; ou ainda o Praia Verde Boutique Hotel, cuja primeira fase de remodelação ficou concluída em 2014 e a segunda fase irá dotar a unidade de um ginásio. Na área de projecto de especialidades e de gestão de projecto, podem destacar-se o Tapada da Mata Eco-Resort n 1. Apoio ao desenvolvimento do plano de negócios na fase embrionária do projecto; 2. A gestão de projecto, que engloba toda a fase de pedido de informação prévia, negociação com entidades externas, selecção de equipas de arquitectura, entre outros; 3. Gestão de projecto durante as fases de estudo prévio, licenciamento e acompanhamento da obra, e comissionamento da mesma, e no período de pós-ocupação do empreendimento; 4. Desenvolvimento de projectos de todas as especialidades de engenharias; 5. A coordenação e fiscalização de obras; 6. Auditorias energéticas e de qualidade do ar interior; 7. Auditorias (Due Diligence) técnicas em edifícios a reabilitar, e em estudo de sustentabilidade do ambiente a construir ou construído. Serviços Enescoord Hotel & Spa, um novo hotel de quatro estrelas na Ribeira, em fase de licenciamento e com projectos de execução finalizados; ou ainda o Batalha Premium, para mencionar alguns.« Nuno Enes
  29. 29. Polivitrium: Na linha da frente da inovação á já 14 anos que a Polivitrium, Comércio e Montagem de Vidros, S.A. trabalha na transformação de vidro em chapa, passando de um colaborador, uma viatura e um armazém de 300 m2 para os actuais quase 40 colaboradores, 10 viaturas e instalações próprias de 1.250 m2. Aliás, garante Rui Sousa, administrador da empresa, estando a H Polivitrium em constante crescimento e inovação, está neste momento a concluir a construção de mais uma unidade de transformação com quase dois mil m2, que permitirá processar e transformar chapas de vidro de grande formato, produzir vidro duplo e vidro laminado com composições especiais e inserções, bem como acrescentar o Heat Soak Test (HST) no vidro temperado, “aumentando assim a confiança na nossa marca”. Ao longo destes anos foram já vários os clientes que escolheram a Polivitrium como parceiro, sendo que no turismo se podem destacar alguns nomes como o Myriad by SANA, Hotéis Turim, Memmo e Bessa, em Lisboa. “O nosso sentido de resiliência será, sem dúvida, o grande trunfo para o sucesso, satisfazendo sempre as necessidades dos clientes, acompanhando e fomentando o desenvolvimento de novos produtos por parte dos nossos fornecedores, bem como incentivando os nossos colaboradores a atingir a excelência no produto e serviço”, sublinha Rui Sousa. A Polivitrium tem equipamento de topo para transformação e aplicação em obra, como forno de têmpera, CNC vertical e horizontal, corte de vidro laminado e monolítico computorizado ou máquina de pintura com tinta cerâmica. Além disso, tem sempre presente preocupações ambientais, contando desde 2010 com uma ETAR que lhe permite reciclar toda a água consumida pelas máquinas, o que resulta em enormes poupanças e num menor impacto ambiental, explica o responsável. A qualidade é outra preocupação constante, estando a Polivitrium certificada há cinco anos segundo o Management System ISO 9001:2008. “A qualidade é um factor chave no futuro da empresa e deve ser assumida com responsabilidade pela administração e por todos os colaboradores”, reconhece Rui Sousa, que acrescenta porém que “a qualidade é prevenir, e não corrigir erros”, sendo que na empresa será sempre objecto de melhoria contínua, aproveitando-se as falhas para melhorar.« 48 | Dossier
  30. 30. Arcohotel: Uma solução integrada para o sector turístico riar uma empresa que marcasse a diferença no sector hoteleiro foi o que levou os irmãos José Manuel e Manuel Eugénio de Oliveira Barbosa a juntarem esforços para um novo projecto, em 1998. O facto de ambos contarem com uma experiência de mais de 20 anos na hotelaria foi desde logo um factor diferenciador para a Arcohotel que cedo demonstrou um forte crescimento que a levou a expandir-se para melhorar e servir os clientes de uma forma mais eficaz. Assim surge uma fábrica de mobiliário em aço inox para hotéis, em 2002, e seis anos mais tarde, mais uma unidade fabril, desta vez de estampagem de lavadouros industriais e balde de detritos. Há três anos, a Arcohotel adquiriu uma fábrica já com 30 anos de experiência no sector do frio comercial, adaptando-a e reformando-a com as novas tecnologias e exigências do mercado. Assim equipado, o grupo conta hoje com mais de 150 colaboradores e exporta para mais de 10 países da C Europa e África, isto porque agarrou a oportunidade de internacionalizar-se em 2011, quando inicia a sua actividade em Angola, através da Sortel. Garantem os dois sócios e irmãos que na Arcohotel os clientes encontram “uma solução integrada para o sector do turismo”, começando pelo apoio aos gabinetes de projecto na concepção dos layouts e mapas de infra-estruturas para cozinhas, lavandarias, bares e buffets; e passando ainda pelo fornecimento, instalação e acompanhamento de todas as fases da empreitada até ao serviço pós-venda e assistência técnica. E os resultados estão à vista, com alguns trabalhos marcantes a nível turístico, dos quais se destacam o Hotel Douro Royal Valley Spa para a Jase; os navios-hotel Queen Isabel, Amavida, Viking Hemming e Viking Torgil para a Douro Azul; o Hotel Vincci Porto para a Falopin; o aldeamento turístico Prazer da Natureza, em Vilar dos Mouros, para a Duartesfer; ou o Hotel Praia Norte em Peniche para o Grupo Marteleira.« Dossier | 49
