A sociedade feudal

740 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
740
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A sociedade feudal

  1. 1. A Sociedade Feudal:
  2. 2. “Na sociedade feudal alguns rezam, outros guerreiam e outros trabalham”: • A sociedade feudal era composta por três classes básicas: Clero, Nobres e Servos. A estrutura social praticamente não permitia mobilidade, sendo portanto que a condição de um indivíduo era determinada pelo nascimento. As terras eram divididas em feudos, onde havia um senhor, o senhor feudal que mandava em tudo no local.
  3. 3. • O senhor era o proprietário dos meios de produção, enquanto os servos representavam a grande massa de camponeses que produziam a riqueza social. Cada feudo tinha sua moeda, leis, tecnologia e às vezes a própria língua; os feudos eram tão grandes que não havia comunicação entre eles a não ser em caso de guerra, fazendo com que cada um tivesse um desenvolvimento diferente.
  4. 4. • O clero possuía grande importância no mundo feudal, cumprindo um papel específico em termos de religião, de formação social, moral e ideológica. No entanto esse papel do clero é definido pela hierarquia da Igreja, quer dizer, pelo Alto Clero, que por sua vez é formado por membros da nobreza feudal. Originariamente o clero não é uma classe social, pois seus membros ou são de origem senhorial (alto clero) ou servil (baixo clero).
  5. 5. • "Na sociedade alguns rezam, outros guerreiam e outros trabalham, onde todos formam um conjunto inseparável e o trabalho de uns permite o trabalho dos outros dois e cada qual por sua vez presta seu apoio aos outros".
  6. 6. Os servos tinham de pagar muitas taxas aos senhores feudais: • Corvéia : trabalho gratuito nas terras do senhor em alguns dias da semana. • Talha : porcentagem da produção das tenências. • Banalidade : imposto cobrado pelo uso de instrumentos ou bens do senhor, como o moinho, o forno, o celeiro, as pontes. • Capitação: imposto pago por cada membro da família servil (por cabeça) • Tostão de Pedro: imposto pago à igreja, utilizado para a manutenção da capela local.
  7. 7. • Heriot ou Mão-morta: Taxa paga pelo servo ao assumir o feudo no lugar de seu pai que veio a morrer.
  8. 8. • Os servos estavam presos a uma série de obrigações aos senhores feudais, e, sendo praticamente escravos, só conseguiam a liberdade mediante a um pagamento, mas isso era muito difícil. Eram a maioria da população, viviam na injustiça e miséria, então entravam em constantes revoltas com os senhores feudais.Não tinham a propriedade da terra e não podiam abandoná- la .
  9. 9. Divisão do feudo: • Durante o feudalismo na Europa (Idade Média), o feudo era a principal unidade de produção. As terras do feudo eram de propriedade do senhor feudal, porém possuíam uma divisão bem determinada.
  10. 10. Domínio (Manso Senhorial): • As terras do manso senhorial eram de utilização exclusiva do senhor feudal. Porém, os servos eram convocados para trabalharem de 2 a 3 dias por semana nesta terra, sendo que toda produção era destinada ao senhor feudal.
  11. 11. Manso servil: • Eram as terras destinadas ao uso dos servos (camponeses do feudo). Os servos não eram proprietários destas terras, mas apenas usavam e delas deveriam tirar o sustento da família e também pagar as taxas e impostos ao senhor feudal. A condição de servo passava de pai para filho, assim como o direito de usar estas terras.
  12. 12. Terras comunais: • Área do feudo de uso coletivo. Eram os bosques, florestas e pastos. Porém, dependendo do feudo existiam regras para sua utilização. Em muitos locais da Europa, era comum a proibição da caça realizada por servos em terras comunais. Os servos podiam levar seus animais para pastarem nestas terras, assim como pegar lenha.
  13. 13. Economia e propriedade: • O modo de produção feudal próprio do Ocidente europeu, tinha por base a economia agrária, amonetária (sem dinheiro), não- comercial, auto-suficiente. A propriedade feudal, pertencia a uma camada privilegiada, composta pelos senhores feudais, altos dignitários da Igreja (o clero) e antigos descendentes dos chefes tribais germânicos.
  14. 14. • A principal unidade econômica de produção era o feudo, que se dividia em três partes; • devido ao modelo explorador do sistema feudal, o servo não se sentia estimulado a aumentar a produção com inovações tecnológicas. Por isso, o desenvolvimento técnico foi irrelevante, limitando a produtividade.
  15. 15. • A principal técnica adotada foi a agricultura dos três campos que evitava o esgotamento do solo, mantendo a fertilidade da terra.
  16. 16. As relações de Suserania e Vassalagem:
  17. 17. • No mundo feudal, as terras representavam um importante instrumento para a obtenção de poder e construção de relações sociais. Um membro da nobreza poderia ter acesso a uma propriedade por meio do direito de herança. Entretanto, para que as propriedades não fossem divididas, a maioria dos senhores feudais passava o Feudo para seu filho mais velho.
  18. 18. • Outra opção de acesso a terra também poderia ser estabelecida por meio de um juramento de fidelidade. Nesse caso, dois nobres se reuniam para firmar um acordo em que um deles oferecia e o outro recebia a propriedade de um feudo. Do ponto de vista social, esse entendimento criava um tipo de contato que selava as chamadas relações de suserania e vassalagem.
  19. 19. • Para que o compromisso entre o suserano e o vassalo acontecesse, era organizada uma cerimônia solene(homenagem). Nessa ocasião, sob a presença de uma relíquia religiosa ou da Bíblia Sagrada, o nobre que doa a terra (suserano) e o recebedor (vassalo) seguiam alguns rituais: o vassalo beija o suserano, que entrega um objeto que representava o feudo, para o vassalo .
  20. 20. • Neste momento eram determinadas várias obrigações entre Suserano e Vassalo : • O vassalo devia serviço militar ao seu suserano, sendo desta forma obrigado a disponibilizar suas tropas sempre que houvesse necessidade. • O suserano deveria garantir a proteção de seu vassalo e ceder uma parcela de sua propriedade para o mesmo.
  21. 21. • Quando houvesse necessidade, o suserano poderia promover esse mesmo compromisso com outros vassalos. Da mesma forma, um vassalo poderia se tornar suserano de outros nobres que não tinham propriedade de terras. • Por conta desse processo de distribuição de terras e a autonomia política garantida a cada senhor feudal, podemos observar que as relações de suserania e vassalagem
  22. 22. • contribuíram para a descentralização do poder político na época. • Por outro lado, vemos que essa mesma prática foi fundamental para que os nobres de uma região assumissem a tarefa de proteger a mesma contra qualquer tipo de ameaça externa.

×