Palestra ahsfra (1)

446 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
446
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra ahsfra (1)

  1. 1. A Hidrovia do São Francisco Administração da Hidrovia do São Francisco AHSFRA DNIT Sebastião José Marques de OliveiraSebastião José Marques de Oliveira Superintendente AHSFRA/CODEBASuperintendente AHSFRA/CODEBA e-mail: smarques@ahsfra.gov.bre-mail: smarques@ahsfra.gov.br
  2. 2. Sistema Hidroviário Interior  Área de influência da Hidrovia do São Francisco  Aspectos gerais e navegabilidade do rio São Francisco  Atuação da AHSFRA  Contratempos operacionais  Estratégias para viabilização  Proposta organizacional  Fotos  Investimentos Resumo da PalestraResumo da Palestra
  3. 3. Área de Influência da Hidrovia 1.845Total 108Corrente 366Grande 1.371São Francisco Extensão (km) Rio em implantação projetado Rio Paracatu Multimodal Rio Corrente
  4. 4. Aspectos Gerais: Bacia do São Francisco  Área da bacia: 645.000 km2  Extensão do rio São Francisco: 2.700 km  Vazão média de 2.850 m3 /s  47,2 % da área da bacia na Bahia  38,2 % da área da bacia em Minas Gerais, responsável por gerar cerca de 70 % do deflúvio  Estações de cheia (outubro a abril) e de estiagem (maio a setembro) bem destacadas  Fundo móvel e leito migratório
  5. 5. Condições de Navegabilidade  Ibotirama - Juazeiro/Petrolina calado de 1,5 m durante a estiagem  Pirapora – Ibotirama calado de 1,2 m durante a estiagem  Balizamento e desassoreamentos de Pirapora a Juazeiro/Petrolina  Talvegue mais sinuoso no trecho mineiro  Trechos a jusante de barramentos sujeitos a operações das UHEs (Três Marias-MG e Sobradinho-BA)
  6. 6. Carga transportada na Hidrovia do São Francisco Produção de Transporte - Carga com passagem pela eclusa de Sobradinho (milhões de TKU) 0 20 40 60 80 100 120 140 1988 1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 MilhõesdeTKU Fonte: AHSFRA ANO milhões TKU 1988 115,0 1989 59,4 1990 36,0 1991 42,8 1992 17,5 1993 27,1 1994 54,5 1995 16,2 1996 79,5 1997 45,6 1998 47,6 1999 49,9 2000 34,6 2001 35,5 2002 43,9 2003 73,4 2004 54,4
  7. 7. Carga potencial para a Hidrovia do São Francisco 1,736 1,371 1,212 4,319 0 1 2 3 4 5 Granéis (bilhões de TKU) Carga com perfil hidroviário na área de influência da Hidrovia do São Francisco Barreiras- Juazeiro/Petrolina Pirapora- Juzeiro/Petrolina Petrolina-Pirapora Total Fontes: DEPVIA (1999) e FRANAVE (1998)
  8. 8. Atuação da AHSFRA  Estudos para o aperfeiçoamento operacional  Operação da Eclusa de Sobradinho Obras civis hidroviárias Derrocamentos Contenção de margens Estabilização de bancos de areia e aprofundamento de canal
  9. 9. Espigões e Guias-corrente
  10. 10. Simulação do funcionamento da Eclusa de Sobradinho-BA
