SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
Baixar para ler offline
Boa tarde
Sejam bem vindos !!!
Professoras: Fernanda Félix
Flávia Venâncio
Joseilma Pereira
Roberlânia Alves
Supervisora: Alessandra Miranda
Hora da revisão
PERGUNTAS
• De acordo, com as leituras feitas até o momento e os
vídeos reproduzidos, você acha que devido esse
contexto familiar em que há a falta dos pais (por
motivos diversos), há também influencia negativa no
futuro dessas crianças? Se sim, ou não, porquê?
• Para que não haja tantas sequelas na vida das
crianças devido a ausência desses pais, o que o
governo e a sociedade poderia fazer?
Quais pontos precisam ser desenvolvidos?
PERGUNTA 01:
• “Sim, pois as crianças que tem pai fica tirando onda com a cara
dos outros é por causa disso que é muito ruim as que não tem
pai.”
• “Talves, depende do individuo porque essas crianças podem
ter coisas melhores nessa vida se pais não abandonasse.”
• “Sim, depende do indivíduo mas na maioria dos casos reflete
no futuro, pois a criança pode sofrer e ter traumas e
depressões.”
• “Sim, porquê a partir do fato que a criança é abandonada, ela
sofre um trauma , podendo sim influenciar negativamente em
seu futuro.”
PERGUNTA 02:
• “Apoiar a criança com recursos ou palavras poderiam
também aumentar o suporte para diminuir a pobreza
que muitos sofrem por a.”
• “ O governo e a sociedade podiam fazer uma casa
para cuidar das crianças, por que as pessoas podiam
ajudar cuidar delas, nós sabemos que elas tem
família, mas nóis podia ajudar por que elas precisam.
• “ para que não haja sequelas devemos conversa com
as que tem pais para que elas não ficarem abando
pois a sim as que não tem pai não haverá tantas
sequelas.”
Inadequações
Pergunta 1:
• “Não, por que depende de cada criança, e nem todas vão
querer ser desse jeito, e as crianças não devem seguir o que
os familiares e não são só as crianças que sofrem isso mais
jovens também.”
• “Talvez, porque depende e da forma que ela for criada e
também porque dela se a família. Obs: família não é mãe e pai,
pode ser qualquer pessoa da família criar, aí fica com elas,
porque uma pessoa faz uma coisa quando quer e depende da
pessoa também.”
Mais adequados
Pergunta 01:
• “Talvez, porque depende da criança e da forma que ela
for criada e também a forma em que as crianças e
adolescentes forem tratados onde eles estão (abrigos,
casa de familiares ou institutos) pode influenciar no
futuro delas.”
• “Talvez, depende do modo e com quem a criança vai
ser criada, e a sociedade onde ela vive.”
Inadequações
Pergunta 2:
• “Primeiramente consientizar, aconsselhas, investir
em orfantos e etc.”
• “E doar eles para pessoas que cuidem bem delas,
que não fiquem judiando com elas.”
Mais adequados
Pergunta 2:
• “Poderiam criar abrigos ou instituições para essas
pessoas, poderiam também seder a guarda da criança
ou do aolescente a um familiar que tenha como cuidar
deles de forma relevante e carinhosa para que não o
prejudique.”
• “O governo poderia construir mais abrigos, com uma
estrutura boa e qualidade de ensino melhor.”
Inadequações
1) sim porque depende do individo
2) a sociedade devia fazer estituições mais qualificada com mais
estrutura etc. o governo acada dia o governo e uma bosta
Mais adequados
1) Sim, por há destruturação familiar pode ocorrer danos
pisicologicos nas crianças e adolescentes por o
comportamento negativo dos pais.
2) Bom. O governo deveria apoiar os indivíduos infantis ou não,
deveria as instituições deveriam oferecer mais conforto de
carinho, atenção e dedicação as crianças e adolescentes.
Fique esperto!
