SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
À Ministra da Educação
                                                  Av. 5 de Outubro, 107
                                                  1069-018 LISBOA




Assunto: os critérios do 1º concurso para professor titular e o
desperdício de professores



                                               Lisboa, 5 de Junho de 2007



Excelentíssima Senhora Ministra da Educação,



      Ensino Francês na Escola Secundária José Gomes Ferreira, em
Lisboa, e sou um dos muitos professores do 10º escalão do nosso
país que não somam os 95 pontos para acederem ao 1º concurso
para professor titular.
      Não venho lamentar-me e muito menos pedir um tratamento
de excepção, antes apresentar um exemplo que ajude V. Exª a
meditar sobre as injustiças dos critérios que decidiu adoptar para
este concurso.
      Adianto que pertenço ao grupo de professores que defendem
uma avaliação séria da qualidade – e sublinho QUALIDADE - das
nossas prestações profissionais e mesmo da existência de duas
carreiras que se distingam, mais uma vez, pela QUALIDADE daquilo
que cada um de nós sabe fazer e do modo como o faz.
      Considerar apenas os últimos sete anos em carreiras com mais
de trinta releva de um grande desrespeito pelo trabalho de uma vida;
valorizar   exageradamente      cargos    de    natureza    marcadamente
administrativa    em      detrimento     dos    cargos     verdadeiramente
pedagógicos é negar a intenção sobejamente anunciada de conferir
mais qualidade e mais sucesso à educação e ao ensino nas nossas
escolas; fixar um total de 95 pontos, fasquia agora generosamente
descida de um montante inicial quase inatingível, só gera injustiças
num enorme grupo de professores que devia aceder a titular sem ter
que saltar barreiras.
      Dos critérios adoptados, Senhora Ministra, estão à vista
consequências que deveriam fazer pensar o Ministério que V. Exª
tutela, pois desperdiçam recursos humanos que empobrecem as
nossas escolas.


      E aqui chego à minha situação pessoal.


      Se me permite um pequeno historial, alinho de seguida as
minhas actividades dos últimos sete anos:


 Professora do 8o Grupo B do Quadro da Escola Secundária Passos
   Manuel -   (destacada de 1999-2000 a 2003-2004 na Associação
   Portuguesa dos Professores de Francês; em exercício de funções
   de 2004-2005 a 2005-2006)
 Orientadora de estágio pedagógico de Francês da Faculdade de
   Letras da Universidade de Lisboa, realizado na Escola Secundária
   Passos Manuel (2005-2006)
 Presidente da Comissão Executiva da Associação Portuguesa dos
   Professores de Francês (de 1993 a 2006)
 Presidente da Federação Nacional das Associações de Professores
   de Línguas Vivas (de 1995 a 2002)
 Membro do Conselho Nacional de Educação (de 1997 a 2001)
 Membro do Conselho Consultivo do Currículo Nacional do Ensino
   Básico (de 1999 a 2000)
 Co-autora do Currículo Nacional do Ensino Básico (de 1999 a
   2000)
 Autora-coordenadora    dos   programas     de   Francês   do   Ensino
   Secundário em vigor (de 1999 a 2000)
 Formadora certificada pelo Conselho Científico-Pedagógico da
   Formação Contínua nas áreas A34 – Francês e C05 –Didácticas
   Específicas (Francês), com o registo CCPFC/RFO-06415/98 (de
   1998 até à presente data), com dezenas de sessões de formação
   contínua de professores de Línguas dinamizadas em muitas
   escolas do país.
 Directora do Centro de Formação desta Associação Portuguesa dos
   Professores de Francês (de 1999).


      Todavia, poucas destas actividades contam. Algumas, como a
autoria de programas, só contariam se fossem simultâneas ao
trabalho efectivo na escola, o que prova que mais que a capacidade
para fazer programas conta o malabarismo em gerir a multiplicidade
de tarefas.