  11. 11. Atuação da AHSFRA  Manutenção da Hidrovia Estudos de navegabilidade Estudos para expansão do transporte de cargas pelo São Francisco e afluentes Monitoramento das condições hídricas do rio São Francisco e afluentes Balizamento fixo e flutuante Desassoreamento de canal de navegação Monitoramento e gestão ambiental das atividades de manutenção da Hidrovia
  12. 12. 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.6 2.4 2.7 2.7 2.3 2.1 2.1 2.2 2.2 2.0 2.0 4.1 4.8 4.8 4.8 5.1 5.1 5.1 5.2 5.2 5.2 4.4 3.7 2.0 2.5 2.3 2.7 3.9 3.95.4 3.4 3.9 3.2 4.0 4.9 4.9 4.9 4.7 4.7 4.7 4.7 4.8 4.4 4.4 4.1 4.2 4.0 4.0 4.24.1 4.5 4.8 4.6 4.6 4.6 4.3 4.3 4.3 4.3 4.0 4.0 4.2 4.3 4.3 4.1 4.1 4.54.2 4.0 4.6 4.8 4.2 4.2 4.2 5.3 5.6 5.7 5.7 6.1 6.2 5.25.0 5.6 5.5 5.7 5.7 5.5 5.0 5.4 5.8 5.9 5.8 5.4 5.3 5.4 5.1 5.1 5.3 5.0 4.0 4.7 4.4 5.2 5.2 6.0 5.8 6.2 6.2 6.3 6.3 6.3 6.0 6.8 6.7 6.5 6.5 5.4 5.9 4.4 4.9 6.6 6.6 6.4 6.4 6.7 6.1 4.1 4.1 4.24.6 4.8 4.9 3.7 3.3 3.2 1.7 2.3 2.3 2.3 2.5 2.5 2.5 2.4 2.4 2.7 2.1 2.1 2.1 2.4 2.2 2.9 2.1 4.8 4.4 4.2 3.7 2.6 2.8 2.4 2.2 2.2 2.2 1.5 1.6 1.7 1.9 1.8 1.6 1.7 1.2 1.71.7 1.2 2.1 2.1 2.1 2.0 2.0 2.0 2.0 1.9 2.2 2.2 2.2 2.2 2.2 2.2 2.2 2.2 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.0 2.0 2.0 2.0 2.1 2.1 Figura 8.10 - Reprodução da Carta de Profundidades no Pedral Três Coqueiros 2.1 2.1 2.1 2.1 2.2 2.2 2.2 2.22.2 2.2 2.4 2.4 2.4 2.4 2.4 2.4 2.4 2.4 2.4 2.5 2.5 2.6 2.0 2.0 2.0 2.5 2.2 1.6 1.6 1.6 1.6 1.6 1.6 1.6 3.7 3.7 3.93.9 3.9 3.9 4.0 4.0 4.0 4.3 4.3 4.1 4.1 4.0 4.1 4.14.1 4.2 4.2 4.2 4.2 4.2 4.4 3.9 3.9 3.9 1.5 1.7 3.1 3.0 3.0 3.0 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.4 3.4 3.4 3.4 3.4 3.4 3.1 3.1 1.5 1.5 1.5 1.4 2.1 2.2 2.4 2.9 2.7 2.7 3.1 3.1 2.8 1.7 1.7 1.7 1.7 1.5 1.6 1.8 1.8 1.9 1.7 1.9 1.9 1.3 2.1 2.4 2.4 2.3 2.3 2.3 2.3 2.3 2.4 2.62.6 2.62.6 2.5 2.6 2.6 2.6 2.8 2.8 2.7 2.7 2.8 2.8 2.8 2.8 2.82.7 1.9 1.8 2.9 2.9 2.8 2.9 2.9 2.9 2.4 2.5 2.4 2.1 2.6 2.6 2.6 1.7 1.7 1.6 1.6 1.9 1.9 1.9 1.9 1.9 1.9 1.8 1.8 1.8 2.7 2.7 2.7 2.9 3.0 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.6 2.6 2.6 2.6 2.6 2.6 2.6 2.6 2.62.6 2.6 2.6 2.6 2.6 2.6 2.6 2.6 2.6 2.6 2.6 2.6 2.6 2.6 2.6 2.9 2.9 2.9 2.9 2.9 2.9 2.9 2.9 2.9 2.9 2.9 2.9 2.8 2.8 2.8 2.8 2.8 2.8 2.4 2.4 2.4 2.4 2.4 2.4 2.4 2.4 2.4 2.3 2.4 2.4 2.5 2.5 2.5 2.5 2.5 2.5 2.5 2.5 2.5 2.5 2.5 2.5 2.5 2.8 2.6 2.4 2.4 2.4 2.4 2.4 2.4 2.2 2.2 2.2 2.2 2.2 2.2 2.2 2.3 2.3 2.3 2.3 2.3 2.3 2.62.1 2.6 2.6 2.5 2.52.6 2.6 2.9 2.8 2.8 2.8 2.8 2.8 2.8 2.8 2.8 2.8 3.0 3.9 2.82.8 2.92.9 2.9 3.0 3.03.0 3.0 3.0 3.0 3.1 3.1 3.1 3.13.2 3.2 3.2 3.3 3.3 3.3 3.3 3.3 3.3 3.3 3.5 3.5 3.5 3.53.8 3.8 3.8 3.8 3.8 3.8 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.23.