Dicas de português para você
mandar bem
ÃO – AM
ÃO AM
Futuro Passado
Exemplo
As crianças comeram muito no lanche, pois sabem
que amanhã comerão menos.
TRAZ – TRÁS
TRAZ TRÁS
Verbo (trazer) Advérbio de lugar
Exemplo
• O professor traz as provas dentro da bolsa.
• Ela olhou para trás e viu a mãe.
MAS – MAIS
MAS MAIS
Conjunção adversativa Advérbio de intensidade
indicada oposição contrário a menos
EXEMPLO
Você deveria ter estudado mais para o ENEM, mas
preferiu tagarelar no Whatsapp.
Por que/ Por quê/ Porque/ Porquê
Por que:
Frases interrogativas, quando subentender “motivo” ou
“razão”.
EXEMPLO:
Por que você não veio aula passada?
Por quê:
Quando aparecer no final da frase ou sozinha
EXEMPLO:
Vocês continuam conversando durante a explicação, por
quê?
Porque:
Equivale a expressão pois (explicação)
EXEMPLO:
Tiramos nota baixa porque não entendemos o
assunto.
Porquê:
Substantivado e sinônimo de motivo
EXEMPLO:
Decepcionado, o aluno não sabe o porquê da nota
baixa.
Vamos ler?
Poema: “Meninos carvoeiros”, Manoel Bandeira
Os meninos carvoeiros
Passam a caminho da cidade.
- Eh, carvoero!
E vão tocando os animais com um relho
enorme.
Os burros são magrinhos e velhos.
Cada um leva seis sacos de carvão de lenha.
A aniagem é toda remendada.
Os carvões caem.
(Pela boca da noite vem uma velhinha que
os recolhe, dobrando-se com um gemido.)
- Eh, carvoero!
Só mesmo estas crianças raquíticas
Vão bem com estes burrinhos
descadeirados.
A madrugada ingênua parece feita para
eles...
Pequenina, ingênua miséria!
Adoráveis carvoeirinhos que trabalhais
como se brincásseis!
-Eh, carvoero!
Quando voltam, vêm mordendo num pão
encarvoado,
Encarapitados nas alimárias,
Apostando corrida,
Dançando, bamboleando nas cangalhas
como espantalhos desamparados.
Vamos ler?
Texto: “Crianças e jovens brasileiros:
um retrato do descaso em nosso
país.”
CONCORDÂNCIA
Concordância
Nominal Verbal
• Concordância é a correspondência de flexão entre
dois termos
• Concordância nominal: é a correspondência de
flexão entre dois nomes (substantivos, adjetivos,
artigos, pronomes). Concordam em gênero e
número.
• Concordância verbal: ocorre quando o verbo se
flexiona para concordar com seu sujeito.
Concordância
Nominal Verbal
Exemplos
• Os alunos estão animados;
Concordância verbal
• Meninos tagarelas;
Concordância nominal
Concordância nominal
• Baseia-se na relação entre o substantivos e os
termos a ele relacionados. (Adjetivos, artigos,
pronomes.).
• O adjetivo concorda em gênero e número quando
se refere a um único substantivo.
EXEMPLO
As mãos trêmulas denunciavam o que sentia.
• Encontramos caídas as roupas e os prendedores.
• Encontramos caída a roupa e os prendedores.
• Encontramos caído o prendedor e a roupa.
• Adjetivo anteposto aos substantivos:
• O adjetivo concorda em gênero e número com
o substantivo mais próximo
• As adoráveis Fernanda e Cláudia vieram me
visitar.
• Encontrei os divertidos primos e primas na festa.
• Caso os substantivos sejam nomes próprios ou de
parentesco, o adjetivo deve sempre concordar no
plural.
Concordância verbal
REGRA SIMPLES
• O sujeito sendo simples, com ele concordará o verbo
em número e pessoa.
EXEMPLO
Maria sabe ler e escrever.
Os livros são essenciais para a aprendizagem.
CASOS PARTICULARES
• A maioria dos alunos passou no Enem.
• A maioria dos alunos passaram no teste.
• Quando o sujeito é formado por uma expressão
partitiva (parte de algo) seguida de um substantivo
ou pronome no plural o verbo pode ficar no
singular ou plural.
Até segunda!
Ótima semana para todos!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