      Aquela seriação pode parecer um exercício de imodéstia, mas é
essencial para demonstrar que no meu percurso profissional recente
houve um trabalho com parceiros muitos diversificados, forçosamente
com especialistas nacionais e estrangeiros, que me ajudaram a
construir um saber que aperfeiçoou muito significativamente a minha
prática lectiva, me permitiu compreender a Escola e a minha
profissionalidade de uma forma mais rigorosa e plural e, finalmente,
me concedeu o reconhecimento por pares e superiores hierárquicos.
      Ao referir o meu caso, não esqueço o de todos aqueles colegas
que, tendo tido um percurso diferente, realizaram um trabalho de
muita qualidade e vêem igualmente negado o acesso a um patamar
que é deles de direito.
      Refiro-me aos formadores de professores reconhecidos pelo
Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua que, durante
anos, dinamizaram inúmeras sessões de formação contínua.
      Refiro-me aos professores que publicam a sua reflexão
pedagógica e didáctica (e não falo de elaboração manuais escolares,
que, pela sua natureza comercial, não deveriam constituir um critério
de admissão de professores) que fundamenta algumas das linhas de
força de muitas decisões de política educativa.
     Refiro-me igualmente aos colegas que não desempenharam
cargos por terem tido horários completos, não necessitando de os
“preencher” com uma direcção de turma, uma coordenação de
disciplina ou outro. Infelizmente, a rotatividade quase obrigatória
destes e de outros cargos de gestão intermédia das escolas tem
frequentemente desvirtuado a sua vertente educativa e formadora,
quase deixando de ser importantes as pessoas que os desempenham.
     Onde tem estado, em muitíssimos casos, a preocupação em
adequar o perfil do professor ao cargo que vai desempenhar? E nos
critérios de acesso a este concurso, onde esteve a preocupação em
contemplar as práticas de formação e de avaliação imprescindíveis
para futuros avaliadores dos seus colegas?
     Senhora Ministra, gostaria que meditasse na orientação que
está a dar à vida das nossas escolas e revisse algumas das suas
decisões no sentido do estímulo da qualidade e da inovação.
     Assim o fez a França ao atribuir-me duas condecorações em
reconhecimento do meu trabalho pela causa e pelo ensino do
Francês, trabalho que o governo do meu país não valoriza.
     Os meus cumprimentos




                                                  (Zélia Sampaio Santos)

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Carta Me Concurso Titular

O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...
O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...
O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...Andreia Medeiros
 
Para uma formação de professores construída
Para uma formação de professores construídaPara uma formação de professores construída
Para uma formação de professores construídacefaprodematupa
 
Formação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professor
Formação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professorFormação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professor
Formação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professorCristiana Campos
 
Mídias interativas completa
Mídias interativas completaMídias interativas completa
Mídias interativas completaslucarz
 
LETRAMENTO DO PROFESSOR DE LÍNGUA MATERNA: A CONFLUÊNCIA DE SABERES DIVERSOS
LETRAMENTO DO PROFESSOR DE LÍNGUA MATERNA: A CONFLUÊNCIA DE SABERES DIVERSOSLETRAMENTO DO PROFESSOR DE LÍNGUA MATERNA: A CONFLUÊNCIA DE SABERES DIVERSOS
LETRAMENTO DO PROFESSOR DE LÍNGUA MATERNA: A CONFLUÊNCIA DE SABERES DIVERSOSProfessorPrincipiante
 
A INSERÇÃO NA DOCÊNCIA DE PROFESSORES QUE ATUAM COMO FORMADORES DE LÍNGUA POR...
A INSERÇÃO NA DOCÊNCIA DE PROFESSORES QUE ATUAM COMO FORMADORES DE LÍNGUA POR...A INSERÇÃO NA DOCÊNCIA DE PROFESSORES QUE ATUAM COMO FORMADORES DE LÍNGUA POR...
A INSERÇÃO NA DOCÊNCIA DE PROFESSORES QUE ATUAM COMO FORMADORES DE LÍNGUA POR...ProfessorPrincipiante
 
O INÍCIO DE CARREIRA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL E O ENSINO DA MA...
O INÍCIO DE CARREIRA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL E O ENSINO DA MA...O INÍCIO DE CARREIRA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL E O ENSINO DA MA...
O INÍCIO DE CARREIRA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL E O ENSINO DA MA...ProfessorPrincipiante
 
Apostila de redação
Apostila de redaçãoApostila de redação
Apostila de redaçãoELISA SABINO
 
Apresentação lisliê
Apresentação lisliêApresentação lisliê
Apresentação lisliêlislieribeiro
 