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 2.8 2.8 2.8 2.8 2.7 2.7 2.7 3.2 3.2 3.4 3.4 3.43.4 3.5 3.5 3.5 3.5 3.5 3.5 3.5 3.5 3.5 3.5 3.5 3.3 3.3 3.3 3.4 3.4 3.4 3.4 3.0 3.0 3.0 3.0 3.1 3.1 3.1 3.1 3.1 3.13.1 3.1 3.1 3.0 3.0 3.0 3.0 3.3 3.3 3.3 3.3 3.3 3.3 3.3 3.3 3.3 3.3 3.3 3.3 2.9 2.8 2.8 2.8 3.0 3.3 3.33.3 3.3 3.3 3.33.33.33.3 3.3 3.3 3.5 3.5 3.0 3.83.8 3.7 3.7 3.7 3.7 3.6 3.6 3.6 3.6 3.6 3.6 3.6 3.6 3.3 3.3 3.1 3.1 3.1 3.1 3.1 3.1 3.1 3.1 2.9 2.9 2.9 2.9 2.9 2.6 2.7 3.2 3.2 3.4 3.4 3.4 3.4 3.4 3.4 3.4 3.4 3.43.4 3.4 3.4 3.4 3.6 3.5 3.5 3.5 3.6 3.6 3.6 3.8 3.8 3.8 3.8 3.8 3.93.9 3.6 3.6 3.6 3.6 3.6 3.7 3.7 3.9 3.5 3.5 3.2 3.2 3.2 3.2 3.3 3.3 3.3 3.3 3.4 3.4 3.4 3.4 3.3 3.2 2.6 2.8 2.9 2.9 2.9 2.9 2.9 2.9 2.9 2.9 2.8 3.0 3.0 3.0 3.0 3.0 3.0 3.0 3.0 3.0 3.0 3.0 3.2 3.2 3.2 3.23.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.2 3.13.1 3.1 3.1 3.1 3.1 3.1 3.1 3.1 3.1 3.1 3.1 3.1 3.1 3.13.1 3.1 3.1 3.1 3.1 2.9 3.1 3.1 3.1 3.1 3.1 3.1 3.1 3.1 3.1 3.1 3.0 3.0 3.1 3.1 3.2 3.2 3.2 3.2 3.23.2 3.3 3.3 3.3 3.3 3.4 3.4 3.4 3.4 3.4 3.4 3.4 3.4 3.4 3.4 3.4 3.4 3.4 3.4 3.4 3.4 3.4 3.6 3.6 3.6 3.6 3.6 3.6 3.6 3.6 3.6 3.6 3.8 3.6 3.6 3.6 3.63.8 3.8 3.8 3.8 3.83.8 3.8 4.0 4.0 4.0 4.0 4.1 4.1 4.1 4.1 4.1 4.0 4.0 4.2 4.2 3.9 3.9 2.9 2.9 3.9 3.6 3.7 3.73.7 3.7 3.7 3.7 3.7 3.7 3.7 3.7 3.7 3.7 3.7 3.3 3.3 3.5 3.5 3.53.5 3.5 3.3 3.3 3.3 3.3 3.3 3.3 3.3 3.3 3.3 3.3 3.3 3.3 3.3 2.6 2.6 2.6 2.8 2.8 2.2 2.2 2.2 2.2 2.5 2.4 2.7 2.8 2.9 2.4 2.4 2.4 2.4 2.4 2.42.4 2.4 2.4 2.4 8.093.400 - N 8.093.500 - N 8.093.600 - N 513.400-E513.400-E 513.300-E513.300-E 513.200-E513.200-E 513.100-E513.100-E 2.4 2.4 2.4 2.4 2.3 2.3 2.3 2.4 2.2 2.2 2.2 2.2 2.2 2.2 2.6 2.1 2.1 2.1 2.1 2.1 2.1 2.1 2.1 2.1 2.1 2.1 2.1 2.1 2.0 2.2 2.2 2.2 2.2 2.3 2.3 2.3 2.3 2.3 2.3 2.3 2.3 2.3 2.6 2.62.82.8 2.6 2.6 2.9 2.92.6 2.6 2.6 2.9 2.6 2.5 2.5 2.5 2.5 2.5 2.5 2.4 2.4 2.4 2.9 2.9 3.5 3.2 3.9 3.4 3.4 3.4 3.5 3.3 3.33.2 3.2 3.2 3.2 3.0 3.0 3.0 3.2 3.93.9 3.6 3.63.8 3.8 3.9 3.3 3.7 3.1 3.7 3.7 3.6 3.6 3.6 3.6 6.16.1 6.2 6.2 6.1 6.9 6.2 6.3 6.3 6.2 6.2 4.6 6.6 6.7 2.7 2.22.4 2.4 2.4 2.4 2.8 2.8 2.4 2.4 2.4 2.4 2.3 2.32.5 2.5 2.5 2.5 2.5 2.5 2.5 2.5 2.5 2.5 2.2 2.5 2.0 2.6 2.6 2.7 2.7 2.7 2.8 2.8 2.8 2.8 2.8 2.8 2.8 2.9 2.9 2.9 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.7 2.9 3.6 3.5 3.2 513.500-E513.500 Carta de Profundidade para Navegação
  13. 13. Margem Direita Margem Esquerda Navegar pelo meio até o próximo sinal situado na margem oposta Canal junto à ilha. Canal situado entre esta e a margem oposta Afastar da margem até o próximo sinal situado na mesma margem Indica o canal em relação à ilha PLACAS Canal junto à ilha. Canal situado entre esta e a margem seguida
  14. 14. Margem Direita Margem Esquerda Km em relação a foz Canal junto a margem Cruzar o rio em linha reta Perigo isolado avante PLACAS
