“Estudo sobre as Respostas        Empresariais Brasileiras ao                  HIV/Aids. 2012”        Iniciativa do Consel...
Objetivo  • Coletar informações relativas à atuação das empresas    brasileiras na resposta ao HIV/aids, visando o    apri...
Amostragem • Cadastro retirado da Relação Anual de Informações Sociais   (RAIS)- 2010, do Ministério do Trabalho e Emprego...
Questionário aplicado por telefone •   Bloco I: Dados gerais da empresa       •   caracterização da empresa e segmentação ...
Resultados
Dados gerais da empresa
Distribuição (%) de empresas por número de empregados,segundo região. 60                                                  ...
Distribuição (%) das empresas respondentes, por região.                           8%   5%                                 ...
Distribuição (%) de empresas por segmento                                          15,1%          84,9%                  I...
Outras considerações das empresas sobre apoio externo edoações às causas relacionadas à aids.  • 57% das empresas declarar...
Outras considerações a cerca dos funcionários e funcionárias.  Estima-se que:      •    60% dos empregados eram homens;   ...
Atuação na prevenção ao HIV/aids
Distribuição (%) de empresas segundo realização de ações deprevenção ao HIV/Aids, nos últimos 12 meses.                   ...
Algumas considerações sobre as empresas que realizaram açõesConsiderando-se o total de empresas registradas na RAIS:• As 1...
Quanto ao tipo e frequência das atividades realizadas.  • 90% das empresas afirmaram realizar palestras sobre o assunto. D...
Estimativas nacionais a partir das atividades realizadas.                                               Quantidade de     ...
Caracterização das ações realizadas pelas empresas • 91% divulgaram os modos de transmissão e prevenção da infecção pelo H...
Na formulação de políticas e/ou programas foram consideradasmuito importantes:• Ter uma diretoria particularmente preocupa...
Caracterização das empresas que declararam não ter realizadoprogramas de prevenção sistematizados (95% do total). • 48% Co...
Distribuição das empresas que não desenvolvem ações, segundoas razões para não realização.  • Em todas as regiões, observo...
Proteção e redução de estigma e discriminação
Distribuição das empresas segundo a política ou ação com relaçãoa proteção e redução do estigma e discriminação.          ...
Pontos para discussão – CEN AIDS, MS e UNAIDS  •   A relevância do fomento às ações de prevenção no local de trabalho     ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Versão 2 apresenta empresas 02102012

384 visualizações

Publicada em

“Estudo sobre as Respostas Empresariais Brasileiras ao HIV/Aids. 2012”

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
384
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Versão 2 apresenta empresas 02102012

