THE 4TH INTERNATIONAL CONGRESS ON  UNIVERSITY INDUSTRY COOPERATION Development of health access on Vale doParaiba Paulista...
IntroduçãoQuais foram os principais vetores de formação da base deacesso à saúde no Vale do Paraíba?Como essa formação reg...
Mesorregião do Vale do Paraíba39 municípios2.264.594 habitantes (IBGE 2010)6 microrregiõesProtagonismo de São José dos Cam...
Mesorregião do Vale do Paraíba               Quantidade de Estabelecimentos de Saúde - 2009Local                         T...
Referencial TeóricoSUBDESENVOLVIMENTOBresser Pereira (1986) de 1850 a 1930 a renda por habitantecresce através do desenvol...
Referencial TeóricoPOLÍTICAS PÓS II GUERRA MUNDIALBaer(1988) necessidade de substituição rápida de importações,esgotamento...
Referencial TeóricoCONCEITO DE ACESSO À SAÚDENeri (2011) mais renda gera mais acesso a serviços de saúde,porém o reverso t...
Pesquisa e discussãoINTERIORIZAÇÃO DA INDÚSTRIA NO ESTADO SPAtividade agrícola implantada a partir do século XVIII e comvi...
Pesquisa e discussãoHETEROGENEIDADE REGIONALQuerido Oliveira e Quintairos (2011) desenvolvimentoeconômico da região ocorre...
Pesquisa e discussãoFORMAÇÃO DA BASE DE ACESSO À SAÚDE NO VPPCompetências históricas de cidade sanatorialProcesso de urban...
Pesquisa e discussão                         Inaugurações de Sanatórios em São José dos CamposNome                      Pr...
Considerações FinaisNo panorama regional, a oferta de serviços de Saúde na regiãodo Vale do Paraíba foi construída sob inf...
BibliografiaABREU DE JESUS, Washington Luiz; ASSIS, Marluce Maria Araújo. Revisão sistemática sobre o conceito de acesso n...
BibliografiaIBGE, Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Superintendência de Estatísticas Primárias – D...
BibliografiaPREFEITURA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. História da Cidade. Disponível em: <http://www.saojosedoscampos.com.br/hist...
Vamos dar um salto no acesso à saúde no Vale do Paraíba!                                           Ricardo Mutuzoc        ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Historia do ACESSO A SAUDE no Vale do Paraiba

543 visualizações

Publicada em

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
543
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Historia do ACESSO A SAUDE no Vale do Paraiba

  1. 1. THE 4TH INTERNATIONAL CONGRESS ON UNIVERSITY INDUSTRY COOPERATION Development of health access on Vale doParaiba Paulista: historical analysis and study of interaction with economic stages (Author) – UNITAU - Ricardo Mutuzoc mutuzoc@uol.com.br (Article Tutor) – UNITAU - Prof. Dr. Fabio Ricci fabioricci@uol.com.br (Project Tutor) – UNITAU - Prof. Dr. Edson Trajano Vieira trajano@unitau.br Taubaté December 7th, 2012 1
  2. 2. IntroduçãoQuais foram os principais vetores de formação da base deacesso à saúde no Vale do Paraíba?Como essa formação regional está ligada com a históriade desenvolvimento econômico nacional e com osmovimentos de interiorização da industrialização e deurbanização?As respostas são alcançadas com a análise exploratória de algunselementos históricos presentes principalmente nas cidades de SãoJosé dos Campos e Taubaté, que se expandem e influenciam aconstrução do acesso à Saúde na região.• Fase agrícola – algodão e café• Fase sanatorial• Fase industrialMÉTODOS - Pesquisa exploratória através de delineamento compesquisa bibliográfica e documental cobrindo os temas de interiorizaçãoda industrialização, heterogeneidade regional e formação da base de saúde nas maiores cidadesdo Vale do Paraíba 2
  3. 3. Mesorregião do Vale do Paraíba39 municípios2.264.594 habitantes (IBGE 2010)6 microrregiõesProtagonismo de São José dos Campos e Taubaté1088 estabelecimentos de saúde = 7.65% do Estado de SP460 estabelecimentos por milhão de habitantesvs 345 no Estado de SP 3