  15. 15. Bóia cega - deixa para bombordo de quem desce o rio e a boreste para quem sobe o rio Bóia cega - deixa para boreste de quem desce o rio e a bombordo para quem sobe o rio Bóia cega - perigo isolado; pedra no meio do canal BÓIAS
  16. 16. Simulação de navegação com balizamento
  17. 17. Atuação da AHSFRA  Monitoramento operacional da Hidrovia (SIG) Transmissão de níveis d’água em tempo real Previsão de vazões de estiagem (longo prazo) Previsão de vazão em tempo real (curto prazo) Mapeamento de passagens críticas Desenvolvimento de Estudos de Hidráulica Fluvial, hidrológicos, logísticos, geomorfológicos e ambientais
  18. 18. A partir da batimetria, gera-se uma superfície em 3D do local do pedral. Loca-se o canal de navegação e calcula- se o volume de remoção de material para a profundidade desejada. Aplicação SIG - Geoprocessamento Exemplo no rio São Francisco: Pedral Cachoeira do Araçá PK 1380 Calado: 2,50 m (prof. 3,00m) Volume a remover: 3.364 m3
  19. 19. Batimetria em 3D – Projeto de Obras
  20. 20. Batimetria em 3D
  21. 21. Batimetria em 3D
  22. 22. Contratempos Operacionais  Mobilidade do leito fluvial (fundo e margens)  Pedrais e pedras isoladas  Sombras formadas por serras e serrotes que circundam o Lago de Sobradinho  Ventos fortes no Lago de Sobradinho  Operação dos reservatórios priorizando a geração energética  Furto e depredação da sinalização implantada  Assoreamento constante e crescente na bacia hidrográfica do rio São Francisco
  23. 23. Perfil do rio São Francisco Fonte: PNVNI – Ministério dos Transportes
  24. 24. Estratégias para viabilização Foco do Governo Federal nos Eixos Nacionais de Integração e Desenvolvimento  Foco na gestão integrada dos recursos hídricos da bacia  Estudo de novas cargas potenciais, demandas e oportunidades  Investimento em Ciência & Tecnologia (inclusive Ambiental)  Treinamento de pessoal especializado  Intercâmbio com outros países  Atração da iniciativa privada para a realização do transporte de cargas  Disponibilidade orçamentária e agilidade na liberação de recursos no período adequado
  25. 25. Estratégias para viabilização Modernização/ampliação de terminais existentes  Desenvolvimento da linha de ação guiada pelo Zoneamento Econômico Ecológico do Eixo São Francisco  Obras Civis Hidroviárias  Ferramentas de Gestão Ambiental implantação da Hidrovia do Rio Grande e Corrente reestruturação do Sistema de Informações Georeferenciadas (SIG) reimplantação das estações limnimétricas reimplantação da sinalização luminosa do Lago de Sobradinho-BA estudos de navegabilidade do rio Paracatu Expansão
