SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Baixar para ler offline
Relatório Mensal
Dívida Pública Federal
Janeiro
2016
MINISTRO DA FAZENDA
Nelson Henrique Barbosa Filho
SECRETÁRIO–EXECUTIVO DO MINISTÉRIO DA FAZENDA
Dyogo Henrique de Oliveira
SECRETÁRIO DO TESOURO NACIONAL
Otávio Ladeira de Medeiros
SUBSECRETÁRIOS DO TESOURO NACIONAL
Antônio de Pádua Ferreira Passos — Substituto
Fabiana Magalhães Almeida Rodopoulos — Substituta
Gildenora Batista Dantas Milhomem
Líscio Fábio de Brasil Camargo
Paulo Jose dos Reis Souza
Pricilla Maria Santana
EQUIPE TÉCNICA
Subsecretário da Dívida Pública
Antônio de Pádua Ferreira Passos — Substituto
Coordenador-Geral de Operações da Dívida Pública
Jose Franco Medeiros de Morais
Coordenador-Geral de Planejamento Estratégico da Dívida Pública
Luiz Fernando Alves
Coordenador-Geral de Controle da Dívida Pública
Priscila de Souza Cavalcante de Castro — Substituta
Informações:
Gerência de Relacionamento Institucional - GERIN
Tel: (61) 3412-3188; Fax: (61) 3412-1565
Secretaria do Tesouro Nacional
Edifício Sede do Ministério da Fazenda, Esplanada dos Ministérios, Bloco P, 2° andar
70048-900 - Brasília – DF
Correio Eletrônico: stndivida@fazenda.gov.br
Home Page: http://www.tesouro.fazenda.gov.br
Relatório Mensal da Dívida Pública Federal é uma publicação da Secretaria do
Tesouro Nacional. É permitida a sua reprodução total ou parcial, desde que
mencionada a fonte.
ÍNDICE
1. OPERAÇÕES NO MERCADO PRIMÁRIO....................................................5
1.1 Emissões e Resgastes da DPF............................................................................................. 5
1.2 Dívida Pública Mobiliária Federal interna—DPMFi........................................................... 6
Emissões e Resgastes da DPMFi ................................................................................................................................6
Programa Tesouro Direto............................................................................................................................................7
Emissões Diretas e Cancelamentos.........................................................................................................................8
1.3 Dívida Pública Federal externa—DPFe ............................................................................. 9
2. ESTOQUE DA DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL—DPF..........................................10
2.1 Evolução .............................................................................................................................. 10
2.2 Fatores de Variação ........................................................................................................... 11
2.3 Composição........................................................................................................................ 12
Indexadores...................................................................................................................................................................12
Detentores......................................................................................................................................................................13
3. PERFIL DE VENCIMENTOS DA DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL—DPF ................14
3.1 Composição dos Vencimentos......................................................................................... 14
3.2 Prazo Médio......................................................................................................................... 15
3.3 Vida Média (Average Term to Maturity—ATM)................................................................ 16
4. CUSTO MÉDIO DA DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL—DPF .................................17
4.1 Custo Médio do Estoque .................................................................................................... 17
4.2 Custo Médio das Emissões em Oferta Pública da DPMFi................................................ 18
5. MERCADO SECUNDÁRIO DE TÍTULOS PÚBLICOS FEDERAIS ......................19
5.1 Volume Negociado ............................................................................................................ 19
5.2 Rentabilidade dos Títulos Públicos Federais..................................................................... 21
6. ANEXOS
TABELAS
Tabela 1.1 – Emissões e resgates da DPF ..................................................................................................5
Tabela 1.2 – Emissões e resgates da DPF, por indexador .....................................................................5
Tabela 1.3 – Emissões e resgates de títulos públicos federais da DPMFi ...........................................6
Tabela 1.4 – Programa Tesouro Direto .......................................................................................................7
Tabela 1.5 – Perfil dos investidores cadastrados .....................................................................................8
Tabela 1.6 – Emissões diretas e cancelamentos de títulos da DPMFi ...........................................................8
Tabela 1.7 – Emissões e resgates da DPFe ................................................................................................9
Tabela 2.1 – Estoque da DPF .........................................................................................................................10
Tabela 2.2 – Fatores de variação da DPF .................................................................................................11
Tabela 2.3 – Composição da DPF ...............................................................................................................12
Tabela 2.4 – Detentores dos títulos públicos – DPMFi..............................................................................13
Tabela 3.1 – Vencimentos da DPF..............................................................................................................14
Tabela 3.2 – Dívida pública federal a vencer em 12 meses, por indexador....................................14
Tabela 3.3 – Prazo médio da DPF.................................................................................................................15
Tabela 3.4 – Prazo médio das emissões da DPMFi em oferta pública...............................................15
Tabela 3.5 – Vida média da DPF..................................................................................................................16
Tabela 4.1 – Custo médio do estoque da DPF.........................................................................................17
Tabela 4.2 – Custo médio das emissões em oferta pública da DPMFi..............................................18
Tabela 5.1 – Volume negociado no mercado secundário, por título...............................................19
Tabela 5.2 – Vencimentos mais negociados por volume financeiro no mercado secundário,
por indexador – Novembro/2015.................................................................................................................20
GRÁFICOS
Gráfico 1.1 – Emissões e resgates dos principais títulos da DPMFi ......................................................7
Gráfico 1.2 – Emissões e resgates da DPFe ...............................................................................................9
Gráfico 2.1 – Composição da DPF por indexador .................................................................................12
Gráfico 2.2 – Composição da carteira de títulos públicos, por detentor – DPMFi ........................13
Gráfico 2.3 – Distribuição por prazo de vencimento, por detentor – DPMFi ...................................13
Gráfico 3.1 – Prazo médio das emissões da DPMFi em ofertas públicas x prazo médio do
estoque da DPMFi............................................................................................................................................15
Gráfico 4.1– Custo médio acumulado em 12 meses da DPF, DPMFi, DPFe e TAXASELIC.....................17
Gráfico 4.2 – Custo médio do estoque e custo médio das emissões da DPMFi.............................18
Gráfico 4.3 – Custo médio das emissões dos títulos da DPMFi.............................................................18
Gráfico 5.1 – Volume diário negociado no mercado secundário de títulos públicos como %
dos respectivos estoques...............................................................................................................................19
Gráfico 5.2 – Volume mensal em tela e percentual do mercado secundário .............................20
Gráfico 5.3 – Rentabilidade dos títulos públicos (% acumulado em 12 meses)..............................21
Gráfico 5.4 – Evolução da rentabilidade dos títulos públicos – IMA geral (% acumulado em 12
meses) .................................................................................................................................................................21
5
1. Operações no Mercado Primário
1.1 Emissões e Resgates da DPF
No mês de janeiro, as emissões da Dívida Pública Federal – DPF1 corresponderam a
R$ 72,07 bilhões, enquanto os resgates alcançaram R$ 150,45 bilhões, resultando em
resgate líquido de R$ 78,38 bilhões, sendo R$ 73,19 bilhões referentes ao resgate líquido
da Dívida Pública Mobiliária Federal interna - DPMFi e R$ 5,19 bilhões referentes ao
resgate líquido da Dívida Pública Federal externa - DPFe.
1 Neste relatório, todas as estatísticas referem-se à DPF em poder do público.
Tabela 1.1
Emissões e resgates
da DPF
Janeiro/2016
Tabela 1.2
Emissões e resgates da
DPF, por indexador
Janeiro/2016
(R$ Milhões)
Emissões Resgates Emissão Líquida
DPF 72.073,74 150.452,12 -78.378,39
DPMFi 70.738,75 100,00% 143.928,48 100,00% -73.189,73
Prefixado 25.445,76 35,97% 140.078,42 97,33% -114.632,66
Índice de Preços 6.642,25 9,39% 3.503,62 2,43% 3.138,63
Taxa Flutuante 38.591,21 54,55% 258,40 0,18% 38.332,81
Câmbio 59,53 0,08% 88,04 0,06% -28,52
DPFe 1.334,99 100,00% 6.523,64 100,00% -5.188,65
Dólar 1,09 0,08% 2.977,71 45,64% -2.976,62
Euro 261,97 19,62% 0,00 0,00% 261,97
Real 0,00 0,00% 3.545,93 54,36% -3.545,93
Demais 1.071,93 80,29% 0,00 0,00% 1.071,93
Obs: Nos meses em que há transferência de carteira entre Banco Central e Tesouro Nacional, quando posi;va, os valores são somados no
campo de emissões no indexador correspondente. Se nega;va, os valores são subtraídos.
Série histórica: Anexo 1.2
(R$ Milhões)
1ª Sem 2ª Sem 3ª Sem 4ª Sem Total
04 a 08/Jan 11 a 15/Jan 18 a 22/Jan 25 a 29/Jan Jan/16
EMISSÕES DPF 35.071,81 6.752,32 22.186,96 8.062,65 72.073,74
I - DPMFi 33.737,91 6.752,32 22.185,87 8.062,65 70.738,75
Oferta Pública 33.104,52 5.896,39 21.499,68 6.876,64 67.377,23
Emissão Direta com Financeiro1
0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
Emissão Direta sem Financeiro2
5,06 444,89 0,00 59,53 509,48
Trocas Oferta Pública 0,00 0,00 351,17 653,21 1.004,38
Tesouro Direto 628,32 411,04 335,02 473,28 1.847,66
Transferência de Carteira3
0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
II - DPFe 1.333,90 0,00 1,09 0,00 1.334,99
Dívida Mobiliária 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
Dívida Contratual 1.333,90 0,00 1,09 0,00 1.334,99
RESGATES DPF 146.121,73 1.234,59 1.972,13 1.123,67 150.452,12
III - DPMFi 142.047,84 252,77 868,93 758,94 143.928,48
Vencimentos 141.271,59 172,65 0,00 0,00 141.444,24
Compras 0,35 0,00 417,40 0,00 417,75
Trocas Oferta Pública 0,00 0,00 351,16 653,21 1.004,38
Tesouro Direto 772,82 80,12 100,24 105,61 1.058,79
Pagamento de Dividendos4
0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
Cancelamentos 3,08 0,00 0,13 0,11 3,32
IV - DPFe 4.073,89 981,82 1.103,19 364,73 6.523,64
Dívida Mobiliária 4.068,67 778,09 1.095,09 358,98 6.300,83
Dívida Contratual 5,22 203,73 8,10 5,76 222,81
EMISSÃO LÍQUIDA -111.049,93 5.517,72 20.214,83 6.938,98 -78.378,39
DPMFi (I - III) -108.309,94 6.499,55 21.316,94 7.303,72 -73.189,73
DPFe (II - IV) -2.739,99 -981,82 -1.102,10 -364,73 -5.188,65
1
Emissões diretas que envolvem o recebimento de recursos financeiros do mercado como contrapar;da pela operação;
2
Emissões diretas que não envolvem o recebimento de recursos financeiros do mercado como contrapar;da pela operação;
3
Referente a operações de compra ou venda defini;va de Gtulos do Tesouro Nacional pelo Banco Central em mercado. Valores posi;vos significam que as
vendas superaram as compras.
4
Refere-se a resgates de Gtulos para pagamento de dividendos e/ou juros sobre o capital próprio da en;dade em que a União possui par;cipação, rela;vo
ao lucro do exercício.
Série histórica: Anexo 1.1
6
1.2 Dívida Pública Mobiliária Federal interna—DPMFi
Emissões e Resgates da DPMFi
As emissões de títulos da DPMFi alcançaram R$ 70,74 bilhões: R$ 25,45 bilhões (35,97%)
em títulos com remuneração prefixada; R$ 38,59 bilhões (54,55%) em títulos indexados a
taxa flutuante e R$ 6,64 bilhões (9,39%) remunerados por índice de preços. Do total das
emissões, R$ 67,38 bilhões foram emitidos nos leilões tradicionais e R$ 1,00 bilhão nos
leilões de troca, além de R$ 1,85 bilhão relativo às vendas de títulos do Programa Tesouro
Direto (p. 7) e R$ 0,51 bilhão relativo às emissões diretas (p. 8).
Tabela 1.3
Emissões e resgates de
títulos públicos federais
da DPMFi
Janeiro/2016
(R$ Milhões)
1ª Semana 2ª Semana 3ª Semana 4ª Semana Total
04 a 08/Jan 11 a 15/Jan 18 a 22/Jan 25 a 29/Jan Jan/16
I - EMISSÕES 33.737,91 6.752,32 22.185,87 8.062,65 70.738,75
Vendas 33.104,52 5.896,39 21.499,68 6.876,64 67.377,23
LFT 22.990,24 0,00 15.070,26 0,00 38.060,50
LTN 7.864,80 3.421,15 3.225,92 5.423,31 19.935,19
NTN-B 2.249,48 0,00 2.708,88 0,00 4.958,36
NTN-F 0,00 2.475,24 494,61 1.453,32 4.423,18
Trocas em Oferta Pública 0,00 0,00 351,17 653,21 1.004,38
LFT 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
LTN 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
NTN-B 0,00 0,00 351,17 0,00 351,17
NTN-F 0,00 0,00 0,00 653,21 653,21
Tesouro Direto 628,32 411,04 335,02 473,28 1.847,66
LFT 180,06 132,13 105,20 102,16 519,54
LTN 160,75 91,72 70,78 82,19 405,45
NTN-B 281,23 182,06 153,50 277,15 893,94
NTN-F 6,28 5,13 5,54 11,77 28,72
Transferência de Carteira1 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
Emissão Direta com Financeiro2 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
Emissão Direta sem Financeiro3 5,06 444,89 0,00 59,53 509,48
II - RESGATES 142.047,84 252,77 868,93 758,94 143.928,48
Vencimentos 141.271,59 172,65 0,00 0,00 141.444,24
LFT 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
LTN 122.590,88 0,00 0,00 0,00 122.590,88
NTN-B 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
NTN-C 2.507,32 0,00 0,00 0,00 2.507,32
NTN-F 16.058,30 0,00 0,00 0,00 16.058,30
Demais 115,09 172,65 0,00 0,00 287,74
Compras 0,35 0,00 417,40 0,00 417,75
LFT 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
LTN 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
NTN-B 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
NTN-F 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
Demais 0,35 0,00 417,40 0,00 417,75
Trocas em Oferta Pública 0,00 0,00 351,16 653,21 1.004,38
LFT 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
LTN 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
NTN-B 0,00 0,00 351,16 0,00 351,16
NTN-C 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
