O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Falando sobre tabagismo

5.145 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

Falando sobre tabagismo

  1. 2. Tabagismo é uma Doença Crônica uma Dependência Química “ Precisamos entender que o fumante não é um sujo, um viciado, um fraco de vontade, um mal educado.... Mas alguém que contraiu uma doença, uma dependência e que precisa de apoio e compreensão. É preciso ter uma postura de empatia e acolhimento”. FONTE: Dicionário da Língua Portuguesa - Aurélio Buarque de Holanda
  2. 3. <ul><li>...o fumante não é um vilão, mas uma vítima de um contexto social que fez com que ele começasse a fumar, sem ter noção da realidade dos riscos; </li></ul><ul><li>...o tabagismo é uma dependência e que o fumante muitas vezes precisa da nicotina para inibir os sintomas da síndrome de abstinência e para lidar com situações de estresse e ansiedade; </li></ul><ul><li>... o fumante precisa ser estimulado e apoiado na sua decisão de parar de fumar; </li></ul><ul><li>...a restrição do consumo de derivados do tabaco no meio ambiente facilita a cessação de fumar. </li></ul>É preciso reconhecer que:
  3. 4. <ul><li>orientando os não fumantes a abordar os fumantes com respeito e sem agressividade. </li></ul>O Programa deve ter uma postura de conciliação: <ul><li>estimulando os fumantes a respeitarem as </li></ul><ul><li>restrições para seu próprio bem estar e das </li></ul><ul><li>pessoas com quem convivem; </li></ul>
  4. 5. <ul><ul><li>O programa deve procurar envolver fumantes nas suas atividades, ter atitudes agregadoras, não conflitantes, onde predominem o bom-senso e a preocupação com o bem estar comum. </li></ul></ul>Filosofia de Atuação <ul><ul><li>O programa não tem como objetivo perseguir fumantes, e sim apoiá-los no processo de cessação de fumar, e consequentemente na preservação da saúde desses; </li></ul></ul>
  5. 6. Nicotiana tabacum <ul><li>Cigarro </li></ul><ul><li>Cigarro de Bali </li></ul><ul><li>Charuto </li></ul><ul><li>Cachimbo </li></ul><ul><li>Fumo-de-rolo </li></ul><ul><li>Rapé </li></ul>Folha do tabaco Aspirado Inalado Mascado
  6. 7. Tabagismo no mundo atual a partir de 2020 países desenvolvidos 2 milhões 3 milhões países em desenvolvimento 2 milhões 7 milhões total 4 milhões 10 milhões Estimativa de morte anuais relacionadas ao tabagismo OMS,1999
  7. 8. Fonte: OMS/1998 Quem fuma no mundo? 1,1 bilhão de pessoas são fumantes: <ul><li>800 milhões nos países em desenvolvimento </li></ul><ul><li>300 milhões nos países desenvolvidos </li></ul><ul><li>Nos países em desenvolvimento: </li></ul><ul><ul><li>48% sexo masculino </li></ul></ul><ul><ul><li>7% sexo feminino </li></ul></ul><ul><ul><li>No mundo: </li></ul></ul><ul><ul><li>47% sexo masculino </li></ul></ul><ul><ul><li>12% sexo feminino </li></ul></ul><ul><ul><li>Nos países desenvolvidos: </li></ul></ul><ul><ul><li>42% sexo masculino </li></ul></ul><ul><ul><li>24% sexo feminino </li></ul></ul>Qual a proporção de fumantes por sexo?
