Demonstrações financeiras, fluxo de caixa e impostos

5.090 visualizações

Publicada em

Publicada em: Economia e finanças
  • Seja o primeiro a comentar

Demonstrações financeiras, fluxo de caixa e impostos

  1. 1. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Professor: Melquiades Pereira 5 de fevereiro de 2014 Baseado no Livro: Brigham, Eugene F.; Ehrhardt, Michael C. Administração Financeira: Teoria e Prática. São Paulo: Thomson Learning, 2007.
  2. 2. Balanço Patrimonial ∙ Demonstração Financeira que mostra os valores contábeis da empresa em um determinado momento. Visto como um retrato da empresa. ∙ Conta: É a representação gráfica em moeda de cada elemento do patrimônio e de suas mutações. 1. Contas de Patrimônio: São aquelas que movimentam o patrimônio da empresa, mostrando o saldo de cada grupo de bens, direitos e obrigações, Ex: Caixa. 2. Contas de Resultado: São aquelas que expressam o montante de variação do patrimônio líquido em um determinado período de tempo, Ex: receita de vendas de um determinado período. 3. Contas Transitórias: Destinam-se a registrar determinada transição de valores, como exemplo, temos as contas de apuração do custo dos produtos.
  3. 3. Balanço Patrimonial ∙ Plano de Contas ∙ É o conjunto de contas, previamente estabelecido, para orientar a execução da contabilidade de uma empresa, é estruturado de forma ordenada e leva em consideração as características fundamentais. ∙ Codificação: ∙ Contas do Ativo ∙ Contas do Passivo ∙ Contas do Patrimônio Líquido ∙ Contas de Receita ∙ Contas de Deduções
  4. 4. Balanço Patrimonial ∙ Regimes Contábeis ∙ A forma de reconhecer o resultado das operações em razão do período em que foram efetuadas ou em razão do período em que foram realizadas, ou seja, no mês efetivo do pagamento ou recebimento. ∙ Regimes: ∙ Regime de Caixa: É aquele que considera as receitas e despesas exatamente no mês em que foram realizadas (recebidas ou pagas). Ex. Pagamento de uma conta. ∙ Regime de Competência: É aquele em que determina que os resultados sejam reconhecidos no mês da operação, independente de sua efetiva realização. Ex. Reconhecimento do Débito a ser pago já realiza a despesa
  5. 5. Balanço Patrimonial ∙ ATIVO: representa a parte dos valores positivos do patrimônio, tudo aquilo que a entidade possui ou que tem a receber de terceiros. Representam os Bens e Direitos.
  6. 6. Balanço Patrimonial ∙ PASSIVO: representa todas as obrigações financeiras que uma empresa tem para com terceiros, provenientes de transações passadas, realizadas a prazo, com data de vencimento e beneficiário conhecido. Representam as Obrigações.
  7. 7. Balanço Patrimonial ∙ PATRIMÔNIO LÍQUIDO: é a diferença entre os valores positivos do Ativo (Bens e Direitos) e os valores do Passivo (Obrigações) de uma entidade em um determinado momento. Esta diferença representa exatamente o capital investido dos sócios.
  8. 8. Balanço Patrimonial
  9. 9. Balanço Patrimonial
  10. 10. Balanço Patrimonial ∙ Representação Matemática: Capital Próprio = Bens + Direitos - Dívida Patrimônio Líquido = Ativo - Passivo Ativo = Passivo + Patrimônio Líquido ∙ Exemplo: PatrimônioLíquido = Ativo − Passivo = 2.000 − 1.064 = 936
  11. 11. Demonstração do Resultado ∙ Mede o desempenho da empresa ao longo de um determinado período, geralmente um mês, semestre ou ano. Receita - Deduções = Lucro Receita - Custos - Despesas = Lucro ∙ Receita: acréscimo do ativo, derivado de operações usuais do empreendimento em um determinado período de tempo. ∙ Despesa: decréscimo do ativo (ou aumento do passivo), derivado de ações, decisões e trocas efetuadas pela administração, no esforço de manter a empresa em operação. ∙ Ganhos: tem efeito semelhante a receita na adequação, entretanto, são de natureza esporádica ou totalmente independente da administração. ∙ Perdas: tem efeitos semelhantes as despesas na equação, da mesma forma que os ganhos, sendo que o oposto.
  12. 12. Demonstração do Resultado ∙ Variações da demonstrações de acordo com o tipo da firma. Serviços, Comércio ou Indústria.
  13. 13. Demonstração do Resultado