Ser ou Estar Professor_novo.docx
Ser ou Estar Professor_novo.docxSer ou Estar Professor_novo.docx
Ser ou Estar Professor_novo.docxalcilenevirginia
 
Artigo sobre evasão
Artigo sobre evasãoArtigo sobre evasão
Artigo sobre evasãomdemiguel
 
DESAFIOS DE PROFESSORES INICIANTES DA EDUCAÇÃO INFANTIL E DOS ANOS INICIAIS D...
DESAFIOS DE PROFESSORES INICIANTES DA EDUCAÇÃO INFANTIL E DOS ANOS INICIAIS D...DESAFIOS DE PROFESSORES INICIANTES DA EDUCAÇÃO INFANTIL E DOS ANOS INICIAIS D...
DESAFIOS DE PROFESSORES INICIANTES DA EDUCAÇÃO INFANTIL E DOS ANOS INICIAIS D...ProfessorPrincipiante
 
A FORMAÇÃO INICIAL E A PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS PROFESSORES INICIANTES
A FORMAÇÃO INICIAL E A PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS PROFESSORES INICIANTESA FORMAÇÃO INICIAL E A PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS PROFESSORES INICIANTES
A FORMAÇÃO INICIAL E A PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS PROFESSORES INICIANTESProfessorPrincipiante
 
Pequeno manual do professor
Pequeno manual do professorPequeno manual do professor
Pequeno manual do professorAdriana Priscila
 
Curso de Formação Especializada/Pós-Graduação em Gestão e Administração Escolar
Curso de Formação Especializada/Pós-Graduação em Gestão e Administração EscolarCurso de Formação Especializada/Pós-Graduação em Gestão e Administração Escolar
Curso de Formação Especializada/Pós-Graduação em Gestão e Administração EscolarIsabel Pedrosa
 
OS (DES)CAMINHOS DOS PROFESSORES INICIANTES DE QUÍMICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS D...
OS (DES)CAMINHOS DOS PROFESSORES INICIANTES DE QUÍMICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS D...OS (DES)CAMINHOS DOS PROFESSORES INICIANTES DE QUÍMICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS D...
OS (DES)CAMINHOS DOS PROFESSORES INICIANTES DE QUÍMICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS D...ProfessorPrincipiante
 

Semelhante a Carta Me Concurso Titular (20)

Ensino de língua materna
Ensino de língua maternaEnsino de língua materna
Ensino de língua materna
 
O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...
O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...
O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA DENTRO DO CONTEXTO ESCOLAR, NOVAS PERSPECTIVAS PAR...
 
Para uma formação de professores construída
Para uma formação de professores construídaPara uma formação de professores construída
Para uma formação de professores construída
 
Formação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professor
Formação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professorFormação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professor
Formação continuada em serviço: um estudo sobre o projeto sala de professor
 
Mídias interativas completa
Mídias interativas completaMídias interativas completa
Mídias interativas completa
 
LETRAMENTO DO PROFESSOR DE LÍNGUA MATERNA: A CONFLUÊNCIA DE SABERES DIVERSOS
LETRAMENTO DO PROFESSOR DE LÍNGUA MATERNA: A CONFLUÊNCIA DE SABERES DIVERSOSLETRAMENTO DO PROFESSOR DE LÍNGUA MATERNA: A CONFLUÊNCIA DE SABERES DIVERSOS
LETRAMENTO DO PROFESSOR DE LÍNGUA MATERNA: A CONFLUÊNCIA DE SABERES DIVERSOS
 
A INSERÇÃO NA DOCÊNCIA DE PROFESSORES QUE ATUAM COMO FORMADORES DE LÍNGUA POR...
A INSERÇÃO NA DOCÊNCIA DE PROFESSORES QUE ATUAM COMO FORMADORES DE LÍNGUA POR...A INSERÇÃO NA DOCÊNCIA DE PROFESSORES QUE ATUAM COMO FORMADORES DE LÍNGUA POR...
A INSERÇÃO NA DOCÊNCIA DE PROFESSORES QUE ATUAM COMO FORMADORES DE LÍNGUA POR...
 
O INÍCIO DE CARREIRA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL E O ENSINO DA MA...
O INÍCIO DE CARREIRA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL E O ENSINO DA MA...O INÍCIO DE CARREIRA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL E O ENSINO DA MA...
O INÍCIO DE CARREIRA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL E O ENSINO DA MA...
 
