MINHAS ECONOMIAS

                               Como controlar seu salário no
                            MinhasEconomias...
Holerite / Contracheque

Com o contracheque em mãos, você pode verificar que seu salário não
corresponde somente ao valor ...
Contas e categorias

      Para que se possa ter melhor
      controle, é necessário que se crie
      uma conta específic...
Holerite / Contracheque

Com as contas e as categorias criadas, vamos lançar o contracheque no
MinhasEconomias. O contrach...
Férias e férias indenizadas

Continuando o exemplo, João resolveu tirar 20 dias de férias em julho, vendendo
os demais 10 ...
Férias e férias indenizadas

A diferença aqui, em relação ao salário usual, é que a renda decorrente da venda
de 10 dias d...
13º salário

Em outubro, João recebeu antecipadamente metade do 13º salário e, em
dezembro, ele recebeu o restante do 13º ...
13º salário

O 13º salário também deve ser lançado em outra categoria, pois ele não compõe
a base de cálculo do benefício ...
13º salário

E aqui, temos os lançamentos referentes ao pagamento da segunda parcela,
incluindo o imposto de renda e a con...
Análise
Com as transações do ano já lançadas, podemos partir agora para a análise. A
melhor forma de visualizar seus dados...
Análise

A base de cálculo do benefício fiscal, em nosso exemplo, é de R$ 61.666,67
(como mostra o relatório no slide ante...
Análise
Observações adicionais


Caso tenha dívidas, analise se vale a pena quitá-las antes de investir em um
PGBL;
Plano de pre...
Observações adicionais
Para reforçar a importância de se pesquisar os planos de previdência privada,
mostramos abaixo o sa...
Dúvidas e contato


Caso tenha outras dúvidas quanto à utilização do Minhas Economias,
por favor, acesse os seguintes link...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Controle o salário no MinhasEconomias e aproveite o benefício fiscal do PGBL.

14.426 visualizações

Publicada em

Como controlar seu salário no MinhasEconomias e aproveitar o benefício fiscal oferecido pelo PGBL

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.426
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8.909
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
58
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Controle o salário no MinhasEconomias e aproveite o benefício fiscal do PGBL.