NTN-F 0,00 0,00 0,00 653,21 653,21
Demais 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
Tesouro Direto 772,82 80,12 100,24 105,61 1.058,79
LFT 25,35 31,67 42,77 40,46 140,24
LTN 668,54 14,53 13,35 17,78 714,19
NTN-B 24,59 31,17 41,17 42,83 139,77
NTN-C 2,67 0,07 0,01 0,01 2,76
NTN-F 51,67 2,68 2,94 4,54 61,83
Pagamento de Dividendos4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
Cancelamentos 3,08 0,002 0,13 0,11 3,32
III - IMPACTO TOTAL NA LIQUIDEZ5 108.311,92 -6.054,66 -21.317,07 -7.244,30 73.695,89
1 Referente a operações de compra ou venda definitiva de títulos do Tesouro Nacional pelo Banco Central em mercado. Valores positivos
significam que as vendas superaram as compras;
2 Emissões diretas que envolvem o recebimento de recursos financeiros do mercado como contrapartida pela operação;
3 Emissões diretas que não envolvem o recebimento de recursos financeiros do mercado como contrapartida pela operação;
4 Refere-se a resgates de títulos para pagamento de dividendos e/ou juros sobre o capital próprio da entidade em que a União possui partici-
pação, relativo ao lucro do exercício;
5 Refere-se ao impacto monetário oriundo das operações da DPMFi em mercado. Nesse sentido, não são consideradas as Emissões Diretas
sem Financeiro, o Pagamento de Dividendos e os Cancelamentos. Valores positivos significam aumento na liquidez.
Série histórica: Anexo 1.3
7
Nos leilões de LTN foram emitidos R$ 19,94 bilhões, com vencimentos entre outubro de 2016 e
janeiro de 2020, mediante pagamento em dinheiro.
Já nos leilões de NTN-B (títulos remunerados pelo IPCA) foram emitidos títulos no valor total de
R$ 5,31 bilhões com vencimentos entre maio de 2021 e de 2055, dos quais R$ 4,96 bilhões
mediante pagamento em dinheiro e R$ 0,35 bilhão em troca por títulos com prazos mais
curtos. Nos leilões de NTN-F foram emitidos R$ 5,08 bilhões, com vencimentos entre janeiro de
2023 e de 2027, dos quais R$ 4,42 bilhões mediante pagamento em dinheiro e R$ 0,65 bilhão
em troca por títulos com prazos mais curtos. Nos leilões de LFT, foram emitidos R$ 38,06 bilhões,
com vencimento em maio 2022, também mediante pagamento em dinheiro.
O total de resgates de títulos da DPMFi foi de R$ 143,93 bilhões, com destaque para os
títulos prefixados, no valor de R$ 140,08 bilhões (97,33%). Os vencimentos efetivos do
período totalizaram R$ 141,44 bilhões.
Gráfico 1.1
Emissões e resgates dos
principais títulos da DPMFi
Janeiro/2016
Tabela 1.4
Programa Tesouro Direto
Janeiro/2016
Programa Tesouro Direto
As emissões do Tesouro Direto2 em janeiro atingiram R$ 1.847,66 milhões, enquanto os
resgates corresponderam a R$ 1.058,79 milhões, o que resultou em emissão líquida de
R$ 788,86 milhões. Os títulos mais demandados pelos investidores foram os remunerados
por índice de preços, que responderam por 48,38% do montante vendido.
O estoque do Tesouro Direto alcançou R$ 26.751,89 milhões, o que representa um acrés-
cimo de 4,56% em relação ao mês anterior. O título com maior representação no esto-
que é o Tesouro IPCA+, que corresponde a 44,20% do total.
2 Programa de venda de títulos públicos a pessoas físicas por meio da internet.
(R$ Milhões)
Título Emissões
Resgates Emissões
Líquidas
Estoque
Recompras Vencimentos
Prefixados
Tesouro Prefixado 405,45 21,94% 62,22 17,50% 651,98 92,71% -308,74 4.121,54 15,41%
Tesouro Prefixado com
Juros Semestrais
28,72 1,55% 13,19 3,71% 48,64 6,92% -33,11 930,31 3,48%
Indexados à Inflação
Tesouro IPCA+
com Juros
Semestrais
199,87 10,82% 33,23 9,35% 0,00 0,00% 166,64 4.340,26 16,22%
Tesouro IPCA+
694,07 37,56% 106,54 29,97% 0,00 0,00% 587,53 11.825,30 44,20%
Tesouro IGPM+
com
Juros Semestrais
0,00 0,00% 0,13 0,04% 2,63 0,37% -2,76 85,65 0,32%
Indexados à Selic
Tesouro Selic 519,54 28,12% 140,24 39,44% 0,00 0,00% 379,30 5.448,82 20,37%
TOTAL 1.847,66 100,00% 355,55 100,00% 703,25 100,00% 788,86 26.751,89 100,00%
Série histórica: Anexo 1.5
8
Em relação ao número de investidores, 27.111 novos participantes se cadastraram no
Tesouro Direto em janeiro. Desta forma, o total de investidores cadastrados chegou a
651.469, o que representa um incremento de 40,60% em relação ao mesmo período do
ano anterior.
Tabela 1.5
Perfil dos investidores
cadastrados
Janeiro/2016
Emissões Diretas e Cancelamentos
As emissões diretas de títulos da DPMFi totalizaram R$ 0,509 bilhão e os cancelamentos,
por sua vez, totalizaram R$ 0,003 bilhão, o que resultou em emissão líquida de R$ 0,506
bilhão.
Tabela 1.6
Emissões diretas e can-
celamentos de títulos
da DPMFi
Janeiro/2016
No Mês Total
InvesCdores por Gênero
Homens 73,66% 77,46%
Mulheres 26,34% 22,54%
InvesCdores por Faixa Etária
Até 15 anos 0,62% 0,48%
De 16 a 25 anos 15,46% 6,30%
De 26 a 35 anos 43,53% 33,59%
De 36 a 45 anos 20,01% 26,99%
De 46 a 55 anos 10,32% 15,80%
De 56 a 65 anos 6,96% 10,60%
Maior de 66 anos 3,09% 6,24%
InvesCdores por Região
Norte 2,23% 1,59%
Nordeste 8,77% 7,68%
Centro-Oeste 7,89% 7,37%
Sudeste 68,54% 69,07%
Sul 12,56% 14,29%
Número de InvesCdores
Cadastros 27.111 651.469
EMISSÕES
Títulos
Data da
Operação
Data de
Vencimento
QuanCdade
Valor Financeiro
(R$ Milhões)
Finalidade Autorização Legal
TDA 06/01/2016 01/02/2016 40.422 5,06 Reforma Agrária
MP 2.183-56, de 24/8/2001 e
Decreto 578, de 24/6/1992
CFT-E1 11/01/2016 01/01/2045 130.662.788 438,79
FIES - Fundo de Financiamento ao Estu-
dante do Ensino Superior
Lei 10.260, de 12/7/2001
CFT-B 13/01/2016 01/01/2030 4.718 6,10
PROIES - Programa de EsGmulo à Reestru-
turação e ao Fortalecimento das Ins;tui-
Lei nº 12.688, de 18/7/2012
NTN-I 27/01/2016 diversas 9.616.529 59,53
PROEX - Programa de Financiamento às
Exportações
Lei 10.184, de 12/2/2001 e
Decreto 3.859, de 4/7/2001
SUBTOTAL 509,48
CANCELAMENTOS
Títulos
Data da
Operação
Data de
Vencimento
QuanCdade
Valor Financeiro
(R$ Milhões)
Finalidade Autorização Legal
TDA 06/01/2016 diversas 31.761 3,08 Decisão Judicial Portaria STN 06, de 6/1/2016
TDA diversas diversas 524 0,05 Pagamento de ITR
Lei 4.504, de 30/11/1964 e
Decreto 578, de 24/6/1992
CTN 20/01/2016 diversas 34 0,10 Cancelamento de CTN
Portaria STN 22, de
20/1/2016
CTN 26/01/2016 diversas 42 0,09 Cancelamento de CTN
Portaria STN 39, de
26/1/2016
SUBTOTAL 3,32
EMISSÃO LÍQUIDA 506,15
9
1.3 Dívida Pública Federal externa—DPFe
No mês de janeiro, os ingressos na DPFe totalizaram R$ 1,33 bilhão, referente a organis-
mos multilaterais e a credores privados/agências governamentais.
Os resgates da DPFe, por sua vez, totalizaram R$ 6,52 bilhões, sendo R$ 3,25 bilhões refe-
rentes ao pagamento de principal e R$ 3,28 bilhões ao pagamento de juros, ágio e en-
cargos.
Tabela 1.8
Emissões e resgates
da DPFe
Janeiro/2016
Gráfico 1.2
Emissões e resgates
da DPFe
Janeiro/2016
(R$ Milhões)
Principal
Juros, Ágio e Encar-
gos
Total
EMISSÕES/INGRESSOS 1.334,99 0,00 1.334,99
Dívida Mobiliária 0,00 0,00 0,00
Bônus de Captação 0,00 0,00 0,00
Dívida Contratual 1.334,99 0,00 1.334,99
Organismos Mul;laterais 1,09 0,00 1,09
Credores Privados/ Ag. Gov. 1.333,90 0,00 1.333,90
RESGATES 3.245,12 3.278,52 6.523,64
Dívida Mobiliária 3.074,80 3.226,03 6.300,83
Bônus de Captação 3.074,80 3.226,03 6.300,83
Resgate Antecipado 0,00 0,00 0,00
Dívida Contratual 170,32 52,49 222,81
Organismos Mul;laterais 141,80 46,96 188,76
Credores Privados/Ag.Gov. 28,52 5,54 34,06
EMISSÃO LÍQUIDA -1.910,13 -3.278,52 -5.188,65
Série histórica: Anexo 1.6
10
Tabela 2.1
Estoque da DPF
2. Estoque da Dívida Pública Federal—DPF
2.1 Evolução
O estoque da DPF apresentou redução, em termos nominais, de 1,54%, passando de
R$ 2.793,01 bilhões, em dezembro, para R$ 2.749,88 bilhões, em janeiro.
A DPMFi teve seu estoque diminuído em 1,63%, ao passar de R$ 2.650,17 bilhões para
R$ 2.606,98 bilhões, devido ao resgate líquido, no valor de R$ 73,19 bilhões, descontado
pela apropriação positiva de juros, no valor de R$ 30,00 bilhões.
Com relação ao estoque da DPFe, houve aumento de 0,04% sobre o estoque apurado
no mês de dezembro, encerrando janeiro em R$ 142,90 bilhões (US$ 35,35 bilhões), sendo
R$ 129,47 bilhões (US$ 32,02 bilhões) referentes à dívida mobiliária e R$ 13,43 bilhões (US$
3,32 bilhões), à dívida contratual. A variação deveu-se principalmente à desvalorização
do Real frente às moedas que compõem o estoque da dívida externa.
Indicadores PAF 2016
Estoque em mercado (R$ Bilhões)
DPF
Mínimo Máximo
3.100,00 3.300,00
(R$ Bilhões)
Dez/14 Dez/15 Jan/16
DPF 2.295,90 2.793,01 2.749,88 100,00%
DPMFi 2.183,61 2.650,17 2.606,98 100,00% 94,80%
LFT 418,59 626,19 671,48 25,76% 24,42%
LTN 686,03 764,48 667,66 25,61% 24,28%
NTN-B 713,69 809,66 826,91 31,72% 30,07%
NTN-C 72,05 80,07 79,04 3,03% 2,87%
NTN-F 254,76 323,00 314,20 12,05% 11,43%
Dívida Securi;zada 7,05 7,69 7,59 0,29% 0,28%
TDA 2,86 2,47 2,46 0,09% 0,09%
Demais 28,58 36,59 37,63 1,44% 1,37%
DPFe¹ 112,29 142,84 142,90 100,00% 5,20%
Dívida Mobiliária 102,55 130,96 129,47 90,60% 4,71%
Global USD 82,64 111,38 113,14 79,18% 4,11%
Euro 6,05 5,72 5,92 4,14% 0,22%
Global BRL 13,86 13,86 10,41 7,28% 0,38%
Dívida Contratual 9,74 11,88 13,43 9,40% 0,49%
Organismos Mul;laterais 3,53 4,99 5,00 3,50% 0,18%
Credores Privados/Ag.Gov. 6,20 6,89 8,43 5,90% 0,31%
¹ Valores da DPFe conver;dos de todas as moedas para US$ e, posteriormente, de US$ para R$ com a cotação do úl;mo dia do mês.
Série histórica: Anexo 2.1
11
2.2 Fatores de Variação
Conforme mencionado no item anterior, a Dívida Pública Federal - DPF apresentou
redução, em termos nominais, de 1,54%, ao passar de R$ 2.793,01 bilhões, em dezembro,
para R$ 2.749,88 bilhões, em janeiro. Esta variação deveu-se ao resgate líquido, no valor
de R$ 78,38 bilhões, descontado pela apropriação positiva de juros, no valor de
R$ 35,26 bilhões.
Tabela 2.2
Fatores de variação
da DPF
Janeiro/2016
Indicadores
Mensal
R$ Milhões
Percentual do
Estoque
Estoque Anterior1
2.793.005,39
DPMFi 2.650.165,45
DPFe 142.839,94
Estoque em 31/janeiro/2016 2.749.882,25
DPMFi 2.606.980,25
DPFe 142.902,01
Variação Nominal -43.123,13 -1,54%
DPMFi -43.185,20 -1,55%
DPFe 62,07 0,00%
I - Gestão da Dívida - TN (I.1 + I.2) -43.123,13 -1,54%
I.1 - Emissão/Resgate Líquido -78.378,39 -2,81%
I.1.1 - Emissões 72.073,74 2,58%
Emissões Oferta Pública (DPMFi) 69.224,89 2,48%
Trocas Ofertas Públicas (DPMFi) 1.004,38 0,04%
Emissões Diretas (DPMFi) 509,48 0,02%
Emissões (DPFe) 1.334,99 0,05%
I.1.2 - Resgates -150.452,12 -5,39%
Pagamentos Correntes (DPMFi) -142.920,78 -5,12%
Trocas Ofertas Públicas (DPMFi) -1.004,38 -0,04%
Cancelamentos (DPMFi) -3,32 0,00%
Pagamentos Correntes (DPFe) -6.523,64 -0,23%
Resgates Antecipados (DPFe) 0,00 0,00%
I.2 - Juros Apropriados 35.255,25 1,26%
Juros Apropriados da DPMFi 30.004,53 1,07%
Juros Apropriados da DPFe 5.250,72 0,19%
II - Operações do Banco Central 0,00 0,00%
II.1 - Venda Líquida de Títulos ao Mercado 0,00 0,00%
Total dos Fatores (I + II) -43.123,13 -1,54%
1
A coluna "Mensal" refere-se ao úl;mo dia do mês anterior ao de referência.
Série histórica: Anexo 2.8
12
2.3 Composição
Indexadores
Em relação à composição da DPF, houve leve redução na participação da DPMFi,
passando de 94,89%, em dezembro, para 94,80%, em janeiro. Em contrapartida, a DPFe
teve sua participação ampliada de 5,11% para 5,20%.
A parcela dos títulos com remuneração prefixada da DPF passou de 39,43%, em
dezembro, para 36,08%, em janeiro. A participação dos títulos indexados a índice de
preços apresentou aumento, passando de 32,52% para 33,63%. Já os títulos remunerados
por taxa flutuante mantiveram sua participação em 22,78% do estoque.
Tabela 2.3
Composição da DPF
Gráfico 2.1
Composição da DPF
por indexador
Janeiro/2016
Indicadores PAF 2016
Participação no estoque da DPF
Mínimo Máximo
Prefixado 31% 35%
Índice de Preços 29% 33%
Taxa Flutuante 30% 34%
Câmbio 3% 7%
(R$ Bilhões)
Dez/14 Dez/15 Jan/16
DPF 2.295,90 100,00% 2.793,01 100,00% 2.749,88 100,00%
Prefixado 954,66 41,58% 1.101,34 39,43% 992,27 36,08%
Índice de Preços 801,44 34,91% 908,39 32,52% 924,90 33,63%
Taxa Flutuante 428,42 18,66% 636,23 22,78% 681,47 24,78%
Câmbio 111,38 4,85% 147,05 5,26% 151,25 5,50%
DPMFi 2.183,61 100% 95,11% 2.650,17 100,00% 94,89% 2.606,98 100,00% 94,80%
Prefixado 940,79 43,08% 40,98% 1.087,48 41,03% 38,94% 981,86 37,66% 35,71%
Índice de Preços 801,44 36,70% 34,91% 908,39 34,28% 32,52% 924,90 35,48% 33,63%
Taxa Flutuante 428,42 19,62% 18,66% 636,23 24,01% 22,78% 681,47 26,14% 24,78%
Câmbio 12,95 0,59% 0,56% 18,07 0,68% 0,65% 18,75 0,72% 0,68%
DPFe 112,29 100% 4,89% 142,84 100,00% 5,11% 142,90 100,00% 5,20%
Dólar 87,59 78,00% 3,81% 117,84 82,50% 4,22% 119,64 83,72% 4,35%
Euro 10,55 9,39% 0,46% 10,63 7,44% 0,38% 11,28 7,89% 0,41%
Real 13,86 12,35% 0,60% 13,86 9,70% 0,50% 10,41 7,28% 0,38%
Demais 0,29 0,26% 0,01% 0,50 0,35% 0,02% 1,58 1,11% 0,06%
Série histórica da DPF: Anexo 2.4
Série histórica da DPMFi: Anexo 2.5
Série histórica da DPFe: Anexo 2.6
13
Detentores
A categoria Instituições Financeiras apresentou redução em seu estoque, passando de
R$ 662,77 bilhões para R$ 606,81 bilhões entre dezembro e janeiro. Sua participação
relativa diminuiu de 25,01% para 23,28%. Os Fundos de Investimento apresentaram
decréscimo em seu estoque de R$ 518,13 bilhões para R$ 517,68 bilhões. Sua
participação relativa alcançou 19,86%.
A participação dos Não-residentes na DPMFi subiu de 18,79% para 18,91%, tendo seu
estoque apresentado decréscimo de R$ 4,98 bilhões. O grupo Previdência apresentou
variação positiva em seu estoque, passando de R$ 566,41 bilhões para R$ 586,21 bilhões.
O grupo Governo apresentou elevação na participação relativa, alcançando 5,79%. O
estoque das Seguradoras apresentou variação negativa, passando para R$ 121,33
bilhões em Janeiro. Observa-se que os Não-residentes possuem 85,5% de sua carteira
em títulos prefixados, enquanto a carteira da Previdência é composta de 57,3% de
títulos vinculados a índices de preços.
Tabela 2.4
Detentores dos Títulos
Públicos Federais—
DPMFi
Gráfico 2.2
Composição da car-
teira de títulos públicos,
por detentor—DPMFi
Janeiro/2016
Gráfico 2.3
Distribuição por prazo
de vencimento, por
detentor— DPMFi
Janeiro/2016
(R$ Bilhões)
Dez/14 Dez/15 Jan/16
Ins;tuições Financeiras 649,97 29,77% 662,77 25,01% 606,81 23,28%
Fundos de Inves;mento 442,92 20,28% 518,13 19,55% 517,68 19,86%
Não-residentes 406,96 18,64% 497,84 18,79% 492,86 18,91%
Previdência 372,73 17,07% 566,41 21,37% 586,21 22,49%
Governo 124,82 5,72% 152,80 5,77% 150,99 5,79%
Seguradoras 89,36 4,09% 121,42 4,58% 121,33 4,65%
Outros 96,84 4,44% 130,80 4,94% 131,11 5,03%
Total 2.183,61 100,00% 2.650,17 100,00% 2.606,98 100,00%
Série Histórica e Notas Explica;vas: Anexo 2.7
14
3. Perfil de Vencimentos da Dívida Pública Fede-
ral—DPF
3.1 Composição dos Vencimentos
O percentual de vencimentos da DPF para os próximos 12 meses apresentou aumento,
passando de 21,56%, em dezembro, para 22,69%, em janeiro.
O volume de títulos da DPMFi a vencer em até 12 meses passou de 22,20%, em dezem-
bro, para 23,19%, em janeiro. Os títulos prefixados correspondem a 75,62% deste montan-
te, seguidos pelos títulos indexados a índices de preço, os quais apresentam participa-
ção de 21,43% desse total.
Em relação à DPFe, observou-se que o percentual vincendo em 12 meses passou de
9,81%, em dezembro, para 13,57%, em janeiro, sendo os títulos e contratos denominados
em dólar responsáveis por 83,94% desse montante. Destaca-se que os vencimentos aci-
ma de 5 anos respondem por 51,69% do estoque da DPFe.
Tabela 3.1
Vencimentos da DPF
Tabela 3.2
Dívida Pública Federal
a vencer em 12 meses,
por indexador
Indicadores PAF 2016
