SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 119
O Imperialismo na África:
• Até o início do século XIX, o interior da África
era desconhecido para os europeus. A partir
de 1850, com a divisão de quase todo o
território asiático completada, os governos
europeus voltaram seus interesses para o
continente africano. Foram organizadas as
primeiras missões religiosas e expedições
exploradoras para esse continente.
David Livingstone – Missionário
inglês:
Tropas inglesas no Egito:
• Em troca de álcool ou outros tipos de
presentes europeus, os chefes ou reis dos
povos africanos, induzidos pelos exploradores,
cediam todo o seu território empresas
estrangeiras.
O Congo Belga:
• A ocupação desse território foi uma das mais
sangrentas da história do colonialismo
europeu. A população local foi escravizada,
milhares de pessoas morreram de fome, pelos
trabalhos forçados, pelas doenças trazidas
pelos brancos e pelos massacres coletivos
promovidos contra as aldeias que se
rebelavam.
• Quem se recusava ser escravo dos belgas,
tinha suas mãos cortadas.
Exploração de Marfim:
Alguns objetos feitos por marfim:
Faqueiro:
A Guerra dos Bôeres:
Região disputada por ingleses e
holandeses:
• A Guerra dos Bôeres é o nome dado aos dois
conflitos entre o Reino Unido e as duas
repúblicas bôeres independentes, o Estado
Livre de Orange e a República Sul-Africana
(República do Transvaal). Os dois conflitos
ocorreram: de 16 de dezembro de 1880 a 23
de março de 1881 e de 11 de outubro de 1899
a 31 de maio de 1902.
Mina de ouro:
Ouro:
Diamantes:
• Na primeira Guerra dos Bôeres, os ingleses
são derrotados, em 12 de outubro de 1899,
estoura a segunda guerra entre Grã-Bretanha
e as Repúblicas Bôeres. Desta vez os
britânicos são vencedores, e o destino
daqueles que tiveram propriedades e posses
arrasadas são os campos de concentração
criados pelas autoridades inglesas.
• Os bôeres se rendem assinando o tratado de
Vereeniging, onde era dado a eles 3 milhões
de libras esterlinas pela derrota e a promessa
de um eventual governo, o estabelecimento
da União da África do Sul em 1910. O tratado
acabou com as repúblicas bôeres e colocou
seus cidadãos sob a autoridade do Império
Britânico.
• O ouro e os diamantes encontrados, fora
parar na Inglaterra e aumentaram sua riqueza.
A Coroa da Rainha Vitória:
Vestido de noiva da Rainha Vitória:
O domínio da África:
• A França foi um dos primeiros países a
conquistar colônias na África. Em 1830, a
Argélia foi ocupada com o auxilio da legião
estrangeira, um exército criado pelo governo
francês e composto por criminosos,
desertores, fugitivos políticos e aventureiros.
• Em 1844, o Marrocos foi parcialmente
submetido ao controle francês e, em 1854, foi
a vez do Senegal. Partindo desses pontos, a
França avançou para o interior do continente,
conquistando a Guiné, o Gabão, uma parte dos
territórios do Congo e do Sudão. Em 1910,
esses territórios formavam a África Ocidental
Francesa.
• Na mesma época, Madagascar e a Tunísia
foram incorporados ao império colonial
francês, apesar da disputa com a Itália pela
Tunísia.
• A construção do canal de Suez impulsionou a
Inglaterra em direção ao Egito, apesar da
presença francesa na região.
O Canal de Suez:
• O projeto colonial inglês, definido na
expressão “do Cairo ao Cabo”, era unir numa
única colônia todos os territórios que ficavam
entre a colônia do Cabo (Sul da África) e o
Egito (Norte da África).
• A colonização inglesa no Sul do continente
africano foi iniciada por Cecil Rodhes, que
explorava as reservas de ouro e diamantes
encontradas nessa região. Em 1888, a
companhia dirigida por Cecil Rodhes iniciou a
conquista da Rodésia.
Cecil Rhodes:
Cecil Rhodes:
• Entre 1888 e 1891, o Quênia, a Somália e
Uganda foram incorporados ao império
britânico. Em 1899, os ingleses tornaram o
Sudão da França e o Transvaal dos bôeres,
população de origem holandesa que lá estava
desde o século XVIII.
Os países europeus disputam a
África:
• As pretensões coloniais inglesas esbarraram
em um empecilho – a Alemanha, que
reclamava para si o território de Zanzibar.
Além dessa colônia, a Alemanha havia
conquistado, entre 1884 e 1885, os territórios
de Camarões, Togo e Namíbia (Sudoeste
africano).
• Não podemos esquecer Portugal, que havia
muito tempo tinha colonizado a costa de
Angola e Moçambique, Guiné-Bissau e as ilhas
de Cabo Verde.
Tanzanita Bruta:
Mina de Tanzanita:
• A região central do continente africano era
disputada por vários países europeus. Para
decidir a questão, foi organizado um
congresso internacional em Berlim. Foi a
Conferência de Berlim (1884-1885).
Divisão da África:
• O Congresso de Berlim reconheceu o domínio
da Bélgica sobre o Congo, garantindo
liberdade de comércio para todos os países
presentes no congresso.
• Quanto à população local: foi escravizada,
explorada, humilhada; milhares de pessoas
morreram de fome, pelos trabalhos forçados,
pelas doenças trazidas pelos brancos. Quando
os africanos se revoltavam contra os
europeus, eram vítimas de massacres
coletivos para “servirem de exemplo”.
A Guerra entre Zulus e Ingleses:
Tribo Zulu:
Guerra Zulu:
Fardo do Homem Branco:
Tarzan:
Tarzan e os “Selvagens”:
O imperialismo na áfrica
O imperialismo na áfrica
O imperialismo na áfrica