  4. 4. Mesorregião do Vale do Paraíba Quantidade de Estabelecimentos de Saúde - 2009Local Total Por Milhão Comparação com % de o Estado de SP Públicos HabitantesMicrorregião São José dos 658 465 120 30,7%CamposMicrorregião Paraibuna 20 284 -60 85,0%Microrregião Campos do 37 537 193 64,9%JordãoMicrorregião Caraguatatuba 138 490 145 69,6%Microrregião Guaratinguetá 219 545 200 51,6%Microrregião Bananal 16 609 264 93,8%Região Vale do Paraíba SP 1088 480 136 42,9%Estado de São Paulo 1421 345 41,2% 5Fonte: Somatória dos valores por cidade obtidos do IBGE Cidades@, 2009 4
  5. 5. Referencial TeóricoSUBDESENVOLVIMENTOBresser Pereira (1986) de 1850 a 1930 a renda por habitantecresce através do desenvolvimento com o café, mas o capitalmercantil continua dominante.Suzigan (2000) a partir de 1930 começa a industrializaçãosubstitutiva de importações.Mutuzoc (2012): a presença do capital mercantil dominante nãoabriu espaço para o crescimento dos serviços de saúde no mesmoritmo do crescimento da riqueza e da população. 5
  6. 6. Referencial TeóricoPOLÍTICAS PÓS II GUERRA MUNDIALBaer(1988) necessidade de substituição rápida de importações,esgotamento das reservas nacionais.Exemplos:• SALTE (1950)• CEPAL• Plano Trienal de Desenvolvimento – JK (1956-61)Macro influência nos movimentos de urbanização e de formaçãoda base de acesso à saúde 6
  7. 7. Referencial TeóricoCONCEITO DE ACESSO À SAÚDENeri (2011) mais renda gera mais acesso a serviços de saúde,porém o reverso também pode ser verdadeiro. 7
  8. 8. Pesquisa e discussãoINTERIORIZAÇÃO DA INDÚSTRIA NO ESTADO SPAtividade agrícola implantada a partir do século XVIII e comvigor no século XIX. Centro de passagem Rio – São Paulo.Café – importante até 1930Ricci (2005) - Industrialização – gradualmente a partir dofinal do século XIXSantos, Campinas, Sorocaba e São José dos CamposExemplos:•CSN (1946)•Rodovia Dutra (década de 1950)•CTA•Mecânica Pesada – Taubaté (1957)Acelerada industrialização e urbanização na década de 1970 8
  9. 9. Pesquisa e discussãoHETEROGENEIDADE REGIONALQuerido Oliveira e Quintairos (2011) desenvolvimentoeconômico da região ocorreu de forma desequilibrada, econtribuiu para aumentar as disparidades econômico-sociais etecnológicas.Vieira (2009) industrialização no Vale do Paraíba foi acelerada emalgumas poucas cidades, principalmente entre 1960 e 1980Classe A de São José dos Campos corresponde a 14.44% dapopulação (Neri 2011 e IBGE 2010). 9
  10. 10. Pesquisa e discussãoFORMAÇÃO DA BASE DE ACESSO À SAÚDE NO VPPCompetências históricas de cidade sanatorialProcesso de urbanização1864: Hospital da Venerável Ordem Terceira de São Francisco,TaubatéBCG em 1921 e estreptomicina em 1944Efeitos benéficos da altitude no tratamento de tuberculose10 sanatórios inaugurados em São José dos Campos de1910 até 1967Em 1938 os doentes representavam 10% da populaçãourbana em SJC1956 foi inaugurada a Escola de Enfermagem DomEpaminondas, em São José dos Campos 10
  11. 11. Pesquisa e discussão Inaugurações de Sanatórios em São José dos CamposNome Proprietário Ano de Endereço inauguraçã oSanatório Vicentina Irmandade da Santa Casa 1924 Av. Presidente PrudenteAranha de Misericórdia de São Meirelles de Moraes, 503 PauloSanatório Vila Associação Evangélica 1928 Rua Paraibuna, 75Samaritana BeneficenteSanatório Ezra Sociedade Israelita de 1936 Av. Adhemar de Barros, 747 Beneficência "EZRA"Sanatório Maria Instituto das Pequenas 1935 Rua Major Antônio DominguesImaculada Missionárias de Maria de Vasconcelos, 244 ImaculadaSanatório Ruy Dória Dr. Ruy Rodrigues Dória 1934 Rua Villaça, 604Sanatório Adhemar de Liga de Assistência Social e 1938 Rua Afonso César de Siqueira,Barros Combate à Tuberculose 106Sanatório São José Maria de Lourdes Monteiro 1946 Rua Paraibuna, 543 MartinsSanatório Antoninho da Instituto das Pequenas 1952 Av. Heitor Villa-Lobos, 1961Rocha Marmo Missionárias de Maria ImaculadaSanatório Adhemar de Pierino Rossi e Carlino 1967 Estrada do CajuruBarros II RossiFonte: BITTENCOURT, T.M.M., 1998 11