  8. 10. <ul><li>Charutos e cachimbos: </li></ul><ul><li>Possuem as mesmas substâncias tóxicas da fumaça do cigarro. </li></ul><ul><li>O alcatrão e o monóxido de carbono são encontrados em concentrações maiores que na fumaça do cigarro. </li></ul><ul><li>O risco de desenvolver câncer de pulmão, doenças coronarianas e pulmonares é maior em fumantes de charuto/cachimbo do que em não- fumantes. </li></ul><ul><li>Comparado com o fumante de cigarro, o fumante de cachimbo/charuto tem o risco menor de desenvolver câncer de pulmão e o risco maior para câncer de boca. </li></ul>Diferenças entre os derivados do tabaco
  9. 11. <ul><ul><li> FASE GASOSA </li></ul></ul><ul><ul><li>Monóxido de carbono, amônia, cetonas, formaldeído, acetaldeído, acroleína </li></ul></ul><ul><ul><li>FASE PARTICULADA </li></ul></ul><ul><ul><li>Alcatrão: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Arsênio, polônio 210, carbono 14, agrotóxicos, níquel, chumbo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Benzopireno, cádmio,dibenzoacridina </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>e outras substâncias </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Nicotina </li></ul></ul>
  10. 12. <ul><li>Nicotina: </li></ul><ul><li>Diminui o calibre dos vasos sangüíneos </li></ul><ul><li>Aumenta o ritmo cardíaco </li></ul><ul><li>Aumenta a pressão arterial </li></ul><ul><li>Aumenta a adesividade plaquetária </li></ul><ul><li>Aumenta o depósito de colesterol </li></ul><ul><li>Aumenta a força das contrações cardíacas </li></ul><ul><li>Aterosclerose ( CO e Nicotina) </li></ul>Substâncias dos derivados do tabaco
  11. 13. <ul><li>Cotinina: </li></ul><ul><li>Principal metabólito da nicotina </li></ul><ul><li>Tem meia vida de 18-36 horas </li></ul><ul><li>Específico do tabaco </li></ul><ul><li>Pode ser detectada na urina, sangue e saliva </li></ul><ul><li>2 ou 3 dias após a exposição à nicotina </li></ul><ul><li>Níveis em não-fumantes que convivem com fumantes é de mais de 40 cigarros por dia, sendo idêntico ao de fumantes de 3 cigarros por dia. </li></ul>Substâncias dos derivados do tabaco
  12. 14. <ul><li>Doença coronariana (25%) </li></ul><ul><ul><li>Angina e infarto do miocárdio </li></ul></ul><ul><li>D.P.O.C. (85%) </li></ul><ul><ul><li>Bronquite e enfisema </li></ul></ul><ul><li>Câncer (30%) </li></ul><ul><ul><li>Pulmão, boca, laringe, faringe, esôfago, pâncreas, rim, bexiga e colo de útero, estômago e fígado </li></ul></ul><ul><li>Doença cerebrovascular (25%) </li></ul><ul><ul><li>Derrame cerebral (AVC) </li></ul></ul><ul><li>Outras doenças associadas ao tabagismo </li></ul><ul><ul><li>Aterosclerose, tromboangeíte obliterante, hipertensão arterial, infecções respiratórias, leucemia, catarata, menopausa precoce, disfunção erétil, úlcera péptica. </li></ul></ul>
  13. 15. Incidência de doença coronariana/1.000 hab. Nenhum Cigarro Cigarro +1 fator Cigarro +2 fatores Fatores considerados 0 50 100 150 200
  14. 16. Aborto espontâneo 1,7 Prematuridade Recém-nascido de baixo peso Morte perinatal 1,0 Fumantes Não-fumantes 1,0 1,0 1,0 1,4 1,3 2,0
  15. 17. Tabagismo Passivo <ul><li>Define-se como a inalação da fumaça de derivados do tabaco produtores de fumaça, por indivíduos não-fumantes, que convivem com fumantes em ambientes fechados (OMS, 2001). </li></ul><ul><li>A poluição decorrente da fumaça dos derivados do tabaco em ambientes fechados, é denominada de poluição tabagística ambiental (PTA). </li></ul><ul><li>É a maior responsável pela poluição em ambientes fechados (OMS). </li></ul><ul><li>Hoje estima-se que seja tabagismo passivo, a 3ª maior causa de morte evitável no mundo, subsequente ao tabagismo ativo e ao consumo excessivo de álcool(OMS,2001). </li></ul>