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Temperatura e Calor
Temperatura e Calor Temperatura e Calor
Temperatura e Calor Renato Brasil
 
Os ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosferaOs ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosferaCarolina Corrêa
 
Historia da eletricidade
Historia da eletricidadeHistoria da eletricidade
Historia da eletricidademarinarruda
 
Estados físicos da matéria prof Ivanise Meyer
Estados físicos da matéria prof Ivanise MeyerEstados físicos da matéria prof Ivanise Meyer
Estados físicos da matéria prof Ivanise MeyerIvanise Meyer
 
8ano - Aula 12 - circuito elétrico.pptx
8ano -  Aula 12 -  circuito elétrico.pptx8ano -  Aula 12 -  circuito elétrico.pptx
8ano - Aula 12 - circuito elétrico.pptxmaria leir leir
 
9.genetica.ppt.hereditariedade.1
9.genetica.ppt.hereditariedade.19.genetica.ppt.hereditariedade.1
9.genetica.ppt.hereditariedade.1Kecia Oliveira
 
Genética introdução
Genética introduçãoGenética introdução
Genética introduçãoDalu Barreto
 
Ondas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticasOndas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticasLucas Sabadini
 
O ciclo lunar e as fases da lua
O ciclo lunar e as fases da luaO ciclo lunar e as fases da lua
O ciclo lunar e as fases da luaCristina Graça
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terraProfessor
 
Conceitos de temperatura e calor.ppt
Conceitos de temperatura e calor.pptConceitos de temperatura e calor.ppt
Conceitos de temperatura e calor.pptGiseleTavares18
 

Mais procurados (20)

Linkage - Cristian
Linkage - CristianLinkage - Cristian
Linkage - Cristian
 
Temperatura e Calor
Temperatura e Calor Temperatura e Calor
Temperatura e Calor
 
Segunda Lei de Mendel
Segunda Lei de MendelSegunda Lei de Mendel
Segunda Lei de Mendel
 
Os ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosferaOs ventos e a circulação geral da atmosfera
Os ventos e a circulação geral da atmosfera
 
Historia da eletricidade
Historia da eletricidadeHistoria da eletricidade
Historia da eletricidade
 
Trabalho e potência
Trabalho e potênciaTrabalho e potência
Trabalho e potência
 
Estados físicos da matéria prof Ivanise Meyer
Estados físicos da matéria prof Ivanise MeyerEstados físicos da matéria prof Ivanise Meyer
Estados físicos da matéria prof Ivanise Meyer
 