  12. 12. Considerações FinaisNo panorama regional, a oferta de serviços de Saúde na regiãodo Vale do Paraíba foi construída sob influência dasparticularidades das fases Agrícola, Sanatorial e Industrial.A fase Agrícola juntamente com as características climáticas dascidades de São José dos Campos e de Campos do Jordão mantevea região aprazível para tratamento de Saúde, principalmente detuberculose.A fase Sanatorial gerou um investimento de infraestruturaurbana e uma competência profissional em sanitarismo etratamento médico, principalmente em São José dos Campos.A partir de 1930 encontramos o início da estrutura urbano-industrial que tem grande interação com a fase sanatorial de SãoJosé dos Campos.influências e heranças dessas três fases que transcorreram semabruptas interrupções na linha do tempo, mas como vetoresde transformação de forma gradual e sobreposta. 12
  13. 13. BibliografiaABREU DE JESUS, Washington Luiz; ASSIS, Marluce Maria Araújo. Revisão sistemática sobre o conceito de acesso nosserviços de saúde: contribuições do planejamento. Ciência saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, n. 1, Jan. 2010 .Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232010000100022&lng=en&nrm=iso . Acesso em:12 ago. 2012.ANTUNES, José Leopoldo Ferreira; WALDMAN, Eliseu Alves; MORAES, Mirtes de. A tuberculose através do século: íconescanônicos e signos do combate à enfermidade. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 5, n. 2, 2000 . Disponível em:<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232000000200010&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 02 out.2012.ANTUNES, Ana Paula da Silva; SANNA, Maria Cristina. Circunstâncias histórico-sociais de criação da primeira escola deenfermagem no Vale do Paraíba - "Dom Epaminondas". Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro, v. 10, n. 1, abr. 2006 . Disponívelem: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452006000100007&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 02 out.2012.BAER, Werner. A industrialização e o desenvolvimento econômico do Brasil. Rio de Janeiro: Editora da Fundação GetúlioVargas, 1988.BITTENCOURT, Tania Mara Motta. Arquitetura Sanatorial – São José dos Campos. São José dos Campos: Unida Artes Gráficase Editora Ltda., 1998.CARRILHO, Marcos José. Fazendas de café oitocentistas no Vale do Paraíba. An. mus. paul., São Paulo, v. 14, n. 1, Junho2006 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-47142006000100003&lng=en&nrm=iso>.Acesso em: 02 out. 2012. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-47142006000100003.COSTA, Frederico Lustosa da. Brasil: 200 anos de Estado; 200 anos de administração pública; 200 anos de reformas.Rev. Adm. Pública, Rio de Janeiro, v. 42, n. 5, out. 2008 . Disponível em:<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-76122008000500003&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 05 out.2012.GALBRAITH, John Kenneth. A Cultura do Contentamento. São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1992.GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Biblioteca Virtual. Dados e Fatos sobre São Paulo 04/2012. Disponível em:< http://www.bibliotecavirtual.sp.gov.br/especial/201204-saopaulo.php > Acesso em: 8 ago. 2012.GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Lei Complementar Estadual Nº 1.166, de 9 de janeiro de 2012. Disponível em:< http://www.sdmetropolitano.sp.gov.br/portalsdm/pdf/vale/1166.pdf > Acesso em: 18 ago. 2012. 13
  14. 14. BibliografiaIBGE, Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Superintendência de Estatísticas Primárias – Decen. CensoComercial. São Paulo. VII Recenseamento Geral – 1970. Rio de Janeiro, 1975. Disponível em: <http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/monografias/GEBIS%20-%20RJ/censocomercial/Censo%20Comercial_1970_SP.pdf > Acessoem: 23 jul. 2012.IBGE, Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Divisão Regional do Brasil em Mesorregiões e MicrorregiõesGeográficas. Volume I. Rio de Janeiro, 1990. p. 101-102. Disponível em: <http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/monografias/GEBIS%20-%20RJ/DRB/Divisao%20regional_v01.pdf >. Acesso em: 8 ago. 2012.MUTUZOC, R. Heterogeneidade no acesso à saúde no Vale do Paraíba Paulista: um mapeamento do diagnóstico porimagem. Autor: Ricardo Mutuzoc. Orientador: Professor Dr. Edson Trajano Vieira. Taubaté: UNITAU, XIII Mostra de Pós-graduação, 2012. Disponível em < http://www.unitaupgrad.com.br/cd/trabalhos/MCH0349.pdf >MANTEGA, Guido. A Economia Política Brasileira. Petrópolis: Vozes, 1992.McINTYRE, D; MOONEY, G. The economics of health equity. New York: Cambridge University Press, 2007.MINISTÉRIO DA SAÚDE. Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde. DATASUS. Disponível em: <http://cnes.datasus.gov.br/ >. Acesso em: 23-31 jul. 2012.NERI, Marcelo. A nova Classe Média. O lado brilhante da base da pirâmide. São Paulo: Editora Saraiva, 2011.PEREIRA, Luiz Carlos Bresser. A Reforma do Aparelho do Estado e a Constituição Brasileira. Conferência realizada nosseminários patrocinados pela Presidência da República nos quais os ministros explicaram aos parlamentares dos partidos aliados asemendas constitucionais que pretendiam enviar ao Congresso. ESAF, Brasília, janeiro de 1995. Revisada em abril.Disponível em: < http://www.bresserpereira.org.br/papers/1995/98.ReformaAparelhoEstado_Constituicao.pdf >PEREIRA, Luiz Carlos Bresser. Economia Brasileira – Uma Introdução Crítica. São Paulo, Editora Brasiliense, 1986.PEREIRA, Luiz Carlos Bresser. Economia Brasileira – Uma Introdução Crítica. São Paulo, Editora Brasiliense, 3ª edição revista eatualizada, 1997.PONTE, Carlos Fidelis; FALLEIROS, Ialê (organizadores). Na corda bamba de sombrinha: a saúde no fio da história.Fundação Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro: FioCruz/COC; Fiocruz/EPSJV, 2010PORTER, Michael E. Value-Based Health Care Delivery. Harvard Business School, presentation slides for Yale School ofManagement. February 5, 2010. Disponível em:http://www.isc.hbs.edu/pdf/20080610%20Bohmer%20Exec%20Ed%20-%20FINAL.pdf Acesso em: 12 ago. 2012. 14
  15. 15. BibliografiaPREFEITURA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. História da Cidade. Disponível em: <http://www.saojosedoscampos.com.br/historia/index.php>. Acesso em: 02 out. 2012.PREFEITURA DE TAUBATÉ. História da Cidade. Disponível em: <http://www.taubate.sp.gov.br/estage/historia3.html>. Acessoem: 02 out. 2012.QUERIDO OLIVEIRA, Edson Aparecida de; QUINTAIROS, Paulo Cesar Ribeiro. Estudo das disparidades econômicas etecnológicas no desenvolvimento regional desequilibrado do Vale do Paraíba. Revista Brasileira de Gestão eDesenvolvimento Regional G&DR v.7, n.2, p. 256-281, mai-ago/2011.RICCI, Fabio. Indústrias Têxteis na Periferia. Origens e Desenvolvimento: O Caso do Vale do Paraíba. Taubaté: Cabral,Editora e Livraria Universitária, 2006.RICCI, Fabio. O desenvolvimento regional e a dinâmica do movimento do capital. Revista Brasileira de Gestão eDesenvolvimento Regional G&DR. v. 1, n. 2, p. 3-15, mai-ago/2005RODRIGUES, Ivete Oliveira; SANTOS, Josinaldo dos; OLIVEIRA, Tereza Maria Ramos de. Médio Vale do Paraíba do Sul:Estado, Políticas Públicas e Organização do Espaço – 1930/1980. R. Brás. Geogr., Rio de Janeiro, 54(2):57-82, out./dez. 1992.SANCHEZ, Raquel Maia; CICONELLI, Rozana Mesquita. Conceitos de acesso à saúde. Rev Panam Salud Publica. 2012, vol.31,n.3, pp. 260-268. ISSN 1020-4989. Disponível em: < http://dx.doi.org/10.1590/S1020-49892012000300012 > Acesso em: 5 ago.2012SINGER, Paul. Economia Política da Urbanização. São Paulo, Editora Brasiliense/CEBRAP, 1975, p. 117 - p. 133.SUZIGAN, W. Indústria Brasileira. Origem e Desenvolvimento. São Paulo: Hocitel/UNICAMP, 2000.VIANNA, Paula Vilhena Carnevale; ELIAS, Paulo Eduardo M. Cidade sanatorial, cidade industrial: espaço urbano e política desaúde em São José dos Campos, São Paulo, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 23(6):1295-1308, jun, 2007.WORLD HEALTH ORGANIZATION. Health promotion. Disponível em:< http://www.who.int/topics/health_promotion/en/ > Acesso em: 23 jul. 2012.WORLD HEALTH ORGANIZATION. Milestones in Health Promotion, Statements from Global Conferences. TheBangkok Charter for Health Promotion in a Globalized World, 7-11 August 2005. Disponível em: <http://www.who.int/healthpromotion/Milestones_Health_Promotion_05022010.pdf > Acesso em: 8 ago. 2012. 15
  16. 16. Vamos dar um salto no acesso à saúde no Vale do Paraíba! Ricardo Mutuzoc mutuzoc@uol.com.br 16

×