% Vincendo em 12 meses
DPF
Mínimo Máximo
16% 19%
(R$ Bilhões)
Dez/14 Dez/15 Jan/16
DPF 551,75 100,00% 602,24 100,00% 623,89 100,00%
DPMFi 538,25 100,00% 97,55% 588,23 100,00% 97,67% 604,49 100,00% 96,89%
Prefixado 309,60 57,52% 56,11% 442,89 75,29% 73,54% 457,12 75,62% 73,27%
Índice de Preços 102,59 19,06% 18,59% 127,67 21,70% 21,20% 129,52 21,43% 20,76%
Taxa Flutuante 124,88 23,20% 22,63% 16,21 2,75% 2,69% 16,34 2,70% 2,62%
Câmbio 1,17 0,22% 0,21% 1,47 0,25% 0,24% 1,51 0,25% 0,24%
DPFe 13,51 100,00% 2,45% 14,01 100,00% 2,33% 19,40 100,00% 3,11%
Dólar 8,67 64,19% 1,57% 7,94 56,65% 1,32% 16,28 83,94% 2,61%
Euro 3,36 24,85% 0,61% 1,90 13,59% 0,32% 1,99 10,26% 0,32%
Real 1,35 10,01% 0,24% 4,03 28,78% 0,67% 0,97 4,98% 0,15%
Demais 0,13 0,95% 0,02% 0,14 0,98% 0,02% 0,16 0,82% 0,03%
Série histórica: Anexo 3.3
(R$ Bilhões)
Vencimentos
DPMFi DPFe DPF
Dez/15 Jan/16 Dez/15 Jan/16 Dez/15 Jan/16
Até 12 meses 588,23 22,20% 604,49 23,19% 14,01 9,81% 19,40 13,57% 602,24 21,56% 623,89 22,69%
De 1 a 2 anos 373,80 14,10% 317,86 12,19% 18,47 12,93% 10,59 7,41% 392,27 14,04% 328,45 11,94%
De 2 a 3 anos 332,71 12,55% 356,84 13,69% 7,93 5,55% 14,47 10,12% 340,64 12,20% 371,30 13,50%
De 3 a 4 anos 274,92 10,37% 196,39 7,53% 15,30 10,71% 9,43 6,60% 290,21 10,39% 205,81 7,48%
De 4 a 5 anos 210,14 7,93% 269,30 10,33% 6,06 4,24% 15,16 10,61% 216,20 7,74% 284,45 10,34%
Acima de 5
anos
870,37 32,84% 862,11 33,07% 81,08 56,76% 73,87 51,69% 951,45 34,07% 935,98 34,04%
TOTAL 2.650,17 100,00% 2.606,98 100,00% 142,84 100,00% 142,90 100,00% 2.793,01 100,00% 2.749,88 100,00%
Série histórica: Anexo 3.1
15
3.2 Prazo Médio
O prazo médio da DPF apresentou aumento, passando de 4,57 anos, em dezembro,
para 4,76 anos, em janeiro. O prazo médio da DPMFi ampliou-se, ao passar de 4,44 anos
para 4,62 anos. Já o prazo médio da DPFe passou de 7,01 anos para 7,30 anos.
Tabela 3.3
Prazo médio da DPF
Tabela 3.4
Prazo médio das emis-
sões da DPMFi em ofer-
ta pública
Gráfico 3.1
Prazo médio das emis-
sões da DPMFi em ofer-
tas públicas X Prazo
médio do estoque da
DPMFi
Indicadores PAF 2016
Prazo Médio (Anos)
DPF
Mínimo Máximo
4,50 4,70
(Anos)
Indexador Dez/14 Dez/15 Jan/16
DPMFi 5,10 3,40 4,83
Prefixado 2,62 1,50 2,59
LTN 2,04 1,23 1,75
NTN-F 5,76 4,79 5,88
Índice de Preços 12,80 6,54 5,49
Taxa Flutuante 5,83 5,83 6,22
Série histórica: Anexo 3.9
(Anos)
Dez/14 Dez/15 Jan/16
DPF 4,42 4,57 4,76
DPMFi 4,28 4,44 4,62
LFT 3,04 4,24 4,28
LTN 1,23 1,17 1,33
NTN-B 7,78 7,75 7,66
NTN-C 6,31 5,84 5,94
NTN-F 3,81 3,60 3,74
TDA 3,12 3,05 3,01
Dívida Securi;zada 4,97 4,63 4,63
Demais 7,59 7,24 7,17
DPFe 7,00 7,01 7,30
Dívida Mobiliária 7,30 7,28 7,55
Global USD 7,94 7,77 7,87
Euro 3,50 4,00 3,91
Global BRL 5,18 4,68 6,20
Dívida Contratual 3,76 4,07 4,82
Organismos Mul;laterais 6,02 5,79 5,91
Credores Privados/Ag.Gov. 2,46 2,80 4,17
Série histórica: Anexo 3.7
16
3.3 Vida média (Average Term to Maturity—ATM)
O Tesouro Nacional divulga os dados de vida média utilizando metodologia denomina-
da Average Term to Maturity – ATM, que é mais comumente encontrada na literatura
internacional e, portanto, permite uma maior comparabilidade do Brasil com outros paí-
ses no que se refere à maturidade da dívida pública.
Esta metodologia para a vida média é calculada por meio da média ponderada do
tempo restante até o vencimento de cada um dos títulos que compõem a DPF, conside-
rando apenas o principal. A ponderação ocorre pelo valor de cada título, utilizando-se o
seu valor de face.
A vida média da DPF, nesta nova metodologia, passou de 6,59 anos, em dezembro, pa-
ra 6,79 anos, em janeiro.
Tabela 3.5
Vida média da DPF
(Anos)
Dez/14 Dez/15 Jan/16
DPF 6,61 6,59 6,79
DPMFi 6,35 6,34 6,54
Prefixado 2,32 2,31 2,52
Índice de Preços 13,50 13,28 13,17
Taxa Flutuante 3,01 4,16 4,20
Câmbio 9,32 8,55 8,48
DPFe 11,64 11,15 11,35
Dívida Mobiliária 12,36 11,75 11,97
Global USD 13,59 12,65 12,59
Euro 3,91 4,36 4,28
Global BRL 8,39 7,39 9,38
Dívida Contratual 4,13 4,49 5,43
Organismos Mul;laterais 6,64 6,37 6,47
Credores Privados/Ag.Gov. 2,73 3,13 4,82
Obs: EstaGs;ca u;lizando metodologia que calcula a vida média por meio da média ponderada do
tempo restante até o vencimento de cada uma das dívidas que compõem a DPF. Para os Gtulos e a
dívida contratual que possuem amor;zações intermediárias, tais amor;zações também fazem parte do
cálculo da vida média.
Obs 2: Os valores da vida média da DPF sob a metodologia an;ga para os meses de dez/12 e dez/13
são, respec;vamente, 6,81 e 6,72 anos.
Série histórica: Anexo 3.10
17
4. Custo médio da Dívida Pública Federal—DPF
4.1 Custo Médio do Estoque
O custo médio acumulado nos últimos doze meses da DPF aumentou 0,37 ponto
percentual, passando de 16,07% a.a., em dezembro, para 16,44% a.a., em janeiro.
Já o custo médio acumulado em doze meses da DPMFi passou de 14,24% a.a. para
14,38% a.a..
Com relação à DPFe, este indicador registrou elevação, passando de 49,35% a.a. para
54,59% a.a., devido, principalmente, à valorização do dólar frente ao real, de 3,53%, em
janeiro de 2015, contra a valorização de 0,23% ocorrida no mesmo período do ano
anterior.
Tabela 4.1
Custo Médio do
estoque da DPF
Gráfico 4.1
Custo médio acumula-
do em 12 meses da
DPF, DPFMi, DPFe e
Taxa Selic
(% a.a.)
Mensal Acumulado 12 Meses
Dez/14 Dez/15 Jan/16 Dez/14 Dez/15 Jan/16
DPF 14,69 15,74 18,91 11,84 16,07 16,44
DPMFi 12,64 15,06 16,95 11,51 14,24 14,38
LFT 11,58 14,15 14,15 10,90 13,27 13,40
LTN 10,73 11,98 12,10 10,37 11,36 11,41
NTN-B 14,07 18,42 21,96 12,49 16,79 16,88
NTN-C 17,89 16,31 26,91 13,91 21,34 21,77
NTN-F 11,70 11,99 12,03 11,70 11,77 11,74
TDA 4,67 5,98 5,00 4,48 5,20 5,22
Dívida Securi;zada 6,42 7,93 7,75 5,98 7,34 7,42
Demais 35,58 19,70 43,46 16,60 36,23 38,57
DPFe 54,30 28,14 55,28 18,21 49,35 54,59
Dívida Mobiliária 55,60 26,03 55,33 18,70 49,24 54,18
Global USD 65,78 25,60 61,12 21,05 56,38 61,50
Euro 23,45 73,01 50,36 7,60 38,82 53,04
Global BRL 10,81 10,81 10,81 10,79 10,79 10,79
Dívida Contratual1
41,52 49,64 54,72 13,43 50,45 59,10
Organismos Mul;laterais 59,26 21,82 55,23 16,98 51,63 56,64
Credores Privados/ Ag.Gov. 32,50 67,46 54,35 11,20 48,14 59,35
Série histórica: Anexos 4.1 e 4.2
18
4.2 Custo médio das emissões em oferta pública da DPMFi
O custo médio de emissão em oferta pública da DPMFi é um indicador que reflete a
taxa interna de retorno – TIR dos títulos do Tesouro Nacional no mercado doméstico, mais
as variações de seus indexadores, considerando-se apenas as colocações de títulos em
oferta pública (leilões) nos últimos 12 meses.
Em janeiro, o custo médio das emissões em oferta pública da DPMFi ampliou-se em 0,11
ponto percentual, passando para 13,74% a.a., em janeiro, contra 13,63% a.a., em
dezembro.
Tabela 4.2
Custo médio das emis-
sões em oferta pública
da DPMFi acumulado
em 12 meses
Gráfico 4.2
Custo médio do esto-
que e custo médio das
emissões da DPMFi
acumulado em 12
Gráfico 4.3
Custo médio das
emissões dos títulos da
DPMFi acumulado
em 12 meses
(% a.a.)
Dez/14 Dez/15 Jan/16
DPMFi 12,05 13,63 13,74
LTN 12,08 13,17 13,34
NTN-F 12,81 12,50 12,67
NTN-B 13,27 17,43 17,63
LFT 10,90 13,27 13,40
Série histórica: Anexo 4.3
19
5. Mercado Secundário de Títulos Públicos
Federais
5.1 Volume Negociado
O volume financeiro médio diário de títulos negociados no mercado secundário caiu de
R$ 20,43 bilhões, em dezembro, para R$ 19,60 bilhões, em janeiro. A participação de
títulos indexados à taxa flutuante aumentou de 20,46% para 26,52%; os prefixados
tiveram redução de 61,50% para 51,66%; em relação aos títulos atrelados a índice de
preços houve um aumento de 17,81% para 21,81%.
Tabela 5.1
Volume negociado no
mercado secundário,
por título
Gráfico 5.1
Volume diário negoci-
ado no mercado se-
cundário de Títulos
Públicos como % dos
respectivos estoques
(R$ Bilhões)
Mês
LFT / LFT-A / LFT-B LTN / NTN-F NTN-B / NTN-C Total
Volume1 % do Total
Negociado2 Variação3
Volume1 % do Total
Negociado2 Variação3
Volume1 % do Total
Negociado2 Variação3
Volume1 % do Total
Negociado2 Variação3
dez/08 3,89 29,20% 67,50% 8,28 62,22% 76,78% 1,14 8,58% 38,06% 13,31 100,00% 69,94%
dez/09 4,24 31,40% 69,15% 7,11 52,68% 2,55% 2,15 15,92% 53,34% 13,51 100,00% 24,51%
dez/10 4,83 30,51% 57,39% 8,83 55,75% 19,78% 2,17 13,74% -24,55% 15,83 100,00% 18,85%
dez/11 4,55 27,39% 0,79% 9,28 55,90% 16,56% 2,77 16,71% -34,42% 16,60 100,00% -0,61%
dez/12 3,57 14,06% 50,07% 13,27 52,21% 71,44% 8,57 33,73% 78,59% 25,41 100,00% 70,33%
dez/13 2,43 8,18% 0,80% 14,36 48,25% 75,42% 12,97 43,57% 151,22% 29,76 100,00% 88,80%
dez/14 2,66 15,55% 20,43% 10,81 63,27% 43,74% 3,59 21,03% 9,51% 17,09 100,00% 31,36%
jul/15 3,38 16,60% 29,99% 11,94 58,55% 2,11% 5,07 24,85% -7,99% 20,39 100,00% 2,75%
ago/15 3,88 16,09% 14,61% 13,38 55,49% 12,04% 6,85 28,42% 35,21% 24,11 100,00% 18,23%
jan/16 5,20 26,52% 24,36% 10,13 51,66% -19,40% 4,28 21,81% 17,53% 19,60 100,00% -4,05%
1
Média, no mês, do volume financeiro diário das operações defini;vas. Não são consideradas: as operações em que os preços contratados situem-se fora do
intervalo de +/- 25 % do preço de lastro do Gtulo; e as operações em que um dos contratantes seja o Banco Central ou o Tesouro Nacional;
2
Par;cipação do volume negociado dos Gtulos em relação ao volume total negociado no mês;
3
Variação percentual do volume negociado dos Gtulos no mês em relação ao volume negociado no mês anterior.
Obs.1: Cálculos efetuados com base nos valores originais, antes de arredondamentos.
Obs.2: Nas operações de corretagem são computados somente os valores dos contratantes finais.
out/15 3,11 17,69% -56,58% 11,02 62,66% -18,75% 3,45 19,65% -13,18% 17,58 100,00% -29,20%
set/15 7,16 28,84% 84,73% 13,56 54,60% 1,38% 3,98 16,02% -41,93% 24,84 100,00% 3,03%
nov/15 3,07 18,03% -1,15% 9,64 56,51% -12,56% 4,34 25,46% 25,68% 17,05 100,00% -3,03%
dez/15 4,18 20,46% 35,94% 12,56 61,50% 30,38% 3,64 17,81% -16,21% 20,43 100,00% 19,79%
O volume diário negociado no mercado secundário de títulos públicos como percentu-
al dos respectivos estoques caiu de 0,78%, em dezembro, para 0,75% em janeiro. A parti-
cipação no giro do segmento de títulos indexados à taxa flutuante passou de 0,68% pa-
ra 0,80%; já em relação aos prefixados houve redução de 1,17% para 0,98%; em relação
aos títulos atrelados a índice de preços, houve um aumento de 0,41% para 0,48%.
20
As LTN com vencimento em abril de 2016 foram as mais negociadas em janeiro, seguida
das com vencimento em outubro de 2016 e em janeiro de 2019. Quanto às NTN-F, o
título com vencimento em janeiro de 2025 foi o mais negociado, seguido pelos de
vencimento em janeiro de 2021 e em janeiro de 2017.
Com relação às LFT, os títulos mais negociados em janeiro foram, em primeiro, o título
com vencimento em março de 2022; em segundo, o com vencimento em setembro de
2021 e, em terceiro, o com vencimento em março de 2020.
Para finalizar, entre as NTN-B, os vencimentos com maior volume financeiro negociado
foram, em ordem decrescente, maio de 2019, agosto de 2016 e agosto de 2018.
Tabela 5.2
Vencimentos mais
negociados por volu-
me financeiro no mer-
cado secundário, por
indexador
Janeiro/2016
(R$ Milhões)
Prefixada - LTN Prefixada - NTN-F
Título Vencimento
Volume
Financeiro
Qtd.
Operações
% do
RespecCvo
Estoque
Título Vencimento
Volume
Financeiro
Qtd.
Operações
% do
RespecCvo
Estoque
LTN 01/04/2016 2.754,81 57,1 1,74% NTN-F 01/01/2025 891,22 85,5 1,31%
LTN 01/10/2016 878,32 16,8 1,09% NTN-F 01/01/2021 851,44 62,2 0,84%
LTN 01/01/2019 513,65 50,7 0,47% NTN-F 01/01/2017 643,65 50,8 0,86%
Índice de Preços Taxa Selic
Título Vencimento
Volume
Financeiro
Qtd.
Operações
% do
RespecCvo
Estoque
Título Vencimento
Volume
Financeiro
Qtd.
Operações
% do
RespecCvo
Estoque
NTN-B 15/05/2019 1.077,16 143,0 4,16% LFT 01/03/2022 2.381,85 54,6 46,55%
NTN-B 15/08/2016 541,62 69,6 1,91% LFT 01/09/2021 887,84 98,2 4,15%
NTN-B 15/08/2018 416,36 67,7 2,10% LFT 01/03/2020 365,17 67,5 3,73%
Obs. 1: Consideradas apenas as operações defini;vas.
Obs. 2: O volume financeiro e a quan;dade de operações referem-se às médias diárias no mês.
Obs. 3: Não são consideradas: as operações em que os preços contratados situem-se fora do intervalo de +/- 25% do preço de lastro do
Gtulo; e as operações em que um dos contratantes seja o Banco Central ou o Tesouro Nacional.
Obs. 4: Nas operações de corretagem são computados somente os valores dos contratantes finais.
Em fevereiro de 2015 entrou em vigor a Portaria STN nº 74, que aprimorou o sistema de
Dealers do Tesouro Nacional, priorizando o mercado primário e secundário de títulos
públicos, com especial atenção para o fomento de liquidez em sistemas eletrônicos de
negociação. Um dos efeitos positivos da nova norma foi o crescimento da parcela do
secundário operada em sistema eletrônico de negociação, que saltou de uma média
de 1,4% do volume total negociado, no mês anterior à alteração da norma, para 3,2%,
no último mês do 1º semestre da nova regra. No último mês, já com todos os dispositivos
em vigor, esse número chegou a 4,2%.
Em relação ao volume negociado extragrupo, a participação em tela saiu de 2% em
janeiro de 2015 para 10,6% no mês de dezembro 2015. Em janeiro de 2016, tal volume foi
de 6,7%. Esse crescimento significativo do uso de plataformas eletrônicas de negociação
amplia a transparência do mercado de títulos públicos e representa uma convergência
aos padrões internacionais.
Gráfico 5.2
Volume mensal em
tela e percentual do
mercado secundário
Janeiro/2016
21
5.2 Rentabilidade dos Títulos Públicos Federais
O Índice de Mercado Anbima3 - IMA, criado pela Anbima4 em parceria com o Tesouro
Nacional, afere a rentabilidade da carteira teórica formada por títulos públicos em
circulação no mercado. É considerado um parâmetro eficiente para avaliar a evolução
da rentabilidade dos títulos públicos, imprimindo maior dinamismo aos mercados
primário e secundário da dívida mobiliária federal.
Os dados apurados em janeiro demonstram que a rentabilidade do índice Geral
apresentou um acréscimo de 0,36 ponto percentual. Os títulos prefixados, representados
pelo IRF-M, tiveram uma alta de 0,86 ponto percentual, enquanto que os papéis
atrelados ao IGP-M, representados pelo IMA-C, apresentaram uma redução de 1,90
ponto percentual. Com relação aos títulos vinculados ao IPCA, representados pelo IMA-
B, houve um decréscimo de 1,66 pontos percentuais. Por fim, o índice IMA-S, referente
aos títulos vinculados à Selic, apresentou uma alta de 0,19 ponto percentual.
Gráfico 5.3
Rentabilidade dos
títulos públicos
Janeiro/2016
(% acumulado em
12 meses)
Gráfico 5.4
Evolução da
rentabilidade dos
Títulos públicos —
IMA Geral
(% acumulado em
12 meses)
3 IMA - Índices de renda fixa calculados com base na evolução do valor de mercado de carteiras compostas por
títulos públicos. O IMA geral é o resultado da ponderação das variações de cada índice; o IRF-M é composto por
títulos prefixados (LTN e NTN-F); o IMA-C, por títulos atrelados ao IGP-M (NTN-C); o IMA-B, por títulos atrelados ao
IPCA (NTN-B); e o IMA-S, por títulos atrelados à Taxa Selic (LFT). Para mais informações sobre os índices IMA acesse:
http://www.andima.com.br/publicacoes/arqs/edesp_ima_tpf.pdf.
4 Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Livro - Notícias de Economia e Finanças - Meus Comentários - vol. II
Livro - Notícias de Economia e Finanças - Meus Comentários - vol. IILivro - Notícias de Economia e Finanças - Meus Comentários - vol. II
Livro - Notícias de Economia e Finanças - Meus Comentários - vol. IIAugusto Dornelas
 