8ano - Aula 12 - circuito elétrico.pptx
8ano -  Aula 12 -  circuito elétrico.pptx8ano -  Aula 12 -  circuito elétrico.pptx
8ano - Aula 12 - circuito elétrico.pptx
 
9.genetica.ppt.hereditariedade.1
9.genetica.ppt.hereditariedade.19.genetica.ppt.hereditariedade.1
9.genetica.ppt.hereditariedade.1
 
Misturas 6º ano
Misturas 6º anoMisturas 6º ano
Misturas 6º ano
 
Genética introdução
Genética introduçãoGenética introdução
Genética introdução
 
Ondas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticasOndas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticas
 
O ciclo lunar e as fases da lua
O ciclo lunar e as fases da luaO ciclo lunar e as fases da lua
O ciclo lunar e as fases da lua
 
9º aula
9º aula9º aula
9º aula
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
 
Resumo Eletrodinâmica
Resumo EletrodinâmicaResumo Eletrodinâmica
Resumo Eletrodinâmica
 
Conceitos de temperatura e calor.ppt
Conceitos de temperatura e calor.pptConceitos de temperatura e calor.ppt
Conceitos de temperatura e calor.ppt
 
Energias
EnergiasEnergias
Energias
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
 
Potencia e energia eletrica
Potencia  e   energia eletricaPotencia  e   energia eletrica
Potencia e energia eletrica
 

Semelhante a O imperialismo na áfrica

O imperialismo na áfrica
O imperialismo na áfricaO imperialismo na áfrica
O imperialismo na áfricahistoriando
 
O imperialismo na áfrica
O imperialismo na áfricaO imperialismo na áfrica
O imperialismo na áfricahistoriando
 
Apresentação de historia2
Apresentação de historia2Apresentação de historia2
Apresentação de historia2matheus jantz
 
A África no século XIX
A África no século XIXA África no século XIX
A África no século XIX2dot4
 
Era dos Impérios.pptx
Era dos Impérios.pptxEra dos Impérios.pptx
Era dos Impérios.pptxWirlanPaje2
 
O império colonial português do séc
O império colonial português do sécO império colonial português do séc
O império colonial português do sécSilvia Lino
 
América Portuguesa - Expansão e diversidade econômica
América Portuguesa - Expansão e diversidade econômicaAmérica Portuguesa - Expansão e diversidade econômica
América Portuguesa - Expansão e diversidade econômicaisameucci
 
Imperialismo: Aula 01> África
Imperialismo:  Aula 01> ÁfricaImperialismo:  Aula 01> África
Imperialismo: Aula 01> Áfricacarlosbidu
 
Colonia brasil
Colonia brasilColonia brasil
Colonia brasilfelipewatz
 
Descolonização da África
Descolonização da ÁfricaDescolonização da África
Descolonização da Áfricacarlosbidu
 
As potências coloniais e a partilha da África
As potências coloniais e a partilha da ÁfricaAs potências coloniais e a partilha da África
As potências coloniais e a partilha da ÁfricaCantacunda
 
Aula 1 aula 2 brasil colonial
Aula 1 aula 2 brasil colonialAula 1 aula 2 brasil colonial
Aula 1 aula 2 brasil colonialdaviprofessor
 
Trabalho de História
Trabalho de HistóriaTrabalho de História
Trabalho de Históriajuracyferra
 
Seminário - África e Brasil Africano - Escola Vera Cruz - 2015
Seminário - África e Brasil Africano - Escola Vera Cruz - 2015Seminário - África e Brasil Africano - Escola Vera Cruz - 2015
Seminário - África e Brasil Africano - Escola Vera Cruz - 2015Francesca Ribeiro
 

Semelhante a O imperialismo na áfrica (20)

O imperialismo na áfrica
O imperialismo na áfricaO imperialismo na áfrica
O imperialismo na áfrica
 
O imperialismo na áfrica
O imperialismo na áfricaO imperialismo na áfrica
O imperialismo na áfrica
 
O imperialismo na áfrica
O imperialismo na áfricaO imperialismo na áfrica
O imperialismo na áfrica
 
O imperialismo na áfrica
O imperialismo na áfricaO imperialismo na áfrica
O imperialismo na áfrica
 
