SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Messias Miranda JuniorMessias Miranda Junior
Vitaminas e Coenzimas
Messias.miranda@yahoo.com.brMessias.miranda@yahoo.com.br
Unidade Itapetininga - SP
FUNÇÃO COENZIMÁTICA
DEFINIÇÃO
Moléculas orgânicas essenciais para o desenvolvimento e
manutenção dos organismos, mas que diferentemente de
carboidratos, lipídios e proteínas, não apresentam função
estrutural e energética.
CONSUMO DE VITAMINAS
BAIXO CONSUMO ELEVADO CONSUMO
AVITAMINOSE HIPERVITAMINOSE
HIDROSSOLÚVEIS
Não são armazenadas no organismo e são solúveis em água, portanto:
• Ingestão diária;
• Eliminação do excesso pela urina.
•B1 – Tiamina
•B2 – Riboflavina
•B3 – Niacina – Nicotinamida
•B5 – Ácido Pantotênico
•B6 – Piridoxal – Piridoxamina
•B7 – Biotina
•B9– Ácido Fólico
•B12 – Cobalamina
•C – Ácido Ascórbico
LIPOSSOLÚVEIS
Armazenamento de vitamina A no fígado;
Vitamina D e E  no tecido adiposo e muscular
Vitamina K não é armazenada.
•A – Retinol
•D – Calciferol
•E – Tocoferol
•K - Filoquinonas
RECOMENDAÇÃO DIÁRIA
B1: Tiamina
Estrutura química
Fonte: cereais integrais, fígado, carne de porco, levedura,
laticínios e legumes
B1 (tiamina)
α-cetoglutarato Succinil-CoA
Exemplo: no ciclo de Krebs
são coenzimas do complexo da
α-cetoglutarato desidrogenase
na oxidação do α-
cetoglutarato a succinil-CoA
α-cetoglutarato
desidrogenase (um
complexo de três enzimas)
Cofactores:Cofactores:
- TPP (tiamina pirofosfato,- TPP (tiamina pirofosfato,
derivado da vit. B1)derivado da vit. B1)
-FAD-FAD
- Lipoato- Lipoato
B2: Riboflavina
Estrutura química
Flavina mononucleotídio
B2: Riboflavina
Succinato
Succinato
desidrogenase
Fumarato
Exemplo: no ciclo de Krebs é coenzima da succinato
desidrogenase na oxidação do succinato a fumarato. Em termos
gerais é uma coenzima necessária em reações de óxido-redução
Fonte: leite, ovos e fígado
B3: Niacina
Estrutura química
H
B3: Niacina
Malato
Malato
desidrogenase
Oxaloacetato
Exemplo: no ciclo de Krebs na oxidação do malato a
oxaloacetato. Em termos gerais é uma coenzima necessária em
reações de óxido-redução
Fonte: cereais integrais, carne, pescado e o aminoácido triptofano
B5: Ácido pantotênico
Fonte: presente na maioria dos alimentos. Ovos, fígado e leveduras
são boas fontes
B5: Ácido
pantotênico
B5: Ácido pantotênico
Succinil-CoA
Exemplo: no ciclo de Krebs na oxidação do α-cetoglutarato a succinil-
CoA
α-cetoglutarato
desidrogenase (um
complexo de três enzimas)
B6: Piridoxina
Fonte: cereais integrais (trigo ou milho), carne, pescado e aves
B6: Piridoxina
O piridoxal fosfato é uma
coenzima requerida pela
glicogênio fosforilase na
degradação do glicogênio
B7: Biotina
Passo limitante da velocidade da síntese de
ácidos graxos: formação de malonil-CoA a partir
de acetil-CoA, reação catalisada pela Acetil-CoA
carboxilase
O
ll
CCH3- -SCoA
Acetil-CoA (2C)
O
ll
C-CH2-C
O
ll
-SCoA
Malonil-CoA (3C)
ATP
ADP + Pi
CO2
Como coenzima da Acetil-Coa carboxilase, enzima
chave na síntese de ácidos graxos
Fonte: presente na maioria dos alimentos, em especial gema de ovo,
leveduras e nozes
B9: Ácido fólico
Fonte: vegetais verdes, fígado, cereais integrais
• Síntese de nucleotídeos;
• Previne quadros anêmicos.
B12: Cobalamina
Fonte: somente fontes animais como fígado, carne, laticínios.
Vegetarianos estritos estão em perigo de déficit
B12: Cobalamina
CH3
CH2
C
OCoA-S CoA-S O
C
CH
CH3
C
HO
O
O
HO
C CH2
CH2
C
O
CoA-S
ATP ADP
CO2
biotinabiotina
Propionil-CoAPropionil-CoA
carboxilasecarboxilase
Propionil-CoAPropionil-CoA
MetilMetil
malonil-CoAmalonil-CoA
Succinil-CoASuccinil-CoA
Coenzima BCoenzima B1212
Metil malonil-Metil malonil-
CoA mutaseCoA mutase
Age como coenzima da metil malonil-CoA mutase, uma enzima envolvida
na β-oxidação de ácidos graxos impares. Sua deficiência produz um
acúmulo deste tipo de ácidos graxos.
C: Ácido ascórbico
Fonte: cítricos, tomate e vegetais verdes
No transcurso da síntese de
colágeno, o ascorbato serve como
cofator na formação de
hidroxiprolina e hidroxilisina
Vitamina A (Retinol)
Importante: ossos, cabelo
saudável, ajuda no crescimento,
indispensável para a visão e olfato.
Carência: Xeroftalmia 
cegueira total por ressecamento da
córnea ; cegueira noturna; pele seca e
escamosa; diminuição da resistência a
infecções.
FONTE: gema de ovo, leite,
manteiga, cenoura, tomate
Vitamina D (Calciferol)
Importante: manter o nível do
cálcio no sangue e para a saúde dos ossos.
Hipovitaminose = Raquitismo
em crianças e desmineralização nos
adultos e osteoporose nos idosos.
Fontes: Leite, ovos, peixes
(bacalhau, atum, sardinha) e
exposição ao SOL
Importância: antioxidante.
Ajuda no bom funcionamento do
tecido muscular, formação de
células sexuais e células sanguíneas.
Carência: nos humanos é
rara. Foi visto esterilidade em
ratos, distrofia muscular, anemia
em macacos.
Vitamina E (Tocoferol)
Fontes: aveia, amendoim, cevada,
milho, trigo, ervilha, soja, ovos.
Importância: síntese da
protombina e de várias proteínas
relacionadas com a coagulação do
sangue
Conhecida como vitamina
anti-hemorrágica.
Carência:
Enfraquecimento do processo de
coagulação sanguínea, levando à
hemorragia.
Principais fontes: vegetais
folhosos: alface, couve, espinafre,
repolho, acelga etc.
Vitamina K (Filoquinona)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