  26. 26. Proposta Organizacional e Institucional para Hidrovias  Transporte de carga A União como responsável por dotar as hidrovias das infra- estruturas necessárias à navegação, sendo a bacia hidrográfica a unidade de planejamento Estruturação para o setor de órgão gestor próprio, com políticas e diretrizes eficazes e bem definidas Infra-estrutura da hidrovia Setor privado, estados e municípiosInfra-estrutura portuária Setor privado
  27. 27. OBRAS / SERVIÇOS Milhões R$ Desassoreamento de canal de navegação 1,75 Balizamento fixo de margem e flutuante 1,95 Monitoramento operacional 0,85 Manutenção eclusa Sobradinho BA 0,25 Manutenção embarcações 0,15 Manutenção de portos e equipamentos 0,85 Projeto de obras hidráulicas 0,75 Reimplantação do SIG 1,2 Reimplantação balizamento luminoso lago de Sobradinho-BA 0,75 Aquisição de equipamentos 2,1 Custeio ambiental 0,45 Total 11,05 Previsão plano de trabalho 2007
  28. 28. MANUTENÇÃO DE HIDROVIAS ADMINSTRAÇÃO DA HIDROVIA DO SÃO FRANCISCO - AHSFRA 2002 2003 ITEM RUBRICA ORÇAMENTO REALIZADO % ORÇAMENTO REALIZADO % 1.0 PESSOAL / ENCARGOS 315.381,72 #REF! 315.381,72 100,00% 350.000,00 320.221,97 91,49% 1.1 Pessoal da Administração Direta 315.381,72 315.381,72 100,00% 350.000,00 320.221,97 91,49% 2.0 CUSTEIO ADMINISTRATIVO 630.356,95 550.000,00 630.356,95 100,00% 700.000,00 583.422,24 83,85% 2.1 Mão-de-Obra Terceirizada 230.637,35 180.000,00 230.637,35 100,00% 250.000,00 243.935,59 97,57% 2.2 Mão-de-Obra Comissionada 0,00 0,00 0,00 0,00% 0,00 0,00 0,00% 2.3 Outros Custeios Administrativos 399.719,60 370.000,00 399.719,60 100,00% 450.000,00 339.486,65 75,44% 3.0 CUSTEIO OPERACIONAL 2.627.862,33 3.594.349,00 2.627.862,33 100,00% 3.694.349,00 2.248.977,87 60,88% 3.1 Dragagem 147.737,68 1.324.349,00 147.737,68 100,00% 675.000,00 62.788,23 9,30% 3.2 Balizamento Fixo Flutuante 500.000,00 500.000,00 500.000,00 100,00% 1.850.000,00 1.490.507,02 80,57% 3.3 Man.Sinalização Luminosa 1.042.208,86 1.000.000,00 1.042.208,86 100,00% 70.000,00 0,00 0,00% 3.4 Manutenção Ambiental 92.448,96 0,00 92.448,96 100,00% 195.000,00 0,00 0,00% 3.5 Monitoramento Operacional 418.037,14 0,00 418.037,14 100,00% 464.000,00 347.048,29 74,79% 3.6 Manutenção da Eclusa 65.797,21 80.000,00 65.797,21 100,00% 210.000,00 204.783,14 97,52% 3.7 Manutenção de Embarcações e Equipamentos Fluviais168.264,42 400.000,00 168.264,42 100,00% 45.000,00 100,00 0,22% 3.8 Manutenção de Portos e Equipamentos Portuários 149.269,60 120.000,00 149.269,60 100,00% 145.000,00 142.864,99 98,53% 3.9 Outros Custeios Operacionais (limitado a 10% de 3.0)44.098,46 170.000,00 44.098,46 100,00% 40.349,00 886,20 2,20% 4.0 INVESTIMENTO - ORDINÁRIO 67.099,00 205.940,00 50.184,72 74,79% 164.752,00 29.498,80 17,90% 4.1 Estudos 16.914,28 190.000,00 0,00 0,00% 0,00 0,00 0,00% 4.2 Aquisição de Equipamentos 13.464,09 0,00 13.464,09 100,00% 78.812,00 29.498,80 37,43% 4.3 Aquisição de Utilitários 0,00 0,00 0,00 0,00% 25.940,00 0,00 0,00% 4.4 Equipamentos de Informática 16.152,00 15.940,00 16.152,00 100,00% 40.000,00 0,00 0,00% 4.5 Outros Investimentos 20.568,63 0,00 20.568,63 100,00% 20.000,00 0,00 0,00% TOTAL GERAL 3.640.700,00 3.623.785,72 99,54% 4.909.101,00 3.182.120,88 64,82% DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES - DNIT Resposta da AHSFRA