Livro notícias de economia e finanças - meus comentários - augusto dornelas
Livro   notícias de economia e finanças - meus comentários - augusto dornelasLivro   notícias de economia e finanças - meus comentários - augusto dornelas
Livro notícias de economia e finanças - meus comentários - augusto dornelasAugusto Dornelas
 

Mais procurados (6)

Bo 06 02-2013-8
Bo 06 02-2013-8Bo 06 02-2013-8
Bo 06 02-2013-8
 
Livro - Notícias de Economia e Finanças - Meus Comentários - vol. II
Livro - Notícias de Economia e Finanças - Meus Comentários - vol. IILivro - Notícias de Economia e Finanças - Meus Comentários - vol. II
Livro - Notícias de Economia e Finanças - Meus Comentários - vol. II
 
Livro notícias de economia e finanças - meus comentários - augusto dornelas
Livro   notícias de economia e finanças - meus comentários - augusto dornelasLivro   notícias de economia e finanças - meus comentários - augusto dornelas
Livro notícias de economia e finanças - meus comentários - augusto dornelas
 
2 s061a0000s00
2 s061a0000s002 s061a0000s00
2 s061a0000s00
 
Planejamento tributário
Planejamento tributárioPlanejamento tributário
Planejamento tributário
 
Ex20170407
Ex20170407Ex20170407
Ex20170407
 

Semelhante a Relatório Mensal da Dívida Pública - Jan.2016

Relatório Mensal da Dívida Pública Federal - Abri 2015
Relatório Mensal da Dívida Pública Federal - Abri 2015Relatório Mensal da Dívida Pública Federal - Abri 2015
Relatório Mensal da Dívida Pública Federal - Abri 2015Miguel Rosario
 
Análise da evolução das despesas públicas: estudo de caso do instituto naci...
Análise da evolução das despesas públicas:   estudo de caso do instituto naci...Análise da evolução das despesas públicas:   estudo de caso do instituto naci...
Análise da evolução das despesas públicas: estudo de caso do instituto naci...Universidade Pedagogica
 
Gestão Fiscal na Prática - 3ª edição - IOB e-Store
Gestão Fiscal na Prática - 3ª edição - IOB e-StoreGestão Fiscal na Prática - 3ª edição - IOB e-Store
Gestão Fiscal na Prática - 3ª edição - IOB e-StoreIOB News
 
Nível de execução orçamental das despesas públicas estudo de caso do gabinete...
Nível de execução orçamental das despesas públicas estudo de caso do gabinete...Nível de execução orçamental das despesas públicas estudo de caso do gabinete...
Nível de execução orçamental das despesas públicas estudo de caso do gabinete...Universidade Pedagogica
 
Boletim Estatístico de Pessoal do Governo Federal do Brasil (jan 2015)
Boletim Estatístico de Pessoal do Governo Federal do Brasil (jan 2015)Boletim Estatístico de Pessoal do Governo Federal do Brasil (jan 2015)
Boletim Estatístico de Pessoal do Governo Federal do Brasil (jan 2015)Marcos CAVALCANTI
 
O BRASIL E A CRISE: INFLEXÃO HISTÓRICA
O BRASIL E A CRISE: INFLEXÃO HISTÓRICAO BRASIL E A CRISE: INFLEXÃO HISTÓRICA
O BRASIL E A CRISE: INFLEXÃO HISTÓRICAAloizio Mercadante
 
O Brasil e a Crise: Inflexão Histórica
O Brasil e a Crise: Inflexão HistóricaO Brasil e a Crise: Inflexão Histórica
O Brasil e a Crise: Inflexão Históricaguestc76adb0
 
01 estudo de viabilidade municipios sal (3)
01 estudo de viabilidade municipios sal (3)01 estudo de viabilidade municipios sal (3)
01 estudo de viabilidade municipios sal (3)Luis Delgado
 
3º Estudo Nacional de Competitividade Regional
3º Estudo Nacional de Competitividade Regional3º Estudo Nacional de Competitividade Regional
3º Estudo Nacional de Competitividade RegionalFrederico Moura Martins
 
Análise da evolução das receitas e despesas públicas estudo de caso conselh...
Análise da evolução das receitas e despesas públicas   estudo de caso conselh...Análise da evolução das receitas e despesas públicas   estudo de caso conselh...
Análise da evolução das receitas e despesas públicas estudo de caso conselh...Universidade Pedagogica
 
Relatorio Orientação Política Orçamental
Relatorio Orientação Política OrçamentalRelatorio Orientação Política Orçamental
Relatorio Orientação Política Orçamentaljotiroso
 
Plano de Estabilidade e Crescimento
Plano de Estabilidade e CrescimentoPlano de Estabilidade e Crescimento
Plano de Estabilidade e CrescimentoInês Timóteo
 
Estrategia orcamental-2011-2015
Estrategia orcamental-2011-2015Estrategia orcamental-2011-2015
Estrategia orcamental-2011-2015pedroribeiro1973
 
Estratégia Orçamental - 2011-2015
Estratégia Orçamental - 2011-2015Estratégia Orçamental - 2011-2015
Estratégia Orçamental - 2011-2015uqslarquitectura
 
Manual de parcerias público privadas - pp ps do amazonas
Manual de parcerias público privadas - pp ps do amazonasManual de parcerias público privadas - pp ps do amazonas
Manual de parcerias público privadas - pp ps do amazonasWalter Ney Santos
 
Fipecafi port net
Fipecafi port netFipecafi port net
Fipecafi port netMenanes
 

Semelhante a Relatório Mensal da Dívida Pública - Jan.2016 (20)

Relatório Mensal da Dívida Pública Federal - Abri 2015
Relatório Mensal da Dívida Pública Federal - Abri 2015Relatório Mensal da Dívida Pública Federal - Abri 2015
Relatório Mensal da Dívida Pública Federal - Abri 2015
 
Análise da Seguridade Social - 2012 - ANFIP - publicada em Maio/2013
Análise da Seguridade Social - 2012 - ANFIP - publicada em Maio/2013Análise da Seguridade Social - 2012 - ANFIP - publicada em Maio/2013
Análise da Seguridade Social - 2012 - ANFIP - publicada em Maio/2013
 
Análise da evolução das despesas públicas: estudo de caso do instituto naci...
Análise da evolução das despesas públicas:   estudo de caso do instituto naci...Análise da evolução das despesas públicas:   estudo de caso do instituto naci...
Análise da evolução das despesas públicas: estudo de caso do instituto naci...
 
Gestão Fiscal na Prática - 3ª edição - IOB e-Store
Gestão Fiscal na Prática - 3ª edição - IOB e-StoreGestão Fiscal na Prática - 3ª edição - IOB e-Store
Gestão Fiscal na Prática - 3ª edição - IOB e-Store
 
Nível de execução orçamental das despesas públicas estudo de caso do gabinete...
Nível de execução orçamental das despesas públicas estudo de caso do gabinete...Nível de execução orçamental das despesas públicas estudo de caso do gabinete...
Nível de execução orçamental das despesas públicas estudo de caso do gabinete...
 
Exercicio. cap. 23 (1)
Exercicio. cap. 23 (1)Exercicio. cap. 23 (1)
Exercicio. cap. 23 (1)
 
Boletim Estatístico de Pessoal do Governo Federal do Brasil (jan 2015)
Boletim Estatístico de Pessoal do Governo Federal do Brasil (jan 2015)Boletim Estatístico de Pessoal do Governo Federal do Brasil (jan 2015)
Boletim Estatístico de Pessoal do Governo Federal do Brasil (jan 2015)
 
O BRASIL E A CRISE: INFLEXÃO HISTÓRICA
O BRASIL E A CRISE: INFLEXÃO HISTÓRICAO BRASIL E A CRISE: INFLEXÃO HISTÓRICA
O BRASIL E A CRISE: INFLEXÃO HISTÓRICA
 
O Brasil e a Crise: Inflexão Histórica
O Brasil e a Crise: Inflexão HistóricaO Brasil e a Crise: Inflexão Histórica
O Brasil e a Crise: Inflexão Histórica
 
01 estudo de viabilidade municipios sal (3)
01 estudo de viabilidade municipios sal (3)01 estudo de viabilidade municipios sal (3)
01 estudo de viabilidade municipios sal (3)
 
3º Estudo Nacional de Competitividade Regional
3º Estudo Nacional de Competitividade Regional3º Estudo Nacional de Competitividade Regional
3º Estudo Nacional de Competitividade Regional
 
Análise da evolução das receitas e despesas públicas estudo de caso conselh...
Análise da evolução das receitas e despesas públicas   estudo de caso conselh...Análise da evolução das receitas e despesas públicas   estudo de caso conselh...
Análise da evolução das receitas e despesas públicas estudo de caso conselh...
 