II. 2 Carboidratos, lipídios e proteínas
II. 2 Carboidratos, lipídios e proteínasII. 2 Carboidratos, lipídios e proteínas
II. 2 Carboidratos, lipídios e proteínasRebeca Vale
 
Proteínas
ProteínasProteínas
Proteínasemanuel
 
Lipídios
LipídiosLipídios
Lipídiosemanuel
 
Fermentação e Respiração
Fermentação e RespiraçãoFermentação e Respiração
Fermentação e Respiraçãoemanuel
 
Sistema excretor
Sistema excretorSistema excretor
Sistema excretoremanuel
 
Aula RESPIRAÇÃO CELULAR
Aula RESPIRAÇÃO CELULARAula RESPIRAÇÃO CELULAR
Aula RESPIRAÇÃO CELULARMARCIAMP
 
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia HumanaFisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia HumanaHerbert Santana
 
Carboidratos slideshare
Carboidratos   slideshareCarboidratos   slideshare
Carboidratos slideshareSid Siqueira
 
Respiração celular e fermentação
Respiração celular e fermentaçãoRespiração celular e fermentação
Respiração celular e fermentaçãoProfessora Raquel
 
Homeostase e integração
Homeostase e integraçãoHomeostase e integração
Homeostase e integraçãoCaio Maximino
 
vitaminas
vitaminas vitaminas
vitaminas divadias
 

Mais procurados (20)

Aula de gametogenese
Aula de gametogeneseAula de gametogenese
Aula de gametogenese
 
II. 2 Carboidratos, lipídios e proteínas
II. 2 Carboidratos, lipídios e proteínasII. 2 Carboidratos, lipídios e proteínas
II. 2 Carboidratos, lipídios e proteínas
 