CONCORDÂNCIA NOMINAL
CONCORDÂNCIA NOMINALCONCORDÂNCIA NOMINAL
CONCORDÂNCIA NOMINALguestcc4296e
 
Casos específicos da concordância verbal
Casos específicos da concordância verbalCasos específicos da concordância verbal
Casos específicos da concordância verbalCaroline Capellari
 
Concordância verbal e concordância nominal
Concordância verbal e concordância nominalConcordância verbal e concordância nominal
Concordância verbal e concordância nominalCynthia Funchal
 
Flexão verbal
Flexão verbalFlexão verbal
Flexão verbalNilberte
 
www.ensinofundamental.net.br - Português - Concordância Nominal
www.ensinofundamental.net.br - Português -  Concordância Nominalwww.ensinofundamental.net.br - Português -  Concordância Nominal
www.ensinofundamental.net.br - Português - Concordância NominalEnsinoFundamental
 
Colocacao pronominal
Colocacao pronominalColocacao pronominal
Colocacao pronominalPreOnline
 
Colocação Pronominal
Colocação PronominalColocação Pronominal
Colocação PronominalWalace Cestari
 
Sintaxe de concordância: Concordância verbal
Sintaxe de concordância: Concordância verbalSintaxe de concordância: Concordância verbal
Sintaxe de concordância: Concordância verbalJosi Santos
 
Concordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalConcordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalRebeca Kaus
 
1 regras de concordância
1   regras de concordância1   regras de concordância
1 regras de concordânciaLuciene Gomes
 
Verbos classificacao
Verbos classificacaoVerbos classificacao
Verbos classificacaowhybells
 
Classes de palavras
Classes de palavrasClasses de palavras
Classes de palavrasPreOnline
 
Gramática concordância
Gramática concordânciaGramática concordância
Gramática concordânciaWalter Mendes
 
Classes Palavras 7ano
Classes Palavras 7anoClasses Palavras 7ano
Classes Palavras 7anoTeresa Pombo
 

Mais procurados (20)

CONCORDÂNCIA NOMINAL
CONCORDÂNCIA NOMINALCONCORDÂNCIA NOMINAL
CONCORDÂNCIA NOMINAL
 
Casos específicos da concordância verbal
Casos específicos da concordância verbalCasos específicos da concordância verbal
Casos específicos da concordância verbal
 
Concordância verbal e concordância nominal
Concordância verbal e concordância nominalConcordância verbal e concordância nominal
Concordância verbal e concordância nominal
 
Concordância nominal slides
Concordância nominal slidesConcordância nominal slides
Concordância nominal slides
 
7.5.1 vozes verbais
7.5.1   vozes verbais7.5.1   vozes verbais
7.5.1 vozes verbais
 
Concordância
ConcordânciaConcordância
Concordância
 
Concordância Verbal
Concordância VerbalConcordância Verbal
Concordância Verbal
 
Flexão verbal
Flexão verbalFlexão verbal
Flexão verbal
 
www.ensinofundamental.net.br - Português - Concordância Nominal
www.ensinofundamental.net.br - Português -  Concordância Nominalwww.ensinofundamental.net.br - Português -  Concordância Nominal
www.ensinofundamental.net.br - Português - Concordância Nominal
 
Colocacao pronominal
Colocacao pronominalColocacao pronominal
Colocacao pronominal
 
Concordância nominal
Concordância nominalConcordância nominal
Concordância nominal
 
Colocação Pronominal
Colocação PronominalColocação Pronominal
Colocação Pronominal
 
Colocação pronominal
Colocação pronominalColocação pronominal
Colocação pronominal
 
Sintaxe de concordância: Concordância verbal
Sintaxe de concordância: Concordância verbalSintaxe de concordância: Concordância verbal
Sintaxe de concordância: Concordância verbal
 
Concordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalConcordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominal
 