Relatorio Orientação Política Orçamental
Relatorio Orientação Política OrçamentalRelatorio Orientação Política Orçamental
Relatorio Orientação Política Orçamental
 
Plano de Estabilidade e Crescimento
Plano de Estabilidade e CrescimentoPlano de Estabilidade e Crescimento
Plano de Estabilidade e Crescimento
 
Pec4
Pec4Pec4
Pec4
 
Florianópolis - Relatório econômico financeiro
Florianópolis  - Relatório econômico financeiroFlorianópolis  - Relatório econômico financeiro
Florianópolis - Relatório econômico financeiro
 
Estrategia orcamental-2011-2015
Estrategia orcamental-2011-2015Estrategia orcamental-2011-2015
Estrategia orcamental-2011-2015
 
Estratégia Orçamental - 2011-2015
Estratégia Orçamental - 2011-2015Estratégia Orçamental - 2011-2015
Estratégia Orçamental - 2011-2015
 
Manual de parcerias público privadas - pp ps do amazonas
Manual de parcerias público privadas - pp ps do amazonasManual de parcerias público privadas - pp ps do amazonas
Manual de parcerias público privadas - pp ps do amazonas
 
Fipecafi port net
Fipecafi port netFipecafi port net
Fipecafi port net
 

Mais de Ministério da Economia

Apresentação – Estudo da Secretaria de Política Econômica (SPE) sobre o impac...
Apresentação – Estudo da Secretaria de Política Econômica (SPE) sobre o impac...Apresentação – Estudo da Secretaria de Política Econômica (SPE) sobre o impac...
Apresentação – Estudo da Secretaria de Política Econômica (SPE) sobre o impac...Ministério da Economia
 
Cadastro positivo - Novo cadastro vai aumentar a privacidade dos dados
Cadastro positivo - Novo cadastro vai aumentar a privacidade dos dadosCadastro positivo - Novo cadastro vai aumentar a privacidade dos dados
Cadastro positivo - Novo cadastro vai aumentar a privacidade dos dadosMinistério da Economia
 
Apresentação – Proposta do Brasil de REDD+ para o GCF (em espanhol) (06/03/2018)
Apresentação – Proposta do Brasil de REDD+ para o GCF (em espanhol) (06/03/2018)Apresentação – Proposta do Brasil de REDD+ para o GCF (em espanhol) (06/03/2018)
Apresentação – Proposta do Brasil de REDD+ para o GCF (em espanhol) (06/03/2018)Ministério da Economia
 
Apresentação do Tesouro sobre o Decreto 9.292/18 (26/02/2018)
Apresentação do Tesouro sobre o Decreto 9.292/18 (26/02/2018)Apresentação do Tesouro sobre o Decreto 9.292/18 (26/02/2018)
Apresentação do Tesouro sobre o Decreto 9.292/18 (26/02/2018)Ministério da Economia
 
Reforma do Fies: o velho e o novo - 21/02/2018
Reforma do Fies: o velho e o novo - 21/02/2018Reforma do Fies: o velho e o novo - 21/02/2018
Reforma do Fies: o velho e o novo - 21/02/2018Ministério da Economia
 
Apresentação – Aula magna da secretária Ana Paula Vescovi para alunos do Insp...
Apresentação – Aula magna da secretária Ana Paula Vescovi para alunos do Insp...Apresentação – Aula magna da secretária Ana Paula Vescovi para alunos do Insp...
Apresentação – Aula magna da secretária Ana Paula Vescovi para alunos do Insp...Ministério da Economia
 
Apresentação – Grade de parâmetros macroeconômicos (14/12/2017)
Apresentação – Grade de parâmetros macroeconômicos (14/12/2017)Apresentação – Grade de parâmetros macroeconômicos (14/12/2017)
Apresentação – Grade de parâmetros macroeconômicos (14/12/2017)Ministério da Economia
 
Grade de parâmetros macroeconômicos (14/12/2017)
Grade de parâmetros macroeconômicos (14/12/2017)Grade de parâmetros macroeconômicos (14/12/2017)
Grade de parâmetros macroeconômicos (14/12/2017)Ministério da Economia
 
Apresentação – Orçamento de Subsídios da União (31/10/2017)
Apresentação – Orçamento de Subsídios da União (31/10/2017)Apresentação – Orçamento de Subsídios da União (31/10/2017)
Apresentação – Orçamento de Subsídios da União (31/10/2017)Ministério da Economia
 
Apresentação – Ajuste fiscal e crescimento econômico (31/10/2017)
Apresentação – Ajuste fiscal e crescimento econômico (31/10/2017)Apresentação – Ajuste fiscal e crescimento econômico (31/10/2017)
Apresentação – Ajuste fiscal e crescimento econômico (31/10/2017)Ministério da Economia
 
Apresentação – Cadastro Positivo: mitos e verdades (24/10/2017)
Apresentação – Cadastro Positivo: mitos e verdades (24/10/2017)Apresentação – Cadastro Positivo: mitos e verdades (24/10/2017)
Apresentação – Cadastro Positivo: mitos e verdades (24/10/2017)Ministério da Economia
 
Apresentação – A Inserção do Brasil na Ordem Econômica Global (19/10/2017)
Apresentação – A Inserção do Brasil na Ordem Econômica Global (19/10/2017)Apresentação – A Inserção do Brasil na Ordem Econômica Global (19/10/2017)
Apresentação – A Inserção do Brasil na Ordem Econômica Global (19/10/2017)Ministério da Economia
 
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (23/08/2017)
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (23/08/2017)Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (23/08/2017)
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (23/08/2017)Ministério da Economia
 
Apresentação – Programação fiscal 2017-2018 (15/08/2017)
Apresentação – Programação fiscal 2017-2018 (15/08/2017)Apresentação – Programação fiscal 2017-2018 (15/08/2017)
Apresentação – Programação fiscal 2017-2018 (15/08/2017)Ministério da Economia
 
Apresentação – Perspectivas Fiscais e o Processo de Desinflação (15/08/2017)
Apresentação – Perspectivas Fiscais e o Processo de Desinflação (15/08/2017)Apresentação – Perspectivas Fiscais e o Processo de Desinflação (15/08/2017)
Apresentação – Perspectivas Fiscais e o Processo de Desinflação (15/08/2017)Ministério da Economia
 
Apresentação – MP 777: Mitos e Verdades sobre a Substituição da TJLP pela TLP...
Apresentação – MP 777: Mitos e Verdades sobre a Substituição da TJLP pela TLP...Apresentação – MP 777: Mitos e Verdades sobre a Substituição da TJLP pela TLP...
Apresentação – MP 777: Mitos e Verdades sobre a Substituição da TJLP pela TLP...Ministério da Economia
 
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (14/07/2017)
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (14/07/2017)Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (14/07/2017)
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (14/07/2017)Ministério da Economia
 
Apresentação – TLP: mudança estruturante (12/07/2017)
Apresentação – TLP: mudança estruturante (12/07/2017)Apresentação – TLP: mudança estruturante (12/07/2017)
Apresentação – TLP: mudança estruturante (12/07/2017)Ministério da Economia
 
Apresentação - Novo Fies - Juro zero para quem mais precisa (06/07/2017)
Apresentação - Novo Fies - Juro zero para quem mais precisa (06/07/2017)Apresentação - Novo Fies - Juro zero para quem mais precisa (06/07/2017)
Apresentação - Novo Fies - Juro zero para quem mais precisa (06/07/2017)Ministério da Economia
 
Apresentação – Diagnóstico Fies (06/07/2017)
Apresentação – Diagnóstico Fies (06/07/2017)Apresentação – Diagnóstico Fies (06/07/2017)
Apresentação – Diagnóstico Fies (06/07/2017)Ministério da Economia
 

Mais de Ministério da Economia (20)

Apresentação – Estudo da Secretaria de Política Econômica (SPE) sobre o impac...
Apresentação – Estudo da Secretaria de Política Econômica (SPE) sobre o impac...Apresentação – Estudo da Secretaria de Política Econômica (SPE) sobre o impac...
Apresentação – Estudo da Secretaria de Política Econômica (SPE) sobre o impac...
 
Cadastro positivo - Novo cadastro vai aumentar a privacidade dos dados
Cadastro positivo - Novo cadastro vai aumentar a privacidade dos dadosCadastro positivo - Novo cadastro vai aumentar a privacidade dos dados
Cadastro positivo - Novo cadastro vai aumentar a privacidade dos dados
 
Apresentação – Proposta do Brasil de REDD+ para o GCF (em espanhol) (06/03/2018)
Apresentação – Proposta do Brasil de REDD+ para o GCF (em espanhol) (06/03/2018)Apresentação – Proposta do Brasil de REDD+ para o GCF (em espanhol) (06/03/2018)
Apresentação – Proposta do Brasil de REDD+ para o GCF (em espanhol) (06/03/2018)
 
Apresentação do Tesouro sobre o Decreto 9.292/18 (26/02/2018)
Apresentação do Tesouro sobre o Decreto 9.292/18 (26/02/2018)Apresentação do Tesouro sobre o Decreto 9.292/18 (26/02/2018)
Apresentação do Tesouro sobre o Decreto 9.292/18 (26/02/2018)
 
Reforma do Fies: o velho e o novo - 21/02/2018
Reforma do Fies: o velho e o novo - 21/02/2018Reforma do Fies: o velho e o novo - 21/02/2018
Reforma do Fies: o velho e o novo - 21/02/2018
 
Apresentação – Aula magna da secretária Ana Paula Vescovi para alunos do Insp...
Apresentação – Aula magna da secretária Ana Paula Vescovi para alunos do Insp...Apresentação – Aula magna da secretária Ana Paula Vescovi para alunos do Insp...
Apresentação – Aula magna da secretária Ana Paula Vescovi para alunos do Insp...
 
Apresentação – Grade de parâmetros macroeconômicos (14/12/2017)
Apresentação – Grade de parâmetros macroeconômicos (14/12/2017)Apresentação – Grade de parâmetros macroeconômicos (14/12/2017)
Apresentação – Grade de parâmetros macroeconômicos (14/12/2017)
 
Grade de parâmetros macroeconômicos (14/12/2017)
Grade de parâmetros macroeconômicos (14/12/2017)Grade de parâmetros macroeconômicos (14/12/2017)
Grade de parâmetros macroeconômicos (14/12/2017)
 
Apresentação – Orçamento de Subsídios da União (31/10/2017)
Apresentação – Orçamento de Subsídios da União (31/10/2017)Apresentação – Orçamento de Subsídios da União (31/10/2017)
Apresentação – Orçamento de Subsídios da União (31/10/2017)
 
Apresentação – Ajuste fiscal e crescimento econômico (31/10/2017)
Apresentação – Ajuste fiscal e crescimento econômico (31/10/2017)Apresentação – Ajuste fiscal e crescimento econômico (31/10/2017)
Apresentação – Ajuste fiscal e crescimento econômico (31/10/2017)
 
Apresentação – Cadastro Positivo: mitos e verdades (24/10/2017)
Apresentação – Cadastro Positivo: mitos e verdades (24/10/2017)Apresentação – Cadastro Positivo: mitos e verdades (24/10/2017)
Apresentação – Cadastro Positivo: mitos e verdades (24/10/2017)
 
Apresentação – A Inserção do Brasil na Ordem Econômica Global (19/10/2017)
Apresentação – A Inserção do Brasil na Ordem Econômica Global (19/10/2017)Apresentação – A Inserção do Brasil na Ordem Econômica Global (19/10/2017)
Apresentação – A Inserção do Brasil na Ordem Econômica Global (19/10/2017)
 
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (23/08/2017)
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (23/08/2017)Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (23/08/2017)
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (23/08/2017)
 
Apresentação – Programação fiscal 2017-2018 (15/08/2017)
Apresentação – Programação fiscal 2017-2018 (15/08/2017)Apresentação – Programação fiscal 2017-2018 (15/08/2017)
Apresentação – Programação fiscal 2017-2018 (15/08/2017)
 
Apresentação – Perspectivas Fiscais e o Processo de Desinflação (15/08/2017)
Apresentação – Perspectivas Fiscais e o Processo de Desinflação (15/08/2017)Apresentação – Perspectivas Fiscais e o Processo de Desinflação (15/08/2017)
Apresentação – Perspectivas Fiscais e o Processo de Desinflação (15/08/2017)
 
Apresentação – MP 777: Mitos e Verdades sobre a Substituição da TJLP pela TLP...
Apresentação – MP 777: Mitos e Verdades sobre a Substituição da TJLP pela TLP...Apresentação – MP 777: Mitos e Verdades sobre a Substituição da TJLP pela TLP...
Apresentação – MP 777: Mitos e Verdades sobre a Substituição da TJLP pela TLP...
 
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (14/07/2017)
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (14/07/2017)Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (14/07/2017)
Apresentação – Retomada do crescimento e reformas estruturais (14/07/2017)
 
Apresentação – TLP: mudança estruturante (12/07/2017)
Apresentação – TLP: mudança estruturante (12/07/2017)Apresentação – TLP: mudança estruturante (12/07/2017)
Apresentação – TLP: mudança estruturante (12/07/2017)
 
Apresentação - Novo Fies - Juro zero para quem mais precisa (06/07/2017)
Apresentação - Novo Fies - Juro zero para quem mais precisa (06/07/2017)Apresentação - Novo Fies - Juro zero para quem mais precisa (06/07/2017)
Apresentação - Novo Fies - Juro zero para quem mais precisa (06/07/2017)
 
Apresentação – Diagnóstico Fies (06/07/2017)
Apresentação – Diagnóstico Fies (06/07/2017)Apresentação – Diagnóstico Fies (06/07/2017)
Apresentação – Diagnóstico Fies (06/07/2017)
 

