UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL
UNIDADE DE MONTENEGRO
CURSO DE GRADUAÇÃO EM MÚSICA - LICENCIATURA
PATRICK DA CO...
A FUGA PELA EDUCAÇÃO
Escrito por Patrick Costa
Era noite de inverno no Brasil. Os noticiários apenas falavam sobre duas
co...
Bourdieu – Não tiro sua razão Marx, as classes sociais de certa forma afetam
na educação. Mas acho que afeta não só aos pr...
Weber – Olha! Eu concordo com o que vocês falaram até agora, acho que a
educação deve sim preparar o indivíduo para a vida...
Durkheim – Sei lá, mas acho que a mudança da sociedade deve começar a
partir da escola.
Weber – Pois é. Sei que temos muit...
porquê. Apesar de cada um apresentar uma idéia diferente, acho que a união delas
poderia contribuir muito para a educação ...
7
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Patrick costa a fuga pela educação

249 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
249
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Patrick costa a fuga pela educação

  1. 1. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADE DE MONTENEGRO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MÚSICA - LICENCIATURA PATRICK DA COSTA SILVA A FUGA PELA EDUCAÇÃO – DRAMATURGIA CRIADA COM BASE NAS IDÉIAS DE DURKHEIM, MARX, WEBER E BOURDIEU MONTENEGRO UERGS 2013 1
  2. 2. A FUGA PELA EDUCAÇÃO Escrito por Patrick Costa Era noite de inverno no Brasil. Os noticiários apenas falavam sobre duas coisas: futebol e protesto. Do futebol já estávamos acostumados, porém os protestos surgiram a partir do povo brasileiro que acordava perante as ações realizadas pelo governo. Enquanto isso acontecia la fora, em uma prisão recém inaugurada no sudeste brasileiro, encontravam-se alguns prisioneiros, entre eles os quatro prisioneiros no qual eram chamados de “pensadores” pelos demais. Era uma sela pouco iluminada, havia quatro camas pequenas e alguns livros ao lado das camas. Lá fora se ouvia a canção meio abafada dos gafanhotos e mais distante ainda podiam se ouvir os latidos dos cães de guarda. Enquanto isso os chamados “pensadores” jogavam cartas para passar o tempo. Bourdieu – Joga logo Marx. (Resmunga ele) Marx – Calma aí, só irei baixar minha trinca de copas. Sua vez Weber. Weber – Ok... Estive pensando hoje, enquanto almoçava, acho interessante o papel do educador, talvez após minha saída desta prisão eu estude para me tornar professor. Marx – O que? Professor nesse país capitalista que mal dá valor aos profissionais, ainda mais para professores. Durkheim – Lá vem o Marx com o socialismo dele. (Pensa alto) Weber – O que tem a ver o capitalismo com não dar valor aos profissionais, Marx? Marx – Simples! É algo no qual eu chamo de alienação, onde o capitalismo retira a possibilidade do profissional de se reconhecer dentro daquilo que está produzindo. Ah, Malditas classes sociais! Acho uma sociedade comunista sem as classes sociais poderia fazer com que o homem moderno parasse de se preocupar nas suas condições sociais, consumo, enfim, em ganhar dinheiro para assim se preocupar com seu trabalho e reconhecer sua produção. 2
  3. 3. Bourdieu – Não tiro sua razão Marx, as classes sociais de certa forma afetam na educação. Mas acho que afeta não só aos professores, mas também os alunos. Marx – Pelo menos alguém concorda comigo. Enquanto isso, indignado com a conversa alta um dos guardas noturno se aproxima da sela sem que eles percebessem. Porém, ao ouvir sobre o que se tratava, ele não chamou a atenção dos quatro, apenas ficou de canto ouvindo a conversa, como se não estivesse ali. Weber – Como assim Bourdieu, por que as classes sociais afetam na educação? Bourdieu – Bom, sabemos que cada indivíduo pertence a uma família de certa classe social e econômica. Com isso, cada família apresenta uma expectativa em relação à escola e isso vai passando para seus filhos, netos, etc. Weber – Ainda continuo sem entender. Bourdieu – Por exemplo: será que para um indivíduo que vem de uma família de classe baixa valeria a pena passar doze anos estudando sem receber retorno financeiro? Afinal de conta, o indivíduo termina os estudos, mas ainda continua pobre. E depois que acabam os estudos, faria qualquer curso na faculdade? Para as famílias de classe baixa sairia mais em conta o indivíduo fazer um curso técnico, pois seria uma forma mais rápida de ingressar no mercado de trabalho e ter um retorno financeiro. Durkheim – Ta, mais e como poderíamos mudar isso? Acho que a escola é um lugar que todos deveriam freqüentar. Se não for a escola e o professor, quem vai desenvolver a visão social da criança? Quem irá prepará-la para vida, para a sociedade? Bourdieu – Veja bem! A escola não é uma instituição neutra. Devia se pensar a função e o funcionamento do sistema de ensino sob o ponto de vista crítico, ou seja, encontrar elementos para ampliar o capital cultural dos indivíduos. Marx – Já que você falou em crítico, acho que a escola não é apenas uma mediadora do conhecimento ou de cultura, ela também é uma das responsáveis em desenvolver o pensamento crítico do aluno. Bourdieu – Sim, também acho. Weber – Bom, como vocês deram suas opiniões, vou falar o que penso também. Durkheim – Diga aí Weber. 3