O imperialismo na áfrica
O imperialismo na áfricaO imperialismo na áfrica
O imperialismo na áfrica
 
O imperialismo na áfrica
O imperialismo na áfricaO imperialismo na áfrica
O imperialismo na áfrica
 
O imperialismo na áfrica
O imperialismo na áfricaO imperialismo na áfrica
O imperialismo na áfrica
 
A colonozação da áfrica
A colonozação da áfricaA colonozação da áfrica
A colonozação da áfrica
 
Apresentação de historia2
Apresentação de historia2Apresentação de historia2
Apresentação de historia2
 
A África no século XIX
A África no século XIXA África no século XIX
A África no século XIX
 
Era dos Impérios.pptx
Era dos Impérios.pptxEra dos Impérios.pptx
Era dos Impérios.pptx
 
O império colonial português do séc
O império colonial português do sécO império colonial português do séc
O império colonial português do séc
 
América Portuguesa - Expansão e diversidade econômica
América Portuguesa - Expansão e diversidade econômicaAmérica Portuguesa - Expansão e diversidade econômica
América Portuguesa - Expansão e diversidade econômica
 
Imperialismo: Aula 01> África
Imperialismo:  Aula 01> ÁfricaImperialismo:  Aula 01> África
Imperialismo: Aula 01> África
 
Colonia brasil
Colonia brasilColonia brasil
Colonia brasil
 
Descolonização da África
Descolonização da ÁfricaDescolonização da África
Descolonização da África
 
As potências coloniais e a partilha da África
As potências coloniais e a partilha da ÁfricaAs potências coloniais e a partilha da África
As potências coloniais e a partilha da África
 
Aula 1 aula 2 brasil colonial
Aula 1 aula 2 brasil colonialAula 1 aula 2 brasil colonial
Aula 1 aula 2 brasil colonial
 
Trabalho de História
Trabalho de HistóriaTrabalho de História
Trabalho de História
 
Seminário - África e Brasil Africano - Escola Vera Cruz - 2015
Seminário - África e Brasil Africano - Escola Vera Cruz - 2015Seminário - África e Brasil Africano - Escola Vera Cruz - 2015
Seminário - África e Brasil Africano - Escola Vera Cruz - 2015
 

Mais de Nelia Salles Nantes

A ditadura militar no brasil 2017
A ditadura militar no brasil   2017A ditadura militar no brasil   2017
A ditadura militar no brasil 2017Nelia Salles Nantes
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilNelia Salles Nantes
 
2 guerra japão e estados unidos - 2017
2 guerra   japão e estados unidos - 20172 guerra   japão e estados unidos - 2017
2 guerra japão e estados unidos - 2017Nelia Salles Nantes
 
2ª guerra em imagens do dia d ao fim da guerra na europa -2017
2ª guerra em imagens   do dia d ao fim da guerra na europa -20172ª guerra em imagens   do dia d ao fim da guerra na europa -2017
2ª guerra em imagens do dia d ao fim da guerra na europa -2017Nelia Salles Nantes
 
2ª guerra áfrica italia e alemanha
2ª guerra    áfrica italia e alemanha2ª guerra    áfrica italia e alemanha
2ª guerra áfrica italia e alemanhaNelia Salles Nantes
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilNelia Salles Nantes
 
Os regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europaOs regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europaNelia Salles Nantes
 
A crise de 1929 e o new deal 2017
A crise de 1929 e o new deal   2017A crise de 1929 e o new deal   2017
A crise de 1929 e o new deal 2017Nelia Salles Nantes
 

Mais de Nelia Salles Nantes (20)

A ditadura militar no brasil 2017
A ditadura militar no brasil   2017A ditadura militar no brasil   2017
A ditadura militar no brasil 2017
 
O período regencial 2017
O período regencial   2017O período regencial   2017
O período regencial 2017
 
Brasil 1945 1964 -
Brasil 1945   1964 -Brasil 1945   1964 -
Brasil 1945 1964 -
 
O 1º reinado
O 1º reinadoO 1º reinado
O 1º reinado
 
A independência do brasil
A independência do brasilA independência do brasil
A independência do brasil
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
 