  1. 1. “Estudo sobre as Respostas Empresariais Brasileiras ao HIV/Aids. 2012” Iniciativa do Conselho Empresarial Nacional para Prevenção ao HIV/AIDS (CEN AIDS)com o Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde e o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS)
  2. 2. Objetivo • Coletar informações relativas à atuação das empresas brasileiras na resposta ao HIV/aids, visando o aprimoramento de políticas de prevenção no local de trabalho.
  3. 3. Amostragem • Cadastro retirado da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS)- 2010, do Ministério do Trabalho e Emprego; • Foram consideradas 576.451 empresas com mais de 10 empregados; • Amostra final representativa: 2.486 empresas; • Amostragem probabilística estratificada por macrorregião (Norte, Nordeste, Sudeste, Sul e Centro-Oeste) e número de empregados (10 a 19, 20 a 49, 50 a 99 e mais de 100). • O erro amostral considerado foi de 4,5%.
  4. 4. Questionário aplicado por telefone • Bloco I: Dados gerais da empresa • caracterização da empresa e segmentação mercadológica; sociodemográficas e; sobre o capital humano organizacional • Bloco II: Políticas, Programas e Ações em HIV/aids • percepção da instituição quanto ao HIV/AIDS; existência ou não de ações e programas de prevenção e; delineamento das políticas, programas e ações desenvolvidos • Bloco III: Ações de proteção e de redução do estigma e discriminação • atitude frente ao estigma e discriminação, bem como o incentivo à proteção e; fatores pertinentes à elaboração de ações, projetos e/ou programas sobre HIV/AIDS.
  5. 5. Resultados
  6. 6. Dados gerais da empresa
  7. 7. Distribuição (%) de empresas por número de empregados,segundo região. 60 54,6 52,1 51,4 50 45,6 40 30 20,2 19,0 18,3 20 18,0 17,6 14,9 15,1 15,3 10 8,4 7,8 7,4 7,2 5,4 4,4 4,4 4,4 0 Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste 10 a 19 empregados 20 a 49 empregados 50 a 99 empregados 100 e mais empregados
  8. 8. Distribuição (%) das empresas respondentes, por região. 8% 5% 15% 19% 53% Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste
  9. 9. Distribuição (%) de empresas por segmento 15,1% 84,9% Indústria Comércio e Serviços
  10. 10. Outras considerações das empresas sobre apoio externo edoações às causas relacionadas à aids. • 57% das empresas declararam ser importante apoio financeiro e profissional especializado na área; • 8% declararam ter feito doações nos últimos três anos às causas relacionadas à aids; • 4% declararam ter recebido questionário sobre essa temática anteriormente.
  11. 11. Outras considerações a cerca dos funcionários e funcionárias. Estima-se que: • 60% dos empregados eram homens; • 40% tinham o ensino médio completo; • 63% tinham idade entre 21 e 40 anos; Foram identificados mais de 50 ramos de atividades, destacando-se o comércio varejista em todas as regiões, exceto Sudeste;
  12. 12. Atuação na prevenção ao HIV/aids
  13. 13. Distribuição (%) de empresas segundo realização de ações deprevenção ao HIV/Aids, nos últimos 12 meses. 14,2% 86,8% Realizaram Não realizaram
  14. 14. Algumas considerações sobre as empresas que realizaram açõesConsiderando-se o total de empresas registradas na RAIS:• As 14,2% que realizaram ações representam cerca de 82 milempresas;• Das empresas com 100 ou mais empregados, 45% realizaram ações,o que representa mais de 6 vezes o percentual de empresas demenor porte (6,4%);• 45% das empresas com 100 ou mais empregados realizaram ações, oque representa cerca de 23 mil empresas. Se essas empresaspossuem 475 empregados em média, pode-se estimar que essas açõesalcançam, aproximadamente, 11 milhões de empregados.
  15. 15. Quanto ao tipo e frequência das atividades realizadas. • 90% das empresas afirmaram realizar palestras sobre o assunto. Destas 72% o fizeram anualmente; • 40% divulgaram campanhas sobre o tema, sendo que 54% o fizeram anualmente; • 23% realizaram projetos sistemáticos; • 8% afirmaram realizar todas as atividades indicadas pela pesquisa (projetos sistemáticos, comunicados internos, palestras e divulgação de campanhas e sites sobre o assunto).
  16. 16. Estimativas nacionais a partir das atividades realizadas. Quantidade de Percentual Atividades empresas encontrado na realizadas brasileiras pesquisa representadas Palestras 90% 74.000 Divulgação de 40% 33.000 campanhas Projetos sistemáticos 23% 19.000 Todas as indicadas na 8% 6.600 pesquisa
  17. 17. Caracterização das ações realizadas pelas empresas • 91% divulgaram os modos de transmissão e prevenção da infecção pelo HIV; • 89% incentivaram o uso de preservativos; • 81% contrataram profissional para realizar palestras sobre o tema; • 60% apoiaram o aconselhamento e a testagem voluntária; • 50% distribuíram gratuitamente preservativos; • Cerca de 31% afirmaram realizar ações também junto a comunidade; Dentre as principais parcerias, foi sinalizado o apoio de: - Governo – 75%; - ONG – 46%; - Comunidade - 38% e; - Outros setores sociais – 36%.
  18. 18. Na formulação de políticas e/ou programas foram consideradasmuito importantes:• Ter uma diretoria particularmente preocupada com o assunto e encorajandoações - 62%;• Reconhecer os possíveis impactos, em médio ou longo prazo causados àeconomia pelo HIV/aids - 39%;• Agir como empresa responsável (em respostas às iniciativas da comunidadeinternacional, mídia, pessoal investidores e acionistas) – 37%;• Administrar os custos e a queda de produtividade decorrente das ausênciasprovocadas pelas doenças - 37% e;• Atender solicitações dos funcionários ou sindicatos - 33%.
  19. 19. Caracterização das empresas que declararam não ter realizadoprogramas de prevenção sistematizados (95% do total). • 48% Consideraram não ser necessário realizar ações desta natureza; • 24% Afirmaram que o tema não faz parte das prioridades; • 13,5% Mencionaram falta de interesse na realização; • 5% Afirmaram que já foram realizadas ações ou que faltam recursos para tal. • 25% pretendem realizar nos próximos 12 meses, o que representa cerca de 24.000 empresas brasileiras com possível potencial para aderir à resposta empresarial ao HIV/aids.
  20. 20. Distribuição das empresas que não desenvolvem ações, segundoas razões para não realização. • Em todas as regiões, observou-se um maior percentual de empresas que declararam não ter realizado nenhuma ação, nos últimos 12 meses. • Região Sul com 88% e Norte com 83%; • A maioria é de pequeno porte.
  21. 21. Proteção e redução de estigma e discriminação
  22. 22. Distribuição das empresas segundo a política ou ação com relaçãoa proteção e redução do estigma e discriminação. Sim Não Garantir que as pessoas vivendo com HIV/aids continuem no trabalho, 88,2% 8,1% enquanto estiverem clinicamente aptas Oferecer aconselhamento em HIV/aids 80,2% 19% e outras DST Coibir discriminação contra mulheres, 72,2% 25,7% negros, homossexuais, travestis... Coibir a discriminação entre funcionários com relação as pessoas 71,8% 25% vivendo com HIV/aids Garantir que as provisões se estendam 69,9% 27,9% aos parceiros e família Fornecer plano de saúde para todos os 69,3% 29,7% empregados Proibir o requerimento de atestados de exames de HIV/aids aos 41,3% 55,9% candidatos ou empregados
  23. 23. Pontos para discussão – CEN AIDS, MS e UNAIDS • A relevância do fomento às ações de prevenção no local de trabalho também tem a ver com a incidência de aids ainda ser maior na faixa etária economicamente ativa. • O que fazer em relação ao Sul, região com menor percentual de realização e alta taxa de incidência (45,7%, dos 20 aos 59 anos, em 2010)? • Se as empresas de pequeno porte são maioria no país e as que menos realizam ações de prevenção, o que fazer para alcançá-las? • Como alcançar os ramos com maior participação na pesquisa? É válido atuar em eventos como feiras? • Como aprimorar as políticas existentes – Aproximação com a Saúde do Trabalhador e Ministério do Trabalho e Emprego.

×