Relatório Mensal da Dívida Pública - Jan.2016

  • 1. Relatório Mensal Dívida Pública Federal Janeiro 2016
  • 2. MINISTRO DA FAZENDA Nelson Henrique Barbosa Filho SECRETÁRIO–EXECUTIVO DO MINISTÉRIO DA FAZENDA Dyogo Henrique de Oliveira SECRETÁRIO DO TESOURO NACIONAL Otávio Ladeira de Medeiros SUBSECRETÁRIOS DO TESOURO NACIONAL Antônio de Pádua Ferreira Passos — Substituto Fabiana Magalhães Almeida Rodopoulos — Substituta Gildenora Batista Dantas Milhomem Líscio Fábio de Brasil Camargo Paulo Jose dos Reis Souza Pricilla Maria Santana EQUIPE TÉCNICA Subsecretário da Dívida Pública Antônio de Pádua Ferreira Passos — Substituto Coordenador-Geral de Operações da Dívida Pública Jose Franco Medeiros de Morais Coordenador-Geral de Planejamento Estratégico da Dívida Pública Luiz Fernando Alves Coordenador-Geral de Controle da Dívida Pública Priscila de Souza Cavalcante de Castro — Substituta Informações: Gerência de Relacionamento Institucional - GERIN Tel: (61) 3412-3188; Fax: (61) 3412-1565 Secretaria do Tesouro Nacional Edifício Sede do Ministério da Fazenda, Esplanada dos Ministérios, Bloco P, 2° andar 70048-900 - Brasília – DF Correio Eletrônico: stndivida@fazenda.gov.br Home Page: http://www.tesouro.fazenda.gov.br Relatório Mensal da Dívida Pública Federal é uma publicação da Secretaria do Tesouro Nacional. É permitida a sua reprodução total ou parcial, desde que mencionada a fonte.
  • 3. ÍNDICE 1. OPERAÇÕES NO MERCADO PRIMÁRIO....................................................5 1.1 Emissões e Resgastes da DPF............................................................................................. 5 1.2 Dívida Pública Mobiliária Federal interna—DPMFi........................................................... 6 Emissões e Resgastes da DPMFi ................................................................................................................................6 Programa Tesouro Direto............................................................................................................................................7 Emissões Diretas e Cancelamentos.........................................................................................................................8 1.3 Dívida Pública Federal externa—DPFe ............................................................................. 9 2. ESTOQUE DA DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL—DPF..........................................10 2.1 Evolução .............................................................................................................................. 10 2.2 Fatores de Variação ........................................................................................................... 11 2.3 Composição........................................................................................................................ 12 Indexadores...................................................................................................................................................................12 Detentores......................................................................................................................................................................13 3. PERFIL DE VENCIMENTOS DA DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL—DPF ................14 3.1 Composição dos Vencimentos......................................................................................... 14 3.2 Prazo Médio......................................................................................................................... 15 3.3 Vida Média (Average Term to Maturity—ATM)................................................................ 16 4. CUSTO MÉDIO DA DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL—DPF .................................17 4.1 Custo Médio do Estoque .................................................................................................... 17 4.2 Custo Médio das Emissões em Oferta Pública da DPMFi................................................ 18 5. MERCADO SECUNDÁRIO DE TÍTULOS PÚBLICOS FEDERAIS ......................19 5.1 Volume Negociado ............................................................................................................ 19 5.2 Rentabilidade dos Títulos Públicos Federais..................................................................... 21 6. ANEXOS
  • 4. TABELAS Tabela 1.1 – Emissões e resgates da DPF ..................................................................................................5 Tabela 1.2 – Emissões e resgates da DPF, por indexador .....................................................................5 Tabela 1.3 – Emissões e resgates de títulos públicos federais da DPMFi ...........................................6 Tabela 1.4 – Programa Tesouro Direto .......................................................................................................7 Tabela 1.5 – Perfil dos investidores cadastrados .....................................................................................8 Tabela 1.6 – Emissões diretas e cancelamentos de títulos da DPMFi ...........................................................8 Tabela 1.7 – Emissões e resgates da DPFe ................................................................................................9 Tabela 2.1 – Estoque da DPF .........................................................................................................................10 Tabela 2.2 – Fatores de variação da DPF .................................................................................................11 Tabela 2.3 – Composição da DPF ...............................................................................................................12 Tabela 2.4 – Detentores dos títulos públicos – DPMFi..............................................................................13 Tabela 3.1 – Vencimentos da DPF..............................................................................................................14 Tabela 3.2 – Dívida pública federal a vencer em 12 meses, por indexador....................................14 Tabela 3.3 – Prazo médio da DPF.................................................................................................................15 Tabela 3.4 – Prazo médio das emissões da DPMFi em oferta pública...............................................15 Tabela 3.5 – Vida média da DPF..................................................................................................................16 Tabela 4.1 – Custo médio do estoque da DPF.........................................................................................17 Tabela 4.2 – Custo médio das emissões em oferta pública da DPMFi..............................................18 Tabela 5.1 – Volume negociado no mercado secundário, por título...............................................19 Tabela 5.2 – Vencimentos mais negociados por volume financeiro no mercado secundário, por indexador – Novembro/2015.................................................................................................................20 GRÁFICOS Gráfico 1.1 – Emissões e resgates dos principais títulos da DPMFi ......................................................7 Gráfico 1.2 – Emissões e resgates da DPFe ...............................................................................................9 Gráfico 2.1 – Composição da DPF por indexador .................................................................................12 Gráfico 2.2 – Composição da carteira de títulos públicos, por detentor – DPMFi ........................13 Gráfico 2.3 – Distribuição por prazo de vencimento, por detentor – DPMFi ...................................13 Gráfico 3.1 – Prazo médio das emissões da DPMFi em ofertas públicas x prazo médio do estoque da DPMFi............................................................................................................................................15 Gráfico 4.1– Custo médio acumulado em 12 meses da DPF, DPMFi, DPFe e TAXASELIC.....................17 Gráfico 4.2 – Custo médio do estoque e custo médio das emissões da DPMFi.............................18 Gráfico 4.3 – Custo médio das emissões dos títulos da DPMFi.............................................................18 Gráfico 5.1 – Volume diário negociado no mercado secundário de títulos públicos como % dos respectivos estoques...............................................................................................................................19 Gráfico 5.2 – Volume mensal em tela e percentual do mercado secundário .............................20 Gráfico 5.3 – Rentabilidade dos títulos públicos (% acumulado em 12 meses)..............................21 Gráfico 5.4 – Evolução da rentabilidade dos títulos públicos – IMA geral (% acumulado em 12 meses) .................................................................................................................................................................21
  • 5. 5 1. Operações no Mercado Primário 1.1 Emissões e Resgates da DPF No mês de janeiro, as emissões da Dívida Pública Federal – DPF1 corresponderam a R$ 72,07 bilhões, enquanto os resgates alcançaram R$ 150,45 bilhões, resultando em resgate líquido de R$ 78,38 bilhões, sendo R$ 73,19 bilhões referentes ao resgate líquido da Dívida Pública Mobiliária Federal interna - DPMFi e R$ 5,19 bilhões referentes ao resgate líquido da Dívida Pública Federal externa - DPFe. 1 Neste relatório, todas as estatísticas referem-se à DPF em poder do público. Tabela 1.1 Emissões e resgates da DPF Janeiro/2016 Tabela 1.2 Emissões e resgates da DPF, por indexador Janeiro/2016 (R$ Milhões) Emissões Resgates Emissão Líquida DPF 72.073,74 150.452,12 -78.378,39 DPMFi 70.738,75 100,00% 143.928,48 100,00% -73.189,73 Prefixado 25.445,76 35,97% 140.078,42 97,33% -114.632,66 Índice de Preços 6.642,25 9,39% 3.503,62 2,43% 3.138,63 Taxa Flutuante 38.591,21 54,55% 258,40 0,18% 38.332,81 Câmbio 59,53 0,08% 88,04 0,06% -28,52 DPFe 1.334,99 100,00% 6.523,64 100,00% -5.188,65 Dólar 1,09 0,08% 2.977,71 45,64% -2.976,62 Euro 261,97 19,62% 0,00 0,00% 261,97 Real 0,00 0,00% 3.545,93 54,36% -3.545,93 Demais 1.071,93 80,29% 0,00 0,00% 1.071,93 Obs: Nos meses em que há transferência de carteira entre Banco Central e Tesouro Nacional, quando posi;va, os valores são somados no campo de emissões no indexador correspondente. Se nega;va, os valores são subtraídos. Série histórica: Anexo 1.2 (R$ Milhões) 1ª Sem 2ª Sem 3ª Sem 4ª Sem Total 04 a 08/Jan 11 a 15/Jan 18 a 22/Jan 25 a 29/Jan Jan/16 EMISSÕES DPF 35.071,81 6.752,32 22.186,96 8.062,65 72.073,74 I - DPMFi 33.737,91 6.752,32 22.185,87 8.062,65 70.738,75 Oferta Pública 33.104,52 5.896,39 21.499,68 6.876,64 67.377,23 Emissão Direta com Financeiro1 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 Emissão Direta sem Financeiro2 5,06 444,89 0,00 59,53 509,48 Trocas Oferta Pública 0,00 0,00 351,17 653,21 1.004,38 Tesouro Direto 628,32 411,04 335,02 473,28 1.847,66 Transferência de Carteira3 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 II - DPFe 1.333,90 0,00 1,09 0,00 1.334,99 Dívida Mobiliária 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 Dívida Contratual 1.333,90 0,00 1,09 0,00 1.334,99 RESGATES DPF 146.121,73 1.234,59 1.972,13 1.123,67 150.452,12 III - DPMFi 142.047,84 252,77 868,93 758,94 143.928,48 Vencimentos 141.271,59 172,65 0,00 0,00 141.444,24 Compras 0,35 0,00 417,40 0,00 417,75 Trocas Oferta Pública 0,00 0,00 351,16 653,21 1.004,38 Tesouro Direto 772,82 80,12 100,24 105,61 1.058,79 Pagamento de Dividendos4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 Cancelamentos 3,08 0,00 0,13 0,11 3,32 IV - DPFe 4.073,89 981,82 1.103,19 364,73 6.523,64 Dívida Mobiliária 4.068,67 778,09 1.095,09 358,98 6.300,83 Dívida Contratual 5,22 203,73 8,10 5,76 222,81 EMISSÃO LÍQUIDA -111.049,93 5.517,72 20.214,83 6.938,98 -78.378,39 DPMFi (I - III) -108.309,94 6.499,55 21.316,94 7.303,72 -73.189,73 DPFe (II - IV) -2.739,99 -981,82 -1.102,10 -364,73 -5.188,65 1 Emissões diretas que envolvem o recebimento de recursos financeiros do mercado como contrapar;da pela operação; 2 Emissões diretas que não envolvem o recebimento de recursos financeiros do mercado como contrapar;da pela operação; 3 Referente a operações de compra ou venda defini;va de Gtulos do Tesouro Nacional pelo Banco Central em mercado. Valores posi;vos significam que as vendas superaram as compras. 4 Refere-se a resgates de Gtulos para pagamento de dividendos e/ou juros sobre o capital próprio da en;dade em que a União possui par;cipação, rela;vo ao lucro do exercício. Série histórica: Anexo 1.1
  • 6. 6 1.2 Dívida Pública Mobiliária Federal interna—DPMFi Emissões e Resgates da DPMFi As emissões de títulos da DPMFi alcançaram R$ 70,74 bilhões: R$ 25,45 bilhões (35,97%) em títulos com remuneração prefixada; R$ 38,59 bilhões (54,55%) em títulos indexados a taxa flutuante e R$ 6,64 bilhões (9,39%) remunerados por índice de preços. Do total das emissões, R$ 67,38 bilhões foram emitidos nos leilões tradicionais e R$ 1,00 bilhão nos leilões de troca, além de R$ 1,85 bilhão relativo às vendas de títulos do Programa Tesouro Direto (p. 7) e R$ 0,51 bilhão relativo às emissões diretas (p. 8). Tabela 1.3 Emissões e resgates de títulos públicos federais da DPMFi Janeiro/2016 (R$ Milhões) 1ª Semana 2ª Semana 3ª Semana 4ª Semana Total 04 a 08/Jan 11 a 15/Jan 18 a 22/Jan 25 a 29/Jan Jan/16 I - EMISSÕES 33.737,91 6.752,32 22.185,87 8.062,65 70.738,75 Vendas 33.104,52 5.896,39 21.499,68 6.876,64 67.377,23 LFT 22.990,24 0,00 15.070,26 0,00 38.060,50 LTN 7.864,80 3.421,15 3.225,92 5.423,31 19.935,19 NTN-B 2.249,48 0,00 2.708,88 0,00 4.958,36 NTN-F 0,00 2.475,24 494,61 1.453,32 4.423,18 Trocas em Oferta Pública 0,00 0,00 351,17 653,21 1.004,38 LFT 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 LTN 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 NTN-B 0,00 0,00 351,17 0,00 351,17 NTN-F 0,00 0,00 0,00 653,21 653,21 Tesouro Direto 628,32 411,04 335,02 473,28 1.847,66 LFT 180,06 132,13 105,20 102,16 519,54 LTN 160,75 91,72 70,78 82,19 405,45 NTN-B 281,23 182,06 153,50 277,15 893,94 NTN-F 6,28 5,13 5,54 11,77 28,72 Transferência de Carteira1 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 Emissão Direta com Financeiro2 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 Emissão Direta sem Financeiro3 5,06 444,89 0,00 59,53 509,48 II - RESGATES 142.047,84 252,77 868,93 758,94 143.928,48 Vencimentos 141.271,59 172,65 0,00 0,00 141.444,24 LFT 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 LTN 122.590,88 0,00 0,00 0,00 122.590,88 NTN-B 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 NTN-C 2.507,32 0,00 0,00 0,00 2.507,32 NTN-F 16.058,30 0,00 0,00 0,00 16.058,30 Demais 115,09 172,65 0,00 0,00 287,74 Compras 0,35 0,00 417,40 0,00 417,75 LFT 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 LTN 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 NTN-B 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 NTN-F 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 Demais 0,35 0,00 417,40 0,00 417,75 Trocas em Oferta Pública 0,00 0,00 351,16 653,21 1.004,38 LFT 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 LTN 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 NTN-B 0,00 0,00 351,16 0,00 351,16 NTN-C 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 NTN-F 0,00 0,00 0,00 653,21 653,21 Demais 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 Tesouro Direto 772,82 80,12 100,24 105,61 1.058,79 LFT 25,35 31,67 42,77 40,46 140,24 LTN 668,54 14,53 13,35 17,78 714,19 NTN-B 24,59 31,17 41,17 42,83 139,77 NTN-C 2,67 0,07 0,01 0,01 2,76 NTN-F 51,67 2,68 2,94 4,54 61,83 Pagamento de Dividendos4 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 Cancelamentos 3,08 0,002 0,13 0,11 3,32 III - IMPACTO TOTAL NA LIQUIDEZ5 108.311,92 -6.054,66 -21.317,07 -7.244,30 73.695,89 1 Referente a operações de compra ou venda definitiva de títulos do Tesouro Nacional pelo Banco Central em mercado. Valores positivos significam que as vendas superaram as compras; 2 Emissões diretas que envolvem o recebimento de recursos financeiros do mercado como contrapartida pela operação; 3 Emissões diretas que não envolvem o recebimento de recursos financeiros do mercado como contrapartida pela operação; 4 Refere-se a resgates de títulos para pagamento de dividendos e/ou juros sobre o capital próprio da entidade em que a União possui partici- pação, relativo ao lucro do exercício; 5 Refere-se ao impacto monetário oriundo das operações da DPMFi em mercado. Nesse sentido, não são consideradas as Emissões Diretas sem Financeiro, o Pagamento de Dividendos e os Cancelamentos. Valores positivos significam aumento na liquidez. Série histórica: Anexo 1.3
  • 7. 7 Nos leilões de LTN foram emitidos R$ 19,94 bilhões, com vencimentos entre outubro de 2016 e janeiro de 2020, mediante pagamento em dinheiro. Já nos leilões de NTN-B (títulos remunerados pelo IPCA) foram emitidos títulos no valor total de R$ 5,31 bilhões com vencimentos entre maio de 2021 e de 2055, dos quais R$ 4,96 bilhões mediante pagamento em dinheiro e R$ 0,35 bilhão em troca por títulos com prazos mais curtos. Nos leilões de NTN-F foram emitidos R$ 5,08 bilhões, com vencimentos entre janeiro de 2023 e de 2027, dos quais R$ 4,42 bilhões mediante pagamento em dinheiro e R$ 0,65 bilhão em troca por títulos com prazos mais curtos. Nos leilões de LFT, foram emitidos R$ 38,06 bilhões, com vencimento em maio 2022, também mediante pagamento em dinheiro. O total de resgates de títulos da DPMFi foi de R$ 143,93 bilhões, com destaque para os títulos prefixados, no valor de R$ 140,08 bilhões (97,33%). Os vencimentos efetivos do período totalizaram R$ 141,44 bilhões. Gráfico 1.1 Emissões e resgates dos principais títulos da DPMFi Janeiro/2016 Tabela 1.4 Programa Tesouro Direto Janeiro/2016 Programa Tesouro Direto As emissões do Tesouro Direto2 em janeiro atingiram R$ 1.847,66 milhões, enquanto os resgates corresponderam a R$ 1.058,79 milhões, o que resultou em emissão líquida de R$ 788,86 milhões. Os títulos mais demandados pelos investidores foram os remunerados por índice de preços, que responderam por 48,38% do montante vendido. O estoque do Tesouro Direto alcançou R$ 26.751,89 milhões, o que representa um acrés- cimo de 4,56% em relação ao mês anterior. O título com maior representação no esto- que é o Tesouro IPCA+, que corresponde a 44,20% do total. 2 Programa de venda de títulos públicos a pessoas físicas por meio da internet. (R$ Milhões) Título Emissões Resgates Emissões Líquidas Estoque Recompras Vencimentos Prefixados Tesouro Prefixado 405,45 21,94% 62,22 17,50% 651,98 92,71% -308,74 4.121,54 15,41% Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 28,72 1,55% 13,19 3,71% 48,64 6,92% -33,11 930,31 3,48% Indexados à Inflação Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 199,87 10,82% 33,23 9,35% 0,00 0,00% 166,64 4.340,26 16,22% Tesouro IPCA+ 694,07 37,56% 106,54 29,97% 0,00 0,00% 587,53 11.825,30 44,20% Tesouro IGPM+ com Juros Semestrais 0,00 0,00% 0,13 0,04% 2,63 0,37% -2,76 85,65 0,32% Indexados à Selic Tesouro Selic 519,54 28,12% 140,24 39,44% 0,00 0,00% 379,30 5.448,82 20,37% TOTAL 1.847,66 100,00% 355,55 100,00% 703,25 100,00% 788,86 26.751,89 100,00% Série histórica: Anexo 1.5
  • 8. 8 Em relação ao número de investidores, 27.111 novos participantes se cadastraram no Tesouro Direto em janeiro. Desta forma, o total de investidores cadastrados chegou a 651.469, o que representa um incremento de 40,60% em relação ao mesmo período do ano anterior. Tabela 1.5 Perfil dos investidores cadastrados Janeiro/2016 Emissões Diretas e Cancelamentos As emissões diretas de títulos da DPMFi totalizaram R$ 0,509 bilhão e os cancelamentos, por sua vez, totalizaram R$ 0,003 bilhão, o que resultou em emissão líquida de R$ 0,506 bilhão. Tabela 1.6 Emissões diretas e can- celamentos de títulos da DPMFi Janeiro/2016 No Mês Total InvesCdores por Gênero Homens 73,66% 77,46% Mulheres 26,34% 22,54% InvesCdores por Faixa Etária Até 15 anos 0,62% 0,48% De 16 a 25 anos 15,46% 6,30% De 26 a 35 anos 43,53% 33,59% De 36 a 45 anos 20,01% 26,99% De 46 a 55 anos 10,32% 15,80% De 56 a 65 anos 6,96% 10,60% Maior de 66 anos 3,09% 6,24% InvesCdores por Região Norte 2,23% 1,59% Nordeste 8,77% 7,68% Centro-Oeste 7,89% 7,37% Sudeste 68,54% 69,07% Sul 12,56% 14,29% Número de InvesCdores Cadastros 27.111 651.469 EMISSÕES Títulos Data da Operação Data de Vencimento QuanCdade Valor Financeiro (R$ Milhões) Finalidade Autorização Legal TDA 06/01/2016 01/02/2016 40.422 5,06 Reforma Agrária MP 2.183-56, de 24/8/2001 e Decreto 578, de 24/6/1992 CFT-E1 11/01/2016 01/01/2045 130.662.788 438,79 FIES - Fundo de Financiamento ao Estu- dante do Ensino Superior Lei 10.260, de 12/7/2001 CFT-B 13/01/2016 01/01/2030 4.718 6,10 PROIES - Programa de EsGmulo à Reestru- turação e ao Fortalecimento das Ins;tui- Lei nº 12.688, de 18/7/2012 NTN-I 27/01/2016 diversas 9.616.529 59,53 PROEX - Programa de Financiamento às Exportações Lei 10.184, de 12/2/2001 e Decreto 3.859, de 4/7/2001 SUBTOTAL 509,48 CANCELAMENTOS Títulos Data da Operação Data de Vencimento QuanCdade Valor Financeiro (R$ Milhões) Finalidade Autorização Legal TDA 06/01/2016 diversas 31.761 3,08 Decisão Judicial Portaria STN 06, de 6/1/2016 TDA diversas diversas 524 0,05 Pagamento de ITR Lei 4.504, de 30/11/1964 e Decreto 578, de 24/6/1992 CTN 20/01/2016 diversas 34 0,10 Cancelamento de CTN Portaria STN 22, de 20/1/2016 CTN 26/01/2016 diversas 42 0,09 Cancelamento de CTN Portaria STN 39, de 26/1/2016 SUBTOTAL 3,32 EMISSÃO LÍQUIDA 506,15
  • 9. 9 1.3 Dívida Pública Federal externa—DPFe No mês de janeiro, os ingressos na DPFe totalizaram R$ 1,33 bilhão, referente a organis- mos multilaterais e a credores privados/agências governamentais. Os resgates da DPFe, por sua vez, totalizaram R$ 6,52 bilhões, sendo R$ 3,25 bilhões refe- rentes ao pagamento de principal e R$ 3,28 bilhões ao pagamento de juros, ágio e en- cargos. Tabela 1.8 Emissões e resgates da DPFe Janeiro/2016 Gráfico 1.2 Emissões e resgates da DPFe Janeiro/2016 (R$ Milhões) Principal Juros, Ágio e Encar- gos Total EMISSÕES/INGRESSOS 1.334,99 0,00 1.334,99 Dívida Mobiliária 0,00 0,00 0,00 Bônus de Captação 0,00 0,00 0,00 Dívida Contratual 1.334,99 0,00 1.334,99 Organismos Mul;laterais 1,09 0,00 1,09 Credores Privados/ Ag. Gov. 1.333,90 0,00 1.333,90 RESGATES 3.245,12 3.278,52 6.523,64 Dívida Mobiliária 3.074,80 3.226,03 6.300,83 Bônus de Captação 3.074,80 3.226,03 6.300,83 Resgate Antecipado 0,00 0,00 0,00 Dívida Contratual 170,32 52,49 222,81 Organismos Mul;laterais 141,80 46,96 188,76 Credores Privados/Ag.Gov. 28,52 5,54 34,06 EMISSÃO LÍQUIDA -1.910,13 -3.278,52 -5.188,65 Série histórica: Anexo 1.6
  • 10. 10 Tabela 2.1 Estoque da DPF 2. Estoque da Dívida Pública Federal—DPF 2.1 Evolução O estoque da DPF apresentou redução, em termos nominais, de 1,54%, passando de R$ 2.793,01 bilhões, em dezembro, para R$ 2.749,88 bilhões, em janeiro. A DPMFi teve seu estoque diminuído em 1,63%, ao passar de R$ 2.650,17 bilhões para R$ 2.606,98 bilhões, devido ao resgate líquido, no valor de R$ 73,19 bilhões, descontado pela apropriação positiva de juros, no valor de R$ 30,00 bilhões. Com relação ao estoque da DPFe, houve aumento de 0,04% sobre o estoque apurado no mês de dezembro, encerrando janeiro em R$ 142,90 bilhões (US$ 35,35 bilhões), sendo R$ 129,47 bilhões (US$ 32,02 bilhões) referentes à dívida mobiliária e R$ 13,43 bilhões (US$ 3,32 bilhões), à dívida contratual. A variação deveu-se principalmente à desvalorização do Real frente às moedas que compõem o estoque da dívida externa. Indicadores PAF 2016 Estoque em mercado (R$ Bilhões) DPF Mínimo Máximo 3.100,00 3.300,00 (R$ Bilhões) Dez/14 Dez/15 Jan/16 DPF 2.295,90 2.793,01 2.749,88 100,00% DPMFi 2.183,61 2.650,17 2.606,98 100,00% 94,80% LFT 418,59 626,19 671,48 25,76% 24,42% LTN 686,03 764,48 667,66 25,61% 24,28% NTN-B 713,69 809,66 826,91 31,72% 30,07% NTN-C 72,05 80,07 79,04 3,03% 2,87% NTN-F 254,76 323,00 314,20 12,05% 11,43% Dívida Securi;zada 7,05 7,69 7,59 0,29% 0,28% TDA 2,86 2,47 2,46 0,09% 0,09% Demais 28,58 36,59 37,63 1,44% 1,37% DPFe¹ 112,29 142,84 142,90 100,00% 5,20% Dívida Mobiliária 102,55 130,96 129,47 90,60% 4,71% Global USD 82,64 111,38 113,14 79,18% 4,11% Euro 6,05 5,72 5,92 4,14% 0,22% Global BRL 13,86 13,86 10,41 7,28% 0,38% Dívida Contratual 9,74 11,88 13,43 9,40% 0,49% Organismos Mul;laterais 3,53 4,99 5,00 3,50% 0,18% Credores Privados/Ag.Gov. 6,20 6,89 8,43 5,90% 0,31% ¹ Valores da DPFe conver;dos de todas as moedas para US$ e, posteriormente, de US$ para R$ com a cotação do úl;mo dia do mês. Série histórica: Anexo 2.1
  • 11. 11 2.2 Fatores de Variação Conforme mencionado no item anterior, a Dívida Pública Federal - DPF apresentou redução, em termos nominais, de 1,54%, ao passar de R$ 2.793,01 bilhões, em dezembro, para R$ 2.749,88 bilhões, em janeiro. Esta variação deveu-se ao resgate líquido, no valor de R$ 78,38 bilhões, descontado pela apropriação positiva de juros, no valor de R$ 35,26 bilhões. Tabela 2.2 Fatores de variação da DPF Janeiro/2016 Indicadores Mensal R$ Milhões Percentual do Estoque Estoque Anterior1 2.793.005,39 DPMFi 2.650.165,45 DPFe 142.839,94 Estoque em 31/janeiro/2016 2.749.882,25 DPMFi 2.606.980,25 DPFe 142.902,01 Variação Nominal -43.123,13 -1,54% DPMFi -43.185,20 -1,55% DPFe 62,07 0,00% I - Gestão da Dívida - TN (I.1 + I.2) -43.123,13 -1,54% I.1 - Emissão/Resgate Líquido -78.378,39 -2,81% I.1.1 - Emissões 72.073,74 2,58% Emissões Oferta Pública (DPMFi) 69.224,89 2,48% Trocas Ofertas Públicas (DPMFi) 1.004,38 0,04% Emissões Diretas (DPMFi) 509,48 0,02% Emissões (DPFe) 1.334,99 0,05% I.1.2 - Resgates -150.452,12 -5,39% Pagamentos Correntes (DPMFi) -142.920,78 -5,12% Trocas Ofertas Públicas (DPMFi) -1.004,38 -0,04% Cancelamentos (DPMFi) -3,32 0,00% Pagamentos Correntes (DPFe) -6.523,64 -0,23% Resgates Antecipados (DPFe) 0,00 0,00% I.2 - Juros Apropriados 35.255,25 1,26% Juros Apropriados da DPMFi 30.004,53 1,07% Juros Apropriados da DPFe 5.250,72 0,19% II - Operações do Banco Central 0,00 0,00% II.1 - Venda Líquida de Títulos ao Mercado 0,00 0,00% Total dos Fatores (I + II) -43.123,13 -1,54% 1 A coluna "Mensal" refere-se ao úl;mo dia do mês anterior ao de referência. Série histórica: Anexo 2.8
  • 12. 12 2.3 Composição Indexadores Em relação à composição da DPF, houve leve redução na participação da DPMFi, passando de 94,89%, em dezembro, para 94,80%, em janeiro. Em contrapartida, a DPFe teve sua participação ampliada de 5,11% para 5,20%. A parcela dos títulos com remuneração prefixada da DPF passou de 39,43%, em dezembro, para 36,08%, em janeiro. A participação dos títulos indexados a índice de preços apresentou aumento, passando de 32,52% para 33,63%. Já os títulos remunerados por taxa flutuante mantiveram sua participação em 22,78% do estoque. Tabela 2.3 Composição da DPF Gráfico 2.1 Composição da DPF por indexador Janeiro/2016 Indicadores PAF 2016 Participação no estoque da DPF Mínimo Máximo Prefixado 31% 35% Índice de Preços 29% 33% Taxa Flutuante 30% 34% Câmbio 3% 7% (R$ Bilhões) Dez/14 Dez/15 Jan/16 DPF 2.295,90 100,00% 2.793,01 100,00% 2.749,88 100,00% Prefixado 954,66 41,58% 1.101,34 39,43% 992,27 36,08% Índice de Preços 801,44 34,91% 908,39 32,52% 924,90 33,63% Taxa Flutuante 428,42 18,66% 636,23 22,78% 681,47 24,78% Câmbio 111,38 4,85% 147,05 5,26% 151,25 5,50% DPMFi 2.183,61 100% 95,11% 2.650,17 100,00% 94,89% 2.606,98 100,00% 94,80% Prefixado 940,79 43,08% 40,98% 1.087,48 41,03% 38,94% 981,86 37,66% 35,71% Índice de Preços 801,44 36,70% 34,91% 908,39 34,28% 32,52% 924,90 35,48% 33,63% Taxa Flutuante 428,42 19,62% 18,66% 636,23 24,01% 22,78% 681,47 26,14% 24,78% Câmbio 12,95 0,59% 0,56% 18,07 0,68% 0,65% 18,75 0,72% 0,68% DPFe 112,29 100% 4,89% 142,84 100,00% 5,11% 142,90 100,00% 5,20% Dólar 87,59 78,00% 3,81% 117,84 82,50% 4,22% 119,64 83,72% 4,35% Euro 10,55 9,39% 0,46% 10,63 7,44% 0,38% 11,28 7,89% 0,41% Real 13,86 12,35% 0,60% 13,86 9,70% 0,50% 10,41 7,28% 0,38% Demais 0,29 0,26% 0,01% 0,50 0,35% 0,02% 1,58 1,11% 0,06% Série histórica da DPF: Anexo 2.4 Série histórica da DPMFi: Anexo 2.5 Série histórica da DPFe: Anexo 2.6
  • 13. 13 Detentores A categoria Instituições Financeiras apresentou redução em seu estoque, passando de R$ 662,77 bilhões para R$ 606,81 bilhões entre dezembro e janeiro. Sua participação relativa diminuiu de 25,01% para 23,28%. Os Fundos de Investimento apresentaram decréscimo em seu estoque de R$ 518,13 bilhões para R$ 517,68 bilhões. Sua participação relativa alcançou 19,86%. A participação dos Não-residentes na DPMFi subiu de 18,79% para 18,91%, tendo seu estoque apresentado decréscimo de R$ 4,98 bilhões. O grupo Previdência apresentou variação positiva em seu estoque, passando de R$ 566,41 bilhões para R$ 586,21 bilhões. O grupo Governo apresentou elevação na participação relativa, alcançando 5,79%. O estoque das Seguradoras apresentou variação negativa, passando para R$ 121,33 bilhões em Janeiro. Observa-se que os Não-residentes possuem 85,5% de sua carteira em títulos prefixados, enquanto a carteira da Previdência é composta de 57,3% de títulos vinculados a índices de preços. Tabela 2.4 Detentores dos Títulos Públicos Federais— DPMFi Gráfico 2.2 Composição da car- teira de títulos públicos, por detentor—DPMFi Janeiro/2016 Gráfico 2.3 Distribuição por prazo de vencimento, por detentor— DPMFi Janeiro/2016 (R$ Bilhões) Dez/14 Dez/15 Jan/16 Ins;tuições Financeiras 649,97 29,77% 662,77 25,01% 606,81 23,28% Fundos de Inves;mento 442,92 20,28% 518,13 19,55% 517,68 19,86% Não-residentes 406,96 18,64% 497,84 18,79% 492,86 18,91% Previdência 372,73 17,07% 566,41 21,37% 586,21 22,49% Governo 124,82 5,72% 152,80 5,77% 150,99 5,79% Seguradoras 89,36 4,09% 121,42 4,58% 121,33 4,65% Outros 96,84 4,44% 130,80 4,94% 131,11 5,03% Total 2.183,61 100,00% 2.650,17 100,00% 2.606,98 100,00% Série Histórica e Notas Explica;vas: Anexo 2.7
