SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
Vamos conhecer a disciplina de Psicologia?


Quando iniciamos uma nova disciplina, trazemos para a sala de aula algumas ideias e
expectativas sobre ela. Isso é ainda mais visível no caso da Psicologia, porque diz
respeito a todos nós como seres humanos e já ouvimos falar dela muitas vezes. No
entanto, isso não significa que saibamos, verdadeiramente, o que ela é, quais são as
matérias que vamos aprender ou as competências que vamos desenvolver.
As nossas expectativas podem, portanto, estar erradas.

Vamos fazer uma pequena viagem geral pelo programa para ficarmos com uma ideia,
ainda que difusa, do que vamos aprender e da relação das matérias entre si.

Vamos então partir das suas ideias e expectativas para começar esta «visita», lendo a
narrativa de duas experiências escolares:


Caso 1:

Num estudo revelador observou-se um grupo de alunos poucos dias depois de terem
recebido as notas. Como todos sem dúvida recordamos, as notas escolares são uma
das grandes fontes de alegria e desespero. Mas os investigadores destacam a
grande importância na forma como os jovens encaram a sua responsabilidade, ao
receberem uma nota mais baixa do que esperavam. Aqueles que vêem a nota baixa
como consequência de uma falha pessoal ("Sou estúpido") sentem-se mais
deprimidos do que aqueles que explicam a má nota em termos de qualquer coisa
que podem modificar ("Se me aplicar mais nos trabalhos de casa de Matemática,
posso conseguir uma nota melhor").



Caso 2:

Os investigadores identificaram um grupo de alunos que os colegas rejeitavam e
verificaram quais os que continuavam a sê-lo nas novas turmas em que eram
integrados no ano seguinte. O modo como os jovens explicavam a si mesmos a
rejeição parecia ser crucial para determinar se ficavam ou não deprimidos. Aqueles
que viam a rejeição como provocada por qualquer coisa de errado neles próprios,
ficavam mais deprimidos. Mas os optimistas, os que sentiam que podiam fazer
qualquer coisa para melhorar a situação, não ficavam particularmente deprimidos,
apesar de a rejeição se manter. (...)
As boas notícias: tudo parece indicar que ensinar maneiras mais produtivas de
encarar as dificuldades baixa o risco de depressão.


                           Daniel Goleman (1996), Inteligência Emocional (adaptado)


                       Debate, com os colegas da turma, as seguintes questões:



                                                                                   1
•   Este «estudo revelador» (caso 1) terá sido feito por psicólogos? Justifica.

   •   Também vês as más notas como resultado de uma falha pessoal? Ou
       consideras que são resultado de factores que podes modificar? Consideras as
       dificuldades de integração na turma como resultado de uma falha pessoal? Ou
       consideras que são resultado de factores que podes modificar?




Como podes verificar, a Psicologia é uma ciência preocupada com o Homem na sua
relação consigo próprio, com os outros e com o mundo. Neste sentido, ela procura
investigar diversas áreas que permitem, por um lado, explicar e compreender melhor o
comportamento humano e, por outro, pôr em prática esse saber de forma a melhorar o
desenvolvimento e a qualidade de vida dos indivíduos e das populações.

No teu caso, que pretendes ser um profissional ou um técnico e que vais desenvolver
funções de apoio, de dinamização e de organização, a Psicologia permitir-te-á
desenvolver um conjunto de saberes, atitudes e competências necessárias ao trabalho
com grupos de indivíduos, com organizações e com comunidades.

Além disso, poderás conhecer-te melhor a ti próprio, compreender os teus
comportamentos e as tuas reacções e identificar os fundamentos desses
comportamentos. De facto, o conhecimento de nós próprios e a capacidade de
compreender os outros estão intimamente relacionados.




                                                                                     2

Mais conteúdo relacionado

Destaque (14)

Präsentationen ü1
Präsentationen ü1Präsentationen ü1
Präsentationen ü1
 
TIPOS DE REDES
TIPOS DE REDESTIPOS DE REDES
TIPOS DE REDES
 
Ficha2
Ficha2Ficha2
Ficha2
 
P+V_1-11_U4-U1.pdf
P+V_1-11_U4-U1.pdfP+V_1-11_U4-U1.pdf
P+V_1-11_U4-U1.pdf
 
Ideb correio
Ideb correioIdeb correio
Ideb correio
 
PM_Diabetiker-Studie.pdf
PM_Diabetiker-Studie.pdfPM_Diabetiker-Studie.pdf
PM_Diabetiker-Studie.pdf
 
Ficha50
Ficha50Ficha50
Ficha50
 
16 de septiembre
16 de septiembre16 de septiembre
16 de septiembre
 
11-08 Unternehmerkonferenz.pdf
11-08 Unternehmerkonferenz.pdf11-08 Unternehmerkonferenz.pdf
11-08 Unternehmerkonferenz.pdf
 
G416 4
G416 4G416 4
G416 4
 
Resgatando a identidade através de ações criativas
Resgatando a identidade através de ações criativasResgatando a identidade através de ações criativas
Resgatando a identidade através de ações criativas
 
Zurich2011 CarmenVadillo
Zurich2011 CarmenVadilloZurich2011 CarmenVadillo
Zurich2011 CarmenVadillo
 
Prottplv
ProttplvProttplv
Prottplv
 
El proceso ideal de estudio, preparación y presentación de examenes
El proceso ideal de estudio, preparación y presentación de examenesEl proceso ideal de estudio, preparación y presentación de examenes
El proceso ideal de estudio, preparación y presentación de examenes
 

Semelhante a Conhecer Psicologia através de casos reveladores

Diagnostico psicopedagogico
Diagnostico psicopedagogicoDiagnostico psicopedagogico
Diagnostico psicopedagogicoSinara Duarte
 
Psicologia escolar e Educacional
Psicologia escolar e EducacionalPsicologia escolar e Educacional
Psicologia escolar e Educacionalmluisavalente
 
Drogas cartilha para-educadores
Drogas   cartilha para-educadoresDrogas   cartilha para-educadores
Drogas cartilha para-educadoresJosé Ripardo
 
Cartilha educadores drogas
Cartilha educadores   drogasCartilha educadores   drogas
Cartilha educadores drogasCre Educação
 
Cartilha educadores drogas
Cartilha educadores   drogasCartilha educadores   drogas
Cartilha educadores drogasCre Educação
 
Drogas: Cartilha Para Educadores
Drogas: Cartilha Para EducadoresDrogas: Cartilha Para Educadores
Drogas: Cartilha Para EducadoresMarina-Rosado
 
Silvia generali, micheline bastianello, roberto decourt, cleber dutra, alvaro...
Silvia generali, micheline bastianello, roberto decourt, cleber dutra, alvaro...Silvia generali, micheline bastianello, roberto decourt, cleber dutra, alvaro...
Silvia generali, micheline bastianello, roberto decourt, cleber dutra, alvaro...Joao Paulo Abreu
 
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@sSaúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@sProf. Marcus Renato de Carvalho
 
_Apresentação Aprender a Transformar.pdf
_Apresentação Aprender a Transformar.pdf_Apresentação Aprender a Transformar.pdf
_Apresentação Aprender a Transformar.pdfRicardoReis505841
 
Cartilha saudementalna escola
Cartilha saudementalna escolaCartilha saudementalna escola
Cartilha saudementalna escolaPatrícia Müller
 
Para ler quando tiver vontade... (2)
Para ler quando tiver vontade... (2)Para ler quando tiver vontade... (2)
Para ler quando tiver vontade... (2)Denise Vilardo
 
2ª oficina - Escola e família fortalecendo vínculos.
2ª oficina - Escola e família fortalecendo vínculos.2ª oficina - Escola e família fortalecendo vínculos.
2ª oficina - Escola e família fortalecendo vínculos.Lucimara Lopes França
 
Questões comentadas
Questões comentadasQuestões comentadas
Questões comentadasSergio Cabral
 
carl-rogers-psicoterapia-e-consulta-psicolc3b3gica_transcrito.pdf
carl-rogers-psicoterapia-e-consulta-psicolc3b3gica_transcrito.pdfcarl-rogers-psicoterapia-e-consulta-psicolc3b3gica_transcrito.pdf
carl-rogers-psicoterapia-e-consulta-psicolc3b3gica_transcrito.pdfLiliana Lobato
 
Feedback diagnostico instrugen_2016_2
Feedback diagnostico instrugen_2016_2Feedback diagnostico instrugen_2016_2
Feedback diagnostico instrugen_2016_2Juliana Aguiar
 

Semelhante a Conhecer Psicologia através de casos reveladores (19)

Diagnostico psicopedagogico
Diagnostico psicopedagogicoDiagnostico psicopedagogico
Diagnostico psicopedagogico
 
Psicologia escolar e Educacional
Psicologia escolar e EducacionalPsicologia escolar e Educacional
Psicologia escolar e Educacional
 
Drogas cartilha para-educadores
Drogas   cartilha para-educadoresDrogas   cartilha para-educadores
Drogas cartilha para-educadores
 
Cartilha educadores drogas
Cartilha educadores   drogasCartilha educadores   drogas
Cartilha educadores drogas
 
Cartilha educadores drogas
Cartilha educadores   drogasCartilha educadores   drogas
Cartilha educadores drogas
 
Drogas: Cartilha Para Educadores
Drogas: Cartilha Para EducadoresDrogas: Cartilha Para Educadores
Drogas: Cartilha Para Educadores
 
Teoria Humanista
Teoria HumanistaTeoria Humanista
Teoria Humanista
 
Silvia generali, micheline bastianello, roberto decourt, cleber dutra, alvaro...
Silvia generali, micheline bastianello, roberto decourt, cleber dutra, alvaro...Silvia generali, micheline bastianello, roberto decourt, cleber dutra, alvaro...
Silvia generali, micheline bastianello, roberto decourt, cleber dutra, alvaro...
 
Texto 1
Texto 1Texto 1
Texto 1
 
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@sSaúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
 
_Apresentação Aprender a Transformar.pdf
_Apresentação Aprender a Transformar.pdf_Apresentação Aprender a Transformar.pdf
_Apresentação Aprender a Transformar.pdf
 
Competencias socioemocionais--nova-escola
Competencias socioemocionais--nova-escolaCompetencias socioemocionais--nova-escola
Competencias socioemocionais--nova-escola
 
Cartilha saudementalna escola
Cartilha saudementalna escolaCartilha saudementalna escola
Cartilha saudementalna escola
 
Para ler quando tiver vontade... (2)
Para ler quando tiver vontade... (2)Para ler quando tiver vontade... (2)
Para ler quando tiver vontade... (2)
 
2ª oficina - Escola e família fortalecendo vínculos.
2ª oficina - Escola e família fortalecendo vínculos.2ª oficina - Escola e família fortalecendo vínculos.
2ª oficina - Escola e família fortalecendo vínculos.
 
Questões comentadas
Questões comentadasQuestões comentadas
Questões comentadas
 
carl-rogers-psicoterapia-e-consulta-psicolc3b3gica_transcrito.pdf
carl-rogers-psicoterapia-e-consulta-psicolc3b3gica_transcrito.pdfcarl-rogers-psicoterapia-e-consulta-psicolc3b3gica_transcrito.pdf
carl-rogers-psicoterapia-e-consulta-psicolc3b3gica_transcrito.pdf
 
Feedback diagnostico instrugen_2016_2
Feedback diagnostico instrugen_2016_2Feedback diagnostico instrugen_2016_2
Feedback diagnostico instrugen_2016_2
 
Teoria humanista
Teoria humanistaTeoria humanista
Teoria humanista
 

Mais de Micas Cullen

15 - Bowlby e o estudo de vinculação mae-bebe ou progenitor
15 - Bowlby e o estudo de vinculação mae-bebe ou progenitor15 - Bowlby e o estudo de vinculação mae-bebe ou progenitor
15 - Bowlby e o estudo de vinculação mae-bebe ou progenitorMicas Cullen
 
14 - Comportamentos atípicos em bebés
14 - Comportamentos atípicos em bebés14 - Comportamentos atípicos em bebés
14 - Comportamentos atípicos em bebésMicas Cullen
 
13 - O desenvolvimento - piaget
13 - O desenvolvimento - piaget13 - O desenvolvimento - piaget
13 - O desenvolvimento - piagetMicas Cullen
 
12 - Gestação e personalidade
12 - Gestação e personalidade12 - Gestação e personalidade
12 - Gestação e personalidadeMicas Cullen
 
11 - Psic.desenvolvimento - síntese
11 - Psic.desenvolvimento - síntese11 - Psic.desenvolvimento - síntese
11 - Psic.desenvolvimento - sínteseMicas Cullen
 
10 - Relato criança selvagem
10 - Relato criança selvagem10 - Relato criança selvagem
10 - Relato criança selvagemMicas Cullen
 
9 doc.16 a - a relação mãe-bebé
9   doc.16 a - a relação mãe-bebé9   doc.16 a - a relação mãe-bebé
9 doc.16 a - a relação mãe-bebéMicas Cullen
 
7 erikson e o desenvolvimento psicossocial
7   erikson e o desenvolvimento psicossocial7   erikson e o desenvolvimento psicossocial
7 erikson e o desenvolvimento psicossocialMicas Cullen
 
5 a afectividade entre mãe e bebé
5   a afectividade entre mãe e bebé5   a afectividade entre mãe e bebé
5 a afectividade entre mãe e bebéMicas Cullen
 
4 o desenvolvimento infantil e adolescente
4   o desenvolvimento infantil e adolescente4   o desenvolvimento infantil e adolescente
4 o desenvolvimento infantil e adolescenteMicas Cullen
 
3 desenvolvimento atipico
3   desenvolvimento atipico3   desenvolvimento atipico
3 desenvolvimento atipicoMicas Cullen
 
2 crianças sobredotadas
2   crianças sobredotadas2   crianças sobredotadas
2 crianças sobredotadasMicas Cullen
 
1 o inato e o adquirido as crianças selvagens
1   o inato e o adquirido as crianças selvagens1   o inato e o adquirido as crianças selvagens
1 o inato e o adquirido as crianças selvagensMicas Cullen
 

Mais de Micas Cullen (20)

Aptidões sociais
Aptidões sociaisAptidões sociais
Aptidões sociais
 
Assertividade
AssertividadeAssertividade
Assertividade
 
Infância
InfânciaInfância
Infância
 
Adultos
AdultosAdultos
Adultos
 
Idosos
IdososIdosos
Idosos
 
Adolescência
AdolescênciaAdolescência
Adolescência
 
15 - Bowlby e o estudo de vinculação mae-bebe ou progenitor
15 - Bowlby e o estudo de vinculação mae-bebe ou progenitor15 - Bowlby e o estudo de vinculação mae-bebe ou progenitor
15 - Bowlby e o estudo de vinculação mae-bebe ou progenitor
 
14 - Comportamentos atípicos em bebés
14 - Comportamentos atípicos em bebés14 - Comportamentos atípicos em bebés
14 - Comportamentos atípicos em bebés
 
13 - O desenvolvimento - piaget
13 - O desenvolvimento - piaget13 - O desenvolvimento - piaget
13 - O desenvolvimento - piaget
 
12 - Gestação e personalidade
12 - Gestação e personalidade12 - Gestação e personalidade
12 - Gestação e personalidade
 
11 - Psic.desenvolvimento - síntese
11 - Psic.desenvolvimento - síntese11 - Psic.desenvolvimento - síntese
11 - Psic.desenvolvimento - síntese
 
10 - Relato criança selvagem
10 - Relato criança selvagem10 - Relato criança selvagem
10 - Relato criança selvagem
 
9 doc.16 a - a relação mãe-bebé
9   doc.16 a - a relação mãe-bebé9   doc.16 a - a relação mãe-bebé
9 doc.16 a - a relação mãe-bebé
 
8 adolescente
8   adolescente8   adolescente
8 adolescente
 
7 erikson e o desenvolvimento psicossocial
7   erikson e o desenvolvimento psicossocial7   erikson e o desenvolvimento psicossocial
7 erikson e o desenvolvimento psicossocial
 
5 a afectividade entre mãe e bebé
5   a afectividade entre mãe e bebé5   a afectividade entre mãe e bebé
5 a afectividade entre mãe e bebé
 
4 o desenvolvimento infantil e adolescente
4   o desenvolvimento infantil e adolescente4   o desenvolvimento infantil e adolescente
4 o desenvolvimento infantil e adolescente
 
3 desenvolvimento atipico
3   desenvolvimento atipico3   desenvolvimento atipico
3 desenvolvimento atipico
 
2 crianças sobredotadas
2   crianças sobredotadas2   crianças sobredotadas
2 crianças sobredotadas
 
1 o inato e o adquirido as crianças selvagens
1   o inato e o adquirido as crianças selvagens1   o inato e o adquirido as crianças selvagens
1 o inato e o adquirido as crianças selvagens
 

Conhecer Psicologia através de casos reveladores

  • 1. Vamos conhecer a disciplina de Psicologia? Quando iniciamos uma nova disciplina, trazemos para a sala de aula algumas ideias e expectativas sobre ela. Isso é ainda mais visível no caso da Psicologia, porque diz respeito a todos nós como seres humanos e já ouvimos falar dela muitas vezes. No entanto, isso não significa que saibamos, verdadeiramente, o que ela é, quais são as matérias que vamos aprender ou as competências que vamos desenvolver. As nossas expectativas podem, portanto, estar erradas. Vamos fazer uma pequena viagem geral pelo programa para ficarmos com uma ideia, ainda que difusa, do que vamos aprender e da relação das matérias entre si. Vamos então partir das suas ideias e expectativas para começar esta «visita», lendo a narrativa de duas experiências escolares: Caso 1: Num estudo revelador observou-se um grupo de alunos poucos dias depois de terem recebido as notas. Como todos sem dúvida recordamos, as notas escolares são uma das grandes fontes de alegria e desespero. Mas os investigadores destacam a grande importância na forma como os jovens encaram a sua responsabilidade, ao receberem uma nota mais baixa do que esperavam. Aqueles que vêem a nota baixa como consequência de uma falha pessoal ("Sou estúpido") sentem-se mais deprimidos do que aqueles que explicam a má nota em termos de qualquer coisa que podem modificar ("Se me aplicar mais nos trabalhos de casa de Matemática, posso conseguir uma nota melhor"). Caso 2: Os investigadores identificaram um grupo de alunos que os colegas rejeitavam e verificaram quais os que continuavam a sê-lo nas novas turmas em que eram integrados no ano seguinte. O modo como os jovens explicavam a si mesmos a rejeição parecia ser crucial para determinar se ficavam ou não deprimidos. Aqueles que viam a rejeição como provocada por qualquer coisa de errado neles próprios, ficavam mais deprimidos. Mas os optimistas, os que sentiam que podiam fazer qualquer coisa para melhorar a situação, não ficavam particularmente deprimidos, apesar de a rejeição se manter. (...) As boas notícias: tudo parece indicar que ensinar maneiras mais produtivas de encarar as dificuldades baixa o risco de depressão. Daniel Goleman (1996), Inteligência Emocional (adaptado) Debate, com os colegas da turma, as seguintes questões: 1
  • 2. Este «estudo revelador» (caso 1) terá sido feito por psicólogos? Justifica. • Também vês as más notas como resultado de uma falha pessoal? Ou consideras que são resultado de factores que podes modificar? Consideras as dificuldades de integração na turma como resultado de uma falha pessoal? Ou consideras que são resultado de factores que podes modificar? Como podes verificar, a Psicologia é uma ciência preocupada com o Homem na sua relação consigo próprio, com os outros e com o mundo. Neste sentido, ela procura investigar diversas áreas que permitem, por um lado, explicar e compreender melhor o comportamento humano e, por outro, pôr em prática esse saber de forma a melhorar o desenvolvimento e a qualidade de vida dos indivíduos e das populações. No teu caso, que pretendes ser um profissional ou um técnico e que vais desenvolver funções de apoio, de dinamização e de organização, a Psicologia permitir-te-á desenvolver um conjunto de saberes, atitudes e competências necessárias ao trabalho com grupos de indivíduos, com organizações e com comunidades. Além disso, poderás conhecer-te melhor a ti próprio, compreender os teus comportamentos e as tuas reacções e identificar os fundamentos desses comportamentos. De facto, o conhecimento de nós próprios e a capacidade de compreender os outros estão intimamente relacionados. 2