 “Uma experiência sensorial e emocional
desagradável que é associada a lesões
reais ou potenciais ou descrita em
termos d...
DOR
 Dor como prejuízo na qualidade de vida
 Eliminação rápida evita a
hipersensibilização central.
 A percepção da dor é s...
 As vias nervosas encarregadas de
transmitir informações sobre a
localização e intensidade dos estímulos
nocivos diferem ...
 Se manifesta transitoriamente por Um
período curto . Funciona como um
alerta do corpo para lesões em
tecidos, inflamaçõe...
 É aquela que excede seis meses sendo
constante e intermitente. Quase sempre
está associada a um processo de
doença crôni...
 Quando ocorre uma lesão na pele,
receptores sensoriais(terminações
nervosas) que enviam sinais que causam
a percepção da...
 Tem origem nos ligamentos, ossos,
tendões, vasos sanguíneos e nervos.
 Poucos receptores de dor nestas regiões
produzem...
 Se origina dentro dos órgãos e
cavidades internas do corpo. Com
menos receptores sensoriais ainda nesta
áreas, produz Um...
 É Uma sensação que pode ser expressa
em graus de desconforto provinda de
receptores específicos.
 Este tipo de dor está...
 É Uma sensação provinda de nervos
periféricos diretamente por condução
nervosa gerando desconforto
característico em cho...
 80% emocional / 20% local
 Significado para o paciente: positivo X
negativo
 Atuação do fisioterapeuta para evitar
 I...
 Sensitiva e discriminatória da dor:
percepção da área e delimitação
intensidade e comportamento.
 Cognição e avaliação ...
 Aguda : inferior a 06 semanas
 Subaguda : de 06 a 12 semanas
 Crônica : duração superior a 3 meses
 1ª Fase : surge simultaneamente com o
estímulo, dor rápida (fibra A-delta
mielinizada velocidade 30m/s) tudo ocorre
por ...
 3ª Fase : ocorre pela hipersensibilização
mudanças nas aferências normais
causando mudança do
comportamento e mecanismo ...
 1 Característica da dor
 1.1 Localização da dor: local/irradiada
 1.2 Qualidade da dor:
 1.2.1 Dor rápida pontada fib...
 1.3 Tipos de dor :
 1.3.1 Neuropática : lesão das fibras
nervosas
 1.3.2 Fisiológica : superficial /
profunda (nocicep...
 Escalonamento da Dor da OMS
 Unidimensionais
 MUltidimensionais
 Multidimensionais
 Questionário de dor MCGILL :
 Avaliação de aspectos
sensoriais, afetivos, avaliativos e
intensidade...
Fisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIA
Fisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIA
Fisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIA
Fisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIA
Fisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIA
Fisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIA
Fisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIA
Fisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIA
Fisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIA
Fisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIA
Fisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIA
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Fisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIA

9.138 visualizações

Publicada em

Fala sobre Dor.

Publicada em: Educação
  • Uma pena que quem faz esses materiais não usa fazer bibliografia. Às vezes o material é excelente, tem o que a gente quer, mas a gente não pode usar pq não tem a referência =(
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui

Fisioterapia em TRAUMATO ORTOPEDIA

  1. 1.  “Uma experiência sensorial e emocional desagradável que é associada a lesões reais ou potenciais ou descrita em termos de tais lesões.  A dor é sempre subjetiva e cada indivíduo aprende a utilizar este termo por meio de suas experiências”. (Associação Internacional para o estudo da dor)
  2. 2. DOR
  3. 3.  Dor como prejuízo na qualidade de vida  Eliminação rápida evita a hipersensibilização central.  A percepção da dor é subjetiva variando de pessoa para pessoa  Influência psicossociais, varia de acordo com nossos pensamentos e sentimentos
  4. 4.  As vias nervosas encarregadas de transmitir informações sobre a localização e intensidade dos estímulos nocivos diferem das vias dos estímulos emocionais.  A reação do indivíduo diante do estímulo nocivo traduz a atividade desses dois sistemas.
  5. 5.  Se manifesta transitoriamente por Um período curto . Funciona como um alerta do corpo para lesões em tecidos, inflamações ou doenças, centralizada primeiro e depois capaz de se tornar difusa.
  6. 6.  É aquela que excede seis meses sendo constante e intermitente. Quase sempre está associada a um processo de doença crônica.
  7. 7.  Quando ocorre uma lesão na pele, receptores sensoriais(terminações nervosas) que enviam sinais que causam a percepção da dor são ativados nos tecidos cutâneos inferiores.  Localizadas e de curta duração, como queimaduras de 1º grau e cortes superficiais.
  8. 8.  Tem origem nos ligamentos, ossos, tendões, vasos sanguíneos e nervos.  Poucos receptores de dor nestas regiões produzem uma sensação maçante, mal localizada e de maior duração.  É a dor que a pessoa sente quando quebra um braço, torce o tornozelo.
  9. 9.  Se origina dentro dos órgãos e cavidades internas do corpo. Com menos receptores sensoriais ainda nesta áreas, produz Uma sensação dolorida e de maior duração do que a dor somática, muito difícil de localizar.  Sendo muitas vezes associada a partes do corpo totalmente diferente do local da lesão.  Ex:Ataque cardíaco.
  10. 10.  É Uma sensação que pode ser expressa em graus de desconforto provinda de receptores específicos.  Este tipo de dor está relacionada com o grau de lesão do tecido.
  11. 11.  É Uma sensação provinda de nervos periféricos diretamente por condução nervosa gerando desconforto característico em choque
  12. 12.  80% emocional / 20% local  Significado para o paciente: positivo X negativo  Atuação do fisioterapeuta para evitar  Identificação das dimensões da dor
  13. 13.  Sensitiva e discriminatória da dor: percepção da área e delimitação intensidade e comportamento.  Cognição e avaliação da dor: as experiências passadas e os conhecimentos do paciente afetam sua atitude da dor.  Ligada a afetividade e motivação : refere as idéias do paciente sobre a dor e sua reação (raiva,ansiedade,medo, preocupação)
  14. 14.  Aguda : inferior a 06 semanas  Subaguda : de 06 a 12 semanas  Crônica : duração superior a 3 meses
  15. 15.  1ª Fase : surge simultaneamente com o estímulo, dor rápida (fibra A-delta mielinizada velocidade 30m/s) tudo ocorre por via e terminações nervosas.  2ª Fase : se caracteriza pela dor prolongada ( fibra C desmielinizada 3m/s), dor surda e de localização pouco precisa, provocada pelo processo inflamatório.  As 1ª e 2ª fases são de caráter nociceptiva.
  16. 16.  3ª Fase : ocorre pela hipersensibilização mudanças nas aferências normais causando mudança do comportamento e mecanismo de sensibilização. Dor neuropática
  17. 17.  1 Característica da dor  1.1 Localização da dor: local/irradiada  1.2 Qualidade da dor:  1.2.1 Dor rápida pontada fibras A-delta  1.2.2 Dor surda de localização indefinida fibras C  1.2.3 Dor em queimação lesão de mielina nervo periférico  1.2.4 Dor pulsátil início da inflamação  1.2.5 Hiperalgesia : sensibilidade dolorosa  1.2.6 Alodínea : estímulos táteis indolores mas podendo desencadear dor.
  18. 18.  1.3 Tipos de dor :  1.3.1 Neuropática : lesão das fibras nervosas  1.3.2 Fisiológica : superficial / profunda (nociceptores)  1.3.3 Dor visceral : órgãos internos  1.3.4 Psicogênica : origem SNC, nem toda dor resulta da estimulação nociceptivas.
  19. 19.  Escalonamento da Dor da OMS  Unidimensionais  MUltidimensionais
  20. 20.  Multidimensionais  Questionário de dor MCGILL :  Avaliação de aspectos sensoriais, afetivos, avaliativos e intensidade da dor

×