1 regras de concordância
1   regras de concordância1   regras de concordância
1 regras de concordância
 
Verbos classificacao
Verbos classificacaoVerbos classificacao
Verbos classificacao
 
Classes de palavras
Classes de palavrasClasses de palavras
Classes de palavras
 
Gramática concordância
Gramática concordânciaGramática concordância
Gramática concordância
 
Classes Palavras 7ano
Classes Palavras 7anoClasses Palavras 7ano
Classes Palavras 7ano
 

Semelhante a Slides revisao e concordancia

O Livro que você Gostaria que Seus Pais Tivessem Lido.pdf
O Livro que você Gostaria que Seus Pais Tivessem Lido.pdfO Livro que você Gostaria que Seus Pais Tivessem Lido.pdf
O Livro que você Gostaria que Seus Pais Tivessem Lido.pdfmaviaeldesouza1
 
Sexualidade na educação infantil
Sexualidade na educação infantilSexualidade na educação infantil
Sexualidade na educação infantilMary Lopes
 
Informativo Pastoral Familiar - Paróquia São Benedito - Nº 02 - Maio-2011
Informativo Pastoral Familiar - Paróquia São Benedito - Nº 02 - Maio-2011Informativo Pastoral Familiar - Paróquia São Benedito - Nº 02 - Maio-2011
Informativo Pastoral Familiar - Paróquia São Benedito - Nº 02 - Maio-2011Adriano de Paula
 
Sexualidade simone helen drumond
Sexualidade simone helen  drumondSexualidade simone helen  drumond
Sexualidade simone helen drumondSimoneHelenDrumond
 
Relação familiar
Relação familiarRelação familiar
Relação familiarAngel Rosa
 
Trabalho(RelaçãO Entre Pais E Filhos)
Trabalho(RelaçãO Entre Pais E Filhos)Trabalho(RelaçãO Entre Pais E Filhos)
Trabalho(RelaçãO Entre Pais E Filhos)Liliana
 
Tempo dos filhos
Tempo dos filhosTempo dos filhos
Tempo dos filhos-
 
educação competencias_parentais_sessao_1.pptx
educação competencias_parentais_sessao_1.pptxeducação competencias_parentais_sessao_1.pptx
educação competencias_parentais_sessao_1.pptxClaudiaBrito73
 
Evolução Do Desenvolvimento Infantil
Evolução Do  Desenvolvimento InfantilEvolução Do  Desenvolvimento Infantil
Evolução Do Desenvolvimento InfantilADIBB
 
Conflitos entre escolares
Conflitos entre escolaresConflitos entre escolares
Conflitos entre escolaresRenata Peruce
 
Boletim Jovem - Maio 2011
Boletim Jovem - Maio 2011Boletim Jovem - Maio 2011
Boletim Jovem - Maio 2011willams
 
Ser professor na educação infantil
Ser professor na educação infantilSer professor na educação infantil
Ser professor na educação infantilVIROUCLIPTAQ
 
Como lidar com situações difíceis - Durante e após o divórcio
Como lidar com situações difíceis - Durante e após o divórcioComo lidar com situações difíceis - Durante e após o divórcio
Como lidar com situações difíceis - Durante e após o divórcioBruna Engelmann
 
Indisciplina-escolar.pptx
Indisciplina-escolar.pptxIndisciplina-escolar.pptx
Indisciplina-escolar.pptxJoana Faria
 
LiçãO 07 Educando Os Filhos Ii
LiçãO 07 Educando Os Filhos IiLiçãO 07 Educando Os Filhos Ii
LiçãO 07 Educando Os Filhos Iiguest06a00c
 

Semelhante a Slides revisao e concordancia (20)

Slides revisão argumentação
Slides revisão   argumentaçãoSlides revisão   argumentação
Slides revisão argumentação
 
O Livro que você Gostaria que Seus Pais Tivessem Lido.pdf
O Livro que você Gostaria que Seus Pais Tivessem Lido.pdfO Livro que você Gostaria que Seus Pais Tivessem Lido.pdf
O Livro que você Gostaria que Seus Pais Tivessem Lido.pdf
 