Apostila de redação
Apostila de redaçãoApostila de redação
Apostila de redação
 
Apresentação lisliê
Apresentação lisliêApresentação lisliê
Apresentação lisliê
 
Ser ou Estar Professor_novo.docx
Ser ou Estar Professor_novo.docxSer ou Estar Professor_novo.docx
Ser ou Estar Professor_novo.docx
 
Artigo sobre evasão
Artigo sobre evasãoArtigo sobre evasão
Artigo sobre evasão
 
Monografia Fátima Pedagogia 2012
Monografia Fátima Pedagogia 2012Monografia Fátima Pedagogia 2012
Monografia Fátima Pedagogia 2012
 
Portifolio
PortifolioPortifolio
Portifolio
 
DESAFIOS DE PROFESSORES INICIANTES DA EDUCAÇÃO INFANTIL E DOS ANOS INICIAIS D...
DESAFIOS DE PROFESSORES INICIANTES DA EDUCAÇÃO INFANTIL E DOS ANOS INICIAIS D...DESAFIOS DE PROFESSORES INICIANTES DA EDUCAÇÃO INFANTIL E DOS ANOS INICIAIS D...
DESAFIOS DE PROFESSORES INICIANTES DA EDUCAÇÃO INFANTIL E DOS ANOS INICIAIS D...
 
Boletim Informativo- Parceiros da Educação
Boletim Informativo- Parceiros da EducaçãoBoletim Informativo- Parceiros da Educação
Boletim Informativo- Parceiros da Educação
 
A FORMAÇÃO INICIAL E A PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS PROFESSORES INICIANTES
A FORMAÇÃO INICIAL E A PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS PROFESSORES INICIANTESA FORMAÇÃO INICIAL E A PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS PROFESSORES INICIANTES
A FORMAÇÃO INICIAL E A PRÁTICA PEDAGÓGICA DOS PROFESSORES INICIANTES
 
Pequeno manual do professor
Pequeno manual do professorPequeno manual do professor
Pequeno manual do professor
 
Curso de Formação Especializada/Pós-Graduação em Gestão e Administração Escolar
Curso de Formação Especializada/Pós-Graduação em Gestão e Administração EscolarCurso de Formação Especializada/Pós-Graduação em Gestão e Administração Escolar
Curso de Formação Especializada/Pós-Graduação em Gestão e Administração Escolar
 
OS (DES)CAMINHOS DOS PROFESSORES INICIANTES DE QUÍMICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS D...
OS (DES)CAMINHOS DOS PROFESSORES INICIANTES DE QUÍMICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS D...OS (DES)CAMINHOS DOS PROFESSORES INICIANTES DE QUÍMICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS D...
OS (DES)CAMINHOS DOS PROFESSORES INICIANTES DE QUÍMICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS D...
 

Mais de Moriae

Biosofia Nº28 Musicoterapia Marg Azevedo
Biosofia Nº28 Musicoterapia Marg AzevedoBiosofia Nº28 Musicoterapia Marg Azevedo
Biosofia Nº28 Musicoterapia Marg AzevedoMoriae
 
primeira alteração, por apreciação parlamentar, ao decreto-lei nº 3/2008, de ...
primeira alteração, por apreciação parlamentar, ao decreto-lei nº 3/2008, de ...primeira alteração, por apreciação parlamentar, ao decreto-lei nº 3/2008, de ...
primeira alteração, por apreciação parlamentar, ao decreto-lei nº 3/2008, de ...Moriae
 
Carta Aberta à Exmª Srª Ministra Da EducaçãO (GeóGrafo) Ler Até Ao Fim
Carta Aberta à Exmª Srª Ministra Da EducaçãO (GeóGrafo)   Ler Até Ao FimCarta Aberta à Exmª Srª Ministra Da EducaçãO (GeóGrafo)   Ler Até Ao Fim
Carta Aberta à Exmª Srª Ministra Da EducaçãO (GeóGrafo) Ler Até Ao FimMoriae
 
Variations On The Song Happy Birthday Arranged For String Quartet
Variations On The Song Happy Birthday Arranged For String Quartet Variations On The Song Happy Birthday Arranged For String Quartet
Variations On The Song Happy Birthday Arranged For String Quartet Moriae
 
