43
O EVANGELHO DA
SALVAÇÃO
Ouves, como o Evangelho
Nos dá vera salvação,
E transforma o homem velho
Numa nova criação?
Bem algum em mim não via,
Mas ...
Como a pomba que cansada
Foi na arca repousar,
A minh'alma fatigada
Em Jesus vai descansar;
Mas o corvo foi s'embora,
Sobr...
E Jesus a minha arca
Onde posso repousar,
E dali, do mal as marcas,
Nem eu posso avistar!
Oh! Quão doce a chamada
Que a mi...
Pecador que estás ouvindo
A mensagem do Senhor,
Tu na arca és bem-vindo,
No refúgio de amor,
Pois as águas do pecado
Breve...
Pecador que estás ouvindo
A mensagem do Senhor,
Tu na arca és bem-vindo,
No refúgio de amor,
Pois as águas do pecado
Breve...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

43 o evangelho da salvação

102 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
102
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

43 o evangelho da salvação

  1. 1. 43 O EVANGELHO DA SALVAÇÃO
  2. 2. Ouves, como o Evangelho Nos dá vera salvação, E transforma o homem velho Numa nova criação? Bem algum em mim não via, Mas somente corrupção, E cansado da porfia Em Jesus achei perdão.
  3. 3. Como a pomba que cansada Foi na arca repousar, A minh'alma fatigada Em Jesus vai descansar; Mas o corvo foi s'embora, Sobre os mortos foi pousar, Isto fazes tu agora? Quererás ao mal voltar?
  4. 4. E Jesus a minha arca Onde posso repousar, E dali, do mal as marcas, Nem eu posso avistar! Oh! Quão doce a chamada Que a mim me fez Jesus! "Vem, ó alma tão cansada, Vem das trevas para luz".
  5. 5. Pecador que estás ouvindo A mensagem do Senhor, Tu na arca és bem-vindo, No refúgio de amor, Pois as águas do pecado Breve te alcançarão, Pela morte despertado, Baterás na porta em vão!
  6. 6. Pecador que estás ouvindo A mensagem do Senhor, Tu na arca és bem-vindo, No refúgio de amor, Pois as águas do pecado Breve te alcançarão, Pela morte despertado, Baterás na porta em vão!

×