Sexualidade na educação infantil
Sexualidade na educação infantilSexualidade na educação infantil
Sexualidade na educação infantil
 
Informativo Pastoral Familiar - Paróquia São Benedito - Nº 02 - Maio-2011
Informativo Pastoral Familiar - Paróquia São Benedito - Nº 02 - Maio-2011Informativo Pastoral Familiar - Paróquia São Benedito - Nº 02 - Maio-2011
Informativo Pastoral Familiar - Paróquia São Benedito - Nº 02 - Maio-2011
 
Sexualidade simone helen drumond
Sexualidade simone helen  drumondSexualidade simone helen  drumond
Sexualidade simone helen drumond
 
Relação familiar
Relação familiarRelação familiar
Relação familiar
 
Trabalho(RelaçãO Entre Pais E Filhos)
Trabalho(RelaçãO Entre Pais E Filhos)Trabalho(RelaçãO Entre Pais E Filhos)
Trabalho(RelaçãO Entre Pais E Filhos)
 
Tempo dos filhos
Tempo dos filhosTempo dos filhos
Tempo dos filhos
 
Relacionamento Entre Pais E Filhos
Relacionamento Entre Pais E FilhosRelacionamento Entre Pais E Filhos
Relacionamento Entre Pais E Filhos
 
educação competencias_parentais_sessao_1.pptx
educação competencias_parentais_sessao_1.pptxeducação competencias_parentais_sessao_1.pptx
educação competencias_parentais_sessao_1.pptx
 
Evolução Do Desenvolvimento Infantil
Evolução Do  Desenvolvimento InfantilEvolução Do  Desenvolvimento Infantil
Evolução Do Desenvolvimento Infantil
 
Amplos guia educadores
Amplos guia educadoresAmplos guia educadores
Amplos guia educadores
 
Escola e família
Escola e famíliaEscola e família
Escola e família
 
Conflitos entre escolares
Conflitos entre escolaresConflitos entre escolares
Conflitos entre escolares
 
Boletim Jovem - Maio 2011
Boletim Jovem - Maio 2011Boletim Jovem - Maio 2011
Boletim Jovem - Maio 2011
 
Ser professor na educação infantil
Ser professor na educação infantilSer professor na educação infantil
Ser professor na educação infantil
 
Como lidar com situações difíceis - Durante e após o divórcio
Como lidar com situações difíceis - Durante e após o divórcioComo lidar com situações difíceis - Durante e após o divórcio
Como lidar com situações difíceis - Durante e após o divórcio
 
Pais e filhos bater ou
Pais e filhos bater ouPais e filhos bater ou
Pais e filhos bater ou
 
Indisciplina-escolar.pptx
Indisciplina-escolar.pptxIndisciplina-escolar.pptx
Indisciplina-escolar.pptx
 
LiçãO 07 Educando Os Filhos Ii
LiçãO 07 Educando Os Filhos IiLiçãO 07 Educando Os Filhos Ii
LiçãO 07 Educando Os Filhos Ii
 

Mais de Nastrilhas da lingua portuguesa

Resenhas produtos produzidos pelos alunos do projeto - sd 2017.2
Resenhas   produtos produzidos pelos alunos do projeto - sd 2017.2Resenhas   produtos produzidos pelos alunos do projeto - sd 2017.2
Resenhas produtos produzidos pelos alunos do projeto - sd 2017.2Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Elementos da narrativa-conto-de-enigma-e-relato-pessoal-revisão
Elementos da narrativa-conto-de-enigma-e-relato-pessoal-revisãoElementos da narrativa-conto-de-enigma-e-relato-pessoal-revisão
Elementos da narrativa-conto-de-enigma-e-relato-pessoal-revisãoNastrilhas da lingua portuguesa
 

Mais de Nastrilhas da lingua portuguesa (20)

