HIV/SIDA

87 visualizações

Publicada em

Paulo e José.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
87
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

HIV/SIDA

  1. 1.  A alimentação deve ser racional, variada, equilibrada e só fica completa quando não se põe de lado o consumo, diário, de água. A Pirâmide dos Alimentos indica -nos quais os produtos que devemos ter em conta no nosso regime alimentar de acordo com o seu grau de importância. Pequeno almoço - sumo natural, chá, café ou cevada; Lanche da manha - iogurte, leite, pão com fiambre; Almoço - carne ou peixe, arroz, massa, batata e legumes; Jantar - carne ou peixe, legumes; Lanche da tarde - iogurte, fruta, bolacha maria; Beber litro e meio de agua por dia; Trabalho realizado por: Paulo Vendas e José Ferreira
  2. 2. Os exercícios físicos estimulam a saúde em diversos aspetos: 1.Alívio de tensões emocionais; 2.Melhora da composição sanguínea; 3.Redução da pressão arterial; 4.Estímulo ao emagrecimento; 5.Aumento da densidade óssea; 6.Aumento da massa muscular; 7.Desenvolvimento da aptidão física; Trabalho realizado por: Paulo Vendas e José Ferreira O hábito da prática de exercício físico constitui-se não apenas um instrumento fundamental nos programas relacionados com a promoção da saúde, inibindo o aparecimento de muitas das alterações orgânicas que se associam ao processo degenerativo, mas também na reabilitação de determinadas patologias que atualmente contribuem para o aumento dos índices de morbidade e mortalidade. Dentro dos fatores que estimulam a saúde das pessoas, está a prática do exercício físico, a par com uma boa alimentação, hábitos de higiene, sono e recuperação adequada dos esforços físicos e mentais.
  3. 3. Riscos provocados pela falta de sono a curto prazo: cansaço e sonolência durante o dia, irritabilidade, alterações repentinas de humor, perda da memória de fatos recentes, comprometimento da criatividade, redução da capacidade de planejar e executar, lentidão do raciocínio, desatenção e dificuldade de concentração. Riscos provocados pela falta de sono a longo prazo: falta de vigor físico, envelhecimento precoce, diminuição do tônus muscular, comprometimento do sistema imunológico, tendência a desenvolver obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares e gastrointestinais e perda crônica da memória. Trabalho realizado por: Paulo Vendas e José Ferreira

×