2 guerra japão e estados unidos - 2017
2 guerra   japão e estados unidos - 20172 guerra   japão e estados unidos - 2017
2 guerra japão e estados unidos - 2017
 
2ª guerra em imagens do dia d ao fim da guerra na europa -2017
2ª guerra em imagens   do dia d ao fim da guerra na europa -20172ª guerra em imagens   do dia d ao fim da guerra na europa -2017
2ª guerra em imagens do dia d ao fim da guerra na europa -2017
 
2ª guerra 1942 a 1945 imagens
2ª guerra 1942 a 1945   imagens2ª guerra 1942 a 1945   imagens
2ª guerra 1942 a 1945 imagens
 
2ª guerra áfrica italia e alemanha
2ª guerra    áfrica italia e alemanha2ª guerra    áfrica italia e alemanha
2ª guerra áfrica italia e alemanha
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
 
A 2ª guerra mundial 2017
A 2ª guerra mundial   2017A 2ª guerra mundial   2017
A 2ª guerra mundial 2017
 
A era napoleônica 2017
A era napoleônica   2017A era napoleônica   2017
A era napoleônica 2017
 
A era napoleônica 2017
A era napoleônica   2017A era napoleônica   2017
A era napoleônica 2017
 
A revolução francesa
A revolução francesaA revolução francesa
A revolução francesa
 
Os regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europaOs regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europa
 
A crise de 1929 e o new deal 2017
A crise de 1929 e o new deal   2017A crise de 1929 e o new deal   2017
A crise de 1929 e o new deal 2017
 
O despotismo esclarecido 2017
O despotismo esclarecido   2017O despotismo esclarecido   2017
O despotismo esclarecido 2017
 
O iluminismo 2017
O iluminismo   2017O iluminismo   2017
O iluminismo 2017
 
A república velha 2017
A república velha   2017A república velha   2017
A república velha 2017
 

Último

Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxpatriciapedroso82
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persafelipescherner
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfandreaLisboa7
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxlucivaniaholanda
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 