ÁGUA E SAIS MINERAIS
ÁGUA E SAIS MINERAISÁGUA E SAIS MINERAIS
ÁGUA E SAIS MINERAIS
 
Proteínas
ProteínasProteínas
Proteínas
 
Lipídios
LipídiosLipídios
Lipídios
 
Lipidios
Lipidios Lipidios
Lipidios
 
Fermentação e Respiração
Fermentação e RespiraçãoFermentação e Respiração
Fermentação e Respiração
 
Introducao metabolismo
Introducao metabolismoIntroducao metabolismo
Introducao metabolismo
 
Aula Proteinas
Aula ProteinasAula Proteinas
Aula Proteinas
 
Bioenergética
BioenergéticaBioenergética
Bioenergética
 
Sistema excretor
Sistema excretorSistema excretor
Sistema excretor
 
Aula RESPIRAÇÃO CELULAR
Aula RESPIRAÇÃO CELULARAula RESPIRAÇÃO CELULAR
Aula RESPIRAÇÃO CELULAR
 
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia HumanaFisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
Fisiologia Humana 1 - Introdução à Fisiologia Humana
 
Carboidratos slideshare
Carboidratos   slideshareCarboidratos   slideshare
Carboidratos slideshare
 
Bioquimica das proteínas
Bioquimica das proteínasBioquimica das proteínas
Bioquimica das proteínas
 
Replicação do DNA
Replicação do DNAReplicação do DNA
Replicação do DNA
 
Respiração celular e fermentação
Respiração celular e fermentaçãoRespiração celular e fermentação
Respiração celular e fermentação
 
Homeostase e integração
Homeostase e integraçãoHomeostase e integração
Homeostase e integração
 
vitaminas
vitaminas vitaminas
vitaminas
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
 

Semelhante a Vitaminas e coenzimas

Semelhante a Vitaminas e coenzimas (20)

VITAMINAS.ppt
VITAMINAS.pptVITAMINAS.ppt
VITAMINAS.ppt
 
Vitaminas.pptx
Vitaminas.pptxVitaminas.pptx
Vitaminas.pptx
 
Aula - vitaminas.pdf
Aula - vitaminas.pdfAula - vitaminas.pdf
Aula - vitaminas.pdf
 
Bromatologia Vitaminas
Bromatologia VitaminasBromatologia Vitaminas
Bromatologia Vitaminas
 
Vitaminas (1)
Vitaminas (1)Vitaminas (1)
Vitaminas (1)
 
Vitaminas perdas no processamento
Vitaminas perdas no processamentoVitaminas perdas no processamento
Vitaminas perdas no processamento
 
Vitaminas
VitaminasVitaminas
Vitaminas
 
slide44466666.pptx
slide44466666.pptxslide44466666.pptx
slide44466666.pptx
 
Nutrição e dietética.pptx
Nutrição e dietética.pptxNutrição e dietética.pptx
Nutrição e dietética.pptx
 
Citologia bioquímica celular
Citologia   bioquímica celularCitologia   bioquímica celular
Citologia bioquímica celular
 
Nra aula 3. micronutrientes + radicais livres
Nra   aula 3. micronutrientes + radicais livresNra   aula 3. micronutrientes + radicais livres
Nra aula 3. micronutrientes + radicais livres
 
Vitaminas Complexo B, zinco e sódio
Vitaminas Complexo B, zinco e sódioVitaminas Complexo B, zinco e sódio
Vitaminas Complexo B, zinco e sódio
 
Micronutrientes
MicronutrientesMicronutrientes
Micronutrientes
 
Vitaminas 2
Vitaminas 2Vitaminas 2
Vitaminas 2
 
Vitaminas
VitaminasVitaminas
Vitaminas
 
Vitaminas
VitaminasVitaminas
Vitaminas
 
Trabalho bioquímica
Trabalho bioquímicaTrabalho bioquímica
Trabalho bioquímica
 
aula-14-sais-minerais-e-vitaminas.ppt
aula-14-sais-minerais-e-vitaminas.pptaula-14-sais-minerais-e-vitaminas.ppt
aula-14-sais-minerais-e-vitaminas.ppt
 
VITAMINAS
VITAMINASVITAMINAS
VITAMINAS
 
1 colegial-3-bimestre-2009
1 colegial-3-bimestre-20091 colegial-3-bimestre-2009
1 colegial-3-bimestre-2009
 

Mais de Messias Miranda

Receptores de antígenos e moléculas acessórias dos linfócitos t
Receptores de antígenos e moléculas acessórias dos linfócitos tReceptores de antígenos e moléculas acessórias dos linfócitos t
Receptores de antígenos e moléculas acessórias dos linfócitos tMessias Miranda
 
Processamento e apresentação de antígenos
Processamento e apresentação de antígenosProcessamento e apresentação de antígenos
Processamento e apresentação de antígenosMessias Miranda
 
Introdução à imunologia
Introdução à imunologiaIntrodução à imunologia
Introdução à imunologiaMessias Miranda
 
Interpretação do hemograma
Interpretação do hemogramaInterpretação do hemograma
Interpretação do hemogramaMessias Miranda
 
Imunologia do transplante
Imunologia do transplanteImunologia do transplante
Imunologia do transplanteMessias Miranda
 
Imunidade ativa e passiva
Imunidade ativa e passivaImunidade ativa e passiva
Imunidade ativa e passivaMessias Miranda
 
Continuação imunidade inata e adaptativa
Continuação imunidade inata e adaptativaContinuação imunidade inata e adaptativa
Continuação imunidade inata e adaptativaMessias Miranda
 
Desenvolvimento dos linfócitos e imunidade humoral
Desenvolvimento dos linfócitos e imunidade humoralDesenvolvimento dos linfócitos e imunidade humoral
Desenvolvimento dos linfócitos e imunidade humoralMessias Miranda
 
Metabolismo de aminoácidos fsp
Metabolismo de aminoácidos fspMetabolismo de aminoácidos fsp
Metabolismo de aminoácidos fspMessias Miranda
 
Metabolismo de lipídeos fsp
Metabolismo de lipídeos fspMetabolismo de lipídeos fsp
Metabolismo de lipídeos fspMessias Miranda
 
Introdução ao metabolismo fsp
Introdução ao metabolismo fspIntrodução ao metabolismo fsp
Introdução ao metabolismo fspMessias Miranda
 
Ciclo do ácido cítrico
Ciclo do ácido cítricoCiclo do ácido cítrico
Ciclo do ácido cítricoMessias Miranda
 
Fermentação alcoólica e lática, gliconeogênese, glicogênese e glicogenólise fsp
Fermentação alcoólica e lática, gliconeogênese, glicogênese e glicogenólise fspFermentação alcoólica e lática, gliconeogênese, glicogênese e glicogenólise fsp
Fermentação alcoólica e lática, gliconeogênese, glicogênese e glicogenólise fspMessias Miranda
 
Metabolismo de Carboidratos - Via Glicolítica
Metabolismo de Carboidratos - Via GlicolíticaMetabolismo de Carboidratos - Via Glicolítica
Metabolismo de Carboidratos - Via GlicolíticaMessias Miranda
 
Aminoácidos, peptídeos e proteínas
Aminoácidos, peptídeos e proteínasAminoácidos, peptídeos e proteínas
Aminoácidos, peptídeos e proteínasMessias Miranda
 

Mais de Messias Miranda (20)

Receptores de antígenos e moléculas acessórias dos linfócitos t
Receptores de antígenos e moléculas acessórias dos linfócitos tReceptores de antígenos e moléculas acessórias dos linfócitos t
Receptores de antígenos e moléculas acessórias dos linfócitos t
 
Processamento e apresentação de antígenos
Processamento e apresentação de antígenosProcessamento e apresentação de antígenos
Processamento e apresentação de antígenos
 
Introdução à imunologia
Introdução à imunologiaIntrodução à imunologia
Introdução à imunologia
 
Interpretação do hemograma
Interpretação do hemogramaInterpretação do hemograma
Interpretação do hemograma
 
Imunologia do transplante
Imunologia do transplanteImunologia do transplante
Imunologia do transplante
 
Imunidade ativa e passiva
Imunidade ativa e passivaImunidade ativa e passiva
Imunidade ativa e passiva
 
Continuação imunidade inata e adaptativa
Continuação imunidade inata e adaptativaContinuação imunidade inata e adaptativa
Continuação imunidade inata e adaptativa
 
Imunidade celular
Imunidade celularImunidade celular
Imunidade celular
 
Desenvolvimento dos linfócitos e imunidade humoral
Desenvolvimento dos linfócitos e imunidade humoralDesenvolvimento dos linfócitos e imunidade humoral
Desenvolvimento dos linfócitos e imunidade humoral
 
Anticorpos
AnticorposAnticorpos
Anticorpos
 
Metabolismo de aminoácidos fsp
Metabolismo de aminoácidos fspMetabolismo de aminoácidos fsp
Metabolismo de aminoácidos fsp
 
Metabolismo de lipídeos fsp
Metabolismo de lipídeos fspMetabolismo de lipídeos fsp
Metabolismo de lipídeos fsp
 
Lipídeos fsp
Lipídeos fspLipídeos fsp
Lipídeos fsp
 
Introdução ao metabolismo fsp
Introdução ao metabolismo fspIntrodução ao metabolismo fsp
Introdução ao metabolismo fsp
 
Ciclo do ácido cítrico
Ciclo do ácido cítricoCiclo do ácido cítrico
Ciclo do ácido cítrico
 
Fermentação alcoólica e lática, gliconeogênese, glicogênese e glicogenólise fsp
Fermentação alcoólica e lática, gliconeogênese, glicogênese e glicogenólise fspFermentação alcoólica e lática, gliconeogênese, glicogênese e glicogenólise fsp
Fermentação alcoólica e lática, gliconeogênese, glicogênese e glicogenólise fsp
 
Metabolismo de Carboidratos - Via Glicolítica
Metabolismo de Carboidratos - Via GlicolíticaMetabolismo de Carboidratos - Via Glicolítica
Metabolismo de Carboidratos - Via Glicolítica
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Enzimas
EnzimasEnzimas
Enzimas
 
Aminoácidos, peptídeos e proteínas
Aminoácidos, peptídeos e proteínasAminoácidos, peptídeos e proteínas
Aminoácidos, peptídeos e proteínas
 

Último

Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisbertoadelinofelisberto3
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdfHELLEN CRISTINA
 
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfivana Sobrenome
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfHELLEN CRISTINA
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfHELLEN CRISTINA
 
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosCaracterísticas gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosThaiseGerber2
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................paulo222341
 

Último (8)

Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
 
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosCaracterísticas gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
 