  16. 18. <ul><li>Efeitos a curto prazo </li></ul><ul><ul><li>Irritação nos olhos </li></ul></ul><ul><ul><li>Manifestações nasais </li></ul></ul><ul><ul><li>Tosse e cefaléia </li></ul></ul><ul><ul><li>Aumento dos problemas alérgicos e cardíacos </li></ul></ul><ul><li>Efeitos a médio </li></ul><ul><li>e longo prazo </li></ul><ul><ul><li>Redução da capacidade respiratória </li></ul></ul><ul><ul><li>Risco aumentado em até 50% para infecções respiratórias em crianças </li></ul></ul><ul><ul><li>Aumento do risco de aterosclerose </li></ul></ul><ul><ul><li>Risco aumentado em 24% para infarto do miocárdio que os não-fumantes não expostos à PTA; </li></ul></ul><ul><ul><li>Risco aumentado em 30% para câncer de pulmão que os não-fumantes não expostos à PTA. </li></ul></ul>
  17. 19. Infecções respiratórias (%) Sem fumantes Com 1 fumante Com 2 fumantes Com mais de 2 fumantes Domicílio 0 10 20 30 40 50
  18. 20. <ul><li>Arrecadação de impostos </li></ul><ul><li>Falta ao trabalho </li></ul><ul><li>Gastos com doenças </li></ul><ul><li>Perda de produtividade </li></ul><ul><li>Aposentadorias precoces </li></ul><ul><li>Danos ao meio ambiente </li></ul>
  19. 21. Agrotóxicos Depleção do solo Lenha Cura da folha Papel Cigarro Poluição ambiental Incêndios Desmatamento
  20. 22. Distribuição proporcional (%) Zona urbana Zona rural Faixa etária l0 - l4 l5 - l9 20 - 29 30 - 49 50 + 0 5 10 15 20 25 30 35 40 45 l0 - l4 l5 - l9 20 - 29 30 - 49 50 +
  21. 23. Norte 40 % Nordeste 31 % Sudeste 41 % Centro-Oeste 38 % Sul 42 % (%) Fumantes na região
  22. 24. <ul><li>Leis para conscientizar sobre os malefícios do tabagismo </li></ul><ul><li>Leis para regular a disponibilidade dos produtos do tabaco </li></ul><ul><li>Leis para garantir a proteção à saúde, direito e bem-estar dos não-fumantes </li></ul>
  23. 25. <ul><li>Lei Federal n.º 9.294/1996, dispondo </li></ul><ul><li>sobre restrições ao uso e propaganda </li></ul><ul><li>de derivados de tabaco e Lei Federal </li></ul><ul><li>n.º 10.167/2000, que altera a anterior. </li></ul><ul><li>proibido fumar nas aeronaves e demais </li></ul><ul><li>veículos de transporte coletivo </li></ul><ul><li>propaganda proibida na mídia,eventos </li></ul><ul><li>esportivos e artísticos </li></ul>
  24. 26. <ul><li>Lei Federal n.º 9.294/1996, dispondo </li></ul><ul><li>sobre restrições ao uso e propaganda </li></ul><ul><li>de derivados de tabaco e Lei Federal </li></ul><ul><li>n.º 10.167/2000, que altera a anterior. </li></ul><ul><li>a propaganda comercial dos produtos </li></ul><ul><li>fumígenos só poderá ser efetuada </li></ul><ul><li>através de pôsteres,painéis e cartazes </li></ul><ul><li>na parte interna dos locais de venda </li></ul><ul><li>não associar o uso do produto à prática </li></ul><ul><li>de atividades esportivas, olímpicas ou não </li></ul><ul><li>não incluir a participação de crianças </li></ul><ul><li>ou adolescentes </li></ul><ul><li>ao infrator desta lei aplicam-se multa </li></ul><ul><li>de R$ 5.000,00 a R$ 100.000,00 </li></ul>
  25. 29. ENTENDENDO O TABAGISMO COMO DEPENDÊNCIA Ministério da Saúde - MS Instituto Nacional de Câncer - INCA Coordenação de Prevenção e Vigilância - Conprev Divisão de Programas de Controle do Tabagismo e outros Fatores de Risco de Câncer
  26. 30. <ul><li>São substâncias naturais ou sintetizadas que ao serem ingeridas produzem alterações no SNC, modificando, assim, estado emocional e comportamental; </li></ul><ul><li>Por serem psicoativas produzem prazer, o que pode induzir ao abuso e dependência. </li></ul>O que são drogas psicoativas?
  27. 31. O que é dependência à uma droga? Fonte: OMS e Associação Americana de Psiquiatria Existência de um padrão de auto-administração que, geralmente, resulta em tolerância, abstinência e comportamento compulsivo para consumir a droga”. O uso e a necessidade, tanto física quanto psicológica, de uma substância psicoativa, apesar do conhecimento de seus efeitos prejudiciais à saúde.