O imperialismo na áfrica

  • 1. O Imperialismo na África:
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7. • Até o início do século XIX, o interior da África era desconhecido para os europeus. A partir de 1850, com a divisão de quase todo o território asiático completada, os governos europeus voltaram seus interesses para o continente africano. Foram organizadas as primeiras missões religiosas e expedições exploradoras para esse continente.
  • 8. David Livingstone – Missionário inglês:
  • 9.
  • 11. • Em troca de álcool ou outros tipos de presentes europeus, os chefes ou reis dos povos africanos, induzidos pelos exploradores, cediam todo o seu território empresas estrangeiras.
  • 13. • A ocupação desse território foi uma das mais sangrentas da história do colonialismo europeu. A população local foi escravizada, milhares de pessoas morreram de fome, pelos trabalhos forçados, pelas doenças trazidas pelos brancos e pelos massacres coletivos promovidos contra as aldeias que se rebelavam.
  • 14.
  • 15.
  • 16. • Quem se recusava ser escravo dos belgas, tinha suas mãos cortadas.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23. Alguns objetos feitos por marfim:
  • 24.
  • 25.
  • 27. A Guerra dos Bôeres:
  • 28. Região disputada por ingleses e holandeses:
  • 29. • A Guerra dos Bôeres é o nome dado aos dois conflitos entre o Reino Unido e as duas repúblicas bôeres independentes, o Estado Livre de Orange e a República Sul-Africana (República do Transvaal). Os dois conflitos ocorreram: de 16 de dezembro de 1880 a 23 de março de 1881 e de 11 de outubro de 1899 a 31 de maio de 1902.
  • 30.
  • 31.
  • 33.
  • 34. Ouro:
  • 35.
  • 37.
  • 38.
  • 39. • Na primeira Guerra dos Bôeres, os ingleses são derrotados, em 12 de outubro de 1899, estoura a segunda guerra entre Grã-Bretanha e as Repúblicas Bôeres. Desta vez os britânicos são vencedores, e o destino daqueles que tiveram propriedades e posses arrasadas são os campos de concentração criados pelas autoridades inglesas.
  • 40.
  • 41.
  • 42.
  • 43.
  • 44.
  • 45.
  • 46. • Os bôeres se rendem assinando o tratado de Vereeniging, onde era dado a eles 3 milhões de libras esterlinas pela derrota e a promessa de um eventual governo, o estabelecimento da União da África do Sul em 1910. O tratado acabou com as repúblicas bôeres e colocou seus cidadãos sob a autoridade do Império Britânico.
  • 47. • O ouro e os diamantes encontrados, fora parar na Inglaterra e aumentaram sua riqueza.
  • 48.
  • 49. A Coroa da Rainha Vitória:
  • 50. Vestido de noiva da Rainha Vitória:
  • 51. O domínio da África:
  • 52.
  • 53. • A França foi um dos primeiros países a conquistar colônias na África. Em 1830, a Argélia foi ocupada com o auxilio da legião estrangeira, um exército criado pelo governo francês e composto por criminosos, desertores, fugitivos políticos e aventureiros.
  • 54.
  • 55. • Em 1844, o Marrocos foi parcialmente submetido ao controle francês e, em 1854, foi a vez do Senegal. Partindo desses pontos, a França avançou para o interior do continente, conquistando a Guiné, o Gabão, uma parte dos territórios do Congo e do Sudão. Em 1910, esses territórios formavam a África Ocidental Francesa.
  • 56.
  • 57. • Na mesma época, Madagascar e a Tunísia foram incorporados ao império colonial francês, apesar da disputa com a Itália pela Tunísia.
  • 58.
  • 59. • A construção do canal de Suez impulsionou a Inglaterra em direção ao Egito, apesar da presença francesa na região.
  • 60. O Canal de Suez:
  • 61.
  • 62.
  • 63.
  • 64.
  • 65.
  • 66.
  • 67.
  • 68. • O projeto colonial inglês, definido na expressão “do Cairo ao Cabo”, era unir numa única colônia todos os territórios que ficavam entre a colônia do Cabo (Sul da África) e o Egito (Norte da África).
  • 69.
  • 70. • A colonização inglesa no Sul do continente africano foi iniciada por Cecil Rodhes, que explorava as reservas de ouro e diamantes encontradas nessa região. Em 1888, a companhia dirigida por Cecil Rodhes iniciou a conquista da Rodésia.
  • 71.
  • 74. • Entre 1888 e 1891, o Quênia, a Somália e Uganda foram incorporados ao império britânico. Em 1899, os ingleses tornaram o Sudão da França e o Transvaal dos bôeres, população de origem holandesa que lá estava desde o século XVIII.
  • 75.
  • 76. Os países europeus disputam a África:
  • 77. • As pretensões coloniais inglesas esbarraram em um empecilho – a Alemanha, que reclamava para si o território de Zanzibar. Além dessa colônia, a Alemanha havia conquistado, entre 1884 e 1885, os territórios de Camarões, Togo e Namíbia (Sudoeste africano).
  • 78. • Não podemos esquecer Portugal, que havia muito tempo tinha colonizado a costa de Angola e Moçambique, Guiné-Bissau e as ilhas de Cabo Verde.
  • 79.
  • 80.
  • 83.
  • 84.
  • 85.
  • 86.
  • 87.
  • 88. • A região central do continente africano era disputada por vários países europeus. Para decidir a questão, foi organizado um congresso internacional em Berlim. Foi a Conferência de Berlim (1884-1885).
  • 89.
  • 90.
  • 91.
  • 92.
  • 93.
  • 95.
  • 96.
  • 97. • O Congresso de Berlim reconheceu o domínio da Bélgica sobre o Congo, garantindo liberdade de comércio para todos os países presentes no congresso.
  • 98. • Quanto à população local: foi escravizada, explorada, humilhada; milhares de pessoas morreram de fome, pelos trabalhos forçados, pelas doenças trazidas pelos brancos. Quando os africanos se revoltavam contra os europeus, eram vítimas de massacres coletivos para “servirem de exemplo”.
  • 99. A Guerra entre Zulus e Ingleses:
  • 101.
  • 103.
  • 104.
  • 105.
  • 106.
  • 107.
  • 108.
  • 109.
  • 110.
  • 111. Fardo do Homem Branco:
  • 112.
  • 114.
  • 115.
  • 116. Tarzan e os “Selvagens”: