Promessa de R$1,5 bi para pesquisas

722 visualizações

Publicada em

Apostar no investimentoem inovação tecnológica, na produção de conhecimento e na ideia de que o país pode produzir alternativas de tratamento é primordial para a sustentabilidade do Sistema Único de Saúde”Alexandre Padilha, ministro da Saúde

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Promessa de R$1,5 bi para pesquisas

  1. 1. Aviso09 de setembro de 2011, 05:54O veículo Valor Econômico publica hoje o especial Valor Investe - "O mês emque tudo mudou", que está em processo de clipagem. A conclusão estáprevista para as 11 horas.
  2. 2. Saúde na mídia Brasília, 09 de setembro de 2011 Correio Braziliense/BR Ministério da Saúde | Alexandre Padilha Promessa de R$ 1,5 bi para pesquisas BRASIL Givaldo Barbosa/Agência O Globo - 8/9/11 tamentos e vacinas para que nós tenhamos, aqui no Brasil, medicamentos para enfrentar os nossos pro- blemas." Outro objetivo é evitar que os gastos na área sejam suscetíveis a crises internacionais. "Apostar no in- vestimento em inovação tecnológica, na produção de conhecimento e na ideia de que o país pode produzir alternativas de tratamento é primordial para a sus- tentabilidade do Sistema Único de Saúde", afirmou Padilha. Apostar no investimentoem inovação tecnológica, na produção de conhecimento e na ideia de que o país pode produzir alternativas de De acordo com o ministério, a evolução do de-tratamento é primordial para a sustentabilidade do Sistema Único de Saúde senvolvimento de medicamentos no Brasil gerou Alexandre Padilha, ministro da Saúde uma economia de R$ 600 milhões na compra de re- médios, o que reforçou a distribuição de drogas para o tratamento do câncer e da hepatite C. "O Brasil co- meça a ter capacidade de pensar o futuro. É o únicoSAÚDE país que ousa, no meio de uma crise internacional, fa- zer anúncio de investimento tão potente em de-JULIANA BRAGA senvolvimento de pesquisa e tecnologia", enalteceu o ministro.O investimento em pesquisas na saúde quadruplicarános próximos quatro anos. O anúncio foi feito pelo Prioridadesministro Alexandre Padilha em encontro com cien-tistas na manhã de ontem. O orçamento, que foi de R$ Para organizar esses investimentos, foi lançada tam-400 milhões nos últimos quatro anos, passará para bém a agenda de Pesquisas Estratégicas para o Sis-R$ 1,5 bilhão, aproximadamente R$ 350 milhões por tema de Saúdes. Das 838 linhas de pesquisa, foramano. O dinheiro vem do remanejamento de outras definidos 151 estudos como prioritários, 40 já em an-áreas no orçamento da própria pasta. damento. Essas pesquisas fazem parte de 16 temas gerais - entre eles, atenção básica e atenção es-Uma das pesquisas prioritárias é o desenvolvimento pecializada, saúde mental, e rede de urgência ede uma vacina contra a dengue. Os estudos estão sen- emergência.do feitos pelo o Instituto Butantan e pela FundaçãoOswaldo Cruz (Fiocruz ),que estima um prazo entre Para definir os critérios para a concessão de recursos,cinco e 10 anos para que o produto esteja no mercado. serão usados os temas prioritários do Plano Plu-As universidades Estadual do Ceará e Federal do Es- rianual. Nos últimos oito anos, 4.314 projetos de pes-pírito Santo também têm estudos na área.Segundo o ministro, o objetivo é permitir a produçãode medicamentos e a realização de tratamentos paraas doenças que atingem o país. "A população pode es-perar que o ministério passe a investir em novos tra-Saúde na mídia pg.2
  3. 3. Saúde na mídia Brasília, 09 de setembro de 2011 Correio Braziliense/BR Ministério da Saúde | Alexandre Padilha Continuação: Promessa de R$ 1,5 bi para pesquisasquisa foram financiados pelo governo federal,contemplando 580 instituições. Foram produzidas1.753 dissertações de mestrado e 931 teses de dou-torado com fomento da pasta.Saúde na mídia pg.3

×