  1. 1. MINHAS ECONOMIAS Como controlar seu salário no MinhasEconomias e aproveitar o benefício fiscal oferecido pelo PGBL Copyright MinhasEconomias. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução parcial ou integral do conteúdo desta apresentação em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia escrita do Minhas Economias.
  2. 2. Holerite / Contracheque Com o contracheque em mãos, você pode verificar que seu salário não corresponde somente ao valor depositado mensalmente em sua conta bancária. Para poder calcular corretamente o valor-base correto, você deve sempre levar em conta o salário bruto, ou seja, o montante pago pela empresa antes dos diversos descontos realizados na folha de pagamento. Para ilustrar melhor como montar o controle sobre o salário, vamos usar o exemplo de João. O contracheque abaixo mostra que o salário usual de João não é de R$ 3.972,81 e, sim, de R$ 5.000,00. Salário R$ 5.000,00 Previdência Social (R$ 375,82) Imposto de renda (R$ 551,37) Plano de saúde (R$ 100,00) Depósito em conta R$ 3.972,81
  3. 3. Contas e categorias Para que se possa ter melhor controle, é necessário que se crie uma conta específica para o contracheque. No nosso exemplo, criamos a conta “Contracheque”, além da “Conta Banco”. Já em relação às categorias, criamos algumas novas, tanto para receitas quanto para despesas. Mais adiante, explicaremos o porquê de ter tantas categorias, principalmente de receitas.
  4. 4. Holerite / Contracheque Com as contas e as categorias criadas, vamos lançar o contracheque no MinhasEconomias. O contracheque de João referente ao mês de janeiro fica da seguinte forma: DICA: Use a funcionalidade de recorrência para realizar estes lançamentos, uma vez que, para a maioria das pessoas, os valores do contracheque não variam muito de um mês para outro. Além disso, você poderá usar isto para se planejar para os meses seguintes.
  5. 5. Férias e férias indenizadas Continuando o exemplo, João resolveu tirar 20 dias de férias em julho, vendendo os demais 10 dias. Em 05/07 Salário R$ 5.000,00 1/3 Férias R$ 1.666,67 Indenização venda 10 dias férias R$ 1.666,67 Previdência Social (R$ 375,82) Imposto de renda (R$ 551,37) Imposto de renda sobre 1/3 férias (R$ 458,33) Plano de saúde (R$ 100,00) Depósito em conta R$ 6.847,82
  6. 6. Férias e férias indenizadas A diferença aqui, em relação ao salário usual, é que a renda decorrente da venda de 10 dias de férias é isenta do pagamento de imposto de renda e, por isto, não deve compor a base de cálculo do benefício fiscal oferecido pelo PGBL. Assim, esta renda deve ser lançada em outra categoria, no caso chamada de “Indenização férias”.
  7. 7. 13º salário Em outubro, João recebeu antecipadamente metade do 13º salário e, em dezembro, ele recebeu o restante do 13º salário. Em 05/10 Em 05/12 Salário R$ 5.000,00 Salário R$ 5.000,00 13º salário (antecipação 50%) R$ 2.500,00 13º salário (50% restante) R$ 2.500,00 Previdência Social (R$ 375,82) Previdência Social (R$ 375,82) Imposto de renda (R$ 551,37) Imposto de renda (R$ 551,37) Plano de saúde (R$ 100,00) Previdência Social 13o. salário (R$ 375,82) Depósito em conta R$ 6.472,81 Imposto de renda 13o. salário (R$ 578,87) Plano de saúde (R$ 100,00) Depósito em conta R$ 5.518,12
  8. 8. 13º salário O 13º salário também deve ser lançado em outra categoria, pois ele não compõe a base de cálculo do benefício fiscal. Sua tributação é exclusiva na fonte. Normalmente, ele é pago em duas parcelas, sendo que o imposto de renda e a contribuição à previdência social sobre o 13º salário são descontados do pagamento da última parcela. Abaixo, temos o lançamento da primeira parcela.
  9. 9. 13º salário E aqui, temos os lançamentos referentes ao pagamento da segunda parcela, incluindo o imposto de renda e a contribuição para a previdência social
  10. 10. Análise Com as transações do ano já lançadas, podemos partir agora para a análise. A melhor forma de visualizar seus dados é através do Relatório. Para tanto, você deve selecionar a aba “Análise” e depois a sub-aba “Relatório”, como mostra o slide seguinte.
  11. 11. Análise A base de cálculo do benefício fiscal, em nosso exemplo, é de R$ 61.666,67 (como mostra o relatório no slide anterior), pois apenas a renda tributável e não sujeita à tributação exclusiva pode ser considerada. Assim, o valor que João deve investir em um PGBL é de: R$ 61.666,67 x 12% = R$ 7.400,00 Ao investir os R$ 7.400,00 em um PGBL, João poderá receber uma restituição de R$ 2.035,00. Assim, ao invés de pagar imposto de renda total no valor de R$ 7.074,77 (como ilustra o próximo slide), ele acabará pagando R$ 5.039,77.
  12. 12. Análise
  13. 13. Observações adicionais Caso tenha dívidas, analise se vale a pena quitá-las antes de investir em um PGBL; Plano de previdência privada não é um investimento adequado para quem precisa resgatar os recursos no curto prazo; Se você usa o formulário simplificado na declaração anual de ajuste do imposto de renda, o benefício fiscal do PGBL deixa de existir, por conta do desconto- padrão e, assim, não há vantagem em investir neste tipo de aplicação; Pesquise bastante entre os diversos planos disponíveis no mercado. Invista em um que seja compatível com o seu perfil de risco e que seja gerida e administrada por empresas confiáveis. Preste atenção nas taxas de administração e de carregamento. Lembre-se que por ser um investimento de longo prazo, o impacto destes custos podem ser muito relevantes para o seu patrimônio futuro.
  14. 14. Observações adicionais Para reforçar a importância de se pesquisar os planos de previdência privada, mostramos abaixo o saldo de cada plano após “x” anos de investimento. Consideramos uma rentabilidade bruta constante de 10% ao ano e investimento de R$ 100 mensais. Os valores são apresentados sem o desconto do imposto de renda. Em 10 anos, o impacto da taxa de administração não parece ser tão relevante, mas em 30 ou 40 anos, um plano com taxa mais baixa pode representar uma aposentadoria muito mais tranquila. Leia mais em: http://blog.minhaseconomias.com.br/educacao- financeira/previdencia_privada_20100124/ Anos de Taxa de administração investimento 0,5% 1,0% 2,0% 3,0% 4,0% 10 19.671 19.119 18.080 17.119 16.231 20 67.963 63.777 56.336 49.966 44.497 30 187.127 168.638 137.737 113.361 94.026 40 481.169 414.860 310.939 235.712 180.812
  15. 15. Dúvidas e contato Caso tenha outras dúvidas quanto à utilização do Minhas Economias, por favor, acesse os seguintes links:  vídeos tutoriais: http://blog.minhaseconomias.com.br/tutorial/  FAQ: http://blog.minhaseconomias.com.br/faq/  dicas de como controlar melhor as finanças: http://blog.minhaseconomias.com.br/apresentacoes-e-cursos-gratuitos/ Se preferir, contate-nos através do e-mail contato@minhaseconomias.com.br

×