SISTEMA NERVOSO
DIVISÃO SOMATOSENSORIAL
SENTIDOS ESPECIAIS: A VISÃO.
Luanda, Abril de 2013

Augusto C Manuel, MD Esp.
DEI ...
SUMÁRIO:
•  INTRODUÇÃO
•  OBJECTIVOS
•  PRINCÍPIOS FÍSICOS DA ÓPTICA
•  A ÓPTICA DA VISÃO
•  FUNÇÃO RECEPTORA VISUAL
•  VI...
INTRODUÇÃO:
q  Os olhos são bolsas membranosas, cheias de
líquido, embutidas em cavidades ósseas do crânio,
que são as ór...
INTRODUÇÃO:
In: Guyton, Tratado de Fisiologia Médica
OBJECTIVOS: 
•  GERAL: 

Que no final da aula, os estudantes, conheçam
os conceitos físicos básicos sobre a óptica e
os asp...
•  O grau de refracção:

 
Proporção entre os IR dos dois meios transparentes. 


 
Grau de angulação entre a interface e ...
O OLHO COMO UMA CÂMARA: 
•  Sistema de lentes: (4) quatro interfaces.
•  Cristalino – 20 D.
•  Cristalino – importância da...
O OLHO COMO UMA CÂMARA:
FORMAÇÃO DA IMAGEM
•  Um objecto é um mosaico de pontos luminosos.
•  A imagem na retina é inversa...
DISTÂNCIA ENTRE UM OBJECTO E O OLHO:
PERCEPÇÃO DA PROFUNDIDADE.

1. Tamanho de objectos conhecidos sobre a retina 
2. O fe...
SISTEMA DE LÍQUIDOS DO OLHO -- LÍQUIDO
E PRESSÃO INTRAOCULAR
o  humor aquoso
o  humor vítreo
o  PRESSÃO
INTRAOCULAR
v ton...
FUNÇÃO RECEPTORA E NEURAL DA
RETINA
•  Retina – sensível a luz e contém fotorreceptores.
•  Cones – ++ visão das cores.
• ...
FUNÇÃO NEURAL DA RETINA
•  Escuro – excitação: - 40 mV.
•  Luz – excitação: - 70 a - 80 mV.
•  P. Receptor (cone e bastone...
FOTOQUÍMICA DA VISÃO
ADAPTAÇÃO À CLARIDADE E AO ESCURO
•  Adaptação à claridade:
•  
Ambiente claro – retinal + opsinas vi...
ADAPTAÇÃO AO CLARO E AO ESCURO
RODOPSINA –
DERIVADA DA
VITAMINA A

AUSÊNCIA DE
VITAMINA A =
CEGUEIRA
NOTURNA OU
HEMERALOPI...
Os fotorreceptores
Convertem o sinal luminoso em potencial receptor por meio de
reações fotoquímicas. Há dois tipos de rec...
In: Guyton, Tratado de Fisiologia Médica
FUNÇÃO NEURAL DA RETINA
CIRCUITO NEURAL DA RETINA
•  Via visual (fóvea) – sistema novo = rápido:
V. directa – 3 neurónios
...
VIA VISUAL
•  Duas vias visuais:
•  Sistema novo – transmissão directa até ao cortéx
•  Sistema antigo – até ao mesencéfal...
FUNÇÕES DO CORTÉX VISUAL
•  Área 1ª – percepção consciente da visão.
•  Áreas 2ªs – significado da imagem.
In: Guyton, Trat...
In: Guyton, Tratado de Fisiologia Médica
In: Guyton, Tratado de Fisiologia Médica
CONCLUSÕES:
http://www.slideshare.net/MrDragus10/visao-aspectos-de-discussao-2013?
utm_source=slideshow&utm_medium=ssemail...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
1.  Guyton A. C. & Hall j. R., Tratado de Fisiologia
Médica, 12ª edição, Guanabara Koogan, RJ,...
‘’… tenho um triste viver;
Porque vivo a ouvir, a sentir e a gostar…
… sem nada poder ver…’’
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Olho: aula sobre a Fisiologia da visão - 2013 abril

16.970 visualizações

Publicada em

1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
16.970
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
222
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Olho: aula sobre a Fisiologia da visão - 2013 abril