  14. 14. Demonstração do Resultado Equivalência da nomenclatura norte americana: ————————————————————— ∙ LAJIDA Lucros Antes dos Juros, Impostos, Depreciação e Amortização ∙ Equivalente a EBITDA Earnings before interest, taxes, depreciation, and amortization ————————————————————— ∙ LAJIR Lucros antes dos Juros e Impostos ∙ Equivalente a EBIT Earnings Before Interest and Taxes ————————————————————— ∙ LAIR Lucros antes dos Impostos ∙ Equivalente a EBT Earnings Before Taxes
  15. 15. Índices das Demonstrações aos Acionistas Ordinários Lucro por Ação = LPA = Lucro Líquido Ações Ordinárias = 113.500 50.000 = $2, 27 Dividendo por Ação = DPA = Dividendos Pagos Ações Ordinárias = 57.500 50.000 = $1, 15 Valor do Livro por Ação = VPA = Patrimônio Líquido Ações Ordinárias = 896.000 50.000 = $17, 92 Fluxo de Caixa por Ação = FCA = Lucro Líquido + Depreciação + Amortização Ações Ordinárias = 213.500 50.000 = $4, 27
  16. 16. Demonstração do Fluxo de Caixa
  17. 17. Demonstrações Brasileiras ∙ Balanço Patrimonial ∙ Demonstração do Resultado do Exercício ∙ Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados ∙ Demonstração dos Fluxos de Caixa ∙ Demonstração do Valor Adicionado ∙ Notas explicativas às demonstrações
  18. 18. Fluxo de Caixa Líquido FCL = Lucro Líquido - Receitas NRC* + Despesas NRC* FCL = Lucro Líquido + Depreciação ∙ Exemplo: Fluxo de Caixa Líquido = Lucro Líquido + Depreciação = 113, 5 + 100, 0 = 213, 5 *NCR: Não representam caixa
  19. 19. Capital de Giro Líquido Capital de Giro Líquido = CGL = Ativo Circulante - Passivo Circulante (Caixa + Contas a Receber + Estoques) - (Fornecedores + Provisões) ∙ Exemplo: CGL = (10 + 375 + 615) − (60 + 140) = 1.000, 0 − 200, 0 = 800, 0 Capital Operacional Total = CGL + APO * = 800, 0 + 1.000, 0 = 1.800, 0 *APO: Ativos Permanentes Operacionais Líquidos
  20. 20. Lucro Operacional Líquido Após Impostos - LOLAIR LOLAIR = LAJIR(1-Alíquota do Imposto de Renda) ∙ Exemplo: LOLAIR = LAJIR(1 − IR) = 283, 8(1 − 0, 4) = 170, 3
  21. 21. Fluxo de Caixa Livre (Free Cash Flow) FCL = LAJIR(1 − IR) − Invest. Líquido em Capital ou FCL = Fluxo de Caixa Operacional − Invest. Bruto em Capital Em que: Fluxo de Caixa Operacional = LAJIR(1 − IR) + Depreciação Invest. Líquido em Capital Operacional = △Capital Operacional Invest. Bruto em Capital Operacional = Investimento Líquido + Depreciação Exemplo: FCL = Fluxo de Caixa Operacional − Invest. Bruto em Capital = 270, 3 + (345, 0 + 100, 0) = −170, 7
  22. 22. Fluxo de Caixa Livre (Free Cash Flow) Uso do Fluxo de Caixa Livre FCL 1. Pagar juros aos detentores de títulos de dívida, tendo em mente que o custo líquido para a empresa é a despesa com juros após os impostos; 2. Pagar os detentores de títulos de dívida, isto é, pagar parte da dívida; 3. Pagar dividendos aos acionistas; 4. Recomprar as ações dos acionistas; 5. Comprar valores mobiliários negociáveis ou outros ativos não operacionais
  23. 23. Retorno Sobre o Capital Investido Nem sempre o fluxo de caixa livre negativo representa uma situação ruim. Para isso, o retorno sobre o capital investido contribui para avaliar se a empresa obteve retorno sobre o capital investimento operacional empregado. RSCI = LAJIR(1 − IR) CustoOperacional = LOLAIR CustoOperacional ∙ Exemplo: RSCI = LOLAIR CustoOperacional = 170, 3 1.800, 0 = 0, 095 => 9, 5%
  24. 24. MVA Valor de Mercado Adicionado ∙ A riqueza do acionista é a aumentada pela maximização da diferença entre o valor de mercado da ação da empresa e a quantia de capital próprio que foi fornecida pelos acionistas. MVA = Valor de Mercado das Ações Ordiárias - Valor de livro do patrimônio dos acionistas ordinários ou MVA = (número de ações em circulação)(preço da ação) - Total do patrimônio líquido dos acionistas ordinários
  25. 25. EVA Valor Econômico Adicionado ∙ Enquanto que o MVA mede os efeitos dos atos da administração desde o início da empresa, o EVA se focaliza na eficiência administrativa em determinado período. EVA = LOLAIR - Custo de Capital após IR ou EVA = LAJIR(1-IR)-(Capital Operacional)(CMPC) ou EVA = (Capital Operacional)(RSCI - CMPC)
  26. 26. MVA e EVA

×