  • 14. 14 3. Perfil de Vencimentos da Dívida Pública Fede- ral—DPF 3.1 Composição dos Vencimentos O percentual de vencimentos da DPF para os próximos 12 meses apresentou aumento, passando de 21,56%, em dezembro, para 22,69%, em janeiro. O volume de títulos da DPMFi a vencer em até 12 meses passou de 22,20%, em dezem- bro, para 23,19%, em janeiro. Os títulos prefixados correspondem a 75,62% deste montan- te, seguidos pelos títulos indexados a índices de preço, os quais apresentam participa- ção de 21,43% desse total. Em relação à DPFe, observou-se que o percentual vincendo em 12 meses passou de 9,81%, em dezembro, para 13,57%, em janeiro, sendo os títulos e contratos denominados em dólar responsáveis por 83,94% desse montante. Destaca-se que os vencimentos aci- ma de 5 anos respondem por 51,69% do estoque da DPFe. Tabela 3.1 Vencimentos da DPF Tabela 3.2 Dívida Pública Federal a vencer em 12 meses, por indexador Indicadores PAF 2016 % Vincendo em 12 meses DPF Mínimo Máximo 16% 19% (R$ Bilhões) Dez/14 Dez/15 Jan/16 DPF 551,75 100,00% 602,24 100,00% 623,89 100,00% DPMFi 538,25 100,00% 97,55% 588,23 100,00% 97,67% 604,49 100,00% 96,89% Prefixado 309,60 57,52% 56,11% 442,89 75,29% 73,54% 457,12 75,62% 73,27% Índice de Preços 102,59 19,06% 18,59% 127,67 21,70% 21,20% 129,52 21,43% 20,76% Taxa Flutuante 124,88 23,20% 22,63% 16,21 2,75% 2,69% 16,34 2,70% 2,62% Câmbio 1,17 0,22% 0,21% 1,47 0,25% 0,24% 1,51 0,25% 0,24% DPFe 13,51 100,00% 2,45% 14,01 100,00% 2,33% 19,40 100,00% 3,11% Dólar 8,67 64,19% 1,57% 7,94 56,65% 1,32% 16,28 83,94% 2,61% Euro 3,36 24,85% 0,61% 1,90 13,59% 0,32% 1,99 10,26% 0,32% Real 1,35 10,01% 0,24% 4,03 28,78% 0,67% 0,97 4,98% 0,15% Demais 0,13 0,95% 0,02% 0,14 0,98% 0,02% 0,16 0,82% 0,03% Série histórica: Anexo 3.3 (R$ Bilhões) Vencimentos DPMFi DPFe DPF Dez/15 Jan/16 Dez/15 Jan/16 Dez/15 Jan/16 Até 12 meses 588,23 22,20% 604,49 23,19% 14,01 9,81% 19,40 13,57% 602,24 21,56% 623,89 22,69% De 1 a 2 anos 373,80 14,10% 317,86 12,19% 18,47 12,93% 10,59 7,41% 392,27 14,04% 328,45 11,94% De 2 a 3 anos 332,71 12,55% 356,84 13,69% 7,93 5,55% 14,47 10,12% 340,64 12,20% 371,30 13,50% De 3 a 4 anos 274,92 10,37% 196,39 7,53% 15,30 10,71% 9,43 6,60% 290,21 10,39% 205,81 7,48% De 4 a 5 anos 210,14 7,93% 269,30 10,33% 6,06 4,24% 15,16 10,61% 216,20 7,74% 284,45 10,34% Acima de 5 anos 870,37 32,84% 862,11 33,07% 81,08 56,76% 73,87 51,69% 951,45 34,07% 935,98 34,04% TOTAL 2.650,17 100,00% 2.606,98 100,00% 142,84 100,00% 142,90 100,00% 2.793,01 100,00% 2.749,88 100,00% Série histórica: Anexo 3.1
  • 15. 15 3.2 Prazo Médio O prazo médio da DPF apresentou aumento, passando de 4,57 anos, em dezembro, para 4,76 anos, em janeiro. O prazo médio da DPMFi ampliou-se, ao passar de 4,44 anos para 4,62 anos. Já o prazo médio da DPFe passou de 7,01 anos para 7,30 anos. Tabela 3.3 Prazo médio da DPF Tabela 3.4 Prazo médio das emis- sões da DPMFi em ofer- ta pública Gráfico 3.1 Prazo médio das emis- sões da DPMFi em ofer- tas públicas X Prazo médio do estoque da DPMFi Indicadores PAF 2016 Prazo Médio (Anos) DPF Mínimo Máximo 4,50 4,70 (Anos) Indexador Dez/14 Dez/15 Jan/16 DPMFi 5,10 3,40 4,83 Prefixado 2,62 1,50 2,59 LTN 2,04 1,23 1,75 NTN-F 5,76 4,79 5,88 Índice de Preços 12,80 6,54 5,49 Taxa Flutuante 5,83 5,83 6,22 Série histórica: Anexo 3.9 (Anos) Dez/14 Dez/15 Jan/16 DPF 4,42 4,57 4,76 DPMFi 4,28 4,44 4,62 LFT 3,04 4,24 4,28 LTN 1,23 1,17 1,33 NTN-B 7,78 7,75 7,66 NTN-C 6,31 5,84 5,94 NTN-F 3,81 3,60 3,74 TDA 3,12 3,05 3,01 Dívida Securi;zada 4,97 4,63 4,63 Demais 7,59 7,24 7,17 DPFe 7,00 7,01 7,30 Dívida Mobiliária 7,30 7,28 7,55 Global USD 7,94 7,77 7,87 Euro 3,50 4,00 3,91 Global BRL 5,18 4,68 6,20 Dívida Contratual 3,76 4,07 4,82 Organismos Mul;laterais 6,02 5,79 5,91 Credores Privados/Ag.Gov. 2,46 2,80 4,17 Série histórica: Anexo 3.7
  • 16. 16 3.3 Vida média (Average Term to Maturity—ATM) O Tesouro Nacional divulga os dados de vida média utilizando metodologia denomina- da Average Term to Maturity – ATM, que é mais comumente encontrada na literatura internacional e, portanto, permite uma maior comparabilidade do Brasil com outros paí- ses no que se refere à maturidade da dívida pública. Esta metodologia para a vida média é calculada por meio da média ponderada do tempo restante até o vencimento de cada um dos títulos que compõem a DPF, conside- rando apenas o principal. A ponderação ocorre pelo valor de cada título, utilizando-se o seu valor de face. A vida média da DPF, nesta nova metodologia, passou de 6,59 anos, em dezembro, pa- ra 6,79 anos, em janeiro. Tabela 3.5 Vida média da DPF (Anos) Dez/14 Dez/15 Jan/16 DPF 6,61 6,59 6,79 DPMFi 6,35 6,34 6,54 Prefixado 2,32 2,31 2,52 Índice de Preços 13,50 13,28 13,17 Taxa Flutuante 3,01 4,16 4,20 Câmbio 9,32 8,55 8,48 DPFe 11,64 11,15 11,35 Dívida Mobiliária 12,36 11,75 11,97 Global USD 13,59 12,65 12,59 Euro 3,91 4,36 4,28 Global BRL 8,39 7,39 9,38 Dívida Contratual 4,13 4,49 5,43 Organismos Mul;laterais 6,64 6,37 6,47 Credores Privados/Ag.Gov. 2,73 3,13 4,82 Obs: EstaGs;ca u;lizando metodologia que calcula a vida média por meio da média ponderada do tempo restante até o vencimento de cada uma das dívidas que compõem a DPF. Para os Gtulos e a dívida contratual que possuem amor;zações intermediárias, tais amor;zações também fazem parte do cálculo da vida média. Obs 2: Os valores da vida média da DPF sob a metodologia an;ga para os meses de dez/12 e dez/13 são, respec;vamente, 6,81 e 6,72 anos. Série histórica: Anexo 3.10
  • 17. 17 4. Custo médio da Dívida Pública Federal—DPF 4.1 Custo Médio do Estoque O custo médio acumulado nos últimos doze meses da DPF aumentou 0,37 ponto percentual, passando de 16,07% a.a., em dezembro, para 16,44% a.a., em janeiro. Já o custo médio acumulado em doze meses da DPMFi passou de 14,24% a.a. para 14,38% a.a.. Com relação à DPFe, este indicador registrou elevação, passando de 49,35% a.a. para 54,59% a.a., devido, principalmente, à valorização do dólar frente ao real, de 3,53%, em janeiro de 2015, contra a valorização de 0,23% ocorrida no mesmo período do ano anterior. Tabela 4.1 Custo Médio do estoque da DPF Gráfico 4.1 Custo médio acumula- do em 12 meses da DPF, DPFMi, DPFe e Taxa Selic (% a.a.) Mensal Acumulado 12 Meses Dez/14 Dez/15 Jan/16 Dez/14 Dez/15 Jan/16 DPF 14,69 15,74 18,91 11,84 16,07 16,44 DPMFi 12,64 15,06 16,95 11,51 14,24 14,38 LFT 11,58 14,15 14,15 10,90 13,27 13,40 LTN 10,73 11,98 12,10 10,37 11,36 11,41 NTN-B 14,07 18,42 21,96 12,49 16,79 16,88 NTN-C 17,89 16,31 26,91 13,91 21,34 21,77 NTN-F 11,70 11,99 12,03 11,70 11,77 11,74 TDA 4,67 5,98 5,00 4,48 5,20 5,22 Dívida Securi;zada 6,42 7,93 7,75 5,98 7,34 7,42 Demais 35,58 19,70 43,46 16,60 36,23 38,57 DPFe 54,30 28,14 55,28 18,21 49,35 54,59 Dívida Mobiliária 55,60 26,03 55,33 18,70 49,24 54,18 Global USD 65,78 25,60 61,12 21,05 56,38 61,50 Euro 23,45 73,01 50,36 7,60 38,82 53,04 Global BRL 10,81 10,81 10,81 10,79 10,79 10,79 Dívida Contratual1 41,52 49,64 54,72 13,43 50,45 59,10 Organismos Mul;laterais 59,26 21,82 55,23 16,98 51,63 56,64 Credores Privados/ Ag.Gov. 32,50 67,46 54,35 11,20 48,14 59,35 Série histórica: Anexos 4.1 e 4.2
  • 18. 18 4.2 Custo médio das emissões em oferta pública da DPMFi O custo médio de emissão em oferta pública da DPMFi é um indicador que reflete a taxa interna de retorno – TIR dos títulos do Tesouro Nacional no mercado doméstico, mais as variações de seus indexadores, considerando-se apenas as colocações de títulos em oferta pública (leilões) nos últimos 12 meses. Em janeiro, o custo médio das emissões em oferta pública da DPMFi ampliou-se em 0,11 ponto percentual, passando para 13,74% a.a., em janeiro, contra 13,63% a.a., em dezembro. Tabela 4.2 Custo médio das emis- sões em oferta pública da DPMFi acumulado em 12 meses Gráfico 4.2 Custo médio do esto- que e custo médio das emissões da DPMFi acumulado em 12 Gráfico 4.3 Custo médio das emissões dos títulos da DPMFi acumulado em 12 meses (% a.a.) Dez/14 Dez/15 Jan/16 DPMFi 12,05 13,63 13,74 LTN 12,08 13,17 13,34 NTN-F 12,81 12,50 12,67 NTN-B 13,27 17,43 17,63 LFT 10,90 13,27 13,40 Série histórica: Anexo 4.3
  • 19. 19 5. Mercado Secundário de Títulos Públicos Federais 5.1 Volume Negociado O volume financeiro médio diário de títulos negociados no mercado secundário caiu de R$ 20,43 bilhões, em dezembro, para R$ 19,60 bilhões, em janeiro. A participação de títulos indexados à taxa flutuante aumentou de 20,46% para 26,52%; os prefixados tiveram redução de 61,50% para 51,66%; em relação aos títulos atrelados a índice de preços houve um aumento de 17,81% para 21,81%. Tabela 5.1 Volume negociado no mercado secundário, por título Gráfico 5.1 Volume diário negoci- ado no mercado se- cundário de Títulos Públicos como % dos respectivos estoques (R$ Bilhões) Mês LFT / LFT-A / LFT-B LTN / NTN-F NTN-B / NTN-C Total Volume1 % do Total Negociado2 Variação3 Volume1 % do Total Negociado2 Variação3 Volume1 % do Total Negociado2 Variação3 Volume1 % do Total Negociado2 Variação3 dez/08 3,89 29,20% 67,50% 8,28 62,22% 76,78% 1,14 8,58% 38,06% 13,31 100,00% 69,94% dez/09 4,24 31,40% 69,15% 7,11 52,68% 2,55% 2,15 15,92% 53,34% 13,51 100,00% 24,51% dez/10 4,83 30,51% 57,39% 8,83 55,75% 19,78% 2,17 13,74% -24,55% 15,83 100,00% 18,85% dez/11 4,55 27,39% 0,79% 9,28 55,90% 16,56% 2,77 16,71% -34,42% 16,60 100,00% -0,61% dez/12 3,57 14,06% 50,07% 13,27 52,21% 71,44% 8,57 33,73% 78,59% 25,41 100,00% 70,33% dez/13 2,43 8,18% 0,80% 14,36 48,25% 75,42% 12,97 43,57% 151,22% 29,76 100,00% 88,80% dez/14 2,66 15,55% 20,43% 10,81 63,27% 43,74% 3,59 21,03% 9,51% 17,09 100,00% 31,36% jul/15 3,38 16,60% 29,99% 11,94 58,55% 2,11% 5,07 24,85% -7,99% 20,39 100,00% 2,75% ago/15 3,88 16,09% 14,61% 13,38 55,49% 12,04% 6,85 28,42% 35,21% 24,11 100,00% 18,23% jan/16 5,20 26,52% 24,36% 10,13 51,66% -19,40% 4,28 21,81% 17,53% 19,60 100,00% -4,05% 1 Média, no mês, do volume financeiro diário das operações defini;vas. Não são consideradas: as operações em que os preços contratados situem-se fora do intervalo de +/- 25 % do preço de lastro do Gtulo; e as operações em que um dos contratantes seja o Banco Central ou o Tesouro Nacional; 2 Par;cipação do volume negociado dos Gtulos em relação ao volume total negociado no mês; 3 Variação percentual do volume negociado dos Gtulos no mês em relação ao volume negociado no mês anterior. Obs.1: Cálculos efetuados com base nos valores originais, antes de arredondamentos. Obs.2: Nas operações de corretagem são computados somente os valores dos contratantes finais. out/15 3,11 17,69% -56,58% 11,02 62,66% -18,75% 3,45 19,65% -13,18% 17,58 100,00% -29,20% set/15 7,16 28,84% 84,73% 13,56 54,60% 1,38% 3,98 16,02% -41,93% 24,84 100,00% 3,03% nov/15 3,07 18,03% -1,15% 9,64 56,51% -12,56% 4,34 25,46% 25,68% 17,05 100,00% -3,03% dez/15 4,18 20,46% 35,94% 12,56 61,50% 30,38% 3,64 17,81% -16,21% 20,43 100,00% 19,79% O volume diário negociado no mercado secundário de títulos públicos como percentu- al dos respectivos estoques caiu de 0,78%, em dezembro, para 0,75% em janeiro. A parti- cipação no giro do segmento de títulos indexados à taxa flutuante passou de 0,68% pa- ra 0,80%; já em relação aos prefixados houve redução de 1,17% para 0,98%; em relação aos títulos atrelados a índice de preços, houve um aumento de 0,41% para 0,48%.
  • 20. 20 As LTN com vencimento em abril de 2016 foram as mais negociadas em janeiro, seguida das com vencimento em outubro de 2016 e em janeiro de 2019. Quanto às NTN-F, o título com vencimento em janeiro de 2025 foi o mais negociado, seguido pelos de vencimento em janeiro de 2021 e em janeiro de 2017. Com relação às LFT, os títulos mais negociados em janeiro foram, em primeiro, o título com vencimento em março de 2022; em segundo, o com vencimento em setembro de 2021 e, em terceiro, o com vencimento em março de 2020. Para finalizar, entre as NTN-B, os vencimentos com maior volume financeiro negociado foram, em ordem decrescente, maio de 2019, agosto de 2016 e agosto de 2018. Tabela 5.2 Vencimentos mais negociados por volu- me financeiro no mer- cado secundário, por indexador Janeiro/2016 (R$ Milhões) Prefixada - LTN Prefixada - NTN-F Título Vencimento Volume Financeiro Qtd. Operações % do RespecCvo Estoque Título Vencimento Volume Financeiro Qtd. Operações % do RespecCvo Estoque LTN 01/04/2016 2.754,81 57,1 1,74% NTN-F 01/01/2025 891,22 85,5 1,31% LTN 01/10/2016 878,32 16,8 1,09% NTN-F 01/01/2021 851,44 62,2 0,84% LTN 01/01/2019 513,65 50,7 0,47% NTN-F 01/01/2017 643,65 50,8 0,86% Índice de Preços Taxa Selic Título Vencimento Volume Financeiro Qtd. Operações % do RespecCvo Estoque Título Vencimento Volume Financeiro Qtd. Operações % do RespecCvo Estoque NTN-B 15/05/2019 1.077,16 143,0 4,16% LFT 01/03/2022 2.381,85 54,6 46,55% NTN-B 15/08/2016 541,62 69,6 1,91% LFT 01/09/2021 887,84 98,2 4,15% NTN-B 15/08/2018 416,36 67,7 2,10% LFT 01/03/2020 365,17 67,5 3,73% Obs. 1: Consideradas apenas as operações defini;vas. Obs. 2: O volume financeiro e a quan;dade de operações referem-se às médias diárias no mês. Obs. 3: Não são consideradas: as operações em que os preços contratados situem-se fora do intervalo de +/- 25% do preço de lastro do Gtulo; e as operações em que um dos contratantes seja o Banco Central ou o Tesouro Nacional. Obs. 4: Nas operações de corretagem são computados somente os valores dos contratantes finais. Em fevereiro de 2015 entrou em vigor a Portaria STN nº 74, que aprimorou o sistema de Dealers do Tesouro Nacional, priorizando o mercado primário e secundário de títulos públicos, com especial atenção para o fomento de liquidez em sistemas eletrônicos de negociação. Um dos efeitos positivos da nova norma foi o crescimento da parcela do secundário operada em sistema eletrônico de negociação, que saltou de uma média de 1,4% do volume total negociado, no mês anterior à alteração da norma, para 3,2%, no último mês do 1º semestre da nova regra. No último mês, já com todos os dispositivos em vigor, esse número chegou a 4,2%. Em relação ao volume negociado extragrupo, a participação em tela saiu de 2% em janeiro de 2015 para 10,6% no mês de dezembro 2015. Em janeiro de 2016, tal volume foi de 6,7%. Esse crescimento significativo do uso de plataformas eletrônicas de negociação amplia a transparência do mercado de títulos públicos e representa uma convergência aos padrões internacionais. Gráfico 5.2 Volume mensal em tela e percentual do mercado secundário Janeiro/2016
  • 21. 21 5.2 Rentabilidade dos Títulos Públicos Federais O Índice de Mercado Anbima3 - IMA, criado pela Anbima4 em parceria com o Tesouro Nacional, afere a rentabilidade da carteira teórica formada por títulos públicos em circulação no mercado. É considerado um parâmetro eficiente para avaliar a evolução da rentabilidade dos títulos públicos, imprimindo maior dinamismo aos mercados primário e secundário da dívida mobiliária federal. Os dados apurados em janeiro demonstram que a rentabilidade do índice Geral apresentou um acréscimo de 0,36 ponto percentual. Os títulos prefixados, representados pelo IRF-M, tiveram uma alta de 0,86 ponto percentual, enquanto que os papéis atrelados ao IGP-M, representados pelo IMA-C, apresentaram uma redução de 1,90 ponto percentual. Com relação aos títulos vinculados ao IPCA, representados pelo IMA- B, houve um decréscimo de 1,66 pontos percentuais. Por fim, o índice IMA-S, referente aos títulos vinculados à Selic, apresentou uma alta de 0,19 ponto percentual. Gráfico 5.3 Rentabilidade dos títulos públicos Janeiro/2016 (% acumulado em 12 meses) Gráfico 5.4 Evolução da rentabilidade dos Títulos públicos — IMA Geral (% acumulado em 12 meses) 3 IMA - Índices de renda fixa calculados com base na evolução do valor de mercado de carteiras compostas por títulos públicos. O IMA geral é o resultado da ponderação das variações de cada índice; o IRF-M é composto por títulos prefixados (LTN e NTN-F); o IMA-C, por títulos atrelados ao IGP-M (NTN-C); o IMA-B, por títulos atrelados ao IPCA (NTN-B); e o IMA-S, por títulos atrelados à Taxa Selic (LFT). Para mais informações sobre os índices IMA acesse: http://www.andima.com.br/publicacoes/arqs/edesp_ima_tpf.pdf. 4 Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais.