Reflexos e reações 2012.2

43.313 visualizações

Publicada em

1 comentário
30 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
43.313
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
819
Comentários
1
Gostaram
30
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reflexos e reações 2012.2

  1. 1. Disciplina: Neonatologia e Pediatria Professora: Eliane Nóbrega Vasconcelos ___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ REFLEXOS E REAÇÕES: Podemos dizer que as manifestações neurológicas da criança estão divididas em três grupos: 1- Manifestações com as quais a criança nasce e são permanentes, constantes não se modificam no decorrer de sua evolução (reflexos profundos, sensibilidades primitivas). 2- Manifestações com as quais a criança nasce, reflexos de início, e que desaparecem com a evolução, para darem lugar as mesmas atividades, porém com caráter voluntário (sucção, preensão, marcha). 3- Manifestações normais durante algum tempo no RN, que desaparecem com a evolução, somente reaparecerão em condições patológicas, mediante agressão do SNC (reflexo de moro, reflexo cutâneo plantar em extensão). Diferença entre reflexos e reações Reflexos – São respostas estereotipadas e obrigatórias. Reações – São respostas mais complexas, não obrigatórias e modificáveis pela variação do estado fisiológico. 1 – Reação positiva de suporte ou apoio plantar – Suspende a crianças pelas axilas e estimula-se o ante-pé na face plantar tocando os pés numa superfície dura. A criança fará uma extensão dos MMII, retificando-os. Está presente no recém–nascido e desaparece aos dois meses de vida. OBS: Na criança patológica a resposta é um aumento da extensão dos MMII com adução e rotação interna. 2 – Reação negativa de suporte ou apoio – Não é evidenciado numa criança normal. Testa-se do mesmo jeito da reação positiva só que a resposta será uma flexão dos MMII. Não tem tempo certo para aparecer ou desaparecer, mas podemos basear no período que aparece e desaparece a reação positiva de apoio. 3 – Reações de proteção da cabeça – Coloca-se a criança deitada em prono e a mesma procura uma posição para a cabeça que não a deixe sufocada. Está presente no recémnascido e permanece. 4 – Reações de colocação palmar e plantar - Suspende a criança pelas axilas e quando estimula-se a face dorsal da mão ou do pé sobre uma superfície, responde colocando o pé ou a mão sobre esta superfície. A palmar está presente no recém-nascido, com dois a três meses está mais forte e permanece o vestígio. A plantar está presente no recém-nascido, com cinco a seis meses está mais forte e também permanece o vestígio.
  2. 2. Disciplina: Neonatologia e Pediatria Professora: Eliane Nóbrega Vasconcelos ___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ 5 – Reflexo de preensão palmar e plantar - É pesquisado estimulando-se a palma da mão (região metacarpofalangianas) com um dedo ou objeto e a criança como resposta flexiona os quirodáctilos; estimulando-se a região plantar do pé na base dos pododáctilos (região metatarsofalangianas) estes irão fletir. Está presente no recém-nascido, o palmar desaparece aos três meses enquanto o plantar só vai desaparecer do sétimo ao nono mês. 6 – Reflexo de Sucção – Obtêm-se tocando os lábios da criança com o dedo mínimo (com luva) ou com um bastão e ela tende a sugar (pode ser examinado através do ato de mamar). Está presente no recém-nato, mesmo nos prematuros e desaparece entorno do terceiro mês de vida. 7 – Reflexo dos quatro pontos cardeais (voracidade ou procura) – Estimula-se os quatro pontos ao redor da boca e a criança vai a procura da origem destes estímulos (vira a cabeça para o lado estimulado). Está presente no recém-nascido e desaparece no terceiro mês de vida. Sua ausência não tem significado patológico. 8 – Reflexo de mordida - Ao estimular os lábios a criança tenta moder. Começa após o termino do reflexo de sucção, mais ou menos do quarto ao quinto mês. 9 – Reflexo Cutâneo Plantar – Estimula-se a planta do pé entre a borda externa e a medial em direção ao primeiro artelho, como resposta a criança faz extensão do hálux ou dele e os demais. Mais ou menos ao fim do primeiro ou início do segundo ano de vida, este reflexo, até então em extensão, passa a apresentar resposta em flexão. A persistência desde em extensão do hálux e flexão dos dedos restantes, ou então a abdução dos dedos (em leque) é patológico, sinal de liberação piramidal conhecido como o Babinsk. 10 – Reflexo cruzado de extensão – Cça deitada em supino, estimula-se o terço médio da face interna da coxa ou da borda externa do pé, e como resposta há uma flexão da perna oposta e uma extensão sobre a outra cruzando. Na criança patológica há um aumento de tonus extensor, a criança aduz e roda internamente o membro podendo cruzar ou não. Está presente no recém-nato e desaparece em torno de dois meses. 11- Reflexo da marcha – Suspende a criança pelas axilas, estimula-se a face plantar do pé sobre uma superfície inclinando o tronco um pouquinho para frente. A criança responde dando alguns passos. Presente no recém-nascido e vai embora aos três meses de vida. 12 – Reflexo de Moro – Consiste em dá um susto na criança (deitada em supino), ou batendo palmas; ou puxando o lençol que está por baixo dela; ou dando pancadinhas no abdômen; ou ainda suspendendo a criança, cabeça alinhada ao corpo, soltamos um pouco, bem rápido a mão que está segurando a cabeça. A criança responde fazendo uma extensãoabdução dos membros seguido de flexão-adução. Está presente no recém-nascido e de três a quatro meses está desaparecendo. 13 – Reflexo de Gallant – A criança em decúbito ventral, estimula-se a região lombar entre a 12ª costela e a crista ilíaca. A resposta é uma flexão do tronco para o lado do estímulo. Desaparece em torno do segundo mês de vida.
  3. 3. Disciplina: Neonatologia e Pediatria Professora: Eliane Nóbrega Vasconcelos ___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ 14 – Reflexo de Landau – Este reflexo é uma combinação dos reflexos de endireitamento e reflexos tônicos. Suspende-se a criança em decúbito ventral e a criança faz uma extensão da cabeça, tronco, quadril e membros (1a fase) e, se flexionarmos a cabeça da criança, ela fará uma flexão do tronco e das extremidades (2a fase). É esboçada aos quatro meses de vida, aos seis meses está presente nas duas fases e aos dez meses está mais forte, desaparecendo em torno de um ano. O Landau precede a marcha. 15 – Reação de anfíbio – Cça em decúbito ventral, eleva-se um pouco sua pelve e ela abduz o membro fletindo o quadril e o joelho e levando para frente com rotação externa. Esboçase aos quatro meses de vida, está mais presente aos seis meses e permanece. Este reflexo prepara a criança para o arrastar e posteriormente engatinhar. 16 – Reflexo Tônico Cervical Assimétrico (RTCA) – A criança em decúbito dorsal, gira-se a cabeça para um lado, fixando a pelve. Para o lado em que a face está olhando, há uma aumento do tônus extensor nos membros e no lado oposto (occipital) há um aumento do tônus flexor. Inicia-se no RN, está mais forte no segundo mês de vida e desaparece no 34 mês de vida. 17 – Reflexo Tônico Cervical Simétrico (RTCS) – Em decúbito dorsal, ao fletirmos a cabeça da criança ele flete os MMSS e estende os MMII. Ao estendermos a cabeça, ela estende os MMSS e flexiona os MMII. É mais evidenciado em crianças patológicas e está presente no RN e desaparece do quinto para o sexto mês. 18 – Reflexo Tônico Labiríntico (RTL) – Quando a criança está em decúbito dorsal há um aumento do tônus extensor e em decúbito ventral aumento do tônus flexor. É mais evidenciado em crianças patológicas, por isso não tem data de aparecimento e desaparecimento. 19 – Reação de endireitamento cervical - Deitada em supino, quando a cabeça da criança é girada para um dos lados, todo o seu corpo acompanha o movimento (em bloco). A criança não tem dissociação de cinturas. Está presente no RN, aproximadamente aos quatro meses ele passa a ser modificado para a reação corporal de retificação. 20 - Reação corporal de retificação – É uma evolução posterior da reação de endireitamento cervical. Quando se gira a cabeça da criança para um dos lados, o corpo acompanha por etapas, primeiro vai a cintura escapular e em seguida a cintura pélvica (há uma dissociação das cinturas). Inicia-se aos quatro meses, quando a reação de endireitamento cervical desaparece e permanece. 21 – Reação labiríntica de retificação – Suspendendo-se a criança em decúbito dorsal, ventral ou lateral, ela trás a cabeça para a linha média, alinhando com o corpo ou faz um movimento contra a gravidade. Esboça-se aos quatro meses, aos seis está presente para todos os lados e permanece. 22 - Reação ótica de retificação – Ao suspender a criança em qualquer decúbito seus olhos mantêm-se num plano horizontal. Pode testar a labiríntica e a ótica de retificação de uma só vez. Outra maneira de se testar seria fixar a cabeça da criança e passar um objeto na sua
  4. 4. Disciplina: Neonatologia e Pediatria Professora: Eliane Nóbrega Vasconcelos ___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ frente horizontal e verticalmente, se ela conseguir acompanhar esta reação está presente. Esboça-se aos quatro meses, aos seis meses está presente para todos os lados e permanece. 23 – Reação de proteção – Devemos tirar a estabilidade da criança empurrando-a para frente, para os lados e para trás. Se a reação estiver presente a criança tenta se defender com os braços. Inicia-se para frente dos seis a sete meses, para os lados de sete a oito meses e para trás entre onze e dezoito meses. OBS: A reação de paraquedas é quando projeta-se a cça em direção ao solo e ela estende os braços. 24 – Reações de equilíbrio – Tenta-se tirar a criança da sua estabilidade e ela procura equilibrar-se. Pode ser testado na tábua de equilíbrio. Presente em prono de seis a sete meses, em supino de sete a oito meses, sentado de sete a nove meses, de gato mais ou menos aos nove meses, de joelho de onze a doze meses e de pé depois de um ano. RESUMO PARA FACILITAR A MEMORIZAÇÃO: Reflexos e Reações Recém-nascido: • Presença da Reação Positiva de Suporte, Reação de proteção da cabeça, Reação de colocação palmar e plantar, Reflexo de preensão palmar e plantar, Reflexo de Sucção (também no prematuro), Reflexo dos quatro pontos cardeais, Reflexo cutânea plantar em extensão, Reflexo cruzado de extensão, Reflexo de Marcha, Reflexo de Moro, Reflexo de Gallant, Reflexo TônicoCervical Assimétrico (RTCA), Reflexo Tônico cervical Simetrico (RTCS), Reação de Endireitamento cervical. Segundo Mês: • Desaparece a Reação positiva de suporte , o Reflexo cruzado de extensão e o Reflexo de Gallant. Fase mais forte do Reflexo Tônico Cervical Assimétrico (RTCA). Segundo ao Terceiro Mês: •Fase mais forte da Reação de colocação Palmar. Terceiro Mês: • Desaparece o Reflexo de preensão Palmar, o Reflexo de Sucção, o Reflexo dos quatro pontos cardeais, e o Reflexo da Marcha. Terceiro ao Quarto Mês: • Desaparece o Reflexo de Moro (pode-se observar vestígio até no máximo seis meses) e o Reflexo Tônico Cervical Assimétrico(RTCA).
  5. 5. Disciplina: Neonatologia e Pediatria Professora: Eliane Nóbrega Vasconcelos ___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Quarto Mês: • Início da Reação de Anfíbio, da Reação Labiríntica de Retificação, da Reação Ótica de Retificação. Reação de Endireitamento cervical desaparece para dar lugar a Reação Corporal de Retificação. Quarto ao Quinto Mês: •Presença do Reflexo de Mordida. Quinto ao Sexto Mês: • Fase mais forte da Reação de Colocação Plantar. Desaparece o Reflexo Tônico Cervical Simétrico (RTCS). Sexto Mês: • Presença das DUAS fases do Reflexo de Landau. Fase mais forte da Reação de anfíbio. Presença para todos os lados da Reação Labiríntica de retificação e Ótica de Retificação. Inicio da Reação de Paraquedas. Sexto ao Sétimo Mês: • Início da Reação de Proteção para Frente. Presença da Reação de Equilíbrio na posição Prono. Sétimo ao Oitavo Mês: • Presença da Reação de Equilíbrio nas posições supino e sentado. Presença da Reação de Proteção para os lados. Sétimo ao Nono Mês: • Desaparece o Reflexo de Preensão Plantar. Nono Mês: • Presença da Reação de Equilíbrio na posição Gato. Fase mais forte da Reação de Paraquedas. Décimo Mês: • Fase mais forte do Reflexo de Landau. Onze a Doze Meses: • Presença da Reação de Equilíbrio na posição de Joelhos.
  6. 6. Disciplina: Neonatologia e Pediatria Professora: Eliane Nóbrega Vasconcelos ___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Um ano: • Desaparece o Reflexo de Landau. Fim do Primeiro Ano e Inicio do Segundo: • Reflexo Cutâneo Plantar que antes era em extensão passa a ser em Flexão. Depois de Um ano: • Reação de Equilíbrio na posição de Pé. Onze a Dezoito Meses: • Reação de Proteção para TRÁS. PERMANECE: • Reação de Proteção da Cabeça, Reação de Colocação Palmar e Plantar (vestígio), Reação de Anfíbio, Reação Corporal de Retificação, Reação Labiríntica de Retificação, Reação Ótica de Retificação, Reações de Proteção, Reação de Paraquedas e Reações de Equilíbrio.
  7. 7. Disciplina: Neonatologia e Pediatria Professora: Eliane Nóbrega Vasconcelos ___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Um ano: • Desaparece o Reflexo de Landau. Fim do Primeiro Ano e Inicio do Segundo: • Reflexo Cutâneo Plantar que antes era em extensão passa a ser em Flexão. Depois de Um ano: • Reação de Equilíbrio na posição de Pé. Onze a Dezoito Meses: • Reação de Proteção para TRÁS. PERMANECE: • Reação de Proteção da Cabeça, Reação de Colocação Palmar e Plantar (vestígio), Reação de Anfíbio, Reação Corporal de Retificação, Reação Labiríntica de Retificação, Reação Ótica de Retificação, Reações de Proteção, Reação de Paraquedas e Reações de Equilíbrio.

×