The People United Will Never Be Defeated
The People United Will Never Be DefeatedThe People United Will Never Be Defeated
The People United Will Never Be DefeatedMoriae
 
Iniciativa do BE
Iniciativa do BE Iniciativa do BE
Iniciativa do BE Moriae
 
Comunicado da Escola de Música do Conservatório Nacional
Comunicado da Escola de Música do Conservatório NacionalComunicado da Escola de Música do Conservatório Nacional
Comunicado da Escola de Música do Conservatório NacionalMoriae
 
Dl 3 2008
Dl 3 2008Dl 3 2008
Dl 3 2008Moriae
 
"Evolução do ensino da matemática em Portugal"
"Evolução do ensino da matemática em Portugal""Evolução do ensino da matemática em Portugal"
"Evolução do ensino da matemática em Portugal"Moriae
 
Um Português Contribuinte
Um Português ContribuinteUm Português Contribuinte
Um Português ContribuinteMoriae
 
Carta aberta ao Senhor Presidente da República Portuguesa
Carta aberta ao Senhor Presidente da República PortuguesaCarta aberta ao Senhor Presidente da República Portuguesa
Carta aberta ao Senhor Presidente da República PortuguesaMoriae
 
Ana Cristina Pereira InsuficiêNcia Renal Netpress Spgl Manchete, 2001
Ana Cristina Pereira InsuficiêNcia Renal Netpress Spgl   Manchete, 2001Ana Cristina Pereira InsuficiêNcia Renal Netpress Spgl   Manchete, 2001
Ana Cristina Pereira InsuficiêNcia Renal Netpress Spgl Manchete, 2001Moriae
 
Ana Cristina Pereira
Ana Cristina PereiraAna Cristina Pereira
Ana Cristina PereiraMoriae
 
ConclusõEs Debate Julho
ConclusõEs Debate JulhoConclusõEs Debate Julho
ConclusõEs Debate JulhoMoriae
 
Ana LuíSa EsperançA
Ana LuíSa EsperançAAna LuíSa EsperançA
Ana LuíSa EsperançAMoriae
 
Spgl Sindicato Dos Professores Da Grande Lisboa
Spgl   Sindicato Dos Professores Da Grande LisboaSpgl   Sindicato Dos Professores Da Grande Lisboa
Spgl Sindicato Dos Professores Da Grande LisboaMoriae
 
Afinal Há Democracia
Afinal Há DemocraciaAfinal Há Democracia
Afinal Há DemocraciaMoriae
 
Cheira Ao Medo Do Antigamente
Cheira Ao Medo Do AntigamenteCheira Ao Medo Do Antigamente
Cheira Ao Medo Do AntigamenteMoriae
 
LegislaçãO Proposta
LegislaçãO PropostaLegislaçãO Proposta
LegislaçãO PropostaMoriae
 
Manig5julho
Manig5julhoManig5julho
Manig5julhoMoriae
 

Mais de Moriae (20)

Biosofia Nº28 Musicoterapia Marg Azevedo
Biosofia Nº28 Musicoterapia Marg AzevedoBiosofia Nº28 Musicoterapia Marg Azevedo
Biosofia Nº28 Musicoterapia Marg Azevedo
 
primeira alteração, por apreciação parlamentar, ao decreto-lei nº 3/2008, de ...
primeira alteração, por apreciação parlamentar, ao decreto-lei nº 3/2008, de ...primeira alteração, por apreciação parlamentar, ao decreto-lei nº 3/2008, de ...
primeira alteração, por apreciação parlamentar, ao decreto-lei nº 3/2008, de ...
 
Carta Aberta à Exmª Srª Ministra Da EducaçãO (GeóGrafo) Ler Até Ao Fim
Carta Aberta à Exmª Srª Ministra Da EducaçãO (GeóGrafo)   Ler Até Ao FimCarta Aberta à Exmª Srª Ministra Da EducaçãO (GeóGrafo)   Ler Até Ao Fim
Carta Aberta à Exmª Srª Ministra Da EducaçãO (GeóGrafo) Ler Até Ao Fim
 
Variations On The Song Happy Birthday Arranged For String Quartet
Variations On The Song Happy Birthday Arranged For String Quartet Variations On The Song Happy Birthday Arranged For String Quartet
Variations On The Song Happy Birthday Arranged For String Quartet
 
The People United Will Never Be Defeated
The People United Will Never Be DefeatedThe People United Will Never Be Defeated
The People United Will Never Be Defeated
 
Iniciativa do BE
Iniciativa do BE Iniciativa do BE
Iniciativa do BE
 
Comunicado da Escola de Música do Conservatório Nacional
Comunicado da Escola de Música do Conservatório NacionalComunicado da Escola de Música do Conservatório Nacional
Comunicado da Escola de Música do Conservatório Nacional
 
Dl 3 2008
Dl 3 2008Dl 3 2008
Dl 3 2008
 
"Evolução do ensino da matemática em Portugal"
"Evolução do ensino da matemática em Portugal""Evolução do ensino da matemática em Portugal"
"Evolução do ensino da matemática em Portugal"
 
Um Português Contribuinte
Um Português ContribuinteUm Português Contribuinte
Um Português Contribuinte
 
Carta aberta ao Senhor Presidente da República Portuguesa
Carta aberta ao Senhor Presidente da República PortuguesaCarta aberta ao Senhor Presidente da República Portuguesa
Carta aberta ao Senhor Presidente da República Portuguesa
 
Ana Cristina Pereira InsuficiêNcia Renal Netpress Spgl Manchete, 2001
Ana Cristina Pereira InsuficiêNcia Renal Netpress Spgl   Manchete, 2001Ana Cristina Pereira InsuficiêNcia Renal Netpress Spgl   Manchete, 2001
Ana Cristina Pereira InsuficiêNcia Renal Netpress Spgl Manchete, 2001
 
Ana Cristina Pereira
Ana Cristina PereiraAna Cristina Pereira
Ana Cristina Pereira
 
ConclusõEs Debate Julho
ConclusõEs Debate JulhoConclusõEs Debate Julho
ConclusõEs Debate Julho
 
Ana LuíSa EsperançA
Ana LuíSa EsperançAAna LuíSa EsperançA
Ana LuíSa EsperançA
 
Spgl Sindicato Dos Professores Da Grande Lisboa
Spgl   Sindicato Dos Professores Da Grande LisboaSpgl   Sindicato Dos Professores Da Grande Lisboa
Spgl Sindicato Dos Professores Da Grande Lisboa
 
Afinal Há Democracia
Afinal Há DemocraciaAfinal Há Democracia
Afinal Há Democracia
 
Cheira Ao Medo Do Antigamente
Cheira Ao Medo Do AntigamenteCheira Ao Medo Do Antigamente
Cheira Ao Medo Do Antigamente
 
