Classe1.2 A
Autor: Émile Nelligan
Montreal, Canadá
Foi um poeta
Quebequense, discípulo
do simbolismo. Era
profundamente
influenciado p...
Nascimento: 24 de dezembro de 1879 –
Montreal, Canadá.
Morte: 18 de novembro de 1941 - Canadá.
Educação: Colégio St. Marie...
Minha Alma
A minha alma tem a
candura de uma coisa
sem luz.
De uma neve de
fevereiro.
Ah! Voltemos ao começo
da criança que já se foi.
Venha pregar isso...
Minha querida, junte seus
dedos e chore e sonhe e
pregue
Como você fazia
antigamente
Nas noites do meu quarto,
subia a sua voz em
direção à virgem
Subia sua voz.
Ah! A fatalidade de se ter
uma alma cândida.
Nesse mundo mentiroso,
angustiado, entediado e
perverso.
De ter uma alma assim,
como a neve dos
invernos.
Que jamais manchou a
volúpia sórdida!
De ter a alma de uma
musselina.
Que maneja uma irmã
noviça do convento.
Ou como alaúde cheio de
música ao vento.
Que canta e que treme a
noite na colina!
De ter uma alma doce e
misticamente terna.
E sempre, entretanto de
todos os maus
sofrimentos.
No pesar de viver e no
pavor de morrer.
E de esperar, de crer e de
sempre esperar.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mon âme

283 visualizações

Publicada em

Le café littéraire

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
283
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
72
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mon âme

  1. 1. Classe1.2 A
  2. 2. Autor: Émile Nelligan Montreal, Canadá Foi um poeta Quebequense, discípulo do simbolismo. Era profundamente influenciado pelos autores Octave Crémazie, Louis-Honoré Fréchette, Charles Baudelaire, Paul Verlaine, Arthur Rimbaud, Georges Rodenbach, Maurice Rollinat e Allan Poe. Biografia
  3. 3. Nascimento: 24 de dezembro de 1879 – Montreal, Canadá. Morte: 18 de novembro de 1941 - Canadá. Educação: Colégio St. Marie de Montreal. - O Romance do Vinho (1899) - O Vaso de Ouro (1899) - Noite de Inverno (1903) Principais Obras:
  4. 4. Minha Alma
  5. 5. A minha alma tem a candura de uma coisa sem luz. De uma neve de fevereiro.
  6. 6. Ah! Voltemos ao começo da criança que já se foi. Venha pregar isso...
  7. 7. Minha querida, junte seus dedos e chore e sonhe e pregue Como você fazia antigamente
  8. 8. Nas noites do meu quarto, subia a sua voz em direção à virgem Subia sua voz.
  9. 9. Ah! A fatalidade de se ter uma alma cândida. Nesse mundo mentiroso, angustiado, entediado e perverso.
  10. 10. De ter uma alma assim, como a neve dos invernos. Que jamais manchou a volúpia sórdida!
  11. 11. De ter a alma de uma musselina. Que maneja uma irmã noviça do convento.
  12. 12. Ou como alaúde cheio de música ao vento. Que canta e que treme a noite na colina!
  13. 13. De ter uma alma doce e misticamente terna. E sempre, entretanto de todos os maus sofrimentos.
  14. 14. No pesar de viver e no pavor de morrer. E de esperar, de crer e de sempre esperar.

×