A CIÊNCIA NA HISTÓRIA, CIÊNCIAS DA
NATUREZA E CIÊNCIAS HUMANAS
Alexandra Sturzeneker
Ana Caroline
Camila Souza
Maria Lúcia...
Ciência na História
Racionalista: dos gregos (Platão) até o final do
século XVII, hipotético-dedutivo, método
dedutivo e d...
Concepção Empirista: Medicina grega e
Aristóteles, até o final do século XIX, hipotético-
indutivo, método observações e e...
Concepção Construtivista: É a junção do racionalismo e empirismo (Kant), pois
não existe uma verdade absoluta e sim uma ve...
Estuda a natureza, fenômenos, física, biologia, química, etc. ;
Fatos observáveis, submetidos a experimentação;
Estabelece...
Se desenvolveram através de observações e experimentação, sendo esta
a decisão do cientista de intervir no curso de um fen...
Ciências Humanas
Atividade humana, objeto de estudo o homem. Período do
humanismo: idéia renascentista da “dignidade do ho...
Período do Positivismo: Augusto Comte, 03
etapas: superstição religiosa a metafísica e
teologia, para ciência positiva e p...
Fenomenologia: essência ou significação como conceito,
encontrando assim seu sentido, forma e suas propriedades.
Estrutura...
Referências Bibliográficas:
Chauí , Marilena. Convite à filosofia. Unidade 7,
capítulos 2, 3 e 4. São Paulo,Atica, 2000.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Metodologia- Mônica grupo 4

223 visualizações

Publicada em

trabalho de metodologia

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
223
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Metodologia- Mônica grupo 4

  1. 1. A CIÊNCIA NA HISTÓRIA, CIÊNCIAS DA NATUREZA E CIÊNCIAS HUMANAS Alexandra Sturzeneker Ana Caroline Camila Souza Maria Lúcia Damasceno Mônica Carina Stéfani Luís
  2. 2. Ciência na História Racionalista: dos gregos (Platão) até o final do século XVII, hipotético-dedutivo, método dedutivo e demonstrativo (matemática).
  3. 3. Concepção Empirista: Medicina grega e Aristóteles, até o final do século XIX, hipotético- indutivo, método observações e experimentos.
  4. 4. Concepção Construtivista: É a junção do racionalismo e empirismo (Kant), pois não existe uma verdade absoluta e sim uma verdade aproximada que pode ser modificada, ou abandonada por outra mais adequada dos fenômenos. Ciência Antiga: Teorética (gr. Theoretikós). Teoria, observação contemplativa da natureza. Ciência Clássica ou Moderna: é o exercício do poder humano sobre a natureza. Ruptura epistemológica: dizer “não” a uma teoria existente para uma elaboração de novas teorias. Revolução Científica: fenômenos são descobertos e conhecimentos antigos são abandonados, há uma mudança profunda na maneira do cientista ver o mundo.
  5. 5. Estuda a natureza, fenômenos, física, biologia, química, etc. ; Fatos observáveis, submetidos a experimentação; Estabelecem leis que exprimem relações necessárias e universais entre fato investigado e causa; Busca constância estabelecendo meios teóricos para previsão de novos fatos. Ex:
  6. 6. Se desenvolveram através de observações e experimentação, sendo esta a decisão do cientista de intervir no curso de um fenômeno, permitindo formular hipóteses sobre o fenômeno. O método experimental é hipotético-indutivo e hipotético-dedutivo. A previsão é uma das maneiras pelas quais o ideal moderno da ciência – dominar e controlar a natureza – se manifesta e se realiza. Uma teoria científica permite construir objetos tecnológicos para novas pesquisas e previsão dos fenômenos, permite empregar tecnologias com fins práticos criando a ciência natural aplicada.
  7. 7. Ciências Humanas Atividade humana, objeto de estudo o homem. Período do humanismo: idéia renascentista da “dignidade do homem”. O humanismo não separa o homem da natureza, mas o separa dos demais.
  8. 8. Período do Positivismo: Augusto Comte, 03 etapas: superstição religiosa a metafísica e teologia, para ciência positiva e progresso humano. Historicismo: insiste na diferença entre homem e natureza e ciências naturais e humanas.
  9. 9. Fenomenologia: essência ou significação como conceito, encontrando assim seu sentido, forma e suas propriedades. Estruturalismo: Princípio ordenador, diferenciador e transformador, a estrutura é uma totalidade dotada de sentido. Marxismo: A materialidade da existência econômica comanda as outras esferas da vida social e da espiritualidade e os processos históricos abrangem todas elas.
  10. 10. Referências Bibliográficas: Chauí , Marilena. Convite à filosofia. Unidade 7, capítulos 2, 3 e 4. São Paulo,Atica, 2000.

×