  29. 29. 2004 2005 2006 ORÇAMENTO REALIZADO % ORÇAMENTO REALIZADO % ORÇAMENTO % 479.500,00 478.693,31 99,83% 530.400,00 529.673,29 99,86% 440.000,00 277.096,14 62,98% 479.500,00 478.693,31 99,83% 530.400,00 529.673,29 99,86% 440.000,00 277.096,14 62,98% 764.500,00 611.581,19 80,00% 952.888,00 418.171,39 43,88% 631.840,00 364.303,82 57,66% 250.400,00 249.387,75 99,60% 336.948,00 80.111,22 23,78% 271.000,00 153.848,22 56,77% 0,00 0,00 0,00% 0,00 0,00 0,00% 0,00 0,00 0,00% 514.100,00 362.193,44 70,45% 615.940,00 338.060,17 54,89% 360.840,00 210.455,60 58,32% 3.456.000,00 1.835.642,28 53,11% 1.716.712,00 1.211.225,38 70,55% 1.868.160,00 192.351,11 10,30% 1.129.425,73 0,00 0,00% 0,00 0,00 0,00% 0,00 0,00 0,00% 1.465.432,25 1.380.762,60 94,22% 1.009.662,10 828.507,09 82,06% 1.319.797,32 91.912,17 6,96% 0,00 0,00 0,00% 0,00 0,00 0,00% 0,00 0,00 0,00% 125.666,66 17.239,73 13,72% 150.000,00 0,00 0,00% 0,00 0,00 0,00% 242.475,36 125.513,34 51,76% 155.749,90 0,00 0,00% 0,00 0,00 0,00% 156.000,00 142.041,77 91,05% 192.000,00 220.331,23 114,76% 235.000,00 18.157,86 7,73% 80.000,00 1.987,90 2,48% 44.300,00 18.221,21 41,13% 60.000,00 54.865,28 91,44% 170.000,00 163.166,15 95,98% 165.000,00 144.165,85 87,37% 253.362,68 27.415,80 10,82% 87.000,00 4.930,79 5,67% 0,00 0,00 0,00% 0,00 0,00 0,00% 140.000,00 4.182,36 2,99% 200.000,00 15.782,00 7,89% 180.000,00 17.442,82 9,69% 110.000,00 0,00 0,00% 0,00 0,00 0,00% 0,00 0,00 0,00% 10.000,00 1.398,00 13,98% 160.000,00 8.093,00 5,06% 140.000,00 1.753,52 1,25% 0,00 0,00 0,00% 0,00 0,00 0,00% 0,00 0,00 0,00% 10.000,00 0,00 0,00% 40.000,00 7.689,00 19,22% 30.000,00 15.436,30 51,45% 10.000,00 2.784,36 27,84% 0,00 0,00 0,00% 10.000,00 253,00 2,53% 4.840.000,00 2.930.099,14 60,54% 3.400.000,00 2.174.852,06 63,97% 3.120.000,00 851.193,89 27,28% REALIZADO ATÉ SETEMBRO
  30. 30. Garantindo condições de navegabilidade no rio SãoGarantindo condições de navegabilidade no rio São Francisco, integrando a região nordeste ao sudeste eFrancisco, integrando a região nordeste ao sudeste e centro-oeste, desenvolvendo o sistema multimodal decentro-oeste, desenvolvendo o sistema multimodal de transportes e barateando o CUSTO BRASIL.transportes e barateando o CUSTO BRASIL. Sempre respeitando o meio-ambiente.Sempre respeitando o meio-ambiente. Administração da Hidrovia doAdministração da Hidrovia do São FranciscoSão Francisco AHSFRAAHSFRA
  31. 31. URL:URL: http://www.ahsfra.gov.br E-mail:E-mail: smarques@ahsfra.gov.br

×