Encontro de Práticas
PSB – FASC/PMPA
O Processo de Inclusão do Grupo
Esperança
Porto Alegre, 30 de agosto de 2013.
Dados de Identificação
Centro de Referência de Assistência Social
Ampliado - Norte
Rua Paulo Gomes de Oliveira, 200
Vila E...
Ação: Intervenção e Acompanhamento
no Processo de Inclusão do Grupo
Esperança
Relevância/Breve Histórico
O BPC Trabalho te...
 O CRAS Norte garantiu o espaço de
convivência e inclusão deste grupo, através de
encontros semanais.
Objetivos
Geral
Promover a inclusão social das Pessoas com
Deficiência (PCD’s), deste território, na
comunidade e no munic...
 Apresentar os conceitos de preconceito e
discriminação, para reflexão e discussão
acerca destes;
 Oferecer atividades d...
 Possibilitar a melhoria da qualidade de
vida, a participação e a inclusão social dos
participantes do grupo;
 Garantir ...
Metodologia
Busca ativa dos beneficiários do BPC,
listados no Projeto Piloto;
Encontro semanal abordando temas como
precon...
Impacto Social/Considerações
O grupo tem como objetivo a inclusão das
pessoas com deficiência. No entanto,
através das ati...
Percebe-se mudanças na
dinâmica do CRAS em seus
grupos, bem como uma
“inversão positiva” no
sentido de conectar,
integrar,...
 Mães que desenvolveram sentimento de
pertencer ao grupo;
Relato de desenvolvimento das
potencialidades dos filhos.
 Experiências vividas e seus significados
Redenção - Festa Junina - Chá Avós
Espaços conquistados percebidos
como inalcançáveis anteriormente
Oportunidades que geraram a inclusão
Obrigada!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

22. apresentação cras norte pcd

613 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
613
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

22. apresentação cras norte pcd

  1. 1. Encontro de Práticas PSB – FASC/PMPA O Processo de Inclusão do Grupo Esperança Porto Alegre, 30 de agosto de 2013.
  2. 2. Dados de Identificação Centro de Referência de Assistência Social Ampliado - Norte Rua Paulo Gomes de Oliveira, 200 Vila Elisabeth – Sarandi – Porto Alegre Região Norte Território: Vilas Asa Branca, Farroupilha, Nova Brasília, Elisabeth, União, C Dique, Leão, Minuano, Passo da Mangueira.
  3. 3. Ação: Intervenção e Acompanhamento no Processo de Inclusão do Grupo Esperança Relevância/Breve Histórico O BPC Trabalho teve seu início em Setembro do ano de 2011, através de um Projeto Piloto implantado em 6 CRAS Ampliados no município de Porto Alegre.  dar resposta às expectativas levantadas;  busca ativa;  14/09/2012: 1ª reunião do Grupo Esperança
  4. 4.  O CRAS Norte garantiu o espaço de convivência e inclusão deste grupo, através de encontros semanais.
  5. 5. Objetivos Geral Promover a inclusão social das Pessoas com Deficiência (PCD’s), deste território, na comunidade e no município. Específicos  Realizar atividades de cultura e lazer nos espaços do território bem como do município, visando a inclusão social;
  6. 6.  Apresentar os conceitos de preconceito e discriminação, para reflexão e discussão acerca destes;  Oferecer atividades de interesse do grupo, bem como as que valorize suas potencialidades;  Proporcionar a integração do grupo nas atividades comemorativas dos serviços do CRAS Norte;
  7. 7.  Possibilitar a melhoria da qualidade de vida, a participação e a inclusão social dos participantes do grupo;  Garantir espaço de convivência e inclusão através dos encontros semanais.
  8. 8. Metodologia Busca ativa dos beneficiários do BPC, listados no Projeto Piloto; Encontro semanal abordando temas como preconceito/discriminação, lazer/diversão, datas comemorativas bem como as demandas advindas do próprio grupo. Estas atividades são desenvolvidas através de dinâmicas de grupo, artesanato, jogos, painel, passeios e visitas a espaços diversos.
  9. 9. Impacto Social/Considerações O grupo tem como objetivo a inclusão das pessoas com deficiência. No entanto, através das atividades desenvolvidas, integrou outros serviços do CRAS à medida que incluiu os mesmos em suas festividades.
  10. 10. Percebe-se mudanças na dinâmica do CRAS em seus grupos, bem como uma “inversão positiva” no sentido de conectar, integrar, pois são as pessoas com deficiência que acolhem, convidam os demais a participarem de suas festas e comemorações.
  11. 11.  Mães que desenvolveram sentimento de pertencer ao grupo;
  12. 12. Relato de desenvolvimento das potencialidades dos filhos.
  13. 13.  Experiências vividas e seus significados
  14. 14. Redenção - Festa Junina - Chá Avós
  15. 15. Espaços conquistados percebidos como inalcançáveis anteriormente
  16. 16. Oportunidades que geraram a inclusão
  17. 17. Obrigada!

×