  28. 32. <ul><li>FORTE DESEJO OU COMPULSÃO PARA CONSUMIR; </li></ul><ul><li>DIFICULDADE DE CONTROLAR O USO EM TERMOS DE INÍCIO, TÉRMINO OU NÍVEL DE CONSUMO; </li></ul><ul><li>NA AUSÊNCIA OU DIMINUIÇÃO SURGEM REAÇÕES FÍSICAS COMO ANSIEDADE, DISTÚRBIO DO SONO, DEPRESSÃO E CONVULSÕES (ESTADO DE ABSTINÊNCIA FISIOLÓGICO); </li></ul><ul><li>NECESSIDADE DE DOSES MAIORES (TOLERÂNCIA); </li></ul><ul><li>ABANDONO PROGRESSIVO DE OUTROS PRAZERES E INTERESSES E AUMENTO DE TEMPO PARA USO E/OU SE RECUPERAR DOS EFEITOS; </li></ul><ul><li>PERSISTÊNCIA NO USO APESAR DAS CONSEQUÊNCIAS. </li></ul>Diagnóstico de dependência química 3 ou mais sintomas nos 12 meses
  29. 33. <ul><li>DROGAS DEPRESSORAS - diminuem a atividade mental. Afetam o cérebro, fazendo com que funcione de forma mais lenta. Essas drogas diminuem a atenção, a concentração, a tensão emocional e a capacidade intelectual. Ex. tranqüilizantes, álcool, cola, morfina, heroína. </li></ul><ul><li>DROGAS ESTIMULANTES - aumentam a atividade mental. Afetam o cérebro, fazendo com que funcione de forma mais acelerada. Ex. nicotina, cafeína, anfetamina, cocaína, crack </li></ul><ul><li>DROGAS ALUCINÓGENAS - alteram a percepção, provocando distúrbios no funcionamento do cérebro, fazendo com que ele passe a trabalhar de forma desordenada, numa espécie de delírio. Ex. LSD, ecstasy, maconha. </li></ul>Ação das drogas no S.N.C.
  30. 34. A nicotina como droga <ul><li>Propriedades psicoativas </li></ul><ul><li>Padrão de auto administração </li></ul><ul><li>Compulsão </li></ul><ul><li>Tolerância farmacológica </li></ul><ul><li>Síndrome de abstinência </li></ul>Grupo de transtornos mentais e de comportamento decorrentes do uso de substância psicoativa da CID 10ª revisão, OMS 1997
  31. 35. Addison Yeaman, Brown & Williamson, 17 de julho de 1963 “ Nicotina causa dependência. Portanto nosso negócio é vender nicotina, uma droga que causa dependência e é efetiva no alívio do estresse”
  32. 36. O que faz as pessoas se tornarem fumantes? <ul><li>Publicidade </li></ul><ul><li>Fácil acesso </li></ul><ul><li>Modelos de comportamento </li></ul><ul><li>Suscetibilidade individual </li></ul><ul><li>Aceitação social </li></ul>90% dos Fumantes começaram a fumar até os 19 anos
  33. 37. Phillip Morris:apresentação interna, 1984 “ Para relaxar, pelo sabor, para preencher o tempo, para fazer alguma coisa com as mãos. Mas na maioria dos casos, as pessoas fumam porque sentem que deixar de fumar é muito difícil” Por que as pessoas continuam a fumar?
  34. 38. <ul><li>Inalação pelos pulmões </li></ul><ul><li>Concentração diminui em 20 a 30 min. </li></ul><ul><li>Meia-vida de 30 a 120 min. </li></ul><ul><li>Após doses repetidas, se acumula por </li></ul><ul><li>mais de 6 a 8 horas e durante a noite </li></ul><ul><li>85-90% metabolizada no fígado </li></ul><ul><li>Metabólito- cotinina tem meia vida de </li></ul><ul><li>18-36 horas </li></ul>Distribuição e Metabolismo
  35. 39. n o médio de cigarros fumados por adultos (18 a 20/dia) Necessidade crescente de nicotina para atingir o efeito desejado n o médio de cigarros fumados por adolescen-tes ( 9 /dia) Tolerância Estabelecendo a dependência física
  36. 40. <ul><li>Associações Automáticas: </li></ul><ul><li>após as refeições </li></ul><ul><li>atividades intelectuais </li></ul><ul><li>após cafezinho </li></ul><ul><li>ao beber </li></ul><ul><li>ao dirigir </li></ul>Estabelecendo os condicionamentos Busca e auto-administração de nicotina
  37. 41. <ul><li>Condicionamentos </li></ul><ul><li>Tentativa de evitar a síndrome de abstinência </li></ul><ul><li>Aceitação social </li></ul><ul><li>Dependência psicológica </li></ul>Manutenção do ato de fumar
  38. 42. Gatilhos
  39. 43. <ul><li>Não iniciar dietas alimentares </li></ul>O QUE FAZER? Não são aconselháveis Podem ser contraproducentes <ul><li>Alimentação balanceada </li></ul><ul><li>Faça 4 refeições diárias </li></ul><ul><li>Beba bastante água </li></ul><ul><li>Opções de baixa calorias para beliscar </li></ul>
  40. 44. <ul><li>Estimule a atividade física </li></ul>O QUE FAZER? <ul><li>Salte do ônibus ou trem um ou dois pontos antes e caminhe; </li></ul><ul><li>Use as escadas ao invés do elevador; </li></ul><ul><li>Estacione o carro um pouco mais longe e caminhe; </li></ul><ul><li>Aproveite a hora do almoço para dar uma caminhada; </li></ul><ul><li>Ande de bicicleta, nade, pule corda, dance. </li></ul>
  41. 45. GANHO DE PESO: CONCLUSÃO <ul><li>Ganho de peso pode impedir a cessação; </li></ul><ul><li>Fumar é mais perigoso para a saúde que alguns quilos a mais; </li></ul><ul><li>Concentrar na cessação do tabagismo; </li></ul><ul><li>Dieta só quando estabilizar; </li></ul><ul><li>Estimule a adoção de estilos saudáveis de vida. </li></ul>
  42. 46. <ul><li>Deixar de fumar é um processo. </li></ul><ul><li>Leva tempo. </li></ul><ul><li>A média de tentativa por fumantes é de 3 a 4 vezes antes de parar definitivamente. </li></ul><ul><li>O tabagismo está classificado pela OMS, no grupo dos transtornos mentais e de comportamento, decorrentes do uso de substâncias psicoativas (nicotina) - CID 10. </li></ul><ul><li>O profissional de saúde é modelo de comportamento. </li></ul>TODO PROFISSIONAL DE SAÚDE PRECISA SABER QUE:
  43. 47. DEIXANDO DE FUMAR SEM MISTÉRIO
  44. 48. 1) Quanto tempo após acordar você fuma o primeiro cigarro? Dentro de 5 minutos = 3 Entre 6-30 minutos = 2 Entre 31-60 minutos = 1 Após 60 minutos = 0 2) Você acha difícil não fumar em lugares proibidos como igrejas, cinemas, ônibus, etc? Sim = 1 Não = 0 TESTE DE FAGERSTRÖM Triagem
  45. 49. 3) Qual o cigarro do dia que traz mais satisfação? O primeiro da manhã = 1 Outros = 0 4) Quantos cigarros você fuma por dia? Menos de 10 = 0 De 11 a 20 = 1 De 21 a 30 = 2 Mais de 31 = 3 5) Você fuma mais freqüentemente pela manhã? Sim = 1 Não = 0 TESTE DE FAGERSTRÖM Triagem
  46. 50. 6) Você fuma mesmo doente, quando precisa ficar de cama? Sim = 1 Não = 0 Grau de Dependência: 0 - 2 pontos = muito baixo 3 - 4 pontos = baixo 5 pontos = médio 6 - 7 pontos = elevado 8 - 10 pontos = muito elevado TESTE DE FAGERSTRÖM Triagem
  47. 51. CONTEÚDO DAS SESSÕES SESSÃO 1 Entender por que se fuma e como isso afeta a saúde SESSÃO 2 Os primeiros dias sem fumar SESSÃO 3 Como vencer os obstáculos para permanecer sem fumar SESSÃO 4 Benefícios obtidos após parar de fumar
  48. 52. AMBIVALÊNCIA DO FUMANTE Deixa de fumar Manutenção ou recaída do tabagismo Acho que não vou conseguir... Tenho que deixar de fumar... <ul><li>Medos: </li></ul><ul><li>do sofrimento </li></ul><ul><li>de não saber lidar </li></ul><ul><li>com os problemas </li></ul><ul><li>do fracasso </li></ul><ul><li>pressão social </li></ul><ul><li>Conhece: </li></ul><ul><li>riscos para a saúde </li></ul><ul><li>benefícios de parar </li></ul><ul><li>sofre pressão social </li></ul>
  49. 53. MÉTODO DE PARADA SESSÃO Nº 1 Abrupta Gradual Adiamento Redução 1º dia 1º cigarro às 09 h 2º dia 1º cigarro às 11 h 3º dia 1º cigarro às 13 h 4º dia 1º cigarro às 15 h 5º dia 1º cigarro às 17 h 6º dia 1º cigarro às 19 h 7º dia Nenhum cigarro Fumante de 30 cigarros 1o dia 25 2o dia 20 3o dia 15 4o dia 10 5o dia 5 6o dia 0
  50. 54. SESSÃO 2 DICAS PARA RESISTIR AO DESEJO DE FUMAR <ul><li>Ficar sem cigarro </li></ul><ul><li>Beber muita água ou suco </li></ul><ul><li>Fazer atividades físicas </li></ul><ul><li>Respirar profundamente </li></ul><ul><li>Escovar os dentes imediatamente após as refeições </li></ul><ul><li>Recusar cigarros ofertados por amigos </li></ul><ul><li>Renovar seus propósitos em não fumar </li></ul><ul><li>Evitar tomar café </li></ul><ul><li>Vontade de fumar não dura mais que 5 minutos </li></ul>
  51. 55. <ul><li>Carregar sempre alimentos de baixa caloria: </li></ul><ul><li>- chiclete ou bala dietética </li></ul><ul><li>- cravo ou canela em pau </li></ul><ul><li>- biscoitos de baixa caloria </li></ul><ul><li>- laranja/tangerina </li></ul>SESSÃO 2 DICAS PARA RESISTIR AO DESEJO DE FUMAR
  52. 56. SESSÃO 2 TÉCNICAS DE RELAXAMENTO <ul><li>Exercícios de respiração profunda </li></ul><ul><ul><ul><li>Exercícios de relaxamento muscular </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Exercício de fantasia </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  53. 57. SESSÃO 2 <ul><li>Trocar os lençóis </li></ul><ul><li>Lavar o carro </li></ul><ul><li>Retirar os cinzeiros </li></ul><ul><li>Dar os isqueiros </li></ul><ul><li>Não guardar cigarros </li></ul><ul><li>Evitar hábitos associados (café, bebidas alcóolicas...) </li></ul>PREPARANDO PARA ABSTINÊNCIA
  54. 58. SESSÃO 3 BENEFÍCIOS FÍSICOS <ul><li>Aumento da energia física </li></ul><ul><ul><li>Melhora na respiração </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Melhora no paladar </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Melhora no olfato </li></ul></ul></ul></ul>
  55. 59. SESSÃO 3 GANHO DE PESO <ul><li>Melhora no paladar </li></ul><ul><ul><li>Melhora no olfato </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Alteração metabólica </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Premiação </li></ul></ul></ul></ul>
  56. 60. SESSÃO 4 BENEFÍCIOS OBTIDOS APÓS PARAR DE FUMAR <ul><li>Os riscos de adoecimento diminuem a cada dia sem fumar </li></ul><ul><ul><li>A tosse desaparece </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Economia do dinheiro </li></ul></ul></ul>
  57. 61. GRUPO DE MANUTENÇÃO EVITE UM CIGARRO E VOCÊ EVITARÁ TODOS OS OUTROS
  58. 62. <ul><li>após 20 minutos a pressão sangüínea e o pulso voltam ao normal; </li></ul><ul><li>após 24 horas o monóxido de carbono são eliminados completamente do organismo; </li></ul><ul><li>após 72 horas a respiração se torna mais fácil, e a disposição em geral aumenta; </li></ul><ul><li>após 1 ano o risco de infarto do miocárdio se reduz a metade; </li></ul><ul><li>após 10 anos o risco de câncer de pulmão diminui para a metade e o de infarto do miocárdio fica igual ao de quem nunca fumou; </li></ul><ul><li>lembrar: cigarros de bali, cachimbos e charutos são também prejudiciais </li></ul>RETORNO À SAÚDE
  59. 63. O APOIO MEDICAMENTOSO NA ABORDAGEM DO FUMANTE Ministério da Saúde - MS Instituto Nacional de Câncer - INCA Coordenação de Prevenção e Vigilância - Conprev Divisão de Programas de Controle do Tabagismo e outros Fatores de Risco de Câncer
  60. 64. SITUAÇÕES PONTENCIAIS PARA UTILIZAÇÃO DO APOIO MEDICAMENTOSO <ul><li>Pacientes que fumam 20 ou mais cigarros por dia. </li></ul><ul><li>Pacientes que fumam o 1º cigarro até 30 minutos após </li></ul><ul><li>acordar e fumam, no mínimo 10 cigarros por dia. </li></ul><ul><li>Pacientes com Teste de Fagerström igual ou maior </li></ul><ul><li>do que 5. </li></ul><ul><li>Pacientes que tentaram parar com abordagem </li></ul><ul><li>cognitivo-comportamental, e não conseguiram devido </li></ul><ul><li>a sintomas de abstinência insuportáveis. </li></ul><ul><li>Não haver contra-indicações clínicas. </li></ul>
  61. 65. <ul><li>Fixação de um disco adesivo </li></ul><ul><li>Região do tronco e membros superiores </li></ul><ul><li>Rodízio a cada 24 horas </li></ul>REPOSIÇÃO DE NICOTINA ADESIVO TRANSDÉRMICO
  62. 66. <ul><li>Absorção rápida pela derme </li></ul><ul><li>Liberação lenta e contínua pela corrente sangüínea </li></ul><ul><li>Dessensibilização de receptores </li></ul><ul><li>Não há relato de dependência </li></ul><ul><li>Boa aderência do paciente ao tratamento </li></ul>REPOSIÇÃO DE NICOTINA ADESIVO TRANSDÉRMICO
  63. 67. <ul><li>Absorção pela mucosa oral </li></ul><ul><li>Mascação forte e lenta por 30 min </li></ul><ul><li>Liberação da nicotina varia com a força de mascar </li></ul><ul><li>Liberação não contínua, em picos </li></ul><ul><li>Absorção média durante 15 horas do dia </li></ul><ul><li>Menor aderência do paciente ao tratamento </li></ul>REPOSIÇÃO DE NICOTINA GOMA DE MASCAR:
  64. 68. <ul><li>Dosagem 07, 14, 21 mg </li></ul><ul><li>Posologia Teste Fagerström: 8 a 10 </li></ul><ul><li> 20 ou mais cigarros por dia: </li></ul><ul><li>semana 1 a 4 : 21 mg/dia </li></ul><ul><li>semana 5 a 8: 14 mg/dia </li></ul><ul><li>semana 9 a 12: 07 mg/dia </li></ul><ul><li> </li></ul><ul><li> Teste Fagerström : 5 a 7 </li></ul><ul><li> 10 a 20 cigarros por dia </li></ul><ul><li> fumam 1º cigarro nos primeiros 30 min </li></ul><ul><li>semana 1 a 4: 14mg/dia </li></ul><ul><li>semana 5 a 8: 07mg/dia </li></ul><ul><li>Efeitos irritação local, eritema infiltrativo, náuseas, </li></ul><ul><li>colaterais vômitos , hipersalivação, diarréia </li></ul>ADESIVO TRANSDÉRMICO
  65. 69. <ul><li>Não fumar durante o tratamento </li></ul><ul><li>Gravidez </li></ul><ul><li>Amamentação </li></ul><ul><li>História de úlcera péptica </li></ul><ul><li>Passado de infarto do miocárdio, angina, arritmia cardíaca, derrame cerebral </li></ul>REPOSIÇÃO DE NICOTINA CONTRA-INDICAÇÕES E PRECAUÇÕES
  66. 70. <ul><li>Antidepressivo atípico </li></ul><ul><li>Inibidor da captação neuronal de dopamina e norepinefrina </li></ul><ul><li>Atividade dopaminérgica e noradrenérgica </li></ul><ul><li>Simula a ação da nicotina </li></ul>BUPROPIONA
  67. 71. <ul><li>Dosagem 150mg </li></ul><ul><li>Posologia 1 comp. de 150mg pela manhã por 3 dias </li></ul><ul><li>1 comp. de 150mg pela manhã e à tarde, com intervalo de 8 horas, a partir do 4º dia até 12 semanas </li></ul><ul><li>Obs: PARAR DE FUMAR NO 8º DIA </li></ul><ul><li>Efeitos Insônia , boca seca, convulsão </li></ul><ul><li>colaterais </li></ul>BUPROPIONA
  68. 72. BUPROPIONA Contra-indicações e Precauções <ul><li>História de convulsões </li></ul><ul><li>Epilepsia </li></ul><ul><li>Anorexia nervosa, bulimia </li></ul><ul><li>Etilismo pesado </li></ul><ul><li>História de trauma do SNC: AVC, TCE, Ca de cérebro </li></ul><ul><li>www.mensagensvirtuais.com.br </li></ul>

×