Roteiro discussão sd 2
Roteiro discussão sd 2Roteiro discussão sd 2
Roteiro discussão sd 2
 
Roteiros de-discussão- sd - 2017.1 (1)
Roteiros de-discussão- sd - 2017.1 (1)Roteiros de-discussão- sd - 2017.1 (1)
Roteiros de-discussão- sd - 2017.1 (1)
 
Roteiro encenação-de-encerramento-do-pibid-2017.1
Roteiro encenação-de-encerramento-do-pibid-2017.1Roteiro encenação-de-encerramento-do-pibid-2017.1
Roteiro encenação-de-encerramento-do-pibid-2017.1
 
Roteiro divulgação-da-sequência-2017.1
Roteiro divulgação-da-sequência-2017.1Roteiro divulgação-da-sequência-2017.1
Roteiro divulgação-da-sequência-2017.1
 
Resenhas produtos produzidos pelos alunos do projeto - sd 2017.2
Resenhas   produtos produzidos pelos alunos do projeto - sd 2017.2Resenhas   produtos produzidos pelos alunos do projeto - sd 2017.2
Resenhas produtos produzidos pelos alunos do projeto - sd 2017.2
 
Roteiros de-discussão- sd - 2017.1
Roteiros de-discussão- sd - 2017.1Roteiros de-discussão- sd - 2017.1
Roteiros de-discussão- sd - 2017.1
 
Nas trilhas da lingua port - cadernodeatividades2107.2
Nas trilhas da lingua port - cadernodeatividades2107.2Nas trilhas da lingua port - cadernodeatividades2107.2
Nas trilhas da lingua port - cadernodeatividades2107.2
 
Nas trilhas da lingua portuguesa módulo 2017.2
Nas trilhas da lingua portuguesa   módulo 2017.2Nas trilhas da lingua portuguesa   módulo 2017.2
Nas trilhas da lingua portuguesa módulo 2017.2
 
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
 
Roteiros de-discussão - 2017.2 (contos)
Roteiros de-discussão - 2017.2 (contos)Roteiros de-discussão - 2017.2 (contos)
Roteiros de-discussão - 2017.2 (contos)
 
Fatores da textualidade pibid 2017.2
Fatores da textualidade   pibid 2017.2Fatores da textualidade   pibid 2017.2
Fatores da textualidade pibid 2017.2
 
Quiz – nas trilhas os meninos( mais velho, mais novo)
Quiz – nas trilhas   os meninos( mais velho, mais novo)Quiz – nas trilhas   os meninos( mais velho, mais novo)
Quiz – nas trilhas os meninos( mais velho, mais novo)
 
Quiz – nas trilhas narraçao
Quiz – nas trilhas   narraçaoQuiz – nas trilhas   narraçao
Quiz – nas trilhas narraçao
 
Momento diversão narrativa de imagem
Momento diversão   narrativa de imagemMomento diversão   narrativa de imagem
Momento diversão narrativa de imagem
 
Tempo e espço (1)
Tempo e espço (1)Tempo e espço (1)
Tempo e espço (1)
 
Tipologias textuais
Tipologias textuais Tipologias textuais
Tipologias textuais
 
Estudo do-gênero-resumo
Estudo do-gênero-resumoEstudo do-gênero-resumo
Estudo do-gênero-resumo
 
Elementos da narrativa-conto-de-enigma-e-relato-pessoal-revisão
Elementos da narrativa-conto-de-enigma-e-relato-pessoal-revisãoElementos da narrativa-conto-de-enigma-e-relato-pessoal-revisão
Elementos da narrativa-conto-de-enigma-e-relato-pessoal-revisão
 
Cultura e-regionalismo-pibid
Cultura e-regionalismo-pibidCultura e-regionalismo-pibid
Cultura e-regionalismo-pibid
 
Que é uma narrativa
Que é uma narrativa Que é uma narrativa
Que é uma narrativa
 

Último

Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxRomero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxLuisCarlosAlves10
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e Américawilson778875
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfSandra Pratas
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 

Último (20)

MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxRomero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Modernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e AméricaModernidade perspectiva sobre a África e América
Modernidade perspectiva sobre a África e América
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 

Slides revisao e concordancia

  • 1. Boa tarde Sejam bem vindos !!! Professoras: Fernanda Félix Flávia Venâncio Joseilma Pereira Roberlânia Alves Supervisora: Alessandra Miranda
  • 3. PERGUNTAS • De acordo, com as leituras feitas até o momento e os vídeos reproduzidos, você acha que devido esse contexto familiar em que há a falta dos pais (por motivos diversos), há também influencia negativa no futuro dessas crianças? Se sim, ou não, porquê? • Para que não haja tantas sequelas na vida das crianças devido a ausência desses pais, o que o governo e a sociedade poderia fazer?
  • 4. Quais pontos precisam ser desenvolvidos? PERGUNTA 01: • “Sim, pois as crianças que tem pai fica tirando onda com a cara dos outros é por causa disso que é muito ruim as que não tem pai.” • “Talves, depende do individuo porque essas crianças podem ter coisas melhores nessa vida se pais não abandonasse.” • “Sim, depende do indivíduo mas na maioria dos casos reflete no futuro, pois a criança pode sofrer e ter traumas e depressões.” • “Sim, porquê a partir do fato que a criança é abandonada, ela sofre um trauma , podendo sim influenciar negativamente em seu futuro.”
  • 5. PERGUNTA 02: • “Apoiar a criança com recursos ou palavras poderiam também aumentar o suporte para diminuir a pobreza que muitos sofrem por a.” • “ O governo e a sociedade podiam fazer uma casa para cuidar das crianças, por que as pessoas podiam ajudar cuidar delas, nós sabemos que elas tem família, mas nóis podia ajudar por que elas precisam. • “ para que não haja sequelas devemos conversa com as que tem pais para que elas não ficarem abando pois a sim as que não tem pai não haverá tantas sequelas.”
  • 6. Inadequações Pergunta 1: • “Não, por que depende de cada criança, e nem todas vão querer ser desse jeito, e as crianças não devem seguir o que os familiares e não são só as crianças que sofrem isso mais jovens também.” • “Talvez, porque depende e da forma que ela for criada e também porque dela se a família. Obs: família não é mãe e pai, pode ser qualquer pessoa da família criar, aí fica com elas, porque uma pessoa faz uma coisa quando quer e depende da pessoa também.”
  • 7. Mais adequados Pergunta 01: • “Talvez, porque depende da criança e da forma que ela for criada e também a forma em que as crianças e adolescentes forem tratados onde eles estão (abrigos, casa de familiares ou institutos) pode influenciar no futuro delas.” • “Talvez, depende do modo e com quem a criança vai ser criada, e a sociedade onde ela vive.”
  • 8. Inadequações Pergunta 2: • “Primeiramente consientizar, aconsselhas, investir em orfantos e etc.” • “E doar eles para pessoas que cuidem bem delas, que não fiquem judiando com elas.”
  • 9. Mais adequados Pergunta 2: • “Poderiam criar abrigos ou instituições para essas pessoas, poderiam também seder a guarda da criança ou do aolescente a um familiar que tenha como cuidar deles de forma relevante e carinhosa para que não o prejudique.” • “O governo poderia construir mais abrigos, com uma estrutura boa e qualidade de ensino melhor.”
  • 10. Inadequações 1) sim porque depende do individo 2) a sociedade devia fazer estituições mais qualificada com mais estrutura etc. o governo acada dia o governo e uma bosta Mais adequados 1) Sim, por há destruturação familiar pode ocorrer danos pisicologicos nas crianças e adolescentes por o comportamento negativo dos pais. 2) Bom. O governo deveria apoiar os indivíduos infantis ou não, deveria as instituições deveriam oferecer mais conforto de carinho, atenção e dedicação as crianças e adolescentes.