  1. 1. SISTEMA NERVOSO DIVISÃO SOMATOSENSORIAL SENTIDOS ESPECIAIS: A VISÃO. Luanda, Abril de 2013 Augusto C Manuel, MD Esp. DEI de FISIOLOGIA
  2. 2. SUMÁRIO: •  INTRODUÇÃO •  OBJECTIVOS •  PRINCÍPIOS FÍSICOS DA ÓPTICA •  A ÓPTICA DA VISÃO •  FUNÇÃO RECEPTORA VISUAL •  VIAS DE CONDUÇÃO NEURAL •  CENTROS NERVOSOS PARA A VISÃO •  CONCLUSÕES •  REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS. •  A óptica da Visão
  3. 3. INTRODUÇÃO: q  Os olhos são bolsas membranosas, cheias de líquido, embutidas em cavidades ósseas do crânio, que são as órbitas. q  Sua função principal: receptores das sensações electromagnéticas (a luz) e consequentemente da visão.
  4. 4. INTRODUÇÃO: In: Guyton, Tratado de Fisiologia Médica
  5. 5. OBJECTIVOS: •  GERAL: Que no final da aula, os estudantes, conheçam os conceitos físicos básicos sobre a óptica e os aspectos importantes sobre a fisiologia da visão.
  6. 6. •  O grau de refracção: Proporção entre os IR dos dois meios transparentes. Grau de angulação entre a interface e a frente de onda. •  Poder de refracção – Dioptrias Ø  Quanto maior é a curvatura dada por uma lente aos raios de luz, maior será seu poder de refracção, poder este que se mede em Dioptrias. Ø O poder de refracção de uma lente convexa é igual a um metro dividido pela sua longitude focal PRINCÍPIOS DA FÍSICA ÓPTICA:
  7. 7. O OLHO COMO UMA CÂMARA: •  Sistema de lentes: (4) quatro interfaces. •  Cristalino – 20 D. •  Cristalino – importância da lente – acomodação. In: Guyton, Tratado de Fisiologia Médica
  8. 8. O OLHO COMO UMA CÂMARA: FORMAÇÃO DA IMAGEM •  Um objecto é um mosaico de pontos luminosos. •  A imagem na retina é inversa e reversa. •  Cérebro interpreta de forma normal a imagem invertida. In: Guyton, Tratado de Fisiologia Médica
  9. 9. DISTÂNCIA ENTRE UM OBJECTO E O OLHO: PERCEPÇÃO DA PROFUNDIDADE. 1. Tamanho de objectos conhecidos sobre a retina 2. O fenómeno de paralaxe, em movimento 3. Determinação da distância por estereopsia
  10. 10. SISTEMA DE LÍQUIDOS DO OLHO -- LÍQUIDO E PRESSÃO INTRAOCULAR o  humor aquoso o  humor vítreo o  PRESSÃO INTRAOCULAR v tonómetros In: Guyton, Tratado de Fisiologia Médica
  11. 11. FUNÇÃO RECEPTORA E NEURAL DA RETINA •  Retina – sensível a luz e contém fotorreceptores. •  Cones – ++ visão das cores. •  Bastonetes – visão no escuro. •  C. pigmentar da retina – melanina / vitamina A(pigmentos fotossensíveis) In: Guyton, Tratado de Fisiologia Médica
  12. 12. FUNÇÃO NEURAL DA RETINA •  Escuro – excitação: - 40 mV. •  Luz – excitação: - 70 a - 80 mV. •  P. Receptor (cone e bastonete): hiperpolarizante. In: Guyton, Tratado de Fisiologia Médica
  13. 13. FOTOQUÍMICA DA VISÃO ADAPTAÇÃO À CLARIDADE E AO ESCURO •  Adaptação à claridade: •  Ambiente claro – retinal + opsinas vitamina A. •  Pigmento fotossensivel. – sensibilidade a luz. •  Adaptação ao escuro: •  Ambiente escuro – retinal + opsinas pigmentos sensiveis. •  + Vitamina A retinal pigmentos sensiveis.
  14. 14. ADAPTAÇÃO AO CLARO E AO ESCURO RODOPSINA – DERIVADA DA VITAMINA A AUSÊNCIA DE VITAMINA A = CEGUEIRA NOTURNA OU HEMERALOPIA In: Guyton, Tratado de Fisiologia Médica
  15. 15. Os fotorreceptores Convertem o sinal luminoso em potencial receptor por meio de reações fotoquímicas. Há dois tipos de receptores: BASTONETES Púrpura (380 a 650nm) Tons de cinza Adaptados a baixa luminosidade (visão escotópica) CONES Azul (419nm) Verde (531nm) Vermelho (559nm) Visão em cores Adaptados a alta luminosidade (visão fotótica) Elevada resolução espacial das imagens In: Guyton, Tratado de Fisiologia Médica
  16. 16. In: Guyton, Tratado de Fisiologia Médica
  17. 17. FUNÇÃO NEURAL DA RETINA CIRCUITO NEURAL DA RETINA •  Via visual (fóvea) – sistema novo = rápido: V. directa – 3 neurónios •  Via visual (periférica). •  Neurotransmissores: – Cones e bastonetes – glutamato – Amácrinas – acetilcolina, GABA, dopamina
  18. 18. VIA VISUAL •  Duas vias visuais: •  Sistema novo – transmissão directa até ao cortéx •  Sistema antigo – até ao mesencéfalo e base do prosencéfalo. In: Guyton, Tratado de Fisiologia Médica
  19. 19. FUNÇÕES DO CORTÉX VISUAL •  Área 1ª – percepção consciente da visão. •  Áreas 2ªs – significado da imagem. In: Guyton, Tratado de Fisiologia Médica
  20. 20. In: Guyton, Tratado de Fisiologia Médica
  21. 21. In: Guyton, Tratado de Fisiologia Médica
  22. 22. CONCLUSÕES: http://www.slideshare.net/MrDragus10/visao-aspectos-de-discussao-2013? utm_source=slideshow&utm_medium=ssemail&utm_campaign=post_upload
  23. 23. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1.  Guyton A. C. & Hall j. R., Tratado de Fisiologia Médica, 12ª edição, Guanabara Koogan, RJ, 2011, 827 – 840. 2.  Netter F. H., Sistema Nervoso – Anatomia e Fisiologia, vol 1, U.S.A.,171 – 172 3.  Aires MM; Fisiologia; 3ª edição; Guanabara Koogan; RJ; Norton JM; 2008. 4.  http://www.slideshare.net/MrDragus10/visao- aspectos-de-discussao-2013 utm_source=slideshow&utm_medium=ssemail&utm_camp aign=post_upload
  24. 24. ‘’… tenho um triste viver; Porque vivo a ouvir, a sentir e a gostar… … sem nada poder ver…’’

×