  4. 4. Weber – Olha! Eu concordo com o que vocês falaram até agora, acho que a educação deve sim preparar o indivíduo para a vida e para o mercado de trabalho. Mais ainda, acho que a escola também pode desenvolver o potencial de muitos alunos. Porém com o crescimento da burocratização e das grandes corporações capitalistas privadas, o homem deixa de buscar um pouco a sua liberdade, tornando uma pessoa que se preocupa mais em ascensão social e riqueza material. Durkheim – E... (interroga) Weber – E aí surge uma questão: até onde o sujeito tem a liberdade de agir? O problema muitas vezes é este, o indivíduo moderno geralmente usa associações para agir. Mas porque tomar esta decisão e não outra?Acho que até a própria sociedade onde a pessoa vive pode influenciar nas suas escolhas. Marx – Nossa! Interessante ouvir você falar Weber. Apesar do tempo que estamos juntos nesta prisão nunca tinha ouvido você falar assim. Durkheim – É isso aí Weber. Mas acho também que o professor pode ser um grande influenciador para os alunos. Claro que o professor não vai dizer ao aluno o que fazer, mas ele poderá apontar para o aluno alguns caminhos para a so... ciedade. (pausa sua fala) Bourdieu – O que houve Durkheim? Durkheim – Pensei ter ouvido algum barulho. Weber – Ah, vai ver é os cães na rua! Durkheim – É pode ser, mas minha impressão é que foi aqui dentro. Bom deixa pra lá. Weber – Bom, eu sei que viemos discutindo sobre a influência das classes sociais na educação, porém atualmente estamos vivendo num país capitalista, devemos pensar numa educação a partir disto. Marx – Nós sabemos disso Weber, porém mesmo assim eu ainda acredito que a sociedade possa se transformar. Eu não nego, uma sociedade comunista poderia ser bem melhor. Bourdieu – Olha! Acho que assim como a religião necessita da ciência em alguns momentos e vice-versa, por mais que não assumam isso, acredito que o capitalismo precise do socialismo muitas vezes, assim como o socialismo também precisa do capitalismo. 4
  5. 5. Durkheim – Sei lá, mas acho que a mudança da sociedade deve começar a partir da escola. Weber – Pois é. Sei que temos muitas idéias e teorias, mas o que podemos fazer dentro desta sela? Só nos resta jogar cartas. Marx – Maldita hora que fomos presos. (balançando a cabeça) Bourdieu – Se pudéssemos apresentar nossas idéias para o mundo...Talvez não exercêssemos o papel de professor, mas tentaríamos contribuir para a educação que se encontra tão, tão...ah!!(solta o ar com cara de desilusão) Marx – Bati. Durkheim – Já nem estava mais preocupado com o jogo. Guarda noturno – Atchim! Bourdieu – Silêncio galera! É o guarda noturno, ele certamente vai dar uma bronca na gente, como sempre. (sussurra ele) Guarda noturno – Não, desta vez não darei um bronca em vocês. Marx – Ué?! Devo estar sonhando. Guarda noturno – Talvez sim Marx. Já faz algum tempo que estou observando a conversa de vocês e... Durkheim – Bem que eu desconfiei daquele barulho. (interrompe o guarda) Guarda noturno – Posso continuar ou ta difícil? Durkheim – Prossiga seu guarda. Guarda noturno – Olha. Muita coisa está acontecendo lá fora. O Brasil está acordando e tentando buscar os seus direitos e como vocês já sabem a educação também é algo que precisa ser revisto, repensado. Às vezes penso: será este um período de transição do Brasil? Bourdieu – Nunca tinha visto você tão simpático, seu guarda... Guarda noturno – Além de guarda, eu também sou pai e me preocupo com a educação do meu filho. (desabafa) Marx – Acho que essa sua questão pode fazer sentido, afinal toda sociedade pode ser transformada. Weber – É o que eu vinha falando antes. O brasileiro tomou essa liberdade para agir em busca de seu direito. Talvez fosse isso que faltava. Durkheim – Ta, mas o que temos a ver com isso? Guarda noturno – Até hoje não havia escutado ninguém propor idéias tão geniais como vocês. Bom, não é a toa que lhes chamam de pensadores, agora sei o 5
  6. 6. porquê. Apesar de cada um apresentar uma idéia diferente, acho que a união delas poderia contribuir muito para a educação de hoje. Bourdieu – Quer dizer que... Guarda noturno – Sim Bourdieu, sei que posso estar cometendo um grande erro como profissional na minha área, podendo até ser... Bom, deixa pra lá. O importante é que não podemos perder esta oportunidade. Eu como guarda noturno conheço o lugar de todas as câmeras de vigilância e sou um dos responsáveis por guardar as chaves das selas. Weber – Mas por que irá fazer isso? Guarda noturno – Pelo bem da educação. Pelo bem da educação do meu filho. Mas lembrem-se estou fazendo isso sob uma condição: vocês prometem que irão tentar mudar a educação a partir de suas idéias? Marx – Não. Não prometemos tentar, e sim mudar. Bourdieu – Concordo com o Marx. Já que teremos essa chance de apresentar nossas idéias para o mundo e você confia em nós para isso, acho que isso já se torna uma responsabilidade para nós, mas que faremos com todo orgulho. Marx, Weber e Durkheim – É isso aí. Marx – Por uma igualdade social e pelos direitos da educação! Durkheim – Por uma educação que prepare as pessoas para sociedade! Weber – Por maior liberdade de ação das pessoas e por uma educação que as prepare para o mercado! Bourdieu – Por uma ampliação do capital cultural dos alunos! Guarda noturno – Bom, vamos indo, temos pouco tempo antes da troca de guardas. Passaram-se dez minutos. Guarda noturno – Ufa, consegui. Talvez as grandes idéias não mudem o mundo, mas influencia para uma mudança da sociedade. (pensa) 6
  7. 7. 7

×