  31. 31. Hotelar: O foco é a satisfação do cliente om uma história de vida de já 20 anos, que surge do consolidar da experiência de outras marcas e empresas que remontam à década 50 do século 20, a Hotelar surge para satisfazer as necessidades do mercado em que decide especializar-se, o turismo. Com esse objectivo em mente, adquiriu e reconstruiu uma unidade fabril centenária que serve hoje de centro de logística e distribuição da empresa, “sendo actualmente a maior e mais completa do género em toda a Península Ibérica”, garante Pedro Pereira, responsável da Hotelar. Hotéis, resorts, hostels, aparamentos turísticos, restaurantes ou spas são alguns dos exemplos de potenciais clientes da Hotelar. “Somos actualmente a empresa portuguesa número um no fornecimento de têxteis para Hotelaria e similares em Portugal, como tal o leque de clientes é bastante alargado”, refere Pedro Pereira. E acrescenta que, neste momento, a Hotelar foi seleccionada para fornecer a quase totalidade do material de 25 novas unidades, das C cerca de 50 aberturas previstas para este ano. Entre elas está o novo Vila Galé Évora, o qual equipou a nível de roupa de cama, de mesa e de banho. “Todo o nosso foco está na satisfação do cliente”, frisa o responsável, mas afirma também que a empresa aposta na qualidade e diferenciação dos produtos, num serviço de excelência, em prazos de entrega “dificilmente igualados e, claro, sempre importante, preços muito competitivos”. A Hotelar disponibiliza assim roupa de banho, sendo que uma grande variedade de felpos, roupões e chinelos estão armazenados para entrega imediata mas também podem ser produzidos segundo especificação do cliente artigos de várias gramagens, com fios singelos ou torcidos, lisos ou com logótipos personalizados em jaquard. A nível da roupa de mesa a empresa procura introduzir novidades constantemente, oferecendo uma colecção única de artigos em linho. E no que diz respeito à roupa de cama apresenta as soluções mais adequadas a cada situação.« Hotelis: Os melhores produtos à medida do cliente riada em finais de 2014 para contrariar as tendências que surgiram de redução das margens normais de comercialização e a consequente menor qualidade dos serviços prestados ao cliente final, em virtude da crise que assolou o país, a Hotelis nasce também porque sentiu que “o mercado exige o restabelecimento dos padrões de qualidade que já teve”, explica Francisco Henriques, director comercial da empresa. Além disso, indica o responsável, o sector do Turismo tem sido aquele que mais tem evoluído, permitindo assim um crescimento de todas as actividades a ele associadas, e a Hotelis não foi excepção. A filosofia desta empresa ainda jovem é apostar na distribuição de produtos das melhores marcas nacionais C e internacionais, bem como naqueles que melhor se adequam ao pretendido pelos clientes. “Para garantirmos a sua fidelização, acrescentamos um serviço pós-venda assegurado por técnicos credenciados e com larga experiência no sector”, sublinha Francisco Henriques. A Hotelis tem actuado junto dos hotéis mas também de instituições privadas como hospitais e universidades, e grupos de distribuição alimentar, participando quer em investimentos de raiz como em remodelações de unidades. Uma vez que a empresa dispõe de um gabinete de projectos e de consultadoria, o director comercial garante que “o nosso cliente beneficia de uma acentuada melhoria da performance do existente ou de uma eficácia de rendimento e de um custo justo no caso de um projecto novo”. A Hotelis estabelece também protocolos e parcerias em diversas áreas de investigação com vista a assegurar as ideias condições de higiene, segurança e salubridade das instalações, no cumprimento das normas preconizadas no HACCP.« 50 | Dossier Equipa Hotelis
  32. 32. Travel & LifeS tyle escapadelas... Hotel Parque do Rio Zmar Gastronomia, cultura e natureza fidelizam turistas getaways... SaraSalgado as escolhas de... the choices of... Porto e Norte de Portugal PortoandNorthernPortugal Gastronomy, culture and nature make tourists want to come back Os sabores que nos conquistamCentrodePortugal|CentreofPortugal The flavors that enchant us

×