Tempestade e chegada a india

185 visualizações

Publicada em

Resumo por estrofes do Canto VI - Tempestade e chegada à Índia - 9º ano
#descomplicarportugues.blogspot.pt

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
185
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
138
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tempestade e chegada a india

  1. 1. Estância 70 O mestre avisou todos os que dormiam de que se aproximava uma grande tempestade. Figuras de estilo: anástrofe (v. 3 e 4/ 5 e 6); Estância 71 Ainda não tinham conseguido amarrar as velas grandes, quando a tempestade estalou. Tentam a todo o custo baixar as velas. Figuras de estilo: hipérbole (v. 7 e 8); Estância 72 O vento inclinou a nau. Figuras de estilo: anástrofe (v. 1); Estância 73 Três marinheiros foram deitados borda fora e não estavam a conseguir controlar o leme. Figuras de estilo: dupla adjetivação (v. 5). Estância 74 Descrição dos ventos e da agitação marítima. Figuras de estilo: antítese (v. 6 e 7). Estância 75 A nau de Paulo da Gama já levava o mastro quebrado e estava quase toda alagada. Os gritos por Deus dominavam o ambiente. Figuras de estilo: anástrofe (v. 3 e 4); perífrase (v. 3) = Jesus; Estância 76 Os ventos e o mar faziam a nau subir precipitadamente e descer num abismo marítimo. Figuras de estilo: hipérbole (v. 1 -4); antítese (v. 1-4); metáfora (v. 6); dupla adjetivação (v. 7); Canto VI Tempestade e chegada à Índia
  2. 2. Estância 77 As aves marítimas e os peixes demonstraram o seu medo da tempestade escondendo-se e gritando. Figuras de estilo: anástrofe (v. 1 e 2); personificação da natureza em toda a estância. Estância 78 Compara-se esta tempestade ao diluvio causado por Júpiter, quando quis destruir a humanidade. Figuras de estilo: hipérbole (v. 1-4); perífrase (v. 1-4); Estância 79 A natureza reage à tempestade, sendo os montes, os ramos, as raízes derrubados pela enorme tormenta. Estância 80 Vendo a dimensão da tempestade e crendo que morriam, Gama pede auxílio a Deus. Figuras de estilo: antítese (v. 3 e 4); perífrase (v. 7 e 8) = Deus. Estância 81 Gama dirige-se aos céus, lembrando Deus de que tinha já salvado outros em tão grandes desesperos. Estância 82 Relembra outros momentos de desespero e questiona-se porque o abandonaram agora. Estância 83 Louva aqueles que morreram a combater os muçulmanos, pois os seus feitos ilustres foram conhecidos pelo mundo inteiro. Estância 84 Enquanto pedia ajuda a Deus, a tormenta não amainava, antes pelo contrário, inflamavam-se ainda mais. Figuras de estilo: hipérbole (v. 7 e 8); antítese (v. 7 e 8); Estância 85 A tempestade durou até ser dia, momento em que Vénus aparecera no Céu e vira a tempestade que se punha. Figurasdeestilo: perífrase (v. 5); Estância 86 Percebeu logo que aquilo seria obra de Baco e garante que vai terminar com a situação. Desce imediatamente dos céus e manda as ninfas colocarem coroas de rosas na cabeça. Figuras de estilo: perífrase (v. 6); anástrofe (v. 7 e 8); Estância 87 Descrição da beleza das Ninfas. Ordena-lhes que acalmem os ventos, tão tumultuosas. Figuras de estilo: comparação (v. 8);
  3. 3. Estância 88 E imediatamente elas conseguem fazê-lo. Figuras de estilo: hipérbole (v. 3); Estância 89 Vénus, por quem Bóreas está apaixonado, diz-lhe que se ela a amasse verdadeiramente não seria tão violento. E diz-lhe que deve acalmar tal fúria se quer o seu amor. Estância 90 A mesma situação anterior referida na estância anterior acontece com Galateia. Estância 91 Desta forma se acalma a tempestade, prometendo Vénus sempre amor aos ventos. Estância 92 Passada a tormenta, avistam Calecut. Figuras de estilo: sinédoque (v. 2); Estância 93 Gama agradece a Deus ter conseguido chegar à Índia. Estância 94 Agradecia não só ter chegado à índia, mas também a experiência que viveu e ter escapado rapidamente da tempestade. Figuras de estilo: tripla adjetivação (v. 7). Professora Nádia Monteiro

×