Pindorama saqueado

526 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
526
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pindorama saqueado

  1. 1. PINDORAMA SAQUEADO Fátima Irene Pinto   Começo esclarecendo que assuntos políticos não são exatamente a minha área e portanto os pontos de vista aqui colocados traduzem, mais ou menos, a voz de boa parte dos brasileiros ou ainda aquilo que nós temos sentido e pensado a respeito de nosso país. Antes tínhamos situação e oposição. Uma direita que se mantinha no poder e uma oposição lúcida e forte, cada vez melhor estruturada, trazendo em seu bojo elementos qualificados e preparados para pressionar, denunciar as maracutaias, forçar a direita a andar na linha e sempre disposta a passar tudo em pratos limpos.
  2. 2. Quando os brasileiros sentiram que estava na hora de mudar as coisas, e que a esquerda se mostrava mais preparada para dignificar este país, alavancá-lo, fazê-lo crescer e distinguir-se, dar fim à corrupção, promover a justiça social, não tivemos dúvida! Nossos votos colocaram no Palácio do Planalto a poderosa esquerda denominada PT - Partido dos Trabalhadores, cujo líder era um operário modesto mas pertinaz, cercado de pessoas preparadas. Todos imbuídos do mesmo ideal: um Brasil melhor e mais justo para todos, um Brasil sem podridão, um Brasil sem humilhação e sem constrangimentos perante o poderio dos países de primeiro mundo, para os quais sempre fomos - enquanto povo - a escória, o terreiro sujo e mal cheiroso apesar das imensas riquezas e belezas naturais exploradas e saqueadas desde sempre.
  3. 3. Eu mesma optei pela esquerda e torci ardentemente pela vitória do PT. Sonhei como todos sonharam. Acreditei como todos acreditaram. Hoje não temos nem direita nem esquerda -  aliás não temos rumo - e, apoplexiados, temos assistido ao desmoronamento de todos os nossos ideais e sentimentos de nacionalidade ou patriotismo. Quando o Roberto Jefferson abriu aquela boca para a imprensa  (nunca mais vou me esquecer desse dia) e a realidade veio à tona, eu e qualquer brasileiro/a decente, com um mínimo de princípios, fizemos em uníssono a pergunta do Carlos Drummond: e agora, José???
  4. 4. Foi tudo um tremendo engodo, uma tremenda farsa. Na verdade eu já estava com maus pressentimentos quando vi meu líder e presidente fazendo acordos com pessoas podres e abomináveis. Todos aqueles safados que deveriam ser colocados num foguete só de ída, lá no Cabo Canaveral, foram "reaproveitados" e continuam no poder, com a anuência da poderosa esquerda em quem depositamos todas as nossas esperanças.
  5. 5. O meu presidente tem feito um trabalho de Robin Hood, com a diferença que Robin Hood, tirava dos ricos para dar aos pobres. Meu presidente deixa os ricos cada vez mais ricos. Tira dos remediados para fazer esmolas aos miseráveis, e tira tão sem dó nem piedade, que em breve seremos também miseráveis. Estamos vendo o desenrolar dos fatos, sentindo os efeitos nos nossos bolsos e nas nossas vidas a cada dia .
  6. 6. Estamos confusos, em especial porque ficou um bocado difícil falar em decência e honestidade para os nossos descendentes, quando a desonestidade, a corrupção, a podridão, a impunidade se agigantaram de tal sorte que ficou banal. Banalizou geral. O exemplo vindo dos altos escalões tem servido de modelo e acabou impregnando todos os demais segmentos da sociedade brasileira. Basta assistir a um único noticiário (sim, um único) para vermos o retrato do Brasil.
  7. 7. <ul><li>Ainda assim, eu venho teimando em ensinar para os meus descendentes: </li></ul><ul><li>Honrem seus compromissos. </li></ul><ul><li>Tenham um nome sempre limpo. </li></ul><ul><li>- Não aceitem pactuar de qualquer jogada desonesta em seus empregos. </li></ul><ul><li>- Se tiverem que subir, que seja por mérito e esforço próprios. </li></ul><ul><li>Jamais dêem o famoso jeitinho e jamais pisem em alguém para subir. </li></ul><ul><li>- Os fins não justificam os meios. </li></ul><ul><li>Ensino também outros valores que talvez estejam um tanto arcaicos, tipo: </li></ul><ul><li>Sejam tementes à Deus. </li></ul><ul><li>- Honrem seu pai e sua mãe. </li></ul><ul><li>- Que a palavra de vocês tenha o valor de uma assinatura. </li></ul><ul><li>Respeitem as autoridades. Respeitem seus professores. </li></ul><ul><li>- Tratem os mais velhos com zelo especial. </li></ul>
  8. 8. Sinto-me uma espécie em extinção e não sei até quando meus descendentes poderão levar avante aquilo que lhes ensino. Receio que as coisas se afunilem de tal sorte que, se eles quiserem sobreviver, terão que &quot;atualizar&quot; esta ultrapassada cartilha que recebi de meus pais, que por sua vez receberam dos pais deles (meus avós). Hoje, a maioria dos brasileiros vai levando a vida como pode e como dá, apertando daqui, espremendo dali porque nunca a carga de impostos foi tão escorchante.
  9. 9. Ninguém mais liga para política ou para os desmandos que ocorrem nos altos (ou nem tanto) escalões, até porque ficou tão carne de vaca, tão lugar comum, que damos um chacoalhar de ombros e tocamos em frente. Hoje, para a maioria dos brasileiros, pensar em política é como soprar as caspas de um velho casaco preto. Pensando bem, acho que estou sendo injusta com as caspas, mas não encontrei algo mais insignificante para fazer a comparação.
  10. 10. Então decidi que minha pátria sou eu e meu núcleo familiar e, enquanto houver um tanto de fôlego e pulso, eu me colocarei de anteparo para proteger os meus desta correnteza pestilenta, desta absurda inversão de valores, desta corrupção sem precedentes, desta impunidade que aniquilou todas as nossas esperanças e para as quais não temos mais armas, nem mesmo a força do voto ... afinal, que diferença faria hoje votar no fulano X ou no fulanoY, no partido A ou no partido B? Este é o ponto a que chegamos.
  11. 11. Brasil é apenas um pindorama de rara beleza, administrado por um bando de safados que legislam em causa própria. Hino Nacional é apenas uma linda melodia cuja letra, há muito, tornou-se completamente incompatível com a nossa realidade. Pátria? Um sentimento que gostaríamos sinceramente de reavivar, mas para isto, só mesmo uma interferência ...   &quot;cósmica&quot;. www.mensagensvirtuais.com.br Música: Carlos Gomes - O Guarani Formatação: [email_address] www.pranos.com.br

×