LegislaçãO Proposta
LegislaçãO PropostaLegislaçãO Proposta
LegislaçãO Proposta
 
Manig5julho
Manig5julhoManig5julho
Manig5julho
 

Carta Me Concurso Titular

  • 1. À Ministra da Educação Av. 5 de Outubro, 107 1069-018 LISBOA Assunto: os critérios do 1º concurso para professor titular e o desperdício de professores Lisboa, 5 de Junho de 2007 Excelentíssima Senhora Ministra da Educação, Ensino Francês na Escola Secundária José Gomes Ferreira, em Lisboa, e sou um dos muitos professores do 10º escalão do nosso país que não somam os 95 pontos para acederem ao 1º concurso para professor titular. Não venho lamentar-me e muito menos pedir um tratamento de excepção, antes apresentar um exemplo que ajude V. Exª a meditar sobre as injustiças dos critérios que decidiu adoptar para este concurso. Adianto que pertenço ao grupo de professores que defendem uma avaliação séria da qualidade – e sublinho QUALIDADE - das nossas prestações profissionais e mesmo da existência de duas carreiras que se distingam, mais uma vez, pela QUALIDADE daquilo que cada um de nós sabe fazer e do modo como o faz. Considerar apenas os últimos sete anos em carreiras com mais de trinta releva de um grande desrespeito pelo trabalho de uma vida; valorizar exageradamente cargos de natureza marcadamente administrativa em detrimento dos cargos verdadeiramente pedagógicos é negar a intenção sobejamente anunciada de conferir mais qualidade e mais sucesso à educação e ao ensino nas nossas
  • 2. escolas; fixar um total de 95 pontos, fasquia agora generosamente descida de um montante inicial quase inatingível, só gera injustiças num enorme grupo de professores que devia aceder a titular sem ter que saltar barreiras. Dos critérios adoptados, Senhora Ministra, estão à vista consequências que deveriam fazer pensar o Ministério que V. Exª tutela, pois desperdiçam recursos humanos que empobrecem as nossas escolas. E aqui chego à minha situação pessoal. Se me permite um pequeno historial, alinho de seguida as minhas actividades dos últimos sete anos:  Professora do 8o Grupo B do Quadro da Escola Secundária Passos Manuel - (destacada de 1999-2000 a 2003-2004 na Associação Portuguesa dos Professores de Francês; em exercício de funções de 2004-2005 a 2005-2006)  Orientadora de estágio pedagógico de Francês da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, realizado na Escola Secundária Passos Manuel (2005-2006)  Presidente da Comissão Executiva da Associação Portuguesa dos Professores de Francês (de 1993 a 2006)  Presidente da Federação Nacional das Associações de Professores de Línguas Vivas (de 1995 a 2002)  Membro do Conselho Nacional de Educação (de 1997 a 2001)  Membro do Conselho Consultivo do Currículo Nacional do Ensino Básico (de 1999 a 2000)  Co-autora do Currículo Nacional do Ensino Básico (de 1999 a 2000)  Autora-coordenadora dos programas de Francês do Ensino Secundário em vigor (de 1999 a 2000)
  • 3.  Formadora certificada pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua nas áreas A34 – Francês e C05 –Didácticas Específicas (Francês), com o registo CCPFC/RFO-06415/98 (de 1998 até à presente data), com dezenas de sessões de formação contínua de professores de Línguas dinamizadas em muitas escolas do país.  Directora do Centro de Formação desta Associação Portuguesa dos Professores de Francês (de 1999). Todavia, poucas destas actividades contam. Algumas, como a autoria de programas, só contariam se fossem simultâneas ao trabalho efectivo na escola, o que prova que mais que a capacidade para fazer programas conta o malabarismo em gerir a multiplicidade de tarefas. Aquela seriação pode parecer um exercício de imodéstia, mas é essencial para demonstrar que no meu percurso profissional recente houve um trabalho com parceiros muitos diversificados, forçosamente com especialistas nacionais e estrangeiros, que me ajudaram a construir um saber que aperfeiçoou muito significativamente a minha prática lectiva, me permitiu compreender a Escola e a minha profissionalidade de uma forma mais rigorosa e plural e, finalmente, me concedeu o reconhecimento por pares e superiores hierárquicos. Ao referir o meu caso, não esqueço o de todos aqueles colegas que, tendo tido um percurso diferente, realizaram um trabalho de muita qualidade e vêem igualmente negado o acesso a um patamar que é deles de direito. Refiro-me aos formadores de professores reconhecidos pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua que, durante anos, dinamizaram inúmeras sessões de formação contínua. Refiro-me aos professores que publicam a sua reflexão pedagógica e didáctica (e não falo de elaboração manuais escolares,
  • 4. que, pela sua natureza comercial, não deveriam constituir um critério de admissão de professores) que fundamenta algumas das linhas de força de muitas decisões de política educativa. Refiro-me igualmente aos colegas que não desempenharam cargos por terem tido horários completos, não necessitando de os “preencher” com uma direcção de turma, uma coordenação de disciplina ou outro. Infelizmente, a rotatividade quase obrigatória destes e de outros cargos de gestão intermédia das escolas tem frequentemente desvirtuado a sua vertente educativa e formadora, quase deixando de ser importantes as pessoas que os desempenham. Onde tem estado, em muitíssimos casos, a preocupação em adequar o perfil do professor ao cargo que vai desempenhar? E nos critérios de acesso a este concurso, onde esteve a preocupação em contemplar as práticas de formação e de avaliação imprescindíveis para futuros avaliadores dos seus colegas? Senhora Ministra, gostaria que meditasse na orientação que está a dar à vida das nossas escolas e revisse algumas das suas decisões no sentido do estímulo da qualidade e da inovação. Assim o fez a França ao atribuir-me duas condecorações em reconhecimento do meu trabalho pela causa e pelo ensino do Francês, trabalho que o governo do meu país não valoriza. Os meus cumprimentos (Zélia Sampaio Santos)