Aula_Lipoproteínas

5.224 visualizações

Publicada em

A aula Lipoproteínas faz parte do módulo da Guia Didática 4 - disciplina: Estilos de Uso do Espaço Virtual para a Aprendizagem Online ministrada pela Professora Doutora Daniela Melaré da Universidade Aberta de Portugal.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.224
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
120
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula_Lipoproteínas

  1. 1. Disciplina: Bioquímica II Assunto: Lipoproteínas Profa. Mirian Ribeiro M. Carrijo 1
  2. 2. 2
  3. 3. 3
  4. 4. 4 Lipoproteínas
  5. 5. Estrutura molecular de um quilomícron Apolipoproteínas Colesterol Fosfolipídios Triglicerídeos e ésteres de colesterol (80%) As lipases intestinais hidrolisam os triacilgliceróis. Os triacilgliceróis, junto com o colesterol e apoproteínas são incorporados nos quilomícrons Capilar sanguíneo Mucosa Intestinal Quilomícron Lipoproteína lipase 5 - Os quilomícrons migram para os tecidos por meio do sistema linfático e da corrente sanguínea Digestão, absorção e transporte dos lipídeos da dieta - formação dos quilomícrons 5
  6. 6. Via exógena - formação dos quilomícrons Dieta 6
  7. 7. Ingestão e absorção de gorduras presente na alimentação Síntese de quilomícrons nos enterócitos Sistema lifático e corrente sanguínea Quilomícron Quilomícron remanescente Glicerol e AG Hidrólise do TG Ação das lipases Remoção por receptores hepáticos Energia ou adiposidade aos tecidos Os triacilgliceróis, junto com o colesterol e apoproteínas são incorporados nos quilomícrons. Via exógena - formação dos quilomícrons 7
  8. 8. 8
  9. 9. Via endógena - formação de VLDLe LDL VLDL:Lipoproteína de muita baixa densidade IDL: Lipoproteína de densidade intermediaria LDL:Lipoproteína de baixa densidade 9 HTGL: Lipase de triglicerídeos hepática
  10. 10. Síntese hepática de VLDL (TG+Colesterol) Via endógena - formação de VLDLe LDL VLDL VLDL remanescente Glicerol e AG Hidrólise do TG Lipoproteína lipases Remoção por receptores hepáticos Energia ou adiposidade aos tecidos 10 Lipase hepática Remoção de TG residual LDL rica em colesterol Remoção por receptores hepáticos Transporta colesterol para os tecidos
  11. 11. 11 LDL: Rico em colesterol e ésteres de colesterol
  12. 12. Síntese hepática de HDL nascente (Colesterol) 12 LCAT: Lecitina - colesterol acil transferase CERP: Proteína reguladora do efluxo do colesterol ACAT: Acil CoA - acilcolesterol transferase Proteína de transferência do éster de colesterol (CETP) A enzima lipoproteína lipase ao agir nas lipoproteínas de muito baixa densidade (VLDL) e nos quilomícrons (QM), faz com que se desprendam componentes de superfície destas lipoproteínas, como colesterol livre e fosfolípides, dando origem a estruturas lamelares denominadas préβ HDL, que são as partículas nascentes de HDL, responsáveis pela remoção do excesso de colesterol das células periféricas através das membranas celulares. (A. C. Filho. Concentração e funcionabilidade da HDL.) CERP
  13. 13. 13 SR-BI (scavenger receptor, class B, type 2)
  14. 14. Síntese hepática de HDL nascente (Colesterol) Origem: produtos do metabolismo dos quilomícrons e VLDL HDL transporta colesterol retirado dos tecidos periféricos Excreção de colesterol na bile Lecitina-colesterol aciltransferase (LCAT) 14
  15. 15. Quilomícrom: Triacilgliceróis VLDL:Lipoproteína de muita baixa densidade LDL:Lipoproteína de baixa densidade HDL:Lipoproteína de alta densidade 15
  16. 16. 16 Captação do colesterol por endocitose mediada por receptores. O colesterol livre liberado dentro da célula regula a taxa de sua própria síntese endógena. Colesterol: Estimula a proteólise da HMG-CoA redutase e inibe a transcrição do seu gene (SREBP).
  17. 17. Hipercolesterolemia Familiar A hipercolesterolemia familiar é uma doença genética causada pela deficiência ou má função do receptor LDL. Ela leva a um acúmulo excessivo de LDL no plasma, produzindo níveis muito altos de colesterol plasmático. Esta é uma doença autossômica recessiva que causa aterosclerose grave. Os homozigotos não têm nenhum receptor LDL funcionando e freqüentemente morrem de doenças coronárias cardíacas na infância. Os heterozigotos têm metade do número usual de receptores funcionais e desenvolvem comumente doenças cardíacas antes de atingirem a meia-idade. 17
  18. 18. O receptor de LDL e a captação de LDL 18 Sítio de ligação Sítio revestido de Clatrina Receptor de LDL com defeito Não ocorre a ligação com as proteínas e clatrinas
  19. 19. Adventícia -Vascularização -Inervação Media -Tônus Vascular Íntima Endotélio Endotélio Endotélio -Regulação do Tônus vascular -Regulação da permeabilidade vascular Moléculas de adesão Endotélio vascular 19
  20. 20. Aterogenicidade das Partículas Pequenas e Densas de LDL Receptor de LDL - deficiência ou má função do receptor LDL. Leva a um acúmulo excessivo de LDL no plasma. Captura das LDL por macrófagos – formação das células espumosas Aumento da penetração do LDL Radicais livres Oxidação do LDL Macrófagos Células espumosas LDL Oxidada - tóxico para o endotélio 20
  21. 21. Recrutamento de outras células Diminuição da resistência da capa fibrótica Inflamação LDL Oxidada Fator tissular Citocinas Céls musculares lisas Macrófagos Formação da Placa 21
  22. 22. Grau I Grau II Grau IVGrau III Grau V Grau VI Linha gordurosa extracelular Núcleo lipídico Núcleo lipídico de placa aterosclerótica envolvido na fibrose Placa aterosclerótica complicada (Rotura da placa, trombose, hemorragia) Células espumosas Assintomático Eventos Clínicos eventuais •Crescimento da placa •Aterotrombose •Rotura da placa •Acúmulo de lipídios Intra- e Extracelular •Formação de núcleo lipídico Desenvolvimento da fibrose que circunda o núcleo lipídico Linha gordurosa Estágios de desenvolvimentos da placa aterosclerótica 22
  23. 23. Estágios de desenvolvimentos da placa aterosclerótica TRATAMENTO • Mudança do estilo de VIDA - Terapia nutricional - Exercício físico - Perda de Peso • Interrupção do fumo • Tratamento farmacológico 23
  24. 24. 24
  25. 25. Flavonóides Origem: Via do Chiquimato e do acetato O O R R R1 R3 R2 R A C B 25
  26. 26. Aterosclerose x Flavonóides Receptor de LDL - deficiência ou má função do receptor LDL. Leva a um acúmulo excessivo de LDL no plasma. Captura das LDL por macrófagos – formação das células espumosas Aumento da penetração do LDL Radicais livres Oxidação do LDL Macrófagos Células espumosas LDL Oxidada - tóxico para o endotélio Flavonóides 26
  27. 27. Bibliografias 1. LEHNINGER, Albert Lester. Princípios de bioquímica. [Traduzido do original: Lehninger principles of biochemistry]. Arnaldo Antônio Simões (Trad.); Wilson Roberto Naveha Lodi (Trad.). 3 ed São Paulo: Sarvier, 2002. 975 p. Figure: Lehninger. Principles of Biochemistry. Disponível em http://bcs.whfreeman.com/lehningr/default.asp 2. GARRET, R.H.; GRISHAM, D.M. Biochemistry. Saunders College Publishing, 1995. 3. DEVLIN, Thomas M., Textbook of Biochemistry with Clinical Correlations; Publisher John Wiley & Sons, 1997. 4. BERG, Jeremy; TYMOCZKO, John L.; STRYER, Lubert. Bioquímica. [Traduzido do original: BIOCHEMISTRY]. Antônio José Magalhães da Silva Moreira (Trad.). 5 ed Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004. 5. VOET, Donald & VOET, Judith; Biochemistry, Hardcover, 2000. 6. KOOLMAN, Jan & KLAUS-HEINRICH, Rohm; Color Atlas of Biochemistry.2nd edition. 2005. 7. ATKINS, Peter e JONES, Loretta; Princípios de Química: Questionando a vida moderna e o meio ambiente. 2ª Edição. Bookman, 2001. 8. www.lipidsonline.org / www.americanheart.org As figuras contidas ao longo dos slides foram retiradas do site: http://images.google.com.br/images.; e pelas bibliografias acima relacionadas. O professor se exime de qualquer autoria das figuras. 27

×