  • 11. Fique esperto! Dicas de português para você mandar bem
  • 12. ÃO – AM ÃO AM Futuro Passado Exemplo As crianças comeram muito no lanche, pois sabem que amanhã comerão menos.
  • 13. TRAZ – TRÁS TRAZ TRÁS Verbo (trazer) Advérbio de lugar Exemplo • O professor traz as provas dentro da bolsa. • Ela olhou para trás e viu a mãe.
  • 14. MAS – MAIS MAS MAIS Conjunção adversativa Advérbio de intensidade indicada oposição contrário a menos EXEMPLO Você deveria ter estudado mais para o ENEM, mas preferiu tagarelar no Whatsapp.
  • 15. Por que/ Por quê/ Porque/ Porquê Por que: Frases interrogativas, quando subentender “motivo” ou “razão”. EXEMPLO: Por que você não veio aula passada? Por quê: Quando aparecer no final da frase ou sozinha EXEMPLO: Vocês continuam conversando durante a explicação, por quê?
  • 16. Porque: Equivale a expressão pois (explicação) EXEMPLO: Tiramos nota baixa porque não entendemos o assunto. Porquê: Substantivado e sinônimo de motivo EXEMPLO: Decepcionado, o aluno não sabe o porquê da nota baixa.
  • 18. Poema: “Meninos carvoeiros”, Manoel Bandeira Os meninos carvoeiros Passam a caminho da cidade. - Eh, carvoero! E vão tocando os animais com um relho enorme. Os burros são magrinhos e velhos. Cada um leva seis sacos de carvão de lenha. A aniagem é toda remendada. Os carvões caem. (Pela boca da noite vem uma velhinha que os recolhe, dobrando-se com um gemido.) - Eh, carvoero! Só mesmo estas crianças raquíticas Vão bem com estes burrinhos descadeirados. A madrugada ingênua parece feita para eles... Pequenina, ingênua miséria! Adoráveis carvoeirinhos que trabalhais como se brincásseis! -Eh, carvoero! Quando voltam, vêm mordendo num pão encarvoado, Encarapitados nas alimárias, Apostando corrida, Dançando, bamboleando nas cangalhas como espantalhos desamparados.
  • 19.
  • 20. Vamos ler? Texto: “Crianças e jovens brasileiros: um retrato do descaso em nosso país.”
  • 23. • Concordância é a correspondência de flexão entre dois termos • Concordância nominal: é a correspondência de flexão entre dois nomes (substantivos, adjetivos, artigos, pronomes). Concordam em gênero e número. • Concordância verbal: ocorre quando o verbo se flexiona para concordar com seu sujeito. Concordância Nominal Verbal
  • 24. Exemplos • Os alunos estão animados; Concordância verbal • Meninos tagarelas; Concordância nominal
  • 25. Concordância nominal • Baseia-se na relação entre o substantivos e os termos a ele relacionados. (Adjetivos, artigos, pronomes.). • O adjetivo concorda em gênero e número quando se refere a um único substantivo. EXEMPLO As mãos trêmulas denunciavam o que sentia.
  • 26. • Encontramos caídas as roupas e os prendedores. • Encontramos caída a roupa e os prendedores. • Encontramos caído o prendedor e a roupa. • Adjetivo anteposto aos substantivos: • O adjetivo concorda em gênero e número com o substantivo mais próximo
  • 27. • As adoráveis Fernanda e Cláudia vieram me visitar. • Encontrei os divertidos primos e primas na festa. • Caso os substantivos sejam nomes próprios ou de parentesco, o adjetivo deve sempre concordar no plural.
  • 28. Concordância verbal REGRA SIMPLES • O sujeito sendo simples, com ele concordará o verbo em número e pessoa. EXEMPLO Maria sabe ler e escrever. Os livros são essenciais para a aprendizagem.
  • 29. CASOS PARTICULARES • A maioria dos alunos passou no Enem. • A maioria dos alunos passaram no teste. • Quando o sujeito é formado por uma expressão partitiva (parte de algo) seguida de um substantivo ou pronome no plural o verbo pode ficar no singular ou plural.
  • 30.