Vitaminas e coenzimas

  • 1. Messias Miranda JuniorMessias Miranda Junior Vitaminas e Coenzimas Messias.miranda@yahoo.com.brMessias.miranda@yahoo.com.br Unidade Itapetininga - SP
  • 3. DEFINIÇÃO Moléculas orgânicas essenciais para o desenvolvimento e manutenção dos organismos, mas que diferentemente de carboidratos, lipídios e proteínas, não apresentam função estrutural e energética.
  • 4. CONSUMO DE VITAMINAS BAIXO CONSUMO ELEVADO CONSUMO AVITAMINOSE HIPERVITAMINOSE
  • 5. HIDROSSOLÚVEIS Não são armazenadas no organismo e são solúveis em água, portanto: • Ingestão diária; • Eliminação do excesso pela urina. •B1 – Tiamina •B2 – Riboflavina •B3 – Niacina – Nicotinamida •B5 – Ácido Pantotênico •B6 – Piridoxal – Piridoxamina •B7 – Biotina •B9– Ácido Fólico •B12 – Cobalamina •C – Ácido Ascórbico
  • 6. LIPOSSOLÚVEIS Armazenamento de vitamina A no fígado; Vitamina D e E  no tecido adiposo e muscular Vitamina K não é armazenada. •A – Retinol •D – Calciferol •E – Tocoferol •K - Filoquinonas
  • 8. B1: Tiamina Estrutura química Fonte: cereais integrais, fígado, carne de porco, levedura, laticínios e legumes
  • 10. α-cetoglutarato Succinil-CoA Exemplo: no ciclo de Krebs são coenzimas do complexo da α-cetoglutarato desidrogenase na oxidação do α- cetoglutarato a succinil-CoA α-cetoglutarato desidrogenase (um complexo de três enzimas) Cofactores:Cofactores: - TPP (tiamina pirofosfato,- TPP (tiamina pirofosfato, derivado da vit. B1)derivado da vit. B1) -FAD-FAD - Lipoato- Lipoato
  • 12. B2: Riboflavina Succinato Succinato desidrogenase Fumarato Exemplo: no ciclo de Krebs é coenzima da succinato desidrogenase na oxidação do succinato a fumarato. Em termos gerais é uma coenzima necessária em reações de óxido-redução Fonte: leite, ovos e fígado
  • 14. B3: Niacina Malato Malato desidrogenase Oxaloacetato Exemplo: no ciclo de Krebs na oxidação do malato a oxaloacetato. Em termos gerais é uma coenzima necessária em reações de óxido-redução Fonte: cereais integrais, carne, pescado e o aminoácido triptofano
  • 15. B5: Ácido pantotênico Fonte: presente na maioria dos alimentos. Ovos, fígado e leveduras são boas fontes
  • 17. B5: Ácido pantotênico Succinil-CoA Exemplo: no ciclo de Krebs na oxidação do α-cetoglutarato a succinil- CoA α-cetoglutarato desidrogenase (um complexo de três enzimas)
  • 18. B6: Piridoxina Fonte: cereais integrais (trigo ou milho), carne, pescado e aves
  • 19. B6: Piridoxina O piridoxal fosfato é uma coenzima requerida pela glicogênio fosforilase na degradação do glicogênio
  • 20. B7: Biotina Passo limitante da velocidade da síntese de ácidos graxos: formação de malonil-CoA a partir de acetil-CoA, reação catalisada pela Acetil-CoA carboxilase O ll CCH3- -SCoA Acetil-CoA (2C) O ll C-CH2-C O ll -SCoA Malonil-CoA (3C) ATP ADP + Pi CO2 Como coenzima da Acetil-Coa carboxilase, enzima chave na síntese de ácidos graxos Fonte: presente na maioria dos alimentos, em especial gema de ovo, leveduras e nozes
  • 21. B9: Ácido fólico Fonte: vegetais verdes, fígado, cereais integrais • Síntese de nucleotídeos; • Previne quadros anêmicos.
  • 22. B12: Cobalamina Fonte: somente fontes animais como fígado, carne, laticínios. Vegetarianos estritos estão em perigo de déficit
  • 23. B12: Cobalamina CH3 CH2 C OCoA-S CoA-S O C CH CH3 C HO O O HO C CH2 CH2 C O CoA-S ATP ADP CO2 biotinabiotina Propionil-CoAPropionil-CoA carboxilasecarboxilase Propionil-CoAPropionil-CoA MetilMetil malonil-CoAmalonil-CoA Succinil-CoASuccinil-CoA Coenzima BCoenzima B1212 Metil malonil-Metil malonil- CoA mutaseCoA mutase Age como coenzima da metil malonil-CoA mutase, uma enzima envolvida na β-oxidação de ácidos graxos impares. Sua deficiência produz um acúmulo deste tipo de ácidos graxos.
  • 24. C: Ácido ascórbico Fonte: cítricos, tomate e vegetais verdes
  • 25. No transcurso da síntese de colágeno, o ascorbato serve como cofator na formação de hidroxiprolina e hidroxilisina
  • 26. Vitamina A (Retinol) Importante: ossos, cabelo saudável, ajuda no crescimento, indispensável para a visão e olfato. Carência: Xeroftalmia  cegueira total por ressecamento da córnea ; cegueira noturna; pele seca e escamosa; diminuição da resistência a infecções. FONTE: gema de ovo, leite, manteiga, cenoura, tomate
  • 27. Vitamina D (Calciferol) Importante: manter o nível do cálcio no sangue e para a saúde dos ossos. Hipovitaminose = Raquitismo em crianças e desmineralização nos adultos e osteoporose nos idosos. Fontes: Leite, ovos, peixes (bacalhau, atum, sardinha) e exposição ao SOL
  • 28. Importância: antioxidante. Ajuda no bom funcionamento do tecido muscular, formação de células sexuais e células sanguíneas. Carência: nos humanos é rara. Foi visto esterilidade em ratos, distrofia muscular, anemia em macacos. Vitamina E (Tocoferol) Fontes: aveia, amendoim, cevada, milho, trigo, ervilha, soja, ovos.
  • 29. Importância: síntese da protombina e de várias proteínas relacionadas com a coagulação do sangue Conhecida como vitamina anti-hemorrágica. Carência: Enfraquecimento do processo de coagulação sanguínea, levando à hemorragia. Principais fontes: vegetais folhosos: alface, couve, espinafre, repolho, acelga etc. Vitamina K (Filoquinona)